Você está na página 1de 3

Tecido Muscular

● Subdivide-se em: liso, esquelético e cardíaco. Todos eles são compostos por
células alongadas denominadas células musculares, miofibrilas ou fibras
musculares, especializadas para contração. A contração é realizada a partir da
hidrólise de ATP que é convertida em energia mecânica.

Tecido muscular estriado esquelético

● As células do tecido muscular estriado esquelético caracterizam-se por ser


multinucleadas por meio da formação do sincícios. Os feixes formados pelas
fibras musculares são envolvidos por tecido conjuntivo que vão desde o lugar de
origem dessas células até o local de inserção do músculo.
● O tecido conjuntivo que envolvem as fibras musculares recebem nomes diferentes
de acordo com o nível em que se encontram e com a quantidade de célula que
circunda:
● Epimísio: é uma camada de tecido conjuntivo denso que o músculo inteiro.
● Perimísio: derivado do epimísio e envolve feixes ou fascículos de células
musculares.
● Endomísio: é uma delicada camada de fibras reticulares e matriz extracelular que
que envolve cada célula muscular.
● Os fascículos musculares entrelaçam-se em cada extremidade de um músculo
com o tecido conjuntivo denso modelado do tendão para formar uma junção
miotendinosa.
● O tendão, por sua vez, se ancora em um osso por meio das fibras de Sharpey do
periósteo.

Características da fibra muscular estriada esquelética

● São formados no embrião pela fusão de mioblastos.


● Assim como as células do músculo recebem nome diferente, alguns
compartimentos intracelulares também recebem. A membrana plasmática
denominada sarcolema da célula é circundada por uma lâmina basal e células
satélites.
● Sarcolema emite invaginações, chamadas de túbulo T que se comunicam com
cisternas do retículo sarcoplásmatico e formam um complexo chamado de tríade.
O complexo possibilita que as células musculares se contraiam de forma
sincronizada, quando ocorre a liberação de cálcio pelo retículo sarcoplasmático.
A miofibrila é uma repetição de sarcômero

● As miofibrilas são compostas por filamentos grossos (miosina) e filamentos


delgados (actina, tropomiosina, e troponina); a disposição dos miofilamentos dos
sarcômeros são em parte responsável pelo padrão em banda ou estriações
observadas. A actina e miosina interagem e geram a força de contração e o disco
Z forma um suporte transversal para os sarcômeros, o que assegura a
transmissão eficiente da força gerada.

Componentes dos miofilamentos delgados e espessos do


sarcômero

● A actina F, do filamento delgado, consiste em duas cadeias torcidas uma sobre a


outra. A actina F é composta por monômeros globulares (actina G). Esses
monômeros interagem de uma forma cabeça-cauda, conferindo polaridade a
cadeia. Uma extremidade dos filamentos de actina, insere-se na banda Z.
● A troponina consiste em dois polipeptídeos em alfa hélice quase idênticos,
torcidos um com o outro.
● O troponina é complexo formado por três proteínas: I,C e T. O troponina T une o
complexo a tropomiosina. A troponina I inibe a ligação da actina a miosina. A
troponina C liga-se ao cálcio e é encontrada apenas nos tecidos musculares
estriados.

Mecanismo de contração muscular

● Durante a contração muscular, o músculo se encurta em cerca de um terço do


seu tamanho. Apesar do encurtamento do seu tamanho os filamentos que
compõe o sarcômero não se comprimem, o que causa o encurtamento do
músculo é um tipo de filamento se mover sobre o outro.

Um sinal de despolarização propaga-se para o dentro da


fibra muscular através dos túbulos T

● Um sinal de excitação-contração gerado pela acetilcolina, um transmissor químico


liberado por uma terminação nervosa em resposta a um potencial de ação. A
acetilcolina difunde-se para o interior de um estrito espaço, denominado junção
neuromuscular, localizado entre a fibra muscular e terminação nervosa. O
potencial de ação propaga-se do sarcolema até os túbulos T, os quais
transportam os sinais de excitação até o interior da célula muscular.
O Cálcio controla a contração muscular

● Na ausência de cálcio, o músculo permanece relaxado, e o complexo


troponina-tropomiosina bloqueia o sítio de miosina localizado no filamento de
actina. Quando um sinal de despolarização chega, o cálcio liga-se à troponina C e
provoca uma alteração na configuração do complexo troponina-tropomiosina,
como consequência, como consequência o sítio de ligação do miosina fica
exposto na actina. As cabeças da miosina ligam-se ao filamento de actina, e
ocorre a hidrólise do ATP.

Células satélites e regeneração muscular

● As células satélites consistem em uma população celular distinta dos mioblastos.


Elas fixam-se na superfície dos miotúbulos antes que uma lâmina basal circunde
a célula satélite e o miotúbulo. As células satélite têm uma importância
considerável na manutenção, no reparo e na regeneração dos músculos
esqueléticos do adulto. Essas agem por meio de respostas ao estresse ou
traumas expressando MyOD que induz a proliferação das células satélites. Os
descendentes das células satélites ativadas - denominadas células precursoras
miogênicas - aumentam seu ciclo de divisão antes de serem capazes de fundir-se
as fibras musculares pré-existentes. Além das células satélites como progenitoras
das células satélites como progenitoras das células miogênicas no músculo, uma
população de células-tronco do músculo - denominada células de população
lateral - também tem a capacidade de diferenciar-se em todos os principais
linhagens de células do sangue, bem como as células satélites miogênicas.

Músculo cardíaco

● também possui estriações.


● os discos intercalares são características morfológicas que aparecem com a
junção célula
● possui junção comunicante que auxilia na distribuição homogênea dos sinais de
contração para as células
● possui díade: 1 túbulo T+ 1 cisterna

​Músculo Liso
● participa de revestimento de orgãos e sua contração nao é organizada por nao
possuir sarcômeros