Você está na página 1de 4

Células das cristas neurais migram para a região de cabeça e pescoço e darão origem a

vários constituintes. Observa-se principalmente a formação do ectomesênquima por estas


células.

O APARELHO BRANQUIAL é formados por


Arcos Branquiais
Sulcos Branquiais
Bolsas Faríngeas

O 1º Arco Branquial compreende os Processos Mandibulares e os Processos Maxilares


O 2º Arco Branquial compreende o Processo Frontal

A FACE é dividida em 3 terços

Superior > Processo Frontal e Olhos


Médio > Processos Maxilares
Inferior > Processos Mandibulares

A FORMAÇÃO DO LÁBIO INFERIOR dá-se pela fusão medial dos processos


mandibulares.
Os Processos mandibulares tem origem do 1º Arco Branquial.

A FORMAÇÃO DO NARIZ E FOSSAS NASAIS dá-se pela proliferação do ectoderma do


Processo Frontal, esta que forma duas estruturas em formato de ferradura > chamadas de
PLACÓIDES NASAIS.

As bordas dos Placóides Nasais de fusionam. A porção central vai para dentro (invagina),
formando duas cavidades > AS FOSSAS NASAIS.

Região Central > Processo Frontonasal

Os Placóides Nasais, uma vez fusionadas as suas bordas, será dividido em duas partes:
PROCESSO NASAL LATERAL e PROCESSO NASAL MEDIAL > Ambos tem origem do
ectoderma.

[Desenho esquemático ilustra a divisão dos Placóides Nasais em Processo Nasal Lateral e
Medial e Formação do Processo Frontonasal]

À partir do desenvolvimento dos Placóides Nasais, entre eles haverá o PROCESSO


FRONTONASAL.

Essas estruturas formadas delimitam o Estomodeo superiormente>> Processo


Frontonasal, Processos Nasais Laterais e Processos Nasaisl Mediais.
Os Processos Nasais Mediais se fusionam na linha média com o Processo Frontonasal e
Superiormente com o Processo Frontal >> Essa fusão originará FRENTE, DORSO,
PONTA E BASE DO NARIZ.

As ASAs DO NARIZ serão formadas pela fusão dos PROCESSOS NASAIS LATERAIS e
PROCESSOS MAXILARES. Nesta região forma-se também o DUCTO NASO-LACRIMAL.

[Desenho esquemático ilustra a formação do Nariz e Parte do Lábio superior - Filtro do


Lábio]

Entende-se então, que os Processos Nasais Mediais juntamente com o Processo


Frontonasal darão origem ao NARIZ, PRÉ-MAXILA E PALATO PRIMÁRIO. Pode-se
perceber também que a falta de fusão entre os Processos Nasais Mediais com os
Processos Maxilares originarão as FENDAS LABIAIS> Que podem ser uni ou bi-laterais.

O LÁBIO INFERIOR é formado pelos Processos Mandibulares.

RESUMINDO:

COMPONENTE: PROCESSOS FORMADORES:


Asa do Nariz Processo Nasal Lateral e Processo Maxilar
Lábio Superior Processos Nasais Mediais e Processos
Maxilares
Lábio Inferior Processos mandibulares

FORMAÇÃO DO PALATO PRIMÁRIO E SECUNDÁRIO

Forma-se pela fusão dos Processos Nasais Mediais. É composto por três componentes:
*Componente labial = Filtro do Lábio
*Componente Maxilar = Região dos quatro incisivos superiores e mucosa.
*Componente Palatino = Palato Primário

Lateralmente à Língua Primitiva surgem as CRISTAS PALATINAS VERTICALIZADAS, que


são lançadas pelos Processos Maxilares. A Crista Palatina surge nesta posição devido ao
grande volume da Língua Primitiva. Com o crescimento constante das Cristas Palatinas
Verticalizadas, a Língua Primitiva sofre um abaixamento e então, as Cristas Palatinas se
Horizontalizam >>> Cristas Palatinas Horizontalizadas.
As CRISTAS PALATINAS HORIZONTALIZADAS primariamente se fusionarão com o
PALATO PRIMÁRIO e depois, em sentido antero-posterior, se fusionarão entre si e por
último com o Septo nasal.

Com a formação do palato, a comunicação da Cavidade Oral com Cavidade Nasal se


desfaz.

Abrindo um parêntese para lembrar dos LIMITES DO ESTOMODEO:


SUPERIORMENTE >>> Processo Frontal (ou dependendo da fase de desenvolvimento -
Processo frontonasal e Processos Nasais Mediais e Laterais)
INFERIORMENTE >>> Processos Mandibulares
POSTERIORMENTE >>> Membrana Bucofaríngea
LATERALMENTE>>> Processos Maxilares

LÍNGUA

Tem origem na parede ventral da orofaringe


O CORPO DA LÍNGUA (2/3 anteriores da língua) tem origem do Ectoderma do 1º Arco
Branquial.
A RAIZ DA LÍNGUA (1/3 posterior da língua) tem origem do Endoderma dos 2º, 3º e 4º
Arcos Branquiais.

FORMAÇÃO DAS MAXILAS

Originadas do 1º Arco Branquial, a formação ocorre por ossificação intramembranosa de


células mesenquimais. O centro de ossificação é no processo maxilar, no ângulo entre a
divisão do nervo infra-orbital em nervo alveolar superior. O crescimento ocorre devido ao
desenvolvimento das cavidades pneumáticas (seio maxilar), influenciado pela respiração.
Dessa forma, o paciente tenderá pouco desenvolvimento das maxilas, se for respirador
bucal.

FORMAÇÃO DA MANDÍBULA

Originada, também, do 1º Arco Branquial, embriologicamente corresponde à Cartilagem de


Meckel, uma estrutura formada à partir de Células das Cristas Neurais. Este molde de
cartilagem, no decorrer do desenvolvimento, servirá de Guia de Ossificação
Intramembranosa da Mandíbula (porção mesial), dará origem ao Ligamento
Esfenomandibular (porção intermediária), Ossículos Martelo e Bigorna (porção distal),
entre outras estruturas.
A ossificação da mandíbula ocorre por duas vias:
A OSSIFICAÇÃO ENDOCONDRAL>>> Originando a Cabeça da Mandíbula e
A OSSIFICAÇÃO INTRAMEMBRANOSA>>> que inicia na porção mesial da Cartilagem de
Meckel guiando a ossificação dos outros componentes da Mandíbula.

BIOPATOLOGIA DA FORMAÇÃO DA FACE E DA CAVIDADE BUCAL

A falta de fusão dos processos que compõem a face, resulta em Fendas e Fissuras.

A Fissura Labial UNILATERAL é originada pela falta de Fusão entre: Processo Nasal
Medial com Processo Maxilar (ipisilateral)

A Fissura Labial BILATERAL é originada pela falta de Fusão entre: Processos Nasais
Mediais com Processos Maxilares em ambos os lados.

A Fenda facial OBLÍQUA é originada pela falta de Fusão entre: Processo Frontonasal com