Você está na página 1de 7

1

RESENHA

LIVRO DE LEANDRO KARNAL

CONVERSAS COM UM JOVEM PROFESSOR

MOGI DAS CRUZES

2019
2

CONVERSAS COM UM JOVEM PROFESSOR

Karnal,Leandro com a colaboração de Rose Karnal, publicou o livro Conversas Com o Jovem
Professor, São Paulo, Contexto de 2012

O Livro Conversas Com um Jovem Professor de Leandro Karnal, foi publicado em 2012, pela editora
Contexto. È um texto subjetivo com praticas anteriores e atuais referente ao ensino, podendo inspirar os
professores de diversas área de ensino, dando liberdade aos professores exporem seus dilimas e
sucessos com a sua profissão academica.

Leandro Karnal é graduado em História pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos-Unisinos, doutor
em História Social, pela Universidade de São Paulo-USP, desde 1994, com a tese Formas de
apresentação religiosa no Brasil e no México do Século XVI. Karnel, orientou e orienta diversas
pesquisas e é autor de vários trabalhos. Na contracapa final do livro, destacam-se, com outras duas
publicações pela mesma editora, História na sala de aula e História dos Estados Unidos. O autor
tambem divulga seu trabalho a partir de diversas palestras no Site Youtube.

O livro Conversas Com Um Jovem Professor tem oito capítulos, com inúmeros subtítulos, e ao final
de cada um deles, há uma resenha de um filme, sobre diferentes temáticas de educação. Cinco desses
filmes são americanos: um chinês, um alemão e outro inglês. Os papéis principais são os seguintes:
uma guia turística, uma adolescente, uma professora de literatura, um músico professor, um professor,
uma professora de artes, uma professora de língua e literatura e por fim, um engenheiro professor. O
desenrolar dos acontecimentos possibilita leitura favoráveis, tanto do lado da instituiçao de ensino
tradicional, como do professor criativo, que opta pela diversificação em seus métodos de ensino e
contribuir para as alterações significativas na realidade da escola.

Primeiro capitulo:

A aula introdução e o jogo e suas regras primeiro, o professor escreve sobre alguns aspectos de aula,
a expectativa de conhecer e trabalhar em uma escola e uma turma nova, além de alguns medos
envolvidos nessas ocasiões. Segundo Karnal menciona o acontecimento da aula e, ao final considera a
como a própria vida, um jogo com regras. Karnal disse que a única experiência que ele não teve, e
sempre prestará imensa homenagem, é a de alfabetizar alguém. Karnal olha para o alfabetizador como
um xamã, um guru eterno na vida de todo mundo e confesso, meio envergonhado, que tenho vontade
de chorar quando vejo um professor alfabetizando alguém.(pag 12)

Filme: Falando Grego,Direção de Donald Petrie, EUA, 2009

O filme é uma comédia, que se trata de uma guia turística norte-americana com descendente de grego.
Ela trata dos seus turistas como se fossem adolescentes, eles não querem saber sobre a história da
3

Grécia e sim querem comprar sovertes e fazerem comprar. Eles só deram atenção para ela, quando ela
pede para eles sentir e ouvir o vento de Parthenon. Eles se admiram com que eles estão sentindo pela
primeira vez a aula dela funcionou. Tudo isso foi possível porque ela saiu do seu mecanismo de querer
ensinar a história mecânica que não era atraente. Temos que deixa o mecanismo de ensinar de lado e
buscar outras forma de ensinar, só assim teremos sucesso no que queremos.

Segundo Capítulo:

“As Pedras da Nossa Estrada,” Ela ilustra cinco erros que um professor deve evitar:

1. É de não saber lidar de maneira adequada como autoridade na sala de aula, não se igualar com o
aluno com se fosse adolescente. Karnal fala na (pag31) que teve conjuntivite e mal entra na sala e
chama a atenção, é claro, pelos óculos escuros naquela hora ainda nublado do amanhecer. Um
menino do fundo ( sempre no fundo…) fala em voz alta: - Foi boa a noitada, professor?” Eu
respondi coma mesma rapidez: - “Sua mãe não reclamo” Aqui Karnal errou ele se igualou ao
jovem adolescente.
2. A avaliação, é possível que provas muito difíceis percam um pouco a função de verificação se a
aprendizagem ocorreu ou não. Karnal revela que não devemos descontar nos alunos as nossas
dignações ou querer se vingar dos alunos através da prova ou nota, só para mostrar quem manda e
obrigar o aluno a estudar.
3. È sobre a impaciência com alguns alunos difíceis. Sengundo Karnal, o rosto do professor e a sua
linguagem corporal indireta são mais observadas pelos alunos do que pela fala em si.(pag.36)
4. À competição, que pode gerar entre o professor e o aluno, o professor não é um aluno mais
adiantado. Oprofessor é um profissional da área que está ali na sala de aula para ensinar e ser um
auxiliador para os alunos
5. Por fim, o quinto erroé desistir de um aluno.Karnal defende que o aluno problemático precisa
mais de nós, não os alunos Brilhantes.(pag.39). São esses que mais desafiame mais marcam o
trabalho do professor.

Filme: Nenhum a Menos. Direção de Zhang Yimou, China 2009

Esse filme mostra a dificuldade de uma escola que ficava em uma aldeia no interior da China. As
condições da escola era precária, e as das crianças também, muitas crianças tinha que largar o estudo
para poder trabalhar e ajudar a sua família. Até que a professora atual teve se ausentar e veio uma nova
professora que só tinha 13 anos de idade. Uma criança cuidando de outra, e nesse período essa jovem
professora perde um aluno para o mercado de trabalho, pois ele teve que sair da escola para ajudar a
sua mãe que estava muito doente. Então ele foi para acidade pedir esmola para sustentar a sua família.
Jovem professora que nunca tinha saído da aldeia, foi se aventurar a procurar pelo menino na cidade
grande da China, e com essa atitude a jovem consegui mudar a mobilizar todo mundo daquela cidade.
Todos queriam saber o porque da professora ir buscar o aluno. E ela mostra para a população mesmo
4

sem estrutura o importante é o ensino para a criança. E com essa atitude de lutar por um aluno, fez uma
grande diferença, na vida das pessoas que viviam na aldeia, e mudou coma realidade da escola.

O Terceiro Capítulo:

“A Tal Criatividade.”, Leandro Karnal questiona o ideal de criatividade, que depende das condições
de trabalho, da quantidade de turmas, dos alunos e da necessidade de um trabalho específico para
construção e métodos diferentes. CRIATIVIDADE é a capacidade de inventar, e de não repetir, de
surpreender e de ser original.

Filme: Sociedade dos Poetas Mortos. Direção de Peter Weir, EUA, 1989

Esse filme foi estriado por Robin Williams. O filme é bonito e com um dialoga entre professor e aluno
muito interessante, é uma escola tradicional. O filme mostra o risco que o professor esta correndo, por
sair da rotina de escola tradicional. É uma escola só de meninos e os pais que escolhiam a profissões
que os filhos deverião seguir, geralmente era a profissão do pai. Se o pai for médico o filho também ia
ter que ser médico. E ai o professor entra na vida do aluno para a sua formação, os alunos começam a
ter um novo olhar e ver novos horizontes para sua vida. A escola é um espaço ideal para que os jovens
possam se posicionar a partir do que é desenvolvido em sues pesamentos a partir do que eles acreditam.

O Quarto Capítulo:

“Pais, Colegas e Diretores”. São os principais envolventes na formação dos alunos entre outros. È
atribuídos diferentes valores a Pais, Professores e Diretores, no processo de ensino e aprendizagem.
Além disso, a opinião, sobre os limites entre os publico e privado. Há um trecho especial, “No
magistério, deve se ter cuidado com a genialidade solitária e isolada” (pag. 75).

Filme: Adorável Professor,(Mr. Holland’s Opus), Direção de Stephen Herek, EUA,1995

Para quem quer ser professor, antes de mais nada precisa gostar do trabalho, o professor não tem
retorno financeiro para quem o emprega, ele trabalha mais do que um operário.Pois um operário bate
ponto, tem a hora certa de entrar e sair e não leva trabalho para casa. Já o professor, precisa corrigir os
trabalhos dos alunos, fazer provas, montar planos de ensino, entre outros, fora do horário da escola.
Para ser um professor é necessário ter noção do poder que exerce sobre as pessoas, essa profissão
constrói pensamentos, indaga questionamentos, faz transformar o ser aluno em ser social crítico e voz
para expressar, e dá autonomia para o aluno poder mudar a sociedade em que vive para o melhor.
Como pai e como professor o personagem mostra que todos estão em constante aprendizado, todos são
alunos, pois o significado maior de ser um aluno é aprender e ser professor também é ser aluno.
5

O Quinto Capítulo:

“Apertem os cintos, chegou o dia da prova” A discussão é centrada na primeira avaliação do ano e
com ela pode afetar o ambiente das aulas, da escola e principalmente as relações entre professor e
aluno. A verificação de aprendizagem é um momento decisivo para saber se o aluno aprendeu ou não.
Karnal da detalhes, das etapas gerais do processo de revisão, desda elaboração da prova até o
conselho de classe. Pense na avaliação como um documento de cada professor, pois a avaliação deve
se encaixar em um método estabelecido previamente ou até representar um grupo de professores. O
que ocorre é quando a avaliação deve ser aplicada no mesmo dia e horário por outro professores ou
agente da escola, com limites para questõe sabertas e fechadas.

Filme: A Onda, Direção de Alex Grosshoff alemanha

“A Onda”. Em 1981, foi inspirado em um livro, o filme dura aproximadamente quarenta minutos é
contado a história de um professor que influenciou os alunos para a criação de um grupo sem medir as
consequências que causaria. Porém, como poucos devem saber, este livro foi baseado em um evento
real na Califórnia de 1967. O professor quis mostrar para os alunos a força da propaganda e de ser um
grupo, para que os alunos intende-se e estive-se uma experiência como era o nazismo.

O Sexto Capitulo:

“Tecnologia e a Sala de Aula” : O professor retoma algumas concepções pessimista e ótimista sobre
o uso da tecnologia em sala de aula. O professor é afavor desde que isso não seja o foco, tomando todo
o espaço da aula. Fugir da tecnologia não é uma opção para a educação marcam a maneira atual de
acessar a rede mundial. Porém, isso não é algo que deva ser defendido ou imitado.Não é possivel
manter uma profunda atnção em oito janelas ao mesmo tempo, possao ver ou abrir, mas não posso
examinar nenhuma de verdade.È por esse motivo que deve ter uma contribuiçao para a formação mais
autônoma dos sujeitos envolvidos no processomde apredizagem e não o contrário.

Filme: O Sorriso da MonaLisa (MonaLisa Smile).Direção de Mike Newell, EUA,2003

No trailler, a Professora de história de arte Katherine Watson (Julia Robert), educadora liberal para os
conceitos da época, tenta através da história da arte, despertar nas alunas questionamentos sobre as
escolhas que elas devem fazer em suas vidas. A professora éra contra aos padrões sociais vigentes e aos
conceitos machista predominantes na época.

No Penútimo Capítulo

“Disciplina” : foi escrito por ROSE KARNAL, irmã do autor principal LEANDRO KARNAL. Ela
é uma professora com mais de trinta anos de carreira no iniciais do ensino fundamental. Rose, defende
a necessidade de limites entre atuação do professor e dos alunos, além disso, ela é a favor da “punição”,
para que os alunos possam aprender, cada vez mais com os erros e com as consequencias. A professora
6

conta que sua paixão pelo ensino começou na infância, com as brincadeiras de bonecas, lembra que em
seu estágio na graduação no curso normal, ela foi mal recebida pelos alunos, que não aceitavam a
partirda da estagiária anterior, a estagiária anterior éra muito querida pelos alunos.

Mas, mesmo assim não desistiu, e as brincadeiras de crianças se tornaram profissão. Além desse
acontecimento desafiador, a professora explica que “Inumera situações complexas acompanham o
cotidiano escolar, desde a falta de materiais, número de alunos por turma, falta de motivação, violência
verbal ou física, a indisciplina...”( pag.111)

Para esses e outros problema da profissão, a professora relata uma atitude: “Procuro preparar as aulas
da semana, elabarar atividades e mais, para evitar a criação repetina durante os períodos”( pag.113 )
Ao final, há uma lista de fundamentos para que a disciplin prevaleça em sala de aula.

Filme:O Escritores da Liberdades, Freedom Writers,Direção de Richard La Gravenese,


EUA, 2007.

Escritores da Liberdade é um filme classificado como gênero de DramEstrelado pela atriz Hillary
Swank, que vive a personagem da professora “ERIN GRUWELL”. A história se passa por volta do ano
1992, onde a cidade de Los Angeles vive uma verdadeira guerra nos seus bairros mais pobres, causados
por ganges que são movidos pela tensões raciais.O Filme mostra á trajetória de uma professora de
língua inglesa e literatura, que busca reduzir os conflitos estabelecidos em uma instituição de ensino
com alunos vindo de ambientes muito violentos, assim como o que ocorre na maioria das escolas
brasileiras.

A Professora resgata o respeito e a autoconfiança dos alunos. Ela apresenta para eles uma nova
realidade possível de transformação como aponta Paulo Freire em sua obra Pedagogia de Oprimido, os
alunos saem da condições de marginalidade de oprimidos e iniciam no campo das possibilidades, ao
lutarem pelos seus ideais, pelas suas conquistas ao enfren tar os obstáculos, não mais com a mais com o
conhecimento.

Esse filme mostra como um professor faz diferença na vida de um aluno, como o professor é o
principal influenciador de uma sociedade, basta o professor ter um olhar especial por cada aluno.

O oitavo e ultimo capítulo:

“Por que Continuo Sendo Professor?” Leandro Karnal faz umbalanço com algumas flores e espinhos
da sua profissão, Ele deixa claro o seu gostopor estar entre outras pessoas e por acreditar no poder da
transformação através do conhecimento. Finalizando com linhas motivadoras:
“Por que eu continuo professor? Porque eu faço muita diferença na vida de muita gente.”
“Sou professor porque sou feliz”
“Não houve um único dia neste 30 anos em que eu não sentisse uma emoção por ser professor.”
(pag.133)
7

Filme: Ao Mestre Com Carinho, (To Sir, With Love).Direção de James Clavell. Reino Unido,
1997
O enredo trata-se do Sr. Thackeray da Guiana Inglesa, ele estava esperando resposta a dezoito
meses para ser engenheiro em uma empresa, como não o chamavam, ele não poderia esperar
mais e foi em busca de trabalho como professor de história, em uma escola secundária de
Londres. Nesta escola o diretor e alguns professores queriam desencorajar o professor Sr. Thackeray
falando das realidades tristes que é passado por causa dos alunos, e a educação cada vez mais difícil
por conta da violência, falta de educação e só quererem se divertirem.
Más, o Sr. Thackeray não desistiu e lutou não com armas e nem palavrões e sim com a cortesia e
respeito, no começo foi difícil e criticado pelos alunos, pois não acreditavam que ele queria o bem
deles, com o tempo a visão da classe foi mudando. As aulas não eram somente de história, falava-se
sobre vários assuntos relacionado com a realidade de vida que aquela cidade vivia, incluindo o racismo,
e claro o mais importante, tratar com a moral das pessoas e entre eles na classe, tão foram melhorando
de acordo com a aceitação e prática de cada um. A figura do professor nesse filme se retrata quase de
uma forma atemporal, pois o que ele passa no filme, ainda ocorre em muitas escolas no nosso país, com
o professor não formado na área em que atuam. Esse filme é uma grande oportunidade para refletir e
para quem tem duvida de seguir a carreira de professor, porque aponta a realidade da escola.

CONCLUSÃO:
O Livro Conversas Com Um Jovem professor é um texto leve e com grandes possibilidades de
inspirações e orientações para aqueles que são ou se tornarão professores. Leandro Karnal,contribui
para quem estiver interessado em conhecer e pensar sobre questões práticas e menos específicas de
áreas disciplinares, envolvidas com a educação e o ensino.