Você está na página 1de 6

Fenômenos Mecânicos II

3ª Lista
(Aulas 5 e 6)

1) Encontre o torque resultante sobre a barra da Figura em relação


ao eixo que passa por O, considerando a=10,0 cm e b=25,0 cm.
R: -3,55 N m

2) A vara de pescar na Figura forma um ângulo de


20° com a horizontal. Qual é o torque exercido
pelo peixe em relação a um eixo perpendicular à
página e passando pela mão do pescador se o
peixe puxa a linha de pesca com força F=100 N a
um ângulo 37° abaixo da horizontal? A força é
aplicada em um ponto 2,0 m das mãos do
pescador. R: 167,7 N m

3) A posição angular de um ponto da borda de uma roda é dada por  = 4,0t – 3,0t2 + t3, onde  está
em radianos e t em segundos. Qual é a velocidade angular em (a) t = 2,0s e (b) t = 4,0s? (c) Qual é
a aceleração angular média no intervalo de tempo que começa em t = 2s e termina em t = 4,0s?
Qual é a aceleração angular instantânea (d) no início e (e) no fim deste intervalo? R: (a) 4,0 rad/s,
(b) 28,0 rad/s, (c) 12 rad/s2, (d) 6 rad/s2, (e) 18 rad/s2

4) Uma roda de bicicleta com raio igual a 0,33 m gira com aceleração angular dada pela expressão:
2 3
a(t) = γ - βt , onde γ = 1,80 rad/s e β = 0,25 rad/s . Ela está em repouso para t = 0 s. a) Determine
as expressões para a velocidade angular e deslocamento angular em função do tempo. b) Calcule a
velocidade angular positiva máxima e o deslocamento angular positivo máximo da roda. R: b)
6,48 rad/s e 62,2 rad.
2
5) Uma roda tem uma aceleração angular constante de 3 rad/s . Durante um certo intervalo de 4,0 s,
ela gira de um ângulo igual a 120 rad. Supondo que a roda parte do repouso, há quanto tempo ela
estava em movimento no início deste intervalo de 4,0 s? R: Δt = 8 s.

6) A aceleração angular de uma roda é  = 6,0t4 – 4,0t2, com  em radianos por segundo ao quadrado
e t em segundos. No instante t = 0, a roda tem uma velocidade angular de +2,0 rad/s e uma
posição angular de +1,0 rad. Escreva expressões (a) para a velocidade angular e (b) para a posição
angular em função do tempo. R: (a) t = 1,2t5 – 1,33t3 + 2,0 e (b) t = 0,20t6 – 0,33t4 + 2,0 t +
1,0

7) Uma roda tem uma aceleração angular constante de 3,0 rad/s2. Durante um certo intervalo de 4,0s,
descreve um ângulo de 120 rad. Supondo que a roda partiu do repouso, por quanto tempo já
estava em movimento no início deste intervalo de 4,0s? R: 8,0 s

8) (a) Qual é a velocidade angular  em torno do eixo polar de um ponto da superfície da terra na
latitude 40° N? (A terra gira em torno desse eixo.) (b) Qual é a velocidade linear v desse ponto?
Qual é o valor de  e v para um ponto no equador? R: (a) 7,3x10-5 rad/s; (b) 3,5x102 m/s; (c)
7,3x10-5 rad/s; (d) 4,6x102 m/s

9) Na Figura, uma roda A de raio rA = 10 cm está


acoplada por uma correia B a uma roda C de raio rC =
25 cm. A velocidade angular da roda A é aumentada a
partir do repouso a uma taxa constante de 1,6 rad/s2.
Determine o tempo necessário para que a roda C atinja
uma velocidade angular de 100 rev/min, supondo que
a correia não desliza. (Sugestão: se a correia não desliza, as velocidades lineares das bordas dos
discos são iguais) (1 rev = 2 rad). R: 16 s

10) A Figura mostra a velocidade angular em função do tempo


para uma barra fina que gira em torno de uma das extremidades.
A escala do eixo  é definida por s = 6,0 rad/s. (a) Qual é o
módulo da aceleração angular da barra? (b) Em t = 4,0s, a barra tem uma energia cinética de 1,60
J. Qual é a energia cinética da barra em t = 0s? R: (a) 1,5 rad/s2; (b) 0,40 J

11) As massas e coordenadas de quatro partículas são as seguintes: 50g, x = 2,0cm, y = 2,0cm;
25g, x = 0, y = 4,0cm; 25g, x = -3,0cm, y = -3,0cm; 30g, x = -2,0cm, y = 4,0cm. Qual é momento
de inércia do conjunto em relação ao eixo (a) x, (b) y e (c) z? (d) Suponha que as respostas de (a) e
(b) sejam A e B, respectivamente. Nesse caso, qual é a resposta de (c) em termos de A e B? R: (a)
1,3x103 g cm2; (b) 5,5x102 g cm2; (c) 1,9x102 g cm2; (d) A+B

12) O bloco homogêneo da Figura tem massa 0,172 kg e


lados a = 3,5cm, b = 8,4cm e c = 1,4cm. Calcule o momento
de inércia do bloco em relação a um eixo que passa por um
canto e é perpendicular às faces maiores. R: 4,7x10-4 kg m2

13) O corpo da Figura pode girar em torno de um eixo que passa


por O e é perpendicular ao papel e está submetido a três forças:
FA = 10N no ponto A, a 8,0m de O; FB = 16N em B, a 4,0m de
O; e FC = 19N em C, a 3,0m de O. Qual é torque resultante em
relação a O? R: 12 N m

14) O comprimento do braço do pedal de uma bicicleta é 0,152m e uma força de 111 N é aplicado
ao pedal pelo ciclista. Qual é módulo do torque em relação ao eixo do braço do pedal quando o
braço faz um ângulo de (a) 30°, (b) 90° e (c) 180° com a vertical? R: (a) 8.4 N m; (b) 17 N m; (c)
0Nm

15) Uma bicicleta é montada de modo que a roda traseira possa girar livremente. A corrente
aplica uma força de 18 N ao pinhão de força, a uma distância rPINHÃO = 7 cm do eixo da roda.
Considere que a roda seja um aro (I = MR2) de raio R = 35 cm e massa M = 2,4 kg. Qual a
velocidade angular da roda depois de 5 s? R: 21,4 rad/s

16) Na Figura, o bloco 1 tem massa m1 = 460g, o bloco 2 tem


massa m2 = 500g, e a polia, que está montada em um eixo
horizontal com atrito desprezível, tem um raio R = 5,0cm. Quando
o sistema é liberado a partir do repouso, o bloco 2 cai 75,0cm em
5,0s sem que a corda deslize na borda da polia. (a) Qual é o
módulo da aceleração dos blocos? Qual é o valor (b) da tensão T2
e (c) da tensão T1? (d) Qual é módulo da aceleração angular da
polia? (e) Qual é momento de inércia da polia? R: (a) 6,0x10-2
m/s2; (b) 4,87 N; (c) 4,54 N; (d) 1,20 rad/s2; (e) 1,38x10-2 kg m2

17) Na Figura, um cilindro com uma massa de 2,0kg


pode girar em torno do eixo central, que passa pelo
ponto O. As forças mostradas têm os seguintes
módulos: F1 = 6,0N, F2 = 4,0N, F3 = 2,0N e F4 =
5,0N. As distâncias radiais são r = 5,0cm e R = 12cm.
Determine (a) o módulo e (b) a orientação da
aceleração angular do cilindro. (Durante a rotação, as
forças mantêm os mesmos ângulos em relação ao
cilindro). R: (a) 9,7 rad/s2; (b) O sentido é anti-horário

18) Uma roda de 32kg, essencialmente um aro fino com 1,20m de raio, está girando a 280 rev/min
(1 rev = 2 rad). A roda precisa ser parada em 15,0s. (a) Qual é o trabalho necessário para fazê-la
parar? (b) Qual é a potência média necessária? R: (a) -1,98x104 J; (b) 1,32x103 W

19) A polia indicada na figura possui raio 0,160 m e momento de inércia


2
de 0,480 kg.m . A corda não desliza sobre a periferia da polia. Use
métodos de conservação da energia para calcular a velocidade do bloco
de 4,00 kg no momento em que ele atinge o solo. R: 2,81 m/s.
20)

21) Na Figura, uma roda com 0,20m de raio é montada em um eixo horizontal sem atrito. Uma
corda de massa desprezível é enrolada na roda e presa a uma caixa de 2,0kg que escorrega sobre
uma superfície sem atrito com uma inclinação = 20°
em relação ao horizontal. A caixa escorrega para baixo
com uma aceleração de 2,0m/s2. Qual é o momento de
inércia da roda em relação ao eixo? R: 0,054 kg m2

22) Uma barra uniforme de comprimento L e massa M é livre para girar ao redor de um pivô sem
atrito passando por uma extremidade livre (conforme
figura abaixo). A barra é solta do repouso na posição
horizontal. (a) Qual a velocidade angular da barra na
sua posição mais baixa? (b) Determine a velocidade
tangencial do centro de massa e a velocidade
tangencial do ponto mais baixo sobre a barra na
posição vertical. R: ( ) , ( ) e ( )

23) Uma roda de 0,20m de raio está montada em um eixo horizontal sem atrito. O momento de
inércia da roda em relação ao eixo é 0,050 kg m2. Uma corda de massa desprezível está enrolada
na roda e presa a um bloco de 2,0kg que escorrega
em uma superfície horizontal sem atrito. Se uma
força horizontal de módulo P = 3,0N é aplicada ao
bloco, como na Figura, qual é o módulo da
aceleração angular da roda? Suponha que a corda não desliza em relação à roda. R: 4,6 rad/s2

24) Dois bloco como mostrado na figura abaixo, estão


ligados por um fio de massa desprezível passando sobre
uma polia de raio 0,250 m e momento de inércia I. O
bloco sobre o plano inclinado sem atrito está subindo
2
com uma aceleração constante de 2,0 m/s . a)
Determine T1 e T2 as tensões nas duas partes do fio. b) Encontre o momento de inércia da polia. R:
2
(a) T1 = 118 N , T2 = 156 N e (b) I = 1,17 kg m

25) Na Figura, quatro polias estão ligados por duas correias. A polia A (de 15cm de raio) é a polia
motriz e gira a 10 rad/s. A polia B (de 10cm de raio) está ligado à polia A pela correia 1. A polia
B’ (de 5cm de raio) é concêntrica com a polia B e está rigidamente ligada a ela. A polia C (de
25cm de raio) está ligada à polia B’ pela correia 2.
Calcule (a) a velocidade linear de um ponto da
correia 1, (b) a velocidade angular da polia B, (c) a
velocidade angular da polia B’, (d) a velocidade
linear de um ponto da correia 2 e (e) a velocidade
angular da polia C. (Sugestão: se a correia entre duas
polias não desliza, as velocidades lineares das bordas
das duas polias são iguais). R: (a) 1,5x102 cm/s; (b)
15 rad/s; (c) 15 rad/s; (d) 75 cm/s; (e) 3,0 rad/s

26) Um disco sólido uniforme de raio R e massa M é livre


para girar em um pino sem atrito por um ponto em sua
borda (ver Figura). Se o disco é liberado do repouso na
posição mostrada pelo círculo cor de cobre, (a) qual é a
velocidade de seu centro de massa quando o disco alcança
a posição indicada pelo círculo pontilhado? (b) Qual é a
velocidade do ponto mais baixo no disco na posição
pontilhada? (c) E se? Repita a parte (a) usando um aro

uniforme. R: (a) ( ) , (b) ( ) , (c) ( )

Você também pode gostar