Você está na página 1de 16

GEOLOGIA DE ANGOLA

Os cratons são blocos de crosta terrestre que atingiram estabilidade há longo


tempo e que, devido a sua relativa rigidez, experimentam somente
deslocamentos verticais moderados.
Antigamente o termo craton incluía partes tanto dos continentes como dos
fundos oceânicos. Actualmente, a aplicação do termo retringe-se às áreas
continentais, abrangendo tanto os escudos quanto as plataformas.
Os cratons maiores apresentam núcleo positivo de rochas Pré-câmbricas,
constituindo uma região relativamente aplanada de arqueamento amplo, o que
lhes justifica a denominação de Escudos.
ESCUDOS
Os escudos são áreas de notáveis estabilidade que claramente não sofreram
deformação séria desde os tempos Pré-câmbricos, a não ser uma tendência
ascencional contínua. Predominam nos escudos, por isso mesmo, amplas áreas
de rochas cristalinas sempre emersas.
As plataformas são as partes dos continentes cobertas por rochas,
principalmente sedimentares, sub-horizontais ou suavemente basculadas, que
se sobrepõem as rochas do embasamento consolidadas durante deformações
passadas.
As plataformas são as porções cratônicas dos continentes. Os blocos são
unidades relativamente estáveis no interior de um sistema orogênico,
geralmente com núcleo Pré-câmbrico e que resiste aos movimentos de
dobramento.
Em suma, são reconhecidos em geral dois tipos de movimentos da Terra: a
orogênese (orogenia) e a epirogênese (epirogenia). Os movimentos
orogenéticos provocam a elevação de massas montanhosas.
Os movimentos epirogenéticos elevam e rebaixam massas terrestres de
dimensão continental efectuando pouco dobramento.

CRATONIZAÇÃO DO CONTINENTE AFRICANO


1. O processo de cratonização obedeceu um círculo:
OS GEOCIENTISTAS RECONHECEM EM ÁFRICA 
PELO MENOS 4 CICLOS OROGÉNICOS:
1. Orogenia Limpopo-Liberiano (3.000 – 2.500 Ma.): Neste período temos a
emersão de 8 núcleos (Mauritânia, Serra Leoa, Costa do Marfim, Gabão,
Camarões, Kassai, Dodoma Nyansa, Zâmbia, Zimbabué Transvaal) nas zonas
submersas.
2. Orogenia Eburneana (1.850 – 250 Ma.): A 1ª fase da consolidação dos 8
núcleos e passam a 4 núcleos maiores (África Ocidental, Angola-Kassai,
Tanzânia, Zimbabué Transvaal). 
3. Orogenia Kimbariana (1.100 – 200 Ma.): A 2ª fase da consolidação dos 4
núcleos e passam a 3 núcleos maiores (África do W, Congo e Kalahari).
4. Orogenia Damariana ou Panafricana (750 – 100 Ma.): A etapa final da
cratonização do continente. Apesar de existir de pequenos eventos do
Paleozóico e Mesozóico.
No final deste período observa-se quase a cratonização total da placa Africana
e as regiões estáveis são separadas de zonas afectadas pelas orogenias
Hercinicas e Alpinas.
A Cratonização do Embasamento de Angola
EMBASAMENTO
A porção Angolana da plataforma Africana, apesar de estar estável desde o
final do ciclo Pan-africana, passou durante o Pré-câmbrico por várias etapas de
cratonização, que ficaram bem assinaladas quer através de faixas de
dobramento bem datadas.
A região Angolana que mais cedo sofreu cratonização foi o Nordeste de Angola
fazendo parte do Escudo de Kassai. Actualmente está parcialmente coberto por
sedimentos recentes (2.915 – 2.500 Ma.).
Depois da cratonização da região das Lundas, grande parte de Angola passou
ao estágio de plataforma seguida de uma evolução bastante complexa. No Sul,
a cerca de 2.200 Ma, instalou-se o grande complexo Gabro-Anortosítico do Sul
de Angola.
No centro e Norte os sedimentos granitizados e cratonizados, ocupam várias
zonas estáveis que resistiram eventos a que foram submetidos ao
metamorfismo e rejuvenescido isotopicamente.
Um evento muito vulgar na África Central é o Kimbariano de idade 1650 – 570
m.a., em Angola ocupa uma faixa paralela a costa que começa próximo do rio
Cunene. Na região do Alto Zambeze surge também uma zona afectada por este
evento, uma vez que naquela região encontra-se o cinturão Kimbariano.
Sobre este conjunto, vulgarmente designado por Cratão do Congo,
depositaram-se sedimentos Pan-africanos. Em Angola surgem a Norte e Sul de
Malange separados pelo Horst do Kwanza e na região da Leba (Huíla).
Estágio de Transição
Em Angola, esta fase teve início com a deposição dos sedimentos superiores à
série Xisto-Gresoso do sistema Congo Ocidental. Estes sedimentos estão bem
representados em Angola na região de Pungo-Andongu. Também na região de
Namibe surgem rochas lávicas que também são testemunhos desta fase de
transição.
Estágio de Estabilidade
Nesta etapa começa observa-se o fenómenos de subsidência marcada com o
aparecimento de duas faixas separadas entre si pelo arco de Moçâmedes. A
Norte temos a faixa do Congo com os sedimentos Tilíticos da série do Lutõe,
assentando directamente sobre o embasamento cristalino.
A faixa a Sul aparece totalmente colmatada por sedimentos do Kalahari. Na
Baixa de Cassange na região das Lundas são depositados os sedimentos do
Karroo. 
Finalmente o Arco do Zaire e o Horst do Kwanza são duas unidades estruturais
que tiveram a sua evolução durante a fase de evolução da plataforma.
Estágio de Reactivação
Depois de completamente consolidadas as plataformas, podem entrar neste
período de reactivação que lhes vão imprimir características peculiares e levar
o seu arranjo interno uma completa reorganização estrutural traduzido por
reactivação de antigos falhamentos e arqueamentos, montanhas em blocos,
intensa actividade vulcânica, formação de bacias tectónicas, implantando o
plutonismo granítico e alcalino cratônico e importantes mineralizações.
Principais elementos Geotectónicas de Angola:
Principais elementos Geotectónicas de Angola:
Estructuras do Proterozoico Inferior e depressões.
Arqueamento regionais com estrutura do Arcaico (Cinturões de rochas verdes e
blocos da crusta continental primitiva exemplo:
II- Estructuras de cobertura de plataforma
Proterozoico Superior:
-Aulocogeno do Congo Ocidental
-Depressão do Lutete
-Placas pré-câmbricas do Congo e de Okavango (pequenos depósitos não
dobrados)
-Depressöes vulcano-terrigenas do Mesozoico
e Cenozoico (Depressão Perioceânica, do Congo e do Okavango)
III- Zonas de Activação tectónica da plataforma :
-Manifestação de magmatismo básico, acido e alcalino no Refiano
( Proterozoico Superior)
-Intrusão de rochas ultrabásicas e básicas, básicas, alcalinas, Quimberlitos e
Carbonatitos do Mesozóico ( Cretácico).
- Intrusão de basaltoides, doleritos, pórfiros do Mesozóico e Cenozóico.
Os limites geológicos do complexo litologo-estrutural das rochas mais antigas
de Angola no Soco cristalino não é nítido, no entanto foi atribuído da seguinte
orogenia:
- COMPEXO LITOLOGO- ESTRUTUAL DO ARCAICO INFERIOR Orogenia de
Swazilândia - Limpopo-Liberiano ( mais de 3000 m.a), rochas metamórficas. 
-COMPLEXO LITOLOGO-ESTRUTURAL DO ARCAICO SUPERIOR Orogenia de
Swazilândia - Limpopo-Liberiano ( 2900-2600 m.a); Cinturões de rochas
verdes Noroeste de Angola e Sudoeste de Angola
- COMPEXO LITOLOGO- ESTRUTUAL DO PROTEROZOICO INFERIOR Orogenia
Eburneano, (2600-1650 m.a)000 m.a), Cinturões de “Troughs” rochas verdes,
depressoes e arqueamentos, corresponde a fase final da estruturação da
crusta. Nas depressões observa-se magmatismo com intrusões estratificadas
de gabros anortositos e granitos tipo Rapaquivi.
-COMPLEXO LITOLOGO-ESTRUTURAL DO PROTEROZOICO SUPERIOR
Orogenia de Kinabriano-Katanguiano ( 1650-570 m.a); Supergrupo do Congo
Ocidental, Grupo Chela e Macondo
- COMPEXO LITOLOGO- ESTRUTUAL DO Paleozóico Tardio Orogenia Pana-
africana, (350-200m.a), com sedimentos tipo de mar epicontinentais
Supergrupo Karro. 
-No jurássico Superior ocorreu uma brusca modificação no complexo litologo
estrutural produzido pela abertura do Atlântico que da origem a separação dos
dois Continentes. Na bordadura passiva do Continente fossa abissal surgem as
depressões perioceânicas com sedimentos marinhos 
Nas áreas afastadas da bordadura formaram-se as depressões de Okavango e
Congo com sedimentos terrígenos continentais 
GEOLOCICAMENTE O TERRITÓRIO ANGOLANO ESTÁ CONSTITUÍDO POR
ROCHAS METAMÓRFICAS, ULTRAMETAMÓRFICAS, VULCANO SEDIMENTARES
DO ARCAICO, PROTEROZÓICO E FANEROZÓICO
O PROTEROZOICO EM ANGOLA
Proterozóico:
Divide-se em:
.Proterozóico Inferior e Proterozóico Superior
Proterozoico inferior:
Rochas Verdes e Depressões:
aflora
• Escudo Maiombe (Zona do Lufico-Cabinda)
• Escudo Angola (Zona do Cassinga)
Segundo as características litologo-faciais, o Proterozóico divide-se em dois
cortes fundamentais:
• Troughs de Rochas verdes e Depressões
• Arqueamentos Regionais
As rochas verde e depressões estão constituídas por rocha Vulcano-
Sedimentar de grande espessura.
Arqueamentos Regionais: Afloramento
• Escudo Angola (Zona do Oendolongo)
• Escudo Cassai ( zona da Lunda)
• Escudo Bangweulo ( zona do Alto Zambeze)
Rochas verdes e Depressões na Zona de Cassinga.
O Supergrupo Cassinga esta representado da base ao topo por:
• Grupo Jamba (Vulcano-Sedimentar)
• Grupo Guandja (Vulcano-Sedimentar)
• Grupo Bale (Sedimentar)
• Grupo Jamba e Cuandja: Afloramento:
• Aflora:
• na Vila da Jamba, Cassinga e na cidade do Menongue.
• Composto por: Rochas Verdes, Vulcanitos Ácidos, Metagravaques, Itabiritos,
Quartzitos, Cherts e Cherts ferruginosos, Metagres e Metaconglomerados
• Grupo Bale Afloramento:
• Aflora:
• nos vale do rio Cunene e Cubango.
• Composto por: Depósitos Terrígenos, Quartzítos e Metagrés,
Metaconglomerados e Xistos.
• Arqueamentos Regionais
• As rochas verde e nas depressões estão constituídas por rocha Terrígenas,
discontinuas de pequena espessura.
ROCHAS VERDES E DEPRESSÕES ESCUDO MAIOMBE ZONA DE LUFICO-
CABINDA
As unidades estão agrupadas em:
• Grupo Inferior: Vulcano-Sedimentar (Grupo Lulumba ).
• Grupo Superior: Xistos (Grupo Uende)
Grupo Lulumba e Uonde Afloramento:
• Aflora:
• na parte Norte, Sul e Central de Cabinda
Arqueamentos Regionais 
Aflora:
Escudo Angola (Rio Cuvo, Catumbela, rio Cuanza e Cunene.
Arqueamentos Regionais
Zona Oendolongo:
Está composto por Grés, Quartzítos, Itabiritos, Conglomerados, Rochas
Vulcânicas de composição ácida a média e até básica.
Aflora :
Escudo Cassai:
Está composto por rochas metamórficas pouco metamorfizadas principalmente
terrígena .
Nesta zona o Proterozóico divide-se em:
• Grupo Inferior Lunda
• Grupo Superior Luana
Arqueamentos Regionais
No escudo Cassai:
Aflora: nas depressões do Gabren, vales do Rio Luachimo, Cassai, Luembe e
Chiumbe.
PROTEROZÓICO SUPERIOR: ESTÁ CONSTITUÍDO POR ROCHAS TERRÍGENAS-
CARBONATADAS
O Proterozóico Superior no Aulacógeno do Congo ocidental
O supergrupo do Congo Occidental é divido desde a base ao topo em:
• Grupo Terrero
• Grupo Alto Chiluango (Terrígeno carbonatado)
• Grupo de Xisto Calcário ( principalmente carbonatado)
• Grupo de Xistos Gresoso (Terrígeno)
Obs: Os cortes representativos do Supergrupo do Congo Occidental
corresponde as zonas profunda nas depresões lacáis do Aulacógeno separado
pelo maciço Soerguido do Mbridge
O Proterozóico Superior na Placa do Congo e a Depressão do Lutete e Lucala:
Os depósitos de plataforma nesta zona estão constituidas principalmente por
xisto gresoso e em menor media por xisto calcário.
Afloram principalmente, no rio Cuango, en contacto con Aulocógeno do Congo
Occidental e escudo Angola, Horst do Cuanza.
O Proterozóico Superior na Placa do Congo e a Depressão do Alto Zambeze:
Denominado Grupo Macondo
Composto por xisto argilosos, oscuros, cizentos, negros, calacario cizento,
azulados, enbranquiçados, argilitos micaceos
Aflora nos rios Macondo, Lucunhe e Maninga
O Proterozóico Superior na Placa do Congo e a Depressão do Placa de
Okavango esta representado pela formação grupo Chela divido em Formação
Humpatua e formação Leba:
Formação Humpata (terrigena)
Constituído por conglomerados,Brechas sedimentares Quartzítos cinzentos,
argilitos, rochas silico-vulcanoclasticas.
Aflora na zona da Humpata, rios Bumbo, Nhana, Tampa, bacia do rio Curoca,
interfluvio do rio Cunene e Espinheira
O proterozoico Superior na Placa do Congo e a Depressão do Placa de
Okavango: 
Formação Leba (carbonatada) 
Esta Composta por rochas carbonatadas
Calcários cinzentos e dolomites, com intercalações de material silicioso e
estromatolitos.
ARCAICO EM ANGOLA FOI DIVIDIDO EM :ARCAICO INFERIOR(-Grupo Inferior-
Grupo Superior)e ARCAICO SUPERIOR.
Arcaico: Inferior 
Esta representado por rochas metamórficas tais como:
Gnaisses( bipiroxenicos piroxenicos, biotiticos, anfibolitos, em ocasiões,
eclogitos, quartzo ferruginoso).
Estas rochas são típicas de fácies granulíticas e anfiboliticas
As rochas das zonas de granitização ultrametamórfica correspondem a
tonalito, plagiomigmatito, plagiogranito e chanorquito
ARCAICO INFERIOR
-Grupo Inferior
-Grupo Superior
Grupo Inferior:
Aflora no Escudo Maiombe, Angola e Cassai, composto por:
Plagiognaisses piroxenicos, anfibolitos, eclogitos, gnaisses cordieriticos,
silimaniticos, quartzitos, quartzitos ferruginosos, plagiomigmatitos, e
charnoquitos.
-No escudo Maiombe, aflora entre as cidades de Ambrizete e Ndalatando.
- Geologicamente O Grupo Inferior esta composto por Plagiognasseis
bipiroxenicos, anfibolitos, eclogitos, gnasseis cordieriticos, silimaniticos,
granada, quartzitos, quartzitos ferruginosos.
-No escudo Angola, aflora entre os rios Cuanza e Longa.
- Próximo do Horts do Cuanza, esta constituído por Plagiognasseis
bipiroxenicos, anfibolitos, eclogitos, gnasseis cordieriticos, silimaniticos,
granada quartzitos, quartzitos ferruginosos, gnaisses bipiroxenicos,
plagiognaisses com granadas.
No escudo Cassai, a flora nos rios Chicapa, Luachimo, Luemebe e Cassai
representando por:
-Xistos Cristalinos, Gnaisses de composiçao básica, eclogitos, anfibolitos e
quartzitos.
As rochas ultra metamórficas destacam –se :
Charnoquitos,plagiogranitos e plagiomigmatitos, migmatitos de composicao
dioritica, granodiortica e tonalitos com piroxenas.
Grupo Superior:
Aflora no Escudo Maiombe, Angola, Cassai e Bangwelo, composto por:
Gnaisses biotiticos - hornoblendicos. biotiticos hiperstenicos com granadas,
grafitosos, anfibolitos, eclogitos, quartzitos, tanalitos, plagiogranitos e
plagiomigmatitos.
-No escudo Maiombe, aflora na parte sul do escudo.
-Representado por rochas de fácies anfibolítica, epidoto, anfibolítica e fácies
de xistos verdes.
As rochas ultrametamórficas se observam migmatitos de composição diorítica
e granodiorítica
No escudo Angola, aflora em quase todo o território do escudo, principalmente
na parte Nordeste e Oeste.
-Representado por rochas de fácies anfibolítica, epidoto, anfibolítica, epidoto-
moscovítico e fácies de xistos verdes, gnaisses com granadas, corderitos
As rochas ultrametamórficas se observam migmatitos de composição tonalítica
diorítica e granodiorítica e granítica.
No escudo Cassai, aflora nos rios Chicapa, Luembe, Luachimo, Chiumbe e
Cuilo
-Com predomino de rochas ultrametamórficas (migmatitos, tonalitos,
granodioritos e granitos) sobre as metamórfica .
As rochas metamórficas e ultrametamórficas são similares ao do escudo
Angola.
As rochas ultrametamórficas se observam migmatitos de composição tonalítica
diorítica e granodiorítica e granítica.
No escudo Bangwelo a flora nos rios Zambeze, Luvua, Lunanche e Lóvua.
-Com predomino de rochas ultrametamórfica (migmatitos, tonalitos,
granodioritos e granitos) sobre as metamórficas .
As rochas metamórficas são gnaisses, quartzitos incluindo rochas
carbonatadas alteradas.
As rochas ultrametamórficas se observam migmatitos de composição tonalítica
diorítica e granodiorítica e granítica
ARCAICO SUPERIOR
Aflora no Escudo Maiombe, Angola e do Cassai, composto por:
Rochas metasedimentarias afectadas por metamorfismo de facies anfibolitica,
epidoto-anfibolítica e de xistos verdes.
No escudo Maiombe aflora no Noroeste e Centro do escudo.
Representada da base ao topo por:
-Formação Matadi ( quartzítica- moscovítico)
-Formação Gangila rochas verdes ( anfibolitos e epídotos)
-Formação Tchela (Xistos carbonosos)
No escudo Angola aflora na parte Oeste e sudoeste do escudo, rio Cimo-
Mamue, Serra da Leba
Representada da base ao topo por:
-Sequencia de quartzitos e mármores.
-Sequencia de xistos biotíticos e anfibolíticos
-Calcários Cristalinos ( mármores calcítico e dolomítico)
No escudo Cassai aflora nos rios Chicapa, Luachimo, Luembe e Cassai.
Geologicamente esta Composto por :
-Quartzitos, xistos de variada composição e anfibolítica
PROTEROZOICO EM ANGOLA FOI DIVIDIDO EM DOIS:
PROTEROZOICO INFERIOR E PROTEROZOICO SUPERIOR
PROTEROZOICO INFERIOR
Nas zonas com rochas verdes manifestou-se um intenso vulcanismo andesito e
basaltico
posteriormente substituído por vulcanismo representado por riolitos e dacitos.
Dentro das rochas vulcânicas sedimentarias acumulou-se potentes depósitos
de Ferro e ocorrência de Cu , zona de Cassinga e Jamba.
Nas depressões lineares e arqueamentos regionais foram-se sequencias
terrígenas de pequenas espessura 
No contacto entre rochas verdes e arqueamento regionais afloram espilitoe
riolitos, de zona de Oendolongo.
No final do Proterozóico Inferior, continua a formação de granitos, dentro das
zonas de rochas verdes e arqueamento regionais como resultado da actividade
tectogenesis.
A activação da orogenia, deu origem a um conjunto de intrusões graníticas ,
transformando a crusta preexistente em Crusta continental.
A instalação de intrusões gabro-anortositicas e granitos tipo rapaquivi
associados denunciam a maturidade da crusta.
O Proterozóico Inferior culmina com a formação de estrutura Vulcano -
plutónica em condições continentais.
PROTEROZOICO SUPERIOR DIVIDE EM:RIFEANO
INFERIOR,RIFEANOMEDIO,RIFEANO SUPERIOR
Caracterizou-se pela formação da cobertura Pré-câmbrica. Dentro do
aulacógeno em condições de mar epicontinental acumulou-se as sequencias
terrígenas-carbonatadas.
RIFEANO INFERIOR
Em condições de H20 poucos profundas acumulou-se sequencias terrígenas-
argilosas ( grupo Terreiro).
PROTEROZOICO SUPERIOR
RIFEANO MEDIO a RIFEANO SUPERIOR
Durante o Rifeano Médio a Superior, ocorre uma lenta subsidência que deu
origem a depósitos terrígenos carbonatados, com calcário, estromatolítos
Grupo Alto Zambeze e xisto calcario Grupo do Alto Chiluango.
PROTEROZOICO SUPERIOR
RIFEANO SUPERIOR
Na parte central da bacia deu inicio a formação de elevação sedimentar
depositando-se os sedimentos grosseiros da formação M´Bridge e no resto da
bacia em condições orogénicas iam acumulando –se depósitos Grosseiro
avermelhados formação M´Pioka e Inkisi.
PROTEROZOICO SUPERIOR
RIFEANO MÉDIO 
PLAÇA DE OKAVANGO
Acumulam-se depósitos avermelhados grosseiros continentais contendo
rochas Vulcanoclásticos formação Humpata. 
A passagem de Rifeano Médio a Superior 
em condições de mar aberto acumulam-se depósitos carbonatados GRUPO
chela formação Chela.
PROTEROZOICO SUPERIOR
caracterizou-se por dobramentos e falhas no aulacógeno seguido por
metamorfismo de xistos verdes.
As falhas de direcção NE são as responsáveis pela soluções hidrotermais ricas
mineralizações de Cu, Pb, Sn, Mo, W, etc.
O período de reactivação foi responsável pelas intrusões gabro-dioriticos,
sieníticos e granitos alcalinos e diques doleriticos, na zonas de contacto entre
as estruturas.
PROTEROZOICO INFERIOR
Segundo as características litológicas distingue-se dois cortes típicos em
Angola:
-“Troughs” de rochas verdes e Depressões.
-Arqueamentos regionais
-“TROUGHS” DE ROCHAS VERDES E DEPRESSÕES”
Localização:
• Escudo Maiombe (Zona do Lufico-Cabinda)
• Escudo Angola (Zona de Cassinga)
Composta por rochas Vulcano-sedimentar de grande espessura
ARQUEAMENTOS REGIONAIS”
Localização:
• Escudo Angola (Zona de Oendolongo)
• Escudo Cassai (Zona da Lunda)
• Escudo Bangweulo (Alto Zambeze)
Composta por rochas terrígenas, descontinuas de pequena espessura
-“TROUGHS” DE ROCHAS VERDES E DEPRESSÕES”
Escudo Maiombe: Zona do Lufico Cabinda.
O proterozoico divide-se em três áreas:
-área Central contigua com a Provincia do Zaire.
-área Sul 
- Norte de Cabinda. Escudo Maiombe (Zona do Lufico-Cabinda)
As tres áreas estão compostas, na base por rochas Vulcano-sedimentares
(Grupo Lulumba);
e no topo por xistos (Grupo Uonde)
-“TROUGHS” DE ROCHAS VERDES E DEPRESSÕES”
Escudo Maiombe: Zona do Lufico Cabinda.
Os grupos Lulumba e Uonde, afloram em quase toda a extensão do escudo, é
composto por arcoses, tufos e rochas efusivas de composição acida - básica,
xistos micáceos e carbonosos e calcários.
-“TROUGHS” DE ROCHAS VERDES E DEPRESSÕES”
Escudo Angola: Zona de Cassinga.
O proterozoico divide-se em três Grupos:
Grupo Jamba , Cuandja e Bale.
Os grupos Jamba e Cuandja, afloram nas vilas da Jamba, Cassinga, Cuchi e
Menongue
Compostos por:
Rochas verdes, vulcanitos ácidos, metagrés
Grauvaques, quartzitos, cherts ferruginosos, metagrés e metaconglomerados.
-“TROUGHS” DE ROCHAS VERDES E DEPRESSÕES”
Escudo Angola: Zona de Cassinga.
Grupo Jamba
Está composto da base ao topo por :
Metagrauvaques, xistos filitosos, espilitos, basaltos andesitos e tufos, no topo
por rochas efusivas, e tufos de composição felsito- dacitica, chertes
ferruginosos e itabiritos.
Os itabiritos de composição quartzo - hematito-magnetitica e quartzo –
magnetitica- hematitico em forma de bandas de 150 a 300 m numa área de 170
km de comprimento e 100 de largura
Em ocasiões nas bandas formam-se depósitos de ferro
-“TROUGHS” DE ROCHAS VERDES E DEPRESSÕES”
Escudo Angola: Zona de Cassinga.
Grupo Cuandja
Composto na base por metagrés de grão fino e grosseiros com espessura até
300m, Conglomerados , espilitos, basaltos, andesitos e tufos de 1300 m
TROUGHS” DE ROCHAS VERDES E DEPRESSÕES”
Escudo Angola: Zona de Cassinga.
Grupo Bale,
Aflora nas redes hidrográficas dos rios Cunene e Cubango, representados por:
Depósitos terrígenos, quartzitos, metagrés, metaconglomerados e xisto filitoso
cuja espessura é de aproximadamente 2800 m.
ARQUEAMENTOS REGIONAIS”
Zona de Oendolongo:
• Escudo Angola (bacías dos rios Cuvo, Catumbela e em diferentes afluentes da
margem esquerda dos ríos Cunene e Cuanza, catumbela e Cunhangâmua.
Composto por conglomerados, quartzitos incluindo metaxisto e itabiritos. E
rochas Vulcano-sedimentares de grande espesura que varia de 350 a 1000m.
Destacamos que as zonas de contacto com o grupo de rochas verdes o grupo
compõe-se de Vulcano-sedimentar.
-“ARQUEAMENTOS REGIONAIS”
Zona da Lunda:
• Escudo Cassai (bacias dos rios Luembe, Chiumbe e Luachimo.
• Nas Lundas o Proterozóico Inferior está dividido pelas formações Lunda e
Luana, compostas por xenolitos de gnaisses e xistos anfibolicos.
• O grupo Luana está representado por xistos, conglomerados e quartzitos,
xistos filiticos, grauvaques e grés.
-“ARQUEAMENTOS REGIONAIS”
Zona de Alto Zambeze:
• Escudo Bangweuelo (grupo Macomdo).
O grupo Macondo ( grupo Malombe), esta representado por rochas terrígenas,
com pouco material vulcânico, composto por: quartzitos, conglomerados,
metasilitos e xistos de diversa composição
PROTEROZÓICO SUPERIOR:
Divide-se em Refeano Inferior, Medido e Superior
ESTÁ CONSTITUÍDO POR ROCHAS TERRÍGENAS-CARBONATADAS
O Proterozóico Superior 
Aulacógeno do Congo Ocidental
Aflora no escudo Maiombe, Bangwuelo e Angola.
O supergrupo do Congo Occidental é terrigeno carbonatado dividido em:
Escudo Maiombe
Está dividido da base ao topo por:
• Grupo Terrero
• Grupo Alto Chiluango (Terrígeno carbonatado)
• Grupo de Xistos Calcários ( principalmente carbonatado)
• Grupo de Xistos Gresosos (Terrígeno)
Obs: Os cortes representativos do Supergrupo do Congo Ocidental
correspondem as zonas profundas nas depressões locais do Aulocógeno
separado pelo maciço soerguido do Mbridge.
AULOCOGENO DO CONGO OCCIDENTAL”
Grupo Terreiro :
• Escudo Angola (zona sul com o escudo Angola e horts do Cuanza (Bacias dos
rios Zenza e Luinha).
O grupo Terreiro, representa a base do Proterozóico composto por rochas do
tipo xistos calcários, argilosos, argilitos com grés quartzoso, silicitos
grauvaques e calcários.
-“AULOCOGENO DO CONGO OCCIDENTAL”
Grupo Alto Chiloango :
• Escudo Maiombe (flanco Sul do Aulocógeno do Congo Ocidental).
O grupo Alto Chiloango está constituído por tiloides, calcários, xisto argilosos e
grés.
-“AULOCOGENO DO CONGO OCCIDENTAL”
Grupo Xisto Calcário :
• Escudo Maiombe e Angola (flanco Norte e Sul do Aulocógeno do Congo
Ocidental).
• O grupo Xisto Calcário, no norte localizam-se nos flancos oeste e este do
Aulocógeno e é constituído por xistos calcários .
No sul, parte central O grupo Xisto Calcário está composto por calcários e
dolomite, estromatolitos ou oolíticos.
-“AULOCOGENO DO CONGO OCCIDENTAL”
Grupo Xisto -Gresoso :
• Escudo Maiombe (Soerguimento M´Bridge Sul do Aulocógeno do Congo
Ocidental).
• O grupo Xisto Gresso, localiza-se no norte e sul e está composto por Xisto-
Gresoso.
O Proterozóico Superior na
Placa do Congo e a Depressão do Lutete 
Os depósitos do Proterozóico Superior de plataforma, desenvolvem-se no
Noroeste na zona do Lucala e ao Leste na Zona do Alto Zambeze.
ZONA DO LUCALA E A DEPRESSÃO DO LUTETE
Escudo Angola ( cursos do cuanza).
O horst do Cuanza encontra-se recoberto por sedimentos do Proterozóico
Superior e estão constituídas principalmente por xisto gresoso e em menor
quantidade pelo Grupo xisto calcário.
O Proterozóico Superior na
Placa do Congo e a Depressão do Lutete 
NA ZONA DO ALTO ZAMBEZE
Escudo Bangwelo ( curso dos rios Macondo, Lunche e Maninga).
O grupo Xisto Calcário está constituído principalmente por por xistos argilosos
escuros, cinzentos, pretos, calcário cinzento, azulados, enbranquiçados e
argilitos micáceos.
O Proterozóico Superior na Placa do Congo e a Depressão do Lutete 
PLACA DE OKAVANGO
Escudo Angola ( zona Humpata)
Ao Proterozóico superior foi atribuído a formação Chela nas bacias dos rios
Curoca, Nhama, Tampa, afluentes dos rios Cunene e Espinheira fronteira com a
Namíbia.
Na placa de Okawango o Proterozóico Superior está representado por duas
formações.
Formação Humpata , aflora no escudo Angola, planalto da Humpata cidade do
Lubango,
Constituído por rochas terrígenas: conglomerados Brechas sedimentares
Quartzítos cinzentos, argilitos, grés quartzosos e silicitos.
Formação Leba, aflora no escudo Angola, planalto da Humpata cidade do
Lubango,
Constituído por rochas carbonatadas: calcários cinzentos - azulados e
dolomites maciças, com intercalações de material silicioso, estromatolitos e
oolíticos microfilotitos
.
O proterozoico Superior na Placa do Congo e a Depressão do Placa de
Okawango: 
Formação Leba (carbonatada) 
Está Composta por rochas carbonatadas
Calcários cinzentos e dolomites, com intercalações de material silicioso e
estromatolitos.
FANEROZOICO
O depósitos do Fanerozóico, ocupam vastas áreas do território, representadas
por rochas de idade Paleozóica, Mesozóica e Cenozóica. Os seus limites dentro
das estruturas são bastante diferente. No corte das depressões Fanerozóica,
afloram o Supergrupo Karro ( Paleozoico-Mesozóico, Formação Continental
Intercalar (Jurássico tardio a Cretácico Inferior e formações Cretácicas Calonda
e Kwango, o Grupo do Kalhari (Paleogenio-Neogenio e depósitos do
Quarternário. Os cortes das depressões Perioceânicos estão representados por
depósitos do Mesozóico e Cenozóico
PALEOZOICO 530 -230 m.a:
Continuação da formação da plataforma. Nas depressões continentais da
zonas do Baixo Cunene, Lunda e Gabrem depositaram-se sedimentos
continentais terrígenos avermelhados (Grupo Lutoe, Ecca e Cassanje parte
inferior
MESO-CENOZÓICO 230 m.a
Continuação da formação da plataforma, tanto no interior do continente assim
como na bordadura.
NO TRIASICO – JURÁSICO INFERIOR
Em condições de bacias epicontientais e continentais de águas pouco
profundas na placa de Okavango e do Congo( zona de Alto Zambeze, Dirico e
Cassanje) iam acumulando-se deposito argilo-arenosos e raramente
carbonatados acompanhado com derrames de lavas de composição básica e
acidas produzido pela reactivação da plataforma ( Grupo Stormberg Superior)
MESO-CENOZÓICO 230 m.a
Continuação da formação da plataforma, tanto no interior do continente assim
como na bordadura.
NO TRIASICO – JURÁSICO INFERIOR
Em condições de bacias epicontientais e continentais de águas pouco
profundas na placa de Okavango e do Congo( zona de Alto Zambeze, Dirico e
Cassanje) iam-se acumulando-se deposito argilo-arenosos e raramente
carbonatados acompanhado com derravmas de lavas de composiçao basica e
acidas produziado pela reactivaçao da plataforma ( Grupo Stormberg Superior).
JURÁSSICO SUPERIOR A CRETÁCICO
AS Depressões foram preenchidas por possantes sequencias continentais que
assentam sobre o Grupo Karro (Formações Intercalar, Kwango e Calonda).
JURÁSSICO
Deu-se inicio da formação das depressão Perioceânica, dentro dos limites
falhas profundas, surgiriam as depressões e gabrem que depositando-se os
sedimentos grosseiros do Jurássico Superior e Cretácico Inferior ( Formações
Cuvo, Luvo, Lucula ).
Na zona do Cuanza esta sedimentação foi acompanhado por vulcanismo.
MESO-CENOZÓICO 
Na parte continental do pais predomino condições continentais.
No Jurássico Superior e Cretácico Inferior:
A depressões de Okavango foi preenchida por depósitos avermelhados da
formação Continental intercalar.
No Cretácico Superior na depressão do Congo
Em condições aluvionar, aluvio-lacustre e lacustre, depositaram-se as
sequencias terrígenas das formações Kwango e Calonda.
MESO-CENOZÓICO 
A transição do Cretácico Inferior ao Cretácico Superior foi marcada pela
activação tectono-magmática da plataforma africana culminou com a
instalação de corpos Quimberliticos, rochas alcalinas e ultrabásica e de
carbonatitos, dentro de rifit do Lukapa.
CRETACICO- PALEOGÉNICO
Dentro dos limites de zonas profunda originaram-se as rochas intrusivas e
efusivas básicas e acidas.
PALEOGÉNICO 
Desde o Paleogénico até actualidade em Angola continuam os levantamentos
irregulares em diversas partes do território.
PALEOCENICO-EOCENICO
Em condições de clima quente, dentro de superfícies pleniplanizadas do
Cretácico Superior couraças lateriticas de alteração.
Seus depósitos estão distribuidos por vastas áreas do território Angolano:
- Sequência de rochas do Paleozóico
- Sequência de rochas do Mesozóico e Cenozóico.
O CORTE DOS DEPÓSITOS de CUBERTURA FANEROZOICA DAS DEPRESSÕES
CONTINENTAIS ESTÃO REPRESENTADOS POR :
Supergrupo Karro idade Paleozóica-Mesozóica,
-Formação continental intercalar do Jurássico Tardio, Cretácico Inferior
-Formações do Cretácico: Kwango e Calonda
-Grupo Kalahari do Paleogénico-Neogénico
-Depósitos do Quaternário e os depósitos da depressão perioceânica,
depósitos marinhos do Mesozóico e Cenozóico.
PALEOZÓICO-MESOZÓICO E (CARBÓNICO-JURÁSSICO) 
Supergrupo Karro:
Aflora na parte Norte, Leste e Sudeste de Angola 
Dentro das depressões e antigos vales de glaciares, dentro da placa do Congo
( zona de Cassanje e Alto Zambeze) e de Okawango ( Zona de Dirico)
Escudo Cassai (zona das Lundas)
Na Zona do baixo Cunene está representado pelo Grupo Ecca do Carbónico -
Pérmico, na Lunda Grupo Lutôe do Carbonífero.
Na zona da Lunda está representado pelo Grupo Lutôe .
Na zona de Cassanje o Grupo é representado pelo Grupo Lutôe e Cassanje de
Idade Pérmico - Triásico.
Nas zonas do Alto Zambeze e Dirico o Grupo Stromberg é de idade Jurássica -
Triásica.
SUPERGRUPO KARRO
Namíbia, Botswana e Zâmbia) o Supergrupo Karro foi dividido em:
-Grupo Dwyka,
-Grupo Ecca,
-Grupo Beaufort e Stromberg.
Os Grupos Dwyka e Ecca , correlacionam-se com base nos fósseis com o
Grupo Lutôe, enquanto que o Grupo Beaufort é correlacionado com o Grupo
Cassanje.
Grupo Ecca
AFLORA NA MARGEM DIREITA DO RIO CUNENE.
Está constituído por:
• Grés de grão grosseiro de origem fluvial,
• Conglomerados de coloração verde e acastanhada,
Xistos argilosos e grés esbranquiçados.
Grupo Lutôe
Aflora na parte Norte da zona de Cassanje (rio Lui e Lutôa) e nas Lundas ( rios
Chicapa, Luembe e Luachimo ).
A base está composta por:
• Tilitos vermelhos conglomeráticos, com intercalações de xistos argilosos e
grés,
• Tilitos com blocos de rochas do arcaico e Proterozóico superior (granitoides e
gnaisses, grés e xisto)
O topo está constituído por:
• Grés ferruginosos avermelhados de grão grosseiro.
Karro na Lunda ( Cidade de Calonda)
Composto por:
• Tilitos grés calhaus dispersos, xistos argilosos,
• Argilitos (com fósseis vegetais),
• Grés arcósicos e conglomerados,
• Os fósseis vegetais são (Neuropteridium, Validum, Feist, Noeggerathiopsis,
Glossopteris e Sphenopteris).
Grupo Cassanje (Beauforte)
Aflora na Baixa de Cassanje ( rio Cuango), os afloramentos encontram-se
distribuidos na parte norte e sul da Baixa numa extensão de 400 km com uma
largura de 100-130 km e espesura de 510m.
A base está composta por:
• Grés argilitos, rochas calcárias com abundantes fósseis como:
• Fósseis de peixes (camadas com peixes): Elonichtiys, Moutae, Texi, Perleidus
Luoensis Teix, Angolaichthys Lerichei, Creatodus Angolensis, teix, Hybodys sp.,
incluído espécie como filópode estheria anchietai Teix.
Grupo Stomberg
Aflora na zona do Alto Zambeze, nos ríos Macondo, Lufuige e Longoge.
Dividido em: Inferior e Superior:
O Grupo Stromberg Inferior : está constituído por depósitos terrígenos-
arigilitos, grés arcósico, xistos argilosos, calcários cinzentos com intercalações
de siltitos. 
O Grupo Stromberg Superior: está constituido por (vulcanitos-basaltos
traquiandesitos, espilitos, doleritos e diabases).
MESOZÓICO
Os depósitos do Mesozóico afloram nas depressões Continentais e nas
depressões Periocêanicas 
pelas formações do Jurássico, Jurássico - Cretácico e Cretácico
Depressões periocêanicas:
Do ponto de vista litológico – facial distinguem-se três áreas:
Zona de Cabinda - Congo
Zona do Cuanza
Zona do Namibe
Jurássico
Os depósitos localizam-se nas depressões Periocêanicas e 
Preenchem as depressões em graben ou nos rifts 
Composto por conglomerados cinzentos, grés e dolomites
Jurássico-Cretácico
Os depósitos localizam-se somente na depressão Continental de Okwango, nos
cursos superiores dos rios Cuanza, Cubango e Cuando
Composto por grés cinzentos, argilitos vermelhos e em certas ocasiões
conglomerados.
Cretácico
Os depósitos localizam-se nas depressões perioceânicas (Cretácico Superior e
Inferior), composto por sedimentos continentais com fósseis, depósitos
marinhos
Depressões continentais ( Cretácico Superior), composto por material terrígeno
- carbonatados contendo fósseis
DEPRESSÕES CONTINENTAIS:
• Os depósitos do Cretácico da cobertura da plataforma formam-se apenas no
placa do Congo.
• Afloram principalmente na Província da Lunda Norte.
• FORMAÇÃO CALONDA (ALBIANO)
Aflora nos rios Cuango, Cuilo, Chicapa, Luachimo e outros.
Seu corte geológico apresenta uma espessura de 60 m, e está composta por :
Depósitos aluvionares, aluvionar-lacustre, e lacustres com fósseis.
A Base está composta por grés grosseiros, argilitos vermelhos, comglomerados
de intra formações diamantíferos 
Topo: argilitos vermelhos.
Depressões Continentais:
• FORMAÇÃO CALONDA (ALBIANO)
A matriz das rochas detríticas é gresosa (arcósica) e em algumas ocasiões
carbonatada. Como minerais acessórios encontram-se os minerais satélites
dos quimberlitos tais como:
Ilmenite, granada e cromo diópsido
A formação Calonda em Angola não é fossilífera, mais sua idade foi
correlacionada com dados idóneos da sua litologia da parte inferior do corte,
com o grupo Bokungu do Zaire cuja idade é Apciana - Albiana definida com
base em ostracodes e filópodes.
Depressões Continentais
Formação Kwango (Cenomaniano -Turoniano)
Aflora na província da Lunda Norte
Está constituída por depósitos aluvionares, aluvionar - lacustre e lacustres, sem
fósseis. Geologicamente está composta por grés grosseiros, conglomerados
polimíticos, silicitos e argilitos.
Os fundos dos vales estão constituídos por sedimentos terrígen