Você está na página 1de 13

Sistema Físico

O que é um “sistema físico”?


10.º ano - Física e Química A Sistema Físico: corpo ou conjunto de corpos em estudo.
Que tipos de energia pode ter um sistema físico?
Existem duas formas fundamentais de manifestações de energia:
- Energia Cinética.
- Energia Potencial.
O que é a energia cinética?
A energia cinética está associada ao movimento de um corpo.

Unidade 1.1 – Energia e Movimentos


Professor: Benjamim Medeiros
Site: http://sites.google.com/site/benjamimfq/ Meta 1.1: Indicar que um sistema físico (sistema) é o corpo ou o conjunto de corpos em estudo.

Sistema Físico Energia Potencial


E o que é a energia potencial?
Energia potencial: é uma energia armazenada em consequência
da sua posição, condição ou interação com outros corpos.
Existem muitas formas diferentes de energia potencial. A energia das
Se velocidade é igual → maior massa → maior energia cinética ligações químicas é, por exemplo, uma forma de energia potencial.
Se massa é igual → maior velocidade → maior energia cinética Que formas principais de energia potencial distinguimos?
E se as velocidades e massas são diferentes?
Energia Potencial Elástica: associada à compressão/distensão
Aplicar a fórmula
de corpos (molas, elásticos…).
Ex. 1: Determine, em unidades SI, a energia cinética de uma bola de ténis de
200 g num serviço com uma velocidade de 198 km h–1. Considere apenas o
movimento de translação da bola.
Ex. 2: Qual terá de ser a velocidade de bicicleta+pessoa (m = 60 kg) para ter a
mesma energia cinética da bola no exercício anterior?
Meta 1.3: Aplicar o conceito de energia cinética na resolução de problemas envolvendo corpos que apenas
têm movimento de translação. prof. Benjamim Medeiros (2016-2017)
Energia Potencial Energia Mecânica
Energia Potencial Elétrica: associada à E a energia pode transformar-se noutra forma de energia?
interação entre cargas elétricas.
A energia cinética de um corpo pode transformar-se em energia
Esta figura não está de acordo com potencial (e vice-versa).
o Modelo da Nuvem Eletrónica
À soma da energia cinética de um corpo com a sua energia
Energia Potencial Gravítica: associada à atração gravítica entre potencial dá-se o nome de energia mecânica.
o corpo junto à superfície e a Terra.

Exercício: Num jogo de voleibol, uma bola, de massa 270 g, passa entre dois
Meta 1.2: Associar a energia cinética ao movimento de um corpo e a energia potencial jogadores da mesma equipa.
(gravítica, elétrica, elástica) a interações desse corpo com outros corpos. No ponto mais alto da trajetória, a bola possui uma energia mecânica de 15,0 J.
Exercício 1: Determine a energia potencial gravítica de uma bola de 1,5 kg colocada a Considerando que a energia mecânica da bola se mantém constante e que no
uma altura de 3,5 metros. lançamento a sua energia potencial gravítica é nula, determine a velocidade
com que ela é lançada, considerando apenas o seu movimento de translação.
Exercício 2: Para uma bola de ténis (m = 200 g) ter a mesma energia potencial que a
bola anterior, a que altura deve ser colocada. prof. Benjamim Medeiros (2016-2017)
prof. Benjamim Medeiros (2016-2017)

Energia Interna Energia Interna


Mas estas formas de energia dizem respeito ao sistema como um todo. E em relação à energia potencial interna?
E a energia das partículas dentro do sistema? A energia potencial interna depende de vários fatores, nomeadamente do
A energia interna de um sistema está associada às energias tipo de ligações químicas, ligações intermoleculares…
cinética e potencial das suas partículas. Energia potencial interna (Epi): resulta das interações entre as
Como se manifesta a energia cinética interna de um sistema? partículas que constituem o sistema a nível microscópico.

Energia cinética interna (Eci): associa-se ao movimento das Maior massa (m)

partículas a nível microscópico, manifesta-se na temperatura.
maior o número de partículas
que constitui o sistema
Maior temperatura (T) ↓
A energia interna é maior no gobelé que tem maior
↓ maior número de interações massa.
maior agitação das partículas ↓
prof. Benjamim Medeiros (2016-2017)
↓ maior energia potencial interna.
maior energia cinética interna
Meta 1.4: Associar a energia interna de um sistema às energias cinética e potencial das suas
prof. Benjamim Medeiros (2016-2017) partículas.
Sistema Mecânico vs Termodinâmico Sistema Mecânico vs Termodinâmico
Qual a energia total de um sistema? Em algumas circunstâncias não é relevante, para o estudo que se
pretende efetuar, considerar os efeitos da energia interna.
A energia total de um sistema calcula-se por:
Etotal = Em + Eint Sistema Mecânico: sistema onde se considera apenas a energia
mecânica (faz mover ou alterar o movimento de um corpo). Neste
Temos de considerar em todos os sistemas a energia interna?
sistema não se considera a energia interna.
Sistema Termodinâmico: sistema em que consideramos
variações da energia interna, como a alteração do número de
partículas ou da alteração da temperatura.

prof. Benjamim Medeiros (2016-2017)


Meta 1.5: Identificar um sistema mecânico como aquele em que as variações de energia interna não são
prof. Benjamim Medeiros (2016-2017) tidas em conta.

Sistema Mecânico vs Termodinâmico Centro de Massa


CENTRO DE MASSA
Ponto que representa um sistema e a que se associa a
massa do sistema.
Consideram-se aplicadas neste ponto todas as forças
que atuam sobre o sistema.

Quais as vantagens de reduzir um corpo ao seu centro de massa?


Mas para estudar o movimento do carro, interessa-me a energia interna? Vantagem: simplifica-se o estudo de um movimento de
translação de um corpo indeformável.
Caso se pretenda analisar apenas o movimento do carro, pode
considerar-se que este é um sistema mais simples. Podemos reduzir sempre um corpo ao seu centro de massa?
Ou seja, para estudar apenas o movimento o carro é considerado um Limitações do uso do Centro de Massa:
sistema mecânico. - ignora variações de energia interna.
Para estudar o movimento do carro, considero todos os componentes? - não permite o estudo de movimentos de rotação.
prof. Benjamim Medeiros (2016-2017) - não permite o estudo de deformações. prof. Benjamim Medeiros (2016-2017)
Centro de Massa Força e Deslocamento
Onde se localiza o centro de massa de um corpo? Como posso transferir energia para um corpo no dia-a-dia?
Para colocarmos um corpo em movimento, geralmente transferimos
energia para o corpo através da aplicação de uma força.
Sempre que se aplica uma força, toda ela é eficaz a mover o corpo?
Quando é aplicada uma força diagonal num corpo que se move na
Pág. 15
horizontal, nem toda a força é eficaz para o movimento do corpo.
Componente Eficaz da Força: é a componente da força na
direção do deslocamento / movimento.

Meta 1.6: Indicar que o estudo de um sistema mecânico que possua apenas movimento de translação pode
ser reduzido ao de uma única partícula com a massa do sistema, identificando-a com o centro de massa. prof. Benjamim Medeiros (2016-2017)

Força e Deslocamento Trabalho


Como se calcula a componente eficaz da força? Como se denominada a transferência de energia através de forças?
Aplicação de uma força num caixote Força
Para saber o valor as componentes usamos aplicada
Podem acontecer duas situações:
as funções seno e co-seno:
1) O caixote desloca-se
Fx = F cos α Ângulo com a horizontal
2) O caixote não se desloca

Fy = F sen α 1) O caixote desloca-se adquire energia cinética


A ação da força aplicada pelo rapaz permitiu transferir energia do rapaz para o
Nota: como os movimentos estudados serão na horizontal, a caixote.

força eficaz será apenas a componente Fx.


Deslocamento
Exercício: Sabendo que a força total
aplicada foi de 50 N, determine:
a) a componente eficaz da força.
Trabalho (W): processo de transferência de energia entre dois
b) a componente não eficaz da força.
sistemas (ou corpos) por ação de forças.
prof. Benjamim Medeiros (2016-2017) prof. Benjamim Medeiros (2016-2017)
Trabalho Trabalho
2) O caixote não se desloca não adquire energia cinética
A ação da força aplicada pelo rapaz não permitiu transferir energia do rapaz para
o caixote.

Sendo o trabalho uma forma de transferência de energia, existe um


sujeito que fornece a energia e outro que a recebe.
Como se calcula o trabalho realizado por uma força?
A força aplicada sobre o caixote não realiza trabalho. O trabalho realizado por uma força constante calcula-se por:

Nota: para haver a realização de trabalho é necessário:


- deslocamento causado pela força.
- componente da força na direção do deslocamento: força eficaz.
prof. Benjamim Medeiros (2016-2017) Na realidade, será mais correto afirmar: WF = Feficaz d

Trabalho Trabalho
Quer a força (F) como o deslocamento (d) são grandezas vetoriais. Pág. 18
O que são grandezas vetoriais?
Grandezas Vetoriais: caracterizadas por terem ponto de
aplicação, sentido, direção e valor. Quando é que uma força não realiza trabalho?
Ângulo entre os vetores Uma força realiza trabalho nulo, WF = 0, se:
= força e deslocamento - o deslocamento for zero (xi = xf).

- se a força é perpendicular ao deslocamento (α = 90º)

Pág. 18

prof. Benjamim Medeiros (2016-2017) prof. Benjamim Medeiros (2016-2017)


Trabalho Trabalho
O trabalho realizado por um corpo é sempre positivo? Quando será o trabalho realizado por uma força máximo?
A transferência de energia na forma de trabalho distingue-se em: Nota: o trabalho de uma força é máximo se a força for paralela ao
- Trabalho Potente (W > 0): se a força eficaz é no sentido do deslocamento (α = 0º para trabalho potente).
movimento, faz aumentar a energia cinética (0 < α < 90º).

- Trabalho Resistente (W < 0): se a força eficaz é no sentido


oposto ao movimento, diminui a energia cinética (90º < α < 180º).

prof. Benjamim Medeiros (2016-2017)


prof. Benjamim Medeiros (2016-2017)

Trabalho Trabalho
E se atuarem várias forças num dado sistema mecânico? Exercício: Considere o seguinte corpo onde se aplicam as forças
indicadas abaixo, de onde resulta um deslocamento de 500 cm.
F1 = 4 N F2 = 3 N F3 = 5 N F4 = 4 N

Deslocamento do corpo pela atuação de várias forças.

O trabalho da resultante das forças aplicadas num corpo é


igual à soma dos trabalhos realizados por cada uma das forças.

a) Indique, sem fazer cálculos, que tipo de trabalho realiza cada


uma das forças.
Meta 1.7: Identificar trabalho como uma medida da energia transferida entre sistemas por ação
de forças e calcular o trabalho realizado por uma força constante em movimentos retilíneos, b) Determine o valor do trabalho total realizado pelas forças.
qualquer que seja a direção dessa força, indicando quando é máximo.
prof. Benjamim Medeiros (2016-2017)
Gráfico Força-Deslocamento Forças presentes no dia-a-dia
Como determinar o trabalho a partir de um gráfico? Que forças estão sempre presentes no nosso dia-a-dia?
O trabalho realizado por uma força constante, F, quando o seu ponto de Em situações “comuns” existem três forças presentes:
aplicação sofre um deslocamento, também pode ser calculado através de - Peso ou Força Gravítica (P ou Fg).
um gráfico força-deslocamento.
- Reação-Normal (N)
- Força de Atrito (Fa)
Qual a origem destas forças e como atuam?
Força Gravítica (Fg ou P): causada pela gravidade da Terra. Atua
sempre na vertical e para baixo, independentemente da
inclinação da superfície. É calculada pela expressão:
O valor da área do gráfico F/d em relação ao eixo das ordenadas Fg = m × g
corresponde ao valor do trabalho realizado pela força.
A força gravítica e o peso não são exatamente o mesmo, mas a diferença só é
Desta forma até é possível determinar o valor do trabalho de uma força que
não seja constante. considerada em Física do 12.º ano. Por enquanto, considerem ser o mesmo.
prof. Benjamim Medeiros (2016-2017)

Forças presentes no dia-a-dia Teorema da Energia Cinética


Reação-Normal (N): existe se os corpos estão apoiados em Mas para calcular o trabalho total aplicado num corpo, temos sempre
de calcular o trabalho de cada uma das forças individualmente?
superfícies (chão, mesa, cadeira…). Esta força atua de forma
perpendicular à superfície (90º).

=∆ = −
1
Força de Atrito (Fa): existe devido às interações entre superfícies = ( − )
2
de contato e as irregularidades destas. Tem sempre sentido
Nota: do Teorema da Energia Cinética apenas resulta o trabalho
contrário ao do movimento (180º).
da força resultante.

Assim sendo, não podemos usar o Teorema da Energia Cinética para


determinar o trabalho de uma única força (exceto se esta única força
corresponder à força resultante).
prof. Benjamim Medeiros (2016-2017)
Teorema da Energia Cinética Teorema da Energia Cinética
Como afeta o trabalho a energia cinética de um corpo? Exercício: Um corpo de massa de 1,5 kg, inicialmente em
repouso, foi puxado por uma força horizontal de 20 N, movendo-
Se o trabalho total aplicado num corpo é:
se ao longo de 10 cm. Considere o atrito desprezável.
- Potente a) Represente as forças que atuam no corpo.
 velocidade aumenta b) Qual o trabalho da resultante das forças?
c) Qual a velocidade final do corpo?
- Resistente
 velocidade diminui

- Nulo
 velocidade constante

prof. Benjamim Medeiros (2016-2017)


prof. Benjamim Medeiros (2016-2017)

Trabalho do Peso Trabalho do Peso


Em que situações a força gravítica (peso) realiza trabalho? Se um corpo se move na horizontal o WPeso = 0, o peso porque é
O trabalho realizado pelo força gravítica / peso (ou por qualquer outra força) perpendicular ao deslocamento.
pode ser calculado pela expressão:
WF = F d cos α 2) Descida na Vertical
Fg = m × g WFg = m g d cos α
α = 0°
Vamos analisar algumas situações práticas.

Deslocamento, d
1) Movimento Retilíneo Horizontal d é igual à altura h
Deslocamento, d
α = 90° h

α WP = P d cos 90

WP = 0 J WPeso = P d cos 0 WPeso = m g h


(trabalho nulo) WPeso = P d (trabalho potente)
Trabalho do Peso Trabalho do Peso
3) Subida na Vertical E como podemos calcular o trabalho realizado pelo peso?

WPeso = P d cos 180

Deslocamento, d
WPeso = – P d
h
WPeso = – m g h
α = 180°
(trabalho resistente)

d é igual à altura h

Que conclusões retiramos das situações anteriores?


Pág. 25
O trabalho realizado pelo peso é:
• negativo (resistente) na subida;
• positivo (potente) na descida;
• nulo no movimento horizontal. prof. Benjamim Medeiros (2016-2017) prof. Benjamim Medeiros (2016-2017)

Trabalho do Peso Trabalho do Peso


Numa descida
Numa subida Na horizontal Ao movimentar um corpo numa rampa, que componente do peso é eficaz?
Quando se tem uma rampa, tipicamente coloca-se o eixo dos xx na direção do
movimento do corpo, ou seja, fica inclinado como a rampa.
y

θ
θ
E ao deslocar um corpo numa rampa, que trabalho faz o peso? x
No caso das rampas o exercício depende se temos a altura da rampa ou a sua
inclinação. A componente eficaz do peso (Px) pode calcular-se por:
α α  Px = P cos α (α = ângulo da rampa com a vertical).
 Px = P sen θ (θ = ângulo da rampa com a horizontal).
θ 90º
θ 90º prof. Benjamim Medeiros (2016-2017)
Trabalho do Peso Trabalho do Peso
Além do ângulo, existe outra forma de indicar a inclinação de uma rampa? Exercício 1: Um bloco de 2,5 kg, partindo do repouso, desce
uma rampa de comprimento 10 m. Considere g = 10 m s-2 e o
Uma inclinação de 6% indica que por cada 100 m atrito desprezável.
percorridos ao longo da rampa, este sobe ou a) Represente todas as forças que atuam sobre o corpo.
desce 6 m. b) Calcule o trabalho realizado pelo peso.
c) Com que velocidade atinge a base da rampa?

Inclinação (%) =

30°
A percentagem de inclinação pode ser resolvida por regra de três simples.

prof. Benjamim Medeiros (2016-2017) prof. Benjamim Medeiros (2016-2017)

Trabalho do Peso Trabalho do Peso


Exercício 2: Um carro com 2 toneladas sobe uma encosta com Temos duas formas principais de calcular o trabalho do peso:
uma inclinação de 7%, tendo percorrido 1500 m. Durante o
movimento atuou uma força de atrito constante de intensidade 1) Se sabemos a(s) altura(s) ou a percentagem de inclinação da
400 N. Considere g = 10 m s-2. rampa  WFg = – ΔEpg = – m g Δh
a) Calcule o trabalho realizado pelo peso.
b) Calcule o trabalho realizado pela força de atrito.
2) Se sabemos o ângulo da rampa  WFg = ± Fg d cos α

“+” se o corpo desce  WFg é potente ângulo com a


“-” se o corpo sobe  WFg é resistente vertical
Forças Conservativas e Não-Conservativas Energia Mecânica
Como vimos no exercício anterior, no caso da força gravítica o seu trabalho é No estudo das forças conservativas e não-conservativas podemos considerar a
independente do caminho seguido. É assim para todas as forças? energia mecânica. O que é a energia mecânica?
Força Conservativa: o trabalho realizado pela força não
depende da trajetória, só depende das posições inicial e final.
Exemplos: força gravítica, força elástica... Pág. 29
Força Não-Conservativa: o trabalho realizado pela força
depende da trajetória.
Exemplo: força de atrito
Pág. 28

Meta 1.12: Definir e aplicar o conceito de energia mecânica.

prof. Benjamim Medeiros (2016-2017)


prof. Benjamim Medeiros (2016-2017)

Conservação da Energia Mecânica Conservação da Energia Mecânica


Qual a relação entre forças conservativas e a energia mecânica? Quando num corpo atuam apenas forças conservativas
Se num corpo só as forças conservativas realizam trabalho, (desprezáveis atritos e forças exteriores) temos:
consideramos que: ΔEM = 0 EM = constante Ec + Ep = constante
WFr = WFconservativas
Que conclusões podemos retirar da afirmação anterior?
Para apenas as forças conservativas realizarem trabalho temos 2 opções:
- não existem / são desprezáveis as forças não-conservativas.
- o trabalho total das forças não-conservativas é nulo.
Como se aplica isto se a única força a fazer trabalho for o peso (conservativo)?
Pág. 30
Se a única força que realiza trabalho é o peso temos:
WFr = WFg
EM = Ec + Epg
ΔEc = − ΔEpg
ΔEc + ΔEpg = 0
Se apenas as forças conservativas fazem trabalho:
ΔEM = 0 Ec ↔ Ep (sem perdas de energia)
prof. Benjamim Medeiros (2016-2017) prof. Benjamim Medeiros (2016-2017)
Conservação da Energia Mecânica Forças Não-Conservativas
E se atuarem forças não-conservativas?
Pág. 32
Se atuam forças não-conservativas, temos que:
WFr = WFc + WFnc
ΔEc = −ΔEp + WFnc
ΔEc + ΔEp = WFnc
WFnc = ΔEM
Que tipo de trabalho podem efetuar as forças não-conservativas?

EM = constante  WFnc = 0  trabalho nulo

EM   WFnc > 0  trabalho potente

Nota: se existe conservação da energia, a massa do corpo não EM   WFnc < 0  trabalho resistente
tem influência no movimento do corpo. prof. Benjamim Medeiros (2016-2017)

Forças Não-Conservativas Forças Não-Conservativas


Que forças não-conservativas realizam trabalho potente? Que forças não-conservativas realizam trabalho resistente?

Nota: as forças não-conservativas que fazem trabalho resistente


prof. Benjamim Medeiros (2016-2017) (atrito, resistência…) são chamadas de forças dissipativas.
Forças Não-Conservativas Potência e Rendimento
O que acontece à energia perdida pelas forças dissipativas? Desaparece? Nos processos físicos, além de importar a quantidade de transferência de
energia, também importa a rapidez com que esta se transfere.
A diminuição de energia mecânica do sistema corresponde:
Como se mede “o ritmo” de transferência de energia?
- ao aumento da sua energia interna (temperatura, p.e.)
- à transferência de energia para a vizinhança. Potência: mede a taxa temporal de transferência de energia.
E – energia (J)
Δt – intervalo de tempo (s)
!" "#$!$ % P – potência (J s-1 ou W)

E = P Δt
Qual o significado físico de um aparelho ter
uma potência de 90 W?
90 W = 90 J/s
O aparelho consome 90 J por cada segundo.

prof. Benjamim Medeiros (2016-2017)

Potência e Rendimento Potência e Rendimento


Mas os 90 W transferidos pelo transformador são todos aproveitados?

AQUECE Dissipação de energia


Nem toda a energia é utilizada de forma útil.
Quanto maior for o rendimento de um sistema
Etotal = Eútil + Edissipada
Maior a quantidade de energia útil que ele produz
Há conservação de energia
Menor a energia dissipada
Uma determinada forma de energia ora pode ser “útil” ou “dissipada”
de acordo com o contexto do problema. Processo mais eficiente
Como determino a rentabilidade de um processo de transferência de energia?
Eu Pu
Rendimento: η % = 100 ou η % = 100
E& P&
Em sistemas reais, o rendimento é sempre inferior a 1 (ou a
100%) uma vez que há sempre energia dissipada. prof. Benjamim Medeiros (2016-2017)

Você também pode gostar