Você está na página 1de 35

A Importância do Planejamento Urbano

para o Desenvolvimento dos Municípios

Belo Horizonte, 09 de maio de 2013


O país se desenvolve em ritmo
constante e os espaços urbanos
crescem cada vez mais, lidar
com as mudanças é uma
realidade inevitável para os
municípios brasileiros.
Carência de infraestrutura
e serviços básicos

Ausência de visão de longo


prazo

Dificuldade em estruturar
projetos

Ausência de instrumentos
de ordenação urbana
Desenvolvimento de
infraestrutura e serviços

Planejamento e gestão
do município

Projetos estruturantes

Regulação e fiscalização
urbana
Se mudanças são inevitáveis, saber crescer é uma necessidade

InterAÇÃO
Dos diversos atores:
Setores público
e privado

TransformAÇÃO
Panorama das cidades

88,9% 86,5%
90
80
71,7%
70
60
50
42%
40
28,1%
30
20

A população mundial se dirige às cidades. 10


0
Bahrain Bangladesh Benin Brasil Bulgária

Há cem anos, 10% da população


mundial vivia em cidades. Passa de 86% a população
brasileira que mora em centros
urbanos.
Atualmente, somos mais de 50%, (fonte: ONU)

Até 2050, seremos mais de 75%.


Fonte: UNFPA (ONU, 2007)
Panorama das cidades
Crescimento desordenado
das cidades

Segundo a ONU, 30% da população mundial


que reside em cidades vivem na absoluta
pobreza.

Algumas consequências

• Déficit de habitação

• Desemprego

• Concentração da pobreza

• Trânsito caótico

• Alta produção de lixo

Uma das características mais comuns do • Violência


processo de urbanização brasileiro é a
expansão dos assentamentos precários • Poluição do ar, dos rios e solos
em áreas de risco.
(fonte: UOL, ONU)
Panorama das cidades

Demandas Múltiplas

saúde educação habitação saneamento mobilidade

FOCO DE ATUAÇÃO
Diagnóstico
Demanda por Infraestrutura 89,2% do déficit correspondem a famílias com
até 3 salários mínimos
Habitação
Cerca de 70% da produção de habitação têm
ocorrido no mercado informal

Cerca de 12 milhões de imóveis irregulares no


país

827,6 milhões de habitantes em todo o mundo


vivem em favelas.

Déficit habitacional por região - Brasil

5.796.263
(fonte Ministério das Cidades,/ Secretaria Nacional de Habitação, PNAD/IBGE 2008.)
Diagnóstico

Demanda por Infraestrutura


Mobilidade
37,9 % se
desloca a pé
29,4 %
transporte
coletivo

Gráfico de modalidade para municípios acima


de 60.000 hab. Fonte: ANTP

Quase um terço dos brasileiros encontra dificuldades físicas para realizar algum tipo de tarefa cotidiana

Cerca de 72% das pessoas acima dos 60 anos enfrentam algum tipo de limitação física.

A população brasileira com entraves à mobilidade é de 29,1% (2008)

Nos grandes centros urbanos, as vias para automóveis ocupam em média 70%
do espaço público e transportam apenas 20% a 40% da população

fonte: Folha de São Paulo ,abril de 2010, Instituto de Energia e Meio Ambiente
Diagnóstico
Demanda por Infraestrutura

Saneamento

“Mais pessoas morrem hoje por causa


da água poluída e contaminada do
que por todas as formas de violência,
inclusive as guerras", disse o Programa do Meio
Ambiente das Nações Unidas (Unep)
- 90 % da água de esgoto sem tratamento é
lançado nos mananciais pelos países em desenvolvimento.
No Brasil, cerca de 60%

- 50% da população brasileira não é atendida por sistema


de esgoto

- 178 bilhões serão necessários para promover a


universalização de água e esgoto até 2020.
A dificuldade de viabilidade não é falta de recurso,
mas como dar curso à sua aplicação.
fonte Ministério das Cidades , Valor Econômico
Diagnóstico
Qual o motivo da baixa efetividade das políticas
públicas nos Municípios?

Recursos para
desenvolvimento
urbano

Ausência de
cultura de Equipe
planejamento técnica se
Falta de conhecimento ocupa com Baixa
técnico problemas capacidade
instalados de
investimento
Dificuldade de
captação de recursos
Estrutura deficiente para Autonomia x
elaboração de projetos regras crescentes

Demanda por
infraestrutura
Diagnóstico
Capacidade de gestão dos
Municípios

2535– 45,6%

327 – 5,8%
50%

A tendência mundial de descentralização de poderes governamentais está aumentando a


responsabilidade das pequenas cidades.

À medida em que a população das cidades menores cresce, a carga sobre sua precária
capacidade de gestão e planejamento aumenta.
Fonte: Instituto Florestan Fernandes, CEF
Diagnóstico
Capacidade técnica dos
Municípios
50% dos recursos das emendas
parlamentares retornam aos
cofres da União por não
cumprirem , em tempo hábil o
Quantidade de Média de
Quantidade de trâmite exigido
engenheiros e profissionais
Municípios
arquitetos por Município

10.762 5.564 2
Na fase que ocorre no município,
já que a maioria das emendas são
destinadas a ele, é outra etapa de
muitos problemas, porque os
municípios não têm estrutura
técnica – engenheiro, arquiteto,
economista – para receber
aqueles projetos.

“Os municípios sofrerão um apagão de recursos”


Jornal do Comércio, ago/09.

fonte: Apresentação da CEF no Seminário de Assistência Técnica, Belém/ PA, 2008.


Políticas Públicas

A descentralização do poder governamental conferido pela Constituição de 1988 aumentou a responsabilidade


dos municípios, conferindo a eles o papel de protagonista no desenvolvimento e gestão urbanos. O Plano
Diretor foi eleito principal instrumento da política de desenvolvimento e expansão urbana.

1988 2001 2003 2005/6 2007 2008

Estatuto das Cidades, regulamenta os Lei Federal nº 11.124, é criado o Sistema


artigos da Constituição Federal referentes à Nacional de Habitação de Interesse
Política Urbana. Social – SNHIS e o Fundo Nacional de Lei de Assistência
(diretrizes+princípios+instrumentos) Habitação de Interesse Social – FNHIS Técnica

A constituição de 1988 é um marco


da luta pela Reforma Urbanas devido Lei 11.445/2007
à inserção do capítulo de política O Plano Diretor passa a ser o principal
instrumento para os Municípios promoverem a Marco regulatório do
Urbana Saneamento Básico
política urbana.

É sabido, no entanto, que os municípios apresentam muitas dificuldades para implementar seus Planos
Diretores, além dos outros instrumentos de planejamento urbano. A maioria não apresenta uma estrutura
administrativa adequada no que se refere aos recursos técnicos, humanos, tecnológicos e materiais, sem contar
ainda a baixa difusão dos conselhos de participação e controle social voltados para uma cultura participativa de
construção e implantação da política de desenvolvimento urbano. Fonte: IPPUR(2011).
Planejamento Físico e Territorial – Plano Diretor

Potenciais fontes de
Plano Obrigatoriedade Finalidade Links
recursos federais
Lei 10.257/2002 - Estatuto da Cidade que estabeleceu
a obrigatoriedade de elaboração de Plano Diretor Dispor de instrumento básico da política de
Participativo para municípios integrantes de áreas de desenvolvimento do município, abrangendo a
Plano Diretor especial interesse turístico, em áreas de influência de área urbana e a região rural, contemplando o
Ministério das Cidades MCidades
Participativo empreendimentos com impacto ambiental, com mais desenvolvimento sócio-econômico e busca a
de 20 mil habitantes, onde sejam utilizados inclusão social e gestão democrática
instrumentos urbanísticos do Estatuto da Cidade ou
integrantes de regiões metropolitanas
Planejamento Físico e Territorial – Habitação

Potenciais fontes de recursos


Plano Obrigatoriedade Finalidade Links
federais
Programas e Ações do Ministério das
MCidades
Resolução nº 7/2007 do Conselho Gestor do FNHIS Dispor informações, propostas e Cidades: Integração Urbana de
que estabeleceu a obrigatoriedade de apresentação do programas que compreendam Assentos Precários Informais;
PLHIS pelos municípios aderentes ao SNHIS, bem como demandas atuais e futuras de Produção e Aquisição de Habitações; CEF
Plano Local de a lei de criação do Fundo Local de Habitação de melhoria de assentamentos Melhoria Habitacional; Assistência
Habitação de Interesse Social (FLHIS) e do Conselho Gestor do Fundo precários, produção e aquisição de Técnica; Desenvolvimento
MCidades
Interesse Social Local de Habitação de Interesse Social (CGFLHIS) e a unidades habitacionais, melhorias Institucional
inserção do Fundo (de natureza contábil) na legislação das unidades habitacionais,
orçamentária local como exigência para que os regularização fundiária dos imóveis Ministério do Planejamento PAC
municípios possam pleitear recursos do FNHIS do município
Minha Casa, Minha Vida MCMV
Planejamento Físico e Territorial – Saneamento Básico

Plano Obrigatoriedade Finalidade Potenciais fontes de recursos federais Links

Funasa Funasa
Dispor informações, propostas
Lei 11.445/2007 que
e programas que Ministério das Cidades
estabeleceu a necessidade
compreendam demandas MCidades
dos municípios elaborarem
atuais e futuras para coleta e
Plano Municipal seus planos de saneamento Programas e Ações da FUNASA: Saneamento para Promoção da
tratamento de água potável,
de Saneamento básico como pré-requisito Saúde, Sistema de Abastecimento de Água, Cooperação Técnica,
esgotamento sanitário, lixo
Básico para acesso aos recursos Sistema de Esgotamento Sanitário, Melhorias Sanitárias Funasa
domiciliar, industrial e
financeiros da União para Domiciliares, Resíduos Sólidos, Saneamento Rural, Controle da
hospitalar e drenagem urbana
aplicar em saneamento Qualidade da Água, Educação em Saúde Ambiental
e rural
básico
Programas e Ações do Ministério da Integração Nacional:
Mintegração
Drenagem Urbana Sustentável
Planejamento Físico e Territorial – Mobilidade Urbana

Plano Obrigatoriedade Finalidade Potenciais fontes de recursos federais Links

Dispor informações, propostas e


Lei 12.587/2012 que instituiu as diretrizes da Política
programas que compreendam Programas e Ações do Ministério das Cidades:
Nacional de Mobilidade Urbana e impôs desafios ao MCidades
demandas atuais e futuras da Corredores de transporte coletivo; Sistemas de
planejamento do transporte nas pequenas cidades
infraestrutura de mobilidade urbana, circulação não-motorizados; Urbanização de áreas
Plano de brasileiras. Com ela, passa a ser exigida a elaboração, até
dos meios de transportes e de seus lindeiras de corredores ferroviários; Melhoria da
Mobilidade 2015, de Planos de Mobilidade Urbana (PMU) para todos os
serviços, possibilitando condições qualidade e da produtividade da circulação urbana;
Municipal municípios com mais de 20 mil habitantes. Dessa forma, o
adequadas ao exercício da Revitalização de ramais ferroviários ociosos para o
repasse de verbas para obras de infraestrutura urbana em
mobilidade da população e da transporte de passageiros; Acessibilidade para MCidades
municípios com mais de 20 mil habitantes será condicionado
logística de distribuição de bens e pessoas com restrição de mobilidade e deficiência
à apresentação de planos de transporte e mobilidade.
serviços
Planejamento Físico e Territorial – O Futuro em Construção

Onde quero
chegar

DESEJADO

Onde estou

T1: Planos
Programas
Projetos
Iniciativas

Habitação Construindo Juntos


Palmas - TO
Iniciativas

Programa Passeio Livre


São Paulo- SP

Acessibilidade Boa Viagem - PE


Iniciativas

Regulação e fiscalização urbana


Apoio aos Municípios
Como dar suporte aos Municípios?

É preciso encontrar novas maneiras de apoiá-los para que


possam planejar a expansão futura, utilizar seus recursos
de forma sustentável e fornecer serviços essenciais .
Av. Queiroz Filho, 1700 cj 110 Bloco E | 05319-000 | São Paulo/SP Tel.: (11) 3791-7975 / (11) 9 8417-9885
www.interacaourbana.com.br

Interesses relacionados