Você está na página 1de 20

PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO

RURAL PROATER 2011 - 2013

SOORETAMA

http://t2.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcRYUAmlLFjcuLvYZDM-s74oiRLlvK8wRgMGg4rzYQi0AhrKa3hbqG-glA

PLANEJAMENTO E PROGRAMAÇÃO DE AÇÕES - (2011)


Equipe Responsável pela elaboração
Escritório Local de Desenvolvimento Rural de Sooretama
Gilberto Altoé
Carlos Roberto Gomes Cândido
Janaina Gonçalves Caldeira Menegardo

Contribuições na elaboração do diagnóstico e planejamento


GOVERNO FEDERAL: Instituto Chico Mendes (IBAMA); MDA/ SAF; SENAR; INCRA.
GOVERNO ESTADUAL: IDAF; IEMA.
BANCOS: BNB; SICOOB; BB; Banestes.
Prefeitura Municipal de Sooretama
Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Linhares , Rio Bananal e Sooretama.
Sindicato Rural de Sooretama
Fundação Bionativa .
Associações de Produtores Rurais
ESCELS

Equipe de apoio na elaboração


Antônio Carlos Benassi (CRDR Nordeste)
Sérgio Marins Có (MDR Litoral Nordeste)
Geraldo Mendes da Silva (Assessor Técnico)
Celia Jaqueline Sanz Rodriguez (Área de Operações Ater)
Gardênia Marsalha de Araújo (Área de Operações Ater)
Ludmila Nascimento Nonato (Área de Operações Ater)
Thyerri Santos Silva (CPD)
APRESENTAÇÃO

O Programa de Assistência Técnica e Extensão Rural – Proater é um instrumento norteador


das ações de Assistência Técnica e Extensão Rural - Ater que serão desenvolvidas junto aos
agricultores familiares. A programação está respaldada em diagnósticos e planejamento
participativos, com a qual agricultores, lideranças, gestores públicos e técnicos contribuíram
ativamente na sua concepção.

Mais do que um instrumento de gestão, o Proater tem como grande desafio contribuir com o
desenvolvimento sustentável da agricultura familiar. As ações de assistência técnica e
extensão rural ora planejadas são vistas como um processo educativo não formal,
emancipatório e contínuo. Assim, a melhoria da qualidade de vida das famílias rurais é o
grande mote e direcionamento dos esforços dos agentes de Ater envolvidos no processo.

Este documento está dividido em duas partes: a primeira, o diagnóstico, apresenta informações
acerca da realidade do município (aspectos demográficos, naturais/ambientais, sociais e
econômicos), os principais desafios e as potencialidades. A segunda, o planejamento, encerra
a programação de ações para o ano de 2011.
1. CARACTERIZAÇÃO DO MUNICÍPIO

1.1 Localização do município

O município de Sooretama cujas coordenadas geográficas da sede são: latitude: 19º11’30’’s e


longitude 40º05’46’’w, encontra – se, na região Nordeste e pertencente ao território Juparanã.

1.2 Aspectos históricos, populacional e fundiários

1.2.1 - Histórico da colonização, etnia, costumes e tradições


Um pequeno povoado ao norte do município de Linhares começou a surgir na década de 40, a
que se denominou mais tarde de Córrego Manoel Alves. Tal denominação permaneceu até a
década de 1950. Neste ano uma grande estiagem secou praticamente todos os rios da região
remanescendo, todavia, o rico manancial do então córrego Manoel Alves, que por este fato,
mereceu ser batizado com o nome Córrego D’ Água. Sooretama passou a ser chamado o
município quando foi criado, em 30 de março de 1994 pela lei nº 4.893, desmembrado de
Linhares.

O município de Sooretama está localizado a 159 km da capital do estado pela BR 101 Norte.
Possui uma área de 587 km², sendo 38% coberta de floresta Atlântica (Reserva Biológica de
Sooretama). A população em sua maioria descende de caboclos, italianos e negros. As
principais atividades culturais do município são mais relacionadas a festas de padroeiros e
comunitárias.

Em termos de infraestrutura o município tem pouco a oferecer, que por ser um município novo
ainda está se estruturando. Embora a população de Sooretama seja predominante urbana, a
grande maioria depende da agricultura como fonte de renda.
1.2.2 - Distritos e principais comunidades
O Município de Sooretama é formado pela sede e diversas comunidades. O município possui
somente o Distrito Sede .

As principais comunidades rurais do município são Juncado, Patrimônio da Lagoa, Chumbado,


Patrimônio Rodrigues e Joerana.

Figura 1 – Mapa do município/distritos


1.2.3 – Aspectos populacionais
Em pesquisa realizada pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, divulgada
no Atlas de Desenvolvimento Humano do Brasil, Sooretama, em relação ao Espírito Santo,
ocupa o 57º lugar (0,702), no ranking do I.D.H. - Índice de Desenvolvimento Humano
(PNUD/2000). Os índices avaliados foram: longevidade, mortalidade, educação, renda e sua
distribuição.
Tabela 1 – Aspectos demográficos

Situação do Domicílio/Sexo 2010


Urbana 16873
Homens 8427
Mulheres 8446
Rural 6970
Homens 3706
Mulheres 3264
Fonte: http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/tabela/protabl.asp?c=608&z=cd&o=3&i=P, em 12 de maio de 2011.

1.2.4 – Aspectos fundiários


Os aspectos fundiários de um município refletem, a grosso modo, a forma como a terra está
sendo distribuída entre as pessoas e os grupos. Existem muitas formas de observar e
conceituar a partir desses números. Optamos por utilizar dados do Incra (Instituto Nacional de
Colonização e Reforma Agrária) onde a quantidade de módulos fiscais define a propriedade em
minifúndio, pequena (entre 1 a 4 módulos fiscais), média (acima de 4 até 15 módulos fiscais) e
grande propriedade (superior a 15 módulos fiscais). Os módulos fiscais variam de município
para município, levando em consideração, principalmente, o tipo de exploração predominante
no município, a renda obtida com a exploração predominante e o conceito de propriedade
familiar (entre outros aspectos, para ser considerada familiar, a propriedade não pode ter mais
que 4 módulos fiscais)1.

Em Sooretama o módulo fiscal equivale a 20 hectares.

1
Legislação: Lei 8.629, de 25 de fevereiro de 1993 e Instrução Normativa Nº 11, de 04 de abril de 2003).
A estrutura fundiária de Sooretama retrata o predomínio das pequenas propriedades, de base
familiar, onde os trabalhos produtivos são feitos pela própria família ou no regime de parcerias
agrícolas. No município não existem assentamentos rurais e a estrutura fundiária encontra-se
assim distribuída:
Tabela 2 – Aspectos da Estratificação Fundiária

Município Minifúndio Pequena Média Grande Total


Sooretama 633 285 74 20 1.012
Fonte: INCRA, dados de Janeiro de 2011.

A agricultura familiar é predominante no município sendo que mais de 90% das propriedades é
de mini e pequenas e mesmo nas médias e grandes propriedades é muito expressivo o número
de agricultores familiares que exploram em regime de parcerias. Não há no município
assentamentos rurais.

1.3 Aspectos Edafoclimáticos e ambientais

1.3.1 Caracterização edafoclimática

O município de Sooretama cujas coordenadas geográficas da sede são: latitude: 19º11’30’’s e


longitude 40º05’46’’w, encontra – se na zona natural de terras quentes, planas e secas.
O clima do município, segundo a classificação de Koppen- Geeiger e Af, sendo um clima tipo
tropical quente úmido com chuvas no verão e inverno seco. O índice pluviométrico é de 1200
mn/ano e temperatura média de 23,4º c. Quanto ao relevo, 95% do município é plano. A sede
do município está situada a 58 m de altitude.
Figura 2 – Zonas naturais do município

Algumas características das zonas naturais1 do município de Sooretama


Temperatura Relevo Água
ZONAS o 3
média min. média máx. Declividade N meses Meses secos, chuvosos/secos e secos
2
mês mais mês mais secos
o o
frio ( C) quente ( C) J F M A M J J A S O N D
Zona 6: Terras Quentes, Acidentadas e Secas 11,8 - 18,0 30,7 - 34,0 > 8% 6 P P P P P P P S S P U U

Zona 9: Terras Quentes, Planas e Secas 11,8 - 18,0 30,7 - 34,0 < 8% 6 P P P P P P P S S P U U

1
Fonte: Mapa de Unidades Naturais (EMCAPA/NEPUT, 1999);
2
Cada 2 meses parcialmente secos são contados como um mês seco;
3
U – chuvoso; S – seco; P- parcialmente seco.

1.3.2 Aspectos Ambientais


O município de Sooretama possui uma boa cobertura vegetal, sendo que 38% é coberta com
florestas de Mata Atlântica, que é a Reserva Biológica de Sooretama, administrada pelo
Instituto Chico Mendes (IBAMA) e parte da reserva de Linhares, administrada pela CVRD.
1.4 Organização social

Embora o município seja predominantemente formado de pequenas propriedades, o


associativismo ainda é pouco expressivo. No município existem atualmente 4 associações de
pequenos produtores e é muito grande o número de produtores que não são associados,
sendo que estas associações, no momento tem pouca atuações junto aos interesse dos
pequenos produtores e somente uma vem atuando razoavelmente junto aos associados, que é
a APARCAL. Existe também, em fase de estruturação, a associação dos pescadores do
Patrimônio da Lagoa e um pequeno grupo, na região de Juncado e Jueirana, estruturando junto
ao MPA (Movimento dos Pequenos Agricultores).

O CMDRS, que foi recriado em outubro de 2009, pretende discutir propostas e projetos afim de
melhorar a gestão dessas associações bem como o desenvolvimento de um todo da agricultura
familiar do município.

O Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Linhares e Sooretama, com sede em Linhares e sub
sede em Sooretama, é uma instituição de apoio aos agricultores familiares com uma atuação
bastante abrangente na vida social, política e econômica do município. O Sindicato rural
(patronal) é outra instituição de apoio aos agricultores.
Tabela 3 – Associações de agricultores familiares existentes no município

LOCAL DA Nº DE PRINCIPAIS ATIVIDADES


Nº NOME DA ORGANIZAÇÃO
SEDE SÓCIOS COLETIVAS DESENVOLVIDAS

APRUC- Associação dos Produtores


1 CHUMBADO 36 Desativada
Rurais da Região do Chumbado
APARCAL- Associação dos
Beneficiamento de Café e
2 Pequenos Agricultores da Região Cº CALÇADO 28
armazenagem. Iniciando PAA
do Calçado e Coqueiro
APRUJJ- Associação dos Pequenos
3 Produtores de Juerana 'B' e JUNCADO 26 Reestruturando
Juncado
ASPARCAL- Associação dos
Pequenos Agricultores
4 Cº LASTÊNIO 18 Associação não está atuando
Agropecuários da Região do
Lastênio

FONTE: INCAPER/ELDR Sooretama, 2010.


Tabela 4 – Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável - CMDRS

Nº ENTIDADE REPRESENTANTE

EFETIVO: Alcino da Silva


1 Secretaria Municipal de Agricultora (Secretário)
SUPLENTE:
EFETIVO: Moacir Camiletti
2 Prefeitura Municipal de Sooretama (Vice prefeito)
SUPLENTE:
EFETIVO: Noelita Silveira Almeida
3 Secretaria Municipal de meio Ambiente
SUPLENTE:
EFETIVO: Marinalva Broedel Machado de
4 Secretaria Municipal de Educação Almeida
SUPLENTE:
EFETIVO: Lindomar Rigato
5 Câmara Municipal de sooretama (vereador)
SUPLENTE:
EFETIVO: José Leopoldo de Almeida
6 Sindicato Patronal de Sooretama
SUPLENTE:
INCAPER- Instituto Capixaba de Assistência Téc. EFETIVO: Gilberto Altoé
7
E Ext. Rural SUPLENTE:Carlos Roberto G. Cândido
Sindicato dos trabalhadores Rurais de Linhares e EFETIVO: Ângelo Marcos da Silva
8
Sooretama (APARCAL) SUPLENTE:
Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Linhares- EFETIVO:Ranielle Baldiane Bianchi
9
E Sooretama (STR) SUPLENTE:
EFETIVO:Rosângela Soares da Silva
10 STR- Linhares e Sooretama
SUPLENTE:
EFETIVO: Jaime Balbino de menezes
11 STR- Linhares e Sooretama
SUPLENTE:
EFETIVO: Geraldo Sartório
12 STR- Linhares e Sooretama
SUPLENTE:
EFETIVO:Cláudio Rogério de barros Tregge
13 STR- Linhares e Sooretama
SUPLENTE:
EFETIVO: José Moacir da silva
14 STR- Linhares e Sooretama
SUPLENTE:

FONTE: INCAPER/ELDR Sooretama, 2010.


1.5 Aspectos econômicos

A agropecuária é a maior formadora do PIB do município, sendo o café conilon a principal


atividade seguida com a fruticultura, sendo que a laranja que até pouco tempo era bastante
expressiva, hoje é de pouca expressão por mudança de atividade dos principais produtores. A
seringueira, a silvicultura, o coco, a pimenta do reino e a pecuária de corte são também
atividades importantes. Por outro lado, a avicultura de corte e outros produtos agrícolas como a
mandioca, milho, feijão, outras frutas e pequenos animais, apesar da pouca importância na
formação do PIB, tem grande importância social.

A agroindústria, o artesanato e o agroturismo ainda são atividades pouco desenvolvidas no


município.
Tabela 5 – Principais atividades econômicas

Atividades % no PIB Municipal/2008


Agropecuária 47,16
Indústria 12,1
Comércio e Serviços 40,74
Fonte:http://www.ijsn.es.gov.br/index.phpoption=com_content&view=category&layout=blog&id=281&Itemid=258
Tabela 6 – Principais atividades agrícolas (Área, Produção, Produtividade e valor total
das principais atividades agropecuárias do município)

Área Total Área a ser Quantidade Rendimento Produção


Produto
(ha) Colhida (ha) Produzida (T) Médio (Kg/ha) Estimada (t)

Banana 20 20 300 15000 300


Borracha 830 520 624 1200 624
Cacau 20 10 4 400 4
Café 18000 16100 24150 15000 241500
Cana 30 30 1950 65000 1950
Coco-da-baía 140 140 1400 10000 1400
Feijão – Safra 1 130 130 78 600 78
Feijão – Safra 2 500 500 550 1100 550
Laranja 60 50 1150 23000 1150
Limão 20 20 0 0 0
Mamão 633 633 28485 45000 28485
Mandioca 150 150 2700 18000 2700
Maracujá 800 500 10000 20000 10000
Milho – Safra 1 200 200 500 2500 500
Pimenta 50 40 0 0 0
Tomate 20 20 600 0 0
TOTAL 21603 19063 72491 216800 289241
Fonte: IBGE/LSPA do Estado do Espirito Santo (Agosto/2010).
Tabela 7 – Atividade Pecuária

Município Tipo de Rebanho 2008 2009

Bovino 16.358 15.540


Suíno 3.559 3.609
Caprino 329 332
Sooretama Ovino 1.306 1.325
Galos, Frangas, Frangos, Pintos 187.404 191.714
Galinha 8.294 8.459
Codorna - -

Variável: Valor da Produção (Mil reais)

Município Tipo de Produto 2008 2009


Leite 1964 1971
Sooretama Ovos de Galinha 31 56
Ovos de Codorna - -
Mel de Abelha 9 10
Fonte: http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/pesquisas/ppm/default.asp e http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/pecua/default.asp?
t=1&z=t&o=23&u1=1&u2=1&u3=1&u4=1&u5=1&u6=1&u7=1, em 2011.

Tabela 8 – Principais Atividades rurais não agrícolas

Nº ATIVIDADES NÚMERO DE ESTABELECIMENTOS

1 Agroindústria 5
2 Artesanato 6
3 Agroturismo ***

FONTE: INCAPER/ELDR Sooretama 2010.

1.6 Aspectos turísticos

O turismo ainda é muito pouco explorado no município sendo que no momento somente o
patrimônio da lagoa explora um pouco este aspecto, necessitando de um maior incentivo para
a exploração desta atividade.
2. METODOLOGIA DE ELABORAÇÃO E DIAGNÓSTICO PARTICIPATIVO

2.1 Metodologia de elaboração do Proater

A metodologia utilizada para a realização deste programa está baseada nos princípios de uma
práxis extensionista dialógica, participativa e emancipadora. Desta forma, agricultores
participaram ativamente de todos os processos, discutindo e refletindo sobre sua realidade de
vida, os anseios e as possibilidades de mudança.

A adoção de metodologias participativas de Ater para a condução dos trabalhos deste


programa buscam, além de um diagnóstico que realmente reflita a realidade vivida pelas
famílias, aprimorar a construção da cidadania e a democratização da gestão da política pública.

A prática utilizada nos diversos encontros com os agricultores familiares estão baseadas em
técnicas e métodos de Diagnóstico Rural Participativo – DRP, nos quais o diálogo e o respeito
são pontos fundamentais para o entendimento coletivo de determinadas percepções.

A tabela 9 indica o cronograma de encontros realizados no município.

Tabela 9 – Cronograma de encontros para elaboração do Proater


Nº COMUNIDADE/LOCAL PÚBLICO DATA
PARTICIPANTES
Agricultores Familiares
1 Sede-Câmara Municipal 28/09/10 65
Beneficiários Pronaf/Crédito
Agricultores Familiares
2 Sede- Câmara municipal 27/10/10 34
Beneficiários Pronaf/Crédito
Consultores e Colaboradores da
3 Fundação BIONATIVA 27/10/10 11
Fundação Bionativa

FONTE: INCAPER/ELDR Sooretama 2010.


OBS.: Além destes encontros, foram realizados vários outros (14), durante o ano de 2010,
abrangendo praticamente todos os beneficiários do Pronaf/crédito (95%) e em todos com a
participação do Sindicato dos Trabalhadores Rurais e Secretaria Municipal de Agricultura. Em
muitos, houve a participação de outros órgãos como : IDAF, IEMA, B. Do BRASIL, CONAB,
CdP(Energia), Outras Secretarias municipais. Nestes encontros foram discutidos os problemas
inerentes aos Agricultores Familiares e suas famílias, tais como ; Utilização do crédito;
Conservação do solo, água e meio ambiente; Leis ambientais; Recursos hídricos, entre outros
temas.
3. PLANEJAMENTO DAS AÇÕES DE ATER DO ELDR

As ações planejadas pelo ELDR foram formatadas com a efetiva participação dos agricultores,
suas instituições de representação, técnicos e gestores públicos. Estes sujeitos participaram
não só do diagnóstico como do planejamento em si, apontando as prioridades e as ações que
identificaram como fundamentais.

Além da prospecção das demandas levantadas com os agricultores, o Proater também está
alicerçado nos programas do Governo do Estado, coordenados pelo Incaper e pela Secretaria
da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca.

A tabela a seguir é um quadro resumo das principais ações/atividades a serem desenvolvidas


pelo ELDR no ano de 2011.
Incaper – Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural
PROGRAMAÇÃO ANUAL DAS ATIVIDADES DE ATER – 2011
Sooretama

Nº Pessoas
Público Assistido Crédito Rural Nº
Assistidas
Agricultores Familiares 430 Projeto Elaborado 50
Assentados Projeto Contratado 50
Quilombolas Mercado e Comercialização Nº
Indígenas Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) 1
Pescadores Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) 1
Outros Agricultores 30 Inclusão/Apoio a feiras 1
Outros Públicos 60 Inclusão/Apoio outros mercados -
Somatório 520 Organização e gestão da comercialização -

TABELA – Resumo da programação por atividade


INDICADORES

Demonstração

Demonstração

Elaboração de
Dia de Campo

de Resultado

Demostrativa
Dia Especial

Participativo
Diagnóstico
Observação
Nº Pessoas

Unidade de
de Método
Assistidas

Seminário
Excursão
Encontro
Reunião

Unidade

Projetos
Contato

Eventos
Apoio a
Oficina
Rápido

Outros
Curso
Visita

ATIVIDADES
Café Arábica 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0
Café Conilon 420 250 140 16 10 1 1 0 0 4 0 2 1 0 0 0 30 2 0
Fruticultura 350 195 120 1 - 1 3 1 - - - - - - - - 15 - -
Olericultura 28 28 28 - - - 1 - - - - - - - - - - - -
Culturas Alimentares 75 75 35 - - - - - - - - - - - - - - - -
Pecuária - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Pesca e Aquicultura - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Silvicultura 35 35 10 - - - - - - - - - - - - - - - -
Floricultura - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Recursos Hídricos e Meio Ambiente 140 120 95 1 - - - - - 2 - 1 - - - - - - -
Atividades Rurais Não Agrícolas - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Agroecologia 20 5 5 - - - 2 - - 1 - - - - - - - - -
Organização Social 17 10 15 - - - - - - - - - - - 1 - - -
Somatório 1068 725 443 33 10 2 7 1 0 7 0 3 1 0 0 1 45 2 0
4. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

IJSN – Instituto Jones dos Santos Neves. Disponível.

INCAPER- Instituto de Pesquisa , Assistência técnica e Extensão Rural.

INCRA- Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária.

PFMS – Prefeitura Municipal de Sooretama – Secretaria de Ação Social. 2005. Disponível em:
Arquivo.