Você está na página 1de 37

PARTE 01

CÉLULAS KIDS

“A célula é o momento áureo do relacionamento humano.


É a oportunidade máxima concedida por Deus para abrirmos o nosso coração e colocarmos as nossas
dúvidas e dificuldades mais intensas. É nela que conseguimos ser ouvidos, aconselhados e priorizados. ”
(Pr. Aldezir Mota Soares)

JUSTIFICATIVA
A nossa Igreja tem Como meta celularizar-se, porque acredita que a Igreja nas casas é o modelo de
Igreja do Novo Testamento. Ao mesmo tempo que procura olhar para o passado, olha para o futuro com a
intenção de perpetuar essa prática.
O discipulado é outro valor que nossa Igreja procura fortalecer e isso deve acontecer com qualquer
pessoa e em qualquer idade. Dessa forma, um cuidando do outro, servindo a ele e intercedendo, crê-se que
todos estarão sendo cuidados.
Imaginando que células e discipulado sejam valores de nossa Igreja não se pode prescindir as
crianças de vivenciarem experiências relativas a eles. Dessa forma, o Ministério Infantil elaborará um
projeto experimental de células de crianças nas quais elas serão as líderes e seus pais os seus
discipuladores. O MINI promoverá, simultaneamente ao Tadel dos adultos, o Tadelzinho, específico para
eles.
Essas se diferenciam das células de pré-adolescentes porque se reúnem paralelamente a células de
adultos, enquanto que as outras se reúnem no sábado.
O MINI continuaria dando auxiliando na capacitação dos pequenos lideres, mas o acompanhamento
e supervisão mais cuidadoso será do Líder da Rede, coordenadores, supervisores, e líderes da Célula na
qual estão inseridos.
A Célula de crianças sempre caminhará lado a lado com a visão e missão da Igreja e sempre que
existir mudanças elas serão adaptadas para a idade e especificidades deles.
Para que essas Células aconteçam é preciso que os pais deem apoio ao seu filho não só trazendo-o
no TADELZINHO, mas na preparação e durante sua reunião. Se por acaso, o pai do LCC for líder de Célula de
Adultos pode pedir para que pessoas possam supervisionar indo ocasionalmente no lugar.
O MINI procurará capacitar os LCCs para que sejam autônomos e façam a maior parte de suas tarefas
sozinho.
No modelo anterior de Célula de Crianças, um adulto ficava com todas as crianças. Nesse novo jeito
de fazer Célula é preciso fazer algumas adaptações, por exemplo: as crianças até 02 anos devem ser

Capacitação em Células Infantis | 1


cuidadas por seus pais. Um dos pais deve ficar com a criança na Célula de Crianças, pois por motivo de
segurança não se deve deixar criança cuidando de bebês.
Jesus ama as crianças. Certa vez, durante seu tempo aqui na terra, ele disse: "Deixem que as crianças
venham a mim e não proíbam que elas façam isso, pois o Reino do Céu é das pessoas que são como estas
crianças" (Mateus 19:15.15). Deus ama as crianças e as prioriza. Nós também devemos fazê-lo.
Sabemos que as crianças são o futuro e, de fato, elas não serão crianças por muito tempo. Algumas
vão inclusive ser nossos futuros líderes.
Estatísticas dos Estados Unidos nos dão conta de que aproximadamente metade de todos os
americanos que aceitam a Jesus Cristo como seu salvador o fazem antes de atingir os 13 anos de idade
(43%) e que dois em cada três cristãos nascidos de novo (64%) fizeram seu compromisso com Cristo antes
de seu 18° aniversário (Barna, 2004). Claro, isso pode variar mundo afora, mas a verdade permanece:
precisamos alcançar as crianças.
Igrejas em células priorizam as crianças tanto nas células quanto nas celebrações.
Quando as crianças estão consistentemente frequentando a célula, ore para que Deus prepare um
adulto ou adolescente que deseje liderar a célula das crianças. Pode ser alguém da sua própria célula de
adultos ou da sua igreja. As crianças podem, então, reunir-se com seu líder de célula numa sala diferente na
mesma casa durante todo o encontro de célula (ou pelo menos durante a parte da lição). Esta é uma
célula de crianças normal e permanente que promove um quebra-gelo similar, adoração, palavra
compartilhada, oração e evangelismo. A igreja deve providenciar o programa de célula para o líder de
crianças e todo o auxílio necessário.
Muitas crianças hoje em dia têm pais não-cristãos que não podem trazer seus filhos para os
caminhos de Cristo. Células de crianças são um salva-vidas para crianças que precisam de Jesus. Igrejas em
células alcançam crianças tanto na célula quanto nos cultos de celebração.
Devemos assegurar que o trabalho com crianças não é brincadeira. Jr 48.10. Cada criança deve
ser gerada no mundo espiritual com muita oração, na obediência e dependência de Deus.
Devemos crer que os frutos serão dados. Lc 9.62 “Vamos colocar as mãos no arado e jamais olhar
para trás”.
Várias situações novas podem acontecer e elas serão tratadas conforme aparecerem.
IMPORTANTE: Não descarte a opção é manter pequenos grupos para crianças em vários bairros pela
cidade. Um adulto lidera um grupo pequeno. Essas células vespertinas são transformadoras e muitas delas
é que nasce grandes igrejas.

OBJETIVOS:
1. Melhorar a qualidade de vida espiritual das crianças através do TSD e propósitos (Exemplo:
Jejum de Daniel e não jejuns como o dos adultos).
2. Promover um relacionamento de discipulado entre pais e filhos, com HDL (Hora, dia e local).

2 | Pr Aldezir Mota Soares


3. Incutir no coração das crianças que Célula e Discipulado é um valor que queremos que perpetue
nas futuras gerações.
4. Desenvolver espírito de liderança nas crianças, porque elas têm condição liderar outras com
supervisão.
5. Fomentar nas crianças o desejo de ganhar outras e integrá-las na Célula.
6. Incentivar as crianças a desejarem a liderança de Célula e o cuidado com o outro como algo
natural na vida cristã.
7. Motivar os líderes de Células de Crianças a se capacitarem através do Tadelzinho, simultâneo ao
Tadel e através de outros cursos adaptados a eles como (Escola do Discípulo, 8 Hábitos e Supervisor Eficaz,
por exemplo).
8. Auxiliar os pais no discipulado semanal com seus filhos, não só na vida com Deus por causa da
Célula, mas em outros aspectos também.
9. Planejar encontros, retiros, vigílias, etc com os líderes de Célula de Crianças e em outros
momentos para seus pais como discipuladores.
10. Face de crianças, “Veredinhas” e outros encontros que trabalham libertação e cura pretende-se
incorporar as atividades, futuramente, se achar-se necessário.
Alguns Deixamos claro que não é Possível deixarmos os LCCs liderando sozinhos uma Célula, mas
seus pais lhe darão apoio no momento em que acontecer. Eles não precisam ficar o tempo todo junto, mas
presentes de vez em quando. Caso eles não possam por serem lideres da Celula de adultos, podem
destacar alguém para estarem com eles.A multiplicação das Células de crianças obedecerá aos critérios
feitos pela direção da Igreja, ou caso a caso.

CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO DAS CÉLULAS DE CRIANÇAS

DATAS
ATIVIDADE
JULHO/DOM AGOSTO/ TERÇAS
REUNIÃO COM LÍDERES DE 13
CÉLULAS DE CRIANÇAS
REUNIÃO COM OS PAIS DOS 27
LÍDERES
L. C. C. DE MARÍLIA 05
ESTRUTURA DA CÉLULA 12
TSD 17
HISTÓRIA DAS CÉLULAS 19
GE DE CRIANÇAS 22
CONSOLIDAÇÃO 02

Capacitação em Células Infantis | 3


DISCIPULADO 09
LEALDADE 16

REUNIÃO: 1º. Domingo do Mês – Reunião com Pais Discipuladores. Aproveitando que os pais vêm para a
Ceia.

MINI – LISTA DE MATERIAL DA CÉLULA DE CRIANÇAS “Aquisição própria”


O QUE A CÉLULA PRECISA ADQUIRIR?
 Cola grande
 Tesouras com pontas redondas
 Lápis preto + Borracha
 Giz de cera
 Resma de folha A/4
 A Revista Oficial e atual
 Caixa para arquivar os objetos
 Utilidades: balão / palito de picolé / balas / caixinhas de fósforo).
 Potes de sorvete
 Abertura para pergunta e discussão!
 Uniforme – jaleco com vários bolsos + crachá (valorização)
 Cada célula terá uma apostila com a ordem cronológica da célula em imagens (folha geral) +
apostilha com a ordem em cada folha explicando com textos bíblicos, explicações, ideias, dicas, ...(serão
entregues nas visitas às células). A apostila será em forma de brochura.

COMBINADOS DA CÉLULA
1. Chegar e ir no horário combinado.
2. Ficar somente nos locais da reunião.
3. Brincar somente com o que o dono da casa permitir.
4. Não fazer barulho que incomode os donos da casa e vizinhos.
5. Limpar todo o local utilizado.

GERENCIAMENTO DA CÉLULA:
1. O líder sempre deverá calcular o número de crianças na hora da multiplicação da célula.
2. Todos os membros da célula devem participar do rodízio de facilitados de crianças no encontro
da célula, apenas os casais recém recebidos não entrarão no rodízio.

4 | Pr Aldezir Mota Soares


3. Mesmo que na célula, tenha apenas uma criança, deve se fazer o rodízio, para que esta criança
também seja assistida, e os três pilares (celebração, lar, célula) sejam completos.
4. Incluir música infantil na adoração na célula.
5. Desde a primeira reunião, deve-se ter um facilitador para as crianças.
6. O líder da célula é o líder espiritual das crianças e tem que cuidar de suas necessidades.


PROGRAMA DA CÉLULA DE CRIANÇAS
 Abertura e boas vindas: fazer uma breve reflexão sobre o dia e dar boas vindas a todos. (Informal)
 Momento da Conexão: Perguntas aleatórias sobre qualquer fato e acontecimentos na vida dos
membros da família. (Escola, trabalho, igreja, trânsito, parentes). Momento de conectar ao outro pelo
falar/ouvir.
 Momento do lanche: Distribuir com muito cuidado e atenção. Antes ou no final da célula.
 Momento do Quebra Gelo: Momento de criar ou realizar uma brincadeira com o propósito de deixar
todos à vontade.
 Momento da Dinâmica: Dinâmica com a finalidade de fazer uma aplicação prática para a vida e refletir
sobre nossas atitudes.
 Momento do Tema: Chamada para a curiosidade. Ler o versículo extraído do próprio texto Bíblico para
ser compreendido e memorizado por meio de atividades e recursos.
 Momento do Louvor: Música infantil e com coreografias dinâmicas.
 Momento dos Testemunhos: Todos devem compartilhar do que Deus fez e está fazendo nas suas vidas.
 Momento da Missão: Comentar profundamente sobre notícias, missões e o sustento missionário.
 Momento da Leitura da Bíblia: Leitura pré-história. Texto lido para dar ênfase à história que será
contada, introduzindo o assunto.
 Momento da Mensagem (Palavra): (História, Teatro, Fantoches, 100% visual). Use a criatividade que
Deus lhe deu e some as experiências que você já passou com Deus.
 Momento da Troca de experiências:A criança terá a oportunidade de expressar seus sentimentos e
sugestões sobre o princípio estudado, que envolve a vida real e prática dela.
 Momento dos Pedidos de oração: Todos terão a oportunidade de falar dos seus anseios, dificuldades,
problemas e desejos diante de Deus. (todos deverão orar individualmente pela vida de cada integrante
da família).
 Momento da Ministração e oração: Ore com fervor e com palavras de bênçãos sobre a vida de cada um
da família. (Seja específico e profundo na oração).
 Momento das Atividades (Trabalho manual):É a prática e fixação do princípio proposto por meio de
pequenas atividades e dinâmicas.
 Encerramento: Abraços e comunhão.

Capacitação em Células Infantis | 5


DICA:TESTEMUNHO: NA ESCOLA (uma ou duas crianças podem compartilhar a cada semana):

 Pedir que uma criança compartilhe sobre a escola.


 Falar sobre seu professor, colega, etc.
 Há alguns cristãos lá?
 Como é na escola? Exemplo: difícil, fácil e por quê?
 Pedir que elas se sentem no centro, outras impõem as mãos e oram.
ARTICULAR AS CRIANÇAS E LÍDERES EM UM ORGANISMO VIVO DE MODO QUE:
 A célula deve a extensão viva da igreja para as crianças.

 Os membros das células são o corpo de Cristo unido.

 Líderes não são ajudantes externos, mas sim parte do corpo.

 Crianças não são receptores passivos, mas participantes ativos.

 Eles próprios expressam Cristo uma as outras.

PREPARANDO A ATIVIDADE DA CÉLULA


• Leia sua lição com as crianças em mente.
• Pense a respeito de como desenvolverá a atividade.
• Sempre tenha em mente a verdade Bíblica e a aplicação.
 Lembre-se de terminar o tempo juntos repetindo o conceito chave ao mesmo tempo em que
vocêincorporaos comentários das crianças e o que elas compartilharam no grupo.
• Ore no final

FAZENDO COM QUE TODOS NO GRUPO PARTICIPEM:


• Você pode sortear os nomes de dentro de uma caixa ou saco.
• Você pode jogar uma bola para a criança que irá responder
 Você pode combinar gestos e mímicas para designar a próxima criança que irá participar. A
criança que responder à pergunta joga uma pedrinha em uma lata
• Coloque números nos chapéus e faça o sorteio

COLECIONANDO RESPOSTAS:
 Comunique para as crianças que as respostas de todos são importantes e que nós aprendemos
uns dos outros.

LEMBRAR:

6 | Pr Aldezir Mota Soares


 Formação Espiritual = Vidas transformadas.
 Jesus gastou três anos de sua vida com seus discípulos.
 Ele estava constantemente conectado com eles.

CÉLULAS DE CRIANÇAS+GERAÇÕES INTEGRADAS

VISÃO:3 Pilares = 1. Celebração | 2. Lar | 3. Célula


1 - CELEBRAÇÃO: As crianças têm um material dinâmico, com tema único para todas as faixas etárias
e são reunidas por idade para a orientação da palavra.Essa orientação é feita por meio do conhecimento,
da prática e da expressão dos sentimentos.A celebração infantil é realizada em com palavra, atividades,
lanche, teatros, dinâmicas, louvor, etc.
2 - LAR: Para esse momento, o material infantil propõe um encontro dinâmico entre pais e filhos, no
qual, como família, existirá a oportunidade de expressões espontâneas, confissões, acertos, perdão,
dúvidas, questionamentos, aconselhamentos, amor... para as crianças de 7 a 12 anos existe o material de
apoio em forma de devocional, visando a prática do princípio no dia a dia.
3 - CÉLULA: A célula propõe os mesmos objetivos dos adultos e funciona por meio de rodízios entre
pais como facilitadores para as crianças e agora com míni-lideres infantis e pré-adolescentes. Cada semana
um casal diferente é responsável para ministrar as crianças. O assunto trabalhado será a verificação do
princípio orientado na celebração.
1. Nós estamos afastando as crianças de Cristo quando nós não promovemos o ambiente propício a
elas.
2. As crianças de hoje não serão a igreja de amanhã, se elas não forem a igreja hoje. Elas se
afastarão, pois hoje, para elas, tem sido tedioso ficar na igreja.
3. Não estamos valorizando o louvor das crianças
4. Não estamos valorizando a oração das crianças
5. Precisamos nos importar com as crianças, fazendo-as se sentirem parte do grupo, elas também
são parte do Corpo de Cristo.
6. Salmo 78: Passar conhecimento e vida a outras gerações.

ENSINANDO PRINCÍPIOS
1. Ensino através de PRINCÍPIO
2. Precisamos enviar a criança a ser praticante da palavra, levando-a a mudança de comportamento.
3. Passar apenas UM PRINCÍPIO por semana
4. Dar prioridade a vida espiritual das crianças. Pastoreá-las. (Pastorear nossos filhos e as crianças
das nossas células).

Capacitação em Células Infantis | 7


5. Quando os pais entendem que a responsabilidade do ensino aos filhos é deles, e o faz, com
certeza a vida espiritual dos filhos será muito mais produtiva.
O ensino por princípios é um método implantado por Jesus que faz das verdades da Palavra de Deus
a base da nossa fé em Cristo. Qual é a diferença entre aprender as coisas em casa e aprender na escola? O
aprendizado na escola tende a ser racional e social, de modo que a criança se encaixe na sociedade como
uma pessoa útil e produtiva, por exemplo, para ser um bom profissional. Já o aprendizado em casa
acontece de modo natural, pela observação, por relacionamentos, disciplina e por habilidades.
A família se preocupa com o tipo de pessoa que a criança será, por exemplo, um bom cônjuge, uma
pessoa íntegra. Sendo assim, o aprendizado espiritual se parece mais com o aprendizado familiar, e tem
como objetivo levar as crianças a viverem como cristãos conforme a sua idade, por exemplo, no bom
exercício do ministério para o qual foram chamados...

RESPONSABILIDADES:
1. PAIS – Educação e educação espiritual
SACERDÓCIO DOS PAIS: Deus criou primeiro o homem e deu a ele a capacidade de ser esposo e
pai. Deus fez a mulher e deu a ela a capacidade de ser esposa e mãe. Dessa forma, Deus instituiu o
lar, por meio da união entre homem e mulher. Deus criou um ambiente caloroso, amoroso em que
a criança deveria nascer e ser criada com segurança, proteção e provisão, tendo suas necessidades
atendidas. Para Deus, ninguém recebeu maior capacitação do que os pais para a educação,
ministração e orientação de seus filhos.
Ninguém ama mais a criança que seus pais. São eles que, de forma natural, determinam os valores,
os conceitos, a visão de mundo para os filhos. Então, quem é mais capacitado que os pais para a
tarefa do ensino para as crianças? Existe algum ambiente mais influente que o próprio lar? Existe
um método mais eficaz que o natural

2. IGREJA - Orientação aos pais para educação


CONSCIENTIZAÇÃO (PREPARO DA IGREJA)
 Estruturar os pais quanto ao sacerdócio. O pai deve assumir a postura de discipulador do filho.
 Treinamento para facilitadores para que eles aprendam a ensinar princípios.

 Trabalhar o material do lar, ensinando os pais a fazerem o culto doméstico e o devocional.


 Treinamento com os líderes de célula (adultos, crianças e pré-adolescentes).

 Treinamento dos membros das células pelo líder.

3. CÉLULAS - Suporte dos pais para a educação (Acompanhamento / Verificação)

4. Ensinar as crianças "NO" caminho e não só "O" caminho.

8 | Pr Aldezir Mota Soares


| 9
Capacitação em Células Infantis
FACILITADORES DE CRIANÇAS - (NAS CÉLULAS E NA CELEBRAÇÃO)
1. AMIGOS: Agem como membros da sua família
2. MODELOS: mostram às crianças como o cristão age
3. ORIENTADORES: Tornar mais fácil para a crianças aprender e orar
4. PASTORES: Cuidam das crianças com problemas e em crise.
5. As crianças precisam de facilitadores que as ajudem a servir à Jesus e às outras pessoas
6. As crianças precisam de Conselheiros: que as escutem com amor e falam com o coração, tendo a
preocupação com os seus sentimentos.
7. As crianças precisam de facilitadores que as amem. Seja flexível, informal, autoridade serena, seja
divertido. Vá a preparado! (Vestido de forma adequada para movimentação) para sentar-se no
chão, etc..

TEXTOS BÍBLICOS: PAIS & FILHOS


A coroa dos velhos são os filhos dos filhos; e a glória dos filhos são seus pais. Provérbios 17:6

O justoanda na sua sinceridade; bem-aventurados serão os seus filhos depois dele. Provérbios 20:7

No temor do SENHOR há firme confiança e ele será um refúgio para seus filhos. Provérbios 14:26

O que gera um tolo para a sua tristeza o faz; e o pai do insensato não tem alegria. Provérbios 17:21

Castiga o teu filho enquanto há esperança, mas não deixes que o teu ânimo se exalte até o matar.
Provérbios 19:18

Castiga o teu filho, e te dará descanso; e dará delícias à tua alma.Provérbios 29:17

Mas a sabedoria é justificada por todos os seus filhos. Lucas 7:35

E vós, pais, não provoqueis à ira a vossos filhos, mas criai-os na doutrina e admoestação do Senhor.
Efésios 6:4

Tão-somente guarda-te a ti mesmo, e guarda bem a tua alma, que não te esqueças daquelas coisas
que os teus olhos têm visto, e não se apartem do teu coração todos os dias da tua vida; e as farás
saber a teus filhos, e aos filhos de teus filhos.Deuteronômio 4:9

E as ensinarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e
deitando-te e levantando-te. Deuteronômio 6:7

 

10 | Pr Aldezir Mota Soares


A GRANDEZA DO MINISTÉRIO EM CÉLULAS COM CRIANÇAS:
1. A Bíblia manda – Pv 22: 6; Sl 78; Dt 6: 7; At 26:22; Mc 16: 15; Ef 1:1; 6:1
2. Deus ama as crianças, Elas são alvos do Seu amor- Mt 18:14; Jo 3:16
3. Grande Maioria das pessoas se converte ao cristianismo entre 4 e 14 anos (85%).
4. A psicologia nos diz que 80% da inteligência está formada até os 08 anos.
5. A personalidade do indivíduo é formada até os 6 ou 7 anos.
6. A criança tem a sua vida inteira para servir a Deus.

COMO DEVEMOS NOS RELACIONAR PEDAGOGICAMENTE COM AS CRIANÇAS?

1. A criança que é sempre criticada aprende a condenar.


2. A criança que é sempre hostilizada aprende a agredir.
3. A criança que é sempre ridicularizada aprende a ser tímida.
4. A criança que é sempre envergonhada aprende a sentir culpa.
5. A criança tratada com tolerância aprende a ser paciente.
6. A criança que é encorajada aprende a apreciar.

RESULTADOS DE UM BOM ENSINO NA VIDA DA CRIANÇA

1. A criança que recebe um tratamento imparcial aprende a ser justa.


2. A criança que vive com segurança aprende a ter fé
3. A criança que é aprovada aprende a gostar de si mesma.
4. A criança que vive em meio à aceitação e amizade aprende a descobrir o amor.

Capacitação em Células Infantis | 11


ORIENTAÇÕES GERAIS PARA CÉLULA DE CRIANÇAS:
 (Quando a maioria for de 09 a 11 anos). Quando necessário as crianças podem participar do louvor
com os adultos Mesmo após a divisão deverá fazer o louvor com eles.

 (Quando a maior parte de crianças forem de03 a 8 anos).Fazer a divisão (momentos) no início da
célula de casais já iniciando a célula infantil.
 O Lanche deverá ser servido após a célula: (Quando a maioria for de 09 a 11 anos). Pois já estarão
enturmados e mais à vontade.
 Lanche no início da célula. (Quando a maioria for de 03 a 8 anos).

 Crianças de 0 a 2 deverão ficar com os pais. (Devido à fase em que a criança precisa intensamente
da presença materna e choram fácilmente com a presença de outros adultos).

 FAIXAS ETÁRIAS NA CÉLULA


 03 a 08 anos –Participantes – OVELHAS (sempre explicar o valor de ser ovelha).
 09 a 11 anos -Auxiliares MINI SERVOS (Sempre explicar o valor de ser Servo).

ADICIONE A PALAVRA: “IGUAL AOS ADULTOS”


Qualquer questão você deve começar perguntando "O que faríamos se fosse um adulto?" E você
perceberá que a mesma resposta é geralmente verdade!

* O que é a célula de crianças? "igual aos adultos!"


* Trate as suas contribuições seriamente, peça opiniões e ideias, ”igual aos adultos!"
* Use criatividade, ”igual aos adultos!"
* Não faça a reunião focada nas crianças — mas focada em Jesus, ”igual aos adultos!", etc.

12 | Pr Aldezir Mota Soares


PROGRAMA DE CÉLULA (VERSÃO 2)
1. RECEPÇÃO E INTEGRAÇÃO: Receber as Crianças no primeiro Momento (rodinhas).

2. CONEXÃO: Perguntamos os nomes de todas as crianças e nos apresentamos. Explicamos os motivos


da célula infantil, lemos os mandamentos da célula infantil e ouvimos as crianças.

3. APRESENTAR OS VISITANTES: Apresentar por nome as crianças que nos visitam.

4. QUEBRA GELO:(Brincar com propósito) Fazer uma dinâmica com propósito de envolver todas as
crianças e introduzi-las na comunhão dos amiguinhos. (tirar a tensão e energia).

5. ABERTURA OFICIAL:(Dinâmicas)Dinâmica ou movimento, com o objetivo de preparar o Ambiente.


(relacionar com a Mensagem – Fazer aplicações rápidas e diretivas).

6. LOUVOR E ADORAÇÃO: (CD’s, violão e instrumentos músicas). Deixamos claro para as crianças que
Deus recebe com alegria seus verdadeiros adoradores, e são esses que Ele procura.

7. MOMENTO DA OFERTA:(mostramos na Palavra a importância da oferta). Ensinamos que Deus quer o


melhor para Ele. Incentivamos a economizar o dinheiro do lanche [picolés, chicletes, refrigerantes].
Ensinamos que elas podem trazer brinquedos, roupas e jogos e ofertem a Deus. Este ato ensina-os a se
desprenderem dos bens matérias e a não se apegarem a objetos Ml. 3:10.

8. EDIFICAÇÃO: (Ler junto com as crianças) -(TEXTO / VERSÍCULO CHAVE / PRINCÍPIO BÍBLICO / ALVOS)
= ESTUDO:Retransmitimos, com algumas adaptações, o que foi ministrado no culto de celebração
infantil no domingo à noite, fazendo aplicações práticas e com desfecho evangelístico.

9. MOMENTO DO ENCONTRO (REFLEXÃO):As crianças comentam e explanam seus pensamentos e


entendimento da mensagem que foi lhes passada. Perguntamos: Como vocês poderão aplicar o que
foi ensinado nas suas vidas durante a semana? O que podem fazer para que o reino de Deus seja
expandido e Deus seja glorificado?... Momento de total devoção a Deus.

10. INTERCESSÃO: (cadeira da Benção) – Travamos uma batalha espiritual com uma roda de Oração, e
uma cadeira no meio. Nesta cadeira, que chamamos de cadeira da benção, as crianças sentam e
recebem oração como também oram umas pelas outras.

11. MOMENTO MISSIONÁRIO: Orar pelos missionários e os filhos dos missionários. (trazer informações do
campo missionário e das juntas de missões - JMM – JMN – Portas abertas).

12. COMPARTILHANDO A VISÃO = (EVANGELISMO E APELO):(convite para que a criança entregue a sua
vida a Jesus) – Livro sem palavras> Esta é a oportunidade que damos durante a célula para que as
crianças assumam um compromisso com Deus e decidam servi-lo em amor, dedicação, culto, estudo
da palavra e vida espiritual ativa.

13. ATIVIDADE:(MANUAL OU DINÂMICA): Realizamos um trabalho manual proposto pela revista ou


algumas dinâmicas de aplicação direta, com objetivo de reafirmar a palavra ministrada na edificação.

14. PARTIR DO PÃO: (Lanche) – Esta é a oportunidade de comunhão, interação e valorização das
crianças. Esse momento não pode faltar, mesmo que seja um lanche simples(pipoca e suco). Nas
festas de aniversário, quando ocorrer, os pais devem avisar os líderes/facilitadores.

Capacitação em Células Infantis | 13


ROTEIRO ALTERNATIVO PARA CÉLULAS DE CRIANÇAS

1- Abertura: Dinâmica ou brincadeira, com o objetivo de preparar o ambiente. (Quebra gelo)

2- Louvor e Adoração: (CD’s ou instrumento). Deus recebe com alegria seus adoradores, Ele procura-os.

3- Oferta: (mostre na Palavra a importância da oferta. Deus quer que elas deem o melhor para Ele.
Incentive-as a economizar dinheiro de lanche [picolés, chips, refrigerantes]. Podem também trazer
brinquedos, roupas e jogos para que ofertem a Deus e aprendam a se desprender das coisas); I Cr. 29:6,
9,16.

4- Intercessão: – Faça batalha espiritual ou use a Roda de Oração para Crianças.

5- Ministração da Palavra – Repita o que foi ministrado na Rede, fazendo aplicações práticas e com
desfecho evangelístico.

6- Comentário - Deixe que elas falem como poderão aplicar a Palavra nas suas vidas durante a semana.

7- Apelo (convite) – Uma oportunidade para que elas assumam novo compromisso com Deus, e que os
novos façam sua decisão por Jesus.

8- Atividade Manual – Pode ser feito um trabalho manual com objetivo de firmar a palavra ministrada.

9- Partir do Pão (Lanche) – Oportunidade de comunhão e convívio. Opcional ou quando ocorrer


aniversariantes ou outra comemoração.

Extraído e adaptado da revista “A Turma do Tremendinho”

14 | Pr Aldezir Mota Soares


CRONOGRAMA DA REVISTA DE CÉLULA
1. INTRODUÇÃO TEOLÓGICA: Estudo explanado de toda a revista, nas questões gerais que serão apresentadas
nos próximos quatro meses. (Atualização e Edificação do Facilitador).

2. PANORAMA DIDÁTICO: Lista de providências e materiais a serem arrecadados e preparados com


antecedência para cada encontro. Planejamento e pro-atividade.

3. TEXTO BÍBLICO: Texto base. Precisa ser lido na diretamente na Bíblica com ênfase!

4. VERSÍCULO CHAVE: Refere-se ao princípio extraído do texto completo.

5. PRINCÍPIO BÍBLICO:Leva a criança a fazer uma aplicação prática para a vida. E durante a semana.

6. ALVOS:As três áreas que precisamos atingir na vida da criança: SABER – SENTIR – PRATICAR.

7. BREVE ESTUDO DO TEXTO:Fatos principais que aparecem no texto Bíblico.

8. INFORMAÇÃO E DEVOCIONAL:Fatos históricos, culturais e teológicos para o embasamento espiritual do


facilitador.

9. ABERTURA:Momento de recepção das crianças e motivação para as atividades que se seguem.

10. CONTEÚDO BÍBLICO:É a apresentação do texto Bíblico selecionado para o encontro, tendo como ênfase o
princípio estabelecido, que enriquece a apresentação da história.

11. VIVÊNCIA:Verificação do estágio em que a criança se encontra, permitindo a interação do facilitador na vida
da criança.

12. TROCA DE EXPERIÊNCIAS:A criança terá a oportunidade de expressar seus sentimentos e sugestões sobre o
princípio estudado, que envolve a vida real e prática dela.

13. VISITANTES:O visitante é envolvido na dinâmica do encontro.

14. REFORÇO:É a prática e fixação do princípio proposto, por meio de pequenas atividades e dinâmicas.

15. MEMORIZAÇÃO:A cada semana um versículo é extraído do próprio texto Bíblico para ser compreendido e
memorizado por meio de atividades e recursos.

16. MOMENTO DO ENCONTRO:Momento separado para dedicar total atenção à Deus, com orações, cânticos e
expressões de gratidão

17. PRESENÇA:A presença ajuda a criança a relembrar o princípio e incentiva a frequência.

18. DICAS:Sugestões e lembretes para o relacionamento do facilitador com a criança e melhorar a aplicação do
programa.

19. MATERIAL:Relação de materiais que o facilitador precisa providenciar com antecedência para produzir a
lição enriquecer e melhorar o visual e a dinâmica.

20. RED:(RECURSOS DIDÁTICOS) = Material para reprodução (Xerox). Ficam no final da revista e podem ser
facilmente identificados, pois levam os números da lição.

21. COMPARTILHANDO A VISÃO: Comprometer-se com a visão de alcançar outras crianças para Jesus.

Capacitação em Células Infantis | 15


COMO SER UM EXCELENTE LÍDER DE CÉLULA DE CRIANÇAS?
1. Espaço e ambiente organizados previamente: (ventilado, cadeiras organizadas, decoração,
história no painel, versículo amostra).
2. Oração em equipe
3. Organização geral do ambiente e objetos.
4. A cada célula lançar novos desafios para as crianças.
5. Interaja com as outros líderes e avalie o quetem dado certo e como proceder.
6. Mantenha sempre o foco na lição, não deixe escapar assuntos paralelos ou que dispersem as
crianças.
7. Não gaste tempo: chamando a atenção de crianças, pedindo atenção.
8. Seja dinâmico e envolva as crianças na célula, tornando todos participativos e importantes.
9. Tenha cosmo-visão de tudo que se passa na célula e nos bastidores dela.
10. Aprenda o nome das crianças e conheça pessoalmente seus pais.
11. Avise o supervisor e o seu líder de célula dando feed-back de todos os imprevistos e ideias que
estão dando certo.
12. Oriente os pais na mudança de seus filhos e no bom comportamento: Sempre com muita
sabedoria.
13. Cheguemno mínimo trinta minutos antes do início da célula.
14. Presenteie sempre as crianças que estão destacando-se, não deixando transparecer suas
preferências.
15. Organize os materiais e faça periodicamente reuniões de planejamento com o núcleo da célula.
16. Seja criativo e não se permita desmotivar-se, seja ousado (a) e tenha liberdade de ousar.
17. Cadastre as crianças que estão se achegando ou visitando a célula infantil
18. Ore com as crianças antes e depois da célula infantil.
19. A cada encontro pense em realizá-la de forma Criativa.
20. Presenteie sempre as crianças com brindes e lembrancinhas. *(isso os mantém motivados).

AÇÕES PREPARANDO A CÉLULA OU O ENCONTRO


 Som, microfone, cadeiras, visuais, cabos, DVD, pedestal, violão (sempre montados previamente). Faça tudo
com proatividade; faça o que precisa ser feito; faça uma check-list das atividades diárias, e não deixe de fazer
hoje o que você precisa ser feito hoje!
 Jamais fale com as crianças de forma agressiva ou em intensidade assustadora. Você não tem o direito de
determinar o comportamento de uma criança de forma negativa. Ex: palavras degenerativas, preconceituosa,
agressiva, rebaixando a autoestima.

16 | Pr Aldezir Mota Soares


 A recepção é o cartão postal da célula. Conectar as crianças ao ambiente. A primeira impressão é a que fica!
Os primeiros 3 a 5 minutos que você inicia uma fala (oratória) é que vai determinar se a pessoa decidirá te
dar atenção ou não. (A empatia é criada pela curiosidade, surpresa, novidade, entusiasmo, atualidades da
vida).
 Ore consagrando o local da célula, no momento e durante a semana. Você estará fazendo o que poucos
fazem, terá resultados que poucos têm, e chegarão aonde poucos chegam.
 Ungir as crianças na célula.
 Procure usar bases Bíblicas para os conselhos que vai dar para as crianças.
 Antes de cada planejamento visualize a sua célula acontecendo.
 A célula é um momento espiritual para as crianças. Assuntos do mundo secular ela aprende na escola. Então
cuidado facilitador em não se perder em assuntos banais e paralelos.
 A célula precisa proporcionar à criança: (5 princípios áureos): 1. Ter vontade de ler a Bíblia, 2. Ter ousadia na
oração, 3. Relacionar-se com Deus, 4. Relacionar-se com o próximo, 5. Evangelizar seus amiguinhos não
crentes.
 Qual o segredo de liderar crianças? Ter paciência! Ser espontâneo planejado.
 Toda vez que você ama alguém ela se desarma. A única arma no mundo que não tem defesa.
 A palavra branda acalma o Espírito, mas a palavra áspera suscita ira.
 Aprenda a separar a criança (indivíduo = imagem e semelhança de Deus) do seu comportamento (ações =
pecado).
 Não rejeite as crianças e não se sinta rejeitado por elas. (Abraço e valorização incondicional).
 3 Princípios: Deixe as crianças falarem... delegue funções e lance desafios...
 Aprenda o certo: faça o cronograma à risca. Após ter segurança você pode usar a criatividade!
 Valorize as crianças, elas são o centro da atenção e não você: Deixe-os fazerem; falarem; cantarem. Motive a
participação, ouça com amor. Dê ouvidos a eles com olho no olho.
 Use a criatividade (Criar + Atividade)
 Facilitadores não são pregadores nem professores: FACILITAR: a comunhão; facilitar o compartilhar; facilitar
a oração; facilitar o relacionamento com Deus; facilitar o envolvimento mútuo; facilitar a oferta; facilitar a
vontade de crescer; facilitar o repartir o pão; facilitar a educação; facilitar a espiritualidade; facilitar a
reverência.
 O tempo da célula é de 1h30 e no máximo 2h (duas horas). As células que tem criança precisam ter essa visão
devido às atividades infantis limitarem os facilitadores e evita a frustração.
 A época da infância é um tempo de investimento para a vida toda. Por isso os pais precisam se planejarem
para serem pais espirituais, tanto o planejamento financeiro como o emocional e o intelectual.
 Criança você forma, adulto você reforma.
 A palavra nas células de crianças deve seguir ao modelo dos adultos: Simplificado e com criatividade
adicional. As crianças conseguem aplicar a Palavra às suas vidas na mesma proporção.
 Dependendo do estudo da célula, ao chegar o momento dos testemunhos, as crianças podem fazer uma
junçãocom os adultos, eles podem compartilhar o que o Espírito Santo fez em seus respectivos grupos. (Isso
pode variar de semana para semana).

Capacitação em Células Infantis | 17


ESTRATÉGIA PARA MELHORAR A MENSAGEM BÍBLICA (HISTÓRIA)
1. História com personagens reais (usando as próprias crianças).
2. História teatralizada.
3. Utilização de fantoches.
4. Uso de flanelógrafo
5. Livro de Figuras
6. Gravuras
7. Qualquer objeto pode se transformar em personagem ou ambiente dahistória.
8. Data-show (vídeos, Power points) e jogos computadorizados e de animação.

*******

FORMAÇÃO DO NÚCLEO DA SUA CÉLULA

1. O QUE É O NÚCLEO DE LIDERANÇA DA CÉLULA?


Chamamos de núcleo aquele grupo de pessoas da célula que ajudam o líder a liderar a célula. O bom
líder jamais lidera sozinho, mas mobiliza aquelas pessoas mais “fortes” e comprometidas para liderar o
grupo juntamente com ele. (1. Líder – 2. Líder em treinamento – 3. Líder de louvor – 4. Líder de Missões –
5. Secretário). Obs. “Todos os que que ajudam o líder a liderar”

2. EXEMPLOS BÍBLICOS DE UM NÚCLEO DE LIDERANÇA


 O núcleo da “célula” de Moisés (Êxodo 18.13-26).Jetro, orientou seu genro Moisés a recrutar
homens tementes a Deus e maduros para ajudá-lo a liderar a nação de Israel. O núcleo da “célula” de
Moisés era composto por “homens capazes, tementes a Deus, dignos de confiança e não avarentos” (v.
21) que o ajudaram a cuidar de todo o povo de Israel, algo que ele jamais conseguiria fazer sozinho. Assim,
na célula, uma das funções do núcleo é ajudar o líder a cuidar dos membros da célula.
 O núcleo da “célula” de Jesus (Mateus 26.37-38). Jesus escolheu 3 discípulos(Pedro, Tiago e
João) para caminhar mais próximo dele. Várias vezes ele os separou para estarem a sós com ele (Mt 17.1;
Mc 3.37), Mais tarde, eles se tornaram os três grandes líderes da igreja cristã. Este era o núcleo da “célula”
de Jesus. Eles estavam preparados para ver e ouvir coisas que os outros ainda não estavam, inclusive
oraram por Jesus no seu momento de maior necessidade. O núcleo vai ser mais íntimo do líder, ajudando-o
e orando juntamente com ele nos momentos cruciais.

18 | Pr Aldezir Mota Soares


BENEFÍCIOS DO NÚCLEO DA CÉLULA
1. O NÚCLEO AJUDA A CUIDAR DOS MEMBROS DA CÉLULA.
O líder deve delegar para as pessoas do núcleo o cuidado dos membros da célula. Cada membro do
núcleo vai ficar responsável por ligar ou visitar pessoalmente uma ou duas pessoas da célula naquela
semana, orar com ela por telefone, e depois prestar contas ao líder sobre como ela está, como um pré-
discipulado. Assim, todos serão cuidados! No futuro, isso ajudará o líder a estabelecer o discipulado
definitivo.

2. O NÚCLEO AJUDA A ORAR PELOS PROPÓSITOS DE DEUS


O líder deve compartilhar os sonhos de Deus com os membros do núcleo, afim de orarem com o
mesmo coração e fé por cada propósito para aquela célula. Pedro, Tiago e João foram chamados a orarem
junto com Jesus num ambiente privado, longe dos outros discípulos em um momento muito crucial(Mateus
26.37-38). Assim também o líder deve, em um ambiente separado da célula, reservado somente para os
mais próximos, comunicar claramente os propósitos de Deus para a célula, como a sua multiplicação,
batismos e discipulado. As pessoas poderão ajudar o líder a orar diariamente pela multiplicação da célula,
pelo crescimento de cada pessoa, nome por nome, pelos batismos, pela salvação dos perdidos, etc.

3. O NÚCLEO AJUDA A CONDUZIR A REUNIÃO DA CÉLULA


O líder deve envolver o núcleo também na reunião da célula, repartindo atividades e delegando
funções para que todos liderem com ele. Enquanto um membro do núcleo fica responsável pelas boas-
vindas na porta da casa, outro é o responsável por iniciar a célula com uma oração cheia de fé, o outro vai
orar impondo as mãos sobre as pessoas. É importante que as funções sejam alternadas de um encontro
para outro, de modo que todos sejam experimentados em todas as áreas. Todos tem dons espirituais! Deus
deseja usar a todos!

4. O NÚCLEO AJUDA A CÉLULA A ALCANÇAR SEUS ALVOS


Os membros do núcleo não vão somente orar pelos alvos da célula, mas também se envolver
ativamente no trabalho. Se a célula deseja começar grupos de evangelismo, os membros do núcleo
poderão liderá-los. Eles darão ideias úteis para realizar eventos importantes, organizar momentos de
comunhão fora da reunião da célula (como um cinema, churrasco, etc), preparar as pessoas para o
batismo, discipular os membros da célula. As boas ideias do núcleo são sempre bem-vindas, mas o líder da
célula é quem dará a palavra final.

5. UM NÚCLEO FORTE E CRESCENTE É A CHAVE PARA A MULTIPLICAÇÃO


Na biologia, a primeira estrutura a se multiplicar em uma célula são os componentes do núcleo. Sem
um núcleo, a célula ficaria desorganizada e deficiente. Por isso, o líder deve sempre convidar pessoalmente
mais pessoas para fazer parte do núcleo, afim de que ele cresça. Quando o núcleo estiver com muitas
pessoas fortes e bem treinadas, a multiplicação acontecerá rapidamente e com muito sucesso. O núcleo se
multiplicará em dois, e as duas células começarão a nova vida com lideranças bem formadas.

Capacitação em Células Infantis | 19


QUEM PODE PARTICIPAR DO NÚCLEO?
Convide para participar do encontro do núcleo membros da célula que:
 São fiéis em participar da reunião da célula;

 Entenderam o propósito da célula e do Reino de Deus;


 Demonstram responsabilidade e compromisso nas pequenas coisas;

 Demonstram algum nível de crescimento espiritual, mesmo que sejam novos convertidos
(muitas vezes os novos convertidos demonstram mais amor e compromisso do que cristãos antigos, então
fique atento).

NOVOS CONVERTIDOS TAMBÉM DEVEM PARTICIPAR DO NÚCLEO


Pessoas recém-chegadas à célula também podem ser parte do núcleo, desde que já tenham
entregado a vida a Jesus. Em Lucas 9, Jesus enviou seus doze discípulos a pregarem o evangelho do Reino e
curar os enfermos. Eles só poderiam fazer isso por causa da autoridade delegada de Jesus. Pouco depois,
em Lucas 10, Jesus enviou não doze, mas setenta discípulos! De onde esses cinquenta e oito novos
discípulos vieram? Os estudiosos confirmam que estes são novos convertidos, frutos da primeira viagem
dos discípulos em Lucas 9. Eles haviam recebido o evangelho e deixaram tudo para seguir a Jesus. Assim
que eles chegaram ao grupo dos discípulos, Jesus os enviou para o trabalho e compartilhou com eles a
mesma autoridade delegada aos doze.

ATENÇÃO! Não espere os novos convertidos “esfriarem” no primeiro amor para envolvê-los no
trabalho. Se eles estão demonstrando compromisso, dê a eles responsabilidades menores e eles se sairão
muito bem. A única coisa que eles precisam é da autoridade delegada de Jesus, e do seu convite para
ajudar.

COMO CHAMAR ALGUÉM PARA PARTICIPAR DO NÚCLEO?


 Chame a pessoa para uma rápida conversa particular depois da reunião (ou por telefone
durante a semana);

 Honre muito a pessoa pela sua fidelidade e compromisso. Demonstre muita gratidão!
 Abra o coração sobre os propósitos maravilhosos de Deus para a célula.

 Diga a ela que você gostaria muito de contar com as suas ideias e dons para ajudar a fazer dessa
célula, a melhor célula do mundo.
 Fale sobre o encontro do núcleo.

 Esteja sempre atento a novas pessoas para participar do núcleo. Sempre que identificar
alguém que tem crescido em compromisso na célula, que está se “soltando” mais, não perca tempo e
chame-a para ajudar.

20 | Pr Aldezir Mota Soares


TOQUE O CORAÇÃO
No livro “As 21 Leis Irrefutáveis da Liderança”, John Maxwell ensina que um líder deve tocar o
coração antes de pedir ajuda. Isso significa que você precisa explicar não só “o que fazemos”, mas
principalmente “o porquê fazemos”. Antes de pedir que alguém faça uma visita a outra pessoa, explique o
porquê uma visita é tão importante. Conte uma experiência de alguma visita que você fez ou recebeu, e
como isso foi abençoador. Quando pedir para alguém discipular outro, conte um testemunho de como isso
é maravilhoso, e o quanto isso tem agregado à sua vida. Resumindo, mostre o seu coração aos seus
liderados. Não fale só de tarefas humanas, mas de propósitos espirituais. Não fale só sobre o que vai
acontecer na próxima semana, mas como essas ações mudarão a eternidade.

PROMOVA UM ENCONTRO DO NÚCLEO DA CÉLULA


É muito importante fazer um encontro mensal com o núcleo. Ele deve ser curto, objetivo, cheio de
unção e amor. Pode ser uma hora antes de começar a célula, um almoço de domingo, um café da manhã
no sábado, o que você achar melhor. Tome cuidado para não querer falar tudo em apenas um encontro. Às
vezes uma grande quantidade de assuntos atrapalha a compreensão das pessoas, então, seja bem objetivo.
Neste encontro você vai:

1. AGRADECIMENTOS E HONRA
Seja sempre grato! Jamais comece qualquer reunião sem agradecer (e MUITO!) A presença e a vida
das pessoas, uma por uma. Elas são mais importantes do que o trabalho que desempenham. Busque essa
marca de ser sempre muito amável, muito agradecido, muito humilde.

2. PASSAR A VISÃO
Tudo o que fazemos não é para a Primeira Igreja Batista, nem para o Pr. Gilson, mas para JESUS!
Lembre as pessoas que a visão da igreja é ser uma igreja apaixonada por Deus e por pessoas, que
desejamos ver muitos perdidos sendo salvos para a glória de Deus. Vale muito a pena trabalhar pra Jesus!

3. AVALIAR A REUNIÃO DA CÉLULA


Peça a opinião deles sobre o que vocês podem melhorar na reunião. Fale sobre ter uma reunião
curta (1 hora e 15 minutos no máximo) para ter mais tempo para a comunhão. Procure ser bem objetivo
neste ponto para não gastar muito tempo.

4. ENSINAR A CONDUZIR OS MOMENTOS DA CÉLULA


Ensine como cada momento da célula deve ser realizado (por exemplo, quem compartilhar a palavra
deve fazer boas perguntas para fazer todos participarem). Em seguida, divida as tarefas das próximas
reuniões. Informe quem ficará responsável pelos boas-vindas, oração inicial, louvor, momento de

Capacitação em Células Infantis | 21


testemunhos, passar a visão, ministração da Palavra, oração pelos pedidos e avisos. Depois da reunião,
agradeça a cada um e dê um “feedback” sobre seu desempenho e no que ele pode melhorar.

5. MULTIPLICAR O “PASTOREIO”
Faça uma lista de todos os membros da célula, em seguida, coloque cada um do núcleo como
responsável por cuidar pessoalmente de um ou dois nomes da lista. O cuidado deve ter: no mínimo duas
ligações por semana, oração diária por aquela pessoa e se possível uma breve visita durante a semana. Esta
é a maneira que vamos garantir que cada um será bem cuidado e que não iremos perder ninguém!

6. ORAR PELOS ALVOS DA CÉLULA - BOMD


Mostre às pessoas do núcleo os alvos da célula, que são:
B – Batizar no mínimo duas pessoas no ano
O – Omissão zero! Não perder ninguém;
M – Multiplicar no mínimo uma vez ao ano;
D – Ter quatro discipuladores na célula
Depois de mostrar os alvos, avaliem se vocês estão alcançando ou não. Não se esqueça de ter um
tempo de oração precioso por cada alvo, pedindo a Deus poder do Espírito Santo e estratégias espirituais
para alcançá-los.

7. MONTAR ESTRATÉGIAS
Existe uma diferença entre alvo e estratégia. O alvo é para onde você quer ir, a estratégia é como
você vai fazer para chegar lá. Se eu quero ir para a São Paulo, este é o meu alvo. A estratégia é: Pesquisar o
preço da passagem, economizar durante tantos meses, etc. Não adianta nada ter um alvo sem ter uma
estratégia. Veja dois exemplos:

EXEMPLO 01 | ALVO: BATIZAR NO MÍNIMO DUAS PESSOAS

 Estratégia 1: Será que há alguém na célula que ainda não se batizou? Vamos perguntar para cada um na
próxima reunião. Se houver alguém, vamos ministrar o curso de batismo. “Ricardo” ficará responsável
de ministrar o curso.
 Estratégia 2: A partir da próxima célula vamos ter um momento de orar em cada reunião pelas “cadeiras
vazias” e clamar a Deus que traga novas pessoas a nossa célula. “Joãozinho” vai conduzir esse momento
de oração.

 Estratégia 3: Vamos fazer uma escala de jejum, e cada membro da célula vai jejuar em um dia da
semana por novos convertidos na célula. “Carlos” ficará responsável por montar essa escala até a
próxima célula.

22 | Pr Aldezir Mota Soares


 Estratégia 4: No próximo mês vamos fazer um churrasco e cada membro da célula vai trazer um amigo
não crente. Vamos receber muito bem os convidados e torná-los nossos amigos. O “Alfredo” pode
compartilhar bem informalmente seu testemunho de conversão.

 Estratégia 5: Vamos todos nos assentar juntos na primeira fileira nos cultos da igreja e ficar atentos para
abraçar os decididos que forem à frente na hora do apelo, trazendo-os para nossa célula.

EXEMPLO 02 | ALVO: MULTIPLICAR A CÉLULA NO MÍNIMO UMA VEZ


Estratégia 1: Vamos definir a data da multiplicação para daqui 6 meses, no dia 01/08/2014. Ou seja,
teremos 24 reuniões oficiais de célula até a próxima multiplicação. Neste tempo alcançaremos novos
membros e levantaremos um novo líder.
 Estratégia 2: À partir da próxima semana, todo o núcleo está convocado para estar no TADEL. Os demais
da célula também serão convidados. Assim será mais fácil levantar um novo líder. “Mariana” fará o
convite a todos na próxima reunião de célula e lembrá-los um dia antes através de um SMS cheio de
amor.
 Estratégia 3: Vamos sempre chegar 30 minutos antes do início da célula para orar juntos e interceder
pela reunião e pela multiplicação.
 Estratégia 4: Vamos inscrever o máximo de pessoas no próximo seminário Veredas Antigas e também
no curso Discipulado e Liderança da Escola do Discípulo. “Ronaldo” ficará responsável por ligar na igreja,
descobrir as informações das datas e passar para a célula na próxima semana.
 Estratégia 5: Vamos orar e definir o discipulado um a um para todos da célula o mais rápido possível
dentro dos próximos 2 meses, se possível.

IMPORTANTE: Não se preocupe em estabelecer cinco estratégias para cada alvo, isso é só um
exemplo. É melhor definir apenas uma estratégia, mas cumpri-la com qualidade, do que tentar cumprir 5
estratégias ao mesmo tempo sem sucesso. Lembre-se que às vezes fazendo menos, conseguimos realizar
mais!

ATENÇÃO: Esta é uma ideia, não uma regra. Tome cuidado para não se tornar metódico demais,
porque a célula deve ser flexível e viva. Mas com as pessoas do núcleo é muito mais fácil definir as
estratégias para orientar o trabalho e alcançar os alvos da célula.

 

Capacitação em Células Infantis | 23


MODELO DE ROTEIRO PARA UMA REUNIÃO DE NÚCLEO
Célula:89 Data:01/02/2019
Local: Casa do Silva Barros Horário: 18h (uma hora antes da célula)
Membros Presentes:João, Maria, Paulo, Mateus, Tiago, Felipe.

INTRODUÇÃO - (10 minutos)


 Palavra de agradecimento e honra a todos os presentes.

 Oração – Orar clamando pela presença de Deus.


 Passando a visão – Tudo o que fazemos não é para homens, mas é a obra do Senhor. Ele recebe
nosso trabalho com alegria e confirma nossos esforços humanos com frutos sobrenaturais. Texto: 1
Coríntios 15.58 “Sejam sempre dedicados à obra do Senhor, pois vocês sabem que, no Senhor, o trabalho de
vocês não será inútil.”

AVALIANDO A REUNIÃO DE CÉLULA- (10 minutos)


 A reunião foi boa, mas muitas pessoas faltaram. Vamos ligar para cada um dos faltantes.

 As boas vindas foram boas, mas pode melhorar. Vamos começar a cumprimentar as pessoas na
porta de entrada, com muita alegria. “João” será o responsável por fazer isso na próxima reunião.

 Podemos melhorar no louvor, que ficou um pouco longo. Vamos reduzir o número de músicas
para uma ou duas, no máximo, sempre usando músicas bem conhecidas, no cd.
 A Palavra foi ótima, todos deram a sua opinião. A comunhão na hora do lanche também foi
muito boa!
 A importância de fazer o relatório da reunião

PASTOREIO E DISCIPULADOS- (10 minutos)


Apenas 4 pessoas a nossa célula já estão sendo discipuladas. Vamos cuidar muito bem de todos até o
discipulado chegar:
PAULO – responsável por cuidar do MÁRCIO e JUNIOR
WAGNER – responsável por cuidar do JOÃO
MARIANA – responsável por cuidar da PRISCILA e FERNANDA
MARIA – responsável por cuidar da MARTA e JULIANA

24 | Pr Aldezir Mota Soares


MOMENTO DE ORAÇÃO PELOS ALVOS DA CÉLULA – BOMD (5 minutos)
B – Batizar no mínimo duas pessoas no ano – AINDA NÃO ALCANÇADO
O – Omissão zero! Não perder ninguém – JÁ ALCANÇADO
M – Multiplicar no mínimo uma vez ao ano – AINDA NÃO ALCANÇADO
D – Ter quatro discipuladores na célula – JÁ ALCANÇADO

 ESTRATÉGIAS PARA ALCANÇAR OS DOIS BATISMOS - (10 minutos)


1. Vamos todos nos assentar juntos na primeira fileira no culto das 19h e ficar atentos para
abraçar os decididos que forem à frente na hora do apelo, trazendo-os para nossa célula.
2. Vamos perguntar hoje na célula se alguém ainda não se batizou. Se houver alguém, “Carol”
ficará responsável de ministrar o curso.

 ESTRATÉGIAS PARA ALCANÇAR NO MÍNIMO UMA MULTIPLICAÇÃO - (10 minutos)


3. Vamos definir a data da multiplicação para daqui 6 meses, no dia 01/08/2019.

4. À partir da próxima semana, todo o núcleo está convocado para estar no TADEL. Assim será
mais fácil levantar um novo líder. “Mariana” fará o convite e lembrar a todos um dia antes
através de um SMS.
5. “João” ficará responsável por ligar na igreja e descobrir as informações das datas do seminário
Veredas Antigas e também do curso Discipulado e Liderança da Escola do Discípulo, e passar
para a célula na próxima semana. Vamos inscrever a todos!
6. Vamos orar e definir o discipulado um a um para todos da célula o mais rápido possível dentro
dos próximos 2 meses, se possível.
7. Crianças necessitam de comunidade. Jesus estava em comunidade. (Lucas 2:44);

8. As células de GI colocam as crianças onde Deus as colocou: em uma comunidade com suas
famílias. Jesus viajou a Jerusalém em comunidade. É por isso que seus pais não estavam
preocupados com seu bem-estar durante 3 dias!

Capacitação em Células Infantis | 25


RESUMO FINAL

1. ORE E JEJUE - Tiago 5.16b. – A unção é mais que o método;

2. AME cada Criança – O amor por elas desencadeará a unção da multiplicação; I Cor. 13, II Cor. 5:14 e
Rom. 5:5.

3. SAIBA que cada Criança é pecadora e precisa de Salvação e Crescimento Espiritual;

4. TENHA intimidade como o Espírito Santo, convivência (Am. 3:7 e Sl. 25:14), e dependência do Espírito
Santo – Só Ele sabe o que cada criança precisa e te inspirará a fazer o melhor trabalho. Busque uma
unção nova de Deus a cada reunião. As crianças são sensíveis e sabem quando Ele está agindo. Isto
fará com que elas permaneçam;

5. NÃO FAÇA da reunião de célula uma aula (mostre, facilite o caminho). Mas de um tempo divino ao
encontro (algo sobrenatural), levando-as ao Pai;

6. DÊ as crianças o devido valor, retenha o fruto (o aprisco tem apenas uma porta).

7. TENHA o dia, horário (sem atraso e sem desmarcar) e local definido de suas reuniões. Não fique
mudando os horários e dias, para que elas se disciplinem;

8. FAÇA sempre a aplicação da Palavra. Esteja certo de que a Palavra foi recebida e assimilada por cada
uma. Ore e espere mudança visível de comportamento. João 2.3-6. Lembrando que a Palavra sempre
deve estar na linguagem infantil.

9. LEVE disciplina para a reunião. Mostrando assim que a vida espiritual é coisa séria e importante
também para a criança, e que a reverência e respeito pela Palavra de Deus são necessárias;

10. IMPRIMA na criança que ela é conquistadora de alma. Ela precisa aprender a evangelizar e saber que
é a sua responsabilidade também; Mt. 28:19.

11. LEVE as crianças a crerem no que podem produzir para Deus. Dê tarefas práticas, como evangelizar,
dar um folheto, trazer um visitante à reunião, etc);

12. TREINE as crianças a evangelizarem. Um bom método é o das 4 leis Espirituais.

“Que Deus te abençoe e mantenha acesa


essa chama de amor e pastoreio pelos pequeninos,
que são as sementes no Reino de Deus”
Em Cristo Jesus.

Pr. Aldezir Mota Soares

26 | Pr Aldezir Mota Soares


PARTE 02
TADELZINHO

MATERIAL DA CAPACITAÇÃO L.C.C. (LÍDER DE CÉLULA DE CRIANÇAS)


1. BÍBLIA NVI 5. Apostila de Acompanhamento Inicial. 1ª Igreja
2. Revista do Ministério Igreja em Células Batista.
3. Revista devocional do Ministério Igreja em 6. Livro 8 Hábitos. Dave Early
Células 7. Um modelo para fazer discípulos. D. Michael
4. Banner de Célula de Crianças – a Igreja deve Handerson
fornecer ou possibilitar (Arte gráfica). 8. Unidades Básicas do corpo de Cristo.
9. Liderando com o coração. Michael C. Mack
Os materiais 1; 2; 3 e 4 serão adquiridos pelo L.C.C. Os demais, assim como outros que poderão
integrar a lista serão adquiridos pelos líderes do MINI e serão adaptados para as necessidades das crianças
durante os TADEIS.

MATERIAL PARA DISCIPULADO DOS PAIS


Cronograma passo a passo da ordem de discipulado Pais & Filhos.

NECESSIDADES DE ESTRUTURA FÍSICA E MATERIAIS:


Sala com capacidade crescente

Banheiros no mesmo andar

Mesa e cadeiras para fazerem atividades

Lanche

Quadro branco ou vidro

Data Show

Material Xerox permanente

Lápis, canetinha, e outros materiais de papelaria

 

Capacitação em Células Infantis | 27


PROGRAMA PROTÓTIPO DO TADELZINHO 2015
19h30 – 05 - BEM VINDO A TODOS – Cumprimentar a todos.

19h35 – 10’ - LOUVOR E ORAÇÃO PARA PREPARAR OS LCCs – 1 Música, 1 versículo de encorajamento
ou desafio, momento de oração.

19h35 – 10’ – ESTUDO SOBRE CÉLULA – Contido no Cronograma

19h45 – 15’- LOUVOR DO QUADRIMESTRE – Refere-se a Célula, discipulado, família e assunto do


Quadrimestre. O Mini indicará as músicas.

20h00 – 40’- PREPARAÇÃO DA CÉLULA DE CRIANÇAS – Revista do Ministério Igreja em Células.

20h40 – 15- LANCHE

21h55 – 20’ – ATIVIDADE DA LIÇÃO

21h15’- 15’- LOUVOR

PREPARAR COM ANTECEDÊNCIA


Músicas referentes aos assuntos acima

Coreografia das músicas

Vídeos ou Power Points

Salas, cadeiras, Data show

Lanche - MINI

Xerox das Atividades

Lista de Material para utilizarem nas Células

Arte para o Banner – Produção

Líderes – Vasti, Aldezir, Tatiana

Nosso desejo é que as Células de Crianças sejam um sucesso para que muitas crianças sejam ganhas,
batizadas, discipuladas e se tornem líderes e ganhadoras de outras.

 

28 | Pr Aldezir Mota Soares


COMO SE TORNAR UM LÍDER DE CÉLULA?
 Ter uma experiência de novo nascimento.
 Ser batizado e membro desta Igreja e viver de acordo com a Palavra de Deus.

 Ter de 9 anos para cima.


 Fazer parte com seus pais de uma célula de adultos.

 Separar um tempo a sós com Deus todos os dias (TSD).


 Ser discipulado por seus pais ou alguém estipulado pelo pastor.

 Vir ao TADELZINHO regularmente (terça 19h30).

COMO TER UMA CÉLULA DE CRIANÇA?


 O Supervisor e o Líder conversarão sobre a necessidade da célula de Crianças.

 O líder da célula vai indicar uma criança que corresponda aos critérios estabelecidos.
 Conversará com seus pais para que aprovem, porque eles serão discipuladores dela (o líder e o pai
supervisionam a célula).
 Conversarão com a criança para ver se ela deseja ter o privilégio de ser um L.C.C.
 Conversarão com o Pastor de Rede e o MINI para inscrever a célula e o futuro L.C.C.

CAPACITAÇAO CONTÍNUA:
 Será feita através do seu TSD – Diariamente.
 Durante o TADELZINHO – Aprenderá como ministrar na célula naquela semana.
 Nas EBDs – terá aprendizado com seus amigos
 Discipulado – Uma vez por semana terá um momento com seus pais para o discipulado.
 Em Cursos que o MINI estará proporcionando.

QUAL O MATERIAL UTILIZAR?


 Revista do Ministério Igreja em Células que o MINI utiliza
 Bíblia
 Revista Devocional do MINI
 Material de papelaria para as atividades
 Obs: Nenhum outro material pode ser utilizado sem o conhecimento prévio do MINI, como música,
vídeos, estudos, etc.

Capacitação em Células Infantis | 29


COMO ACONTECE A CÉLULA?
 Organizar o lugar antes de começar a célula.

 Ficam com os pais até terminar o louvor.


 Lancham junto com o hospedeiro ou os pais do L.C.C., depois de comer limpam tudo.

 Vão para o local anteriormente preparado.


 Terminam a célula e ficam com seus pais.

INFORMAÇÕES IMPORTANTES:
 A célula dos adultos não pode passar de 1h30.
 As crianças que participam vão de 03 a 13 anos.
 Aquelas que tem idade abaixo de 03 anos podem participar, mas sob os cuidados de seus pais.
 É proibido brincar com coisas que os donos não permitem, entrar em outros quartos, destruir
qualquer coisa.
 Se quiserem brincar, procurar jogos e brincadeiras que não sejam corrida, futebol ou outros que
arrisquem quebrar coisas ou machucar crianças.

COMO ACONTECE O TADELZINHO?


 Toda terça 19h30
 Material: Bíblia, Caderno, Revista de Célula

 Haverá uma simulação de célula para que a criança faça o mesmo em sua célula.
 Confeccionarão lembrancinhas e cartazes com o tema do quadrimestre.

QUAIS OS ALVOS DA CÉLULA?


 Conhecer a Deus, amá-lo e obedecê-Lo
 Fazer das crianças da célula seus amigos e ajudá-los quando precisarem.
 Falar para os amigos que eles também podem ser amigo de Deus e convidá-los para a célula.
 Crescer em número, treinar outros líderes para multiplicarem a célula

 Quando você perceber outros pré-adolescentes, consistentemente frequentando a célula, ore para
que Deus prepare ele para ser seu líder em treinamento e participar do núcleo da célula. Liderar a
célula juntamente com você. A igreja providenciará todo o treinamento necessário.

 

30 | Pr Aldezir Mota Soares


A IGREJA ACREDITA EM VOCÊ!
 A Igreja deseja que as crianças amem a célula – a Igreja nas casas.
 As Células de Crianças cresçam e se multipliquem

 As crianças e os L.C.C. Desenvolvam-se espiritualmente.


 Os L.C.C. Sejam os futuros os líderes da Igreja no futuro.

 Sejam bons cidadãos e alegrem o coração de Deus.

CRONOGRAMA DO TADELZINHO 2015:


1. O novo formato da Igreja Primitiva.
2. Célula: A igreja nas casas.
3. O Ministério universal dos crentes.
4. Discipulado: A ordem de Jesus
5. Pais discipuladores – HDL.
6. Célula de Pré-adolescentes: Estrutura.
7. O líder: Seu privilégio de liderar e suas responsabilidades
8. O líder em treinamento: Oportunidade de aprender.
9. O líder de missões: Cuidado com os filhos de missionários.
10. O secretário: Integrando, cuidando sem esquecer ninguém.
11. O líder de louvor e adoração: Cantar e orar a hora de prestar culto.
12. Cuidando uns dos outros: O companheiro de jugo.
13. Ganhando mais um: Integrando e levando ao batismo.
14. As fases da célula.
15. A multiplicação da Célula: Pré-requisitos.
16. A supervisão: Célula mãe e célula filha
17. A Escola do Mini-Discípulo.

POR QUE TER CÉLULA DE CRIANÇA?


As crianças têm as mesmas necessidades que os adultos, de se relacionar, de fortalecer sua
fé e de ganhar outros e cuidar bem deles.

 

Capacitação em Células Infantis | 31


POR QUE AS CRIANÇAS PRECISAM TER UMA CÉLULA?
As necessidades das crianças são diferentes das necessidades dos adultos e, por isso precisam de
uma que atenda suas necessidades.

• Todos nós somos responsáveis pela próxima geração (Salmos 145:4). As células de crianças
oferecem a cada um a oportunidade de se relacionar e ser ministrado, sem que isso seja visto como um
"ministério especializado".

• Crianças necessitam de comunidade. Jesus estava em comunidade. (Lucas 2:44);

As células de crianças colocam as crianças onde Deus as colocou: em uma comunidade.

Igrejas em células priorizam as crianças tanto nas células quanto nas celebrações. Durante a célula de
crianças, elas podem deixar a célula dos adultos e receber uma lição Bíblica personalizada dirigida por líder
que também é membro da célula (os adultos que acompanham revezam a supervisão).

PRINCÍPIOS PARA MINI-LÍDERES DE CÉLULA


Independentemente da fase em que a célula se encontre, existem alguns princípios que trazem
muita saúde para a célula. Estes princípios são chamados de regulares porque devem ser aplicados
semanalmente pelo líder juntamente com as pessoas que participam do núcleo. Apesar de contar com a
ajuda de outros, o líder deve garantir que estas ações estejam acontecendo para cuidar bem de suas
ovelhas.
 Orar diariamente em favor de cada membro da célula e discípulos.
 Garantir que cada membro da célula esteja sendo contatado durante a semana, principalmente os
convidados.
 Procurar saber, com um dia de antecedência, quem estará no encontro da célula, e se alguém está
com alguma dificuldade ou que precise de ajuda.
 Refletir durante a semana sobre o texto bíblico que será ministrado, e encaminhá-lo para toda a
célula com antecedência.
 Convidar e estimular a todos para estarem nos cultos da igreja.

 

32 | Pr Aldezir Mota Soares


ETAPAS DE VIDA DE UMA CÉLULA
Existem basicamente quatro fases na vida de uma célula.

 1.LUA DE MEL:Acontece quando a célula está experimentando um clima de novidade e


empolgação, os membros estão começando a se conhecer e tudo parece mil maravilhas. Na maioria das
vezes é a primeira fase da vida de uma nova célula.

 2. CONFLITOS: A fase dos conflitos aparece quando, após passarem bastante tempo juntas, as
pessoas começam a se conhecer melhor e se ajustarem. Os membros passarão a participar mais da vida uns
dos outros, e conhecer seus desafios. Algumas falhas pessoais podem ficar evidentes e alguns conflitos
podem surgir ameaçando a boa convivência da célula.

 3. COMUNHÃO: Com as pessoas se conhecendo melhor, é possível ter a verdadeira comunhão,


marcada pelo perdão, crescimento mútuo, e o incentivo ao amor e as boas obras. A célula realmente se
torna uma família madura que se ama apesar das diferenças.

 4. MINISTÉRIO: É a fase da célula onde as pessoas ministram umas às outras, sem nenhuma
pressão ou constrangimento. As ligações, visitas e demais demonstrações de amor começam a surgir
espontaneamente e todos cuidam de todos. Esta célula está pronta para se multiplicar.

CRONOGRAMA BÁSICO DE AÇÕES PARA A CÉLULA PARA CADA ETAPA


Como já aprendemos, todas as células são diferentes entre si e possuem suas características próprias
que as fazem únicas. Nem todas elas passarão por todas as fases da mesma maneira e precisamos respeitar
os momentos de cada célula. No entanto, existem algumas atitudes que podem ser tomadas visando trazer
mais saúde à célula afim de conduzi-la a cumprir o seu propósito e consequentemente chegar à uma
multiplicação saudável em um período de aproximadamente seis meses.

 PRIMEIRA ETAPA (6 SEMANAS) - AÇÃO PRINCIPAL: DESENVOLVER COMUNHÃO.


1. Realizar a primeira reunião de núcleo (dentro das primeiras 3 semanas) com aqueles que podem
ajudar na liderança. Nesta reunião, as ações deste cronograma podem ser discutidas e planejadas e a
data prévia de multiplicação deve ser estabelecida.

2. Assistir, em uma reunião de célula, a ministração “A visão do Purê de Batatas” do Pr. Abe Huber,
disponível no Youtube. É importante que isso seja feito com toda a célula presente dentro das três
primeiras semanas.

3. Intensificar a comunicação entre os membros, criando um grupo de WhatsApp, utilizando-o com


sabedoria para manter o contato com as pessoas e abençoa-las com palavras edificantes.

Capacitação em Células Infantis | 33


4. Estimular a célula a convidar o maior número de pessoas novas, sejam elas parentes, amigos,
membros da igreja que estão sem célula ou pessoas de fora. Utilize os encontros informais para levar
e integrar bem essas pessoas.

5. promover junto com a célula no mínimo 3 encontros informais, para que as pessoas possam se
conhecer, conversar, se divertirem juntas e criarem os primeiros laços. Pode ser um aniversário, uma
festa, um dia de lazer no parque, um filme com pipoca, um dia de esportes, etc. Seja criativo!

6. Falar sobre a importância da comunhão Bíblica em cada reunião, e orar juntamente com a célula
para que Deus continue acrescentando as pessoas que Ele deseja à célula.

7. Garantir que as primeiras reuniões sejam bastante informais com bastante tempo para os bate-
papos para integrar bem as pessoas.

8. Saber se alguém precisa fazer o curso de batismo. Se sim, encaminha-lo para o curso de preparação
para Batismo ministrado pelo Mini aos domingos às 08h.

 SEGUNDA ETAPA (6 semanas) - AÇÃO PRINCIPAL: APROFUNDAR OS RELACIONAMENTOS


1. Realizar a segunda reunião de núcleo entre a 7ª e 9ª semana. Convide novas pessoas que não
estiveram no primeiro encontro de núcleo. Vocês poderão “compartilhar o pastoreio” dos membros,
compartilhar as funções da reunião da célula (louvor, palavra, oração) e avaliar como a célula pode
melhorar.

2. Depois de multiplicar o pastoreio entre as pessoas do núcleo (“João” cuida de “Pedro”, e “Maria”
cuida de “Joana”), programar no mínimo uma visita bem rápida e objetiva a essas pessoas.

3. Convidar todos semanalmente a estarem juntos no TADELZINHO, principalmente aqueles que estão
no núcleo.

4. Propor para a célula que façam juntos o curso Discipulado Um a Um da Escola do Discípulo.

5. Na reunião da célula, promover dinâmicas como “parceiro de oração”, fazer o momento dos pedidos
de oração separados entre meninos e meninas (para maior ministração).

6. Realizar um encontro de meninos e um encontro de menias para uma ministração específica e


oração de uns pelos outros. A própria reunião da célula pode ser usada para este fim.

 TERCEIRA ETAPA (6 semanas) - AÇÃO PRINCIPAL: PREPARAR LÍDERES DISCIPULADORES


1. Realizar a terceira reunião de núcleo. Neste encontro vocês poderão avaliar como estão sendo as
reuniões da célula, orar pela multiplicação e fazer as “correções de percurso”.

2. Estimular os integrantes do núcleo da célula a fazerem juntos o curso TLC da Escola do Mini-
Discípulo.

3. Fazer no mínimo dois encontros rápidos junto com os líderes em treinamento para ensiná-los como
cuidar bem dos membros da célula.

34 | Pr Aldezir Mota Soares


4. Delegar ainda mais as atividades da reunião da célula entre os participantes do núcleo, como a
palavra, oração e momento da visão. Lembre-se de sempre envolver novas pessoas na direção da
célula.

5. Fazer a primeira experiência de “multiplicação no lar”, onde o líder conduz a reunião da célula, mas
no momento do estudo da palavra o líder em treinamento vai para outro espaço dentro da mesma
casa para ministrar o mesmo estudo para um grupo menor de pessoas, simulando uma
multiplicação.

6. Conduzir os novos convertidos ao batismo, caso eles assim desejem.

7. Continuar estimulando os encontros informais da célula para lazer e descanso.

 QUARTA ETAPA (6 semanas) - AÇÃO PRINCIPAL: PREPARAR A MULTIPLICAÇÃO


1. Realizar a quarta reunião de núcleo. Nesta reunião é importante orarem pela multiplicação e
falarem sobre como a célula e as amizades que estão acontecendo.

2. Orar e comunicar com mais ênfase sobre a multiplicação da célula nas reuniões. Peça uma visita
especial do seu supervisor ou coordenador para ministrar uma palavra sobre este tema.

3. Delegar quase completamente a reunião de célula para as pessoas do núcleo. Deixe que eles façam
o trabalho enquanto você as ensina e encoraja.

4. Proponha o “Projeto Natanael”, uma dinâmica de oração e jejum específicos onde cada pessoa
busca trazer uma pessoa a Jesus até a data da multiplicação. Estimule a todos e ore por isso em todas
as reuniões.

5. Prepare um grande “evento de colheita” (evento evangelístico). Pode ser uma célula do amigo, um
Pick Nick, uma festa de aniversário, onde os membros trarão seus “Natanaéis” e “Natanaelas” à
célula.

6. Reunir-se com seus líderes em treinamento juntamente com seu supervisor para programarem a
multiplicação e definirem os detalhes, quem vai ficar em qual célula, como será feita a festa de
multiplicação, etc.

Este é um esboço de algumas ações que podem ser implementadas ao longo da vida da célula, no
entanto, sabemos que a vida não cabe numa folha de papel. Deus lhe dará muitas outras estratégias
maravilhosas e também a força que você necessita para vencer os desafios. Fique firme!
Cremos que todo este trabalho só pode surtir algum efeito se a graça de Deus estiver sobre nós, e
cremos que o Senhor já liberou porções ainda maiores de fé para realizarmos estas coisas. Não somos nós,
mas a graça de Deus em nós. Por isso, podemos trabalhar sabendo que não estamos sozinhos.

Capacitação em Células Infantis | 35


MODELO DE PLANEJAMENTO DA CÉLULA PARA AS ETAPAS
Nome/Número da Célula:____________________________ Rede: ______________________________
Líder(es):________________________________________ Supervisor(es):_______________________
Data de Nascimento:____ /____ /____ Previsão Multiplicação: ___ /____ /____
Preenchido em:____ /____ /____

PRIMEIRA ETAPA (6 semanas) - AÇÃO PRINCIPAL: DESENVOLVER COMUNHÃO


1. Realizar a primeira reunião de núcleo. (Dentro das primeiras 3 semanas) ................................................ ____ /____ /____
2. Assistir, em uma reunião de célula, a ministração “A visão do Purê de Batatas” ....................................... ____ /____ /____
3. Intensificar a comunicação. (Criar grupo de WhatsApp) ............................................................................ ____ /____ /____
4. Estimular a célula a convidar o maior número de pessoas novas ............................................................... ____ /____ /____
5. Promover junto com a célula no mínimo 3 encontros informais. ............................................................ ____ /____ /____
6. Falar sobre a importância da comunhão bíblica em cada reunião. ............................................................. ____ /____ /____
7. Garantir que as primeiras reuniões sejam bastante informais. .................................................................. ____ /____ /____
8. Saber se alguém precisa fazer o curso de batismo e providenciar DISCIPULADOR .................................... ____ /____ /____

SEGUNDA ETAPA(6 semanas) -AÇÃO PRINCIPAL: APROFUNDAR OS RELACIONAMENTOS


1. Realizar a segunda reunião de núcleo. (Entre a 7ª e 9ª semana) ................................................................ ____ /____ /____
2. Programar no mínimo uma visita bem rápida e objetiva a essas pessoas. (Multiplicar o cuidado). ........... ____ /____ /____
3. Convidar todos semanalmente a estarem juntos no TADEL. (Principalmente os que estão no núcleo). .... ____ /____ /____
4. Propor para a célula que façam juntos o curso "Discipulado Um a Um"..................................................... ____ /____ /____
5. Promover dinâmicas dos “parceiros de oração” ......................................................................................... ____ /____ /____
6. Realizar um encontro de homens, e um encontro de mulheres. ................................................................. ____ /____ /___

TERCEIRA ETAPA (6 semanas) - AÇÃO PRINCIPAL: PREPARAR LÍDERES DISCIPULADORES


1. Realizar a terceira reunião de núcleo. (O mais importante aqui é oficializar as duplas de discipulado) ... ____ /____ /____
2. Estimular os integrantes do núcleo da célula a fazerem juntos o curso TLC. .............................................. ____ /____ /____
3. Fazer no mínimo duas visitas rápidas junto com os líderes em treinamento. ............................................ ____ /____ /____
4. Delegar ainda mais as atividades da reunião da célula. .............................................................................. ____ /____ /____
5. Fazer a primeira experiência de “multiplicação no lar”. .............................................................................. ____ /____ /____
6. Conduzir os novos convertidos ao batismo, caso eles assim desejem. ....................................................... ____ /____ /____
7. Continuar estimulando os encontros informais da célula para lazer e descanso. ....................................... ____ /____ /____

QUARTA ETAPA (6 semanas) - AÇÃO PRINCIPAL: PREPARAR A MULTIPLICAÇÃO


1. Realizar a quarta reunião de núcleo. ............................................................................................................ ___ /____ /____
2. Orar e comunicar com mais ênfase sobre a multiplicação da célula nas reuniões. .................................... ____ /____ /____
3. Delegar quase completamente a reunião de célula para as pessoas do núcleo. ........................................ ____ /____ /____
4. Propor o “Projeto Natanael”........................................................................................................................ ____ /____ /____
5. Preparar um grande “evento de colheita”. (Evento evangelístico). .......................................................... ____ /____ /____
6. Reunir-se com líderes em treinamento e seu supervisor para programara multiplicação........ .................. ____ /____ /____

36 | Pr Aldezir Mota Soares


BIBLIOGRAFIA

SITES PARA CONSULTA:
www.gnation2gnation.com
www.células.com.br
http://celulas.com.br/infantil/index.html
http://celulas.com.br/ferramentas.php

PESQUISAS NO SITE DA PRIMEIRA BATISTA:


www.1b.org.br
Word / Vídeos / Áudio / PPS / PDF

| 37
Capacitação em Células Infantis