Você está na página 1de 11

LABORATÓRIO DE ELETROTÉCNICA

SÃO LUIS
2019
ATIVIDADE COMPLEMENTAR

SÃO LUIS
2019
1. INTRODUÇÃO

No acionamento de cargas mecânicas utiliza-se motores eléctricos, que são


máquinas capazes de promoverem uma transformação de energia eléctrica em energia
mecânica com algumas perdas de energia. Como essas perdas são pequenas, o motor
elétrico apresenta a vantagem de ser uma máquina com um rendimento energético
elevado.

O motor de indução ou motor assíncrono foi patenteado em 1888 por Nikola Tesla
e atualmente constitui mais de 90% dos motores utilizados na indústria. Trata-se de uma
máquina robusta, de fácil construção e por conseguinte mais barata comparada com
outras. Esse motor tem enrolamentos do estator e do rotor somente corrente alternada.
Pode ser comparado com um transformador em que os enrolamentos do secundário
recebem energia por indução [5].

Entre os diversos tipos de motores eléctricos o motor de indução trifásico é uma


máquina com um princípio de funcionamento simples, com pequena manutenção, e que
devido à automação do seu processo de fabricação te o preço um pouco elevado. Como o
progresso tecnológico, foi possível o desenvolvimento de métodos de controlo desta
máquina eléctrica, que, não sendo dissipativos de energia, contribuem para uma utilização
racional da energia eléctrica, o domínio de aplicação do motor de indução trifásico tem
vindo a ampliar-se.
2. DESENVOLVIMENTO

2.1. DISJUNTORES

São dispositivos classificados como de proteção de circuitos utilizados em sistemas


de distribuição residencial e alguns comerciais. O disjuntor é normalmente um substituto
do fusível e tem como principal vantagem não ser descartável. O disjuntor também tem
uma função de um interruptor com desarme automático, ou seja, além de ser um
dispositivo de proteção, pode ser usado para ligar e desligar circuitos, funcionando
também como um dispositivo de manobra [1]. Entre os principais tipos de disjuntores
estão os mais utilizados: térmicos, magnéticos e termomagnéticos.

2.1.1. Disjuntor Térmico

O disjuntor térmico funciona a partir de uma lâmina, que possui um coeficiente de


dilatação determinado de acordo com o material utilizado. Quando no sistema, é originada
uma sobre corrente, a lâmina é aquecida e consequentemente dilatada, fazendo abrir o
contato e interromper a corrente do circuito.

Esse tipo de disjuntor tem algumas desvantagens como o fato dele proteger somente
contra sobrecarga, não sendo possível usar ele para proteção contra algum curto circuito,
pois essa deformação da lâmina não é instantânea, pois essa deformação da lâmina não é
instantânea, que no caso, um curto circuito precisa de uma proteção instantânea [1].

2.1.2. Disjuntor Magnético

Esse tipo de disjuntor é bastante utilizado para proteção contra curto circuitos.
Nesse tipo de disjuntor, a corrente elétrica passa por uma bobina, e consequentemente,
ela cria um campo magnético. Esse campo magnético, quando atinge uma determinada
força, atrai magneticamente um contato que interrompe o circuito. Assim, quando a
corrente passa do máximo do disjuntor, a bobina cria um campo magnético que acaba
desarmando o disjuntor [1]. A interrupção é instantânea. Geralmente esse tipo de disjuntor
está associado a um interruptor de alta qualidade projetado para efetuar milhares de
manobras [2].
2.1.3. Disjuntor Termomagnético

São os mais utilizados em instalações elétricas residenciais e comerciais. Esse tipo


de disjuntor possui as funções dos anteriores: Dispositivo de Manobra, proteção contra
curto-circuito, já que o mesmo possui uma bobina solenoide e proteção contra
sobrecargas, já que possui um atuador bi metálico, que dilata com o aumento da
temperatura [2].

2.2. CONTADORES

Contadores são dispositivos que permitem o acionamento de cargas que exigem


correntes elétricas maiores, exemplificada por motores trifásicos e algumas resistências
industriais [3]. Os contatores possuem um Solenoide, um núcleo e um conjunto de
contatos de força e de comando. Elas serão responsáveis pelo funcionamento do
dispositivo graças as leis do eletromagnetismo. O fenômeno é responsável
pelo acionamento dos contatos, os quais alternaram o comando de ligamento e
desligamento dos equipamentos elétricos que estão conectados.

Os contadores funcionarão como interruptores para equipamentos de maior


potência e garantem uma maior vida útil para as máquinas [3]. A partir dos contatores
sistemas com equipamentos de maior carga energética podem ser controlados a distância.
Geralmente, os contadores são classificados em 3 tipos:

 Contatos normalmente abertos (NA): permanecem sempre na posição aberta, e


se fecham quando acionados, permitindo passagem de corrente elétrica.

 Contatos normalmente fechados (NF): permanecem sempre na posição fechada, e


se abrem quando acionados, interrompendo a passagem de corrente elétrica.

 Contatos comutadores: possuem as duas funções no mesmo contato, com uma


parte NA e outra NF. São empregados não para ligar ou desligar, mas sim
para comutar entre diferentes partes de um circuito.

2.3. RELÉS

Os relés são dispositivos comutadores eletromecânicos, que faz a comutação dos


contatos durante a excitação de suas bobinas. Acontece que, movimentação física no
interruptor ocorre quando a corrente elétrica percorre as espiras da bobina do relé,
gerando um campo magnético que atrai a alavanca responsável pela mudança do estado
dos contatos [4].

2.3.1. Relé térmico

São dispositivos de proteção que é responsável por proteger os motores elétricos de


possíveis problemas ou anomalias. Geralmente é analisada com o sobreaquecimento do
motor elétrico. Quando o motor trabalha com muita carga, ele solicita mais corrente da
rede para tentar compensar o peso requerido, deste modo o motor acaba tendo que
trabalhar com configurações que não foram enquadradas a ele. Consequentemente, isso
pode ocasionar problemas em suas bobinas provocando aquecimento e até um provável
derretimento de sua isolação, ação que é capaz de fechar um possível curto circuito
interno no motor.

O sobreaquecimento acontece devido a exigência de uma intensidade de corrente


maior por parte do motor para conseguir produzir trabalho diante da operação efetuada é
a deixa para o relé ser utilizado. Este tem como base de trabalho uma lâmina bi metálica,
igual aos disjuntores térmicos, que sofre dilatação devido a passagem de corrente elétrica
e devido a diferença no coeficiente de dilatação térmica dos dois metais usados. Ocorre
então um desarmamento no circuito do motor, e quando isso ocorre, o relé deve ser
armado manualmente, com isso, o circuito se mantém sem funcionar evitando problemas
no funcionamento, após os devidos reparos, pode ser ligado [4].

2.3.2. Relé temporizador


Relé temporizador é um dispositivo com a capacidade de realizar operações de
chaveamento em um intervalo de tempo processado. As principais funções desse tipo de
relé são retardamento na sua energização e retardamento na de pulsos, também chamado
de retardamento cíclico [4]. Porém atualmente existe uma tendência ao uso de
temporizadores capazes de desempenhar múltiplas funções em diferentes escalas e
intervalos de tempo ou alimentação, tal como o temporizador com várias funções.

O mecanismo do relé temporizador manipula a comutação de um mecanismo relé.


Esse mecanismo pode ser desempenhado por um sistema eletromecânico, com eletrônica
convencional ou por um sistema microprocessado. Quando o relé é alimentado por uma
fonte de energia, o estado de seus contatos será alterado depois de um
determinado período pré-estabelecido em seu seletor ou programação.

2.4 Partidas
2.4.1 Partida direta
Na partida direta de motor elétrico trifásico podemos identificar que o motor irá
receber a alimentação diretamente da fonte geradora trifásica e sofre interferência
somente dos dispositivos de seccionamento (contatores, disjuntores, relé térmico).
Inicialmente o botão de liga (-S2) e os contatos do contator -K1 estão abertos, ao se
pressionar o botão de liga a tensão alimenta a bobina do contator -K1, que faz com que
os contatos comutem de aberto para fechado e o motor entre em funcionamento.

No diagrama de comando temos um contato de selo (-K1), que faz com que a bobina
continue alimentada mesmo que o botão liga (-S2) não esteja mais sendo pressionado,
fazendo que o motor continue funcionando. O botão -S1 é usado para desligar o motor, e
o botão -S0 é o botão de emergência. Já o relé térmico (DMT1) é usado para a proteção
de sobrecarga elétrica aplicado a motores elétricos. Este dispositivo de proteção visa
evitar o sobreaquecimento dos enrolamentos do motor quando ocorre uma circulação de
corrente elétrica acima da tolerada nos seus enrolamentos.

 Diagrama de comando  Diagrama de potência:


2.4.2 Partida direta com reversão

A reversão automática utilizada para motores acoplados à máquina que partem em


vazio ou com carga, esta reversão pode-se dar dentro e fora do regime de partida. A sua
finalidade dentro de determinados processos industriais tem-se necessidade da reversão
do sentido de rotação dos motores para retrocesso do ciclo de operação, como o caso de
esteira transportadora. Os contatos para o movimento a direita e para a esquerda, estão
intertravados entre si, através de seus contatos auxiliares (abridores) evitando assim curto
- circuitos.

 Diagrama de comando  Diagrama de potencia


4.2.3 Partida sequencial e temporizada
Primeiro se fechar o interruptor magnetotérmico Q1 do circuito de potência.
Pressionando o botão de marcha b1, o contator KM1 atraca e o motor M1 arranca. Ao fim
de um certo tempo (regulável) o relé temporizado ao trabalho acoplado ao contator KM1
fecha o contato 67-68 que permite atracar o contator KM2 e arrancar o motor M2. Ao fim
de um certo tempo (regulável) o relé temporizado ao trabalho acoplado ao contator KM2
fecha o contato 67-68 que permite atracar o contator KM3 e arrancar o motor M3. Se
disparar qualquer um dos relés térmicos param todos os motores. Para parar em qualquer
momento os motores em funcionamento bastará pressionar o botão de paragem b0 [6].

 Diagrama de comando  Diagrama de potencia


3. CONCLUSÃO
4. REFERENCIAS
[1] ATHOS ELECTRONICS. Disjuntores: Como funcionam e para que servem. [S.
l.], 2018. Disponível em: https://athoselectronics.com/disjuntores/. Acesso em: 13 maio
2019.

[2] PONTES, Tandler Anacleto. Tipos de disjuntores. [S. l.], 2010. Disponível em:
http://eletricaesuasduvidas.blogspot.com/2010/11/disjuntores-os-disjuntores-sao.html.
Acesso em: 13 maio 2019.

[3] CENTRAIS de medida e contadores de energia. [S. l.], 2019. Disponível em:
https://www.legrand.pt/index.php/protecao/itemlist/category/51-centrais-de-medida-e-
contadores-de-energia. Acesso em: 13 maio 2019.

[4] TUDO Sobre Relés. [S. l.], 2019?. Disponível


em:http://www.newtoncbraga.com.br/index.php/como-funciona/597-como-funcionam-
os-reles. Acesso em: 14 maio 2019.

[5] MOTORES de indução trifasicos. [S. l.], 2019?. Disponível em:


http://www.estgv.ipv.pt/PaginasPessoais/lpestana/maquinas%20eléctricas%202/aulas%
20teóricas/Motores_inducao_tri.pdf. Acesso em: 13 de maio de 2019

[6] COMANDO sequencial e automático de motores. [S. l.], 2019?. Disponível em:
http:// https://electricideas.wordpress.com/2013/05/09/comando-sequencial-e-
automatico-de-motores/. Acesso em: 13 de maio de 2019