Você está na página 1de 40

Manual de Instruções para

Compressores Estacionários

CPB 15-20-25-30-40
CPVR 20-25-30-40

Importante
Este manual aplica-se exclusivamente a:
1. Compressores a partir do número de série:BRP073237.
Ed. 09/2015

Visite nosso site: www.chicagopneumatic.com.br


GARANTIAS

A Chicago Pneumatic assegura ao Contratante, durante o período e condições adiante referidos, garantia quanto ao conserto ou
reparação, a título gratuito, do produto vendido ou de seus componentes ou acessórios de fabricação própria que venham a
apresentar comprovados defeitos de fabricação, desde que não sejam provenientes de mal uso ou culpa do Contratante.

Os prazos de garantia são contados a partir da data da emissão da(s) nota(s) fiscal(is), estendendo-se:

a. para compressores estacionários ou portáteis: 18 (dezoito) meses após a emissão da nota fiscal ou 12 (doze) meses após a
entrega técnica, prevalecendo o prazo que ocorrer primeiro, e 24 (vinte e quatro) meses para o elemento compressor.

b. para outros equipamentos: pelo período de 18 (dezoito) meses após a emissão da nota fiscal ou 12 (doze) meses após a
entrega técnica, prevalecendo o prazo que ocorrer primeiro.

Nenhum reparo, modificação ou substituição, a título de garantia, prorrogará os prazos acima, quer para o equipamento em si,
quer para os acessórios ou componentes substituídos.

As garantias instituídas pelo presente instrumento referem-se exclusivamente aos componentes de fabricação própria. Com
relação a componentes, motores e acessórios fabricados por terceiros, as garantias são as estabelecidas pelos respectivos
fabricantes, e de sua exclusiva responsabilidade.

Nossos produtos tem pintura baseada conforme a norma ISO 12944 sendo que nossa categoria de ambiente corrosivo é a “C3
medium”.

A eficácia das presentes garantias está condicionada à imediata comunicação por escrito do Contratante à Chicago Pneumatic
sobre o defeito constatado, sendo expressamente proibida qualquer intervenção do Contratante ou de terceiros no produto ou
equipamento, sob pena de perda da garantia.

Haverá perda de garantia nos casos de:

a. compressores estacionários instalados ou montados pelo Contratante, sem vistoria e aprovação da Chicago Pneumatic;
exceto os modelos CPM.

b. ausência de Entrega Técnica, pela Chicago Pneumatic;

c. manutenção inadequada ou incorreta dos equipamentos ou produtos, incluindo: (i) realização de modificações não autorizadas;
e (ii) inobservância das instruções da Chicago Pneumatic quanto à manutenção, lubrificação deficiente ou irregular;

d. emprego de peças ou acessórios não originais ou não aprovados pela Chicago Pneumatic;

e. uso inadequado ou incorreto dos equipamentos ou produtos;

f. sobrecarga de trabalho não previamente autorizada pela Chicago Pneumatic, por escrito;

g. desgaste normal dos equipamentos ou produtos;

h. danos decorrentes de caso fortuito ou de força maior, como os resultados de incêndio, inundações, depredação, greve,
tumulto ou ações danosas do gênero, entre outros;

i. transporte inadequado, armazenamento irregular ou prolongado providenciado pelo Contratante; e

j. estar o Contratante em mora ou inadimplente no pagamento do preço estabelecido pelo contrato de Venda e Compra.

Nenhum defeito de fabricação poderá ser considerado motivo justo para o Contratante faltar ao cumprimento das obrigações que
lhe incumbem na forma deste instrumento e da proposta inclusa.

Os serviços relacionados às presentes garantias serão executados nas oficinas previamente autorizadas pela Chicago Pneumatic,
sendo de responsabilidade do Contratante a entrega e retirada dos produtos nesses locais, e as respectivas despesas de
transporte e seguro. A critério exclusivo da Chicago Pneumatic, os serviços em garantia poderão ser prestados nos estabelecimentos
do Contratante. Neste caso, todas as despesas relacionadas com quilometragem ou passagem aérea, tempo de viagem, alimentação
e hospedagem de técnicos e/ou mecânicos deverão ser pagas pelo Contratante.

2
O CPB/CPVR nunca deve funcionar além de sua capacidade e de nenhuma outra forma que não conforme as instruções contidas
nesta instrução de operação e manutenção.

A Chicago Pneumatic não se responsabiliza se estas instruções não forem respeitadas.

Este equipamento foi testado em fábrica e satisfaz as condições normais de funcionamento: estas não devem ser excedidas sob
a pena de submeter a máquina a esforços anormais.

ÍNDICE

1. Descrição ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 7 4.4 Indicador do sentido de rotação ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 21


1.1 Generalidades ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 7 4.5 Óleos especiais ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○
21
1.2 Preservação do meio ambiente e prevenção de 4.5.1 Descrição ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 21
contaminação ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 7 4.5.2 Descrição da opção ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 21
1.2.1 Manutenção da máquina ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 7
1.2.2 Tubo de dreno de condensado ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 7 5. Informações específicas para CPVR ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 22
1.2.3 Fim da vida da máquina ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 7 5.1 Descrição ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 22
1.3 Equipamento padrão ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 7 5.2 Segurança ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 22
1.4 Definição dos pictogramas ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 8 5.2.1 Advertência ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○
22
1.5 Módulo eletrônico ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○
8 5.2.1 Instruções de segurança ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 22
1.6 Secador de ar ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 8 5.3 Instalação ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○
22
1.6.1 Dados técnicos ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 8 5.4 Operação ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○
23
1.6.2 Operação ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○
9 5.4.1 Preparação para partida (veja Capítulo 3) ○ ○ ○ ○ ○
23
1.6.3 Conexão elétrica ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 9 5.4.2 Controle dos sentidos de rotação
1.6.4 Leitura de temperatura do ponto de orvalho no durante a partida ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○
23
Módulo ES 3000 ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 10 5.4.3 Ajuste da pressão - máquina ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○
23
1.6.5 Soluções de problemas ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○
11 5.4.4 Montagem e ajuste para o funcionamento em
pararlelo com outros compressores ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 24
2. Instalação ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 13 5.4.5 Regulagem da pressão por variação
2.1 Instruções de Instalação ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 13 de velocidade ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○
24
2.2 Movimentação ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 13 5.5 Problemas de funcionamento ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 25
2.3 Sala do compressor ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 13 5.5.1 Principais problemas ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 25
2.4 Montagem ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 13
2.5 Tubulação de descarga do ar ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 13 6. Manutenção ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 26
2.6 Conexão elétrica ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 14 6.1 Filtro de ar ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 27
6.2 Ventilador ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 27
3. Partida inicial ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 15 6.3 Resfriador de ar e óleo ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○
27
3.1 Preparação para partida inicial ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○
15 6.4 Elemento separador de óleo ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 28
3.2 Partida inicial ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 15 6.5 Tubo de retorno de óleo ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○
28
3.3 Ajuste da pressão de saída ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○
15 6.6 Dreno de condensados ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○
28
3.4 Ajuste para operação em paralelo com 6.7 Teste de segurança de temperatura ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○
28
outros compressores ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 15 6.8 Aperto da conexões elétricas ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 27
3.5 Segurança ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 15 6.9 Desarmando o compressor ao final de
sua vida útil ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○
28
4. Funcionamento ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 16 6.10 Tensão da correia ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 29
4.1 Circuitos de ar e óleo ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 16 6.11 Remoção da correia ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 29
4.1.1 Circuito de ar ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 16 6.12 Limpeza ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 30
4.1.2 Circuito de óleo ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 16
4.2 Sistema de controle ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 17 7. Incidentes durante a operação ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○
31

4.3 Módulo eletrônico ES 3000 ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○


18 7.1 Incidentes principais ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 31

4.3.1 Painel de controle e comando ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 18 7.2 Cuidados ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 31


4.3.2 Módulo eletrônico “ES3000” ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 18


4.3.3 Visualização das horas de funcionamento ○ ○ ○ ○ ○ 20 8. Características técnicas ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○
32

4.3.4 Visualização das horas de operação de 8.1 Condições de referência ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○


32

componentes sujeitos à manutenção ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 20 8.2 Limitações ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 32


4.5 Rearme dos contadores de intervalos de


manutenção (Leds Amarelos exceto LED “A”) ○ ○ ○ 20 9. Instruções para utilização do reservatório de ar ○ ○ 34
4.3.6 Ativação/desativação do modo de
operação em alívio ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 21 10. Diagrama elétrico ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 35
4.3.7 Parâmetros de operação do módulo ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 21
4.3.8 Visualização do valor dos parâmetros do módulo ○ ○ 21 11. Instruções para utilização dos vasos ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 37
4.3.9 Visualização do valor de temperatura
excessivamente baixa ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 21 12. Informativo ambiental ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ 38

3
4
Sáida de Ar Comprimido
Entrada de Ar Refreigeração Motor
Painel Eletrônico de Controle

1220
C.G. C.G. C.G. C.G.

"C"
"C"

www.chicagopneumatic.com.br

150 380 150 "B"


Entrada de Ar Refrigeração Visor de Nível de Óleo

1280
"A" MODELO PESO (kgf) "A" "B" "C"
CPB 15 395 520 310 460
CPB 20 405 520 310 460
CPB 25 414 520 310 460
CPB 30 430 520 310 460
CPB 40 458 520 310 460
CPVR 20 443 545 355 463
CPVR 25 452 545 355 463

780
CPVR 30 458 545 355 463
C.G. CPVR 40 504 545 355 463

"B"
Saída de Ar Refrigeração

Fig. 1 - Dimensional CPB 15-20-25-30-40 BD e CPVR 20-25-30-40 BD sem secador - 1028 8622 85-01-02
Saída de Ar Refrigeração do Motor Elétrico
820 30 1775 20

40 780 COMPRESSED 674 106 VOLTAGE SUPPLY ENTRY


AIR OUTLET D E COMPRESSOR AND DRYER
G1" FEMALE ELECTRONIC
BOARD

75
71 105
44

120 380 280

1090

1220
A E C B
475

310
DRAIN
OUTLET Oil level check
G1/4" FEMALE EMERGENCY STOP

"C"
PUSH-BOTTON
88

260
130

50
75.5 50 50
615 190 190

560 780

44 481 "A"

Modelo Peso (kgf) "A" "B" "C"

"B"
VIEW FROM "E " CPB 15 505 1095 340 460
CG

455
CPB 20 515 1095 340 460
CPB 25 524 1095 340 460
CPB 30 540 1095 340 460
CPB 40 568 1095 340 460

243
CPVR 20 553 1095 333 463
CPVR 25 562 1095 333 463
CPVR 30 568 1095 333 463
CPVR 40 614 1095 333 463

400
Ø1 282.5 282.5
3(
8x
)

40
40 420
COOLING FLOW:

A - DRYER AND MOTOR COOLING AIR INLET


B - DRYER COOLING AIR OUTLET

710
C - AFTER COOLER COOLING AIR INLET
D - AFTER COOLER COOLING AIR OUTLET
E - MOTOR COOLING AIR OUTLET

35
35 1705

BOTTOM VIEW

Fig. 1a - Dimensional CPB 15-20-25-30-40 BD e CPVR 20-25-30-40 BD com secador - 1028 8656 86-01-02

5
6
820 30 1775 20

40 780 COMPRESSED 674 106 VOLTAGE SUPPLY ENTRY


AIR OUTLET D E COMPRESSOR AND DRYER
G1" FEMALE ELECTRONIC
BOARD

75
105
71

44

120 380 280

1090
A E C B
475

310
DRAIN
OUTLET Oil level check

1791
G1/4" FEMALE EMERGENCY STOP

"C"
PUSH-BOTTON
88

130
Pressure Gauge

75.5 50 50
Safety Valve

831
751
AIR VESSEL DRAIN

100
G3/8" FEMALE
Ø20 (6x) 150 (3X)
410 775.5 775.5
525
363 1701 363

2427

Modelo Peso (kgf) "A" "B" "C"


CPB 15 717 1095 340 1031
VIEW FROM "E " CPB 20 727 1095 340 1031
CPB 25 736 1095 340 1031
CPB 30 752 1095 340 1031
CPB 40 780 1095 340 1031
CPVR 20 765 1095 333 1034
"A" CPVR 25 774 1095 333 1034
CPVR 30 780 1095 333 1034
40 420 CPVR 40 826 1095 333 1034
"B"

CG

400
COOLING FLOW:

A - DRYER AND MOTOR COOLING AIR INLET


B - DRYER COOLING AIR OUTLET
C - AFTER COOLER COOLING AIR INLET
D - AFTER COOLER COOLING AIR OUTLET
E - MOTOR COOLING AIR OUTLET

741

Fig. 1c - Dimensional CPB 15-20-25-30-40 TD e CPVR 20-25-30-40 BT com secador- 1028 8656 87-01-02
1. Descrição 4. Um sistema de polias e correia “V”.
5. Um reservatório de ar/óleo de acordo com a legislação
em vigor (Diretiva Européia relativa a equipamentos
sob pressão n° 87/404).
1.1 Generalidades 6. Uma regulagem de fluxo do tipo “partida-parada”que
funciona mediante o controle de fechamento e da abertura
O compressor de ar Chicago Pneumatic tipo “CPB” contém da sucção.
uma unidade compressora de ar sob a forma de um conjunto 7. Um sistema de lubrificação que utiliza pressão diferencial
independente, completo e inteiramente testado, acionado por do circuito, o que evita a necessidade de uma bomba de
um motor elétrico e inserido dentro de uma cabine acústica, óleo.
necessária para a correta refrigeração do conjunto. 8. Um sistema de separação de óleo por meio de um elemento
separador.
É um compressor de ar rotativo de parafuso, resfriado a óleo, 9. Um sistema de troca de calor: resfriador de óleo e resfriador
estágio único. Um reservatório vertical serve para pré-separar de ar comprimido com ventilação forçada.
e armazenar o ar e o óleo. A mistura do ar-óleo é separada pelo 10. Um filtro de ar seco.
elemento separador. 11. Um filtro de óleo.
12. Um módulo eletrônico de comando e controle.
A unidade compressora e motor estão fixados no chassi por 13. ES 3000 como padrão em todas as unidades de velocidade
amortecedores de vibração. fixa.
14. ES 3000 como padrão em todas as unidades com velocidade
Um Secador de Ar (para CPB / CPVR BD e TD) está integrado variável.
à estrutura. É fornecido um sistema de dreno de condensados, 15. Um secador de ar com dreno eletrônico para o conden-
que inclui uma válvula de dreno automático durante o sado gerado durante a operação;
funcionamento. 16. Um reservatório de Ar baseado na ASME e de acordo
com a Legislação NR-13 vigente;

1.2 Preservação do meio ambiente e prevenção - Dispositivos de segurança:


de contaminação
1. Uma válvula de segurança montada no reservatório de
óleo.
1.2.1 Manutenção da máquina
2. Um dispositivo de proteção térmica para o motor, localizado
na chave de partida, que protege o motor de uma forte
Certifique-se de que os componentes usados da máquina (óleo
sobrecarga.
de dreno, os filtros do óleo e de ar, os separadores de óleo,
3. Um termostato de ar que para o compressor quando há
etc.…) são descartado de acordo com as normas nacionais e
um aumento anormal da temperatura ou um defeito de
locais.
refrigeração de óleo.
4. Um sensor de pressão que pare o compressor em caso
1.2.2 Tubo de dreno de condensados
de pressão excessiva.
5. Uma válvula de segurança montada no reservatório de ar;
Certifique-se de que os condensados (água, óleo) são
drenados e tratados de acordo com as normas nacionais e
- Dispositivos de controle:
locais.
1. Uma válvula de pressão mínima localizada na saída do
1.2.3 Fim da vida da máquina reservatório de óleo após o separador de óleo, que garante
O equipamento deve ser operado em conformidade com as uma pressão mínima no circuito de lubrificação.
normas nacionais e locais. (Veja Capítulo 6 – 6.9) 2. Despressurização do equipamento caso haja falha nos
periféricos do compressor..
3. Um indicador do nível de óleo localizado no painel frontal
1.3 Equipamento padrão (veja fig. 10).
4. Um painel elétrico composto:
Na versão standard, a unidade carenada inclui: - um teclado de comando,
- indicações principais de segurança e controle.
- Componentes de funcionamento: 5. Um sensor de pressão que regula a saída do ar comprimido.
1. Um compressor de parafusos gêmeos lubrificado com
A unidade de ar comprimido CPB, foi projetada, produzida e
óleo Rotair.
testada de acordo com as seguintes recomendações, códigos
2. Um motor elétrico: 3600 rpm (60Hz), rotor de curto-
e normas:
circuito, voltagem 220, 380 ou 440V de acordo com o
tipo. - segurança das máquinas: Diretiva Européia 98/37/CE, 91/
3. Partida estrela/triângulo (CPB) ou inversor de frequência 368/CEE, 93/68/CCE.
(CPVR). - reservatório sob pressão: Diretiva Européia dos recipientes

7
sob pressão simples n° 87/404/CEE.
- equipamento elétrico:
· Diretiva Européia da baixa tensão 73/23 CEE.
· Diretiva Européia da compatibilidade eletromagnética 92/336/CEE, 92/31/CEE.
- níveis de desempenho: ISO 121 7 : 1996.
- nível ruído: ISSO 2151.
- Diretiva Européia 97/23/CE “Diretiva Equipamentos Baixa Pressão”.

1.4 Definição dos pictogramas

Exemplos típicos de pictogramas válidos para os compressores CPB:

1. Saída de água
2. Dreno manual de condensados
3. Entrada de água
4. Dreno automático de condensados
5. Desconectar e descarregar o compressor antes da manutenção
6. O reservatório deve ser drenado diariamente e inspecionado anualmente.

Fig. 2

1.5 Módulo eletrônico

A unidade está equipada com um módulo eletrônico ES 3000.

Veja as instruções específicas para uma descrição do controlador eletrônico junto com as instruções de funcionamento no
Capítulo 4 – 4.3.

1.6 Secador de Ar

1.6.1. Dados técnicos

Carga de Líquido de 
Peso (máx) Tensão Potência Nominal  Potência Nominal  Potência Nominal  Pressão 
Tipo Arrefecimento R404A 
(Kg) (V) Motocompressor (W) Ventilador (W) Total (W) Máxima (bar)
(Kg)
A8 65 220 0,65 1035 85 1120 13

Condições de referência: Condições de trabalho:

Temperatura da sala: 25 °C Temperatura da sala (Máx): 45°C


Temperatura de admissão de ar: 35 °C Temperatura da sala (Mín): 4°C
Pressão de trabalho: 7 bar Temperatura de admissão de ar (Máx): 55°C
Ponto de orvalho sob pressão: 3 °C Pressão de operação (Máx): 13 bars

8
1.6.2. Operação

1- Motorcompressor 8- Filtro de líquido de arrefecimento


2- Condensador 9- Válvula Hot Gás
3- Ventilador 10- Trocador de calor
4- Evaporador 11- Sensor de ponto de orvalho
5- Separador de Condensado 12- Pressostato do Ventilador
6- Coletor de impurezas 13- Dreno automático
7- Tubo Capilar 14- Contador

O fluido de arrefecimento gasoso proveniente do evaporador é sugado pelo compressor de refrigeração, a fim de ser comprimido
e, em seguida, resfriado no condensador: isto permite a sua condensação, se necessárias com a ajuda do ventilador, o fluido de
arrefecimento condensado passa através do filtro de líquido de arrefecimento, ele se expande através do tubo capilar e retorna
para o evaporador, onde se produz um efeito de resfriamento.

Devido à troca térmica com o passar do ar comprimido através do evaporador contra o fluxo durante o resfriamento, o líquido de
arrefecimento evapora e retorna para o motocompressor para iniciar um novo ciclo. O circuito é completado com um sistema que
ignora a refrigeração líquida e adapta a potência de refrigeração disponível para uma carga térmica eficaz. Esta operação é
realizada através da injeção da hot gás sob o controle da válvula para manter o líquido de arrefecimento em uma pressão
constante no evaporador e, portanto, os condensados à mesma temperatura, que nunca cai abaixo de zero grau Celsius, a fim de
evitar o congelamento de condensado no evaporador. A operação do secador é completamente automática, o secador é calibrado
na fábrica de acordo com uma referência de ponto de orvalho e, portanto, não necessita de calibração adicional.

1.6.3. Conexão elétrica

A conexão elétrica do secador de ar deve ser feita de forma independente a da máquina (220V), conforme ilustração abaixo:

9
1.6.4. Leitura de temperatura de ponto de orvalho no Módulo Eletrônico ES 3000

Temperatura LAT  Visualização no Display  Status do led G 

Temperatura de ponto de 
Aceso (ligado) / Ruim para o 
orvalho menor que a 
equipamento 
mínima permitida 

Apagado (desligado) / 
Temperatura de ponto de    Correto para o 
orvalho normal 
equipamento 

Temperatura de ponto de 
Aceso (ligado) / Ruim para o 
orvalho maior que a 
equipamento 
máxima permitida 

 
 
Nota:
- A visualização do status de secador é possível pressionando o botão partindo através da visualização principal;
- Em caso de temperatura de ponto de orvalho menor que a mínima ou maior que a máxima permitida para o equipamento, o
led G ficará aceso (ligado) somente quando o módulo estiver na opção de visualização do status do secador. Na opção de
visualização principal do módulo o led G estará apagado (desligado);

10
1.6.5. Soluções de Problemas

Problemas  Possível Causa  Solução 


O Ar não passa através da  Os tubos estão obstruídos  Verificar se a válvula Hot Gas 
saída do secador  por gelo  está corretamente ajustada e 
em bom funcionamento. 
Existe condensado no circuito  ‐ Mau funcionamento do  ‐ Verificar se a válvula de 
separador de água  dreno de condensado do 
‐ O secador está operando  separador está funcionando 
em má condição de  corretamente 
condensação  ‐ Verificar o correto 
funcionamento do secador e 
seu ventilador (sentido de 
giro / funcionamento) 
Contínuo vazamento de Ar e  Sistema automático de  Verificar sistema 
água no separador de  drenagem de condensado 
condensado  defeituoso 
A superfície superior do moto  ‐ O secador está operando  ‐ Verifique se existem 
compressor está muito  em má condição de  vazamentos de gás 
quente (>55°C)  condensação  ‐ Reabasteça com gás 
‐ O circuito de refrigeração  refrigerante 
não está com a correta 
quantidade de gás 
O motor trabalha de forma  ‐ O secador está operando  ‐ Verifique se existem 
intermitente por causa do  em má condição de  vazamentos de gás 
termostato de proteção  condensação  ‐ Reabasteça com gás 
‐ O circuito de refrigeração  refrigerante 
não está com a correta 
quantidade de gás 
O motor do secador tenta  ‐ Conexões elétricas  ‐ Verificar a condição e 
partir, mas não o faz  defeituosas  aperto das conexões elétricas 
‐ O secador desligou e religou  ‐ Aguardar alguns minutos 
sem que o tempo para  antes de religar o secador 
reajuste da pressão fosse  ‐ Verificar o funcionamento 
respeitado  do relé, do condensador e do 
‐ O sistema de partida do  motor de partida (se 
motor do secador está com  possível) 
defeito 
O secador desligou e não  ‐ Fusíveis  ‐ Verificar os fusíveis; 
religa, mesmo após alguns  ‐ O termostato de proteção  ‐ Aguardar o moto 
minutos  com partida manual foi  compressor diminuir a 
seleciona para operar  temperatura 
‐ O secador está operando  ‐ Verificar a integridade das 
em má condição de  conexões elétricas e suas 
condensação  isolações 
‐ O circuito de refrigeração 
não está com a correta 
quantidade de gás 
‐ O pressostato de alta 
começou a operar 
‐ O motor do secador está 
com problemas 
 
11
Problemas  Possível Causa  Solução 
O moto compressor faz  ‐ Problema com itens da  Verificar moto compressor 
muito barulho  mecânica interna ou com as  e/ou substituí‐lo 
válvulas 
Temperatura de ponto de  ‐ Temperatura da sala está  ‐ Verificar e corrigir a entrada 
orvalho muito alta  muito alta  de ar refrigerante 
‐ Vazamento de gás  ‐ Certificar‐se que o circuito é 
refrigerante  estanque, tendo o 
‐ Moto compressor não  recarregado 
funciona  ‐ Verificar o fornecimento 
‐ Pressão do evaporador ou  elétrico para o secador 
do condensador está muito  ‐ Ajustar a válvula By‐pass  
alta 
Pressão do evaporador está  ‐ Desajuste ou avaria da  ‐ Reajustar a válvula By‐pass 
muito alta  válvula by‐pass do gás  ‐ Verificar o ventilador do 
refrigerante quente  secador 
‐ Pressão do condensador  ‐ Verificar e corrigir a entrada 
muito alta ou muito baixa  de ar refrigerante 
‐ Vazamento de gás 
refrigerante 
Pressão do condensador está  ‐ Pressostato do ventilador  ‐ Verificar o ventilador do 
muito alta  defeituoso  secador 
‐ Ventilador defeituoso  ‐ Verificar e corrigir a entrada 
‐ Temperatura da sala está  de ar refrigerante 
muito alta  ‐ Limpar as aletas do 
‐ Condensador está entupido  condensador 
do lado de fora 
 

12
2. Instalação

2.1 Instruções de Instalação

Para que a garantia seja válida, a unidade deve ser montada em local coberto cujas temperaturas não excedam:

• Mínima: + 4 °C (sem congelamento)


• Máxima: + 40 °C*

Além disso, é necessário ter:


• 1 metro de espaço livre ao redor do compressor.
• Ventilação (ar fresco) proporcional ao fluxo da ventilação necessária para a máquina e protegida contra qualquer infiltração
ou umidade (proteção de água durante intempéries).
• Isolamento ou um duto alto para expulsão do fluxo de ar quente para evacuar o calor para fora da sala do equipamento. Para
locais enclausurados.
• Uma ligação do tubo de dreno de condensados a um dreno de descarga.
• Em caso de um ambiente poeirento, uma pré-filtragem na entrada de ar do local eventualmente um filtro especial na entrada
de ar do compressor.

2.2 Movimentação

O CPB deve ser sempre manipulado com cuidado. Pode ser levantado por empilhadeira ou guindaste. Neste último caso,
precauções devem ser tomadas para não danificar a carroceria da unidade.

2.3 Sala do compressor

O CPB é projetado para operar no interior de ambiente livre de congelamento, alimentado por ar a uma temperatura máxima de
40 °C. Este local deve ser limpo e bem ventilado, o mais próximo possível do local onde o ar comprimido é usado. Um espaço livre
deve ser deixado ao redor da unidade para permitir sua limpeza e manutenção. É muito importante que o compressor tenha uma
fonte abundante de ar fresco. (veja 2.1).

Se o funcionamento do compressor fizer subir a temperatura ambiente acima de 40 °C é indispensável que o ar quente proveniente
do resfriador seja descarregado para fora.

OBSERVAÇÃO

Quando a atmosfera está contaminada por poeira orgânica ou mineral ou por emanações químicas corrosivas, devem ser tomadas
as seguintes precauções:

1. Fornecer outra entrada de ar, o mais próximo possível da fonte nível de sucção do compressor (esta recomendação é
aplicável se um único local disponível for excessivamente úmido).
2. Utilizar um filtro adicional para a alimentação da unidade com ar (veja Capítulo Opções).

2.4 Montagem

Colocar a unidade sobre uma superfície estável. O CPB não precisa fundações. Toda superfície plana que puder suportar seu
peso será suficiente (piso industrial).

2.5 Tubulação de descarga do ar

O diâmetro da tubulação da rede de ar deve ser ao menos igual a 1”/DN30 da tubulação de gás. A legislação atual exige a
instalação de uma válvula que possa ser travada na posição fechada na saída do compressor e conectada ao compressor por uma
união ou mangueira flexível para isolá-la durante a conservação.

13
2.6 Conexão elétrica

Cada CPB fornecido está cabo grafado para 220V/60Hz, 380V/60Hz, 440V/60Hz.

NUNCA OPERE O CPB EM UMA TENSÃO QUE NÃO SEJA A INDICADA NO CUBÍCULO ELÉTRICO.

A alimentação da corrente elétrica ao CPB deve cumprir a seguinte tabela:

Tipo de cabo a ser utilizado: H07 RNF


Os cabos deverão ser flexíveis PVC com isolação para tensão até 750V e temperatura 70°C.
Dimensões dos cabos de potência: Consultar os diagramas elétricos (para um comprimento máximo de 10 metros)

REGRAS DE SEGURANÇA

Deve-se recordar que as normas de segurança exigem:

· A existência de uma tomada de terra


· A existência de uma chave seccionadora manual que corte as três fases e que deve ser próxima claramente visível da
unidade CPB.
· A corrente elétrica deve ser cortada sempre que o trabalho de manutenção é realizado na máquina.

Cabos , fusiveis e ajustes recom endados p/ compressores CPB-15/40 (YD) p/ temp. amb. 40°C

COMPR. ALIMENTAÇÃO aj uste F21 fus. recom. cabos recom. + terra


CPB-15 220V-60Hz 26,7A 3x63A 3x25 + 16mm2
CPB-15 380V-60Hz 15,4A 3x35A 3x10 + 10mm2
CPB-15 440V-60Hz 13,3A 3x35A 3x6 + 6mm2
CPB-20 220V-60Hz 36,7A 3x80A 3x25 + 16mm2
CPB-20 380V-60Hz 22,0A 3x50A 3x16 + 16mm2
CPB-20 440V-60Hz 18,3A 3x50A 3x10 + 10mm2
CPB-25 220V-60Hz 45,1A 3x100A 3x35 + 25mm2
CPB-25 380V-60Hz 26,1A 3x63A 3x25 + 16mm2
CPB-25 440V-60Hz 22,5A 3x63A 3x16 + 16mm2
CPB-30 220V-60Hz 53,4A 3x125A 3x50 + 25mm2
CPB-30 380V-60Hz 30,8A 3x80A 3x25 + 16mm2
CPB-30 440V-60Hz 26,6A 3x63A 3x25 + 16mm2
CPB-40 220V-60Hz 70,6A 3x160A 3x70 + 35mm2
CPB-40 380V-60Hz 40,9A 3x100A 3x35 + 25mm2
CPB-40 440V-60Hz 35,3A 3x80A 3x25 + 16mm2

14
3. Partida inicial em carga.Verificar se não há vazamentos. Rebloquear
os conectores se necessário.
3. Pressionar o botão DESLIGA. O motor para e a unidade
é automaticamente purgada automaticamente na pressão
3.1 Preparação para partida inicial atmosférica.

Antes de partir a unidade pela primeira vez, o operador deverá


estar familiarizado com as peças diferentes da máquina. As
principais peças a serem examinadas estão indicadas nas
ilustrações.

Importante
Antes de partir o CPB, assegure-se de que os calços de transporte.

Atenção
Certifique-se de que a energia elétrica está desconectada antes
de efetuar a manutenção ou o ajuste na unidade a fim de evitar
qualquer partida imprevista.

Antes de partir, verificar os seguintes pontos: Fig. 3

1. Certificar-se de que a unidade está ligada à terra correta- 3.3 Ajuste da pressão de saída
mente.
2. Verificar o nível de óleo no reservatório. A unidade é ajustada na fábrica para uma pressão MÁXIMA
NOTA: o reservatório foi abastecido de óleo apropriado (para a saída máxima da tomada da unidade central) de 8, 10 ou
na fábrica. Veja Capítulo 6 – 6.1 para o tipo do óleo a de 13 bar dependendo do modelo. Para diminuir a pressão de
ser usado e para as condições de troca do óleo. descarga, veja as instruções no manual do módulo eletrônico.
3. Certificar-se de que a válvula de troca de óleo está bem
fechada.
4. Verificar/apertar todas as conexões de alimentação.
3.4 Ajuste para operação em paralelo com outros
5. Verificar tensionamento das correias (ver item 6.10
compressores
Tensão da correia)

OBS. Verificar a tensão das correias após as primeiras 50 horas Se o CPB operar paralelamente a outro CPB, ou a compressores
de funcionamento e a cada 500 horas conforme tabela de similares, as tubulações de descarga devem ser conectadas
manutenção do item 6 deste manual. junto.

ATENÇÃO Se o CPB operar paralelamente com um ou vários compressores


O tampão de abastecimento de óleo, a válvula da mudança de alternativos, é indispensável um tanque de ar comum aos
óleo e os plugues devem sempre permanecer fechados durante compressores alternos. Os impulsos emitidos pelos
o funcionamento e nunca serem abertos até que o sistema seja compressores alternos danificariam seriamente a válvula de
purgado completamente à pressão atmosférica. retenção, o elemento separador de óleo do CPB e perturbariam
o sistema de regulagem. Quando o compressor rotativo
funciona em paralelo com um compressor alternativo, os ajustes
3.2 Partida inicial nos últimos deverão ser definidos de modo que o compressor
rotativo tome a carga de base. Isto conduzirá a um
funcionamento mais econômico.
Verificar a tensão entre as três fases antes de usar a unidade
pela primeira vez.
Verificar o sentido de rotação (indicado pela fecha situada no 3.5 Segurança
suporte da correia da polia (ref. 1 – Fig. 3)) pressionando o
botão “Start” (“Partida”) e executando imediatamente uma O óleo utilizado para a refrigeração do equipamento é um
parada de emergência. Se a rotação não estiver no sentido líquido inflamável se exposto a altas temperaturas. Em caso de
correto, inverta os cabos de alimentação. Se a rotação estiver incêndio do equipamento, é indispensável respeitar as medidas
no sentido correto, o nível do óleo (Fig. 10) deve cair depois reguladoras para o compressor. O tipo de fogo em um o
de 4 a 5 segundos de funcionamento. compressor é definido como “classe B” e na presença de um
condutor elétrico com tensão, recomenda-se utilizar um extintor
1. Pressionar o botão LIGA, o motor parte. de CO2 dotado de funcionamento por “sufocação” (subtração
2. Funcionar por alguns minutos com a válvula de des- do oxigênio) e observar as instruções de uso, aplicáveis ao
carga ligeiramente aberta para observar o compressor modelo.

15
4. Funcionamento

4.1 Circuitos de ar e óleo

4.1.1 Circuito de ar (veja Fig. 4)

O ar é sugado para o compressor através de um filtro (ref. 23). Este ar passa através do elemento compressor onde é misturado
com o óleo injetado durante a compressão. Dentro do reservatório de óleo, o ar comprimido é separado previamente por choques,
flui através do separador de óleo (ref. 49). Imediatamente após passa através da válvula de pressão mínima (ref. 34), que inclui
uma válvula de retenção, o resfriador final (ref. 51A), o separador de condensados e finalmente a válvula de saída (não fornecida)
a que as tubulações de distribuição são conectadas.

Para máquinas com secador de ar e reservatório de ar, o ar que vem do resfriador final passará pelo secador de ar / reservatório de
ar e finalmente para a válvula de saída (não fornecida).

4.1.2 Circuito de óleo (veja Fig. 4)

O óleo, abaixo da pressão de descarga, passa da parte inferior do tanque pelo resfriador (ref. 51H), o filtro de óleo (ref. 26) que
retém as impurezas sólidas, e então no compressor (ref. 20). Em cada partida a frio, a válvula termostática (ref. 47) curto-circuita
o resfriador de óleo, permitindo alcançar a melhor temperatura de funcionamento. Ao sair do elemento compressor, o óleo retorna
ao reservatório. As sobras de óleo entram em suspensão no ar em estado de névoa. Esta névoa passa através do separador de
óleo (ref. 49). Uma fração deste óleo aglomera nas grandes gotas que retornam ao reservatório pela força da gravidade. O óleo
restante que é separado pelo último estágio do separador de óleo é aspirado por um tubo (retorno de óleo) para ser reenviado ao
compressor.

Ar
Óleo

Legenda Fig.4
43. Válvula de alívio
20. Compressor 47. Válvula termostática (integrada ao suporte dos
21. Válvula de admissão filtros)
23. Filtro de ar 49. Separador de óleo
26. Filtro de óleo 51A Resfriador de ar
28/29/30. Mangueira de óleo 51H. Resfriador de óleo
31/32. Mangueira de ar 56. Motor
34. Válvula de pressão mínima integrada / Suporte dos 57. Reservatório de óleo
filtros
Fig. 4 – Circuito de ar / óleo

16
4.2 Sistema de controle

4.2.1 Controle Liga/Desliga (veja fig. 5)

Todos os modelos e versões

As unidades CPB 15-20-25-30-40 estão equipadas com um sistema de regulagem automática de parada com um tempo de
funcionamento em alívio ajustável. Este período de funcionamento em alívio é necessário para evitar partidas excessivamente
próximas nos períodos de consumo instável de ar comprimido.

Quando o compressor alcança a pressão máxima (medida pelo sensor de pressão – ref. 36), a válvula solenóide (ref. 35)
descarrega na atmosfera o ar comprimido. A pressão interna fecha por um lado a válvula de admissão e por outro lado o pistão de
descarga. Isto provoca a descarga da pressão interna do reservatório pela válvula de retenção.

O compressor aspira o ar através de uma válvula by-pass (ref. 25).

A baixa pressão obtida no reservatório de óleo permite a lubrificação e o resfriamento do compressor durante todo o tempo de
funcionamento em alívio.

Se a pressão do ar comprimido da rede alcançar o valor mínimo de reativação antes do fim da temporização de funcionamento em
alívio, se ordena o fechamento da válvula solenóide (ref. 35) provocando a abertura da válvula de admissão e o fechamento do
funcionamento em alívio. O compressor volta a operar em fluxo total.

Quando o compressor para, a válvula solenóide (ref. 35), não é alimentada e se fecha, a válvula de admissão se fecha e o
reservatório de óleo alivia. O reservatório retorna a pressão atmosférica para a próxima partida.

Legenda Fig. 5

20 Compressor 38 Sensor de pressão


21 Válvula de admissão 41 Ventilação
23 Filtro de ar 47 Válvula termostática (integrada ao suporte dos filtros)
25 Válvula de retenção by-pass 49 Separados de óleo
26 Cartucho filtro de óleo 51A Resfriador de ar
27 Válvula de segurança 51H Resfriador de óleo
34 Válvula de pressão mínima integrada / Suporte dos filtros 57 Reservatório de óleo
35 Válvula solenóide 60 Sensor de temperatura
36 Pistão pneumático de vácuo 63 Manômetro

Fig. 5 – Controle Liga/Desliga

17
4.3 Módulo eletrônico ES 3000

4.3.1 Painel de controle e comando

ANTES DE EXECUTAR O TESTE DE FUNCIONAMENTO, LEIA CUIDADOSAMENTE E OBTENHA UM BOM


CONHECIMENTO DAS FUNÇÕES DE CONTROLE.

Fig. 6

1) Módulo de controle
2) Botão de parada de emergência com retenção mecânica e desbloqueio por rotação

4.3.2 Módulo eletrônico modelo “ES3000”

Fig. 7

O módulo eletrônico contém uma placa de controle e diagnóstico. Esta placa inclui a visualização das funções conforme as
indicações da figura 7.

1) Display superior: indica a pressão do compressor.


2) Display inferior: indica a temperatura, o total de horas, as horas em carga.
3) Botão para criar um vácuo no compressor.
4) Chave de tabulação para passar ao próximo campo da tela no display Ref. 2.
5) Botões para programação.

18
Símbolo Descrição
Apertando este botão é cancelada a indicação de alarme armazenada. Apertando o botão
(7) por mais de 3 segundos, é testada a unidade de controle: todos os LEDs devem acender.
Apertando este botão o compressor é ligado. NOTA: há um retardo de
aproximadamente 15 segundos antes da partida.
(6)
Apertando o botão é iniciada a fase de desligamento do compressor: O compressor
(5) funciona sem carga durante alguns segundos antes de parar.

Led – indica a condição de operação do compressor: lâmpadas piloto “VERMELHAS” (causam a parada da máquina)

Símbolo Led piscando Led aceso

(B) Alarme de sobrepressão em andamento Máquina parada por sobrepressão

(C)

Alarme de sobre temperatura de óleo em Máquina parada por alta temperatura de óleo
(D)
andamento (>100 °C) (> 105 °C)

(E) Não ativado Não ativado

(F) Alarme de relé térmico do motor em Máquina parada pelo relé térmico do motor.
andamento.

(G) Alarme geral em andamento por falha nos -


sens ores de pressão e temperatura.

NOTA: Para desligar os LEDs vermelhos apertar “reset”

Led – indica a condição de operação do compressor: lâmpadas piloto “amarelos” (não causam a parada da máquina)

Símbolo Led piscando Led aceso

(A) Não ativado Não ativado

(H) Advertência prévia para trocar filtro de óleo Trocar filtro de óleo

(I) Advertência prévia para trocar filtro separador Trocar o filtro s eparador

(L) Advertência prévia para trocar filtro de ar Trocar filtro de aspiração

Advertência prévia para trocar óleo Trocar óleo


(M)

(N) Advertência prévia para revisão geral Executar revisão geral

NOTA: para desligar os LEDs “amarelos” veja capítulo 4.3 – 4.3.5.

Led – indica a condição de operação do compressor: lâmpadas piloto “VERDES”

19
Símbolo Led piscando Led aceso

(O) Não ativado Não ativado

(P) - Compressor func ionado sob carga

(Q) Operação manual em alívio Operação em alívio

Compressor em stand-by para partida


(R) (15 segundos) ou na fase de desligamento Compressor ligado
(30 segundos).

ATENÇÃO: para dar partida novamente após o disparo de uma proteção (alarme) apertar “RESET” seguido do botão de
partida “I”

ATENÇÃO: a partida acontece aproximadamente 15 segundos após o quadro ter sido energizado ou a partir do momento
que for desligado o botão (5).

Operação da unidade de controle central

A operação de controle central é programada para Economizar Energia; a mesma desliga o compressor, desta forma reduzindo ao
mínimo o funcionamento desnecessário.

O módulo está programado para funcionar em alívio antes do desligamento por um período que é mais curto que o menor
consumo de ar.

O módulo também indica quando os filtros precisam de manutenção, etc. (LEDs amarelos).

4.3.3 Visualização das horas de funcionamento

Para visualizar o total de horas de operação, apertar Ref. 3, Fig. 7a, as horas de operação aparecem no display inferior e um ponto
pisca no display superior (LED de confirmação).

Para visualizar as horas de operação com CARGA, apertar Ref. 3 Fig. 7a novamente e um ponto acende no lado direito do display
superior (LED de confirmação).

4.3.4 Visualização das horas de operação de componentes sujeitos à manutenção

Para visualizar as horas de operação dos componentes individuais sujeitos à manutenção, proceder de acordo com o Capítulo
4.3.5, até o ponto 4); as horas de operação serão visualizadas no display inferior.

- Apertar o botão Ref. 3 Fig 7a para sair.

4.3.5 Rearme dos contadores de intervalos de manutenção (LEDs AMARELOS exceto o LED “A”)

Para rearmar um contador (como por exemplo, filtro de ar Ref. L) e depois de ter executado a manutenção correspondente,
proceder da seguinte maneira: (veja Fig. 7a).

1) Apertar botões Ref. 7 e Ref. 4 simultaneamente até o LED ref. H acender.


2) Soltar os botões Ref. 7 e Ref. 4
3) Usar os botões Ref. 1 e Ref. 2 para selecionar o LED Ref. L (filtro de ar) correspondente ao componente em questão.
4) As horas de operação do componente Ref. L (filtro de ar) são visualizadas no display inferior de 5 dígitos.
5) Apertar o botão Ref. 4 uma vez e o valor visualizado pisca, apertar o botão Ref. 4 novamente; o display é agora rearmado
e o LED Ref. L é aceso.
6) Apertar o botão Ref. 3 para sair do RESET.
7) Para rearmar outro componente, ir até o LED correspondente usando os botões Ref. 1 e Ref. 2.

NOTA: O módulo sai automaticamente da programação após 30 segundos de inatividade.

20
Para modificar o valor dos parâmetros, seguir o exemplo
indicado abaixo:

Exemplo: o valor máximo de temperatura deve ser modificado a


95°C.

- Apertar e manter apertado o botão Ref. 4 fig. 7a durante


alguns segundos, até o parâmetro “P0” aparecer no
display superior.
- Apertar o botão Ref. 1 Fig. 7a até atingir o parâmetro
“r2” (temperatura máxima).
Fig. 7a - Apertar o botão Ref. 4 Fig. 7a: o valor da temperatura
indicada no display inferior pisca.
4.3.6 Ativação/ desativação do modo de operação em alívio - Apertar o botão Ref. 2 Fig. 7a até atingir o valor 95.
- Apertar o botão Ref. 4 Fig. 7a para confirmar a modificação;
1) Apertar o botão Ref. 1 Fig. 7a e o LED Ref. Q pisca, a o valor 95 pára de piscar.
máquina opera no modo ALÍVIO MANUAL. - Sair da programação apertando o botão Ref. 3 Fig. 7a.
2) Apertar o botão Ref. 1 Fig. 7a novamente e a máquina
retorna ao ciclo automático. O novo valor da temperatura máxima é agora 95 °C.
4.3.7 Parâmetros de operação do módulo 4.3.9 Visualização do valor de temperatura excessivamente
O módulo é programado na fábrica com um valor pré- baixa
estabelecido dos seguintes parâmetros:
O módulo é programado de fábrica com um valor de temperatura
P0 = pressão de parada (8 -10 - 13 bar) mínima predefinida a (+4 °C), se o valor da leitura for inferior, a
P1 = pressão de partida (6,5 – 8,5 – 11,5 bar) tela o indica com intermitência no display inferior. Esta
r2 = temperatura máxima de operação (100 °C) advertência de anomalia não impede a partida do compressor,
t3 = não ativado mas indica ao operador que o valor da temperatura ambiente é
t4 = não ativado muito baixo.
C5 = número máximo de partidas por hora (10)
O módulo também está programado para medir a pressão em 4.4 Indicador do sentido de rotação – Controlador
“bar” (parâmetro C7) e a temperatura em °C (parâmetro C6). de fase
As unidades de medição de pressão e temperatura
correspondem à tabela abaixo. 4.4.1 Descrição
Nome do parâmetro Valor do parâmetro
O controlador de fase permite, mediante a um LED, uma leitura
C6 0 = °C 1 = °F
permanente e mais fácil do sentido de rotação do motor principal
C7 0 = bar 1 = °PSI da máquina. Esta opção evita qualquer risco de dano do
Todos os parâmetros acima descritos podem ser visualizados material, impedindo a partida do compressor em caso de
ausência ou inversão de fase provocando uma falha na
e modificados com o procedimento indicado no parágrafo 4.4.9.
O número do parâmetro aparece no display superior e o valor máquina.
do parâmetro aparece no display inferior.

4.3.8 Visualização e modificação do valor dos parâmetros do 4.5 Óleos especiais


módulo
4.5.1 Descrição
Para visualizar os parâmetros do módulo, proceder da seguinte
maneira: Diferentes óleos permitem satisfazer necessidades específicas.
- Apertar e manter apertado o botão 4 Fig. 7a durante
alguns segundos, até que “P0” (pressão de corte) Food Grade Oil : utilização do compressor na indústria agro
apareça no display superior: o valor da pressão de corte alimentícia.
em bar (8, 10 ou 13 bar) aparece simultaneamente no
display inferior. Nota: se esta opção é escolhida em uma máquina que tenha
- Apertando o botão Ref. 1 Fig. 7a todos os parâmetros previamente funcionado com óleo padrão, necessita o
do módulo (P0, P1, r2, t3, t4, C5, C6, C7) irão aparecer cumprimento de um procedimento de lavagem específico.
na sequência no display superior, enquanto os valores
ajustados para cada parâmetro irão aparecer no display 4.5.2 Descrição da opção
inferior. Para sair, apertar o botão Ref. 3 até que o ponto
luminoso no display esteja posicionado no símbolo. Food Grade Oil

Este óleo está especialmente formulado para uma utilização


como lubrificante com capacidade para entrar em contato com
produtos alimentícios.

21
5. Informações específicas para CPVR 2 Quando o inversor está conectado aos terminais de
conexão U, V, W do motor, assim como os conectores +/-
Consultar também os capítulos referentes à máquina padrão. dos resistores de travagem, permanecem com tensão se
o motor for desligado.
As máquinas CPVR cumprem as normas de compatibilidade
eletromagnética em ambiente industrial 50081-2 e 50082-2.
3 Os terminais de controle I/O estão isolados e o inversor
está desconectado, as saídas do relé podem estar com
5.1 Descrição (conf. Cap. 1) tensão. O mesmo aplica-se aos outros terminais de con-
trole I/O mesmo que o interruptor X4 está na posição
Equipamento padrão Desligado.

Um dispositivo de ajuste eletrônico de frequência substitui a 4 O inversor possui um circuito de carga de capacitores
chave de partida estrela-triângulo. térmicos limitados. Consequentemente, é necessário
esperar um mínimo de 5 minutos entre dois sucessivos
Uma chave seccionadora porta fusíveis integrada completa o tensionamentos. Se esta instrução não for respeitada
dispositivo de segurança do CPVR padrão. podem ser causados sérios danos ao contator e a resis-
tência do circuito de carga.
Uma espuma protetora para proteger o conversor de frequência
contra contaminação de poeira. 5.2.1 Instruções de segurança

1 Não se deve realizar nenhuma conexão quando o inversor


5.2 Segurança está ligado.

Para sua segurança, recomendamos que respeite as instruções 2 Não se deve realizar nenhuma medição no inversor quando
com símbolos de advertência que se apresentam a seguir: o mesmo está ligado.

NORMAS DE SEGURANÇA 3 Para realizar qualquer tipo de trabalho no inversor é


necessário desconectar o equipamento, esperar que o
· É necessário recordar que em conformidade com as sistema de ventilação interna pare e que os indicadores
normas de segurança: se apaguem. Esperar 5 minutos antes de abrir a tampa.
· Deve existir uma tomada de terra,
· Deve existir uma chave seccionadora manual que corte 4 Não deve ser realizado nenhum teste de verificação da
as três fases e que deve ser colocado visivelmente perto tensão ou isolamento dos componentes do inversor.
do CPVR.
· Deve-se cortar a energia elétrica em caso de intervenção 5 Desconectar os cabos do motor e do inversor antes de
(exceto na drenagem por pressão). realizar medições.

= Tensão perigosa 6 Não tocar nos circuitos integrados. As descargas eletros-


táticas podem danificá-los.

= Perigo 7 Antes de conectar o inversor assegure-se de que a tampa


está bem fechada.

8 Verificar que nenhum condensador de compensação do


A INSTALAÇÃO ELÉTRICA DEVE coseno phi está conectado ao cabo do motor.
SER EXECUTADA UNICAMENTE
POR UM TÉCNICO ESPECIALIZADO
OU COMPETENTE. 5.3 Instalação

O CPVR deve ser instalado longe de um transformador ou


autotrafo. (veja Capítulo 2 e 3).
5.2.1 Advertência
ATENÇÃO
Os motores e os inversores somente podem ser garantidos se
1 Os componentes internos e as placas (exceto os terminais a variação de tensão de alimentação não ultrapassar em 10%
I/O isolados eletricamente) possuem carga de energia da tensão nominal. A conexão da alimentação na chave
elétrica quando o inversor está conectado. Esta tensão seccionadora (assim presente) necessita do uso de terminais
é extremamente perigosa e pode causar ferimento ou corretamente isolados.
mesmo a morte em caso de contato involuntário.

22
Os fusíveis para o interruptor seccionador são definidos como se segue:

Cabos , fusiveis e ajustes recomendados p/ compressores CPB20/40VSD, temp. amb. 40°C

COMPR. ALIMENTAÇÃO fus. recom. cabos recom.

CPB-20VSD 220V-60Hz 3x80A 2750 3x35 + 25 mm2


CPB-20VSD 380V-60Hz 3x50A 2100 3x16 + 16 mm2
CPB-20VSD 440V-60Hz 3x50A 1250 3x10 + 10 mm2
CPB-25VSD 220V-60Hz 3x100A 3150 3x35 + 25 mm2
CPB-25VSD 380V-60Hz 3x63A 2100 3x25 + 16 mm2
CPB-25VSD 440V-60Hz 3x50A 2100 3x16 + 16 mm2
CPB-30VSD 220V-60Hz 3x125A 3150 3x50 + 25 mm2
CPB-30VSD 380V-60Hz 3x63A 2100 3x25 + 16 mm2
CPB-30VSD 440V-60Hz 3x63A 2100 3x16 + 16 mm2
CPB-40VSD 220V-60Hz não aplicavel não aplicavel não aplicavel
CPB-40VSD 380V-60Hz 3x100A 3150 3x35 + 25 mm2
CPB-40VSD 440V-60Hz 3x80A 2100 3x25 + 16 mm2

5.4 Operação NOTA: Não tente mudar o nível EMC novamente para a classe
H (TN e TT). Mesmo que se inverta o procedimento
5.4.1 Preparação para a partida (veja Capítulo 3). mencionado, o conversor de frequência já não cumprirá as
exigências de com os requisitos EMC da classe H.
ATENÇÃO
O circuito de potência deve ser desligado antes de efetuar 5.4.2 Controle dos sentidos de rotação durante a partida
ajustes no equipamento elétrico, para evitar qualquer partida
acidental. Este controle deve ser executado quando a máquina é operada
pela primeira vez. Após qualquer trabalho no motor ou qualquer
Antes da partida, verificar os seguintes pontos: troca de fornecimento elétrico.
1 Assegure-se que a unidade tenha uma conexão terra IMPORTANTE:
apropriada, • Verificar o sentido de rotação (segundo a seta que está
mostrada na fig. 3 pág. 10) pressionando o botão “Partida”.
2 Verificar o nível do óleo no compressor. Se o sentido não for o correto, inverta 2 fases do cabo do
motor sob o variador. Para um sentido de rotação correto,
NOTA : o reservatório foi abastecido na fábrica com óleo o nível do óleo (fig. 10) deve baixar depois de 4 ou 5
apropriado. Veja Capítulo 6 – 6.1 para conhecer o tipo de óleo segundos de funcionamento.
que deve ser usado e as condições de troca de óleo. • Verificar também o sentido de rotação do ventilador
(sentido anti-horário se olhado do interior da carenagem).
3 Verificar se a válvula de dreno do óleo está corretamente
fechada. 1. Pressionar o botão “Partida” para funcionar o motor.
4 Certificar de que os amortecedores de transporte (com- 2. Funcionar alguns segundos com a válvula de descarga
pressor) foram retirados do compressor. ligeiramente aberta para observar o compressor em carga.
Verificar se não há vazamentos. Apertar novamente as
ATENÇÃO uniões se necessário.
O tampão de abastecimento de óleo, a válvula e os tampões de
dreno devem estar sempre fechados durante o funcionamento 3. Pressionar o botão “Parada”. O motor para e a unidade
e nunca devem ser abertos antes que o sistema atinja a pressão retorna automaticamente para a pressão atmosférica.
atmosférica.
5.4.3 Ajuste da pressão – máquina
ADAPTAÇÃO DO FILTRO RFI INTEGRADO DO
INVERSOR PARA SUA REDE DE ALIMENTAÇÃO A unidade é pré-ajustada de fábrica para uma pressão de saída
ELÉTRICA determinada. Para economizar energia, é aconselhável não
ultrapassar o nível de pressão exigido, ajustando o parâmetro
(Para as redes NT e TT, o inversor deve ser mantido na sua ”Set point 1”.
configuração de fábrica).

23
A pressão de parada deve ser ajustada “Parada indireta” se necessita:
(utilizada para consumos de fluxo inferior ao fluxo mínimo) a
0,5 bar acima do parâmetro “Set point 1”. Desta maneira a A precisão de regulagem da pressão é de 0,1 bar, quando a
corrente usada pelo compressor é minimizada (veja ES 3000 regulagem se faz por variação de velocidade, e para um fluxo
Cap. 4 – 4.3). entre o fluxo mínimo e máximo da máquina.

Não ajustar a pressão de parada da máquina a uma pressão Princípio de regulagem de pressão por variação de velocidade
superior a máxima da máquina.
O regulador ES 3000 controla o motor e o compressor em
5.4.4 Montagem e ajuste para o funcionamento em paralelo função da pressão da rede, medida por um sensor de pressão
com outros compressores interna (fig. 9a).

Ajustar o CPVR a uma pressão de regulagem dentro dos - Se a pressão na rede é inferior ao ponto de ajuste da
intervalos de regulagem dos outros compressores. pressão (parâmetro introduzido pelo usuário no ES 3000),
o motor acelera o que produz um aumento da pressão
(fig. 9b).
Pressões de ajuste - Se a pressão da rede é superior ao ponto de ajuste da
pressão, o motor retarda, fazendo com que a pressão
diminua.
Parada P
O ES 3000 fornece as funções de controle do compressor e
dirige todo o conjunto do circuito de pressão. Integra desta
Ponto forma um dispositivo para comparar a pressão indicada com
ajuste 1 aquela do sensor de pressão, associado a um dispositivo de
compensação Proporcional Integral PI (fig. 9c).
Vários
compressores O variador, que contém os últimos avanços em eletrônica de
potência, é um dos mis compactos do mercado, graças às altas
CPVR frequências do interruptor dos transistores IGBT.

Ao mesmo tempo, o método de controle do motor chamado de


“controle vetorial do fluxo de controle aberto” assegura uma
5.4.5 Regulagem de pressão por variação de velocidade grande estabilidade do sistema perante as perturbações.

Este modo de regulagem do compressor CPVR permite ajustar Desta forma o mecanismo de pressão é mais estável às bruscas
precisamente o fluxo do compressor ao ar comprimido de que variações de consumo (variações de fluxo).

Pressão Controlador Variador Motor Unidade


Reservatório
requerida compressora

Frequencia de
velocidade

Sensor de
pressão
Sistema

Fig. 9a Regulagem de pressão por variação de velocidade

24
Regulagem da pressão para baixas taxas de fluxo

Para um fluxo de ar inferior ao fluxo mínimo da máquina, a pressão é regulada com o botão temporizador. Partida/Parada da
máquina.
Devido a que o elemento da operação não pode funcionar abaixo de certa velocidade (correspondente ao fluxo mínimo), o
compressor segue trabalhando e comprimindo a velocidade mínima, até que a pressão alcance o limite denominado de “Parada
indireta”.

Quando se alcança esse limite, o motor para, a máquina entra em “stand by”. Após uma temporização de parada, efetua-se o alívio.
A pressão baixa até o limite de pressão e quando o tempo mínimo tiver transcorrido (desde que alcançada a pressão de descarga),
o variador permite que o motor parta. A pressão aumenta e o ciclo volta a iniciar (fig. 9d).

Para evitar o bombeamento do sistema – Parada/Partida freqüente, o tempo de drenagem pode ser aumentado.

Economia de energia
Para uma demanda de ar comprimido dentro do intervalo do fluxo da máquina, fluxo mínimo até máximo, o variador de frequência
alimenta o motor para fazer girar a uma velocidade suficiente que responda à solicitação de ar na pressão e em fluxo.

Isto permite ajustar a fonte de alimentação ao motor (e a máquina) à exigência de alimentação exata para a compressão do ar exata,
sem a necessidade de uma fase de drenagem.

COMENTÁRIO:
A economia de energia aumenta se a manutenção da máquina é realizada de acordo com as instruções e freqüência de manutenção.

Fig. 9b Fig. 9c Fig. 9d


Pressão

Ponto de
parada
Instruções

Pressão
requerida

Tempo
Velocidade

temporização
de parada
Velocidade
tempo mínimo
mínima

Tempo
Fluxo Q

Q mínimo

Tempo

5.5 Problemas de funcionamento

A equipe de funcionários responsável pela manutenção do compressor CPVR deve estar totalmente treinada para manter esta
máquina, a fim de poder diagnosticar facilmente qualquer problema. Sob condições de operação normais, o compressor CPVR
deve satisfazer totalmente.

5.5.1 Principais problemas

Os problemas mais prováveis, juntamente com os procedimentos a serem aplicados, são listados no manual do controlador. Para
mais informações, (consulte o Capítulo 4 – 4.3 do ES 3000).

25
6. Manutenção

A tabela de manutenção abaixo se refere às condições de trabalho normais. Os parâmetros ambientais tais como temperatura
particular, umidade, poeira, produtos químicos, etc. podem afetar de maneira significativa a vida do componente. Nestas condições
particulares, a tabela de manutenção deve ser adaptada no campo.

Operações Necessárias
Todas as  Todas as  Todas as 
Partes Semanal‐ A cada  2000h ou   4000h ou    A cada  8000h ou   
Diariamente A cada 50h Observações
mente 500h 1 ano 2 anos  6000h 3 anos 
Serviço A Serviço B Serviço C
Drenar os condensados do 
X reservatório de ar pela 
válvula de dreno manual
Válvula de dreno
Drenar os condensados do 
X circuito de óleo a frio 
(capítulo 6 ‐ 6.6)

Temperaturas X Verificar as temperaturas no 
módulo de controle ES 3000
Verificar temperatura de 
Ponto de orvalho 
X ponto de orvalho (capítulo 1 ‐
(Secador)
1.6.4)
Verificar / realizar limpeza 
X
Filtro de ar caso necessário
X Sustituir o filtro de ar

Nível de óleo X Verificar e completar se 
necessário (Capítulo 6 ‐ 6.1)
Condensador do 
X Limpar as aletas, eliminando 
Secador
os acúmulos de sujeira

Painéis filtrantes  X
Limpar os painéis filtrantes
(espumas pretas)
X Substituir painel filtrante
Reservatório de 
X Trocar o óleo, abastecendo 
óleo, troca de óleo
com óleo recomendado
Controlar, 
Válvula de  Kit de 
limpar,  Renovar a carcaça. Utilizar o 
admissão revisão
lubrificar kit da válvula de admissão
Verificar a limpeza do tubo 
Tubo de retorno de  Kits de 
de retorno de óleo e o 
óleo revisão
estado da junta

Separador de óleo X
Substituir separador de óleo
Filtro de óleo X Substituir filtro de óleo

Resfriador de Ar /  Limpar com jato de ar os 
X
Óleo elementos de refrigeração 
(capítulo 6 ‐ 6.3)
Controlar,  Substituir os acessórios que 
Válvula de pressão  Kit de 
limpar,  são fornecidos nos kits 
mínima revisão
lubrificar manuitenção

Verificar aperto dos cabos 
X nos componentes elétricos, 
Cubículo elétrico reapertando os caso 
necessário (capítitulo 6 ‐ 6.8)
Apertar as conexões dos 
X
cabos de alimentação
Teste da 
temperatura de  X Verificar o funcionamento 
segurança (caítulo 6 ‐ 6.7)
Verificar a tensão das 
X
correias (capítulo 6 ‐ 6.10)
Correias Substituir as correias 
X (capítulo 6 ‐ 6.11)

NOTA:
Neste motor está instalada, no rolamento traseiro, uma escova de aterramento que não permite a circulação de corrente pelo
mesmo, evitando sua danificação. Esta escova deve ser substituida no mínimo a cada 24.000 horas.”

26
As peças originais são projetadas para assegurar, manter e O NÍVEL DE ÓLEO TEM QUE SER VERIFICADO APÓS A
proteger a eficiência do compressor e proteger a máquina, PARADA E QUANDO O COMPRESSOR ESTIVER AINDA
garantindo um longo período de vida. A troca regular dos filtros MORNO (VÁLVULATERMOSTÁTICAABERTA)
de óleo, ar e separador por peças originais são a única maneira
de assegurar uma melhor qualidade do ar e um menor custo NOTA
operativo. Se o óleo está em mal estado, isto é desprende um cheiro acre
ou contém partículas de verniz ou outros sólidos, o sistema
O óleo “Rotair” oferece o máximo rendimento e proteção graças deve ser enxaguado. Derramar aproximadamente 50% do
a sua forte resistência à oxidação, a maior proteção contra conteúdo normal de óleo limpo, colocar em funcionamento o
oxidação, desgaste e uma ótima limpeza interna. grupo durante 3 horas e drenar com cuidado. Durante o enxágüe
A manutenção periódica se limita a alguma operações deixe o antigo elemento filtrante.
obrigatórias. Recomenda-se fortemente desligar a energia
elétrica ao efetuar qualquer regulagem ou reparo na máquina.
6.1 Filtro de ar (Fig. 11, Veja Capítulo 1 – 1.2)
O sumário mostrado no painel de instrumentos permite
rapidamente saber o tipo de periodicidade das operações a
O filtro de ar é do tipo seco encapsulado. Em condições padrões
serem efetuadas para assegurar um funcionamento satisfatório
de uso, troque o elemento a cada 2.000 horas. Isso pode ser
do compressor.
feito por um acesso fácil do painel frontal. Verificar a limpeza
do filtro semanalmente e troque se necessário.
Drenar o compressor quando morno. A fim de efetuar esta
operação, parar, desconectar a energia elétrica e fechar a
ATENÇÃO
válvula de saída do compressor. Afrouxar o tampão de
Se não for substituir o elemento filtrante no momento necessário
abastecimento uma volta para despressurizar o reservatório
pode provocar uma obstrução definitiva. Isto reduz o fluxo de
em caso de falha de um componente. Abrir a válvula de dreno
ar do compressor e se corre o perigo de danificar o separador
e drene. Não se esquecer de fechar a válvula depois da
de óleo e o compressor.
drenagem.

Após uma intervenção de manutenção, deve-se reiniciar o


contador que indica o número de horas restantes para a
seguinte troca de óleo; ver a nota específica sobre o controlador
eletrônico.

NÍVEL DE ÓLEO

Quando está parado, o nível MÁXIMO de óleo se situa em ¾


a partir da parte inferior do indicador; o nível MÍNIMO
corresponde a parte visível mais baixa do indicador. Fig. 11 – Filtro de ar

6.2 Ventilador
Recomenda-se trocar o ventilador completo se uma ou várias
pás se encontrarem deformadas ou quebradas. Em caso de
troca, verificar o sentido correto de rotação do ventilador. Uma
inversão reduziria o resfriamento.

Tampão de 6.3 Resfriador de ar e óleo


abastecimento
O resfriador de alumínio de óleo e de ar é uma parte vital do
sistema do CPB. Tomar cuidado com este elemento. Para evitar
deformar ou destruir os ninhos dos tubos, ao montar ou
Indicador desmontar as uniões e das mangueiras dos radiadores, efetuar
de nível mantendo em rotação com uma chave. A superfície externa dos
ninhos dos tubos deve sempre estar limpa a fim de permitir a
transferência térmica apropriada. No caso de um vazamento,
Dreno detectar a origem, para isso:

- parar o CPB
- limpar as áreas gordurosas
- localizar os vazamentos por meios convencionais
Fig. 10 – Nível de óleo (solução de sabão,...).

27
6.4 Elemento separador de óleo (Fig. 12) (Veja Drenagem dos condensados no circuito de óleo:
Capítulo 1 – 1.2)
A drenagem somente ocorrerá após pelo menos 12 horas depois
O período de vida do elemento separador de óleo depende da de que o CPB pare. Pode ser realizada, por exemplo, na partida.
pureza do ar aspirado, as trocas regulares do filtro de óleo, a
qualidade do óleo usado, o cuidado durante a drenagem da
condensação no reservatório de óleo e na temperatura ambiente.
O elemento separador de óleo (ref. 1 Fig. 12) deve ser
substituído quando se visualizar a advertência correspondente
no controlador.

Após trocar o elemento separador de óleo, reiniciar o


controlador para lhe permitir saber quanto tempo terá antes
que necessite ser trocado.

Consumo excessivo de óleo

Uma quantidade excessiva de óleo no ar descarregado e uma Fig. 13 – Tubulação de retorno de óleo
queda repentina do nível são sinais de uma possível
deterioração do elemento separador de óleo e de que este deve Para fazer isto:
ser trocado. Em primeiro lugar verificar o compressor
- Abrir lentamente a válvula de troca de óleo e deixe a
assegurando-se que não há vazamento de óleo e de que a
água sair.
tubulação de aspiração funcione corretamente. Para tocar o
- Quando o óleo aparecer, fechar imediatamente a válvula
elemento separador de óleo, retirar o painel superior direito.
para evitar toda a perda do óleo.
- Abastecer com óleo caso necessário.
- Eventualmente, fazer a drenagem total do óleo.

6.7 Teste de segurança de temperatura


Elemento
separador SE O SENSOR NÃO INDICARATEMPERATURACORRETA
OU RETORNAR UMA MENSAGEM DE ERRO NO VISOR
DO CONTROLADOR, PRIMEIRO VERIFICAR AS
CONEXÕES E OS CABOS. SOMENTE SE PODE TROCAR
SE FOR DETECTADO DEFEITUOSO COM CERTEZA.

6.8 Aperto das conexões elétricas

Fig. 12 - Elemento separador de óleo Um afrouxamento nos cabos de energia elétrica provoca um
aquecimento que pode inclusive destruir certas partes elétricas.
6.5 Tubo de retorno de óleo (Veja Fig. 13)
DEVE-SE REALIZAR UM APERTO PERIÓDICO NA
Situado abaixo do compressor: ENTRADA E NA SAÍDA DOS CONTATORES DE LINHA,
ESTRELA E TRIÂNGULO. (VEJA TABELA DE
· Desmontar toda a válvula de retenção de retorno de óleo. MANUTENÇÃO).
· Levantar o tubo de retenção de óleo.
· Verificar o estado do anel “O” (ref. 1 Fig. 13) Antes de abrir o cubículo elétrico, eliminar sempre a alimentação
· Montar novamente elétrica da máquina.
· Um kit dedicado permite trocar toda a válvula de retenção.

6.9 Desarmando o compressor ao final de sua vida


6.6 Dreno de condensados (Veja Capítulo 1 – 1.2) útil
Os condensados impedem uma lubrificação correta. O desgaste 1. Parar o compressor e fechar a válvula de saída de ar.
substancial resulta a uma redução na vida do CPB. Por isso é 2. Desconectar o compressor da alimentação elétrica.
essencial drenar os condensados. 3. Descomprimir o compressor: desconectar uma tubulação
4/6 na tampa do separador de óleo.
4. Fechar e descomprimir a seção da rede de ar que está

28
conectada à válvula de saída. Desconectar a tubulação - Apertar as correias com uma chave sextavada de 19”, de
da saída de ar comprimido da rede de ar. acordo com a tabela 1. Se nenhum dispositivo para medir
5. Esvaziar os circuitos de óleo e dos condensados. a tensão está disponível, utilizar o método indicado na
6. Desconectar o sistema de drenagem dos condensado da Fig. 1.
tubulação dos condensados do compressor. - Apertar a porca e a contra porca com uma chave
sextavada de 19”.
- Travar a porca de aperto com uma chave Allen.
- Colocar a chapa de proteção.
- Colocar o painel traseiro.

6.11 Remoção da correia

- Retirar o painel traseiro (1).


- Retirar a chapa de proteção (2).
- Com uma chave Allen, desaperte os quatro parafusos (3)
do atuador de sustentação.
- Com uma chave sextavada de 19”, desparafusar a contra
porca como se mostra na Fig. 18.
- Retirar o bocal de entrada Fig. 19.
- Trocaras correias desgastadas Fig. 20.
- Apertar as correias com uma chave sextavada de 19”, de
acordo com a tabela 1. Se nenhum dispositivo para medir
Fig. 14 a tensão está disponível, utilizar o método indicado na
Fig. 17.
- Apertar a porca e a contra porca com uma chave sexta-
vada de 19”.
- Travar a contra porca com uma chave Allen.
- Colocar a chapa de proteção.
- Colocar o painel traseiro.

Fig. 15

6.10 Tensão da correia

Antes de fazer alguma manutenção, certifique-se de que o


compressor está parado, a fonte de alimentação e a rede de ar
comprimido estão isoladas e que a máquina está drenada
totalmente.

- Retirar o painel traseiro (1) Fig. 14.


- Retirar a chapa de proteção (2) Fig. 15.
- Com uma chave Allen, desparafusar os quatro parafusos
(3) Fig. 16 do atuador de sustentação.
- Com uma chave sextavada de 19”, desparafusar a contra
porca como se mostra na Fig. 17. Fig. 16

29
Nova Correia: F = 4 kg
Após 100h: F = 2,5 kg

Fig. 17 Fig. 20

6.12. Limpeza

Por se tratar de um equipamento elétrico, a limpeza do


compressor deve ser realizada após a máquina ser desligada e
totalmente despressurizada, tendo a certeza que a energia
também tenha sido desconectada do equipamento.

Devem ser utilizados desengraxante, detergente industrial,


pano e, em alguns itens como resfriadores e filtros, jato de ar
para eliminar poeira.

NOTA: Nunca lavar a máquina com mangueira de água ou


direcionar água diretamente na carenagem e/ou itens internos.

Fig. 18

Fig. 19

30
7. Incidentes durante a operação
A equipe de funcionários responsáveis pela manutenção do CPB deve tornar-se inteiramente familiar com a máquina, a fim de
poder facilmente diagnosticar qualquer anomalia. Em condições normais de funcionamento o CPB deve fornecer satisfação.

7.1 Incidentes principais


Os principais incidentes que podem ocorrer se encontram listados abaixo, junto com as soluções correspondentes. As
identificações dos indicadores luminosos relacionam-se ao painel de controle.

DEFEITO ENCONTRADO CAUSAS POSSÍVEIS OBSERVAÇÕES


1. A máquina não dá partida a) Interruptor principal aberto. a) Fechar o interruptor
b) Falta uma fase. b)Verificar os circuitos
c) Fusível. c) Substituir.
d)Tensão insuficiente nos bornes do motor d) Verificar a tensão nas conexões.
e) Compressor com baixa pressão. e) Verificar o dispositivo de alívio e trocar se
necessário. Verificar a estanqueidade da válvula
de pressão mínima.
f) Baixa temperatura. f) Temperatura mantida ? 2°C
2) O compressor superaquece. a) Temperatura ambiente elevada a) Faça aberturas ou instale dutos para liberar o
ar quente (Veja Cap. 2).
b) Obstrução da passagem do ar de b) Limpar o radiador (Veja Cap. 5 – 5.4).
refrigeração através do radiador de óleo.
c) Nível de óleo muito baixo. c)Verificar e completar o nível.
d) Circuito de óleo obstruído. d) Verificar a limpeza do filtro de óleo. Drenar.
Trocar o elemento filtrante.
3) O compressor para pelo disparo da a) Sobrecarga do motor do compressor. a) Verificar o aperto das conexões elétricas.
proteção do motor. Verificar a pressão do ar comprimido e a
configuração da pressão.
b) Desequilíbrio da fase. b) Verificar a intensidade das fases.
4) Abertura da válvula de segurança a) Elemento separador de óleo obstruído. a) Trocar o elemento separador de óleo.
b) A válvula da caixa de aspiração está fora b) Verificar a válvula, o pistão e as juntas da
de uso ou não se fecha. caixa de aspiração.
c) Pressostato, sensor ou válvula solenóide
c) Verificar se o pressostato, o sensor e a válvula
defeituosa.
solenóide estão em bom funcionamento.
5) Consumo excessivo de óleo. a) Retorno de óleo obstruído. a)Verificar o condutor de retorno de óleo.
b) Vazamentos de óleo no CPB. b) Localizar os vazamentos de óleo e repará-los.

c) Elemento separador de óleo defeituoso. c) Substituir o elemento separador de óleo (Veja


Capítulo 5 – 5.5)
6) Pressão de entrega muito baixa. a) Ajuste incorreto da pressão. a) Ajustar a pressão (Veja Capítulo 3).
b) O fluxo solicitado é superior ao do
b) Verificar o consumo e eventuais vazamentos.
compressor.
c) Válvula de admissão fechada. c) Verificar a válvula solenóide, a válvula de
ajuste da pressão.
d) Regulador de pressão mal d) Verificar a regulagem.
ajustado(opcional controle modulado).
7) Fluxo de ar comprimido Baixo a) Filtro de ar obstruído. a) Limpar o filtro.
b) A válvula solenóide não funciona. b) Verificar a regulagem.
8) Ruído excessivo da unidade. a) Parafusos de fixação do compressor ou do a) Voltar a apertar.
motor frouxos.
b) Painéis acústicos mal fechados. b) Verificar.
c) As correias patinam. c) Voltar a tencionar.
d) Calços de transporte (vermelhos) não d) Desmontar os calços.
retirados.
9) O compressor para sem razão ou cria falhas a) Distúrbios eletromagnéticos no controlador a) Adicionar um kit de supressão de interferência
inexistentes. eletrônico do ES 3000. ( Consultar Chicago Pneumatic)

7.2. Cuidados

Em caso de um princípio de incêndio ou um incêndio verdadeiro deve ser utilizado, para combatê-lo, um extintor de Pó ABC.
Esse tipo de extintor é ideal para combater as três classes de incêndio A, B e C.
A- Materiais sólidos, papel, madeira, tecidos.
B- Líquidos inflamáveis, hidrocarbonetos, gasolina, óleos, tintas.
C- Equipamentos elétricos, motores, chaves elétricas

31
8. Características técnicas

8.1 Condições de referência

CPB CPVR
Pressão de entrada de ar (absoluta) ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ bar 1 1
Temperatura de entrada de ar ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ °C 20 20
Umidade relativa ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ % 0 0
Pressão de trabalho ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ Consultar a seção Consultar a seção
Dados do compressor Dados do compressor
Velocidade do eixo do motor ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○
r/min 3550 3360
Ajuste da válvula termostática ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ °C 55 70

8.2 Limitações

CPB CPVR

Pressão de trabalho máxima ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○


Consultar a seção Consultar a seção
Dados do compressor Dados do compressor
Pressão de trabalho mínima ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ bar(e) 4 5,5
Temperatura máxima da entrada de ar ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○
°C 40 40
Temperatura mínima da entrada de ar ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ °C 0 0

8.2 Dados do compressor

NÍV EL DE CARGA DE
P OTÊNCIA P RESS ÃO CAPACIDADE CO NE XÃO DIMENSÕ ES PES O
MO DE LO RUÍDO ÓLEO
HP bar m 3/h dB ( A) BSP L (mm ) W (m m) H (m m) kgf l
CPB 15 15 8 10 0 68 / 3 1" 133 0 780 1220 395 ~10
CPB 15 15 10 87 68 / 3 1" 133 0 780 1220 395 ~10
CPB 15 15 13 65 68 / 3 1" 133 0 780 1220 395 ~10
CPB 20 20 8 12 7 68 / 3 1" 133 0 780 1220 405 ~10
CPB 20 20 10 12 7 68 / 3 1" 133 0 780 1220 405 ~10
CPB 20 20 13 96 68 / 3 1" 133 0 780 1220 405 ~10
CPB 25 25 8 15 1 68 / 3 1" 133 0 780 1220 414 ~10
CPB 25 25 10 14 0 68 / 3 1" 133 0 780 1220 414 ~10
CPB 25 25 13 11 0 68 / 3 1" 133 0 780 1220 414 ~10
CPB 30 30 8 20 5 70 / 3 1" 133 0 780 1220 430 ~11
CPB 30 30 10 18 1 70 / 3 1" 133 0 780 1220 430 ~11
CPB 30 30 13 14 5 70 / 3 1" 133 0 780 1220 430 ~11
CPB 40 40 8 20 6 70 / 3 1" 133 0 780 1220 458 ~11
CPB 40 40 10 18 3 70 / 3 1" 133 0 780 1220 458 ~11
CPB 40 40 13 15 4 70 / 3 1" 133 0 780 1220 458 ~11
CP VR 2 0 20 5,5 14 6 68 / 3 1" 133 0 780 1220 443 ~10
CP VR 2 0 20 7,5 13 5 68 / 3 1" 133 0 780 1220 443 ~10
CP VR 2 0 20 9,5 12 0 68 / 3 1" 133 0 780 1220 443 ~10
CP VR 2 5 25 5,5 18 2 68 / 3 1" 133 0 780 1220 452 ~10
CP VR 2 5 25 7,5 16 9 68 / 3 1" 133 0 780 1220 452 ~10
CP VR 2 5 25 9,5 15 2 68 / 3 1" 133 0 780 1220 452 ~10
CP VR 3 0 30 5,5 19 5 70 / 3 1" 133 0 780 1220 458 ~11
CP VR 3 0 30 7,5 18 7 70 / 3 1" 133 0 780 1220 458 ~11
CP VR 3 0 30 9,5 17 0 70 / 3 1" 133 0 780 1220 458 ~11
CP VR 4 0 40 5,5 22 7 70 / 3 1" 133 0 780 1220 504 ~11
CP VR 4 0 40 7,5 21 1 70 / 3 1" 133 0 780 1220 504 ~11
CP VR 4 0 40 9,5 19 1 70 / 3 1" 133 0 780 1220 504 ~11
CPB 15 BD 15 7,7 10 0 68 / 3 1" 182 5 820 1220 505 ~10
CPB 15 BD 15 9,7 87 68 / 3 1" 182 5 820 1220 505 ~10
CPB 15 BD 15 12,7 65 68 / 3 1" 182 5 820 1220 505 ~10
CPB 20 BD 20 7,7 12 7 68 / 3 1" 182 5 820 1220 515 ~10
CPB 20 BD 20 9,7 12 7 68 / 3 1" 182 5 820 1220 515 ~10
CPB 20 BD 20 12,7 96 68 / 3 1" 182 5 820 1220 515 ~10
CPB 25 BD 25 7,7 15 1 68 / 3 1" 182 5 820 1220 524 ~10
CPB 25 BD 25 9,7 14 0 68 / 3 1" 182 5 820 1220 524 ~10
CPB 25 BD 25 12,7 11 0 68 / 3 1" 182 5 820 1220 524 ~10

32
NÍV EL DE CARGA DE
P OTÊNCIA P RESS ÃO CAPACIDADE CO NEXÃO DIMENSÕ ES PES O
MO DELO RUÍDO ÓLEO
HP bar m 3/h dB ( A) BSP L (mm ) W (m m) H (m m) kgf l
CPB 30 BD 30 7,7 20 5 70 / 3 1" 182 5 820 1220 540 ~11
CPB 30 BD 30 9,7 18 1 70 / 3 1" 182 5 820 1220 540 ~11
CPB 30 BD 30 12,7 14 5 70 / 3 1" 182 5 820 1220 540 ~11
CPB 40 BD 40 7,7 20 6 70 / 3 1" 182 5 820 1220 568 ~11
CPB 40 BD 40 9,7 18 3 70 / 3 1" 182 5 820 1220 568 ~11
CPB 40 BD 40 12,7 15 4 70 / 3 1" 182 5 820 1220 568 ~11
CPVR 20 BD 20 5,5 14 6 68 / 3 1" 182 5 820 1220 553 ~10
CPVR 20 BD 20 7,5 13 5 68 / 3 1" 182 5 820 1220 553 ~10
CPVR 20 BD 20 9,5 12 0 68 / 3 1" 182 5 820 1220 553 ~10
CPVR 25 BD 25 5,5 18 2 68 / 3 1" 182 5 820 1220 562 ~10
CPVR 25 BD 25 7,5 16 9 68 / 3 1" 182 5 820 1220 562 ~10
CPVR 25 BD 25 9,5 15 2 68 / 3 1" 182 5 820 1220 562 ~10
CPVR 30 BD 30 5,5 19 5 70 / 3 1" 182 5 820 1220 568 ~11
CPVR 30 BD 30 7,5 18 7 70 / 3 1" 182 5 820 1220 568 ~11
CPVR 30 BD 30 9,5 17 0 70 / 3 1" 182 5 820 1220 568 ~11
CPVR 40 BD 40 5,5 22 7 70 / 3 1" 182 5 820 1220 614 ~11
CPVR 40 BD 40 7,5 21 1 70 / 3 1" 182 5 820 1220 614 ~11
CPVR 40 BD 40 9,5 19 1 70 / 3 1" 182 5 820 1220 614 ~11
CPB 15 TD 15 7,7 10 0 68 / 3 1" 242 7 820 1791 717 ~10
CPB 15 TD 15 9,7 87 68 / 3 1" 242 7 820 1791 717 ~10
CPB 15 TD 15 12,7 65 68 / 3 1" 242 7 820 1791 717 ~10
CPB 20 TD 20 7,7 12 7 68 / 3 1" 242 7 820 1791 727 ~10
CPB 20 TD 20 9,7 12 7 68 / 3 1" 242 7 820 1791 727 ~10
CPB 20 TD 20 12,7 96 68 / 3 1" 242 7 820 1791 727 ~10
CPB 25 TD 25 7,7 15 1 68 / 3 1" 242 7 820 1791 736 ~10
CPB 25 TD 25 9,7 14 0 68 / 3 1" 242 7 820 1791 736 ~10
CPB 25 TD 25 12,7 11 0 68 / 3 1" 242 7 820 1791 736 ~10
CPB 30 TD 30 7,7 20 5 70 / 3 1" 242 7 820 1791 752 ~11
CPB 30 TD 30 9,7 18 1 70 / 3 1" 242 7 820 1791 752 ~11
CPB 30 TD 30 12,7 14 5 70 / 3 1" 242 7 820 1791 752 ~11
CPB 40 TD 40 7,7 20 6 70 / 3 1" 242 7 820 1791 780 ~11
CPB 40 TD 40 9,7 18 3 70 / 3 1" 242 7 820 1791 780 ~11
CPB 40 TD 40 12,7 15 4 70 / 3 1" 242 7 820 1791 780 ~11
CPVR 20 TD 20 5,5 14 6 68 / 3 1" 242 7 820 1791 765 ~10
CPVR 20 TD 20 7,5 13 5 68 / 3 1" 242 7 820 1791 765 ~10
CPVR 20 TD 20 9,5 12 0 68 / 3 1" 242 7 820 1791 765 ~10
CPVR 25 TD 25 5,5 18 2 68 / 3 1" 242 7 820 1791 774 ~10
CPVR 25 TD 25 7,5 16 9 68 / 3 1" 242 7 820 1791 774 ~10
CPVR 25 TD 25 9,5 15 2 68 / 3 1" 242 7 820 1791 774 ~10
CPVR 30 TD 30 5,5 19 5 70 / 3 1" 242 7 820 1791 780 ~11
CPVR 30 TD 30 7,5 18 7 70 / 3 1" 242 7 820 1791 780 ~11
CPVR 30 TD 30 9,5 17 0 70 / 3 1" 242 7 820 1791 780 ~11
CPVR 40 TD 40 5,5 22 7 70 / 3 1" 242 7 820 1791 826 ~11
CPVR 40 TD 40 7,5 21 1 70 / 3 1" 242 7 820 1791 826 ~11
CPVR 40 TD 40 9,5 19 1 70 / 3 1" 242 7 820 1791 826 ~11

33
9 Instruções para utilização do reservatório de ar

9.1 Informações gerais

O reservatório de ar comprimido é um vaso de pressão construído segundo rígidas normas técnicas, visando uma utilização
segura durante toda a sua vida útil. Embora sua manutenção e operação sejam simples e convencionais é importante atender as
recomendações deste guia, pois a ruptura de um vaso sob pressão é sempre um acidente de graves conseqüências.

9.2 Responsabilidade do usuário

Antes de sua instalação , deverão ser atendidas as exigências estabelecidas pela NR13 do Ministério do Trabalho do item 13.6
ao item 13.10.

9.3 Instalação

• Antes de instalar seu reservatório de ar comprimido deverá ser atendido o item 13.7 da NR13 MTB.
• Este vaso foi construído para armazenamento de ar comprimido em diversos tipos de aplicações. Para uso com outros gases
ou para ar de respiração humana deverão ser feitas adequações de projeto e tratamento interno.
• Instale um purgador na parte inferior do vaso.
• Nivele o vaso corretamente para evitar a sua queda e possibilitar drenagem suficiente.
• Instale a tubulação de ar comprimido com suportes para que a mesma não force o casco ou flanges do vaso.
• Não conecte o vaso à tubulação que apresente vibração. Se necessário, utilize um acoplamento flexível.

9.4 Operação

• Antes de sua entrada em funcionamento, deverão ser atendidos os itens 13.8 e 13.10 da NR13 MTB.
• Antes de soltar qualquer conexão, tenha certeza de que o vaso esteja despressurizado. Desconfie da leitura do manômetro;
abra alguma válvula de purga até sentir que não há mais pressão.
• Purgue o condensado diariamente. Quando equipado com purgador automático, verifique rotineiramente o seu funciona-
mento.
• Crie o hábito de verificar se a pressão está dentro do especificado na placa de identificação.

9.5 Manutenção

• Antes de efetuar qualquer manutenção em seu vaso, deverá ser atendido o item 13.9 da NR13 MTB.
• O vasodeve ser inspecionado por um "Profissional Habilitado".
• Mantenha o vaso convenientemente pintado, externamente e internamente, se possível, isso aumentará a vida de seu
equipamento e garantirá um ar livre de partículas de óxido de ferro.
• Jamais solde qualquer peça diretamente nas partes pressurizadas do vaso sem consultar o fabricante.
• Ao presenciar trinca em chapa ou solda, deformação nas chapas no formato de bolhas ou estalidos durante a pressurização,
esvazie-o rapidamente e não recoloque em operação sem que se faça uma inspeção.

9.6 Informações finais

O fabricante de seu equipamento está à disposição para qualquer informação. Consulte-o.

34
10. Diagrama elétrico

Somente para versão


com secador

Diagrama elétrico CPB 15-20-25-30-40 YD - 1028 8622 80-01-03

35
Somente para versão
com secador

Diagrama elétrico CPVR 20-25-30-40 - 1028 8622 81-01-02

36
11. Instruções para utilização dos vasos

Vaso separador de ar-óleo

1 Este vaso pode conter ar pressurizado e pode ser potencialmente perigoso se o equipamento for mal utilizado.

2 Este vaso deve ser apenas usado como separador de ar-óleo e deve ser operado dentro dos limites especificados na
plaqueta de dados.

3 Nenhuma alteração deve ser feita no vaso por soldagem, perfuração ou outros métodos mecânicos sem a autorização por
escrito do fabricante.

4 Quando houver a necessidade da substituição da válvula de segurança, esta deverá seguir integralmente a especificação
do fabricante do equipamento.

5 Usar somente óleo especificado pelo fabricante.

6 Em caso de uso indevido do equipamento (temperatura do óleo muito baixa ou longo intervalo de desligamento) certa
quantidade de condensado pode acumular no vaso separador de óleo que deve ser corretamente drenado. Para isso,
desligar o equipamento da rede elétrica, esperar até que resfrie e despressurize. Drenar o condensado pela válvula de
drenagem de óleo, posicionada na parte inferior do vaso separador de ar-óleo.
A legislação local pode exigir a inspeção periódica do vaso separador de ar-óleo.

Reservatório de ar (nas unidades montadas sobre reservatórios)

1 A corrosão deve ser evitada: dependendo das condições de uso, o condensado pode acumular dentro do tanque e deve ser
drenado diariamente. Isto pode ser feito manualmente, pela abertura da válvula de drenagem, ou por meio do dreno
automático, se montado no tanque.
No entanto, uma verificação semanal do correto funcionamento da válvula automática é necessária. Isto deve ser feito
abrindo a válvula de drenagem manual e verificando se existe condensado.

2 É necessária inspeção anual de serviço do reservatório de ar, visto que a corrosão interna pode reduzir a espessura da
parede de aço com o consequente risco de explosão. Regras locais devem ser respeitadas, se aplicáveis. A utilização do
reservatório é proibida caso a espessura da parede atinja o valor mínimo tal como indicado na documentação fornecida com
a unidade.

3 O tempo de vida do reservatório depende principalmente do ambiente de trabalho. Instalar o compressor em um ambiente
sujo e corrosivo não é permitido, pois isto pode reduzir o tempo de vida do vaso drasticamente.

4 Não fixar o vaso ou ligar componentes diretamente no solo ou em estruturas fixas. Assentar o vaso de pressão com
amortecedores de vibração para evitar possível falha por fadiga provocada pela vibração do vaso durante a utilização.

5 Utilizar o vaso dentro dos limites de pressão e temperatura indicadas na placa de identificação.

6 Nenhuma alteração deve ser feita a este vaso por soldagem, perfuração ou outros métodos mecânicos.

7 Quando houver a necessidade da substituição da válvula de segurança, esta deverá seguir integralmente a especificação
do fabricante do equipamento.

37
12. Informativo ambiental

Verificar o conteúdo do arquivo Informativo Ambiental gravado no CD de manuais fornecido junto com o equipamento Chicago
Pneumatic. Este arquivo contem as orientações sobre os aspectos ambientais envolvidos na utilização dos equipamentos
Chicago Pneumatic.

38
ANOTAÇÕES
Chicago Pneumatic Brasil LTDA.
Alameda Mamoré, 503, 3° andar - Alphaville Industrial
Barueri - São Paulo - Brasil - 06454-040
Fone: +55 11 2189-3900
CNPJ: 51.609.568/0004-98
e-mail: vendas@cp.com

Você também pode gostar