Você está na página 1de 44

TECIDO MUSCULAR

Tecido formado por células musculares, as quais se caracterizam por ser altamente
contráteis, são responsáveis por todo movimento e postura do corpo. Elas são
alongadas e se contraem devido ao encurtamento de filamentos proteicos
citoplasmáticos (miofibrilas ou miofilamentos) dispostos ao longo de seu
comprimento. Nos músculos há também tecido conjuntivo, no qual estão situados
vasos sanguíneos que atuam na nutrição e oxigenação das células musculares.
1. “Quantos músculos têm o corpo humano?” QUIZ – TECIDO MUSCULAR
2. “Qual o maior músculo do corpo
humano?”

3. “Qual menor músculo do corpo humano?”

4. “Qual o músculo mais forte do corpo


humano?”

5. “Qual o músculo mais fraco do corpo


humano?”

6. “Quais os principais músculos que


compõem o braço?”

7. “Quais os principais músculos que


compõem os membros inferiores?”

8. “Qual o percentual em média de massa


muscular de um indivíduo?”

9. “Qual o nome da ciência que estuda os


músculos?”

10. “Qual é o esporte relacionado diretamente


com o aumento de massa muscular?”
ANATOMIA DO TECIDO MUSCULAR
MÚSCULOS ABDOMINAIS
MÚSCULOS DA FACE
QUIZ – TECIDO MUSCULAR
TIPOS DE TECIDO CELULAR
Há três tios de tecido muscular : estriado esquelético, estriado cardíaco e
não estriado (liso).
TIPOS DE TECIDO CELULAR-FOTOS
TECIDO MUSCULAR ESTRIADO ESQUELÉTICO

• Maior parte da musculatura dos


vertebrados;
• Preso aos ossos (esquelética);
• Fibras em estrias (faixas) transversais
(estriado);
• Fibras multinucleadas;
• 75% a 90% de fibras musculares;
• 10 a 25% de TC, nervos e vasos.
• Contração voluntária.
ESTRUTURA DA FIBRA MUSCULAR
ESTRIADA ESQUELÉTICA (MIÓCITO)

É um sincício com vários


núcleos dispostos na periferia
celular, podendo atingir de
entre 50µm e 150µm de
diâmetro e de alguns
milímetros até 30cm de
comprimento .
ORIGEM DAS FIBRAS MUSCULARES
ESTRIADAS ESQUELÉTICAS
Os miócitos se originam do mesoderma embrionário a partir de
células precursoras denominadas mioblastos, as quais produzem
grande quantidade de proteínas actina e miosina. Os mioblastos
se fundem-se uns aos outros, originando longas fibras musculares
multinucleadas.
ENDOMÍSIO, PERIMÍSIO E EPIMÍSIO

ENDOMÍSIO PERIMÍSIO EPIMÍSIO

• Tecido conjuntivo • Camada mais • Camada ainda


que envolve cada espessa de tecido mais densa de
fibra muscular conjuntivo que tecido conjuntivo
esquelética; envolve grupos de que envolve todo
• Contém vasos fibras musculares o músculo.
sanguíneos (fascículo);
(nutrição e • Contém vasos
oxigenação); sanguíneos
• Apresentam maiores e nervos.
terminações
nervosas (controle
da contração).
ENDOMÍSIO, PERIMÍSIO E EPIMÍSIO
Tipos de Fibras Musculares:

• Tipo I ou Fibras vermelhas (lenta): possuem maior potencial aeróbico.


responsáveis pelo desempenho de atletas fundistas. Ex: maratonistas, ciclistas e
nadadores de longa distância.

Foto: Vanderlei Cordeiro, maratonista.


Tipos de Fibras Musculares:

• Tipo II ou Fibras brancas (rápida): possuem maior potencial anaeróbico, sendo


a verdadeira fibra rápida. É abundante nos atletas de explosão.

Foto: Usain Bolt, o homem


mais rápido do mundo
Tipos de Fibras Musculares:
Tipos de Fibras Musculares:

Característica/ I IIA IIB


Tipo de fibra

Velocidade de Lenta Rápida Rápida


contração

Resistência a Alta Média Baixa


fadiga
Neurônio motor Pequeno Médio Grande
que ativa

Produção de força Baixa Média Alta

Respiração Aeróbica Aeróbica/ Anaeróbica


Anaeróbica
Capilares Muitos Muitos Poucos
MIOGLOBINA
Proteína semelhante à hemoglobina, constituída por uma única cadeia
polipeptídica ligada a um grupo heme. Cada mioglobina é capaz de se
ligar a uma molécula de oxigênio e pode armazenar esse gás no interior
da célula para momentos de grande atividade muscular. Os músculos
de cor avermelhada têm essa coloração devido à presença da
mioglobina.
MIOFIBRILA (MIOFILAMENTO)
É uma estrutura cilíndrica com cerca de 1µm a 2µm de diâmetro que
percorre toda a fibra muscular no sentido longitudinal. E formada
por filamentos de actina e miosina e proteínas associadas a eles que
se organizam em miofibrilas no citoplasma dos miócitos.
HIPERTROFIA MIOFIBRILAR
A hipertrofia miofibrilar ocorre devido a um estímulo de sobrecarga. Este
processo gera micro lesões nas fibras musculares. Durante o processo de
recuperação, o corpo aumenta o volume e a densidade das miofibrilas para que
essas micro lesões não ocorram novamente.
FOSFATO DE CREATINA
(FOSFOCREATINA)
Reservatório extra de energia presente nas fibras musculares em uma
concentração 10 vezes maior que a de ATP.
CÃIBRA
Trata-se de um espasmo (contração involuntária) de um ou mais músculos que,
por manterem-se nesse estado de contração vigorosa, sem o relaxamento
subsequente, provocam um quadro de dor geralmente muito intensa.
COMPONENTES DA FIBRA MUSCULAR

SARCOLEMA
• Membrana plasmática que envolve cada miócito.

SARCOPLASMA
• Citoplasma da fibra muscular.

TÚBULOS T
• Tubos membranosos que se dispõem
perpendicularmente às miofibrilas.

RETÍCULO SARCOPLASMÁTICO
• RE das células musculares, especializado em
armazenar íons de cálcio (Ca2+).
TECIDO MUSCULAR-IMAGENS
MIÔMERO (SARCÔMERO)
Cada unidade de repetição presente nas miofibrilas. É delimitada
por dois discos transversais (linhas Z), constituindo as unidades
contráteis básicas de um músculo estriado.
BANDAS (FAIXAS) DO SARCÔMERO

BANDAS I
• Faixas claras laterais em que não há
filamentos de miosina.

ZONA H
• Faixa central em que não há filamentos
de actina.

BANDA A
• Porção central correspondente à
localização dos filamentos de miosina.
CONTRAÇÃO DO SARCÔMERO
Os filamentos de actina se associam a moléculas de duas outras
proteínas, a troponina e a tropomiosina, as quais permitem a
interação actina/miosina na presença de íons de cálcio. A contração
ocorre quando os filamentos de actina deslizam sobre os de miosina,
aproximando os discos Z e diminuindo o comprimento do miômero.
COMPLEXO TROPONINA-TROPOMIOSINA

CONTRAÇÃO
Rigor mortis
Expressão em latim que refere-se a rigidez adquirida pela musculatura
esquelética e articulações de um cadáver logo após a ocorrência do óbito
– rigidez cadavérica.
ANTAGONISMO DA MUSCULATURA
ESQUELÉTICA
ANTAGONISMO DA MUSCULATURA
ESQUELÉTICA
Os músculos esqueléticos do corpo humano trabalham em
antagonismo. Ex: contração do bíceps e relaxamento do tríceps e
vice-versa.
LEI DO TUDO OU NADA
A contração de uma fibra muscular esquelética segue a “lei do tudo ou
nada”, ou seja, ou a fibra se contrai totalmente ou não se contrai.
TÔNUS MUSCULAR
Em condições normais há sempre fibras musculares contraídas
enquanto outras estão relaxadas, estado de alternância conhecido
como tônus muscular, muito importante para a manutenção postural.
A perda do tônus muscular está relacionada à atrofia muscular.
TECIDO MUSCULAR ESTRIADO CARDÍACO

• Encontrado apenas no coração;


• Células mononucleadas;
• Não formam miofibrilas;
• Há endomísio, mas não há perimísio
nem epimísio;
• Têm ramificações que conectam uma
célula a outra – discos intercalares.
• Contração involuntária.
TECIDO MUSCULAR ESTRIADO CARDÍACO
DISCOS INTERCALARES
Devido às conexões nos discos intercalares, um estímulo
suficientemente forte em uma região do coração se espalha
rapidamente por todas as células musculares estriadas cardíacas,
levando todo órgão a se contrair.
TECIDO MUSCULAR NÃO ESTRIADO (LISO OU
VISCERAL)

• Está presente em órgãos viscerais, como o estômago,


o intestino e o útero, em ducto de diversas glândulas
e na parede dos vasos sanguíneos;
• É formado por células uninucleadas, alongadas e com
extremidades afiladas (fusiforme);
• Não apresentam estriação transversal (padrão
irregular da actina e miosina);
• Contração involuntária;
• Cada célula é envolta por um endomísio (não tem
perimísio nem epimísio);
• As células mantém contato por junções tipo gap e
zonas de oclusão.
TECIDO MUSCULAR NÃO ESTRIADO
As células musculares não estriadas geralmente estão agrupadas,
formando feixes com cerca de 100µm de diâmetro. Elas não possuem
túbulos T e o RE é pouco desenvolvido, o que resulta em contração
lenta e mais duradoura em relação às outras células musculares.
CONTRAÇÃO DO MÚSCULO LISO
O processo de contração inicia com a entrada de cálcio no citoplasma e segue
com a interação da actina com a miosina fosforilada. O cálcio se une com a
calmodulina e forma o complexo cálcio-calmodulina. Este complexo auxilia a
miosina a ser fosforilada, ocorrendo modificação das cabeças da miosina, o que
possibilita o deslizamento e consequentemente a contração do músculo.
TIPOS DE TECIDOS – TABELA COMPARATIVA

MÚSCULO MÚSCULO MÚSCULO


ESQUELÉTICO CARDÍACO LISO
CONTRAÇÃO Voluntária/ Involuntária/ Involuntária
Descontínua Contínua
ESTRUTURA Alongada Ramificada Fusiforme

ENVOLÓRIO Endomísio, Endomísio Endomísio


permísio e
epimísio
Nº DE Multinucleada Mononucleadas Mononucleadas
NÚCLEOS
VELOCIDADE/ Rápida/Forte Rápida/Forte Lenta/Fraca
FORÇA DA
CONTRAÇÃO
TIPO DE Flexão e Sístole e diástole Peistálticos
MOVIMENTO extensão
TIPOS DE TECIDO – ANÁLISE COMPARATIVA
REFERÊNCIAS
• AMABIS, JOSÉ MARIANO E MARTHO,
GILBERTO RODRIGUES – BIOLOGIA - VOL 1, ED.
MODERNA.
• ANACLETO, TÂMILE STELLA E BEIJAMINI FELIPE
– BIOLOGIA VOL 2, ED. EDEBE.
• LOPES, SÔNIA E ROSSO SÉRGIO – CONECTE
BIO – VOL.1 – ED. SARAIVA

Você também pode gostar