Você está na página 1de 192

DARK HORSE BOOKS

CD PROJEKT RED
Chefe de Estúdio
ADAM BADOWSKI
Gestores de Projeto
KAROLINA LEWANDOWSKA, ASHLEY KARAS
Autor
MARCIN BATYLDA
Tradutor (para o inglês)
TRAVIS CURRIT
Revisores
ANDREW STONE, TRAVIS CURRIT,
KAROLINA NIEWĘGŁOWSKA,
JAKUB SZAMAŁEK
Editor
MARCIN BLACHA
Supervisor de Arte
PRZEMYSŁAW JUSZCZYK
Diretor de Arte
BARTŁOMIEJ GAWEŁ

Gerente de Desenvolvimento de Negócios


RAFAŁ JAKI
VP de Desenvolvimento de Negócios
MICHAŁ NOWAKOWSKI

DARK HORSE
Publisher
MIKE RICHARDSON
Editor
DANIEL CHABON
Editor Assistente
IAN TUCKER
Designer
DAVID NESTELLE
Produção Digital
ALLYSON HALLER

THE WORLD OF THE WITCHER


The Witcher® é marca registrada da CD PROJEKT S. A. The Witcher games © CD PROJEKT S. A. Todos os direitos
reservados. O jogo The Witcher é baseado em prosa de Andrzej Sapkowski. Todos os demais direitos autorais e as
marcas comerciais são propriedade dos seus respectivos donos. Dark Horse Books® é uma marca comercial de Dark
Horse Comics, Inc., registrada em várias categorias e países. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta
publicação pode ser reproduzida ou transmitida de nenhuma forma e por nenhum meio sem a autorização expressa
por escrito da Dark Horse Comics, Inc. Nomes, personagens, lugares e incidentes apresentados nesta publicação
são produto da imaginação do autor ou usados de forma fictícia. Qualquer semelhança com pessoas verdadeiras
(vivas ou mortas), eventos, instituições ou localidades, se não houver a intenção de satirizar, é coincidência.

Publicado pela Dark Horse Books


Uma divisão da Dark Horse Comics
10956 SE Rua Principal
Milwaukie, OR 97222
DarkHorse.com

Publicado no Brasil por

EDIOURO PUBLICAÇÕES
DE PASSATEMPOS E MULTIMÍDIA LTDA.

DIRETORIA
Jorge Carneiro e Rogério Ventura VERSÃO BRASILEIRA
EDITOR-CHEFE
Daniel Stycer CRIATIVO
MERCA D O ED ITO RIA L

DIRETOR DE ARTE
Télio Navega PUBLISHER

DESIGN Carlos Rodrigues AGRADECIMENTOS


Jefferson Gomes A tradução brasileira gostaria de agradecer a Silvio
DIRETORA FINANCEIRA
REVISÃO Compagnoni Martins (marketing da CD Projekt Red no
Esilene Lopes de Lima
Dalva Corrêa, Maria Flavia dos Reis e Marta Cataldo Brasil), Olga Baginska-Shinzato (tradutora da continuação

MARKETING DIREÇÃO DE ARTE brasileira dos livros poloneses da saga do bruxo Geralt), Paula Ianelli

Everson Chaves Eduardo Nojiri Gonçalves (responsável pela tradução brasileira do game The Witcher
CONTROLE 3: Wild Hunt) e Maicon Santos (grande fã da saga) pela
ASSISTENTE DE ARTE contribuição na consultoria e pelo carinho com o
William Cardoso
Marcial Balbás projeto. Um obrigado especial também ao saudoso
CIRCULAÇÃO
Luciana Pereira TRADUÇÃO
Tomasz Barcinski (tradutor dos quatro primeiros livros poloneses
da saga do bruxo Geralt e grande colaborador na disseminação da cultura
Rua Nova Jerusalém, 345 Lucas Dias e
polonesa no Brasil).
Ao seu trabalho e família, o nosso
CEP 21042-235 — Rio de Janeiro, RJ. Tel.: (0XX21) 3882-8200; Geraldo Bosco
Distribuição: Dinap Ltda. – Distribuidora Nacional de Publicações, respeito e carinho.
Rua Dr. Kenkiti Shimomoto, no 1678, CEP 06045-390 Osasco – SP. REVISÃO
Tel.: (0XX11) 3789-3000 René Ferri IMPRESSO NA RR DONNELLEY
ÍNDICE
Introdução, 7

CAPÍTULO I
O Mundo e Seus Habitantes, 9

CAPÍTULO II
Os Bruxos, 49

CAPÍTULO III
A Magia e as Religiões do Continente, 77

CAPÍTULO IV
As Criaturas dos Reinos do Norte, 111

CAPÍTULO V
A História de Geralt de Rívia, 141
Caro leitor,
O volume que você tem em mãos é uma compilação de uma infinidade de
ideias e esboços, tanto de minha autoria quanto da autoria de outros, dos
quais pude adquirir, copiar ou obter de alguma maneira durante muitas das
minhas viagens. Em razão disso, nutri uma paixão por coletar informações
através de conversas calorosas, para que elas, posteriormente, venham a
servir como forma de inspiração ou objeto de reflexão.
A maior parte das anotações que escrevi serviu como base para
a criação de minha grande obra pessoal intitulada Meio Século de
Poesia. Apresso-me em dizer que, embora cuspindo com alegria na cara
da falsa modéstia, qualquer um que se importe com sua reputação,
como pessoa educada e bem letrada, e não um simples tolo ou ignorante,
logo deverá se identificar com este volume. Para aqueles que ainda não
estão familiarizados com esta obra-prima de puro talento, recheada de
emocionantes aventuras e encantadoras poesias, ela estará, sem dúvida,
disponível nas mais finas bibliotecas de sua região; ou mesmo na casa de
seu amigo mais culto e exigente.
Todavia, uma grande parcela dos documentos que reuni não
encontrou espaço no livro há pouco mencionado. Tais eram, em sua maioria,
textos escritos por outros além de mim, e desta forma, compreensivelmente,
eles não seriam incluídos em minhas memórias. Ainda assim, alguns deles
eram interessantes o suficiente a ponto de eu me convencer a utilizá-los
neste volume — após, obviamente, uma revisão cuidadosa e de acrescentar
os devidos comentários. Espero, caro leitor, que folhear estas páginas lhe
traga muito prazer e satisfação. Antes de mais nada, contudo, pretendo
lhe conceder uma perspectiva mais ampla a respeito de magia, feiticeiros,
a história do mundo em geral, o passado histórico dos bruxos, e, em
particular, de meu amigo Geralt de Rívia.

— Dandelion
9

CAPÍTULO I

O MUNDO
E SEUS
HABITANTES
A
história de nosso continente foi registrada em um volume
extenso de tratados e documentos. O famoso A História do
Mundo, pelo esplêndido Roderick de Novembre, deve ser
mencionado acima de tudo. Essa era uma das leituras preferidas
entre os estudantes da academia de Oxenfurt durante o meu tempo
por lá, embora isso talvez se deva ao fato de que o livro era tão
grande que poderiam facilmente usá-lo para esconder uma garrafa
de vodca ao transitarem pelo auditório. Eu gostaria de acrescentar
que, sinceramente, eu, um homem jamais seduzido pela eminência
acadêmica, sempre considerei o gigantesco atlas geográfico muito mais
apropriado para este fim.
Quanto às críticas sobre o conteúdo presente em A História do
Mundo, muitos o consideram um tanto controverso e anacrônico, o
que é compreensível, pois, no mínimo, a abordagem dos fatos neste
livro não é totalmente livre de preconceitos. Contudo, isso não significa
que eu esteja atribuindo qualquer má intenção à figura de Roderick
de Novembre — afinal, qualquer um, mesmo o mais respeitado dos
historiadores, é fruto de seu tempo, de sua cultura e de sua nação.
Consequentemente, não há motivo para espanto, tendo em mente
que uma história sobre a formação dos reinos, guerras e conflitos
raciais escrita por um ser humano vá sempre enaltecer o ponto de
vista humano, isto é, o mais amplamente conhecido.
Desta forma, eu altamente recomendo o capítulo a seguir, pois ele
contém reflexões únicas sobre a nossa história e geografia, concebidas
por um membro de uma espécie completamente diferente. Ele foi
escrito por Villentretenmerth, um dragão dourado, conhecido em
sua forma humana como o cavaleiro Borch Três Gralhas, que devido
a sua longevidade e capacidade de mudar de forma, teve diversas
oportunidades para observar a sociedade humana e o acontecimento
de muitos eventos importantes. Além do mais, ele mostrou um grande
interesse por nossa espécie em particular, algo realmente atípico para
um dragão, que não se limita a nos classificar como uma parte do seu
cardápio. Assim, ele provou ser um astuto dissertador na história das
nossas espécies e de nosso mundo como um todo.

— Dandelion
10

O MUNDO
E SUA HISTÓRIA
Sua espécie gosta de celebrar a história, de pôr
a pena no papel, comemorar, organizar, regis-
trar. Vocês enchem as páginas de volumosos
tomos com isso, traçam linhas em pergaminhos,
imortalizam seus feitos humanos em canções.
As raízes dessa paixão são comumente encon-
tradas em um passado distante, quando a
sua espécie ainda era jovem. Não importa
o período, o lugar ou a sociedade, uma vez
que vocês abandonaram o estado primiti-
vo de arrebentar, com ossadas de animais,
os crânios uns dos outros, ansiosamente
começaram a contemplar qual seria a melhor
maneira de imortalizar esta luta para inflar a
vossa grande glória e nutrir a memória de seus
descendentes. Talvez seja por esse motivo que a
história da humanidade é, de forma irrevogável,
uma história de guerras e conquistas.

A declaração acima não nasce do preconceito. Pelo con-


trário, eu sou um dos poucos membros de minha espécie
que viveu entre vocês e que pode até, de certa forma, admitir
afeição por sua raça. Em vista disso, eu sempre observei as
suas realizações com curiosidade, embora certos atos
devam ser condenados, sem sombra de dúvida,
e tratados com desprezo. Eu nem precisaria
ir tão longe para dizer que muitos dos seus
indivíduos mereceriam o emprego da palavra
monstro como definição, esta mesma palavra
que vocês tanto usam para descrever espécies dife-
rentes da sua.
Mas vamos voltar à história, ou mais precisa-
mente aos contos deste mundo. Eles também tratam
bastante sobre histórias de guerra e conquista,
mas foram registrados muito tempo antes da sua
chegada.

Os Primeiros Povos
destas Terras
É dito nos milenares contos dos anões que os ha-
bitantes mais antigos desta região do mundo são
os gnomos. Outros, por sua vez, afirmam que
existe uma evidência circunstancial de que
raças como os vrans ou os, quase extintos,
bobolacos datam de tempos ainda mais re-
motos. Assim, meu querido leitor, como você
pode certamente presumir, é deveras dif ícil

O Mundo de The Witcher


11
“Levando em conta todas as evidências à nossa disposição,
uma pessoa de mente aberta deve permanecer receptiva às
possibilidades de existirem outros universos. A teoria que parte
da premissa de que algumas das estrelas vistas no céu são
determinar se foram ver- mundos separados do nosso, pelo tempo e espaço, continua a mesmos, tenham vindo de
dadeiramente os gnomos a ganhar mais e mais defensores entre os feiticeiros, acadêmicos outro mundo. Sem dúvida,
primeira raça a povoar estas e cosmólogos. Embora tais deliberações não sejam bem-vistas por meio de passagens má-
terras. No entanto, sabe-se pela maioria dos membros do clero, os protestos dos sacerdotes gicas ou portais de qualquer
de fato que estes formaram não devem impedir os pesquisadores de continuar tentando outra espécie. Acredita-se
pequenas colônias nos ar- descobrir a verdade. Pois da mesma maneira que o formato de que eles desembarcaram
redores montanhosos de nossa sphaera mundi foi provado sem margem para dúvidas, de suas naves brancas há
Mahakam e Tir Tochair, ainda que sob a pressão do sacerdócio, a resposta correta para mais ou menos dois mil e
em tempos quando nem a questão aqui será encontrada novamente, não na religião, quinhentos anos. Assim,
mesmo os anões haviam mas sim no crítico e inabalável estudo da razão.” prontamente iniciaram uma
chegado a estas terras, por gradual colonização por
volta de uns três ou quatro — Anônimo estas terras, que durou por
mil anos atrás. volta de dez séculos. Essa
O encontro entre gno- expansão também foi rela-
mos e anões foi surpreen- tivamente pacífica, embora
dentemente pacífico. Que a verdade seja dita: essa pode ter alguns contratempos tenham ocorrido. Afinal, qualquer um
sido a única ocasião em que os recém-chegados não iniciaram que já tenha conhecido um elfo sabe que sua natureza não é
sua povoação declarando guerra contra aqueles que lá já das mais amistosas, e desta forma fica fácil supor que eles já A colonização humana do
estavam. Porém, isso fica menos surpreendente quando se tenham entrado em confronto com outras raças — como os continente começou com
uma série ininterrupta
considera a similaridade entre as raças, visto que seus hábitos vrans, bobolacos e anões. Contudo, estas desavenças nunca de conflitos e guerras
e preferências são semelhantes, coexistindo, assim, em uma chegaram ao ponto de iniciar uma guerra generalizada ou sangrentas com outras
raças por ali existentes.
única sociedade sem muitas tensões ou conflitos internos. desencadear tentativas de exterminar a vizinhança. O resultado disso foi o
De fato, suas boas relações se mantêm até os dias de hoje. Talvez seja por isso que, apesar de todas as suas diferen- estabelecimento de uma
hegemonia duradoura
Em seguida, surgiram os elfos pelo horizonte radiante. ças culturais e rixas passadas as relações entre elfos e anões da humanidade sobre os
Parece mais provável dizer que eles, assim como vocês continuem amigáveis, de certa forma. atuais Reinos do Norte.

O Mundo e seus Habitantes


12 “A opinião dos elfos de que a suposta aparição dos humanos
tenha ocorrido durante a Conjunção das Esferas é mais uma
prova da natureza vil e da perfídia dessa raça esquecida
pelos deuses! O que nos trouxe este terrível evento, esta
na região, agora conhecida
A Chegada catástrofe monstruosa lançada sobre a humanidade para
como os Reinos do Norte,
dos Humanos nos condenar? Magia! Ela pariu a magia, tola e imunda, e
começou há relativamente
por consequência os feiticeiros, aqueles que ousam se envolver
com os poderes e capacidades pertencentes somente aos pouco tempo, por volta de
É de senso comum que deuses! Também deu origem a essas criaturas repugnantes quinhentos anos atrás. Foi
a sua raça chegou nesse que ameaçam a vida de todos os homens justos e tementes aos então que o evento hoje
mundo junto à Conjunção deuses! É blasfêmia crer que viemos ao mundo durante este chamado de “O Desembar-
das Esferas — o grande incidente maldito! É uma conspiração criada por essas raças que dos Exilados” ocorreu.
cataclisma mágico que con- autoproclamadas anciãs, para mascarar a verdade e usurpar Ele se iniciou quando na-
tinua inexplicado até os dias este mundo, que por decreto divino é herança dos homens!” vios contendo os homens
de hoje. De acordo com os que dariam origem aos
registros humanos, esse — Retirado dos sermões de Sigeberto, um padre, durante o Reinos do Norte atracaram
evento ocorreu por volta de período de caça às bruxas (1272-1276) no delta do Pontar e na foz
mil e quinhentos anos atrás. do Yaruga.
É dif ícil determinar quanto É dif ícil dizer de onde
tempo esse processo durou, vieram esses “exilados”,
mas, como resultado, uma grande quantidade de outras já que nesse detalhe crucial as lendas permanecem no-
criaturas apareceu — criaturas que, sem dúvida, não são tavelmente silenciosas. Se eles foram, de fato, exilados,
nativas desse mundo. eu arrisco dizer que isso não foi devido à sua natureza
A Conjunção das Esferas também originou um outro gentil e bondosa, afinal, durante os últimos séculos, seus
fenômeno — denominado magia, que fluiu para dentro descendentes têm se provado ser um povo belicoso, de-
de nosso mundo e se tornou, como se poderia dizer, uma terminado e intolerante.
parte integral dele. Além do mais, não está muito claro como se deu esse
Embora, como eu já tenha dito, quinze séculos tenham Primeiro Desembarque, nem quais foram os primeiros a
se passado desde aquele tempo, a devida expansão humana receber os recém-chegados, pois, se os exilados tivessem

As ruínas élficas são


testemunhas mudas do
surgimento, ascensão e
declínio dos Aen Seidhe.
Poucas construções
sobreviveram em bom
estado, pois, ao fugirem
do ataque dos humanos,
os elfos destruíram
a maioria de suas
obras, não querendo
vê-las caírem nas
mãos dos invasores.

O Mundo de The Witcher


13
OS WOZGOR E OS DAUK
“De acordo com a classificação de Arnelius Grock, os
Wozgor e os Dauk estão entre as culturas humanas mais
antigas que aqui chegaram logo após a Conjunção das
encontrado qualquer outra Logo, os elfos cederam e
Esferas. Eles colonizaram as terras entre as Montanhas do
tribo humana por aqui, Dragão e o golfo de Praxeda, que formam o atual território até mesmo abandonaram al-
ela teria sido rapidamente dos Reinos de Kovir e Poviss (especificamente, os ducados gumas de suas cidades. Estas
incorporada pelos conquis- de Narok, Velhad e Talgar) e os principados da Liga de foram tomadas sem demora
tadores, já que nas crônicas Hengfors (nas terras de Caingorn, Malleore, Creyden e pelos invasores para ergue-
não há nenhum traço da Holopole), assim como os da Redânia setentrional (na rem seus próprios lares em
existência de outros huma- região de Gelibol e no Vale de Nimnar). Dados levantados cima das fundações élficas.
nos além desses exilados. sobre esses povos são baseados principalmente nas Em resumo, os elfos perde-
Entretanto, certamente remanescências de seu material cultural. ram a chance de, como eles
eles conheceram os elfos, Os escritos restantes, encontrados nos menires dos Dauk e gostam de choramingar até
nas lápides das necrópoles dos Wozgor, formaram o alicerce
que sendo uma das raças já hoje, “empurrar os humanos
para várias profecias e presságios (vide: ‘A Maldição do
estabelecidas, aprenderam de volta pro mar” — tarde
Sol Negro’), que permanecem questionáveis até o presente
dolorosamente quais eram momento (vide: ‘A Mania de Eltibaldo, o Louco’). Alguns
demais para reclamar, depois
as ambições dos novos co- acadêmicos estipulam que as crenças dos Wozgor e dos de meros quinhentos anos.
lonizadores. Dauk continuam vivas na forma da religião de Melitele e Voltando ao que eu tinha
de outras seitas menores (cf. Coram Agh Tera e Veyopatis). dito, a existência humana
Os eventos que levaram à extinção de ambos os povos está repleta de discórdias.
A Formação permanecem severamente contestados entre os acadêmicos.” Ao mesmo tempo em que
dos Reinos — Annanias Uldvikel, “As Antigas Culturas Humanas e
eles saíram para conquistar
as terras das outras raças,
do Norte e suas Relíquias” os primeiros colonizadores
as Guerras humanos começaram a se
com os desentender entre si. Em
Não Humanos tese, estes tempos passados
outrora se resumiam ao comicamente cáustico fato de que a
Inicialmente, os elfos detinham uma vantagem significante cada quatro navios atracados surgiam três novos reinos, onde
sobre os recém-chegados, mas eles imprudentemente quase todo mundo desejava não somente mandar em si mesmo,
Séculos atrás, grande
ignoraram a ameaça que os seres humanos representavam. como também governar os outros. parte do interior do
Quando os primeiros confrontos eclodiram, eles op- É por esse motivo que as crônicas sobre a história humana continente era coberta
por mata virgem. À
taram por não empunhar armas, raciocínio adotado para antiga contêm, em sua maioria, descrições de disputas e medida que os humanos
evitar o derramamento de sangue e a perda de milhões de guerras internas, às quais foram atribuídos nomes gran- deixaram a foz do Yaruga,
eles desmataram mais e
vidas. Ao invés disso, recuaram, acreditando fielmente que diloquentes, tais como “Esculpindo a Soberania” ou “O mais florestas, reduzindo
os novos habitantes iriam, em algum momento, enfim parar Fortalecimento do Poder Real”. a grande selva a uma
imensidão de tocos
sua marcha incansável ao leste. Eles, mais tarde, pagariam Como é típico em tais ocasiões, os mais fortes, mais para abrir espaço aos
caro por essa decisão. ambiciosos e mais astutos — pelo bem da simplicidade, campos e fazendas.

O Mundo e seus Habitantes


14
“Não menos do que duas dúzias das cidades dos
Reinos do Norte estão localizadas nos sítios dos antigos
assentamentos élficos. Entre elas, estão a acadêmica
chamados de reis (embora Oxenfurt e a Cidade Livre de Novigrad, bem como a dos, acordos foram feitos
capital de Teméria, Vizíma e as cidades de Maribor,
uma lista de seus infinitos — servindo somente para
Tretogor e Cidaris. Ademais, como se pode claramente
títulos autoconcedidos fosse serem quebrados assim
discernir a partir de seu nome, as ruínas élficas de
capaz de ocupar diversas que perdessem a utilidade
Xin’trea também são sítios da atual Cintra.”
páginas deste livro) — tra- para os humanos. Um bom
balhavam incansavelmente exemplo disso foi o trata-
— Fragmento da dissertação de segundo ano, cedida pela
para incorporar, anexar e do de paz com os elfos,
Faculdade de História na Academia de Oxenfurt
fazer das terras de seus vizi- destroçado apenas alguns
nhos desafortunados ou me- anos depois pelo traiçoeiro
nos espertos, suas vassalas. ataque redaniano que cul-
Isso foi, é claro, conseguido minou no massacre de Loc
através dos meios de conquista habituais, como tratados, Muinne. Então, assim começou a segunda guerra entre
casamentos, subornos, chantagens e assassinatos. Poderosos homens e elfos, na qual estes últimos encararam as forças
reinos engoliam os mais fracos, unindo-os sob suas dinastias. esmagadoras dos inimigos com a coragem e persistência
Os frutos amargos E assim expandiram-se os reinos dos homens, declarando de verdadeiros heróis — e acabaram pagando um preço
que foram semeados
durante as guerras
guerra entre si e contra as raças não humanas. Pouco a pouco, tenebroso por isso, uma vez que a flor da juventude élfica
élficas continuam sendo os vrans foram obrigados a recuar para as Montanhas Azuis; pereceu naquele terrível embate, um golpe que essa raça
colhidos até os dias de
hoje. Muitos dos Aen
da mesma forma, os bobolacos defrontaram um destino nunca conseguiu superar.
Seidhe se recusaram similar, tendo seus sobreviventes se refugiado nas regiões Em suma, por volta de quatro séculos após seu de-
a aceitar a derrota e
seguiram investindo
remotas de Mahakam e dos Montes Amell. sembarque, os homens, cujos navios atracaram na foz
em uma impiedosa Por diversas vezes, houve a impressão de que os hu- do Yaruga, já haviam reivindicado para si todas as terras
guerrilha contra os
homens, a qual, entre
manos estariam, no mínimo, satisfeitos com o que já desde o Grande Mar, no Oeste, até as Montanhas Azuis,
suas vítimas, carrega tinham conquistado. Em todas as circunstâncias, esse no Leste, percorrendo do Sul ao Norte, dos Montes Amell
soldados, comerciantes
inocentes e aldeões
pensamento esperançoso acabou se provando um terrível às Montanhas do Dragão. Desta forma, o continente tes-
de ambos os lados. engano. Tratados e pactos de não agressão foram assina- temunhava o nascimento dos Reinos do Norte.

O Mundo de The Witcher


15
SHAERRAWEDD
“Aelirenn, a Rosa Branca de Shaerrawedd, foi ela quem nos
levou para a batalha no desespero deste último confronto,
O Extremo Sul duzentas primaveras atrás. Naquela época, a traição sim, fica dif ícil determinar
humana manchou as calçadas das nossas cidades brancas o quanto os povos do sul
As terras ao sul dos com o sangue dos nossos irmãos. Nós já sabíamos que não têm em comum com os
haveria esperança em vencer a guerra, tudo que os nossos
Montes Amell se desen- do norte.
líderes queriam era preservar o nosso povo. Eles ordenaram
volveram de forma in- Entretanto, pode-se di-
que não deixássemos nada para os invasores conquistarem.
dependente às de seus Nós deveríamos ter destruído nossas casas, demolido nossos
zer, com certeza, que pelo
vizinhos nortenhos. Entre- palácios de mármore, arruinado as fontes cintilantes menos um reino, que mais
tanto, não está claro se os e trazido abaixo nossas torres esbeltas — incluindo as tarde se tornaria o Impé-
homens que formaram os muralhas do nosso orgulho e alegria, a bela Shaerrawedd. rio Nilfgaardiano, foi de
reinos do sul pertenciam Nós deveríamos ter fugido, voltado a nos embrenhar nas fato fundado por um povo
a alguma outra etnia ou se montanhas para construir novos lares, para esperar a saída totalmente distinto; este,
eles e os exilados possuíam dos humanos, como uma longa e severa noite de inverno, até provavelmente, já estava
um ancestral em comum e que o arauto da primavera finalmente chegasse. presente naquelas terras
Mas não Aelirenn. Ela se recusou a fugir sem lutar, a
acabaram trilhando cami- há bem mais do que cin-
destruir todo o nosso trabalho e tudo o que nos era querido.
nhos diferentes eras atrás. co séculos. Tal afirmação
Então, nós a seguimos, embora ela tenha nos alimentado
Para entender a verdade, com ilusões de vitória, em verdade nos prometeu uma
se fundamenta no fato de
faz-se necessário examinar única chance de morrer com honra. E foi isso o que fizemos a sua linguagem ser com-
as lendas das crônicas dos — morremos por ela, com seu nome em nossos lábios, pletamente diferente, com
seus respectivos reinos e morremos pelos blocos de granito e mármore, morremos base na Língua Ancestral,
as genealogias de seus reis. pelo nosso símbolo, por Shaerrawedd.” bem como suas crenças
Mas, para isso, seria preciso distintas, costumes e sua
viajar até o sul distante e — Cuannah aep Finavail, camarada de Iorveth e membro dos mais desenvolvida cultura.
procurar nos grandes tomos Scoia’tael A história do Sul confir- Ao sul, o pequeno reino
guardados na Academia Im- ma a teoria supracitada de de Nilfgaard construiu
lentamente seu poder
perial, dado que, após estas que a história da humani- ao conquistar pequenos
terras terem sido conquis- dade é, em última instância, territórios, um após
o outro. Logo, o seu
tadas por Nilfgaard, a maioria dos escritos foi depositada lá. uma história de conquistas. Neste caso, os governantes de símbolo, o Grande Sol,
Também era esperado que os povos trazidos sob o Nilfgaard ultrapassaram toda a concorrência na corrida para se tornaria o emblema
de um recém-formado
domínio do Império aprendessem a sua língua oficial e subjugar seus vizinhos, auxiliados pela, se me permite dizer, império, o maior que
adotassem os elementos da cultura dos vencedores. As- “diplomacia do aço”. Ao longo de vários séculos, Nilfgaard este mundo já viu.

O Mundo e seus Habitantes


16

O Mundo de The Witcher


17
“Idioma Comum — É a linguagem dos nortelungos, com
exceção das Ilhas Skellige (vide: ‘Língua Ancestral, O
Dialeto das Ilhas Skellige’). A gramática rudimentar e a
pronunciação áspera são claros indicativos de suas raízes
partiu de um reino simples Emreis, prosseguiu com a
bárbaras. Ela se assemelha a uma fusão dos idiomas
para um verdadeiro impé- ordem de ataque.
usados pelos ancestrais dos nortelungos em sua antiga
rio, cujo poder finalmente Sua primeira vítima
terra natal. Tal idioma fora incrementado com conceitos
chegou ao sopé dos Montes veio a ser o Reino de Cin-
e frases pertencentes aos povos e às tribos locais, após
Amell, que o separavam tra. Há pouco mais de
sua chegada ao Norte. A estruturação final do Idioma
dos Reinos do Norte, algu- Comum deu-se posteriormente ao primeiro assentamento
uma década, o exército
mas décadas atrás. dos nortelungos na foz do Yaruga.” nilfgaardiano cruzou o
Desfiladeiro do Marnadal
— Effenberg e Talbot, “Encyclopaedia Maxima Mundi, e derrotou a armada cin-

O Conflito Volume III” trense na foz do passo*


das montanhas. Ainda em
com Nilfgaard marcha, o exército impe-
e as Guerras rial então decidiu aden-
Nórdicas trar os vales e invadir a capital fortificada do reino, o que
acabaria sendo conhecido como o massacre de Cintra.
Naquele tempo, parecia que o Império tinha atingido as suas Após isso, os nilfgaardianos voltaram sua atenção para o
últimas fronteiras naturais. Muitos estudiosos e especialistas Reino de Alagante. Onde, logo depois de dizimar o inimigo
defendem que a ideia de apoiar a marcha para o Norte era na primeira batalha, os Cavaleiros Negros conquistaram
militar e economicamente inútil. Em prol disso, os seus a parte sul daquelas terras, conhecida como a Alagante
historiadores humanos ainda debatem calorosamente quais Norte, antes de cruzarem o rio Yaruga e terem atacado a A guerra contra
eram as razões que levaram às famosas Guerras Nórdicas. região superior do reino. Lá, finalmente os nilfgaardianos Nilfgaard se tornou mais
uma oportunidade de
Supostamente, Nilfgaard não teria interesses em parti- tiveram um embate à altura, pois o Império se viu con- perseguir os elfos, que
cipar de uma guerra. Além do mais, os nortelungos eram frontado pelos exércitos de Redânia, Teméria, Aedirn e apoiaram os invasores na
esperança de, no mínimo,
um povo belicista e movido por batalhas, assim, era mais Kaedwen, todos unidos sob a liderança de Vizimir, o Rei recuperar algumas de
rentável para o comércio fazer negócios com eles, afinal, o de Redânia, bem como os feiticeiros dos Reinos do Norte. suas terras perdidas.
Os contos alegam
Império precisava de mercados externos para seus produtos. Na famosa Segunda Batalha de Alagante, o avanço do Im- que os nilfgaardianos,
De qualquer forma, a investida que se deu sobre os Montes pério, considerado imbatível, foi interrompido e o exército adeptos de uma variação
da Língua Ancestral,
Amell e o rio Yaruga prometeu poucos ou quase nenhum nilfgaardiano, reprimido por todo o curso do Yaruga. Sendo eram descendentes
ganho, sendo de grande risco e extremamente complicada assim, a Primeira Guerra Nilfgaardiana terminou em um dos Seidhe Negros, e
desta forma herdaram
no que se refere à logística dos tempos de guerra. Mesmo impasse precário, com os dois lados se encarando com e intensificaram o seu
assim, o governante de Nilfgaard, Imperador Emhyr var receio entre as margens do grande rio. preconceito racial.

*N.E.: Acidente geográfico, ponto mais baixo entre dois picos; desfiladeiro. O Mundo e seus Habitantes
18 “A Batalha do Vale do Marnadal levou um dia e uma noite inteiros,
ao passo que o exército cintrense, que não recuava de forma
alguma, lutava bravamente mesmo sob a face de uma desvantagem
esmagadora. Quando o Rei Eist Tuirseach caiu, a Rainha Calanthe
Norte que conheceu seu fim
O Crescente assumiu o comando e impediu que seu exército debandasse.
Reunindo sob sua bandeira os regimentos cintrenses que estavam pela adaga de um assassino,
Conflito e espalhados, ela perfurou o cerco inimigo e conseguiu chegar até ainstaurando o caos em seu
a Segunda cidade; pois um coração destemido batia no peito da Leoa de Cintra,
reino. Nesse ínterim, Emhyr
Guerra que provou ser mais valente naquela batalha sangrenta do que trabalhou para cultivar uma
muitos homens. A corajosa rainha cobriu a retirada pessoalmente, desavença interna entre os
tomando a frente de seus cavaleiros em uma batida desesperada
Era uma paz tão instável que feiticeiros que haviam sido
por vingança contra a infantaria nilfgaardiana. No final, ela teve de
não poderia durar, e ambos de grande contribuição
ser levada para dentro da cidade pelos seus leais vassalos por ter se
os lados se prepararam para ferido gravemente com as lanças nilfgaardianas. para sua derrota passada.
a inevitável retomada das Em seguida, os Capas Negras avançaram sobre a cidade em Ele, então, prometeu po-
hostilidades. Os líderes da marcha, e por haver poucos soldados guardando as muralhas de der, riqueza e status aos
coalizão anterior — os reis de Cintra, a cidade foi invadida e teve seu povo cruelmente abatido gananciosos e insatisfeitos,
Redânia, Teméria, Kaedwen e ao longo de dolorosos dias. Contudo, mesmo diante de toda essa alimentando ainda mais
Aedirn, assim como a rainha ofensiva, o forte castelo real resistiu por um certo tempo, e quando os
suas ambições e semeando
invasores conseguiram atravessar os portões, eles não encontraram
de Lyria, foram encorajados a discórdia dentro de suas
ninguém vivo, uma vez que a linha de defesa — um punhado de
por sua vitória e pretendiam sociedades.
cadáveres de cavaleiros, barões e suas famílias — preferiu morrer
tomar a iniciativa. Eles pla- a ser desonrada pela escravidão. A Rainha Calanthe pediu para
Quase exatamente no
nejaram lançar um ataque que seus vassalos a matassem, mas ninguém conseguia levantar mesmo momento em que
surpresa que iria retomar um braço contra a amada monarca. Dessa maneira, apesar de seus os exércitos nilfgaardianos
Alagante Norte e o Reino de repentinamente surgiram
ferimentos, a rainha se arrastou até as altas muralhas e pelas ameias
Cintra, e, desta maneira, em- se atirou. Assim morreu Calanthe Fiona Riannon, a Leoa de Cintra.pelo Yaruga em seu cur-
purrar Nilfgaard para além so superior, as unidades
do Marnadal. Eles chegaram — Um conto sobre a queda de Cintra Scoia’tael, seduzidas pelas
até a iniciar os preparativos promessas desonestas de
dessa operação, mas o Im- liberdade élfica feitas pelo
perador Emhyr var Emreis, Imperador, caíram sobre a
a raposa ardilosa, agiu primeiro, conseguindo, secretamente, retaguarda dos nortelungos. Os invasores concentraram
completar seus próprios arranjos para a guerra. todo o volume de seu poderio nas forças mais fracas da
Os ditos preparativos começaram com o descarte daqueles coalizão em seu flanco direito, dessa maneira, esmagando
responsáveis pela recente derrota — desde os próprios co- facilmente os exércitos de Lyria e Aedirn.
mandantes militares de Nilfgaard até seus inimigos no Norte. As batalhas continuavam se alastrando quando Kaedwen
Antigos dirigentes rapidamente se encontraram sob a espada repentinamente trocou de lado, quebrando todos os tratados,
do executor, sendo posteriormente substituídos por jovens e acordos e alianças antecedentes. Seus exércitos cruzaram
ambiciosos oficiais, cativados pela nova estratégia militar de o Pontar, anexando parte dos territórios de seus vizinhos
guerra-relâmpago, ou, como dizia o termo deles, “blitz’’. Entre sulistas — selando, dessa forma, o destino de Aedirn.
muitas das vítimas, estava alguém alvo de uma meticulosa teia Teméria, agora, permaneceu sozinha no campo de bata-
de conspirações: o Rei Vizimir da Redânia, líder da coalizão do lha. O Rei Foltest, querendo ou não, precisou ceder e assinar

As tropas imperiais
iniciaram a guerra com
uma série de vitórias
impressionantes,
rompendo com facilidade
as defesas de Lyria,
Rívia e Aedirn. Do
mesmo modo, duas
semanas depois, o
exército nilfgaardiano
atravessou a fronteira
para o sul de Teméria,
deixando um rastro de
cadáveres pelo caminho.

O Mundo de The Witcher


19
“. . . E vinte e dois feiticeiros ergueram-se sobre a Colina de
Alagante na promessa de, ou conter com seus poderes a ofensiva
do exército nilfgaardiano, ou perecer na tentativa. Foi uma
batalha terrível, imortalizada em canções. O fogo choveu dos
uma trégua à parte com o céus, raios caíam incessantemente, e a própria terra gemeu deixando-os vulneráveis
Império, mais precisamen- como se estivesse sendo atormentada pelas energias crepitantes para as constantes investidas
te após o seu flanco direi- que fluíam através dela, enquanto os heroicos feiticeiros das guerrilhas dos reinos
to ter sido ameaçado pelo lançavam sua magia contra os invocamentos dos necromantes derrotados. Meve, a rainha
Rei Ervyll de Verden, que nilfgaardianos. Treze dos seus dariam suas vidas para de Lyria, mobilizou tropas
também mudou de lado enfraquecer a força dos Cavaleiros Negros, deixando ao fim do para importunar e confundir
reverenciando Emhyr. A dia apenas nove exauridos e ensanguentados, porém, triunfantes as forças de ocupação; logo,
trégua citada, como tantas sobreviventes. O lugar onde eles mantiveram posição, outrora o estado vassalo de Verden
conhecido como a Montanha do Gavião, é agora chamado de
outras ao longo da história enfrentaria a sua própria
Montanha dos Feiticeiros ou Montanha dos Catorze. ‘Catorze’
das guerras, acabou por ter insurreição anti-imperial.
porque, durante algum tempo, ninguém conseguia contar os
um valor ainda menor que Aliados menores dos
mortos, nem reconhecer todos os seus cadáveres. No entanto,
o do próprio papel no qual isso não estava exato, pois acreditava-se que a feiticeira Triss quatro reinos também
fora escrita. De tal forma, Merigold estaria entre os que pereceram, quando, de fato, ela se juntaram à guerra. Os
meros dezesseis dias após sobreviveu, apesar de suas terríveis feridas. Por esta razão, seu insulanos de Skellige lan-
sua assinatura, os exérci- nome, ao lado dos outros treze, está gravado no obelisco situado çaram ataques piratas so-
tos nilfgaardianos, apoiados no monte, sendo a própria Merigold conhecida como a Décima bre todas as províncias
pelos voluntários de Ver- Quarta da Colina.” costeiras nilfgaardianas, e
den e unidades Scoia’tael, em conjunto com a frota
atacaram Teméria e seus — Marcus Marcellinus, “Feiticeiras e Feiticeiros” de Ethain de Cidaris, in-
protetorados — Brugge e terromperam as linhas de
Alagante Sul. abastecimento marítimo.
Os resultados acabaram Com todos estes con-
resumidos em uma expressão pitoresca, porém, franca- tratempos, o mito do império imbatível foi aterrado para
mente precisa em toda a sua vulgaridade, que circulou sempre. Voluntários começavam a migrar para o exército
entre o povo comum: “Emhyr enrabou Foltest sem nem temeriano, enquanto a Redânia, que finalmente se recupe-
ao menos usar sebo”. rava do choque de perder o seu rei, enviava de última hora
um corpo expedicionário para ajudar seu vizinho do sul. Os Após a morte de Eist
Tuirseach, o rei de
reinos de Kovir e Poviss permaneceram oficialmente neutros, Cintra nascido em
no entanto há quem diga que eles forneceram contribuição Skellige, os insulanos se

Um Império Detido financeira significativa para auxiliar a coalizão. Certamente, tornaram os adversários
mais implacáveis dos
os condotieros de Kovir das Companhias Livres lutaram ao nilfgaardianos. Durante
a guerra, seus grandes
O referido “enrabamento” foi felizmente interrompido pela che- lado dos Reinos do Norte. navios desempenharam
gada do inverno, e a sua tentativa de retomada após a chegada A batalha decisiva teve seu palco no vilarejo de Brenna, um papel-chave: agindo
como corsários, eles
da primavera não saiu da forma que o Imperador desejava. onde as forças unidas de Redânia e Teméria foram comanda- realizaram dúzias
Os opositores, inseridos no próprio Império, que não que- das pelo oficial da guarda temeriana, John Natalis, e apoiadas de incursões que
quase paralisaram
riam ver Emhyr triunfante na guerra, arquitetaram para que os por tropas mercenárias juntamente dos anões voluntários completamente as rotas
exércitos imperiais seguissem se arrastando desairosamente, de Mahakam. Após um dia inteiro de combate intenso, os marítimas do Império.

O Mundo e seus Habitantes


20
“. . . Esquilos, ou Scoia’tael na língua élfica. O nome
supostamente vem das caudas de esquilos que eles prendem
em seus gorros como sua insígnia. Outros dizem que, como
eles vivem na floresta, sobrevivem comendo nozes, assim como
aliados do Norte finalmente taneamente reacenderam
os esquilos . . . Eles se chamam de guerreiros da liberdade
venceram o exército nilfgaar- sua disputa por Lormark,
élfica. Eu, pelo menos, não invejo a liberdade deles, só que não
diano do marechal Menno concordo muito com a ideia de massacrar todos os humanos ou Aedirn Norte, já que
Coehoorn, provando mais cada lado possuía sua pró-
que possam invejá-los. Eles apareceram logo após a Primeira
uma vez quão eficientes são pria denominação para
Guerra de Nilfgaard, tirando proveito do fato de nossos jovens
os nortelungos quando não soldados terem marchado ao sul para enfrentar os Capas a terra em questão. Em
estão lutando entre si. Ao Negras . . . A maioria são elfos, mas não faltam anões entre
Redânia, após o reinado
eles e até mesmo alguns ananicos.
final, Brenna tornou-se um do Conselho de Regên-
Os Scoia’tael perambulam pelas florestas, preparando
marco de reviravoltas, quan- cia, o jovem Rei Radovid
emboscadas para os colonos, mercadores de caravanas,
do, logo depois, os reinos V tomou o poder, tendo
mensageiros militares ou algo por aí. Eles são cruéis, vis
rivais de Aedirn e Kaedwen e não têm o menor respeito por prisioneiros, visto que logo recebido, por meio de
assinaram uma trégua e jun- também não podem esperar por qualquer clemência. suas ações, a alcunha de “o
tos encaminharam as forças Seus líderes são tão impiedosos que nomes como Yaevinn, Inflexível”. Foltest também
nilfgaardianas para Alders- Iorveth ou Faoiltiarna são usados pelas mães para tinha uma certa agitação
berg, desta forma trazendo o assustar suas criancinhas.” para enfrentar em casa,
fim para a Segunda Grande começando pelos levantes
Guerra do Norte. — Hardal Ygvenn, lenhador temeriano dos Scoia’tael, Jacques de
Aldersberg, líder da usur-
padora Ordem da Rosa
Flamejante, e terminando
A Calmaria com nobres rebelados e problemas de sucessão.
Antes de Outra Tempestade E então, quando a crise parecia ter definitivamente
Alguns anos após o fim
chegado ao fim, reis começaram a morrer.
do conflito, Teméria Nilfgaard fora outra vez derrotada, aparentemente pela A primeira vítima da lâmina dos assassinos foi o Rei
foi destroçada por
um embate interno no
última vez (de novo). O Imperador focou sua atenção Demavend de Aedirn. Sua morte desencadeou uma ava-
qual os oprimidos não em erradicar a oposição em casa, enquanto os Reinos do lanche de caos que ameaçou soterrar o reino, enquanto
humanos investiram
contra a Ordem da
Norte voltaram aos seus assuntos e desavenças internas. burgueses, cavaleiros e camponeses pularam nas gargantas
Rosa Flamejante. Henselt de Kaedwen e Demavend de Aedirn quase instan- uns dos outros em uma guerra civil sangrenta.

O Mundo de The Witcher


21

Posteriormente, Foltest de Teméria conheceu um destino


similar na véspera de sua vitória sobre os nobres rebelados
“Um retrospecto histórico deixa claro que a ineficiência da Casa La Valette. As questões não resolvidas que cerca-
com que o príncipe Joachim de Wett comandou o fronte ram a sucessão do antigo rei provaram ser, se me permite,
temeriano não proveio exclusivamente de sua inépcia, em uma das minhas expressões humanas favoritas, um
mas aparentemente está ainda mais relacionada à legítimo “chute bem nos bagos” de Teméria, pondo este
sua má vontade. Isso se deu pelo príncipe ter integrado rico e poderoso reino de joelhos.
uma conspiração formada por vários magnatas Obviamente, todo mundo suspeitava que o Império Nilfgaar-
nilfgaardianos que se sentiam desprezados pela recusa diano estivesse por trás de ambas as ações — e, como mais
do imperador em considerar um casamento com suas tarde veio à tona, eles estavam, no mínimo, parcialmente
filhas. Naquela época, Emhyr var Emreis, por sua vez, corretos. O Imperador Emhyr var Emreis enganou e mani-
buscava encontrar Cirilla, a herdeira desaparecida do pulou a secreta Estada das Feiticeiras, fazendo com que seus
trono de Cintra e neta da rainha Calanthe, pretendendo agentes fossem os primeiros a oferecer seus serviços para a
usá-la para consolidar seu domínio sobre os territórios organização, e então, aparentemente sob seu comando, des-
recentemente conquistados. sem início aos assassinatos de Demavend e Foltest. Durante
Os conspiradores, desta forma, planejaram,
a cimeira dos reis em Loc Muinne, o ardiloso imperador re-
em última instância, remover definitivamente o
pentinamente revelou o suposto papel da Estada, fornecendo
imperador e colocar o até então menor de idade
aos governantes presentes um conveniente bode expiatório,
Morvran Voorhis no trono, governando em seu
e, ao mesmo tempo, evitando o tipo de relação entre reis e
nome como um conselho de regência. Apesar de sua
feiticeiros que havia lhe custado tão caro durante a Primeira
extensa rede de espionagem, Emhyr var Emreis estava
Guerra do Norte. O caminho para a conquista nilfgaardia-
ciente de que apenas uma facção guardava certo
ressentimento em relação a ele. Sabendo disso, ele
na estava aberto outra vez, e logo os exércitos imperiais se
decidiu então enviar seus membros mais influentes e encontraram novamente cruzando o Yaruga, penetrando Antes da Terceira Guerra
as tropas leais a eles para longe do trono e da capital. profundamente nas terras de seus inimigos. Assim, iniciou-se do Norte, houve um curto
período de paz. Contudo,
Assim, Emhyr var Emreis designou cargos de comando a Terceira Guerra do Norte, aquela cujo resultado definirá o logo se tornou evidente o
ao Príncipe Joachim e ao Duque Ardal aep Dahy na destino desta região do mundo. quão frágil era essa paz.

então vigente Guerra Nórdica.


Esta jogada funcionou apenas em parte, já que
o imperador não considerou que os aristocratas o
odiavam tão profundamente, ao ponto de estarem
dispostos a arriscar o sucesso da própria campanha
militar de Nilfgaard só para enfraquecê-lo. Eles
esperavam que uma prolongada escassez de vitórias
fosse voltar o povo simples e os militares contra o
imperador, e que muitos os apoiariam em sua revolta,
uma vez que eles decidissem iniciá-la. Nenhum dos
dois homens, no entanto, viveu para ver seus planos
darem frutos. O Príncipe Joachim foi decapitado por
sua incompetência e o Duque Ardal morreu de um
mal súbito, pouco antes de seu exército sofrer uma
derrota esmagadora em Aldersberg. Muitos acreditam
que sua morte não foi devido a uma doença qualquer,
mas sim a um veneno ingerido pelo duque para não
ter de enfrentar a desgraça e o castigo imposto aos
traidores. Outros sussurram que o responsável fora
o próprio imperador, preferindo, por suas próprias
razões, evitar revelar a traição de aep Dahy através de
uma acusação pública.”

— Trechos retirados de uma dissertação de mestrado,


cedidos pela Faculdade de História da Academia
Imperial, no Castelo Graupian

O Mundo e seus Habitantes


22

GEOGRAFIA Norte — As Montanhas do


Dragão
A fronteira norte das terras humanas é formada pela mas-
Os Limites do Mundo siva extensão das Montanhas do Dragão. Nenhum homem
Conhecido até hoje conseguiu ver o que existe do outro lado; isso se
deve tanto às regiões serem extremamente remotas quanto
O que os humanos acreditam ser o mundo inteiro é, na à grande população de dragões que vive por lá, daí o nome.
verdade, nada mais do que uma pequena parcela. As duas Os reinos localizados no sopé das montanhas são, em sua
civilizações existentes — os Reinos do Norte e O Império maioria, focos de exploração das vastas reservas minerais
Nilfgaardiano — têm, no momento, alcançado barreiras encontradas ao longo dos vales e picos. Possivelmente,
naturais cujo estado atual da tecnologia humana não quando as reservas locais de metais preciosos (incluindo
permite que sejam ultrapassadas. Eu acredito que isso vá ouro, prata e platina) se esgotarem, os humanos decidirão
mudar no decorrer dos próximos séculos, visto que sua que chegou a hora de expandir os limites do mundo co-
intrépida raça nunca se mostrou muito tolerante com os nhecido para além do Norte. Por enquanto, este momento
espaços em branco de seus mapas. ainda parece estar um pouco distante.

Oeste — O Grande Mar Leste — Montanhas Azuis,


Montes Flamejantes, Maciço de
As águas do Grande Mar demarcam as fronteiras da explo- Tir Tochair e Deserto de Korath
ração humana no Oeste. Pelas minhas contas, elas ainda
permanecerão uma terra incógnita para vocês por mais A fronteira oriental é delineada por três grandes cordi-
alguns bons séculos, até que tenham dominado por completo lheiras. Elas vão de norte a sul, formando uma barreira
As águas frias do
Grande Mar banham
a arte da navegação e da construção naval para superar os densa e praticamente intransponível, salvo por algumas
a costa ocidental do riscos de navegar em alto-mar. Por enquanto, suas rotas de passagens conhecidas.
continente e o litoral
das ilhas próximas.
comércio marítimo ainda estão presas às costas, conectando Ainda mais ao norte, nas regiões longínquas, estão as
Para além delas, tem-se uma série de portos, desde a distante Pont Vanis, no Norte, Montanhas Azuis. Essa cordilheira abriga a nascente do
apenas uma vasta
e ainda inexplorada
até a tropical Baccala, localizada precisamente na extrema Rio Pontar, juntamente às ruínas de outrora magníficas
extensão azul. ponta meridional do Império Nilfgaardiano. cidades élficas — Loc Muinne e Est Haemlet. Essas

O Mundo de The Witcher


23

Embora os homens
tenham conquistado
a maior parte do
continente, sua expansão
foi interrompida por
barreiras naturais:
as íngremes cadeias
montanhosas que até
hoje demarcam os
limites norte e leste do
mundo conhecido.

O Mundo e seus Habitantes


26
A ORDEM DA ROSA
FLAMEJANTE
“ ...Decorrendo originalmente de um ordo secular, a
mesmas montanhas também são o lar dos Elfos Livres, que,
Ordem da Rosa Branca, que inicialmente surgiu no
mesmo forçados a recuar para esta terra inóspita, nunca
Reino de Teméria, em vez de ter permanecido fiel aos
se curvaram nem se renderam à vossa raça.
seus ideais, voltou sua preocupação às concessões
Já ao sul, as Montanhas Azuis dão espaço para os Montes de terras de nobres locais e riquezas materiais. Para
Flamejantes, de onde nasce outro poderoso rio do Norte, o inscrever-se, era requerida apenas uma singela doação
Yaruga. Essa cadeia de montanhas separa a região do mun- de mil coroas novigradenses para a tesouraria da
do habitada pela sua cultura, que vocês tendem a chamar ordem...
de “civilizada”, das terras “bárbaras” e “selvagens” do Leste. A ordem passou por uma reforma após as Guerras de
Partindo dessa perspectiva, e sabendo de todas as guerras Nilfgaard. Com a morte do Grão-Mestre Rudolf Valaris,
sangrentas, intrigas e extermínio em massa que recheiam o manto foi passado para Jacques de Aldersberg. Sob sua
a história humana, eu acho dif ícil concordar com a lógica liderança, a organização foi rebatizada como A Ordem
utilizada para atribuir essa classificação, embora eu racio- da Rosa Flamejante e suas regras foram adotadas a
nalmente entenda que ela parta da convicção de superiori- partir dos princípios da fé do Fogo Eterno...
dade, característica de todas as culturas. Neste caso, para Não muito tempo depois dos infames
manter, então, a franqueza e “neutralidade” requerida de acontecimentos em Vizíma, a Ordem da Rosa
um acadêmico e cronista, devo acrescentar que os povos Flamejante foi realocada para Redânia, onde, sob a
que vivem naquelas áreas possuem igualmente um baixo proteção do Rei Radovid, recebeu concessões de terras
nas proximidades de Roggeveen. Em troca, a ordem
conhecimento e consideração no que diz respeito a vocês.
serviria como o braço armado do rei.”
As cavernas espalhadas
Ao extremo sul das cordilheiras que formam a fronteira leste
pela costa de Skellige do “mundo conhecido”, está Tir Tochair, que, por sua vez, com- — Reverendo Hugo Balde, “A História da Ilustre e Nobre
escondem tanto a beleza
como o perigo, que está
põe a fronteira leste do Império Nilfgaardiano e que é também Ordem da Rosa Flamejante”
sempre à espreita de um dos poucos enclaves gnômicos remanescentes. A leste das
qualquer aventureiro
corajoso o suficiente
montanhas, encontra-se uma extensão de rocha e areia conhe-
para explorá-las. cida comumente como o Deserto de Korath, ou, de acordo

O Mundo de The Witcher


27
“Nós cruzamos o Portão de Solveiga há seis dias, finalmente
deixando as terras civilizadas para trás. Atualmente, nós
estamos a, pelo menos, trezentas milhas da mais próxima
colônia humana considerável. Diante de nós estão os íngremes
com os habitantes de suas comprometimento com a
e extensos Montes Flamejantes e o Passo de Elskerdeg, para
redondezas, a “Frigideira”. verdade requer que eu admita
além do qual repousa nosso objetivo — a exótica Zerrikânia
Sendo um lugar selva- minha própria ignorância.
e a distante e misteriosa Haakland. Antes de alcançá-las,
gem e muito hostil, essa Eu, pessoalmente, não tenho
contudo, nós precisaremos enfrentar terras perigosas e de má
vastidão se faz perigosa reputação, feras, espectros e tribos hostis aos humanos que
nenhum conhecimento sólido
para qualquer criatura permeiam Elskerdeg. Só ontem, nós encontramos evidências sobre o que existe ao sul de
que não esteja adaptada à horripilantes de um ritual canibalista dentre os restos de Nilfgaard, e qualquer possível
escassez de água e ao calor um acampamento. Aquela terrível visão gelou o sangue resposta para essa questão
extremo. Algumas lendas em minhas veias, mas nós viajamos em uma companhia só pode ser encontrada no
contam que aquelas areias totalmente armada, e certamente seremos capazes de nos próprio império distante.
cobrem as necrópoles e defender de qualquer ataque.” Supostamente, as rotas de
catacumbas de uma raça comércio marítimo para as
ou civilização humana — Fragmento de um diário encontrado em meio aos destroços exóticas Ofier e Zanguebar
de há muito esquecida. de uma caravana saqueada próximo ao Passo de Elskerdeg se dirigem para o extremo sul,
Contudo, as razões para permitindo aos mercadores
esse declínio e o seu desa- trazerem na volta todas as
parecimento das páginas variedades de especiarias e
da história ainda permanecem desconhecidos. histórias sobre cavalos brancos cobertos por listras pretas
— ou o contrário. Alguns dizem que existe um lugar entre as
terras semimísticas, como a exótica Hannu ou a terra de Barsa,
onde os costumes locais exigem que as garotas guardem sua Os Trolls constroem suas
O Extremo Sul virgindade até a hora de se casar. No entanto, sinceramente, pontes até mesmo em
áreas agrestes, como
não posso dizer com qualquer convicção se estas terras real- os Montes Desnudos,
na esperança de cobrar
Eu gostaria de poder dizer mais sobre as regiões que formam mente podem ser encontradas no extremo sul, ou se elas não pedágio dos viajantes que
as fronteiras meridionais das terras dos homens, porém, meu passam de rumores e histórias de viajantes bêbados. por ali passarem.

O Mundo e seus Habitantes


28

OS TERRITÓRIOS
pois é uma prova irrefutável tanto do quão vale a pena ser
uma pessoa engenhosa e diligente, quanto do fato de que as

HUMANOS
aparências podem enganar.

Os Reinos do Norte são uma colcha de retalhos composta A Liga de Hengfors


por grandes e pequenos territórios, se alterando de tempos
em tempos quando um reino anexa as terras de alguns de Não muito longe, a sudeste, estão as terras dos pequenos prin-
seus vizinhos, ou, em vez disso, acaba se separando em cipados de Creyden, Malleore, Caingorn e Holopole. Eles uma
outros domínios menores durante uma guerra civil ou vez formavam o Marco Leste dos Reinos de Kovir e Poviss,
qualquer outro processo de fragmentação feudal. Sempre mas durante a última secessão provisória e o golpe que se
desfrutei de poder observar essas mudanças, afinal, elas são, seguiu, esses pequenos principados obtiveram duradoura
em minha opinião, um dos elementos quintessenciais da independência. Depois de um período pitoresco de caos
história de sua raça. As descrições que fornecerei a seguir e guerras internas, que não perdurou por menos de dois
não têm, de modo algum, a intenção de serem exaustivas. séculos, o jovem e ambicioso Rei Niedamir de Caingorn
Em vez disso, elas representam um esboço superficial feito tomou a liderança sobre seus rivais e começou a forjar uma
por um mero forasteiro curioso. Um que (felizmente) não
está envolvido nos recentes eventos políticos.

Kovir e Poviss
Comecemos discorrendo sobre o extremo norte. Lá, pelas
bandas do Golfo de Praxeda, se situam as ricas terras de Kovir
e Poviss, assim como seus ducados vassalos de Talgar, Velhad
e Narok. Considerando as riquezas do reino, seu poderoso
comércio marítimo e suas prósperas minas, é impossível
não admirar que poucos séculos atrás este território ainda
constituía uma remota província redaniana. Tão remota que
o Rei Radovid I simplesmente a entregou para seu odiado
irmão, isentando-o de qualquer obrigação como vassalo,
apenas para mantê-lo fora de vista. Quatro gerações mais
O crescimento das tarde, depois de descobrir que as montanhas locais continham
manufaturas, rotas
marítimas e comércio foi incontáveis reservas de ouro, prata, cobre, platina e minérios
o fator direto que levou de ferro da mais alta qualidade, tais como os extremamente
ao surgimento de grandes
cidades portuárias, tais raros ferroauro e dimerítio, a isolada Kovir tinha começa-
como Novigrad e Pont do a obter um lucro bem considerável e um tanto quanto
Vanis.
evidente. Como já é de se imaginar, o bisneto de Radovid I,
Radovid III, conhecido como “o Rubro,” teve interesse em
renegociar o acordo. Quando a resposta que recebeu de Ge-
dovius, o autointitulado rei de Kovir, não foi de seu agrado,
ele marchou ao norte com um exército estruturado com o
apoio de Benda de Kaedwen. Alguns meses mais tarde, os
remanescentes dos exércitos combinados redânio- kaedweni,
estropiados e gemendo baixinho, se arrastaram de volta para
casa. Acontece que, como os invasores descobriram da pior
maneira, a abastada Kovir tinha recursos para contratar as
melhores armadas mercenárias disponíveis para proteger
suas fronteiras e os seus negócios. Como o poder da moeda
não diminuiu, pelo menos desde aquela época, o reino nunca
mais voltou a ser ameaçado por seus vizinhos e manteve-se
firmemente neutro, o que permitiu que lucrasse com o co-
mércio em paz. Essa história nunca deixa de me surpreender,

O Mundo de The Witcher


29

coalizão. Em outras palavras, ele usou de coerção, enfor- recorrentes ditados populares dos nortelungos. Os reda-
cando, decapitando e esquartejando toda sua oposição pelo nianos tratam todos os assuntos com excessiva seriedade,
tempo necessário até atingir seu objetivo: ser reconhecido e são intensa e pomposamente orgulhosos do seu legado.
oficialmente pelos nobres locais como o líder da aliança A capital do reino é Tretogor, mas seu verdadeiro orgulho e
que, a partir do nome da capital de seu principado, ficou satisfação é Oxenfurt, com sua universidade mundialmente
conhecida como a Liga de Hengfors. famosa. Além do mais, o exército de Redânia sempre foi um
dos maiores no Norte, com sua Armada Real tendo lutado
bravamente em ambas as guerras contra Nilfgaard.
O Reino de Redânia é também soberano sobre as ter-
Os Grandes Reinos ras da Arcomerânia, o Vale de Nimnar e Gelibol. Diz-se,
inclusive, que algum tempo atrás, o reino de Jamurlak,
O eixo das terras do Norte é composto pelos quatro maiores que por um certo período foi regido por um velhote
e mais ambiciosos reinos — Redânia, Kaedwen, Teméria e psicopata chamado Abrad, também estava sujeito ao
Aedirn. Até recentemente, esses eram os principais parti- governo redaniano. A crueldade daquele homem se fez
cipantes do grande jogo de política e guerra que decide o tão memorável quanto a sua concupiscência. Entretanto,
destino de reinos e dinastias. Entretanto, com riscos tão da última vez que ouvi, o desprezível velho libidinoso já
altos, nunca se pode ter certeza de que a partida foi vencida havia finalmente deixado este vale de lágrimas — para o
de fato, pois aconteceu que o Império Nilfgaardiano, longe alívio de seus tão sofridos súditos.
de ter sido eliminado da jogada, na realidade nunca deixou
a mesa, pois, enquanto os outros ainda estavam contando
seus ganhos da rodada anterior, o imperador tomou para
si o tabuleiro e mudou todas as regras. Kaedwen
A leste de Redânia encontra-se a verdejante Kaedwen. Ela
é a mais jovem dentre os Reinos do Norte, tendo assumido
Redânia seu formato final somente dois séculos atrás, durante a
segunda guerra contra os elfos. Em razão disso, o desdém
O Pontar é um dos dois
Localizada entre os rios Buina e Pontar, Redânia sempre dos kaedweni por essa raça ainda está um tanto fresco, e maiores rios da região
foi o reino mais ambicioso e nunca falhou em lembrar aos este sentimento se faz recíproco. Kaedwen também tem Norte. Fluindo de leste
para oeste, ele atua
seus vizinhos de suas grandes pretensões. Essa dinastia frequentemente entrado em conflito com seus vizinhos, como uma fronteira
traça suas raízes diretamente do primeiro desembarque no especialmente com Aedirn, ao sul. Ard Carraigh é a capital natural entre os reinos de
Redânia e de Kaedwen,
delta do Yaruga. Foi fundada pelo semilendário Rei Sambuk, do reino, mas sua cidade mais famosa é Ban Ard, com sua assim como para os
cujo nome permanece sinônimo do arcaísmo presente nos escola de feitiçaria. de Teméria e Aedirn.

O Mundo e seus Habitantes


30

Devido à natureza briguenta e história conflituosa de de Gors Velen, famosa por sua proximidade à escola de
Kaedwen, assim como sua paisagem florestal, os reinos cir- feiticeiras em Aretuza.
cundantes enxergam seu povo como provincianos retrógrados, Antes do início da crise que agora aflige aqueles domínios,
nada mais do que descendentes de desordeiros e foras da lei. Teméria era um dos mais poderosos reinos do Norte, tendo
Todavia, se deixarmos de lado sua aversão pelos elfos, os kaedweni sido governada por Foltest, seu rei cruelmente assassinado,
são um povo muito amigável e hospitaleiro. Lá, jamais será que também detinha os títulos de Duque de Alagante, So-
negada ajuda a um homem na estrada, e cada uma de suas berano de Pontar e Mahakam, e ainda Protetor Chefe de
vilas estará de braços abertos para os exaustos viajantes. Os Ellander, Brugge, Trásrios e Angren.
kaedweni também são conhecidos por seu senso de humor
irreverente, além de seus vários ditos populares, como aquele
que diz: “Uma puta nunca irá morder outra puta” — que não
deixam de trazer uma certa sabedoria... Aedirn
Muito parecida com Kaedwen, Aedirn foi formada poste-
riormente aos seus vizinhos ocidentais. Apesar disso, ela se
Teméria desenvolveu mais rapidamente que sua contraparte do Norte,
um fato que muitos dos kaedweni invejam profundamente.
A fronteira norte de Teméria é delineada pelo Pontar. A Aedirn desfruta de sua prosperidade graças às suas terras
oeste, esse reino faz fronteira com o litoral de Cidaris. Já férteis e às riquezas minerais encontradas nas montanhas
a leste, por meio do Maciço de Mahakam, compartilha que a circundam. Algumas de suas cidades, como Gulet e
fronteiras com Kaedwen, Aedirn e Lyria. Por muito tempo, Eysenlaan, são amplos centros de metalurgia, e Aldersberg,
o Yaruga formou o seu limite sul — além das fronteiras, junto à capital do reino, Vengerberg, abrigam enormes oficinas
com Brugge e Alagante, é claro —, mas durante sua longa têxteis, tinturarias e destilarias.
história, Teméria também chegou a governar as terras Em suma, Aedirn tem sofrido muito ao longo dos últimos
encontradas nas margens inferiores do rio. dois anos, como consequência da disputa com Kaedwen e da
Esta história, bem como a de Redânia, data do Primeiro guerra resultante sobre suas províncias nortenhas, além da
Desembarque, e ambos os reinos partilham histórias de invasão imperial durante a Segunda Guerra de Nilfgaard. Neste
rivalidade entre seus vizinhos, disputas por fronteiras e ocorrido, o Império não somente saqueou e incendiou, como
guerras locais. Os reis temerianos mantêm corte na cidade também desmontou centros de produção inteiros e embarcou
de Vizíma, localizada às margens de um belíssimo lago. As seu maquinário para o Sul. Eu ouço o Império chamar isso de
outras cidades mais importantes do reino incluem Maribor, “a arte moderna da gestão de conflitos militares”. Além disso,
a fortificada Mayena e a movimentada cidade portuária os tratados de paz forçaram Aedirn a abrir mão de uma porção

Navegar os grandes rios


do Norte em veleiros é
uma maneira rápida e
relativamente segura de
viajar ou transportar seus
bens.

O Mundo de The Witcher


31

Cabanas de madeira com


telhados de palha são
típicas da arquitetura
dos vilarejos temerianos.
A falta de paliçadas ou
de outras fortificações
indica que esta é
uma área pacífica.

A mais famosa instituição de aprendizagem no Norte é,


sem dúvida nenhuma, a Academia de Oxenfurt. Nela, estudam
acadêmicos de Redânia, Teméria, Kaedwen e Aedirn, bem como dos
distantes reinos de Kovir, Brugge e Verden.

O Mundo e seus Habitantes


32
33
“Durante o tão indolente governo de Vestibor, o Orgulhoso,
a desafiadora Redânia perdeu os vales férteis de Buina e de
Nimnar para uma coalizão dos principados do Norte. A perda
mais ignóbil, porém, veio durante a chamada Guerra dos Sete
do seu território, o Vale das preocupava tanto com sua
Anos, no momento em que Teméria conquistou Novigrad e
Flores, e entregá-lo aos elfos. depois a capital do reino, juntamente com as terras ao redor da doutrina quanto em chegar
As histórias que chegaram foz do Pontar. Assim, forçando os reis de Redânia a realocar a a tempo à latrina. Talvez o
até mim, após a morte do capital para Tretogor, onde acabou permanecendo. estado atual das coisas tenha
Rei Demavend, tratavam de Somente o neto de Vestibor, Radovid III, conhecido como se dado exclusivamente por
problemas sociais, revoltas ‘o Bravo’ ou ‘o Rubro’, pôde recuperar as terras perdidas e obra do novo intendente de
populares, novos conflitos resolver a contenda com Teméria. Fora decidido então que segurança, o qual, pelo que
com Kaedwen e um crescen- Novigrad seria feita uma cidade livre, e ela detém esse status ouvi, substituiu seu ante-
te movimento separatista no até o presente dia.” cessor após tê-lo queimado
Vale do Pontar. É desneces- na fogueira em julgamento
sário dizer que eu não tenho — Roderick de Novembre, “A História do Mundo” público.
interesse em ir lá fazer uma
visita tão cedo.

O Reino de Lyria e Rívia


Os Reinos Menores Este pequeno reino, por algum tempo, costumava ser o aliado
mais leal de Aedirn, formando um baluarte contra a ameaça
Ao descrever as terras dos quatro reinos, não se pode omitir de Nilfgaard e defendendo a estratégica fronteira formada pelo
seus vizinhos menores. Esses domínios, embora não tão rio Yaruga. Lyria contém uma das duas únicas localizações
grandes, geralmente têm uma história igualmente rica e capazes de suportar uma travessia massiva naquele grande
interessante, e durante sua existência serviram de palco rio, na região conhecida como Dol Angra. Essa travessia é
para muitos eventos importantes que moldaram o destino defendida pelas fortalezas lyrianas de Spalla e Scalla.
dessa parte do mundo. A Rainha Meve é quem ocupa o trono. Durante o recente
conflito com Nilfgaard, ela veio a ser conhecida como uma
mulher forte e astuta — quase uma segunda Calanthe.
De fato, a monarca, comumente referida como “a Rainha
A Cidade Livre de Novigrad Branca” ou, menos oficialmente, “a Viúva Viril”, organizou
pessoalmente um movimento de resistência contra a ocu-
Se alguma cidade do Norte merece o grandioso título de Capital pação imperial. Liderando uma força heterogênea formada
do Mundo, essa cidade é definitivamente Novigrad. Debruçada a partir de cavaleiros, camponeses e bandidos comuns, ela
na foz do Pontar, assim como um mercador gordo na alcova perseguiu e emboscou tropas nilfgaardianas sem descanso
de uma estalagem, ela está cercada pelo similarmente familiar nem piedade, conquistando o amor eterno e a admiração
odor de suor e dinheiro. Além disso, tal como o nosso mercador de seus súditos. Dizem que eles prontamente
metafórico, Novigrad é barulhenta, extravagante, intolerante a andariam sobre o fogo do inferno, se a rainha
qualquer um que a menospreze e obcecada pelo lucro acima assim ordenasse.
de tudo. Isso ocorre porque a Cidade Livre de Novigrad é,
sem sombra de dúvida, o maior porto do Grande Mar, e mais
de uma dúzia das mais influentes companhias mercantilistas
fazem dela sua anfitriã. Ela também dispõe de quatro gigantes- Skellige
cos moinhos d’água, a cunhagem de sua própria moeda, oito
bancos, dezenove lojas de penhores, quase quarenta estalagens, O rochoso e inóspito Arquipélago de Skellige
uma dúzia de prostíbulos e quase duas dúzias de templos, foi uma das primeiras terras colonizadas pelos
sendo a maioria dedicada ao Fogo Eterno. Recentemente, há humanos. Seu povo é valente e habilidoso na arte
relatos de que a influência daquele culto cresceu considera- da navegação — e do comércio, bem como na do
velmente, permitindo-o começar a exercer um poder efetivo roubo e pirataria —, e, além da Língua Comum,
entre os fiéis da cidade. Isso até é surpreendente, visto que também fala o dialeto nativo, baseado na Língua
seu líder, o hierarca Cyrus Engelkind Hemmelfart, embora Ancestral. Ainda em contraste com o Norte
conhecido por seu racismo, era um velho preguiçoso, que se continental, os insulanos de Skellige são predo-
minantemente homens livres, possuindo direitos
quase iguais aos dos duques que os governam.
As ilhas são unidas sob um rei escolhido por
Ao contrário da homogeneidade da moda nilfgaardiana, conhecida por suas cores um dos grandes clãs, que é eleito durante as tra-
escuras e mortas, o vestuário usado nos Reinos do Norte é bem diversificado,
constituído por uma mistura colorida de estilos que se diferem dependendo do status
dicionais assembleias. O duque subordinado a
social e do local de nascimento do indivíduo. ele é nomeado comandante das forças militares

O Mundo e seus Habitantes


36
“Alagante — Um reino já não mais existente que abrangia o
Yaruga em seu curso mais baixo. Após a Primeira Guerra Nórdica
e a morte de seu Rei Ekkehard, Alagante foi dividida. A porção
na margem norte do rio se tornou Alagante Inferior, região do
e irá liderar, entre outras, as Seu rei, Ethain, é am-
Reino de Teméria, enquanto a porção na margem sul do Yaruga
poderosas frotas marítimas plamente visto como um
se tornou a Alagante Superior, região do Império Nilfgaardiano,
do reino. Província de Cintra.
governante justo e esclare-
As Ilhas Skellige são Após a Segunda Guerra Nórdica, de acordo com a Paz de cido, bem como um político
aliadas de longo prazo do Cintra, Alagante Superior foi, também, incorporada ao Reino sábio, que não se intromete
Reino de Cintra, tendo de Teméria.” nos assuntos de seus vizi-
selado essa relação através nhos, e que espera deles a
de um casamento — o rei — Effenberg e Talbot, “Encyclopaedia Maxima Mundi, mesma atitude. Nesse caso,
de Cintra, Eist Tuirseach, Volume XII” a última guerra contra Nil-
também era o irmão do fgaard foi uma exceção, na
Rei Bran de Skellige e tio qual Cidaris apoiou a coa-
do duque Crach an Craite. lizão norte com sua frota.
Após a morte do Rei Eist
na batalha do Vale do Marnadal, os insulanos juraram
vingança sangrenta contra os nilfgaardianos, se tornando
seus inimigos mais implacáveis.
Verden, Brugge e Kerack
Estes pequenos reinos se encontram às sombras de
Cidaris Brokilon, o enclave das dríades, protegido por elas in-
cansável e violentamente de qualquer humano que esteja
Embora seu território seja muitas vezes menor, a história invadindo suas terras. Isso, de maneira ampla, já define
de Cidaris tem tanto prestígio quanto as de Redânia e como é a vida cotidiana dos habitantes desses reinos.
Teméria. Esse pequeno lindo reino deve sua riqueza e Localizado entre Cidaris e Verden, o pequeno Reino de
prosperidade ao comércio marítimo e à exploração racional Kerack possui pouco mais do que uma cidade portuária
dos recursos do oceano — através da pesca, caça às pérolas de mesmo nome. Seu rei, Viraxas, é descendente de um
e mineração de âmbar —, assim como aos seus famosos ex-pirata que há duas ou três gerações se autodeclarou o
vinhedos. Produtos de todos os quatro cantos do mundo governante daquele seco e pouco cobiçado pedaço de terra.
podem ser encontrados no famoso Bazar Litorâneo de O reino é conhecido por sua excessiva corrupção, e a única
Cidaris, além de seus estaleiros que lançam e reformam coisa que vale realmente a pena ser mencionada é sua Ta-
centenas de navios por ano. verna Natura Rerum, a qual eu sinceramente recomendo.

Cada uma das ilhas


espalhadas pelo
Grande Mar para
formar o Arquipélago
de Skellige é governada
por um duque
pertencente a um dos
seis poderosos clãs.

O Mundo de The Witcher


37

As viagens marítimas têm


suas profundas raízes
nas Ilhas Skellige. Seus
estaleiros só não podem
ser comparados aos de
Cidaris por perderem
em termos de número
de unidades produzidas
por ano. Mesmo assim,
os veleiros destes povos
são considerados as
melhores embarcações
do mundo.

O Mundo e seus Habitantes


38
“Muito além dos limites das Montanhas Azuis se encontram
as lendárias terras da Zerrikânia e Haakland. A primeira é
habitada por clãs de guerreiros liderados por mulheres, isso se
os contos forem verdadeiros. Embora tais coisas possam parecer
Verden já fora uma vez bora Brugge seja um reino
inacreditáveis, companhias de mercenários zerrikanos, em alguns
vassala do Reino de Cintra, pequeno e pobre, seu povo
casos, incluem Guerreiras Livres — mulheres com tatuagens
que agora está ocupado lutou com uma inesperada
cobrindo seus rostos, vestidas em peles de feras selvagens e
pelo Império Nilfgaardiano. bravura durante a última
comumente brandindo suas armas preferidas, as curvadas
Ela mantém uma posição saberras, as quais elas usam com uma eficiência mortal . . . guerra contra o Império,
estratégica na foz do Ya- Nós sabemos ainda menos sobre Haakland, salvo a sua defendendo suas terras
ruga, com suas três forta- localização a nordeste da Zerrikânia. Há rumores de que tanto dos combatentes
lezas, de Nastrog, Rozrog os habitantes daquela terra são os melhores cavaleiros do verdenianos quanto do
e Bodrog, dominando a mundo, pois aprendem essa arte ainda bebês, antes mesmo poderoso exército nilfgaar-
margem norte do rio. Du- de aprenderem a andar. Embora não referidos pelo nome, eles diano, e permanecendo
rante a última guerra con- possivelmente são mencionados em uma das versões apócrifas assim nos decorrentes
tra Nilfgaard, Verden traiu da profecia de Ithlinne, a qual fala sobre um povo que virá embates que o levaram à
seus antigos aliados, pres- do Leste, assim como uma tempestade, para nos queimar, vitória em Brenna.
tando reverência ao Impé- massacrar, e então festejar sobre as ruínas, bebendo nos
rio e atacando sua vizinha crânios de seus oponentes caídos.”
Brugge. Após isso, seu
— Bella Jande, “Contos e Lendas das Terras Distantes”
príncipe, Kistrin, liderou
uma rebelião bem-sucedi-
O Império
da contra o seu traiçoeiro Nilfgaardiano
pai, trazendo Verden de
volta para a coalizão do Norte. Entretanto, apesar deste Ao sul do Yaruga se encontra o Império Nilfgaardiano, um
Os territórios
retorno à aliança — ou talvez, em parte, pelo quão rápido governo expansionista que ao longo dos últimos anos vem
conquistados pelo isso se deu após a primeira deserção do reino —, o então conquistando continuamente seus vizinhos menores e mais
Império Nilfgaardiano
devem adotar a
jovem Rei Kistrin, e Verden como um todo, continuam fracos, aumentando constantemente seu território. Ele foi
jurisdição, nomenclatura sendo encarados com receio pelos seus vizinhos. provavelmente fundado pelo povo da cidade de Nilfgaard,
e os símbolos imperiais.
Desta forma, o estandarte
Venzlav, o rei de Brugge, também fora um vassalo de que se encontra bem ao sul do Rio Alba e agora serve como
do Grande Sol agora Cintra, mas após a queda de sua vizinha do Sul, ele se voltou capital para todo o Império. Ao longo de toda sua história
tremula sobre as outrora
capitais de mais de uma
a Teméria por proteção, prestando reverência a seu primo, de conquista expansionista, os nilfgaardianos dominaram
dúzia de antigos reinos o Rei Foltest. Isso não foi nada surpreendente, pois, como uma imensidão de principados e reinos, incluindo Ymlats,
e ducados, que, no
momento, são províncias
em um dia ensolarado, ele pôde ver claramente o reflexo Vicovaro, Rowan, Etólia, Gemmera, Maecht, Ebbing, Geso,
de Nilfgaard. da ponta das lanças nilfgaardianas cruzando o Yaruga. Em- Metinna e Nazair. Durante as recentes Guerras do Norte, o

O Mundo de The Witcher


39

NÃO HUMANOS
Império anexou Cintra às suas posses, incluindo o ducado
de Attre e, temporariamente, a Alagante Norte e o estado

E SUAS TERRAS
vassalo de Verden.
As terras incorporadas ao Império tipicamente detêm
o status de províncias imperiais, regidas por governantes
nomeados. Por sua vez, os monarcas das terras que volun-
tariamente prestavam reverência ao imperador geralmente O domínio humano sobre o atual mundo conhecido é um
recebiam a permissão de continuar a manter seus títulos e fato indiscutível. Ao longo de um mero punhado de sécu-
posições, com seus territórios permanecendo formalmente los, vocês têm forçado outras raças a reconhecer a vossa
reconhecidos como reinos ou principados. Contudo, em- supremacia e assim coexistir, mas apenas sob seus próprios
bora todas as pessoas do Império sejam coloquialmente termos. Aqueles que não se submeteram, ou foram obriga-
conhecidas como nilfgaardianos no Norte, alguém alguma dos a se retirar para além das fronteiras da civilização, ou
vez me explicou detalhadamente que dentro do Império pereceram. A ânsia por espaço demonstrada por sua raça é,
esse nome é reservado apenas para os habitantes da região devo dizer, tanto fascinante quanto aterrorizante.
original de Nilfgaard.
Seu imperador governa com soberania absoluta, mesmo
que ainda exista um senado, cuja utilidade é cerimonial. O
atual monarca é Emhyr var Emreis, Deithwen Addan yn Anões
Carn aep Morvudd, que no Idioma Ancestral (progenitor da
língua nilfgaardiana) significa “A Chama Branca Dançante As origens dos anões remontam aos tempos antigos, até
sobre as Tumbas de Seus Inimigos”. Ele é, provavelmente, mesmo anteriores à Conjunção das Esferas. De estatura
um dos mais poderosos monarcas dessa região do mun- baixa, eles são, porém, robustos e fortes; um povo acostu-
do, embora isso não signifique que sua autoridade seja mado com trabalho duro. Possuem grande reputação de
incontestada. Na verdade, uma significante oposição ao confiáveis e honrosos, apesar de também serem frequen-
seu governo existe escondida dentro do Império. Ainda temente vistos como incansáveis resmungões rabugentos
assim, o imperador detém enormes recursos sob seu co- que não se importam com mais nada além de seus próprios
mando, incluindo os vastos exércitos de elite do Império, parentes e seu ouro, que tanto amam acumular. Quanto a
o corpo da guarnição, que mantém a ordem interna, a esse último, é dito, muitas vezes, que, nesse quesito, eles
Vagando por regiões
misteriosa polícia secreta e sua fanática guarda pessoal, só perdem para os dragões e os humanos. Também são fa- selvagens e inabitadas,
a famosa “Brigada Imperial”. Tendo isso em mente, não mosos pelo grande ciúme que têm de suas (nem tão) lindas um indivíduo poderá
se deparar, às vezes,
parece muito provável que o ocupante atual do trono será mulheres, acreditando que todo mundo está esperando com assentamentos e
substituído tão cedo. Por outro lado, a história tem, por ansiosamente por uma chance de seduzi-las. São poucos moradias construídos por
raças primitivas — tais
muitas vezes, mostrado que mesmo o maior homem pode os que se arriscam a explicar para um anão a razão de este como os ogros, trolls ou
cair, e o impacto de sua queda tende a ser catastrófico. pensamento estar errado. os semimíticos gigantes.

O Mundo e seus Habitantes


40

A antiga terra natal dos anões é a região montanhosa Mahakam


de Mahakam, embora muitos deles também vivam em
cidades humanas, onde exercem vários of ícios, como O ancestral lar dos anões abrange o grande maciço monta-
artesãos, banqueiros e comerciantes, ou mesmo encon- nhoso de mesmo nome, que se eleva entre os territórios de
trando serviços de guarda-costas ou mercenários, pois, ao alguns dos reinos humanos — Teméria a oeste e Aedirn e
contrário dos elfos, os anões têm tomado uma abordagem Lyria a leste. Mahakam é famosa por suas oficinas, forjas e
pragmática ao se relacionar com os humanos, adotando ferragens, que são conhecidas por produzirem o melhor aço
para si vários costumes, práticas e vestimentas da vossa do mundo e, como resultado, as melhores armas também.
A expansão da
cultura, o que reduziu significativamente as diferenças Embora os reis de Teméria sejam os intitulados Se-
colonização humana, entre os dois povos. Contudo, o preconceito humano nhores de Mahakam, na prática, a região é, em grande
que ocorreu há várias
centenas de anos,
contra os anões ainda não desapareceu, e geralmente, isso parte, autônoma, e os seus clãs locais são governados
forçou os anões a se dá origem a conflitos e levantes. Por sua vez, os anões por um ancião escolhido. Tal posição está atualmente
retirarem para uma
limitada área dentro da
mais conservadores, ou aqueles que simpatizam com os ocupada por Brouver Hoog, um antigo anão, famoso por
cordilheira de montanhas Scoia’tael, enxergam seus semelhantes que permanecem seu conservadorismo e por seus decretos controversos,
de Mahakam. Apesar
disso, fora desta região
a serviço dos humanos como traidores, meros cães de destinados a defender sua postura.
ainda se pode encontrar coleira. Em suma, como se costuma dizer, ficar em cima Durante as Guerras do Norte, os anões de Mahakam
vestígios dos seus
antigos assentamentos e
do muro não só é desconfortável para o traseiro, como permaneceram oficialmente neutros, porém propensos a
colônias de mineração. também dá a ambos os lados um bom joelho para acertar. apoiar os Reinos do Norte, pois seu ancião se pronunciou

O Mundo de The Witcher


41
“Os gnomos, embora menores do que os anões e não tão
fortes quanto, são igualmente resistentes às dificuldades
deste mundo e muito mais ágeis. Esta antiga e nobre raça
é caracterizada por seus longos e pontudos narizes, dos
totalmente contra a possí- quais se orgulham tanto... Assim como os anões, eles
dentes caninos, fato que
vel aliança entre seu povo vangloriam-se por suas obras, e são particularmente leva muitos a equivocada-
e as unidades Scoia’tael. hábeis nas artes da metalurgia, joalheria, ferraria e mente supor que os elfos
Assim, Mahakam for- ourivesaria. Contudo, nem todos optam por exercer não comem carne e nunca
neceu o armamento ne- seu of ício para longe de suas terras nativas, visto que machucariam nenhum
cessário para a coalizão sua grande maestria, e os lucros que ela proporciona, animal da floresta, o que é
nortenha, chegando ao se tornam inevitavelmente objetos de inveja e aversão claramente uma bobagem.
ponto de formar seu pró- aos humanos. Isto, no cenário mais positivo, acaba em Os elfos caçam todo tipo de
prio regimento voluntário. difamação, ou, no pior dos casos, em massacres.” animal, e a maioria nunca
deixaria passar um sabo-
— Reverendo Jarre de Ellander, o Ancião; “A Verdadeira
roso churrasco de veado.
Descrição das Raças Ancestrais”
Eles são uma raça cuja
longevidade é extrema-
Elfos: mente alta, com uma ex-
Os Aen Seidhe pectativa de vida podendo
durar centenas, se não, dezenas de centenas de anos, o
A raça élfica já teve a sua era de glória. Um dos mais nu- que pode parecer uma eternidade para você, mas que
merosos povos desta região do mundo, eles entraram em não é nada mais do que um piscar de olhos para eles, As robustas e maciças
moradias anãs são
declínio desde a chegada dos seres humanos, alguns séculos apenas mais uma primavera no contínuo ciclo do tempo. erguidas a partir de
atrás, cedendo-lhes espaço em quase todas as frentes. Entretanto, apesar de sua longa vida, os elfos só podem pedras ou entalhadas na
própria rocha. Porém,
Em sua própria língua, eles chamam a si mesmos de gerar descendentes enquanto são jovens — que é uma contrariando a crença
os Aen Seidhe — isto é, o Povo das Colinas. Em apa- das razões pelas quais vocês humanos têm triunfado na popular, essa raça
preza, sim, pela beleza e
rência, eles são altos, esguios e de postura esbelta. Suas disputa por hegemonia sobre este mundo. decora detalhadamente
faces são alongadas, portando feições simétricas e olhos Devido à contínua série de perdas em conflitos com os interiores de suas
construções com
grandes, enquanto suas orelhas são levemente pontudas. humanos, os elfos desproveram-se de grande parte de suas ornamentos geométricos,
Eles também se diferem dos humanos na falta de seus antigas terras. Apenas recentemente, durante as guerras relevos e mosaicos.

O Mundo e seus Habitantes


42
“O Regimento Voluntário Mahakaniano serviu com tanta
bravura quanto qualquer outra unidade militar registrada
durante as Guerras Setentrionais. Embora enviados muitas
vezes para o fronte de batalha, e lançados em meio aos maiores
contra os Reinos do Nor- Ainda assim, apesar de
combates constantemente, estes bravos combatentes nunca
te e o Império Nilfgaar- fraquejaram; pelo contrário, continuaram lutando com uma toda a rejeição humana a
diano, eles conseguiram dedicação incomparável, mesmo diante de desvantagens essa raça, eles estão mais
construir um novo reino esmagadoras. A fama desta armada foi conquistada durante a próximos de você do que
para si — Dol Blathanna. Batalha de Brenna, na qual conseguiram investir contra a Ard possa imaginar. Pois os
Depois desse tempo, os Feainn, a divisão de elite da cavalaria nilfgaardiana, mesmo elfos e os humanos são
elfos tiveram de escolher estando completamente cercados, pagando caro por este triunfo capazes de cruzar, produ-
entre viver em florestas com o sangue de muitos soldados. Além disso, os voluntários de zindo descendentes férteis.
escuras e montanhas re- Mahakam também participaram das batalhas de Mayena e Os meio elfos — resultado
Maribor, onde serviram com a mesma bravura e coragem.
motas, fora do alcance dessa união — tendem a
Infelizmente, todo esse valor e dedicação não foram
da sociedade humana, ou ter uma vida dif ícil, parti-
devidamente reconhecidos post factum, e os historiadores
tentar coexistir com vocês cularmente nas sociedades
teimosamente continuam a omitir a contribuição dos anões,
dentro dos vossos próprios entregando os louros dessa vitória somente para os exércitos
humanas, onde muitas
termos, um panorama re- dos reinos aliados. O último ato de reconhecimento pelos vezes são vistos como se-
pleto de dificuldades, pois sacrif ícios de guerra do Regimento Mahakaniano foi o res impuros, nascidos de
seu orgulho e fidelidade à desfile de vitória em Novigrad, mas até este acontecimento é mestiçagem. De qualquer
tradição sempre fez com encoberto por muitos cronistas.” forma, as suas raças vêm
que fosse impossível a felizmente se misturan-
plena vinculação deles — Reverendo Jarre de Ellander, adendo ao “Annales seu Cronicae do por centenas de anos;
com a sociedade de vocês. Incliti Regni Temeriae” logo, hoje, um número
Mesmo os elfos que vivem surpreendente de huma-
entre os humanos ainda se nos, mesmo aqueles que
esforçam para manter sua revoltosamente declaram
própria cultura e língua, o que faz com que sejam vistos seu ódio pelos elfos sempre que possível, têm no mínimo
como estranhos — uma realidade dolorosamente trazida um traço de sangue élfico. Tais são os paradoxos e as iro-
à tona durante cada um dos massacres. nias da história.

Fortificações anãs são


maravilhas inigualáveis
da engenharia. Graças a
um sistema de fornalhas,
caldeiras e calhas
reforçadas, qualquer
passagem ou corredor
para dentro da fortaleza
pode se transformar em
uma armadilha mortal
num piscar de olhos.

O Mundo de The Witcher


43
AEN ELLE
“As lendas mais antigas dos Aen Seidhe falam de uma
outra tribo de elfos— os Aen Elle, que no Idioma Ancestral
Dol Blathanna significa: Povo dos Alders. Dizem que seus caminhos se
divergiram eras atrás, quando a Conjunção das Esferas por Nilfgaard e pelos Reinos
Na Língua Antiga, o nome deu origem a dúzias, ou até mesmo, centenas de outros do Norte após a Segunda
deste reino significa o Vale mundos. O soberano dos Aen Elle era supostamente Guerra. Esta nova liberda-
das Flores. Sua atual gover- Auberon Muircetach, conhecido como o Rei dos Alders, que de, porém, chegou com um
nante é a feiticeira élfica governou a cidade de Tir ná Lia. São várias as histórias custo elevado, pago com as
Enid an Gleanna (A Marga- fantásticas sobre esse rei, mas não cabe a mim julgar se há vidas de centenas de sol-
rida dos Vales), conhecida algum fundo de verdade nelas.” dados élficos das unidades
como Francesca Findabair Scoia’tael que lutaram e
— Hen Gedymdeith, “As Lendas do Povo Ancestral”
entre os humanos e con- morreram ao lado do Im-
siderada a mulher mais pério. O mesmo tratado de
bonita do mundo. Seu con- paz que criou o Vale das
sultor-chefe é Filavandrel Flores possuía outra amarga
aén Fidháil das Torres Pra- e controversa cláusula, na
teadas, da Casa de Feleaorn qual Nilfgaard concordava
das Naves Brancas, o líder em entregar aos reis do
dos Elfos Livres das Mon- Norte em torno de três
“Eu fui raptado em uma noite de outono. A Caçada Selvagem
tanhas Azuis. Por conta de dúzias de oficiais élficos,
passou por nossa vila e me levou com ela, arrastando-me para
seu longo exílio nas exten- acusados de cometerem
seu mundo — um lugar ao mesmo tempo indescritivelmente
sões longínquas do mundo, belo e assustador. Eu fui aprisionado, embora nenhuma
crimes de guerra. Logo, não
ele foi, por muitos séculos, corrente me prendesse. Então, vieram os inacabáveis dias de é dif ícil imaginar que mui-
também conhecido como servidão que se se arrastaram pela eternidade, embora hoje tos elfos sintam-se agora
Filavandrel dos Confins eles pareçam apenas um momento que passou. Acompanhei traídos e usados por Emhyr.
do Mundo. meus captores a lugares de que agora dificilmente eu Embora os humanos que
Dol Blathanna uma vez conseguiria me lembrar, e quando finalmente vi estrelas deixaram Dol Blathanna te-
já fora parte do Reino de familiares nos céus durante uma dessas jornadas, eu fugi. nham queimado e destruí-
Aedirn, mas se encontra Meus senhores não me perseguiram, parecia que eles não se do tudo o que podiam, na
agora em um território importavam mais com os meus serviços. No momento em intenção de deixar apenas
tomado pelos elfos dois que finalmente cheguei ao meu vilarejo, tudo o que encontrei o “Vale das Cinzas” para
séculos atrás. A devolução foi minha casa vazia e em ruínas e meus amigos de infância os elfos, os Aen Seidhe
destas terras para fornecer agora estavam velhos e enrugados.” pretendem reconstruí-la
espaço a um reino élfico rapidamente e juraram de-
— Anônimo, “Memórias de Além do Tempo”
independente foi uma das fender sua nova terra com
condições presentes nos suas próprias vidas.
acordos de paz assinados

Dol Blathanna é
considerado por muitos
como um dos mais belos
lugares do mundo. As
obras construídas pelos
elfos sobreviveram à
violência da guerra, assim
como seus jardins, que
uma vez incendiados
pelos humanos, voltaram
a crescer, graças
aos esforços de seus
habitantes originais,
que voltaram para cá
depois de mais de dois
séculos de exílio.

O Mundo e seus Habitantes


As dríades habitam as matas primitivas da Floresta de Brokilon. É raro
haver um homem que já tenha visto um desses seres e mais raro ainda
o homem que tenha visto e sobrevivido para contar, pois décadas
de perseguições e conflitos sangrentos transformaram as uma vez
pacíficas dríades em inimigas irreconciliáveis da humanidade.
47
“Somente uma vez pude atravessar a fronteira daquela terra
bela e perigosa, quando me apressei para trazer notícias de
grande importância ao amigo Geralt, a quem as dríades
Dríades estavam curando após ter sofrido graves ferimentos em
Eles também ficariam
batalha. Devo minha vida e o sucesso de minha missão
agradecidos em colocar
apenas à minha estrela da sorte, protetora, a Arte. Pois
Como muitos outros seres, suas mãos nos fabulosos
fora apenas pela suprema dedicação à minha arte que
além dos elfos e de um pu- tesouros supostamente
consegui cativar as dríades com a minha música, elas não só
nhado de outras criaturas pouparam minha vida, como também levaram-me até meu escondidos nas ruínas da
da floresta, tais como os amigo para que eu pudesse entregar-lhe a crucial mensagem. cidade e nas necrópoles
duendes, púcas, ou ondinas, Foi assim, depois de completar minha embaixada, que fui de Craag An, em algum
eu não tive muitas relações capaz de deixar Brokilon ainda inteiro.” lugar nas profundezas da
com as dríades. Esses seres, Floresta de Brokilon.
também chamados de “mu- — Dandelion, “Meio Século de Poesia” É por isso que, duran-
lheres misteriosas” pelos hu- te centenas de anos, os
manos, uma vez habitaram lordes tentam desmatar a
quase todas as florestas e floresta, inevitavelmente
bosques, mas atualmente o batendo de frente com as
seu único enclave é a Floresta de Brokilon. suas defensoras, repetidas vezes. Esta é, aliás, uma guerra
Em aparência, elas se assemelham a jovens e esbeltas brutal e ausente de perdão ou misericórdia por parte de
donzelas. Na verdade, toda a raça compreende exclusi- ambos os lados. Os humanos executam cruelmente as
vamente fêmeas, e os seus pequenos nascem das relações dríades capturadas, enquanto as habitantes da floresta
com elfos ou, raramente, com humanos. Entretanto, como não deixam barato e recebem cada intruso com o sibilar
seus contatos atuais com os seres humanos são quase de suas flechas. Colonizadores e soldados, mercadores e
que totalmente hostis, e mais e mais dríades morrem lenhadores, homens e mulheres, velhos e jovens — todos
em defesa de suas florestas, as mulheres misteriosas aqueles que entraram em Brokilon encontraram o mes-
têm recorrido ao rapto de meninas humanas. Diz-se mo fim. Assim é também o destino daqueles que tentam
que essas crianças são entregues à misteriosa Água de povoar as terras que ora estavam cobertas pela floresta,
Brokilon, que retira todas as memórias de suas vidas as dríades não aceitam nenhuma fronteira delimitada por
juvenis para que suas novas cuidadoras as criem como humanos. Estes ataques aos colonos foram a centelha que
das suas. Diz-se também que alguns dos seres humanos acendeu a ira nos monarcas dos arredores, especialmente
mais inescrupulosos deixam crianças doentes na orla da dos de Verden e Kerack, cujo ódio pelas dríades e sua líder
As densas florestas de
floresta, na esperança de que uma epidemia de varíola, é lendário. Somente a hesitação do rei de Brugge, o mais Brokilon escondem vários
difteria ou escarlatina dizime as dríades. No entanto, moderado e gentil dos reis, que não desejava um derra- perigos, o maior deles
são as precisas flechas
elas parecem imunes à doença, e se os rumores sobre mamento de sangue, impediu que o conflito progredisse mortais de suas guardiãs,
suas habilidades de cura estiverem corretos, o envio de para uma completa guerra de extermínio. as dríades.
meninas infectadas para Brokilon só serve para aumentar
as linhas de proteção da floresta.
Dríades zelam muito por sua floresta, e nenhuma delas
jamais faria nada para prejudicá-la. Até mesmo suas casas
são feitas a partir de árvores vivas, pois diz-se que elas são
capazes de moldá-las de acordo com sua vontade. Além
desses talentos, as dríades também são arqueiras formi-
dáveis, e deixariam muitos elfos boquiabertos com a sua
maestria. Elas utilizam essa habilidade com uma eficiência
impiedosa, assim como qualquer um que tenha tentado
invadir seu reino na floresta descobriu.

Brokilon
A antiga Floresta de Brokilon é o último enclave das dría-
des, governado pela Dama Eithné, conhecida como Olhos
Prateados, famosa por sua experiência, sabedoria e postura
implacável em relação aos humanos e suas reivindicações.
Brokilon está num cenário de guerra perpétua com
seus vizinhos. Os lordes das terras adjacentes sempre co-
biçaram as maiores riquezas deste lugar — suas árvores.

O Mundo e seus Habitantes


CAPÍTULO II

OS BRUXOS

N
enhum homem jamais conheceu tanto sobre os
bruxos do que Vesemir, que praticava o of ício
tanto em seus tempos de glória quanto na
época de suas maiores provações e em seu declínio. Eu não
esperaria adivinhar em que ano aquele famoso caçador de
monstros veio a este mundo, mas sabe-se que ele assistiu
às primeiras pedras de Kaer Morhen serem erguidas — o
que ocorreu há mais de duzentos anos antes de eu ter tido
a oportunidade de conhecê-lo. Foi lá, na famosa Escola
do Lobo dos bruxos, que ele lecionou as artes da espada
por incontáveis anos, sempre ansioso por novos adeptos à
ordem. Foi ele quem treinou meu amigo Geralt na arte de
manejar a espada — uma habilidade que, mesmo em seus
últimos anos, nenhum homem pôde alegar ser equiparada
à de Vesemir.
Conforme o tempo passava, Vesemir tornou-se, assim
como os próprios monstros que ele caçou, uma relíquia
de uma época longínqua, alguém cujas conduta e crenças
— as de um homem honesto e interminavelmente justo
— se mostram cada vez mais raras na sociedade que o
cerca. Mas sincero ante a uma falha, Vesemir guardou
para si farsas e segredos — que outros venderiam como
mercadoria sem pensar duas vezes — em total desprezo.
Por essa razão, considero seu relato sobre as origens dos
bruxos totalmente confiável e digno de consideração.
Acredito que quaisquer imprecisões e omissões que possam
ser encontradas aqui provêm unicamente da idade
avançada de Vesemir no momento da escrita e de suas
vertentes a um of ício tão crucial para o âmago de seu ser.

— Dandelion
50

BRUXOS
O que é exatamente um bruxo? Pergunte isto a
várias pessoas e você receberá várias respostas.
Um feiticeiro, evidenciando sua mentalidade
científica, provavelmente lhe dirá que bruxos são
mutantes dotados de capacidades sobre-huma-
nas, criados para cumprir um destino específico
e já planejado — matar monstros em troca de
moedas. Já aqueles de origem nobre, por outro
lado, nos veem como ferramentas apropriadas
para resolver quaisquer dos problemas que
possam mencionar — disputas de sucessão,
segurança pessoal, rixas com demais gover-
nantes, entre outros de seus negócios sujos.
Druidas, quando raramente questionados,
resmungam que os bruxos são carniceiros,
pagos para estupidamente exterminar
espécies em perigo. Eles nos chamam de
assassinos da natureza, mercenários que
negligentemente devastam o seu meio
ambiente na promessa de ganhar alguns
trocados.

Mercadores e aldeões — de longe nossos clientes


mais frequentes — tendem a ter opiniões muito mais
variadas. Para a maioria, nós somos simplesmente pro-
fissionais para contratar quando surge a necessidade
de se livrar de um tipo específico de verme desprezível
— assim como caçadores de ratos, se você preferir;
mas somente carregando uma espada para poder
lidar melhor com os grandes “ratos”.
Alguns — geralmente aqueles que nos devem
suas vidas ou pertences — nos estimam muito,
acreditando que sejamos os defensores da hu-
manidade, louvando nossos feitos e defendendo
nossos bons nomes. Mesmo assim, outros veem
os bruxos como aberrações, viciados em matar,
amaldiçoados pelos deuses e pelos homens, obri-
gando os pobres e desesperados a se desfazerem de
suas últimas moedas.
Esta última opinião, pelo que acredito, também é com-
partilhada pelos membros do clero. Oficialmente, os padres
sustentam que isso se dá por não adorarmos nenhum dos
deuses. Todavia, assim como em muitos outros casos, a
verdade se encontra naquilo que reluz tanto aos olhos de
um leigo quanto aos de um padre. De acordo com o vosso
pregador de preferência, as pessoas são atormentadas por
monstros porque sua divindade achou justo puni-las. “Pelo
quê?” você pode perguntar.

Estes matadores de monstros de aluguel começaram a brandir suas duplas lâminas


e a usar seus medalhões característicos pela primeira vez, muitos séculos atrás.
Sua criação, existência e atual destino estão intrinsecamente ligados à história do
mundo e da civilização humana.
51

Pela insuficiência de orações fervorosas e por não haver Tudo isso começou há muito tempo, quando os primeiros
doações o bastante para o templo. Um bruxo, dessa forma, é seres humanos chegaram até essas terras. O mundo era
duplamente vil, pois ele mata as bestas — o próprio flagelo bem diferente naquela época. Todos os campos, prados e
dos deuses — e ainda exige moedas pelo feito, moedas estas pomares férteis de hoje antes eram cobertos por florestas
que, nas palavras hipócritas do próprio pregador, qualquer impenetráveis que as pessoas estavam apenas começando
homem honesto estaria dando para a igreja. a trazer abaixo, com fogo e machado. Os seres humanos
Sim, nós exigimos pagamento pelo nosso trabalho. Nós foram lentamente reprimindo os antigos habitantes destas
somos profissionais, e pelos serviços prestados nós espe- terras — vrans, elfos e bobolacos — para as montanhas e
ramos receber de nossos empregadores a quantia previa- florestas profundas. Ainda assim, essas raças não eram o
mente negociada. Esse é o nosso of ício, uma vocação nem principal perigo enfrentado pelos viajantes e habitantes
melhor, nem pior do que as outras. Hoje em dia, não restam dos assentamentos fronteiriços.
muitos de nós, e logo mais não haverá nenhum. Assim, A verdadeira ameaça possuía duas facetas. Para come-
somente quando estivermos ausentes é que as pessoas çar, os predadores naturais, que viviam em vales mon-
irão provavelmente se lembrar justamente do porquê elas tanhosos e clareiras nas florestas, logo aprenderam que
precisavam dos bruxos. gado pastando e animais de tração eram uma refeição
fácil, proverbialmente servida de bandeja. Em segundo, Embora eles possam se
diferir uns dos outros
é claro que eles também não hesitariam em petiscar um em idade, experiência,
pastor ou um tropeiro, se o homem não conseguisse fugir temperamento, estilo
Os Primórdios a tempo. Eles têm seu próprio “nicho ecológico,” segundo de luta preferido ou
equipamento, todo
a afirmação eloquente dos druidas. Eles comem o sufi- bruxo age com o mesmo
propósito — lutar contra
Alguém pode perguntar: “Mas quem precisa de um mutante ciente para manter a si e aos seus filhotes alimentados, criaturas que ameaçam
engenhado que tem a vida dedicada a caçar monstros?” e os humanos não são o prato principal de suas dietas. as vidas humanas.

Os Bruxos
53
A CRIANÇA INESPERADA
“A Lei da Surpresa é um fenômeno mágico

A Conjunção em particular. Ela geralmente se refere a


um indivíduo — a Criança-Surpresa, No entanto, lanças
das Esferas e escolhida pelo destino, nascida na sombra afiadas, janelas fechadas
os Visitantes do acaso. Sendo este mesmo destino o e portas bloqueadas não
Indesejados criador do vínculo sobrenatural que conecta eram obstáculos páreos
a criança marcada com a pessoa a quem fora prometida — para certas criaturas pós-
o que geralmente acontece antes mesmo de a criança nascer.
Mas havia também as cria- -Conjunção. A magia, que
Para que tal situação ocorra, quem quer fazer a promessa
turas cujos paladares logo apareceu pela primeira vez
deve primeiramente oferecer ao seu benfeitor qualquer
se focaram em devorar hu- quase ao mesmo tempo,
coisa que ele possa desejar (geralmente em troca da ajuda
manos. Estes monstros vie- recebida). Nesse momento, o receptor recita as palavras:
deu origem a monstros
ram a esse mundo durante ‘Você vai me conceder o que encontrar de mais inesperado que pareciam ter saído di-
a combinação das Esferas, quando retornar para casa’, ou, de acordo com outros reto dos piores pesadelos
assim como nós viemos. contos: ‘Você vai me conceder a primeira coisa que o receber da humanidade: criaturas
Eles se adaptaram muito quando chegar em casa’. Esse último caso não se refere etéreas e aparições que
rapidamente e encontra- necessariamente a uma criança, tornando-se uma situação trazem a loucura e a morte
ram nos humanos — na- mais geral da Lei da Surpresa. somente com um pequeno
quele tempo, um dos elos O ofertante deve, então, concordar com o negócio, mesmo vislumbre do som de suas
mais fracos da cadeia ali- que isso ainda não sele o vínculo especial. Somente se a vozes, ou as criaturas ca-
criança, ou outra pessoa prometida, subsequentemente
mentar — a refeição ideal. pazes de mudar de forma,
reconhecer os direitos do receptor quando ele vier reivindicá-los,
Nós não somos uma demônios em pele huma-
é que, então, a Lei da Surpresa se fará realizada.
espécie predatória, a na- Crianças escolhidas pelo Destino estão sempre sujeitas a
na se infiltrando nas vilas
tureza não nos forneceu grandes coisas. Muitos heróis conhecidos através das lendas e se aproveitando de seus
sentidos nem corpos e contos foram, da mesma forma, marcados pelo destino. habitantes.
apropriados para este fim. O grande herói Zatret Voruta foi entregue aos anões, pois ele Em busca de defesa
Ao escurecer, os humanos fora o primeiro rosto que seu pai viu quando voltou à sua contra tais terrores, as
ficam quase que cegos, e morada. O não menos conhecido Supree também fora uma pessoas se voltaram ao
nem ao menos conseguem Criança-Surpresa, dada a Dei, o Louco, a quem ele mais misticismo e à magia po-
compensar essa deficiência tarde salvou de uma terrível maldição. pular. Sal foi espalhado ao
com um nariz acurado ou De acordo com contos antigos, muitos bruxos reivindicaram redor de portas e janelas.
a Lei da Surpresa quando lhes foi requisitado declarar os preços
audição aguçada. Em sua Uma moeda de prata ou
de seus serviços. É comum pensar que tais crianças iriam passar
típica família de três gera- uma ferradura de cavalo,
facilmente por todas as provas dos bruxos ou — de acordo com
ções, somente alguns espé- pregada no mesmo lugar,
outra lenda — não iriam achar necessário realizá-las todas.
cimes são mais ou menos O famoso Geralt de Rívia, também conhecido como o Lobo também tinha a reputação
capazes de defender a si e Branco, era tido como uma das Crianças-Surpresa.” de afastar as forças do mal.
aos seus parentes. Os ido- Alguns contratavam fei-
sos e as crianças compõem — “Uma Visão Geral dos Fenômenos Mágicos“ (dissertação ticeiros, outros rezavam,
a maior parte dos morado- colaborativa) outros ainda compravam
res de um domicílio. Isso ervas, infusões e amuletos.
tornou os humanos uma Algumas dessas práticas
presa fácil para todos os poderiam de fato ajudar,
vários carnívoros deste e são usadas até mesmo
mundo que existem em abundância desde a Conjunção. Os hoje em dia. Já outras não valiam de nada. Eu me lembro
humanos iludem a si mesmos, dizendo que são os donos do de uma época em que a crença de que um manto ou capuz
mundo, mas quando um homem médio enfrenta a maioria vermelho iria proteger uma jovem moça de um lobisomem
dos predadores no ambiente natural deles, ele tem apenas era amplamente disseminada. Tão completa idiotice, tam-
tempo o suficiente para reconsiderar tais pensamentos bém disseminada pela Guilda dos Tintureiros (que viu nisso
antes de se tornar uma pilha de entranhas. uma chance de aumentar seus lucros), acarretou em um
Obviamente, as pessoas tentaram se defender. Caravanas sangrento número de mortes de garotas ingênuas.
fortemente armadas iam pelas estradas, sempre buscando Para resumir melhor as coisas, pessoas estavam morren-
alcançar o acampamento ou a guarita mais próxima antes do dia e noite. Aldeões eram abatidos por aparições diurnas
do anoitecer; ou, ao menos, armar as barracas em um local durante as colheitas, caçadores caíam nas garras dos liches
familiar. Com o tempo, as vilas ficaram cercadas por pali- nos bosques, crianças eram raptadas por afogadores en-
çadas, e torres de vigia foram erguidas, avistando melhor o quanto nadavam nos lagos e donzelas eram sondadas por
perigo à luz do dia. Durante a noite, tochas e fogueiras eram vampiros em suas próprias camas. Tempos dif íceis, em
acesas na esperança de afastar os seres que espreitavam nas que o antigo rumor sobre as idosas que, já cansadas desta
sombras, para além dos frágeis círculos de luz. vida maldita, simplesmente se embrenhavam sozinhas na

Os Bruxos
54
55

mata fechada sem levar nada para se defender, não contém pânico, agarrando seus recém-nascidos com medo e en-
nem um pingo de invenção. xotando seus montes de pivetes de volta para casa. Como
A necessidade de confrontar tais perigos levou ao início se um bruxo tivesse tempo e disposição para trocar fraldas
de nosso treinamento, os bruxos. Era para nós sermos os cagadas, sem mencionar as dificuldades em providenciar a
defensores da humanidade, aqueles que enfrentariam as teta necessária para o bebê ser amamentado...
garras e presas escondidas nas trevas com o brilho do aço, Sequestrar um garoto também não faz muito sentido,
da prata e de nossos feitiços. Mesquinhos, bastardos que pois seria uma grande dor de cabeça e, em todos os casos,
conseguiriam andar pelo vale das sombras sem medo de desnecessário. Porém, as estradas e os becos da cidade, sem
ficar face a face com qualquer criatura viva. E, porra, é mencionar os orfanatos e círculos druidas, andam cheios
assim que nós somos! Nós destruímos o que ameaça as de refugiados, órfãos cujos pais foram levados pela guerra
pessoas — sejam criaturas guiadas pela fome ou pelo pra- ou peste, ou mesmo adolescentes que foram deixados à
zer de matar, sejam comandadas pelo seu próprio instinto própria sorte, rejeitados, vistos por suas famílias como
ou por uma vontade externa. Nós revertemos maldições nada além de uma boca a mais para alimentar. Para esses
e despertamos encantos. Nós defendemos aqueles que moleques, a chance de se tornar um bruxo veio como um
não são capazes de defender a si mesmos. É para isso que golpe de sorte inimaginável, pois de outra forma o Destino
nossa fraternidade foi formada, e, embora tão poucos de os faria morrer de fome ou viver seus poucos dias como
nós ainda restem, é isso o que fazemos até hoje. vagabundos. Foi através desse mar interminável de excluí-
dos e indesejados que grande parte dos membros de nossa
ordem foi selecionada.
A maioria foi convocada pela feiticeira que ajudou a Fardagem: Dada a
Recrutamento criar os alicerces da formação do bruxo. Às vezes, quando natureza dos serviços
de um bruxo, sua
um dos nossos retornava de sua jornada, ele chegava com armadura deve
Abundam os rumores sobre as origens dos potenciais bru- um novo recruta na garupa. Outros foram entregues por fornecer-lhe proteção,
enquanto, ao mesmo
xos. O povo simples tem uma crença que também está seus próprios responsáveis — em grande parte, bastardos, tempo, lhe permitir
relacionada aos tropeiros e aos anões caldeireiros, de que crianças indesejadas do primeiro casamento, ou apenas mover-se livremente.
Cada bruxo monta seu
nós sequestramos as crianças de suas vilas e residências. quintos filhos com nenhuma chance de herdar as terras próprio conjunto de
Mais do que nunca, quando um de nossos irmãos adentra de seu pai ou de continuar em casa, agora lotada de tra- vestuário de proteção
com base em suas
algum povoado, as mulheres imediatamente entram em balhadores fortes e robustos. preferências pessoais.

Em combate, os bruxos
contam com uma magia
conhecida como Sinais.
Ao contrário dos feitiços
complicados usados pelos
magos, os Sinais são
ativados com um simples
gesto de mão.
56

Os limites selvagens
do mundo são habitados
por inúmeras espécies
de monstros. Alguns
chegaram poucos
séculos atrás durante
a Conjunção das
Esferas. Outros são tão
antigos que suas origens
se perderam nas névoas
do tempo. Ainda assim,
existem aqueles criados,
a partir de experimentos
mágicos, por magos
renegados e sem um
pingo de senso moral.
Todos estes ameaçam
as vidas dos homens;
para enfrentar esse
perigo é que os
bruxos foram criados.

O Mundo de The Witcher


57

O procedimento durou vários dias. Durante esse tempo,


nos foram dadas poções mutagênicas mágicas que altera-
ram completamente o nosso metabolismo. Depois disso,
nós ficávamos esperando os efeitos, que geralmente eram
impiedosamente horríveis. Febres incessantes, vômitos,
hemorragias... Sim, nem todos os rumores sobre a ordem
dos bruxos estão errados, e neste ponto as mortes foram, de
fato, muitas. A grande maioria dos indivíduos submetidos a
esta etapa não sobreviveu para prosseguir para as próximas.
Os poucos que conseguiram, avançaram para o próximo Bruxos nem sempre
matam as bestas que
teste — as Mutações. Nesta fase, foram aplicadas novas caçam. Quando um
infusões e poções, infectadas com bactérias de algum tipo... monstro se origina de
uma maldição lançada
e de novo vieram as febres, suadouros, delírios, diarreias e em um ser humano, ele
vômitos além do imaginável. Supostamente, o processo foi deve ser capturado vivo
— só então a maldição
“aprimorado’’ de tempos em tempos, como um teste de novos que acometeu a pobre
elixires e mutagênicos. Tipicamente, isso significou ainda alma pode ser anulada.

mais dor, mais vômitos ou coisa pior para aqueles escolhidos


para esses “testes especiais”. Geralt surgiu a partir desses
experimentos, portando uma vida inteira de memórias de-
sagradáveis e a perda do pigmento de seu cabelo. Os outros
membros deste teste em particular não tiveram tanta sorte
— nenhum deles sobreviveu.
Além de Kaer Morhen, houve vários outros lugares onde
os bruxos foram treinados. Cada um teve o seu próprio trei-
namento e procedimentos um tanto diferentes para as altera-
É claro que, como diz o provérbio anão: “Bosta não serve ções. É necessário dizer que algumas das mutações realizadas
pra fazer chicotes”, apenas os rapazes adequados foram nestas outras escolas não saíram perfeitas. Os efeitos foram,
selecionados; saudáveis de corpo e de mente — aqueles por vezes, lamentáveis, como foi comprovado pela notória
cuja condição f ísica e mental mostraram-se aptas para Escola do Gato. Eu não tenho ideia se eles especificamente
sobreviver aos rigores de nosso treinamento. escolhiam seus candidatos a partir de jovens marginalizados
com um pendor para a violência, ou se algum cruel
imprevisto de alguma forma se desencadeou
durante os experimentos, mas o resultado final
As Mutações e o Teste das Ervas gerou um grupo de psicopatas, loucos e sádicos.
Dispensa-se dizer que a má fama desses feitos
Os potenciais bruxos foram treinados em Kaer Morhen, paira como uma nuvem escura sobre a nossa
também conhecida como a Sede dos Bruxos. Foi lá que a reputação até os dias de hoje.
escola do lobo teve seu quartel-general, assim como todas
as experiências, testes e mutações que levaram à formação
dos bruxos. Hoje, ninguém consegue se lembrar de quem A Purgação
foi o seu fundador ou criador original. Mesmo aqueles que
trabalharam nas experiências por anos e dominaram a sua Talvez, as atitudes da Escola do Gato
complexidade estão mortos há muito tempo. Feiticeiros tenham sido, em parte, a causa dos
devem ter auxiliado em todos os esforços para que o efei- eventos posteriores, ou talvez
to final fosse possível sem o uso de magias. No entanto, não. O Massacre de Iello cer-
os estágios iniciais não demandam tanta magia; meras tamente não beneficia nos-
infusões de misturas de certas ervas específicas foram o sa imagem, mas o fato
suficiente, isso combinado a uma alimentação baseada em é que realmente as
certas espécies de fungos de caverna, possibilitando regular sombras daqueles
o metabolismo e aumentar sua taxa de crescimento. Isso eventos vêm se
tudo nos preparou para a próxima fase: o processo de mu- condensando so-
tação, ou, o infame Teste das Ervas. Eu, pessoalmente, não bre nossas cabeças já há algum tempo.
tenho boas lembranças dela, nem um pouco... Eu acho que Elas se condensaram tão lentamente
qualquer um que sobreviveu quis apenas esquecer todos que deixamos de prestar atenção ne-
os momentos dessa terrível etapa. las, assim como parei de notar a chuva

Os Bruxos
59
OS CRIADORES DOS BRUXOS
“Existem evidências circunstanciais de que os feiticeiros
responsáveis pela criação e desenvolvimento do processo
ou os cães das vilas latindo das mutações dos bruxos, incontáveis anos atrás, eram povo simples nos teme,
para minhas botas quan- Cosimo Malaspina e seu aprendiz, Alzur. Suas atividades, ele só irá nos respeitar
do eu viajava. Essa falta de particularmente no campo da experimentação mágica, mais”. No entanto, só mais
cautela, no entanto, acabou continuam sendo altamente controversas. Sua fama vai longe, tarde começamos a com-
por nos custar muito mais tornando-os renegados. Contudo, não podemos esquecer o preender o quão errados
do que uma mordida no papel estupendo que esses feiticeiros desempenharam no estávamos.
traseiro. Nós nunca fomos desenvolvimento do conhecimento mágico. Feitiços como Com o tempo, mais e
Escudo de Alzur e Raio de Alzur ainda são lembrados
particularmente populares, mais pessoas foram ex-
por outros feiticeiros até os dias de hoje, e é provável que
pois, assim como os feiticei- postas aos contos sobre
continuem a ser lembrados para sempre. Também não
ros, tendemos a permanecer as aberrações mutantes,
poderíamos deixar de citar o profilático conto sobre a morte do
distantes do povo comum, trazidas à vida por meio
próprio Alzur — massacrado em Maribor por um grande viy
mantendo uma aura fria, (um tipo de centopeia gigante, para aqueles que não praticam
da feitiçaria vil e herege.
um rígido profissionalismo. Os homens começavam
o of ício de bruxo) que ele próprio havia criado. Uma vez livre
Nós fechávamos contratos, do controle de seu mestre, a besta conseguiu arruinar metade a cuspir sempre que nos
matávamos os monstros, re- da cidade antes de fugir para as florestas de Trásrios. Diz aavistavam, virando suas
cebíamos nosso pagamento lenda que a criatura perambula por lá até hoje.” caras, nos maldizendo e
e seguíamos em frente. E murmurando ameaças
assim nossa reputação se — Mestre Istredd de Aedd Gynvael, rascunho de pelas nossas costas. Mais
espalhou — tão como nossa “As Controvérsias das Artes Mágicas” tarde, se tornou evidente
imagem, a de homens silen- que as pessoas estavam
ciosos e mesquinhos que não sendo incitadas contra
se importam com o destino nós intencionalmente. Os Bruxos impregnam seus
medalhões de prata
dos outros. Ainda pior foi terem nos caracterizado como rumores foram postos em circulação, e a agitação tomou com magia, tornando-os
oportunistas gananciosos e nefastos que deliberadamente conta das praças, cruzamentos e templos. Até mesmo ferramentas úteis — além
de símbolos, demarcando
trariam monstros para as moradias humanas, a fim de propor um livro foi publicado — Monstrum, ou Um Retrato dos sua filiação à guilda. Os
matá-los, e, desta forma, extorquir dinheiro dos ingênuos Bruxos. Seu autor não teve nenhum escrúpulo ao deixar homens logo aprenderam
seu significado e até
aldeões. Em alguns contos, nós fomos comparados a demô- sua imaginação correr livremente, e escreveu tanta asneira hoje eles lhes despertam
nios que se deleitavam em combate, assassinando tanto as que é dif ícil de escolher se rimos ou se amaldiçoamos as fortes sentimentos,
seja de respeito,
feras quanto os homens, a fim de banhar-se em seu sangue. pessoas que acreditaram nele. repulsa ou medo.
Alguns de nós tentaram mostrar que estas eram men- Muitos, no entanto, realmente acreditaram. Mais e mais
tiras descaradas, mas a maioria deu de ombros. Então, pessoas se voltaram contra nós, engolindo avidamente a
adotamos um pensamento predominante, que era: “Se o merda expelida por esses fanáticos. Quando finalmente as

Na primavera, quando as
estradas se enchem de
viajantes e monstros famintos
saem de suas tocas após
a hibernação, os bruxos
voltam à vista, como de
costume, exercendo seu
ofício por onde passam.

Os Bruxos
Faz parte da vida de um bruxo vagar por estas terras, viajar
eternamente pelas grandes estradas e sertões deste mundo,
oferecendo seus serviços onde quer que estes sejam necessários.
Ele faz seu trabalho, recebe seu pagamento e segue em frente em
busca de seu próximo contrato.
62

A antiga fortaleza de Kaer


Morhen foi, por muitos
anos, o lar da famosa
Escola do Lobo, mas seus
dias de glória são agora
uma memória distante.
Corredores vazios
e salões arruinados
são testemunhas do
massacre que levou
a maioria dos que
passaram por lá à morte.

O Mundo de The Witcher


63
KAER MORHEN
“Kaer Morhen, também conhecida como a Sede dos Bruxos,
era, de acordo com os contos e relatos históricos, um dos
multidões se levantaram vários centros de treinamento para bruxos. A então chamada É por isso que não vou
contra as nossas mora- Escola do Lobo teve suas raízes lá. A maioria dos autores entrar em detalhes sobre a
das, elas vieram com os a situa nas regiões inacessíveis das montanhas ao nordeste defensiva. Não vou dizer se
mesmos nomes em seus de Kaedwen, na parte superior de Gwenllech. No entanto, a foi grande e heroica, quantos
lábios: “Dementes maldi- localização exata nunca foi descrita em detalhes. ataques foram impedidos,
tos, monstros sem deus, O nome é uma decomposição da Língua Ancestral: caer ou quantos pereceram pela
bestas de outro mundo!” a’muirehen, que significa ‘fortaleza do mar antigo’. Embora espada dos bruxos. Mais
Entre várias outras ofensas essa denominação obviamente sugira que o lugar tenha sido tarde, as autoridades de-
pronunciadas em meio aos originalmente ocupado por uma estrutura élfica defensiva, o clararam que os expurgos
seu total significado permanece um mistério.
seus gritos. foram incidentes isolados.
Kaer Morhen foi destruída durante um surto de expurgos
Kaer Morhen, a Sede Os responsáveis foram con-
contra os bruxos, provavelmente próximo ao fim do
dos Bruxos, caiu naquele denados, com toda a culpa
vigésimo século.”
dia. Seus portões foram sobre seus ombros.
estilhaçados, destruídos Alguns até mesmo ex-
— Fragmento de uma dissertação semestral para o primeiro
pela magia dos feiticeiros ano na Faculdade de História na Academia de Oxenfurt
pressaram arrependimento,
que ajudaram no cerco. e aqueles de nós que sobre-
Os invasores adentraram viveram não foram perse-
a fortaleza, abatendo guidos. Isso deu origem a
qualquer um que encon- rumores de que os próprios Esse refúgio dos bruxos
foi construído em meio
trassem. Ninguém foi poupado — nem os tutores super- bruxos não eram o verdadeiro alvo — e, sim, os feiticeiros aos picos agrestes
visionando os testes, nem os meninos em treinamento, responsáveis pelo nosso treinamento. O que pode ser, ou não, da faixa norte das
Montanhas Azuis, num
e certamente nem mesmo os bruxos ali presentes. Eu e verdade. Se for, aqueles que incitaram a multidão atingiram vale inacessível, longe de
alguns outros sobrevivemos por pura sorte, pelo sim- seus objetivos. Embora tenham restado parte dos laboratórios, olhos curiosos. Poucos
sabiam de sua existência,
ples fato de que estávamos distantes de Kaer Morhen algumas anotações e poucos elixires, não há mais ninguém que e ainda menos se
naquele tempo. possa saber como recriar as fórmulas, os testes e as mutações. recordam.

Os Bruxos
64

AS HABILIDADES
ainda ser fatais, e, por isso, serão mais facilmente comba-
tidos com o uso das poções apropriadas. Sem tais elixires,

E O TREINAMENTO
remover um veneno do corpo de alguém é malditamente
exaustivo e leva uma quantidade de tempo exorbitante.

DOS BRUXOS
Aliás, sim, elevada resistência a toxinas também significa
maior tolerância ao álcool. Muitos bruxos lamentam o
tempo (e dinheiro) extra que é necessário para se estar
devidamente embriagado — até o dia seguinte, quando eles
precisam lidar com uma senhora ressaca que derrubaria
Mudanças Físicas até o mais resistente dos bêbados.
Nossa acomodação visual também é bem conveniente,
As coisas que acontecem ao corpo e à mente de um bruxo nos permitindo ver independentemente da iluminação. A
durante as mutações e o Teste das Ervas o alteram para habilidade de estreitar e expandir nossas pupilas à própria
sempre. Seu corpo adquire novas capacidades e funções vontade permite aos bruxos enxergar no breu total ou evitar
que estão além do alcance de indivíduos normais. Primei- serem cegados por um repentino clarão de luz. Adicione a isso
ramente, o envelhecimento desacelera consideravelmente. um pulso lento que pode ser regulado sob estresse, reflexos
Isso significa que um bruxo, se não for assassinado, pode aprimorados, audição acurada e maior resistência à dor — eu
viver muitas vezes a duração da vida de um humano co- poderia continuar descrevendo mais e mais, e provavelmente
mum. O tempo de vida máximo exato permanece desco- ainda esqueceria alguns detalhes a respeito da fisiologia dos
nhecido, já que a violência repentina tem sido, e continua bruxos, que por ora nem eu mesmo percebo mais.
sendo, a causa de todas as mortes em nossa profissão. E, finalmente, deve ser dito que bruxos são estéreis.
Nem um único bruxo sequer viveu por todos os seus dias Não está claro se isso decorre de um efeito colateral de-
e morreu pacificamente em sua própria cama. pois de tantas mutações, ou se isso se deve a uma deli-
Outra vantagem importante vem na forma de imunida- berada intervenção voltada a impedir que uma espécie
de total a doenças — o que é muito útil em nosso of ício, inteiramente nova venha a existir. De qualquer maneira,
considerando os lugares pelos quais passamos e as criatu- depois de ver o estilo de vida de certos bruxos mais jo-
ras que combatemos. Similarmente, nós ostentamos uma vens, só posso dizer que, no fim, com certeza alguém
certa resistência a venenos e toxinas, embora não seja total; se certificou de salvar Kaer Morhen de uma horda de
venenos exóticos ou excepcionalmente potentes podem mulheres indignadas e barrigudas.

Estes pátios, outrora,


ressoavam as vozes e os
choques das espadas do
treinamento dos futuros
caçadores de monstros.
Porém, hoje neles só se
ouvem o uivo do vento
e os sons das aves que
nidificam em suas ruínas.

O Mundo de The Witcher


65
O MASSACRE DE IELLO
“O massacre na cidade de Iello, amplamente aceito como

Psicologia
obra do bruxo Brehen, eternamente conhecido após isso
como o Gato de Iello, foi apenas mais um de muitos dos anos nesta profissão pos-
episódios infames na história dos bruxos. Devido a sua sam acarretar uma certa
Ao contrário da opinião notoriedade, é muitas vezes comparado aos dramáticos dessensibilização. Durante
popular, nós não somos eventos que ocorreram alguns anos mais tarde em Blaviken, o treinamento, já somos
desalmados. Na verdade, na Arcomerânia. Lá, em plena luz do dia, o bruxo Geralt preparados para as coisas
bruxos são treinados e ge- entrou no mercado da cidade e abateu seis homens e que teremos de enfrentar,
neticamente modificados, uma mulher a sangue frio, ganhando assim a alcunha e estas, muitas vezes, não
a fim de melhorar o con- permanente de o Carniceiro de Blaviken.” são agradáveis de se ver.
trole sobre suas emoções. Perseguir monstros signi-
De fato, até seria possível — H. Jaagen e Y. Deyner, “O Ultimato de Tridam e Outros fica tropeçar nos cadáve-
Assassinatos em Massa Perpetrados por Não Humanos”
purgar todos os nossos res retalhados das vítimas
sentimentos humanos. É — mulheres, crianças e até
dito que alguns bruxos até famílias inteiras — espa-
mesmo submeteram-se a lhadas, semidevoradas,
esse processo, no entanto, ou os resultados não foram sa- algumas vezes frescas, algumas outras em vários está-
tisfatórios, ou a coisa toda terminou com algum desagrado, gios de decomposição. A última coisa que precisamos
que é melhor não mencionar. em tais ocasiões é de uma emoção desnecessária. Raiva,
As pessoas também afirmam que os bruxos nada te- desespero e o desejo de vingança ou punição podem nos
mem. Isso, é claro, só aumenta o nosso renome, apesar de levar a tomar decisões irracionais, perder a concentração
simplesmente não ser verdade. Nós continuamos sentindo e cometer erros. Em combate, um espadachim desequi-
medo, mas aprendemos a controlá-lo. O medo é uma coisa librado é um espadachim morto.
útil, ele nos lembra que devemos sempre ter em mente os O mesmo vale para a compaixão. Na verdade, pode-se
nossos limites e assim proceder com cautela. No final das ter pena de uma vítima de maldição, que a cada lua cheia
contas, fanfarronices, brincar com a espada, se exibir ou se transforma em uma besta sanguinária sem uma mente
começar brigas desnecessárias certamente levam todos própria. Pode-se e deve-se tentar ajudar essa pessoa, se
para o mesmo destino: a cova. isto estiver ao seu alcance. Mas quando tudo o mais falhar,
Eles também dizem que não conhecemos a compai- quando se tem de realmente enfrentar o monstro, não se
xão, o que é mais uma bobagem, apesar de que muitos pode dar ao luxo de hesitar.

O caminho para Kaer


Morhen é conhecido
apenas por uma minoria
seleta — em grande
parte, membros da Escola
do Lobo ou aqueles
que estão entre seus
amigos e aliados mais
próximos e queridos.

Os Bruxos
Outras escolas de bruxos também foram destruídas durante
os massacres. Tal foi o destino da Escola da Víbora, a alma
mater do infame Letho, um bruxo renegado que assassinou
dois reis do Norte sob as ordens do Imperador de Nilfgaard.
67
MONSTRUM, OU UM
RETRATO DOS BRUXOS
“Não se pode esquecer do papel que o anônimo Monstrum,
Treinamento ou Um Retrato dos Bruxos desempenhou na construção do
O estilo de combate en-
sinado em Kaer Morhen
Físico e a sentimento antibruxo, nem a sua contribuição de fato no
próprio expurgo. Esse conto tendencioso sobre as práticas enfatiza a velocidade, mo-
Prática de bilidade e eficácia brutal.
dos bruxos, acusando-os expressis verbis de feitiçaria e atos
Esgrima blasfemos, pintou uma imagem totalmente unilateral do Existem inúmeras teorias
sobre qual teria sido o estilo
of ício dos bruxos. Incitações de ódio e violência contra os
Além de instruções em membros da profissão supracitada são predominantes ao de esgrima original que ser-
esgrima, fundamentos da longo de todo o folheto. Suas numerosas representações da viu como base, e os autores
magia e conhecimento teó- religião e da devoção como a maneira correta de se viver e das muitas dissertações so-
rico, o treinamento bruxo fonte de proteção genuína contra as forças do mal, além de bre o tema dedicaram pelo
envolve uma série de regi- sua totalmente favorável justaposição a respeito das práticas
menos vários capítulos a
mes f ísicos que trabalham dos bruxos, sugerem que o autor do livro era na verdade esta questão. Que a verda-
para melhorar os reflexos, um membro de algum clero. Monstrum, ou Um Retrato dos de seja dita: na época em
velocidade e coordenação Bruxos foi amplamente divulgado logo antes dos expurgos que foi desenvolvida, era
antibruxo que ocorreram mais de um século atrás. Apesar de
de um indivíduo. A maioria dif ícil identificar um esti-
seus preconceitos óbvios, o Monstrum deve ser reconhecido
dos exercícios toma parte lo ou escola específica. No
por sua oratória impetuosa, permanecendo uma das leituras
no denominado Caminho início, nossa técnica era
obrigatórias discutidas em nossa faculdade.”
— uma faixa ao redor de simplesmente uma com-
Kaer Morhen que compõe — Fragmento de “A Pena É Mais Poderosa do que a Espada: pilação das habilidades e
uma espécie de pista de Trabalhos Literários que Mudaram a Face do Mundo”, uma experiências de assassinos
Depois do massacre, a
obstáculos. Os jovens de- retórica palestrada na Academia de Oxenfurt e mercenários veteranos, fortaleza que uma vez
ram-lhe seu próprio nome que não eram estranhos à fervilhava com bruxos
caiu em abandono e
marcante — o Desafio. De espada. Ao longo dos anos, em ruína, com ervas
fato, os novatos até podem ela foi sendo aperfeiçoada à daninhas brotando em
meio aos seus destroços.
achar o percurso exigente, mas ele vai desenvolver sua medida que os professores, consecutivamente, aprimora- Hoje, os restos dispersos
resistência, seus reflexos e seu equilíbrio. Ele serve como ram suas habilidades e começaram a implementar técnicas de uma batalha travada
séculos atrás ainda
um bom aquecimento antes dos exercícios de esgrima da esgrima tradicional, as quais, naturalmente, também expõem o trágico destino
nos aparelhos de treinamento dentro do próprio castelo. estavam em constante estado de evolução. Eu mesmo de seus residentes.

Os Bruxos
68
OS SEGREDOS DOS BRUXOS
“[Ilegível] razões para suspeitar que alguns pedaços de
documentação, fórmulas e receitas escondidas nas câmaras
servi como instrutor de es- secretas de Kaer Morhen tenham sobrevivido ao ataque. Os O treinamento de com-
grima por mais tempo do bruxos provavelmente têm acesso a estes documentos, mas bate bruxo também incide
que dura a vida da maioria sobre a capacidade de lu-
não sabem como usá-los. Essa teoria [ilegível] eventos do ano
dos homens deste mundo, tar em condições adversas.
anterior, quando [ilegível] sob ataque [ilegível] organização
e nunca deixei passar a chamada Salamandra. Informações adquiridas por nossos Essa funcionalidade é a raiz
oportunidade de aprender agentes sugerem que o objetivo dos atacantes era capturar da nossa maestria e é o que
algo novo. nos torna tão eficazes no
estes ‘segredos dos bruxos’. Embora [ilegível] sido destruído,
As técnicas dos bruxos e seu líder, o feiticeiro renegado Azar Javed, esteja morto, foi
que fazemos. São poucos
foram influenciadas por, sugerido que [ilegível] e futuramente monitorar a situação.”
os indivíduos que poderiam
entre outros, conceitos de representar uma ameaça
— Nota encontrada próximo a um cadáver sem cabeça, nos
esgrima élficos, que consi- direta para um bruxo —
esgotos da área comercial em Vizíma
deravam o uso de armadu- embora isso não signifique
ras leves e contavam com que eles não existam. No
múltiplos movimentos de mundo não faltam pessoas
esquivas e fintas. Estas que, assim como nós, ga-
abordagens vêm das particularidades do nosso of ício. nham sua vida através da matança. Mercenários desfigura-
Bloqueio, guarda e desvio são úteis principalmente contra dos, veteranos de muitas batalhas, assassinos frios e famosos
um adversário de tamanho, peso e força similares, equipa- mestres espadachins — subestimar suas habilidades seria
do com armas análogas àquelas feitas pelo homem. Mas um erro fatal. E, ainda mais, enfrentar um monstro em seu
Por uma feliz virada nem mesmo o mais forte espadachim pode se esquivar do habitat natural — uma caverna escura, um pântano fétido
do destino, alguns
membros da Escola golpe da cauda de um wyvern ou do porrete de um troll. ou os corredores quase desabando de uma antiga tumba —,
do Lobo sobreviveram Nem irá bloquear os tentáculos de um zeugl ou as pinças todos esses mestres talentosos não teriam a menor chance. É
ao massacre e ainda
residem nas ruínas de um escorpião-gigante. Frente a um bando inteiro de por isso que nós treinamos com olhos vendados, em passa-
de Kaer Morhen até carniçais, afogadores ou nekkers, cotas de malha pesadas diços bambos, com água até a cintura, ou nos equilibrando
o presente momento,
utilizando-se delas como ou até mesmo um peitoral pode atrapalhar mais do que sobre estacas fincadas no solo. É por isso que nós praticamos
abrigo para o inverno e auxiliar, prejudicando a mobilidade necessária para sal- saltos acrobáticos e cambalhotas — para sermos capazes de
de seus arredores como
campos para treinamento. vá-lo de ser derrubado no chão e retalhado em pedaços. esperar a hora certa e atacar no momento crítico, quando

O Mundo de The Witcher


69
O DESAFIO
“Você pode percorrer o Caminho uma centena de vezes, e
ainda assim quebrar o pescoço na centésima primeira volta.
a nossa própria sobrevivên- As coisas estão sempre mudando, sempre em movimento. um desafio para um bruxo
cia depender de um único As árvores caídas que formam passarelas naturais experiente.
e preciso movimento de sobre ravinas pedregosas se deterioram com o tempo, ou Isso não significa que
despencam no abismo. Na primavera, a neve derretida
nossa espada. um adversário deva ser su-
escoa pelas pedras dos caminhos estreitos nas montanhas.
O gelo do inverno torna qualquer próximo passo
bestimado. Mesmo quando
potencialmente fatal. Existem mais fedelhos experientes que aceitamos os mais simples
se arrebentaram totalmente ou que perderam suas vidas no dos serviços, nós devemos
Conhecimento Desafio do que há de putas nos bordéis de Novigrad. Se você aprender tudo que for ne-
dos Monstros já foi a Novigrad, os números falam por si sós.” cessário. Falar com teste-
munhas, determinar quem
É preciso muito mais do — Bruxo Lambert eram as vítimas, dar uma
que apenas balançar uma checada na cena do proble-
espada para ser um bruxo. ma e examinar as pistas. As
O conhecimento é o que aparências enganam, e uma
mais importa, e por isso se estudam intensamente as cria- conclusão premeditada da situação pode custar a um bruxo
Os bruxos guardam
turas que teremos de enfrentar. Debruçamo-nos sobre os sua vida, pois de repente ele pode se deparar com uma ferramentas e
tomos antigos, analisamos as ilustrações e nos atentamos criatura desconhecida ou inesperada. conhecimentos
secretos que fazem de
aos contos recorrentes. Ao se deparar com uma besta, um sua fortaleza um alvo
bruxo deve saber exatamente com o que ele está lutando tentador para os homens
gananciosos ou sedentos
e quais são suas chances. Ele deve estar familiarizado com
As Espadas dos Bruxos
por poder. Os habitantes
todas as formas eficazes de combatê-la, pois conhecer seu de Kaer Morhen
resistem com facilidade
habitat, suas rotinas, alimentação e, acima de tudo, seus a caçadores de tesouro
pontos fracos é a chave para a vitória. As espadas são as ferramentas de nosso of ício. Cada bruxo solitários, mas, uma vez,
um bando de assaltantes
Nós somos os melhores no que fazemos porque possui duas lâminas, comumente chamadas de aço e prata, armados conseguiu
somos preparados para isso. Lutando contra monstros embora, como em breve vou explicar, esta terminologia adentrar até o coração
das ruínas e roubar
comuns, que não possuem habilidades especiais — seja uma simplificação. As espadas são sempre da mais alta alguns dos famosos
tais como carniçais ou nekkers —, é quase sempre qualidade, manufaturadas sob encomenda individual, e tendo “segredos dos bruxos”.

Os Bruxos
70

“Acredita-se que as espadas dos bruxos sejam mágicas, porque


o material usado para forjá-las é mágico por si só. Embora
essa opinião não surpreenda no caso da espada de prata, que
é obviamente letal para todas as criaturas nascidas das forças
malignas, para a espada de aço é necessária uma explicação
adicional — a qual eu irei providenciar de bom grado.
É de senso comum que as espadas de aço dos bruxos sejam
feitas de ‘aço estelar’, que é como as pessoas simplórias e sem
instrução costumam chamar o aço forjado a partir da siderita —
isto é, de um meteorito de ferro. Durante sua jornada de descida
à Terra, o dito meteorito penetra nas quatro Esferas ou Planos
Elementais — sendo estas do Fogo, Ar, Água e Terra —, das quais
a sphaera mundi é composta. Enquanto cai do firmamento, o
meteoro passa primeiro pela Esfera de Fogo, ou Aether, logo então
pela Esfera do Ar, ou Aerr, até que finalmente atinge o globo
composto por Terra e Água. É, portanto, facilmente demonstrável
que, durante sua jornada, a siderita absorve a energia dos
Quatro Elementos — a pedra angular de toda magia — e, assim,
adquire suas capacidades mágicas. Estas, então, são transferidas
para a lâmina que será forjada, fazendo-a altamente eficaz
contra toda uma variedade de monstros.”

— Fragmento de “As Propriedades das Armas Mágicas, tal


como Confirmado pela Ciência” (manuscrito rejeitado pelo
redator)
71
“A opinião de que os sihils dos anões são as melhores
espadas do mundo é ao mesmo tempo muito prevalecente
e amplamente equivocada. É verdade que o processo de
forjamento incorpora antigas técnicas gnômicas para
seu tamanho, peso e em- vido à sua extrema rigidez.
polimento e afiação da lâmina, que até hoje não se tem
punhadura adaptados ao igual. Mas o of ício de ferreiro atingiu o seu verdadeiro auge
É por isso que um núcleo de
indivíduo que vai usá-las. apenas com as antigas espadas dos gnomos, conhecidas aço magnetita é geralmente
A lâmina da espada de como gwyhyrs. Suas lâminas foram feitas de aço escuro, com revestido com um aço mais
prata, apesar da crença po- fendas para reduzir seu peso. O processo único de afiação suave, sendo mais fácil de
pular, não é integralmente resultou em uma espada de lâmina flamejante, ostentando lidar. Contudo, as melhores
forjada a partir desse me- um corte excepcional, que lhe permite partir facilmente um lâminas atualmente fabrica-
tal. A prata é um material grosso tecido ao meio em pleno ar. Os gwyhyrs originais são das são os sihils dos anões
delicado e, portanto, im- atualmente uma raridade, e custam preços exorbitantes.” mahakanianos, embora seja
possível de se afiar cor- dito que até mesmo elas em-
retamente. Em vez disso, — Esterhazy de Fano (mestre ferreiro), “O Conto das Armas” palidecem se comparadas às
o núcleo da lâmina, bem espadas forjadas eras atrás
como o seu fio, são feitos a pelos gnomos.
partir de aço revestido em Com o tempo, as espadas
prata. Ainda assim, a arma continua sendo um pouco delicada, de aço dos bruxos ganharam o nome de “espadas para os ho-
e eu, definitivamente, aconselho a não usá-la para bloquear mens.” Um apelido besta, embora não tenha sido inventado
uma outra lâmina. A espada de prata é, sobretudo, utilizada do nada. Uma lâmina de aço boa é de fato nossa primeira
contra criaturas provenientes de magia. Este grupo inclui linha de defesa contra o ódio, a estupidez e a ganância da
todas as bestas remanescentes da Conjunção das Esferas, bem humanidade. O mundo está cheio daqueles que ficariam
como monstros criados por meio de maldições, invocados ou felizes em matar um bruxo — sem ressentimento para com
conjurados por magia, ou resultantes de fenômenos mágicos o nosso of ício, somente pela fama, ou simplesmente para
de qualquer outra espécie. lucrar em cima de nossas suadas moedas. Assim, os bruxos,
Também não é verdade que todas as espadas de aço plenamente conscientes da situação, nunca hesitaram em
Monstros voadores
dos bruxos tenham de ser feitas de minério de meteorito, aliviar este mundo do fardo daqueles tão teimosamente — harpias, wyverns,
também chamado de siderita, frequentemente associado a estúpidos ao ponto de ameaçar nossas vidas. Por essa ra- e grifos — vagueiam
para longe em busca
propriedades mágicas. Na verdade, essas armas também zão, no meu tempo, nós chamávamos nossas espadas de de presas, perturbando
podem ser constituídas de aço fundido a partir do miné- aço de “espadas pros tolos”. Infelizmente, vendo o quão vilarejos que antes
acreditavam estar a
rio de magnetita, bem como os minérios de hematita e mentirosos e canalhas de duas caras são os bastardos que salvo das bestas, mas
ainda da tal siderita. Pessoalmente, eu prefiro o primeiro, governam este mundo, um grande número de tolos foram, que agora percebem
a necessidade
embora seja uma desgraça para se afiar corretamente, de- aparentemente, poupados desse processo de seleção. dos bruxos.

Os Bruxos
72
O CÓDIGO
“Código dos bruxos — Um conjunto preciso de regras e
regulamentos criteriosos que regem a vida da casta dos
O Medalhão bruxos (vide A Ordem dos Bruxos). Rigorosamente incutido outra vantagem é de que a
durante o treinamento, é suposto que ele seja um compilado pessoa precisa de apenas
O medalhão de um bruxo de certos princípios e costumes destes caçadores de monstros. um talento mínimo para
não é apenas uma insígnia O código está, sobretudo, relacionado a uma profusão de aprendê-los, ou, em outras
de nossa profissão, é tam- imperativos e proibições pertinentes aos contratos dos bruxos. palavras, não ser um sem
bém uma das nossas ferra- A maior parte das instruções nele contidas permanece um talento. Eu suponho que
mentas. Ele possui vários segredo, já que o próprio código proíbe mencioná-las.” seja por isso que alguém
recursos úteis que, é claro, decidiu que era possível
— Albert Braas, “Os Costumes Tribais dos Nortelungos”
são acessíveis apenas para ensinar Sinais para aqueles
aquele que detém o conhe- que dedicam a maior parte
cimento e o treinamento de seus dias não à pesquisa
necessário. Em primeiro acadêmica, mas sim a caçar
lugar, ele reage à presença de auras com traços de magia monstros. Devo admitir que os Sinais de fato tornam o nosso
nas imediações, tornando-nos conscientes de qualquer fei- trabalho mais rápido e fácil, pois mesmo o mais habilidoso
tiço, ilusões ou criaturas mágicas que estiverem por perto. espadachim sempre poderá se beneficiar da capacidade de
Ele também alerta seu portador de perigos súbitos, nos incendiar um inimigo ou nocauteá-lo com um simples gesto.
proporcionando, assim, uma chance para reagir. Tenha em O último componente do arsenal de um bruxo são suas
mente, porém, que o medalhão não é infalível. Auras mágicas poções. Fermentá-las requer vários ingredientes, comuns e
muito fortes — como as encontradas em Locais de Poder ou escassos, tais como órgãos de certas espécies de monstros
durante solstícios — podem provocar reações aberrantes. ou ervas raras. Na maioria dos casos, estas decocções são
Nas grandes cidades, onde as pessoas amplamente usam letais, ou no mínimo excepcionalmente prejudiciais para um
amuletos mágicos simples ou pequenos sistemas de feiti- ser humano normal. Os bruxos, no entanto, são habituados
ços para proteger suas casas, tesouros ou esposas infiéis, o a elas desde a juventude, embora isso não signifique que as
medalhão também pode se comportar de forma anormal. poções não tenham efeitos nocivos sobre nós. Assim, elas
devem ser administradas em doses muito precisas.
Há uma infinidade de utilidades para as poções. Elas
aumentam a nossa resistência às toxinas, ampliam nossas
Sinais e Poções capacidades regenerativas e até melhoram nossa concen-
A maioria das poções
dos bruxos é letal para
tração, permitindo reunir com mais facilidade a energia
aqueles cujos corpos Os Sinais de um bruxo podem parecer feitiços quase infan- mágica necessária para conjurar um Sinal. A maioria é
não estão preparados
para lidar com seus
tilmente simples para um feiticeiro médio, mas eles são o ingerida antes do combate, para acelerar os seus reflexos,
efeitos. Os bruxos suficiente para suprir nossas necessidades. Uma das vanta- ampliando a força e precisão dos golpes, ou estendendo a
preparam essas misturas
utilizando equipamentos
gens dos Sinais é que eles não requerem uma fórmula mágica nossa tolerância à dor para muito além dos limites normais.
de alquimia, e aprender elaborada, apenas concentração e um pequeno gesto. Isso Um bruxo sob efeito de poções é um cara extremamente veloz
a fabricá-las é uma
parte importante de
os torna particularmente úteis para os bruxos, que geral- e eficazmente letal. Nenhum homem pode se igualar a ele
seu treinamento. mente têm uma das mãos ocupada por uma espada. Sua sem a ajuda de feitiçaria. No entanto, como eu disse, deve-se

O Mundo de The Witcher


73

tomar cuidado no consumo das poções, uma vez que elas do mundo em geral. É uma boa ideia ocasionalmente visitar
possuem um efeito colateral potencialmente desastroso de os lugares em que você já trabalhou. As pessoas são menos
envenenar você. “Morreu de uma superdose ao se preparar cautelosas e desconfiadas por lá, além de ser mais fácil de
para a batalha” seria um epitáfio bastante lamentável para aprender sobre os acontecimentos da região ou até mesmo
a lápide de um bruxo. repor seus suprimentos. Às vezes, o povo agradecido vá
talvez lhe ceder um quarto para passar a noite, ou até lhe
pagar uma rodada na taverna local; assim, vale a pena manter
uma boa reputação. Em alguns lugares, a quarta, ou mesmo
Os Trabalhos de um Bruxo a quinta geração, ainda me reconhece de vista.
e a Questão dos Preços Quanto a escolher seus trabalhos, isso se resume à sua
preferência pessoal. Nenhum bruxo é obrigado a aceitar
Bruxos passam seus invernos em Kaer Morhen. Lá, pode- um contrato se isso ferir sua dignidade, se o pagamento
mos tranquilamente descansar, repor nossos estoques de não for suficiente aos riscos envolvidos ou se simplesmente
poções únicas, reparar nosso equipamento e nos reunir com achar que não terá chances de sucesso. O preço por seus
os amigos. Na primavera, nos aventuramos mais uma vez serviços é negociável, mas você tem de tomar cuidado para
pelo mundo à procura de trabalho. Saímos perguntando aos não desestabilizar o mercado trabalhando por uma misé-
proprietários, intendentes e regentes dos vilarejos, sempre ria. O valor correto depende de quão complexa é a tarefa,
atentos a proclamações e avisos pregados nas árvores ou quanto tempo vai levar, as despesas pessoais envolvidas e
placas nas estradas. Na maioria das vezes, as pessoas nos qualquer variável que o cliente possa acrescentar.
lançam olhares hostis quando chegamos para fechar algum Os detalhes relativos ao pagamento são tipicamente A neutralidade é um
contrato. No pior dos casos, elas podem nos jogar esterco combinados antes de se aceitar um serviço. Geralmente, princípio-chave dos
bruxos. Eles não tomam
de cavalo ou mesmo pedras, nos fazendo partir o mais cedo a remuneração vem na forma de uma única quantia entre- lados nos diversos
possível, o que geralmente é a melhor escolha. Entretanto, gue após o contrato ser concluído. Nós normalmente não conflitos do mundo,
e graças a isso podem
se elas se aproximam de você, o cumprimentam e o convi- recebemos dinheiro logo de cara, mas, às vezes, pedimos praticar o seu ofício
dam para entrar e lhe oferecem comida, isso provavelmente um adiantamento, especialmente se o trabalho for, prova- independentemente
de qual seja a situação
significa que elas têm um trabalho para você — ou talvez velmente, nos tomar algum tempo. As formas de pagamen- política e religiosa
simplesmente querem ouvir quais são as últimas notícias to também são sempre decididas de antemão. Na maior no momento.

Os Bruxos
74
“Sim, nós continuamos dizendo que somos neutros e
mantemos distância das coisas que não deveriam nos
preocupar. Mas, algumas vezes, um bruxo encara o mal,
ordinário e encarnado na terra, do tipo que causa a revolta
parte dos casos, quando se que eles poderiam ser re-
genuína, a injustiça, ou a velha e simples iniquidade, tão
trabalha especificamente jeitados. Normalmente,
gritante que até mesmo um de nós achará dif ícil fazer vista
em vilarejos e se recebe em existem duas vias de saí-
grossa. Em tempos como esses, o dito bruxo deve pensar
pequenas quantias, nosso da. A primeira, você pode
duas vezes antes de fazer algo estúpido. Mas se concluir que,
pagamento vem na forma apesar de seu treinamento e de seus princípios, ele precisa
educadamente, mas com
de moedas; já quando o agir, caso contrário, jamais poderá olhar-se no espelho outrafirmeza, recusar, citando
cliente é um rico comer- vez sem cuspir de repugnância, então, ele deverá fazê-lo comoo Código dos Bruxos. Mas
ciante, feiticeiro ou senhor um profissional. E quando tiver terminado, é melhor ele não quando diante de uma
de terras, nós preferimos estar esperando por nenhum elogio ou agradecimento, pois cabeça coroada, particu-
as recentes transferências não receberá nenhum. Ele deve simplesmente virar as costas e larmente dura e teimosa,
bancárias, ou mesmo che- ir embora para nunca mais voltar.” você deve aproveitar sua
ques, que são facilmente primeira chance de partir,
trocados em qualquer um — Anônimo (atribuído a Vesemir, mestre do of ício dos e, assim, evitar quaisquer
dos bancos anões. bruxos) problemas que possam
surgir. Assumir tal tra-
balho pode prejudicar a
reputação de toda a nossa
Enganos profissão e nos fazer pouco melhor do que reles bandidos.
Uma vez que tocamos no assunto do Código dos Bru-
Às vezes, as pessoas demonstram uma ignorância cho- xos, é necessário dizer que ele nunca existiu. O termo é
Treinamento extenuante, cante ou um entendimento quase deliberadamente equi- frequentemente mencionado por Geralt para identificar o
anos de prática, alta
perícia e equipamento
vocado da natureza de nossa profissão. Geralt uma vez conjunto de princípios que ele segue, ou ao menos, tenta
especializado — é mencionou sobre um duque que tentou contratá-lo para seguir. O rapaz tem um talento nato para se envolver em
assim que os bruxos
cumprem sua vocação e
encontrar uma garota que havia rejeitado seus cortejos coisas que ele jurou evitar… Mas isso é para outra hora. Que
se tornam os caçadores vulgares e fugiu de seu baile, deixando apenas um sapato a verdade seja dita: cada um de nós possui algum tipo de
de monstros mais
eficientes que este
para trás. O Lobo Branco mal conseguiu convencer seu princípios. Tentamos viver por eles, nos saindo melhor em
mundo já conheceu. possível contratante de que a tarefa era mais apropriada alguns momentos e pior em outros, mas você precisa estar
para um caçador do que para um bruxo. Eu até posso comprometido com algo. Pode-se dizer que cada bruxo tem
me lembrar de ter sido convidado, uma vez, a livrar uma seu próprio código. Além disso, é bom para os negócios.
comunidade de uma infestação de ratos de origens su- Você sempre pode evitar uma tarefa indesejada citando as
postamente mágicas. O povo daquele lugar sugeriu, com proibições do “código”. As pessoas respeitam aqueles que
toda a seriedade, que eu tentasse atrair os roedores para seguem determinados princípios — provavelmente porque
além das paredes usando uma flauta mágica. são muito raros nestes tempos fúteis.
Na maioria das vezes, porém, somos Se você quiser adquirir nossos serviços, tenha em mente
confundidos com mercenários ou assas- que a nossa profissão foi criada com um propósito muito
sinos. Essa tendência é demonstrada específico em mente: bruxos devem matar monstros. Não
com maior frequência por diversos membros das raças pensantes, nem criaturas inofensivas
burgueses, acostumados a comprar ou espécies exóticas, mas, sim, bestas que ameaçam a vida
os serviços das pessoas sem se humana. Seres malignos criados por magia, fragmentos
importar com o custo, da Conjunção das Esferas, criaturas do caos e monstros
nem nunca imaginar resultantes de experimentos mágicos ou maldições são o
que os bruxos devem combater e destruir por natureza.
Enquanto ainda tem em mente quem somos e o que fa-
zemos, você também não deve nunca se esquecer de quem
nós não somos, e do que não devemos fazer.
Nós não somos cavaleiros andantes, lutando por ideais
e glória. Nós trabalhamos por dinheiro e exercemos um
of ício muito específico. Nós não ocupamos o cargo de
agentes da lei por perseguir bandidos ou saqueadores.
Nós não seguimos reis, barões, comerciantes, feiticeiros
ou sacerdotes em suas guerras intermináveis. Nós somos
neutros. E se chegarmos ao ponto de quebrar esta regra,
o mundo poderá, muito bem, deixar, mais uma vez, de
ser neutro em relação a nós.

O Mundo de The Witcher


CAPÍTULO III

A MAGIA E AS
RELIGIÕES DO
CONTINENTE

Y
ennefer de Vengerberg, o verdadeiro amor de
Geralt, o bruxo; heroína da Colina de Alagante
e, até certo ponto, a integrante mais nova do
Conselho de Feiticeiros. Ela é sem dúvidas uma das magas
mais talentosas de nosso tempo.
Inicialmente, é necessário dizer que nós não nos demos
muito bem. Você acreditará em mim se eu disser que já
ouvi um boato de que, durante anos, ela “me desprezava
como a peste bubônica”? Naquele tempo, meus próprios
sentimentos por ela também não eram muito cordiais. Isso
provavelmente decorreu do fato de que eu, amigo devoto
de Geralt neste mundo igualmente hostil, tanto para os
bruxos quanto para verdadeiros artistas, sempre me senti
no dever de tomar partido do bruxo em várias das crises
que surgiram durante o relacionamento, muitas vezes
tempestuoso, dele com a feiticeira.
Tudo isso mudou anos atrás, quando um bando de
rufiões me sequestrou e me torturou na esperança de extrair
informações sobre o paradeiro de Geralt. Foi então que,
subitamente, Yennefer entrou em cena como a personificação
da vingança; seus olhos reluziam em chamas enquanto
ela infligia a justiça naqueles vilões e me salvava da morte
certa. Mais tarde, ela me contou que, por algum tempo,
possuía realmente uma alta consideração por minha pessoa,
pois eu era o amigo sempre fiel do bruxo e nunca o havia
abandonado, não importavam quais terríveis cirscunstâncias
nos sondassem. Yennefer e eu temos sido amigos desde então.
Quando eu pedi a ela para explicar as questões
relacionadas à magia, sua história e as leis que a regem, ela
concordou, embora não sem alguma hesitação.

— Dandelion
78

O QUE É MAGIA?
Existem múltiplas definições acadêmicas para
o termo magia. Eu poderia citar todas elas,
apontando suas várias inconsistências e con-
siderando qual deve ser tomada como a mais
correta, mas eu não vou. Em vez disso,
usarei as palavras que ouvi de minha
própria mestra, quando eu era uma
jovem e inexperiente feiticeira e
me vi diante de um questiona-
mento semelhante.

A magia é muitas vezes referida como


“a Arte”. Isso não é coincidência. Ela é re-
conhecida por muitos como uma disciplina
de ponta, exigindo arte e talento, além de serem,
de fato, poucos os que possuem as imensas capaci-
dades criativas necessárias para exercê-la. Aqueles
com talentos mágicos podem utilizá-la para criar
coisas admiráveis e belas — maravilhas sem as quais
o mundo certamente seria um lugar muito mais mi-
serável. Portanto, aqueles que definem a magia como
uma linda bênção trazida a este mundo através da
Conjunção das Esferas, estão, de certo modo, corretos.
A magia também vem sendo chamada de o caos
encarnado: uma força primitiva e perigosa, implacável
e destrutiva. Nas mãos de incautos, torna-se uma
chave que pode abrir a porta proibida, por detrás
da qual se encontram a ruína e a perdição. Desta
forma, aqueles que dizem que a magia é uma
maldição nascida do caos durante a Conjunção
das Esferas e que condenará este mundo,
também estão corretos.
Por fim, de acordo com outros, a magia
é ciência — isto é, o conhecimento que
só pode ser adquirido através de estu-
do aprofundado, disciplina e trabalho
duro. Deste ponto de vista, a magia é
progresso; um processo de avanço
constante iniciado durante a Con-
junção das Esferas que nos traz
desenvolvimento, elimina os
males deste mundo, fornece
respostas para as perguntas
que afligem a humanidade,
amplia mentes e introduz
inovação. Assim sendo,
também está correto dizer
que a magia é sua própria
ciência particular.
No fim das contas, a magia
é tudo o que está escrito acima.
79
“E então levantou as mãos Jan Bekker. Rodeado por uma
auréola brilhante e com uma voz poderosa, falou tão alto
quanto a tempestade: ‘Vos curvem, ó elementos, e vos
submetam à minha vontade, pois a partir de agora serei
Isto é: Arte, Caos e Ciência; mamente poderosas, nor-
eu o vosso mestre!’ E tal foi o poder emanado por ele que o
uma bênção, uma maldição malmente permanecem
vento se acalmou, e as ondas cruéis baixaram. Só então se
e um progresso. Tudo de- adormecidas, ocultas por
fez possível a chegada em segurança das embarcações dos
pende de quem vai usá-la, um longo período de tem-
exilados à terra firme, pois havia Jan Bekker canalizado o
e para qual finalidade. Poder, para então servir à humanidade pelas eras vindouras
po. Ele ou ela pode apa-
A magia é derivada da — provando assim que a referida força não necessita ser rentar não ter um talento
natureza. Ela está na terra malévola e destrutiva.” mágico. Apesar do esfor-
em que andamos, no fogo ço e concentração, uma
que arde em seu coração, — Roderick de Novembre, “A História do Mundo” Fonte não será capaz de
no ar que respiramos e na lançar nenhum feitiço, já
água que traz a vida e que que o indivíduo se conecta
flui dentro de nós. Se por à energia mágica incons-
um acaso você for dotado do talento em particular, tudo cientemente e, do mesmo modo, a processa.
que precisa fazer é estender a mão e dominar a magia Entretanto, os talentos dele ou dela,
ao seu redor. cedo ou tarde, inevitavelmente se revelam;
com sua primeira manifestação sendo es-
pontânea e geralmente muito violenta.
O Poder que a Fonte utiliza como um
Os Talentos Mágicos e as Fontes transmissor e uma lente da focalização
é liberado sem absolutamente nenhum
Os primeiros indivíduos com talentos mágicos começaram controle, com, na maioria das vezes, con-
a aparecer não muito depois da Conjunção das Esferas. sequências destrutivas para qualquer um que
Estes eram, em sua maioria, crianças que mostravam uma esteja nas imediações.
inclinação natural para a magia ainda muito novos. Eles As habilidades extraordinárias de uma
conseguiam absorver o Poder, processá-lo e utilizá-lo de Fonte podem ser detectadas através de uma
maneira intencional e deliberada. Em dado espaço de observação cuidadosa e de certas provas
tempo, eles demonstraram o potencial para futuramente e testes. Quando devidamente treinadas
desenvolver e refinar essas habilidades. e orientadas, as Fontes podem aprender
Também havia outros indivíduos, que mais tarde seriam a desbloquear seu grande potencial de
chamados de Fontes. O talento de uma Fonte é selvagem uma maneira controlada e se tornar,
e indomado — um vasto poder mágico sobre o qual o portanto, feiticeiros muito poderosos.
indivíduo não tem nenhum controle. Ele ou ela pode ser No entanto, nas eras anteriores à des-
algo comparável a um médium, e, de fato, possui com coberta da possibilidade de controle
frequência uma predisposição para profecias. Uma pes- e utilização do Poder, tanto as Fontes
soa assim é um receptáculo para o Poder, um transmissor quanto outros tocados pela magia eram
involuntário. As habilidades de uma Fonte, embora extre- marginalizados e temidos.

“Por razões óbvias, é dif ícil datar os primórdios da magia, uma vez que eles se encontram em algum lugar
dentro da Idade das Trevas que sucedeu diretamente o cataclismo, igualmente mal documentado, conhecido
como a Conjunção das Esferas. A história sobre o famoso feiticeiro Jan Bekker ter sido o primeiro a usar o
Poder, assim fazendo em prol de acalmar as ondas do oceano, durante o Primeiro Desembarque, tornou-
se predominante ao longo das eras. Esta cena está imortalizada em inúmeras pinturas e esculturas — e
ainda assim, este parece mais outro caso em que a verdade é mais mundana do que a lenda. Todas as
evidências sugerem que ele só foi capaz de canalizar o Poder algum tempo depois do Desembarque, e que
durante o ocorrido sofreu com os mesmos efeitos dolorosos do enjoo em alto-mar que afligiam a maioria
dos passageiros e tripulantes. Sem dúvida, Bekker teria adorado ser capaz de acalmar o mar naquele
dia — pois ele passou a maior parte do Desembarque – e aqui eu uso a expressão coloquial vulgar, porém
adequada – ‘vomitando as tripas’. ”

— Fragmento do controverso ciclo de palestras “Refutando Mitos”, professadas na Academia de Oxenfurt

A Magia e as Religiões do Continente


80
SOBRE GATOS E DRAGÕES
“Dentre todas as criaturas desta terra, existem apenas duas
que podem canalizar o Poder: gatos e dragões. Tais espécies
exige, acima de tudo, força
Canalizando instintivamente sentem a localização de confluências mágicas e
frequentemente escolhem esses lugares para descansar — o que de vontade, concentração e
o Poder é estranho, já que todos os outros animais evitam tais lugares. muito foco, possibilitando a
Múltiplas teorias têm oferecido diversas interpretações a respeito
sintonia entre os feiticeiros
Indivíduos magicamente desse comportamento, mas nenhuma consegue explicá-lo e o fluxo de energia.
integralmente. No que diz respeito aos dragões, alguns acadêmicos
dotados podem canalizar Adeptos novatos, no en-
acreditam que eles devam, certamente, utilizar o Poder
o Poder que flui pela na- tanto, muitas vezes, acham
acumulado para possibilitar seu voo, pois a ciência afirma que
tureza e conecta os quatro nenhuma criatura tão grande e massiva poderia erguer-se do chão o processo de canalização
elementos que nos cercam. utilizando-se apenas de suas próprias asas. uma questão extensa, árdua
Esse talento é indispensável Já o pensamento comum supõe que os gatos, por sua vez, e desagradável. As ocor-
para o exercício das artes utilizam o Poder reunido para abastecer sua habilidade rências da assim chamada
mágicas. Porém, um feiti- de detectar os invisíveis. Outros acreditam que este talento “contração” — isto é, uma
ceiro também pode, a curto seja natural aos gatos, e que eles usam a energia retirada de obtenção descontrolada de
confluências mágicas para outros fins desconhecidos, pois é sabido
prazo, utilizar sua própria energia — são frequentes,
e comprovado, sem sombra de dúvida, que todos os felídeos são
vitalidade para conjurar mas geralmente resultam
notavelmente capazes de enxergar criaturas de outras dimensões,
feitiços, mas as consequên- seres invisíveis e emanações de Poder.” em trepidações inofensivas,
cias são graves e podem ir e somente se as devidas
desde fraqueza temporá- — Fragmento de “O Mistério dos Mistérios”, escrito pela Mestra precauções não forem to-
ria à perda de consciência Agnes de Glanville madas. Por outro lado, uma
e até mesmo à morte. Por canalização extremamente
esta razão, é crucial estar imprudente ou negligente
Os laboratórios de apto a canalizar e processar pode levar às consequên-
inúmeros magos dispõem
de equipamento para
a grande reserva de energia que nos rodeia. cias mais terríveis, incluindo hemorragia, colapsos nervosos,
alquimia, embora Hoje, a habilidade de extrair essa força é um dos ele- cegueira, coma, delírios visuais e auditivos temporários ou
muitos considerem suas
pesquisas materiais
mentos fundamentais da educação básica de um futuro permanentes e, finalmente, à loucura ou catatonia.
meras coadjuvantes de feiticeiro. Alguns exibem um talento nato, enquanto outros Cada concentração ou manifestação de um elemento é
seu verdadeiro foco:
o profundo estudo da
precisam de mais tempo e treinamento para aprimorar essa uma fonte potencial de energia. A dificuldade em usá-la e
natureza da magia. capacidade. O processo em si é aparentemente simples. Ele os riscos envolvidos dependem de sua natureza e forma.

O Mundo de The Witcher


81
“Locais de Poder são regiões onde o módulo de circulação
de energia mágica é extremamente elevado. Os exemplos
incluem pontos de encontro entre as placas tectônicas ou a
intersecção de veios d’água. O fenômeno é específico para
Quanto maior e mais di- ções — os mais difundidos
anomalias geológicas e locais onde permeiam as energias de
nâmica a fonte, mais fácil Locais de Poder. Facilmente
diferentes elementos. É mais facilmente observado em áreas
e mais perigoso é o seu uso. detectáveis até pelos adep-
de maior atividade sísmica ou vulcânica, e também pode ser
As mais poderosas destas tos menos experientes, e
encontrado em certos pântanos e charcos, ou entre penhascos
concentrações naturais e picos varridos pelo vento.
isoladas da maioria das
de energia são conhecidas Devido às suas capacidades, os Locais de Poder emitem uma influências externas, as
como Locais de Poder. certa aura específica, facilmente identificada pelos sentidosintersecções são uma fon-
apropriados. Canalizar energia mágica por lá é muito mais te de Poder relativamente
segura. Com o tempo, um
fácil do que em outros lugares. É por isso que essas localidades
feiticeiro se tornará capaz
são muitas vezes escolhidas por feiticeiros para a construção de

O Poder dos suas torres, e, no passado, muitos foram lugares de adoração,


sobre os quais eram erguidos templos e megálitos.”
de aprender como extrair
energia das mais variadas
Elementos e vigorosas manifestações
— “Uma Visão Geral dos Fenômenos Mágicos” (dissertação do elemento água — pois
Como já foi mencionado, colaborativa) um lago em calmaria e a
o Poder flui da natureza correnteza veloz de um rio
e jorra dos quatro Pri- requerem abordagens dis-
mordiais ou, em outras tintas. O mar, por conta de
palavras, elementos, onde cada qual possui sua própria seu dinamismo, é uma fonte particularmente problemática.
característica única. A compilação que virá a seguir não Apesar de seus vastos depósitos de energia, neste caso, é
é nada além de um esboço superficial deste assunto com- melhor deixar a extração para feiticeiros mais experientes.
plexo. Para futuras discussões, consulte Os Impérios Ele- Terra — Embora esse elemento seja quase universalmente
mentais, de Giambattista, onde pode ser encontrado um acessível, a terra não é uma transmissora de energia eficien-
estudo detalhado sobre o assunto. te. Extrair dela requer um gasto excessivo de mão de obra,
Água — Devido à sua dinâmica moderada, a água é um principalmente por conta da natureza estática do Poder
ótimo meio para os feiticeiros inexperientes aprenderem a contido em seu interior. A maioria dos feiticeiros acha que As runas e inscrições
mágicas que adornam
canalizar o Poder. Assim como os outros elementos, qualquer os resultados obtidos não valem o esforço. Contudo, não se as vestes dos magos são
concentração ou manifestação de água pode ser usada como pode negar que aqueles que dominaram esta arte possuem destinadas, em primeiro
lugar, a impressionar os
fonte de energia mágica. Contudo, é melhor começar a extra- recursos excepcionais a seu dispor, pois o real Poder escon- leigos, sejam eles plebeus
ção pelos veios de água, preferivelmente nas suas intersec- dido dentro da terra é tremendo. ou nobres.

A Magia e as Religiões do Continente


84
“Nenhum dos quatro Planos ou Dimensões — Fogo, Água,
Terra e Ar — é acessível a meros mortais. Eles são, no entanto,
habitados por criaturas conhecidas como genius. Esses seres
se dividem em quatro tipos, cada qual corresponde a um dos
Ar — O mais inconstan- de se “contrair”, e um adep-
quatro elementos que abrange suas respectivas essências.
te e dinâmico dos elemen- to inexperiente pode não
Cada tipo de genius também conta com sua antítese entre os
tos também contém um ser capaz de interromper a
outros. Assim, os marids, condizentes ao elemento da Água,
potencial impressionante. extração de energia até que
são opostos aos flamejantes ifrits. Por sua vez, o Plano da
Diferentemente do ele- seja tarde demais. As Fon-
Terra é habitado pelos chamados daos, que possuem como sua
mento terra, este é bem contraparte a dimensão do Ar, que abriga os djinns — cujotes, em particular, devem
mais fácil de se extrair e exercer extrema cautela,
nome, acidentalmente, é a raiz da palavra ‘gênio’, termo este
requer menos esforço. Po- que é frequentemente empregado pelo povo simples para se pois entrar em contato
rém, isso não significa que com o Poder retirado do
referir a todas as criaturas que habitam os Planos Elementais,
seja mais simples, pois a o que é um erro evidente . . . fogo pode subitamente
natureza caprichosa do ar Feiticeiros anormalmente poderosos podem, às vezes, ativar suas habilidades pe-
exige muita perícia e conhe- aprisionar tais seres e curvá-los à sua vontade, adquirindo
culiares, normalmente de
cimento. Um feiticeiro que assim um poder tremendo, ao ponto de estarem próximos uma maneira destrutiva.
não possui a proficiência da onipotência. Pois um genius, sendo a personificação viva
apropriada simplesmente das energias de um elemento, é dotado de uma reserva quase
infinita de Poder. Desse modo, o mestre de um genius pode
não será capaz de sintoni-
extrair sua energia deste ser, sem toda a necessidade exaustiva
zar-se suficientemente com
o elemento e, logo, não po-
de retirá-la das fontes tradicionais. Todavia, são poucos e Lançando
derá extrair dele uma quan-
dispersos entre si aqueles capazes de aprisionar tal criatura,
pois a força dos habitantes dos quatro planos somente é
Feitiços
tidade satisfatória do Poder. equiparada à astúcia que eles empregam em evitar tal destino.”
Uma certa intuição é neces- Um feiticeiro habilidoso
sária, e isso só se adquire — “Dos Planos Elementares e Seus Habitantes”, fragmento é capaz de usar o Poder
com anos de experiência e retirado de “Os Impérios Elementais” de Giambattista canalizado para lançar um
prática constantes. feitiço. Normalmente, isso
Fogo — Muitos jovens requer proferir uma fór-
adeptos encontraram seu mula mágica adequada e
O Poder mágico deriva
de uma força crua e
trágico fim ao tentar, prematuramente, domar o mais empregar gestos específicos. Na verdade, contudo, os
descontrolada que imprevisível e caótico dos elementos. O Poder que flui dois elementos que são absolutamente necessários para
também repousa no
coração de outro
através do fogo é tão grandioso quanto instável. Realizar curvar o Poder à vontade do conjurador, a fim de formar
fenômeno — tal como uma extração através deste elemento providencia energia e acionar um feitiço, são simplesmente uma profunda
a espontânea aparição
de perigosos espectros
de forma direta e imediata — algumas vezes, imediata até concentração e o consumo de uma quantidade adequada
no campo de batalha. demais. O Poder canalizado por meio do fogo é o mais fácil de energia acumulada.

O Mundo de The Witcher


86
“Dentre as várias substâncias detentoras de qualidades
estranhas e admiráveis, seria inconcebível omitir o dimerítio.
Esse metal raro de coloração azulada pode bloquear a
magia, limitando drasticamente o fluxo do Poder em suas
A quantidade necessária próprios feitiços, embora eu
imediações. Por conta desse atributo, uma liga de ferro e
de Poder varia, dependendo acredite que certos feiticei-
dimerítio é utilizada para forjar os grilhões destinados a
do resultado que se preten- ros deveriam pensar duas
acorrentar aqueles que podem controlar o Poder. Um feiticeiro
de atingir. Feitiços mais sim- vezes antes de usar a magia
assim aprisionado não será capaz de conjurar nem os feitiços
ples não precisam de muito, para resolver problemas
mais simples, e até mesmo o mero toque do metal já se faz
enquanto os mais avançados suficiente para lhe causar náusea e vertigem. Os magos mais
triviais, tais como: amarrar
demandam um consumo poderosos, no entanto, têm revelado uma habilidade para os sapatos, remendar suas
proporcionalmente maior. superar esta fraqueza, imunizando a si mesmos contra os roupas ou preparar um ba-
Atingir um efeito extrema- efeitos do dimerítio a longo prazo, ou ainda, neutralizando nho quente. Em vez disso,
mente poderoso pode estar sua aura por um curto período de tempo.” quero dizer que é preciso
bem fora do alcance de um adequar os gastos do Poder
feiticeiro, se o seu conheci- — “Uma Visão Geral dos Fenômenos Mágicos” (dissertação ao contexto de um feitiço
mento e experiência forem colaborativa) específico. Deve-se sempre
insuficientes para extrair o utilizar apenas da quantida-
Poder necessário ou utilizá- de necessária para obter o
lo de forma prudente. efeito desejado. Desperdiçar
Ao lançar feitiços, um adepto das artes mágicas deve ter uma dose de Poder capaz de acender uma fogueira inteira
em mente o seguinte: enquanto se tenta evocar apenas uma faísca para um pavio
Em primeiro lugar, como já foi dito, só se pode fazer uso de vela é um erro comum entre os adeptos novatos.
da quantidade do Poder que já foi previamente canalizada. Em terceiro lugar, um feiticeiro deve saber gesticular
As tentativas de utilizar mais do que isso trazem uma série e articular seus encantamentos de maneira firme e con-
de efeitos nocivos para o organismo do próprio indivíduo. cisa. Minha própria mestra costumava dizer que se deve
Eu considero desnecessário citar tais consequências aqui comandar o Poder, e não cuspir súplicas deploráveis. Um
novamente, pois elas já foram mencionadas. feiticeiro gago ou balbuciante irá, na melhor das hipóte-
Em segundo lugar, deve-se gastar o Poder com modera- ses, virar motivo de piada, e, na pior das hipóteses, poderá
ção. Aqui, eu não me refiro a limitar a frequência dos seus acabar tragicamente com sua própria carreira na magia,

O Mundo de The Witcher


87
“Para o Chanceler da Escola de Feiticeiros de Ban Ard, o último
excesso de alunos embriagados do terceiro ano, que tomou lugar
durante a celebração de Belleteyn, foi além de todas as normas
aceitáveis. O estímulo para tais eventos vergonhosos resultou de
geralmente de uma forma plesmente tenta uma nova
uma conversa com o Mestre Dorregaray, docente convidado várias
espetaculosa. O fato de que semanas atrás, na qual ele mencionou a maneira como a feiticeira
fórmula, ou mesmo, tão
sua saída dramática des- Yennefer de Vengerberg conseguiu lançar um feitiço ao ‘gesticular’ provável quanto, comete
te mundo será, também, com a perna. O evento em si se passara há alguns anos nos Montes um erro enquanto conjura
pouco agradável para os Desnudos, e Mestre Dorregaray testemunhara isso pessoalmente, outro feitiço e acaba sobre-
espectadores, prevendo como bem sabemos. vivendo aos resultados.
pouco consolo. A contemplação hipotética de como este feito poderia ser Existem várias tipolo-
Por outro lado, a pro- recriado, mais tarde, se tornou a raiz de uma competição gias formais para feitiços.
núncia impecável e o talen- espontânea organizada pelos adeptos. A dita ‘competição’, quando A necessidade de memori-
to para a oratória podem combinada com álcool contrabandeado para o dormitório, zar e recordar essas taxo-
ser um verdadeiro trunfo rapidamente se transformou em uma folia mais obscena. O final nomias mágicas é o veneno
deste evento se passou para além dos muros da escola, na própria
em nosso of ício, tornando de qualquer estudante de
cidade. Lá, na estalagem Três Abetos, os alunos Vidar Holgersson,
a conjuração muito mais fá- feitiçaria do segundo ano.
Hoster Wythcliff e Cammle Torrel, o Jovem, ofenderam os clientes
cil. O feiticeiro Alzur conti- A maioria das divisões
aparecendo sem as suas roupas de baixo e, de acordo com relatos
nua a ser o melhor exemplo mais delicados, ‘tentando lançar magias sem usar as mãos’. Para clássicas menciona não
até hoje — sua poderosa adicionar insulto à injúria, quando foram presos pelos guardas da menos do que cinco e, al-
voz e dicção aprimorada lhe cidade, os estudantes afirmaram que fizeram tudo ‘em nome do gumas vezes, mais do que Muitos feitiços poderosos
requerem certos objetos
permitiram lançar até mes- progresso e do desenvolvimento da magia’. doze grupos de feitiços, in- a fim de serem lançados.
mo as magias mais comple- Uma profusão de queixas continuou a ser registrada por cluindo feitiços psicociné- Estes devem atender
aos rigorosos requisitos
xas com facilidade. Apesar conta do incidente, e o burgomestre da cidade anunciou que irá ticos, ilusões, adivinhação, referentes a forma,
de sua capacidade de matar visitar-nos para discutir o assunto. Não preciso lembrá-lo das transformações e finalmen- tamanho, materiais e
complicações que essa visita promete trazer, já que o adepto ferramentas utilizados
meia dúzia de homens de te a magia da criação, con- em sua construção.
uma só vez, o feitiço Trovão Hoster Wythcliff é seu sobrinho. Sugiro resolver a questão o mais siderada por muitos o ápice
rapidamente possível, empreendendo a ação disciplinar necessária
de Alzur não é tão difundi- da arte da feitiçaria.
e intensificando o nosso rigor acadêmico, uma vez que eventos
do, precisamente porque o
como estes não ajudam a manter o bom nome de nossa instituição.
encantamento necessário
Meus cumprimentos,
é bem complexo. Dominar Arquimestre Mardin de Rakvelerin, Vice-Chanceler para A Magia
esta grande marca registra- Assuntos Estudantis” Proibida
da do feiticeiro é absurda-
mente dif ícil, e serve por “Se algum deles conseguiu realizar a façanha, ele deve visitar- Há, no entanto, certos
si só como uma provação me com o seu livro de registros.” tipos de magia que con-
das habilidades mágicas do tinuam proibidas sob os
— A alegada resposta do chanceler, de acordo com as fofocas entre
indivíduo. ditames do velho Con-
os estudantes
No que se refere à gesti- gresso. Estas incluem ne-
culação mencionada, em- cromancia e demonologia,
bora isso seja indispensável também conhecida como
em alguns casos, ela não goetia. Ambos os campos
precisa necessariamente ser realizada exclusivamente com foram considerados de grande perigo e antiéticos para ser
as mãos. Varinhas e cajados mágicos são os substitutos mais permitido seu estudo irrestrito, muito menos sua prática.
comuns, apesar de existir um único caso conhecido onde Antes de essas restrições serem proferidas, houve natu-
o feitiço foi lançado por meio de uma perna — ainda que, ralmente alguns incidentes infelizes que levaram vários
até hoje, ele não tenha sido reproduzido nem oficialmente feiticeiros e muitos espectadores à morte. Considerando
analisado. quanto tempo essas especializações ficaram em circulação,
estamos falando de mais ou menos centenas de vítimas
acidentais, no mínimo. Todavia, duvido que tenha sido o
Tipos de Feitiços destino desses espectadores o que motivou o Congresso a
emitir os editais apropriados. O instinto de autopreservação
O resultado final dessas ações é chamado de feitiço, ou não é menos forte entre os feiticeiros do que entre os seres
muito raramente, encantamento. A maioria dos feitiços humanos comuns.
existentes foi desenvolvida durante os últimos poucos sécu- No que diz respeito à necromancia, a proibição só é
los, e os métodos para lançá-los não sofreram alteração. No limitada para uso prático, e não se estende ao conhecimento
entanto, de tempos em tempos, novos encantamentos são teórico ou puramente acadêmico. Em alguns casos, por
criados, e podem ser o resultado de estudos e experimentos estímulos e opiniões suficientemente positivas, o Congresso
que levaram anos para ser concluídos, ou do puro acaso pode conceder dispensa especial para o estudo desta es-
— como quando um ousado e imprudente feiticeiro sim- pecialização. É por isso que, embora não seja mencionado

A Magia e as Religiões do Continente


88
“Tormenta de Granizo de Merigold — o nome informal do feitiço
que fez surgir uma tempestade selvagem durante o Pogrom em
Rívia, no ano de 1268, pondo um fim ao massacre e às revoltas
abertamente, muitos feiti- da cidade. O nome vem de sua criadora, a feiticeira Triss sos irmãos têm trabalhado
ceiros possuem pelo menos Merigold, que o lançou inadvertidamente ao tentar realizar duro para reabilitar (alguns
o Raio de Alzur. O feitiço não é reconhecido formalmente
uma compreensão teórica podem até dizer encobrir)
nem listado entre aqueles registrados, visto que nunca fora
da área e até mesmo as a reputação dos feiticei-
reproduzido. A comissão investigadora dos eventos em Rívia
habilidades rudimentares ros, mas os primórdios
concluiu que o feitiço inesperado ocorreu provavelmente devido
necessárias para a mais da Irmandade não foram
ao fato de a Feiticeira Merigold ter sofrido ferimentos em sua
básica das práticas necro- nem de longe tão louváveis
boca durante as revoltas, o que a fez distorcer involuntariamente
mantes, tais como: extrair a fórmula original de Alzur.
quanto nós gostaríamos de
informações simples de um Há também outra teoria defendendo que a tempestade representá-los.
recém-falecido. de granizo foi um efeito da Conjuração em conjunto com Tanto jovens Fontes
A goetia, ou mais co- a feiticeira Yennefer de Vengerberg. Essa versão, porém, como crianças dotadas
mumente falando, a de- foi rejeitada pela comissão, por conta da completa falta de talentos mágicos sem-
monologia, é uma área de evidências de que Yennefer de Vengerberg estivesse em pre deram os melhores
completamente diferente. qualquer lugar próximo a Rívia neste período.” feiticeiros em potencial.
Centra-se em invocar cria- É por isso que, em eras
turas de outras dimensões — Felicia Cori, “Os Feitiços que Mudaram a História” passadas, os membros de
e realidades, geralmente de nossa Irmandade saíam
lugares estranhos e aliení- continuamente em busca
genas do tempo e espaço, de tais indivíduos. Tendo
normalmente na esperança de negociar com elas para obter localizado uma criança adequada, os feiticeiros tentavam
informações ou serviços. Ao contrário da opinião popular, obter sua custódia utilizando-se de vários meios, frequen-
invocar um demônio não requer grandes habilidades ou temente antiéticos. Para não medir palavras, algumas
conhecimentos, mas apenas o acesso às fórmulas mági- crianças eram tomadas de suas famílias. Normalmente,
cas apropriadas. Isso faz da goetia um caminho muito isso era feito por meio de persuasão e do apelo à razão,
tentador para os adeptos novatos. Todavia, uma vez apresentando aos pais previsões sobre o futuro glorioso
que tais adeptos, obviamente, carecem de habilidades do jovem talento. Contudo, o uso de subterfúgios também
e conhecimento, e uma vez que os seres invocados era comum, pois os feiticeiros manipulavam os medos e
são todos extraordinariamente perigosos, uma in- apreensões dos pais a respeito dos talentos escondidos
vocação bem-sucedida normalmente termina em em seus filhos. Havia também casos em que as crianças
morte por goetia. Oficialmente, esta é a razão dada eram tomadas à força. Tudo isso fora feito para a melhoria
para todas as proibições e punições voltadas para da humanidade, é claro, e, portanto, justificado por um
aqueles que tentam convocar quaisquer criaturas propósito maior.
de outros planos. Atualmente, tais práticas foram de há muito abandona-
das, mas os contos populares que relatam magos exigindo
crianças como pagamento por seus serviços são um eco
Os Fundamentos da daqueles tempos terríveis. Ainda assim, mesmo em tempos
Educação Mágica recentes, cada feiticeiro teve que jurar obrigação em infor-
mar ao Congresso a respeito de qualquer Fonte que viesse
O atual sistema educacional é o resultado de a ser encontrada, para que então ela pudesse ser colocada
transformações significativas ao longo dos últi- sob observação e, no momento certo, fascinada pela magia,
mos poucos séculos. Durante esse tempo, nos- para, assim, ser convencida mais facilmente a estudá-la.

“A primeira sede dos feiticeiros, e local de treinamento dos jovens adeptos, foi Mirthe, conhecida hoje como a cidade
de Mirt, em Redânia. Lá, aqueles que mais tarde iriam formar o primeiro Congresso foram educados, e dentre eles
estava Agnes de Glanville — a primeira mulher a se tornar uma feiticeira.
A escola de Mirthe fora destruída durante a Rebelião de Falka, quando toda a cidade foi completamente
incendiada e seus habitantes, brutalmente assassinados. Um dos pais da tradição mágica, Mestre Radmir de Tor
Carnedd, morreu como um mártir naquela época, condenado a ser esfolado vivo sob as ordens da própria Falka.”

— Fragmento de uma dissertação semestral para o segundo ano na Faculdade de História na Academia de Oxenfurt

O Mundo de The Witcher


Ao utilizar o Sinal Igni, os bruxos podem manipular
a energia que flui do elemento mais perigoso — o
Fogo —, ainda que apenas de forma limitada.
90
OS AEN SAEVHERNE
“Apesar da opinião popular, o termo Aen Saevherne não

Quando nossa profissão


é simplesmente o equivalente de ‘feiticeiro élfico’, mas sim
possui um significado muito mais profundo. A tradução
Treinamento
ainda estava jovem, nós mais próxima possível seria ‘sábios’. De fato, se os rumores
utilizávamos avidamen- forem creditados, os Aen Saevherne controlam não somente Nos reinos do Norte, exis-
te a assistência dos elfos um conhecimento impressionante sobre magia, como tem atualmente dois locais
no campo da educação também — por mais inverossímil que pareça — uma onde jovens adeptos de am-
mágica. O Arquimestre compreensão de outros mundos, tempo e espaço. Esses Sábios bos os sexos recebem trei-
Geoffrey Monck se tornou constituem uma casta separada entre os elfos, misteriosos namento para se tornarem
famoso por sua viagem ou- até mesmo para seus irmãos e enormemente respeitados por feiticeiros. A escola das
sada até Loc Muinne, onde todos, inclusive pelo mais poderoso entre eles.” garotas está localizada no
ele arranjou uma forma de palácio de Aretuza, na pe-
— Geoffrey Monck, “A Magia do Povo Ancestral”
negociar um acordo que quena ilha de Thanedd, no
permitia a um grupo de jo- litoral de Teméria. Somente
vens Fontes aprender com feiticeiras e aprendizes são
os magos élficos — talvez permitidas lá, e quaisquer
os próprios Aen Saevherne. O dito acordo foi arruinado peticionários e hóspedes estão restritos ao palácio de Loxia,
poucos anos depois, quando o exército do Marechal Milan que guarda a ponte para a costa, e a cidade de Gors Velen.
Raupenneck de Tretogor massacrou a população élfica Garotas de todos os cantos do mundo são instruídas lá, e
de Est Haemlet e Loc Muinne sem distinção de gênero a admissão na escola acarreta grande prestígio e custos eleva-
Locais de Poder são ou idade, o que levou a outra guerra sangrenta. Apesar dos, que proporcionam um alto nível de padrão educacional.
usados tanto para
rituais mágicos quanto
deste conflito renovado entre elfos e humanos, o garoto De fato, a reputação da academia é tão grande que feiticeiras
para cultos religiosos Gerhart de Aelle, que na época ficou sob os cuidados dos que se graduaram em Aretuza têm pouca dificuldade para
praticados por
determinadas crenças
elfos, cresceu para se tornar um dos maiores feiticeiros da continuar a sua instrução — quer vindo a ser professoras
ancestrais. história, hoje conhecido como Hen Gedymdeith. auxiliares ou conseguindo um estágio em tempo integral com

O Mundo de The Witcher


91
“Uma dwimveandra é uma jovem feiticeira que atua na
estrada, bem como um artesão autônomo. Após terminar
sua educação em Aretuza, algumas meninas decidem não se
tornarem aprendizes de uma mestra específica, mas, em vez
uma das mestras. Mesmo e limpar o ranho do nariz
disso, embarcam em uma jornada que lhes permite treinar
aquelas que optam por se de uma ninhada de pivetes
com diversos feiticeiros. Depois de passar vários anos neste
tornar dwimveandras po- chorões. Mesmo aquelas
estágio atípico, uma dwimveandra pode candidatar-se a
dem contar com o apoio do um exame que irá verificar as habilidades que ela adquiriu.
meninas que carecem de
fundo da bolsa especial da Passar no exame concede-lhe o título de Mestra da Magia.” um talento verdadeiro e
academia. cujas habilidades não são
A equivalente a Aretu- — Anabelle Radfind, “Um Convite para a Magia” (manual suficientes para concluir
za para os meninos, em- para os alunos no primeiro ano em Aretuza) sua educação em Aretuza,
bora não tão altamente muitas vezes, seguem car-
estimada, é a academia reira nas áreas de Direito
da cidade de Ban Ard, em — o que ainda é um avanço
Kaedwen. Nessa, futuros adeptos estão submetidos a uma social impressionante, na maioria dos casos, abrindo as
educação semelhante à fornecida em Aretuza, até final- portas para um mundo muito mais amplo.
mente se tornarem verdadeiros feiticeiros. Infelizmente, Os rapazes, no entanto, não são tão intensamente moti-
apesar de seu padrão educacional bastante elevado, ela vados a estudar com afinco, como já evidenciado pela com-
não é tão prestigiada quanto Aretuza. Alguns chegam a paração dos resultados de ambas as academias. Aqueles que
zombar por Ban Ard ser mais conhecida pelo estandarte não terminam os seus estudos ainda possuem muitas outras
de sua cavalaria pesada do que pelas realizações de seus opções de carreira disponíveis, e, muitas vezes, até mesmo
acadêmicos que por lá se formaram. De fato, a dispari- uma educação incompleta na área da magia pode significar
dade entre o prestígio e o êxito escolar possivelmente se um bem valioso. Os mais espertos e talentosos dentre os que
dá pelas tradições militares, que sempre se difundiram foram expulsos da academia estão sempre sujeitos a ser abor-
e forneceram carreira para os jovens rapazes. dados por agentes deste ou daquele serviço secreto, ansiosos
Em nossa sociedade, a oportunidade de aprender é uma para oferecer-lhes a honra e emoção da vida como um agente O elegante e atraente
vestuário feminino que as
verdadeira chance de mudança na vida de uma garota. Para clandestino. Outros podem se candidatar a delegações como magas vestem destina-se
aquelas que não tiveram a sorte de ser descendentes de oficiais do exército ou da marinha. Já os mais lentos intelec- tanto a representar
sua profissão quanto
casas nobres, a educação fornece um caminho em direção tualmente, como é bem documentado, sempre entram para a a destacar sua eterna
a outras realizações na vida, além de lavar roupa, cozinhar política ou buscam uma carreira em alguma das cortes. Uma beleza imutável.

A Magia e as Religiões do Continente


Feiticeiros de elite, tais como a famosa Yennefer de Vengerberg,
exercem um poder colossal e inalcançável não somente aos olhos dos
leigos, como também para a maioria de outros praticantes de magia.
93
“Nome do adepto: Yennefer
Nome anterior: Jenny

Após o teste inicial ter confirmado o seu talento para a magia,


vez que as motivações e as- Mais tarde, outro corpo
a adepta foi admitida na primeira classe de Aretuza. A menina
pirações de todos os grupos governamental foi forma-
vem de uma família patológica — seu pai abusou-lhe física e
foram levadas em conta, do — o Supremo Conselho
psicologicamente, com sua mãe não conseguindo sustentá-la.
as, geralmente, grandiosas Esta rejeição e abuso foram provavelmente precipitados pela
dos Feiticeiros, cujo dever
conquistas dos adeptos de deformação da coluna vertebral e escápula da garota (ela era era auxiliar o Congresso
Aretuza não devem ser ne- corcunda), ou, possivelmente, por sua linhagem mestiça humana- na administração e regu-
nhuma surpresa. élfica (ela é um quarto élfica, e sua mãe, uma meio sangue). lamentação das práticas da
Foram, sem nenhuma dúvida, os efeitos remanescentes magia. Embora nós estivés-
dessas experiências traumáticas da infância que a levaram semos nos tornando uma
Os Feiticeiros a tentar o suicídio logo após a admissão em nossa academia. organização cada vez mais
e a Sociedade A garota tentou cortar as veias de seu antebraço e acabou
causando sérios danos ao tendão (documentação de cura
hierarquizada, a grande
maioria dos membros da
Na alvorada de sua história, anexada para referência). Irmandade dos Feiticeiros
nossa Irmandade perma- Apesar disso, a adepta foi pessoalmente recomendada e permaneceu interessada
altamente classificada pela chanceler da nossa academia,
neceu imparcial, ao menos somente em experimen-
Arquimestra Tissaia de Vries. Suas deformidades e seu trauma
em comparação aos dias de tos mágicos, pesquisas e
no tendão foram revertidos com o uso de alta magia durante
hoje. Essa neutralidade era na expansão de seu conhe-
seu primeiro ano, com sua educação continuada justificando
garantida pela então cha- plenamente a grande consideração da chanceler.
cimento.
mada União de Novigrad, A adepta Yennefer é uma estudante altamente talentosa Desde o tempo da União
um acordo entre feiticei- e determinada. Seus resultados nos exames subsequentes de Novigrad, essas esferas
ros, padres e os diversos mantiveram-se excelentes.” de influência distintas eram
governantes coroados que geralmente respeitadas
sancionaram a separação — Fragmento dos registros da escola de feitiçaria em Aretuza, na tanto pelos governantes
entre magia e estado duran- Ilha Thanedd quanto pelos feiticeiros.
te muitas eras. Por um lado, Isso quer dizer que cada
esse acordo obviamente li- lado infringia o domínio do
mitava a nossa influência outro, mas nunca de uma
mundo afora, mas, por outro, ele nos fornecia autonomia forma descarada ou genuinamente significante. Este
completa para criar e manter nossa própria hierarquia, balanço de poder mudou durante a Primeira Guerra
exercer nossas pesquisas sobre a magia e lidar com nossos de Nilfgaard — mais precisamente durante a Segunda
conflitos internos sem interferência externa. Batalha de Alagante, que foi vencida, em parte, devido
Os feiticeiros, desta forma, não interferiram na política ao valor e ao sacrif ício dos feiticeiros. Naquele dia,
nem procuraram governar. Em vez disso, eles frequente- nós nos erguemos para defender os reinos onde nas-
mente desempenharam o papel de mediadores. Para nomear cemos diante dos olhos de muitos, nos tornamos
um dos muitos exemplos, eras atrás, Raffard, o Branco, heróis. Nós ganhamos o respeito e a gratidão
celebremente arranjou a paz entre os reis durante a Guerra de burgueses, fazendeiros e soldados. Também
dos Seis Anos. Aderindo ao princípio de separação entre recebemos a boa vontade dos reis cujos reinos
magos e governantes, até mesmo recusou a coroa oferecida salvamos no dia do fogo e do aço nilfgaardia-
a ele naquele tempo. Porém, em verdade, ele posteriormente no. E então, em vez de termos parado por
aceitou o cargo de conselheiro real — há rumores de que o aí, em vez de termos nos contentado com
rei em questão era um tão completo idiota que até Raffard o calor da adoração do povo comum, nós
admitiu que ele não poderia ser deixado para governar por exigimos pagamento.
conta própria — mas suas intervenções na política sempre Não literalmente, é claro. Em vez disso,
permaneceram um tanto delicadas. alguns de nossos irmãos chegaram à conclu-
Essa autonomia permitiu a criação do primeiro Con- são de que eram indispensáveis e decidiram
gresso, formado a partir dos mais distintos praticantes das tirar proveito desse fato; e eis que os reis
artes da magia, e pelo estabelecimento de nossas regras dos maiores reinos do Norte, os mesmos
internas, conhecidas comumente como a Lei. O primeiro que até o momento tinham mantido os
resultado deste passo em direção a uma maior organização feiticeiros a distância, agora começaram
entre os feiticeiros, todavia, foi uma breve guerra civil, na a nos convidar para suas mesas, nos
qual aqueles que não estavam dispostos a se render à nova banhando com favores e nos reconhe-
hierarquia foram eliminados — dentre eles estava Raffard, cendo como conselheiros. Teria sido
o Branco. É claro que este fato não é mencionado com melhor se tivéssemos ficado satisfeitos
frequência nas crônicas históricas, provavelmente para com o recebimento de nossa homena-
preservar o fascínio de sua lenda. gem e compartilhado nossa opinião

A Magia e as Religiões do Continente


94

apenas quando solicitada, mas o gosto do poder realmente


tende a subir à cabeça.  
É claro que seria um exagero dizer que todos os feiticeiros “O Golpe em Thanedd — Eventos que ocorreram
começaram a interferir na política. A maioria absoluta não em primeiro de julho durante o Ano da Grande
dava a mínima para isso, então eles serviam como curan- Guerra no palácio de Garstang, na Ilha de Thanedd.
deiros ou adivinhos da corte, ou somente continuavam a Aproximadamente duas centenas de praticantes
das artes da magia de cada canto dos Reinos do
pesquisar e a educar os jovens adeptos. Mas havia aqueles
Norte, incluindo os maiores e mais influentes —
que permitiram que entrasse em suas cabeças a ideia de que
conselheiros reais, bem como membros do Congresso
poderiam manipular e controlar os reis, ou até mesmo anular
e do Supremo Conselho dos Feiticeiros —, se reuniram
suas decisões para a melhoria do estado. Alguns conseguiram
para uma grande cúpula, durante a qual aconteceu
fazê-lo; outros, não. À medida que se tinha notícia de cada
um confronto sangrento e fatal. Feiticeiros leais
intervenção no cenário político, cada revelação de que os aos Reinos do Norte, incluindo Philippa Eilhart de
magos haviam manipulado os eventos por trás das cortinas, Redânia, Triss Merigold e Keira Metz de Teméria;
cada rumor de que o verdadeiro poder por trás do trono era o Radcliffe de Oxenfurt, conselheiro do rei de Aedirn,
“conselheiro neutro”, o conflito entre os governantes crescia. e Sabrina Glevissig de Kaedwen, tentaram prender
O notório desastre em Thanedd serviu como a última gota, alguns de seus irmãos com a ajuda do Serviço Secreto
após ter sido revelado que os mais ambiciosos feiticeiros Redaniano. Os traidores que colaboraram com o
cometeram traição e se aliaram ao Império Nilfgaardiano, Império Nilfgaardiano eram, entre outros, Vilgefortz
o mesmo contra o qual lutaram alguns anos antes. de Roggeveen, Artaud Terranova e Fercart de Cidaris.
Aquele dia mudou tudo. Os feiticeiros, mesmo aqueles Apesar de um certo sucesso inicial, devido ao
que serviam lealmente aos seus reis e não tomaram parte elemento surpresa, a tentativa de captura foi um
no Golpe de Thanedd, perderam a confiança de seus res- fiasco. Numa proposta para manter a neutralidade,
pectivos governantes, ao mesmo tempo foram dissolvidos Tissaia de Vries, chanceler da academia de Aretuza,
o Congresso e o Supremo Conselho dos Feiticeiros. liquidou o feitiço de barreira impedindo os dois
lados de usarem a magia. Essa ação permitiu que os
conspiradores se libertassem e convocassem ajuda,
levando a uma guerra aberta entre os lealistas
Magia Contemporânea nortenhos e os traidores nilfgaardianos. Como
mais tarde revelou a investigação, os conspiradores
As pessoas estão amplamente convencidas de que a magia
traiçoeiros estavam de fato planejando seu próprio
é essencialmente todo-poderosa, dotada de capacidades golpe, o qual esperavam promulgar com a ajuda de
infinitas e de poder ilimitado. Mas isso não está inteira- uma unidade Scoia’tael escondida nos porões de
mente correto. É verdade que até hoje não foi encontrado Garstang. Eles também pretendiam capturar Cirilla
nenhum limite para essa força. No entanto, existem limi- de Cintra, que, naquele tempo, também estava
tes práticos em sua utilização, advindos das habilidades presente em Thanedd.
pessoais de cada feiticeiro e dos feitiços sob seu domínio. O resultado final foi um massacre no qual muitos
Supõe-se que as pesquisas realizadas por cada membro feiticeiros morreram, incluindo vários que não faziam
de nossa profissão estendam ou até mesmo transpassem a menor ideia sobre o que se tratava o respectivo
esse limite. Ainda assim, as opiniões variam sobre o ponto golpe, tanto dos lealistas quanto dos traidores.
em que nossa compreensão da magia atualmente está e No fim, somente um punhado de conspiradores
Um megascópio mágico quão longe ela ainda pode avançar. conseguiu escapar, mas os eventos decorridos em
é um artefato complicado
Alguns sustentam que estamos a um passo de descobrir Thanedd abalaram a reputação dos feiticeiros nos
que permite aos magos
se comunicarem entre o místico “mistério dos mistérios”, de alcançar as estrelas, de Reinos do Norte desde então.”
grandes distâncias ou
espionarem as pessoas
comandar o tempo e a realidade. Tendo em vista nosso pro-
— Marcus Marcellinus, “Feiticeiras e Feiticeiros”
e lugares de interesse. gresso desde as primeiras tentativas de dominar o Poder, é até
fácil entender este sentimento. Em comparação com os dias
de hoje, a lista de magias conhecidas de alguns séculos atrás
era lamentavelmente curta. O teletransporte na época ainda
estava engatinhando — e que a verdade seja dita: eu mesma localização. Poucos poderiam ter imaginado as mudanças
ficaria relutante em utilizar um dos primeiros portais mági- trazidas pela decocção de mandrágora para a concessão de
cos, mesmo se ele tivesse sido criado pelo próprio Geoffrey longevidade ou pela descoberta de medicamentos mágicos
Monck. As bolas de cristal mantiveram-se como o auge da para uma vasta gama de enfermidades que, até pouco tempo,
comunicação entre feiticeiros, substituindo rapidamente os literalmente assolavam este mundo.
pombos-correios. Hoje, os dois meios são considerados como Mesmo assim, alguns feiticeiros, e dentre eles uma por-
relíquias do passado, há muito ultrapassadas pelo versátil ção consideravelmente proeminente, mantêm opiniões mais
megascópio, que possibilita tanto a comunicação quanto a críticas. Eles afirmam que chegamos a um impasse em nossa

O Mundo de The Witcher


95
“Os feiticeiros que servem o Império devem lembrar-se de
que eu sou o Império. E o Império espera duas coisas deles:
obediência e resultados. Se um deles se esquecer a respeito
da obediência, ele deve ser relembrado, preferivelmente de
expansão do conhecimento maneira breve. Se um falhar em fornecer resultados, ele
de uma pessoa instruída,
arcano. De fato, o campo fará ainda melhor para convencer-me, preferencialmente porém não diretamente
da magia está em estado de de maneira breve, de que isto não decorre da falta de envolvida em assuntos es-
inércia e condenado a per- obediência.” pirituais, irá permitir que
manecer assim por algum   toda esta seção permaneça
tempo. Enquanto admitem — Palavras atribuídas a Emhyr var Emreis, Imperador de mais imparcial em relação
que muito foi alcançado ao Nilfgaard ao respeito por esse tema
longo dos séculos passa- delicado e, muitas vezes,
dos, eles acreditam que es- controverso.
tamos atualmente cada vez — Dandelion
mais próximos do fim da linha. Eles apontam para a falta de
padrões éticos em relação à experimentação, à veneração Para começar, devo dizer que não creio que seja a pes-
de conceitos fossilizados e à tendência a chafurdarmo-nos soa mais qualificada para discutir algo além de preceitos
em velhas teorias, muitas vezes ultrapassadas. Eles conde- básicos sobre as religiões e cultos existentes. Além disso,
nam o interesse excessivo na política e no poder, que leva não me sinto no direito de falar a respeito de credos dos
muitos feiticeiros a abandonarem sua pesquisa em função quais pouco ou nada conheço. Por exemplo, eu sei tão
de bajular os serviços reais. Em particular, eles se cercam pouco quanto qualquer um no Norte a respeito do culto
contra e desmoralizam aqueles que procuram controlar do Grande Sol que se realiza no Império Nilfgaardiano.
dinastias e reger o destino de nações inteiras por trás dos Além de que eu também nunca tive muito interesse em
panos. Deste modo, considerando a história recente dos assuntos relacionados às recentes religiões, tais como os
nossos irmãos, é dif ícil não simpatizar com essa crítica; e cultos, hoje quase completamente esquecidos, de Coram
eu me pergunto, então, se seremos capazes de abraçá-la e Agh Tera, Veyopatis, ou dos misteriosos Senhores D’água.
assim evitar que tais erros se repitam. Para os interessados nestes assuntos, fica a dica de procurar
por uma literatura mais especializada.
Com as advertências fora do caminho, vamos focar nossa

RELIGIÃO discussão no assunto em mãos: a religião e seus praticantes.


Minha própria abordagem às questões de fé possui uma
A seção a seguir também é de autoria de Yennefer de Ven- ausência de misticismo notável, e minha opinião sobre a
gerberg. O leitor possivelmente pode se surpreender com o maioria dos membros do clero é desprovida da reverência
fato de a pessoa analisando a religião não ter nenhuma necessária. Isso pode estar relacionado à minha formação
conexão pessoal com nenhum dos diversos cultos religio- acadêmica e sua ênfase no entendimento racional de um
sos discutidos aqui. Eu inicialmente pretendia requisitar fenômeno aparentemente fantástico (denominado magia),
a contribuição da honrável sacerdotisa de Melitele, Mãe mas isso já é de se esperar, visto que nós feiticeiros não nos
Nenneke, mas após pensar muito sobre decidi que a opinião afeiçoamos muito aos sacerdotes — e o sentimento é mútuo.

“A Estada das Feiticeiras — Uma organização secreta formada após a queda do Congresso e do Supremo Conselho dos
Feiticeiros. Foi fundada por feiticeiras que serviam aos reis do Norte, bem como as do Império Nilfgaardiano. Em sua
fundação, a Estada, também chamada de ‘a Loja’, declarou que sua missão seria a preservação e orientação do futuro
da Magia. Essa organização também desempenhou um papel fundamental nas negociações que levaram à Paz de
Cintra, que pôs um fim à então chamada ‘Segunda Guerra Nilfgaardiana’.
Com o tempo, a Estada veio a ser acusada de atos consideravelmente menos louváveis. Entre outras coisas,
os seus membros estiveram supostamente envolvidos nos ditos ‘Assassinatos dos Reis’, suas vítimas incluíam
Demavend de Aedirn e Foltest de Teméria. Isto levou a uma série de expurgos, e por um tempo a própria
organização foi considerada ilegal.
Várias fontes indicam que as seguintes feiticeiras eram membros da Estada: Philippa Eilhart, Síle de Tansarville,
Sabrina Glevissig, Triss Merigold, Keira Metz, Margarita Laux-Antille e Yennefer de Vengerberg, juntamente com as
elfas Francesca Findabair e Ida Emean aep Sivney, e pelo menos duas feiticeiras do Império Nilfgaardiano — Assire
var Anahid e Fringilla Vigo.”

— Marcus Marcellinus, “Feiticeiras e Feiticeiros”

A Magia e as Religiões do Continente


98
99
“Os locais de adoração dos nortelungos variam entre
diferentes religiões. Divindades tais como Melitele ou Kreve
são veneradas em templos, normalmente erguidos no estilo

Na mente da maioria dos


da arquitetura local e adornados com afrescos e vitrais. Religião
feiticeiros, os sacerdotes
Druidas adoram a natureza a céu aberto, em bosques
sagrados ou círculos megalíticos. Os centros de adoração
e Magia
são considerados demago- mais antigos foram instalados em Locais de Poder e são
gos obcecados, ou mesmo conhecidos por suas fortes auras mágicas.” Grande parte dos feiti-
tolos, que erroneamente ceiros considera a magia
compreendem o fato de — Hevelius Reijksvaard, “Religiões Nortelungas e Locais de e os frutos das orações
que um em cada dez entre Adoração” como fundamentalmente
eles consegue realmente, a mesma manifestação do
de alguma forma, contro- Poder, embora os meios
lar o Poder, como um sinal exatos utilizados no caso
de proteção e dádiva divina. Os sacerdotes, por sua vez, das orações continuem um mistério não resolvido. É in-
enxergam a maioria de nós como blasfemos que usurpam contestável o fato de que alguns sacerdotes conseguem
descaradamente poderes, direitos e prerrogativas divinas. manipular o Poder assim como qualquer feiticeiro, e além
Tais opiniões certificam que as relações entre nossas castas disso conseguem fazê-lo sem nenhum treinamento formal,
são, na melhor das hipóteses, complicadas. estudos ou preparações.
Este santuário de Skellige
Isso não significa, contudo, que todos os sacerdotes sejam Existem várias teorias para explicar tal fenômeno. Mi- é dedicado à divindade
fanáticos cegos. Eu mesma(Yennefer de Vengerberg) já co- nha própria mestra, Tissaia de Vries, concluiu que as ora- conhecida como Svalblod.
Os ritos sangrentos
nheci vários cujas convicções e atitudes conquistaram meu ções permitem aos sacerdotes entrarem em uma espécie desse culto levaram a
maior respeito. Em alguns casos, as divergências de opinião de transe, ou auto-hipnose, e, desse modo, ganharem uma sua marginalização e
seu quase completo
que possivelmente possuíamos a respeito de assuntos religio- habilidade de subconscientemente canalizar e manipular banimento por
sos nunca foram um obstáculo para uma conversa decente. o Poder de uma maneira análoga à de nossos feitiços. todas as ilhas.

A Magia e as Religiões do Continente


Em tempos idos, os homens reverenciavam os deuses
erguendo obeliscos, cromlechs e santuários. Nos séculos
que se seguiram, eles construíram volumosos templos
diretamente em cima desses antigos monumentos.
101
“Cortadores de visco, isto é, druidas, meu senhor; eles sempre
se estabeleceram nas clareiras dos carvalhos. Todo mundo sabe
que os carvalhos, junto dos viscos, são as plantas mais sagradas
pra eles. Mas eles se curvam diante de toda a natureza e amam
Por sua parte, os sacerdotes com o tempo, convergiram
todas as coisas vivas, mesmo aquelas ruins aos homens. Se um
consideram que a energia mosquito se deleitar no sangue de um druida, o cortador de visco no culto da mãe de todos,
mediada, ou mais precisa- irá se alegrar por ele. A verdade seja dita: eles ajudam as pessoasMelitele. Diferentemente de
mente seus efeitos, sejam também, tratando enfermidades e tudo o mais; e, nos tempos outras antigas religiões, que
a manifestação da graça de antigos, se poderia pedir a ajuda deles sem medo. Mas dizem gradualmente perderam sua
seus deuses. Eu tenho acei- que agora os druidas mudaram, tudo por causa da guerra. influência ao longo dos anos,
tado essa teoria por bastan- Antigamente, ninguém pensaria em levantar a mão contra um até se resumirem a poucos
te tempo, porém, admito druida, mas quando bandidos e arruaceiros souberam que eles templos locais e santuários es-
que os eventos que pre- eram pacíficos e não carregavam armas, partiram pra cima. quecidos, o culto de Melitele
Só que esses miseráveis tiveram uma desagradável surpresa
senciei no templo de Fre- não carece de adoradores, e se
os esperando, pois os cortadores de visco têm suas próprias
ya, na Ilha Hindar, alguns mantém tão popular e respei-
maneiras de lidar com essa espécie. Ouvi dizer que eles podem
anos atrás, de certa forma tado quanto antes. Isso pode
comandar as árvores, fazendo-as andar como homens, daí esses
abalaram meu ceticismo a monstruosos arboredos capturavam os bandoleiros pros druidas.
ser o resultado da excepcional
respeito da existência de Então, os cortadores de visco os prendiam em enormes homens tolerância e mente aberta des-
divindades. Enquanto não de vime e os queimavam vivos, em uma espécie de sacrifício sa religião, além do fato de que
estou preparada para de- aos espíritos da natureza, ou algo assim. Bem, quando esse seus ensinamentos reúnem
votar-me aos serviços da rumor se espalhou, as pessoas começaram a temer um pouco uma grande dose de conheci-
Mãe, eu, agora, mantenho os druidas, principalmente os lenhadores, porque todo mundo mento útil e prático. O culto
a opinião de que existem, sabe que os cortadores de visco não aplaudiram quando suas de Melitele é notável também
sem dúvida, mais coisas florestas foram derrubadas. Mas eu nunca ouvi nada sobre os pela sua genuína dedicação a
druidas prejudicarem um inocente.”
entre o céu e a terra do ajudar o próximo, em vez de
que sonhamos nós, meros manter o foco na doutrinação
— Carrapicho, magistrado abelheiro
feiticeiros. e no enriquecimento da igreja
e de seus sacerdotes, aspecto
que caracteriza muitas outras
religiões.

PRINCIPAIS
A deusa é adorada de três maneiras: a donzela, a mãe e a
anciã, e é representada de diversas formas em esculturas e

CULTOS pinturas. Um dos mais conhecidos centros do culto a Melitele


é o complexo do templo-convento, localizado próximo da
cidade de Ellander, a capital do ducado de mesmo nome ao
nordeste de Teméria. Esse lugar, administrado pela sacerdotisa
Melitele Nenneke, é reconhecido por sua respeitada escola religiosa.
Aqueles enviados para aprender — em sua maioria crianças
O culto a Melitele é certamente uma das religiões mais antigas e jovens — não são obrigados a entrar na ordenação, porém,
Estátuas e monólitos
existentes, tendo suas raízes em um passado distante. Ela é uma alguns de fato se tornam iniciantes. Seu currículo escolar in- representando deuses
amálgama de antigas crenças pré-humanas dedicadas às várias clui: leitura, escrita e aritmética simples, tendo seus melhores locais datam de séculos
no passado — aos
deusas da colheita, fertilidade e do amor, assim como protetoras alunos também introduzidos à filosofia básica, ética, história primórdios da habitação
dos fazendeiros, seus lares e das grávidas. Todas essas religiões, e arte da cura. humana no Continente.

A Magia e as Religiões do Continente


102

Enquanto as religiões
se tornavam mais
sofisticadas, também
crescia a arquitetura
sacral. Pequenos
santuários e capelas
foram substituídos por
catedrais monumentais
erguidas usando-se
engenharia e técnicas
arquitetônicas de ponta.

O Mundo de The Witcher


103
“A Ilha Hindar é o lar da deusa Freya, em Skellige. É aqui
que suas sacerdotisas moram, e é aqui também onde está o
seu templo principal, assentado no meio do bosque sagrado
Kreve chamado Hindar. Nós vamos até lá para realizar rituais em genuínos, e não por mero
honra da Grande Modron, e para colher o visco sagrado que despeito, preconceito, ou
nós, insulanos, usamos para decorar quase tudo — desde
O culto de Kreve é bem po- desejo de ser aplaudido,
berços a caixões.”
pular em alguns dos Reinos como geralmente é o caso.
do Norte, especialmente — Asle Thorfinsson, navegante de Skellige
em Kaedwen, Redânia e
Holopole, embora eu tenha Druidas
pouco a dizer sobre a divin-
dade em si. Os sacerdotes As origens do druidismo
do culto não desdenham influência política ou interesses são quase tão antigas quanto as do culto de Melitele. Os
mundanos, assim, podem ser facilmente encontrados nas druidas não adoram a nenhuma divindade em específico,
cortes de vários nobres e magnatas. Eles comumente gastam pois proclamam como divina a própria natureza. Eles tam-
seu tempo com ladainhas triviais sobre as origens divinas bém defendem o princípio da manutenção do equilíbrio,
dos governantes, ou relembrando a tudo e a todos que os o qual acreditam refletir a ordem inata e harmônica dessa
deuses enxergam com bons olhos aqueles que contribuem mesma. Isso faz sua fé ser tanto religiosa quanto ideologi-
com doações para seus templos. Eles também possuem uma camente filosófica. Seus cultos são centrados em torno de
tendência para a moralização enfática, um costume o qual eu comunidades locais conhecidas como círculos, os quais Pilares de pedra
tive a infelicidade de conhecer pessoalmente. Certo sacerdote servem como assembleia para todos os druidas da mesma esculpida, como os
mostrados abaixo, das
de Kreve, da cidade de Rinde, uma vez decidiu denegrir-me região. Cada círculo se atenta essencialmente em zelar pelo florestas próximo a
em seus sermões, referindo-se a mim com todos os tipos de ambiente natural que envolve suas localidades, preservando Flotsam, são alguns dos
poucos testemunhos
epítetos, dentre os quais “meretriz” foi um dos mais leves. seus santuários e, sempre que possível, fornecendo ajuda restantes da existência do
Para ser justa com o clérigo furioso, tenho de admitir que a aos habitantes da região. O chefe druida de um círculo é culto de Veyopatis nessas
terras. Hoje, apenas uma
sua hostilidade e toda a “cruzada moral” na qual ele embarcou formalmente conhecido como um hierofante ou, se a posição minoria ainda reverencia
foram um resultado de suas raízes, convicções e costumes for mantida por uma mulher, uma flaminika. essa divindade.

A Magia e as Religiões do Continente


106
“Ele, que pretende atravessar o vale das trevas, deve levar
consigo uma lamparina. Pois aquele que torce seu tornozelo
na escuridão não chegará muito longe.”
Druidas são particu- no Continente. Modron
— “O Livro Sagrado”, ou, “Os Ensinamentos do Profeta Lebioda”
larmente conhecidos por Freya é padroeira também
seu comprometimento em das profetisas, dos videntes,
defender as espécies em telepatas e de outros que
perigo, normalmente escre- buscam vislumbrar o des-
vendo petições ou súplicas para os lordes locais. Contudo, conhecido, assim como está representado em seus símbolos:
devido às suas boas relações com a população local, que o colar da clarividência de Brisingamen; o gato, que escuta
geralmente tem um grande respeito por eles, suas ações e enxerga o invisível; e o falcão, cujo olhar paira das alturas.
são frequentemente bem-sucedidas. Até porque nenhum Além de Freya, os ilhéus de Skellige veneram diversos
magnata, ou mesmo rei, arriscaria causar a agitação social outros deuses do mar e praticam uma espécie de culto an-
que poderia ocorrer ao se opor abertamente aos druidas. cestral (o “culto dos heróis”), bem como uma vertente local
do druidismo. Todas essas crenças estão entrelaçadas em
um diversificado, porém talvez um tanto caótico, panteão.
Freya e as Crenças dos Para muitos forasteiros, o teor religioso das ilhas aparenta
Ilhéus de Skellige ser uma confusão idiossincrática, em que apenas os próprios
ilhéus não se perderiam nos vários meandros de sua fé.
A deusa Freya é adorada em grande parte no arquipélago de
Skellige, apesar de seu culto recentemente ter se espalhado
para regiões costeiras do Norte, também. Eu não fui capaz, O Profeta Lebioda e o
entretanto, de verificar tal informação. Contudo, é inegável
que os ilhéus de Skellige reverenciam Freya acima de todas
Livro Sagrado
as outras divindades, sendo ela a figura central de sua rede O culto ao profeta Lebioda floresceu há cerca de um século
Nascida de sublimes
ideais, a Ordem da
de crenças. Eles lhe concedem o venerável título de modron, e meio, durante o período em que viveu seu fundador. O
Rosa Flamejante que significa “mãe,” pois a deusa é a padroeira dos lares, do profeta em si foi, até onde sei, um pastor simples, que pre-
era inicialmente
dedicada a defender os
amor, da fertilidade e da prosperidade. Esses aspectos fazem gava sermões e contava parábolas sobre a vida, os deuses
inocentes e oprimidos. com que vários a considerem equivalente ao que é Melitele e os homens. Ele conseguiu acumular um grupo de segui-

O Mundo de The Witcher


107
“A história de como os ossos do profeta Lebioda foram
recuperados é bastante engraçada, especialmente se
você considerar que eles são supostamente tirados de seu
sarcófago em certas festividades e beijados por seus devotos,
dores surpreendentemen- militante na forma da Or-
a quem é concedida a honra. Mas eu prefiro parar por
te grande, que se esforçara dem da Rosa Flamejante,
aqui nesse momento, pois contos sobre vasculhar esterco,
para viver de acordo com conhecida por sua postura
mesmo que seja de dragão, não são muito adequados para
seus preceitos. O profeta implacavelmente hostil con-
converseiros na hora da refeição.”
conheceu seu fim quando, tra não humanos e pratican-
já de idade avançada, veio a — Addario Bach, anão músico da Fanfarra dos Mineradores tes de magia.
ser queimado e, então, devo- das Minas de Cobre Apesar de sua aparência
rado por um dragão que ele contemporânea, há quase
tentava exorcizar. Suposta- um século o Fogo Eterno
mente, esse exorcismo tinha não era nada além de uma
a intenção de afastar o réptil das ovelhas dos aldeões de Kae- austera, porém ainda tolerante, fé. A chama que serviu como
dwen. De qualquer forma, sua morte foi proclamada como o elemento de sua adoração foi, de acordo com o credo dos
martírio, e os seus ossos recuperados foram depositados sacerdotes, o símbolo do progresso, a luz que dissipa as trevas
em um sarcófago em Novigrad. Apesar de o culto em si ter e a esperança por um futuro mais reluzente. Ainda assim,
se extinguido com o tempo, após a morte de Lebioda, seus as crenças de outras religiões eram, em geral, toleradas em
ensinamentos sobreviveram, sendo compilados e escritos no Novigrad, com a clara exceção das que blasfemassem contra
então chamado O Livro Sagrado, uma coleção de elucidativas o Fogo Eterno ou mesmo das que ousassem enfraquecer a
anedotas e alegorias bem divertidas. autoridade do culto. Aqueles declarados blasfemos, bem como
os que se utilizavam de feitiços para prejudicar o próximo,
eram condenados a queimar na fogueira, tendo seus crimes
O Fogo Eterno julgados por um dos templários designados. A Ordem se tornou
um grupo extremista
Enquanto a influência do culto crescia com o tempo, a si- devotado à perseguição
racial e caça às bruxas.
O culto do Fogo Eterno foi inicialmente um arranjo local, tuação começou a mudar. O hierarca do culto do Fogo Eterno, Mais tarde, humanos
limitado a Novigrad e seus arredores. Hoje, ele já se espalhou eleito por um colégio eleitoral, tornou-se governante de fato inocentes e não humanos,
que uma vez jurou
para praticamente toda a Redânia, oprimindo lentamente o de Novigrad. A guarda do templo, por sua vez, se transformou proteger, tornaram-se
culto de Kreve. Esse culto tem ganhado também um braço na agência de segurança de estado, com seus poderes não ve- suas primeiras vítimas.

A Magia e as Religiões do Continente


As sacerdotisas de Coram Agh Tera, ou a Aranha com Cabeça
de Leão, são capazes de invocar maldições poderosas contra
seus inimigos. A fé propriamente dita, que teve sua primeira
aparição na região de Gelibol e nos Vales de Nimnar do
Norte da Redânia, hoje é considerada um culto perigoso.
109
“Pois as mulheres são criaturas pecadoras e maléficas, por
sua pura natureza! Cúmplices do Caos, que contrariam a
Ordem criada e decretada pelos deuses! Elas são os ávidos
lacaios das forças das trevas, sempre procurando saciar sua
rificados por qualquer au- eu não me refiro ao bom e
luxúria desenfreada. Assim sendo, para lembrá-las de sua
toridade secular. Casos de velho politeísmo ou cultos
devida reverência e temor em dívida para com os deuses, e
falsas acusações descaradas ancestrais, nem mesmo a
manter o justo rigor que é o que caracteriza um pai e marido
e julgamentos que termina- espíritos protetores locais,
responsável, recomenda-se, por precaução, administrar
vam em execuções ou con- estes que eram tão abun-
açoites de mão firme, regularmente. Também não se
fisco de bens se tornaram deve permitir que uma mulher vista-se de livre vontade, dantes apenas alguns sécu-
cada vez mais prevalentes. o que desencadeia uma lubricidade insalubre, ou usar los atrás. Pelo contrário, a
O medo da “magia negra” qualquer adorno, pois isso é um sinal evidente de orgulho maioria dessas novas reli-
evoluiu gradualmente para e promiscuidade. Em vez disso, elas devem ser trajadas giões reivindica um mo-
uma aversão contra todas em vestes simples, roupões modestos de cores permitidas, nopólio sobre a verdade,
as formas de feitiçaria, não cortados de maneira a evitar quaisquer e todas as partes em declarando que somente
humanos e, por fim, contra que olhos cobiçosos possam pousar.” a sua crença descobriu a
os sacerdotes em si. O resul- sabedoria absoluta e que
tado foi um clima crescente — Fragmento do sermão de um sacerdote do Fogo Eterno seguir qualquer outra é
de perseguição aos não hu- pecado e apostasia, levan-
manos e suspeitos do uso do à danação eterna.
de magia que culminou na É importante ressaltar
famosa “caça às bruxas”, com a execução de centenas de pessoas que elas aparentam ter pouco interesse na providência
inocentes. Em suma, a história do culto do Fogo Eterno serve de ajuda espiritual, conselhos ou suporte para qualquer
claramente de exemplo de como uma religião pode se tornar devoto necessitado. Ao contrário, muito de seu tempo
deformada quando fanáticos tomam o controle e lutam para parece ser gasto em competições para inventar novos
Em alguns dos distantes
forçar todos os demais a seguirem seu credo. mandamentos, exigindo intolerância quanto a outras re- cantos do mundo, ainda
ligiões ou regulando os assuntos mais privados e íntimos há quem adore os antigos
deuses e criaturas
de seus seguidores. Essa propensão é um triste exemplo de misteriosas de grande
Novos Movimentos Religiosos como a religião, longe de trazer esperança e amparo para poder. Um exemplo disso
é o culto das Senhoras
aqueles que necessitam, muitas vezes torna-se símbolo de da Floresta, em Velen,
Ultimamente, o número de divindades vem aumentando hostilidade e medo, podendo também ser convertida em cujos santuários estão
espalhados por todos
em um ritmo crescente, servindo para confundir até mais uma ferramenta de poder para políticos e demagogos os bosques e vilarejos
pessoas com maior interesse religioso do que eu. Aqui, nada escrupulosos. isolados da região.

A Magia e as Religiões do Continente


CAPÍTULO IV

AS
CRIATURAS
DOS REINOS
DO NORTE
E
xistem várias baladas que descrevem as aventuras
de Geralt de Rívia, conhecido como o Lobo Branco,
porém, nenhuma chega tão próximo às meias-verdades
sobre ele do que as minhas. Geralt era supostamente uma
famosa Criança-Surpresa, ainda que isso só seja verdade na
medida em que sua mãe, uma feiticeira, tenha ficado bastante
surpresa por ter engravidado, dado que, como já se sabe, quase
nenhuma feiticeira pode conceber uma criança.
Meu próprio bisavô ainda estava para nascer quando Geralt
aprendeu esgrima em Kaer Morhen, e quando derrotou seu primeiro
monstro. O destino fez com que nós nos conhecêssemos há apenas
um quarto de século; mesmo assim, aquele encontro foi o princípio
de uma longa amizade, a qual me forneceu um conhecimento
inigualável sobre o bruxo. Nós enfrentamos diversos perigos juntos,
e escapamos de todos com nossas vidas ilesas. Salvamos a vida um
do outro incontáveis vezes. Desta forma, posso dizer com toda a
confiança que Geralt de Rívia é uma pessoa excepcional em todos os
aspectos, salvo por sua erudição nas artes e caráteres dos homens,
pois, neste quesito, infelizmente, ele ainda tem muito a aprender.
Se existe algo, no entanto, do qual ninguém pode duvidar quanto
às competências de Geralt, é com certeza o seu conhecimento sobre
todas as espécies de monstros existentes, feras as quais ele teve um
grande sucesso em exterminar ao longo de mais de meio século. Sua
sabedoria no assunto nunca cessou de me surpreender; assim, eu tenho
passado muitas noites ouvindo as histórias do bruxo sobre os hábitos
de várias criaturas e monstros, juntamente com suas acusações a
espúrios boatos, claramente inventados, que cativam a mente do
homem comum. Aqui, você encontrará algumas de suas palavras que
pude colocar no papel, tanto informes quanto lembranças.

— Dandelion
t
112

NECRÓFAGOS
Carniçais, nevolosos, necrosos, afogadores,
devoradores — essas são apenas algumas das
criaturas amplamente classificadas como ne-
crófagos. O nome em si pode estar enganado,
já que sugere que essas monstruosidades se
sustentam apenas de cadáveres. Se fosse mesmo
o caso, as pessoas não precisariam nos contra-
tar tantas vezes para se livrar deles. De fato, a
maioria dos necrófagos são caçadores ativos,
e sua principal presa, além de caça selvagem,
são humanos. Essas criaturas não torcem
o nariz para carne fresca, apesar de, em
circunstâncias normais, preferirem car-
niça. Algumas das crias dessas bestas até
possuem o hábito de enterrar ou guardar
suas vítimas, para então consumi-las
apenas depois de alguns ou até deze-
nas de dias, assim que o processo de
decomposição estiver bem avançado.
Em verões calorosos, o cheiro da farta
despensa de um carniçal pode ser
sentido a várias centenas de quilôme-
tros de distância, fato que me ajudou
a localizar seus covis inúmeras vezes.

Uma crença bastante comum (ainda que


errada) afirma que necrófagos são huma-
nos degenerados como resultado de séculos
de canibalismo. Na verdade, eles são seres
pós-Conjunção, que vieram ao mundo por
consequência da colisão das Esferas. Assim,
não possuem um nicho ecológico apropriado,
e matá-los não ameaça o equilíbrio da natureza.
Isso também significa que nenhum druida irá chorar
por eles ou peticionar ao regente local para “restringir
as práticas assassinas dos bruxos”, como fazem algumas
vezes quando exterminamos outras criaturas que amea-
çam os humanos.
Quando se luta contra necrófagos de qualquer tipo, é
preciso tomar cuidados especiais. Mesmo a menor ferida
que eles possam causar está propensa a infecção por té-
tano e contaminação por cadaverina. Em adição, aqueles
comedores de cadáveres que se banqueteiam com vítimas
de alguma praga podem também se tornar hospedeiros,
embora eles mesmos sejam imunes a doenças comuns.

Uma completa falta de cabelo, peles ralas e venosas


e órgãos sexuais atrofiados — estas são algumas
das características compartilhadas por muitos dos
necrófagos que passaram a residir em nosso mundo
após a Conjunção das Esferas.
113

Carniçais e Suas Variações que as de outras variações de necrófagos, provavelmente por


conta da preferência dessas criaturas por cadáveres de vários
Os carniçais compõem o maior grupo de fragmentos da meses em decomposição, além de apreciarem especialmente
Conjunção classificados como necrófagos, e isso inclui as o conteúdo macio da cavidade abdominal. As cabeças dos
maiores e mais perigosas espécies: carniçais-atrozes, tumu- necrosos também são diferentes das dos seus “primos” — e
lires e cemitauros. Eles são todos similares em aparência por “diferente”, eu quero dizer: um caroço desfigurado, quase
e exibem características em comum. Esses citados, por desprovido de olhos. Isso não parece prejudicar o monstro, já
exemplo, possuem posturas envergadas (algumas das mais que, como muitos necrófagos, eles dependem primeiramente de
deformadas subespécies são quadrúpedes), cinturas es- seu olfato altamente desenvolvido para localizar suas vítimas.
capulares e membros dianteiros hipertrofiados, e mãos com
polegares opositores e dedos curtos, cujas garras ríspidas
são perfeitas para rasgar. As fortes mandíbulas e línguas
compridas permitem a essas feras quebrar ossos facilmente Afogadores e
e lambê-los até sugar deles sua iguaria favorita, o tutano. Afogadores Mortais
Os traços comuns
compartilhados pela
Estes seres habitam corpos d’água, tanto naturais quanto maioria dos necrófagos
sugerem que essas
artificiais, desde rios e lagos a riachos de moinho e esgotos de
Necrosos e cidades. É de senso comum que essas criaturas são homens
espécies pós-Conjunção
originaram-se do mesmo
Necrosos Maiores afogados, que, de alguma forma, emergiram dos mortos para mundo. Muitos possuem
crânios e membros
se alimentar dos vivos. Tal crença é tão conhecida quanto similarmente proporcionais
e apresentam outras
Os parentes distantes dos carniçais são os necrosos, junto com falsa, pois esses são de fato mais um fragmento da Conjunção. características em comum,
seus primos superiores, os necrosos maiores. Essa espécie era Os afogadores e os afogadores mortais, apesar de sua como línguas compridas
e mandíbulas fortes,
há muito tempo confundida como variações disformes dos aparência disforme, são excelentes nadadores. Eles são adaptadas para triturar
carniçais, mas após anos de pesquisas deste ou daquele grupo sensitivos às vibrações na água, e seus enormes olhos ossos.

de estudiosos enrugados, foi decretado que eles, de fato, são


espécies distintas de necrófagos. Assim, a ciência triunfa, apesar
de os próprios necrosos provavelmente não se importarem.
Essa espécie permanece em pé na maioria do tempo, e a
proporção de seus membros não difere muito da dos huma-
nos. Suas mandíbulas também são menos desenvolvidas do

As Criaturas dos Reinos do Norte


Apesar de classificadas como necrófagas, as bruxas sepulcrais, de fato, caçam
suas presas vivas, as quais carregam até seus covis para então preparar seus
pratos medonhos, temperando e cozinhando com utensílios primitivos. Porém, elas
também se submetem à necrofagia, escavando túmulos à procura de cadáveres, e
fervendo-os até virarem um caldo grosso, utilizando os ossos como decoração para
adornarem seus corpos ou deixarem espalhados em suas tocas.
115
“Então, para salvarem a própria vida, aqueles homens
cometeram um dos feitos mais vis deste mundo, começaram a
alimentar-se dos cadáveres de seus familiares falecidos. E tão
vorazes eles eram, que após consumir toda a carne, quebraram
esbugalhados lhes fornecem Em relação às bruxas
os fêmures para chegar no tutano. Assim que os cadáveres da vila
uma ótima visão sob a luz d’água, seus corpos, tam-
acabaram, eles começaram a escavar ossos antigos do cemitério
da lua e estrelas. Eles sobre- e os usaram para fazer uma sopa, que durou do inverno todo
bém murchos, são cobertos
vivem de peixes e anfíbios, até a primavera. Todavia, os camponeses começaram a apreciar por lama e lodo, e fedem
bem como de criaturas de tanto a carne humana que já não podiam viver sem ela, e mesmo além da compreensão.
sangue quente (principal- o mais saboroso dos pratos, para eles, teria gosto de pó e cinzas. Seus cabelos lembram algas
mente pequenas presas e Dessarte, passaram a saquear os cemitérios das vilas vizinhas; e marinhas, suas bocas são
humanos) que conseguem se um combate ocorresse por perto, eles iam vasculhar o campo cheias de dentes tortos (ao
capturar. Quando estão de batalha atrás de cadáveres para levarem para casa, para menos os que lhes sobra-
em seu ambiente natural, a felicidade de todo o seu povoado. Fortemente estimulados ram), suas garras são como
preferem emboscadas, na com suas práticas hediondas, até quebraram os ritos sagrados as de lobisomens e, em luta,
tentativa de puxar suas ví- da hospitalidade e passaram a assassinar os viajantes que elas lançam bolas de lama
timas para debaixo d’água convidavam para ficar sob seus tetos. em seus inimigos. Quem
Contudo, a justiça e a retaliação estavam a caminho, pois
para depois estrangulá-las quer que tenha pensado que
quando os povos dos arredores descobriram esses feitos, se
com fortes mãos e dedos as bruxas d’água possuíam
levantaram contra os comedores de gente com toda a força. E
com garras. Mas, se não algo em comum com nerei-
quando encontraram os pertences dos viajantes junto a uma
estiverem com fome no mo- imensidão de restos mortais humanos escondidos na vila,
das deveria ter uma alma
mento, eles poderão manter entraram em um frenesi vingativo contra os canibais assassinos, verdadeiramente poética,
os cadáveres submersos por matando muitos e incendiando suas casas. Porém, alguns dos e certamente nunca as viu
vários dias, esperando seu degenerados conseguiram escapar da justiça, se escondendo no durante a luz do dia.
alimento ficar no ponto. coração das densas florestas, originando a tribo que até hoje Criaturas assim habitam
assombra cemitérios e campos de batalha em busca de saciar todas as formas de zonas
seu apetite perverso por carne humana.” úmidas nas proximidades
de rios e lagos, tal como
Bruxas — Silvester Bugiardo, “Liber Tenebrarum”, ou, “Livro de Casos pântanos e atoleiros. Elas
Sepulcrais Horripilantes, mas Verdadeiros, Nunca Explicados pela Ciência” constroem seus casebres de
e Bruxas madeira, lama e junco, ou
Aquáticas então fazem seus covis nas
tocas molhadas que esca-
Esses seres são normalmente dados como necrófagos, apesar vam nas margens de córregos ou nas escarpas do litoral.
de alguns especialistas no assunto não concordarem com Quando caçam em seu habitat, elas tipicamente se uti-
tal classificação e defenderem que elas deveriam ser con- lizam de emboscadas, capturando crianças nadando
sideradas como um grupo de monstros completamente à ou puxando pescadores de seus barcos ou barrancos.
parte. Pois realmente, enquanto muitas espécies devoram os À noite, se esgueiram pelas vilas ribeiri-
corpos dos mortos, as bruxas caçam suas vítimas ativamente nhas raptando gado ou viajantes no-
ou as atraem para armadilhas astutas. Aqueles capturados turnos, que depois são arrastados
são primeiramente esfolados com ferramentas específicas, para suas tocas e devorados.
e depois transformados nas mais sinistras refeições. As
bruxas preferem cozer, assar ou defumar a carne de suas

VAMPIROS
vítimas em suas moradas, que são bastante parecidas com
as habitações humanas.
Bruxas sepulcrais lembram altas e enrugadas idosas,
apesar de suas cabeças desproporcionalmente largas, olhos Muitas das características normalmente
arregalados e braços longos com grandes mãos cheias de atribuídas a essas criaturas são bobagem,
garras claramente revelarem sua origem inumana. Elas fre- nada além de confabulações de camponeses
quentemente visitam cemitérios, o que levou a pensamentos supersticiosos. Apesar da opinião popular,
absurdos de que são algum tipo de carniçal fêmea. Quanto a vampiros não são mortos-vivos, nem con-
escavarem os túmulos na busca por caveiras e outros ossos denados insurgidos de seus túmulos, mas sim
dos mortos, isto é verídico. Elas os utilizam para adornar seres que vieram a esse mundo durante a Con-
suas tocas ou carregar consigo como amuletos, apesar de junção das Esferas.
ser dif ícil dizer se possuem algum uso prático.
Os corpos murchos dessas criaturas escondem uma
grande força, mas seus aspectos verdadeiramente formi- Os traços físicos dos vampiros fazem deles perfeitos predadores noturnos,
dáveis são seus poderes sobrenaturais, assim como suas caçando silenciosamente com suas asas membranosas. Os sentidos aguçados
de certas espécies desse gênero permitem-lhes sentir o cheiro de sangue
artimanhas para caçar suas presas. fresco a mais de duas milhas de distância.

As Criaturas dos Reinos do Norte


116
“Bruxas d’água eram nereidas que se apaixonaram por
homens mortais, e assim perderam sua juventude eterna.
Isso não é de se ocorrer muito, já que as ninfas de rio são
criaturas inconstantes que raramente possuem alguma
A grande maioria das e a capacidade regenerati-
preocupação pelos rapazes os quais seduzem. Ainda assim,
outras lendas sobre eles vade de um vampiro, a dita
algumas vezes, isso pode realmente acontecer, e, então, de
também não é verídica. estaca deveria ou ser meio
acordo com as antigas leis místicas de seu povo, elas se
Apesar de vampiros evi- tornam sujeitas ao fluxo do tempo. Por ser uma criatura
que grande ou perfurar um
tarem o sol, os raios deste mágica, ela não pode morrer — mas, então, envelhece, órgão vital para realmen-
não são realmente letais e vai ficando cada vez mais decrépita, até finalmente se te ferir a criatura — daí as
para a maior parte. Suas tornar uma bruxa d’água. Daí, em noites de luar, ela vai não tão fúteis lendas sobre
mordidas não transformam na beira dos rios chorar por sua juventude perdida. a vulnerabilidade de um
outros em vampiros, e eles E, apesar de seu corpo murcho e velho, ainda gosta de vampiro a estacas em seus
não são repelidos com alho dançar nua sob a luz da lua, fazendo propostas imorais corações. Dada a escolha,
ou água-benta. Símbolos para qualquer jovem que estiver passando.” entretanto, um bruxo es-
sagrados são igualmente perto irá sempre preferir
— Um conto popular
inúteis — como Vesemir uma espada de prata.
costumava falar, no má- Vampiros são tradicio-
ximo irão ofender os sen- nalmente divididos em
timentos religiosos dos dois grupos: vampiros
vampiros, se é que possuem algum. Apunhalar um vampiro superiores e vampiros inferiores. É dif ícil dizer quem
com uma estaca de madeira pode certamente arruinar o dia foi originalmente responsável por tal classificação, mas
dele — mas uma estaca afiada no seu peito não arruinaria agora ela está tão difundida que é considerada válida,
o seu também? Por outro lado, considerando a resistência apesar de suas limitações.

Alguns vampiros
superiores se
transformam em gigantes
morcegos sem olhos. Já
outros, como o katakan
e o ekimmu, apresentam
várias caraterísticas de
morcegos ainda em sua
forma natural. Apesar de
sua aparência deformada,
esses vampiros oferecem
um perigo mortal até
mesmo para o caçador de
monstros mais experiente.

O Mundo de The Witcher


117
“Dois soldados surpreenderam o sugador de sangue, mas
suas armas praticamente atravessaram o ar, pois o monstro
já havia deixado o local onde fora avistado meros momentos
Vampiros antes! Uma batida de coração a seguir e ambos os homens
suas vítimas para se banque-
Superiores caíram, sangue jorrava das gargantas despedaçadas pelas
garras do demônio . . . Pela vida de minha mãe, juro que vi
tearem em sua carne ainda
com meus próprios olhos! Foi então que o sacerdote brandiu quente. Fleders vão ainda
Vários especialistas in- seu amuleto, exaltando o símbolo do Fogo Eterno contra o mais longe e se sujeitam a
cluem alpores, mules, ka- ensanguentado monstro, e invocou o poder divino para atear o beber o sangue e consumir
takans, lâmias e nekuratos terror no coração gélido da besta. Todos nós acreditamos que os corpos de doentes —
como membros desse gru- aquele demônio fosse fugir . . . até que ele começou a gargalhar coisa que outras espécies
po. Espécies como essas horrivelmente, como se mal pudesse conter seu riso. Disse que tendem a evitar. Quando
a fé do sacerdote não valia nem uma moeda de madeira, já
realmente possuem vários famintos, também não dei-
que ele não mostrava respeito às leis divinas — trepando com
traços únicos não compar- xarão passar batido um ca-
jovens prostitutas e furtando doações —, e, de qualquer forma,
tilhados com seus primos ele estava segurando o amuleto de cabeça para baixo. Então, o dáver fresco, o que os torna
inferiores, e assim são co- vampiro transformou-se em um morcego e fugiu, rindo por todo apenas ligeiramente melho-
mumente chamados de o seu voo. Aquela foi a última vez que o vimos.” res do que os necrófagos.
vampiros superiores. São
resistentes à luz do sol, e — Parte de um conto ouvido em uma estalagem de Novigrad
muitos conseguem escon-
der sua verdadeira natureza
fingindo ser um humano, o

EMANAÇÕES
que os ajuda quando estão caçando ou evitando serem caça-
dos. Vários também são capazes de se transmutar e possuem

ETÉREAS
poderes telepáticos, o que os torna inimigos formidáveis.
Contudo, apesar de todas essas habilidades, eles ainda não
são os verdadeiros vampiros superiores.
Genuínos vampiros superiores são seres à parte, extre- O grande número de contos sobre espectros e assombrações
mamente poderosos, portadores de grandes poderes que, decorre do simples fato de que as pessoas possuem o hábito
muitas vezes, são únicos e particulares de cada espécime. de inventar fantasmas, imaginando que todos os tipos de
Mestres na arte da camuflagem, na maioria dos casos, pa- aparições imateriais e invisíveis só se mostram presentes
recem quase idênticos a um humano. Apenas seus dentes por meio de sons misteriosos, como o barulho de correntes,
e o fato de não projetarem sombras ou reflexo no espelho gemidos e gritos. Acontece que, mais frequentemente do
podem revelar sua verdadeira natureza. Eu já até cheguei que nunca, esses sons são causados tanto pela indigestão de
a conhecer um vampiro superior cuja presença não ativou um idoso quanto por um casal de amantes que decidiu sair
meu medalhão. Eles, além de serem sobrenaturalmente escondido para um lugar isolado. Contudo, mesmo assim,
rápidos e ágeis, podem assumir a forma de um morcego algumas vezes nós vivenciamos manifestações espirituais
gigante, ficar invisíveis e usar seus olhares para hipnotizar genuínas, que emergem como um tipo de eco traumático
suas vítimas ou pô-las para dormir. Eles são invulneráveis à da morte violenta de alguém.
luz do sol, ao fogo e à prata, e possuem poderes regenerativos As criaturas geradas dessa maneira são invisí-
inacreditáveis, os quais lhes permitem voltar à vida mesmo veis, em sua maioria, para meros mortais e não
após decapitados, desmembrados ou incinerados — apesar influenciam no mundo material, mas algumas,
de, nesses casos, o processo poder durar várias décadas. impulsionadas pela ira e ódio de toda uma vida,
saem de seus caminhos para ameaçar os humanos.

Vampiros Inferiores
Aparições
Esse termo, assim como eu já disse, está tecnicamente in-
correto, mas é comumente usado para descrever três es- Aparições são as formas mais comuns de
pécies: fleders, ekimmus e garkains. Os primeiros dois não emanações etéreas. Elas são espíritos
são nativos do nosso clima, mas, com o passar dos últimos vingativos de pessoas que morreram
doze anos ou mais, a área de seus habitats tem se expandido repentina ou violentamente, na maior
através de todo o Yaruga e mais ao norte. parte dos casos como resultado de
Quando comparados às espécies anteriores, os vampiros
inferiores são de fato primitivos e cruéis, guiados mais por
instintos do que por inteligência. Eles são vulneráveis ao sol Os fleders, imigrantes de outro mundo, têm se adaptado aos
nossos habitats urbanos. Durante os meses mais frios, eles
e caçam exclusivamente à noite. Também não se saciam após hibernam em criptas e construções abandonadas, saindo apenas
só drenar o sangue, eles brutalmente arrancam pedaços de para caçar durante as primeiras noites quentes da primavera.

As Criaturas dos Reinos do Norte


“Estas aparições são pobres garotas que morreram um dia
antes do seu casamento ou na noite de núpcias — seja por uma
doença, por suicídio, assassinadas por um amante traiçoeiro
ou alguma puta invejosa. Se uma mulher dessas morre durante
o dia, ela vira uma aparição diurna, e se a morte veio durante
a noite, ela vira uma aparição noturna. Elas aparecem como
garotas em mantos brancos ou nos seus próprios vestidos de
noiva que iriam usar durante a cerimônia.
Depois da morte, elas se transformam em amargas
inimigas dos homens. Daí as aparições que irão assombrar
campos, prados e encruzilhadas. Nesses lugares, elas
enredam qualquer um que estiver passando, seduzindo o
sujeito a dançar loucamente, sem escapatória ou descanso,
até que a carne de suas pernas se descole dos ossos.”

— Falco, camponês de Águas Turvas


120
“Há muitas maneiras de se lidar com aparições e fantasmas
inquietos. Quando você quiser se livrar de um, pegue um barril
de aguardente, um ramo fino de figueira-brava, com dois braços
de comprimento, três pregos de um ancinho usado para revirar a
alguma injustiça — a traição ainda mais amargurados e
terra e um punhado de sementes de papoula. Vá para o cemitério
de um amigo de confiança, agressivos. Gradualmente,
de dia e encontre a sepultura do morto inquieto que perturba os
uma injusta acusação ou vivos. Beba um pouco de aguardente para ganhar coragem — masa loucura os consome, e so-
um assassinato motivado mente matar cada ser que
apenas três goles, não mais. Então, cave a sepultura do maldito e
por ganância ou inveja. Não encontram em seu caminho
puxe o corpo para fora. Pegue o ramo de figueira-brava e enrole
são apenas as vítimas que pode lhes dar um momento
em volta do pescoço do cadáver, e enterre os pregos em seu peito.
podem tornar-se aparições. Coloque o corpo de volta no caixão, abra a boca do falecido de alívio em seu sofrimento.
Tal destino é o mesmo para e despeje as sementes de papoula. Feche o caixão e o sepulte
aqueles que cometerem novamente. Beba o resto da aguardente e vá para casa. Quando a
essas graves transgressões; noite chegar, a aparição não conseguirá se erguer, já que os pregos
de ferro e o estrangulador de figueira-brava a manterão presa à
Aparicões
estou falando de assassinos,
traidores e fratricidas. terra, junto com as sementes de papoula que a impedirão de se Diurnas e
Os fantasmas de homens
lamentar e perturbar teu sono. Finalmente, entediada, ela irá Aparições
loucos ou pessoas que foram
começar a contar as sementes em sua cabeça, passando seu tempo
até a chegada da manhã. E assim será cada noite depois disso.”
Noturnas
excessivamente cruéis du-
rante suas vidas muitas ve- — Autor desconhecido, “O Manuscrito das Remediações para Nesse caso, deixando de
zes retornam imediatamente Bestas e Monstros de Todos os Tipos” lado alguns pequenos de-
como espectros furiosos e talhes, a lenda popular é
Uma das teorias mais
violentos. Para muitos, no inesperadamente próxima
interessantes sobre as entanto, o processo de trans- da realidade. Essas criatu-
aparições alega que,
para algumas delas, sua
formação em uma aparição normalmente leva algum tempo. ras são uma espécie de aparição, fantasmas de mulheres
aparência grotesca é um Os fantasmas dos assassinados ou assassinos começam pro- e garotas que de fato tiveram mortes violentas pouco
reflexo da loucura que
deforma tanto seu eu
curando o auxílio dos vivos, seja para vingá-los ou consertar antes ou depois de seus casamentos. Uma mulher que,
interior quanto exterior. seus erros. Com o tempo, as emoções que os acorrentam a este estimulada pelo ciúme, matou seu noivo ou alguma ou-
Presos por dezenas ou
até centenas de anos no
mundo se desvanecem, e os espíritos dos mortos desapare- tra paixão envolvida também se transformará em uma
mundo dos vivos, esses cem por completo. Porém, aqueles cujas mortes despertaram aparição. Seus nomes, como você deve ter imaginado,
espectros perdem toda a
memória de seu passado
emoções suficientemente poderosas esforçam-se para evitar refletem a hora do dia em que estão em atividade. E elas
e suas formas físicas, esse destino a todo custo. Como eles não encontram descanso exclusivamente assombram áreas rurais, principalmente
transformando-se em
sombras deformadas do
e não suportam a ideia de se entregarem ao esquecimento, prados e campos de fazendas, geralmente próximo ao
que já foram um dia. começam a extrair força do seu ódio crescente, tornando-se local de suas mortes.

O Mundo de The Witcher


121
“Essa besta terrível, a cocatriz, é um terror grotesco que se
assemelha a um réptil alado e a um galo. Isso ocorre, pois ela
nasce de um ovo aquecido por uma centena de cobras, botado
Aparições diurnas sur- por um galo depravado que, assim como as galinhas, deu suas Grifos
nádegas para outros machos. Quando a cocatriz nasce, ela
gem em radiantes dias
devora todas as serpentes, empanturrando-se tanto com seu
quentes, quando o sol alcan- O grifo assemelha-se a
veneno que o mero olhar de seus terríveis olhos é o suficiente
ça seu apogeu. Elas tomam um cruzamento entre um
para matar. Curiosamente, apenas bruxos resistem a ela.
as formas de garotas ou bru- Alguns dizem que seus amuletos e poções mágicas os protegem,
enorme gato e uma ave de
xas cuja pele foi curtida pelo já outros afirmam que os bruxos são tão cheios de ódio e tão rapina. Ele habita principal-
sol, vestindo mantos brancos acostumados aos olhares hostis dos homens, que o olhar da mente as regiões selvagens
e, algumas vezes, grinaldas cocatriz não lhes fará mal algum.” e montanhosas, construin-
de casamento. Elas avan- do seus ninhos nos picos
çam sobre os camponeses — Pe. Adalberto de Tretogor, “A Praga neste Mundo, Uma mais inacessíveis. Suas
em suas lavouras ou crianças Descrição de Monstros Vis e Não Naturais” vítimas são geralmente
brincando nas proximida- grandes mamíferos com
des. Aparições noturnas, por cascos, como cavalos e va-
sua vez, ficam ativas apenas cas, mas, por ser altamente
durante a noite, particularmente quando a lua está cheia. territorial, um grifo irá defender fervorosamente a área
Elas geralmente emboscam viajantes tardios, mas casos de que circunda seu ninho. Com a expansão da colonização
aparições entrando furtivamente em casas e atacando víti- humana e das rotas de comércio, os grifos vêm tornando-
mas adormecidas não são desconhecidos. Ambas aparições, se cada vez mais uma ameaça para os humanos, atacando
noturnas e diurnas, podem drenar a vida de suas vítimas viajantes e caravanas mercantes, bem como colonos e,
rodopiando ao redor delas, algo parecido com uma paródia particularmente, pastores e seus rebanhos.
da dança de casamento da qual elas foram condenadas a Já um arquigrifo, por outro lado, é uma rara subespécie
nunca poder desfrutar. de grifo, podendo ser distinguido por sua extrema agres-
sividade e por uma mutação única que lhe permite lançar
bolas de ácido altamente prejudiciais que causam severas

HÍBRIDOS
queimaduras.

Esse foi o nome popular, porém não profissional, dado a uma


grande variedade de monstros que possuem características Harpias
de duas ou mais criaturas. Alguns acreditam que eles apa-
receram durante a Conjunção das Esferas, outros acham Harpias são uma combinação dos traços passeriformes e
que eles são nativos deste mundo e já existiam bem antes do humanoides, sendo seus corpos como os de mulheres velhas,
cataclismo. Como as fontes mais antigas são escassas, para porém dotados de asas aviárias, garras e bicos. Elas são criatu-
dizer o mínimo, essas teorias são difíceis de ser verificadas. ras sociais e constroem suas colônias em penhascos rochosos

O tamanho e a força de
um grifo por si sós já
o tornam um predador
perigoso. Seu bico afiado
rasga a carne com
facilidade, mas até um
bater de suas asas é o
bastante para derrubar
um cavalo ou quebrar os
ossos de presas menores.

As Criaturas dos Reinos do Norte


124
“Nenhum feitiço ou maldição é lançado sozinho — assim, os
contos sobre maldições enviadas pelos deuses se fazem um
engano óbvio. Uma verdadeira maldição requer um humano
para formulá-la e executá-la. A habilidade de comandar o Poder
e outras áreas de dif ícil cautelosas com seu bico e sua
é, logicamente, bastante útil, mas há muitos casos documentados
acesso. Sendo onívoras, as longa, e afiada, cauda, utiliza-
sobre maldições sendo lançadas por pessoas sem nenhum
harpias rapidamente ajus- treinamento mágico, formal ou informal. da pela besta com eficiência
tam sua alimentação para a O lugar e tempo são importantes, mas o elemento principal mortal. Até mesmo os espé-
disponibilidade local de flo- necessário para que uma maldição se manifeste é um desejo cimes mais jovens podem
ra e fauna. Elas também se suficientemente concentrado. Sem isso, efeito nenhum tomará ser mortalmente perigosos,
submetem a comer carniça, forma. Uma poderosa bagagem emocional, acompanhada das já que eles preferem armar
mas preferem presas vivas. palavras apropriadas, pode causar um tipo de fenômeno mágico, emboscadas pelas costas,
Harpias irão tipicamente similar de alguma forma ao processo que os sacerdotes chamam mirando na base do pescoço
atacar criaturas menores do de oração. Como resultado, a pessoa impelindo a maldição é ou no rim esquerdo, perto da
capaz de, subconscientemente, concentrar o Poder e descarregá-
que elas, subitamente inves- aorta. Uma cocatriz adulta
lo no objeto de seu ódio. O efeito final é geralmente atrasado, e
tindo de cima e matando-as não teme o confronto direto
nunca reflete literalmente a maldição proferida.”
com suas garras e asas. En- e irá atacar com sua cauda
tretanto, quando estão em — “Uma Visão Geral dos Fenômenos Mágicos” (dissertação e asas, tentando exaurir seu
bando, são conhecidas por colaborativa) adversário antes do golpe fi-
abordar presas maiores e nal — um ataque direto na
até humanos armados. garganta ou olhos da vítima.

Cocatrizes OS AMALDIÇOADOS
Também conhecida como esgárnia, a cocatriz é um membro Como se confirmou em meus muitos anos de prática nestes
da rara ordem dos ornitossauros — sendo, assim, uma criatura assuntos, a teoria de que maldições precisam de conjuradores
com traços tanto de aves quanto de répteis. As superstições humanos está inteiramente correta. No entanto, não é sempre
idiotas sobre a cocatriz sustentam que, tal como um basilisco, possível identificar a pessoa que conjurou a maldição, e, pre-
ela pode causar a morte ou petrificação apenas com seu olhar. cisamente, estas situações, algumas vezes, dão vida a criaturas
Falando por experiência própria, isso é uma completa asneira. que afligem uma região por anos ou até gerações, pagando o
O olhar de uma cocatriz é tão perigoso quanto o ataque de um preço por seus próprios crimes ou pelos de seus antepassados.
peru enraivecido. Na verdade, as pessoas deveriam ser mais Tais seres incluem tanto monstros criados como resultado
direto de uma maldição, como as estriges ou fetulhos, quanto
humanos que foram amaldiçoados ao entrar em contato com
a vítima inicial, como acontece ocasionalmente em casos de
licantropismo adquirido.
Nós, bruxos, somos, às vezes, contratados para tentar
quebrar o feitiço de tais criaturas, removendo a maldição
original. No entanto, se o monstro matou pessoas, e isso
despertou o desejo de vingança em nosso empregador, nós
podemos esperar que este exija que simplesmente matemos a
Licantropia é uma
criatura sem delongas. Cada caso deve, portanto, ser abordado
maldição comum e,
na maioria das vezes, individualmente, já que, algumas vezes, retirar a maldição
passada de geração
é mais simples e menos arriscado do que tentar combater
em geração. Aqueles
acometidos por ela diretamente a fera.
perdem seus impulsos
humanos durante
suas transformações
e, ao longo do tempo,
mergulham cada
vez mais fundo no Lobisomens
abismo da loucura.

O lobisomem é um tipo de teriantropo — isto é, um homem


capaz de assumir a forma de um animal. Embora comumente
se pense que licantropia seja o resultado de uma maldição,
o fato é muito mais complicado e nunca foi bem explicado.
Alguns casos de licantropia realmente vêm de uma mal-
dição, que resulta numa agonizante transformação do indi-
víduo amaldiçoado em um lobo ou um híbrido meio-lobo/

O Mundo de The Witcher


Amaldiçoada a se transformar em uma estrige, a filha do Rei Foltest de Teméria matou mais de uma
centena de pessoas no decorrer de seis anos, até que o bruxo Geralt de Rívia finalmente livrou-a deste mal.
126
“Recém-nascidos com dois corações e duas almas — recém-
nascidos que possuem dentes — transformam-se em estriges. Estas
devem ser afugentadas ou abatidas. Se abatidas, elas precisam
ser enterradas com urgência e então imobilizadas, caso contrário
meio-humano, geralmente dentro de um curto alcance,
se erguerão dos mortos. Isso é feito pregando as palmas e pés do
durante a lua cheia. Alguns monstro na terra com estacas afiadas, e penetrando-as em ambos tentando morder seus inimi-
são conscientes de sua con- os corações. Se isso não for feito, a estrige se levantará durante a gos ou rasgá-los com suas
dição e mantêm o controle noite e irá atacar tanto os homens quanto o gado, sugando seu garras afiadas como navalha.
sobre seus instintos mesmo sangue e devorando suas entranhas.” Providenciar um enter-
quando transformados — ro adequado para o fetulho
tais indivíduos geralmente — Sabedoria popular retira a maldição, transfor-
tentam evitar outros huma- mando a criatura em um
nos e simplesmente espe- protego — um espírito de
ram pelo término da noite. proteção do lar.
A maioria das pessoas, no entanto, ou aceita avidamente seus
desejos sangrentos ou permanece ignorante de sua transfor-
mação, acordando com sangue em suas mãos e o gosto dele
em suas bocas. Estriges
Por outro lado, os múltiplos casos de crianças nascendo
com esse mal têm levado alguns a teorizar que a licantropia A estrige é o resultado de uma maldição lançada sobre
seja uma doença hereditária. Essa tese postula que lobisomens uma mulher grávida. Dessa maneira, a criança da mulher
Mesmo pequenos e
são uma espécie mágica à parte, e que aqueles casos considera- amaldiçoada nunca sobrevive; em vez disso, torna-se um
deformados, fetulhos dos como sendo o resultado de uma maldição são simplesmen- monstro, erguendo-se da cova anos depois para perambular
podem significar mau
agouro para a grávida.
te o resultado de um adormecido gene mutacionado, sendo na vizinhança de seu local de enterro. Apesar de pequena,
As vítimas primeiramente inadvertidamente ativado por um feitiço maligno. Essa teoria atarracada e curvada, a estrige é sobrenaturalmente rápida,
pensam que estão
sofrendo de uma simples
da licantropia hereditária é mais ou menos suportada pelo fato ágil e forte, e, assim sendo, extremamente perigosa até para
fadiga ou infecção; de as pessoas que nascem lobisomens terem a capacidade de os guerreiros experientes. Normalmente, ela caça durante
quando a criatura
ataca diretamente,
controlar totalmente sua transformação. Remover a maldi- a noite, apesar de certos espécimes terem sido observados
já é tarde demais. ção é praticamente impossível nesses casos, e toda tentativa atacando durante o dia, e é visivelmente mais agressiva no
requer a boa vontade e cooperação do lobisomem. Existem período de lua cheia. Quanto a sua alimentação, estriges
também casos confirmados de teriantropos formando pares sobrevivem da carne e sangue dos humanos e animais que
e dando à luz descendentes que também são capazes matam, preferindo órgãos internos, especialmente o f ígado
de transformações controladas. e o coração, os quais são uma importante fonte de sustento
para seus períodos de letargia, entre os ciclos de atividade.
É possível quebrar a maldição de uma estrige, mas isso
é muito perigoso. Geralmente, é necessário que alguém
Fetulhos passe uma ou mais noites no local de enterro do monstro,
esperando até o amanhecer em cada noite. O terceiro canto
Essas bestas são criadas quando uma de um galo deve retornar a besta à sua forma humana, isso
criança, geralmente não desejada, morre se acontecer com o monstro fora de seu caixão ou sarcófa-
e é enterrada de forma não apropriada. go. É claro que a fera pode decidir voltar para casa ainda
O monstro tem um pé e meio de altura antes do amanhecer… Bem, nesses casos, vamos esperar
e assombra quartos à noite, predando que você tenha prestado bastante atenção nas aulas de
mulheres grávidas. Escondido embai- esgrima do Mestre Vesemir.
xo da cama, o fetulho irá absorver a
vitalidade da mãe e de seu filho em

DRACONÍDEOS
gestação, causando febre e fraqueza.
Assim que a vítima estiver debilitada e
impossibilitada de se defender, a besta
atacará diretamente, agarrando-se nela Os draconídeos são uma classe bastante numerosa — até
e bebendo seu sangue, o que acarretará os dragões propriamente ditos formam uma meia dúzia
na morte da mãe e seu bebê. O fetulho de espécies, no mínimo. Tanto eles quanto os draconídeos
raramente é agressivo com outras pes- menores têm habitado essas terras desde tempos imemoriais,
soas, apesar de poder se transformar formando um importante ramo de nosso ecossistema. Com
quando ameaçado, assumindo a for- o crescimento de cidades e vilarejos humanos e a expansão
ma de um humanoide deformado que de áreas de pasto e cultivo, os choques entre territórios ha-
engatinha sobre os quatro membros. bitados por draconídeos e aqueles ocupados por humanos
Essa forma é muito mais perigosa, já tornaram-se bastante frequentes. Esses predadores aprende-
que o fetulho pode, de repente, saltar ram rapidamente que manadas de gado e de suínos são uma

O Mundo de The Witcher


127

“Dragões são os mais cruéis dentre os répteis, e também


os maiores cobiçadores de ouro. Devido ao seu apetite
por virgens, eles são inimigos mortais dos unicórnios,
os quais têm o hábito de defender donzelas virtuosas.
Quando um dragão se encontrar com algum monochifre,
eles sempre lutarão até a morte, e nenhum deles
descansará até que o outro dê seu último suspiro.”

— Sabedoria popular
130
“Para dragões, tordos e outros de seus parentes que
atormentam o gado, há somente um remédio. Pegue uma
ovelha de dois anos e a abata, arranque as tripas de sua
barriga, mas não a esfole. Pegue doze punhados de folhas
fonte prontamente acessível res, possuindo não apenas
de pequena-cicuta e heléboro, cinco medidas de bagas de
de comida, o que, por sua maior força, como também
beladona e compre três quartilhos de enxofre. Coloque tudo
vez, conduziu a tentativas maior destreza e inteligên-
isso dentro da ovelha, selando o corpo com alcatrão de
de exterminá-los por quais- sapateiro e um bom barbante. cia. Embora as razões para
quer meios disponíveis. Ao amanhecer, pegue a ovelha recheada e a leve para o este comportamento per-
prado, onde você deixa o resto de seu rebanho pastando. Use maneçam desconhecidas,
estacas para sustentá-la e a deixe lá. Quando o réptil faminto dragões universalmente
estiver sobrevoando o local, em sua estupidez, irá devorar a amam acumular ouro,
Draconídeos ovelha inteira, sem nem prestar atenção nas vivas. Então, não pedras preciosas e outros
Menores te restará muito a esperar até que as terríveis dores atordoem tesouros — um traço pre-
a besta. O monstro irá rugir terrivelmente e soltará fogo desde sente em incontáveis len-
Os membros mais po- a goela até seu rabo, se contorcendo e debatendo que nem um das. Contudo, apesar do
pulosos dessa ordem são camponês bêbado depois da colheita. Espere doze horas para que os contos sobre nobres
que a fera finalmente pare quieta, e então apanhe forcados,
os assim chamados dra- matadores de dragões res-
flagelos e estacas e parta para cima dela.
conídeos menores, o que gatando donzelas inocentes
Também não se pode deixar que os miúdos da ovelha
inclui os osluzgos, tordos fazem você acreditar, os or-
sejam desperdiçados. Limpe seu bucho e o encha com coração
e wyverns. Um leigo con- ganizadores de expedições
picado, f ígado e pulmões, misturando tudo com cebolas,
fundirá facilmente qual- farinha de aveia e ervas do campo. Adicione banha, feche para caçar dragões são in-
quer uma dessas espécies bem apertado, coloque em uma panela com água fervente e variavelmente motivados
com um dragão, já que eles cozinhe por três horas; então, sirva.” não pelo desejo de pôr um
compartilham de uma pele fim à ameaça local, ou até
escamosa ou carapaça fei- — Autor desconhecido, “O Manuscrito das Remediações para conquistar fama, mas sim
ta de placas ósseas, asas Bestas e Monstros de Todos os Tipos” por mera cobiça e ganância.
de morcego e mandíbulas, Do mesmo modo, os
patas e caudas reptilianas. contos que retratam os dra-
A principal diferença entre gões como terríveis inimi-
O dom da aracna
eles e seus primos está simplesmente no seu tamanho. É gos da raça humana, que são usados para justificar metade
para o mimetismo e também digno de nota que draconídeos menores possuem de todas as caçadas, são apenas fábulas. Se os dragões não
sua capacidade para
extraordinários feitos
patas dianteiras atrofiadas, enquanto os wyverns e os tordos tivessem reservas de tesouros, ninguém daria a mínima,
de camuflagem são o mencionados acima não possuem nenhuma, sendo suas asas exceto, talvez, os aldeões cujas ovelhas foram devoradas.
que fazem dela uma
predadora perigosa.
uma extensão de seus ossos braçais. A maioria das espécies Vale citar que quase toda caça aos dragões é fiscalizada de
Suas vítimas só compensa isso com seu pescoço longo e delgado, o qual lhe perto por alguém ligado à Guilda dos Joalheiros. Não por
percebem sua presença
quando ela já está na
permite mover a cabeça de forma mais ágil e graciosa do acaso, apesar do tamanho fantástico de algumas reservas
iminência de atacar. que conseguem os dragões. Com esses pescoços flexíveis, de tesouros, nenhuma caçada levou a uma enxurrada de
eles podem atacar como uma cobra, em um bote pedras preciosas no mercado, o que corresponderia a uma
repentino para capturar suas presas. Algumas nada conveniente queda nos preços.
espécies, especialmente os tordos e wy-
verns, também utilizam suas caudas

INSECTOIDES
em combate. Essas geralmente são
providas de um ou mais ossos em
forma de ferrão.
Esse grupo contém uma ampla variedade de enormes insetos,
geralmente carnívoros e extremamente perigosos. A maioria
dessas criaturas é produto da evolução — predadores nativos
Dragões ao nosso meio ambiente e elementos importantes de nosso
ecossistema. Mas alguns espécimes são efeitos colaterais
Dragões são uma família de experimentos mágicos impulsivamente realizados por
separada dos draconídeos, feiticeiros alguns séculos atrás. Pois alguns feiticeiros, apesar
caracterizados pelo seu de sua extensiva educação, podem ser surpreendentemente
grande tamanho, pares míopes, aparentemente incapazes de imaginar que uma
de patas, traseiras e dian- centopeia ou aranha ampliada aqui e ali com alguns feitiços,
teiras bem desenvolvidas e em certo momento, poderia decidir arrancar a cabeça de
enormes asas e cauda. Eles seu criador e fugir para a vida selvagem, transformando-se
também são muito mais avan- em uma criatura caçadora de homens e animais, em vez de
çados que seus primos meno- simples grilos e moscas.

O Mundo de The Witcher


131

Aracnas
Outrora nativa do extremo sul, essa espécie invasora pre-
cisou de algumas poucas décadas para migrar para o Nor-
te, adaptando-se ao nosso clima e temperatura. Ela vive
solitariamente, preferindo florestas úmidas e pântanos.
No inverno nortenho, como um produto de climas mais
quentes, ela sobrevive hibernando, enterrando-se no chão
lamacento das florestas.
Similarmente a muitos insectoides, o tronco e apêndices
da aracna são cobertos por uma carapaça quitinosa. O
abdômen da criatura é vulnerável, mas ela costuma usar menos numerosa, porém mais especializada. Seu dever é Ferengal, o druida
renegado, criou um
conchas grandes ou troncos ocos de árvores como um tipo defender os ninhos e caçar alimento. Criaturas assim são koschey para auxiliar
de armadura improvisada para cobri-la. Essa besta prefere altamente territoriais e atacarão qualquer ser que chegar seu bando de ladrões.
Com a criatura ao seu
emboscar sua presa, puxando-a para si através de um longo muito perto de seus ninhos. Uma colônia de endriúgas em comando, ele interceptou
filamento lançado de sua bocarra. Algumas subespécies rápido crescimento pode, portanto, causar um dano terrí- caravanas mercantes
que atravessavam o
também têm capacidade de mimetismo, o que lhes permite vel à fauna e flora local, e tornar-se uma ameaça real aos Desfiladeiro de Klamat,
surpreender suas vítimas com maior facilidade. assentamentos humanos próximos. paralisando todo o
tráfego dessa importante
rota comercial.

Endriúgas Koschey
Esses insectoides da ordem dos aracnomorfos habitam Esse monstro felizmente não ocorre naturalmente, é gerado
principalmente áreas florestais. Assim como muitas espécies exclusivamente do resultado de experimentos mágicos.
comuns de insetos, as endriúgas vivem em colônias, com Ele assume a forma de um grande aracnídeo, com vários
seus membros divididos em diferentes classes com funções metros de comprimento e coberto por uma dura carapaça,
específicas. Endriúgas operárias constroem casulos e tomam além de estar armado com um par de poderosas pinças
conta de larvas e ovos. As guerreiras compõem outra classe, com espinhos afiados. O processo exato para a sua criação

A abundância de variedades
de insectoides nunca deixa de
surpreender os pesquisadores,
além de servir como evidência
para as notáveis capacidades
de adaptação destas criaturas
altamente perigosas.

As Criaturas dos Reinos do Norte


132
“Diversas subespécies de dragões podem ser
identificadas. Estas são comumente divididas entre
dragões rochosos, dragões verdes, dragões vermelhos,
dragões negros, dragões brancos e dragões dourados.
Tal classificação simplificada foi criada com base na
coloração desses seres, e, no caso dos dragões rochosos,
CRIATURAS
nas áreas que geralmente habitam.
Dragões rochosos formam a menor das subespécies,
MÁGICAS E
e, nos dias atuais, têm sido caçados até sua
quase extinção. Sua pele tem coloração marrom- CONSTRUTOS
acinzentada, e eles realmente costumavam viver em
áreas rochosas, no passado, apesar de podermos dizer A lista de monstros que nosso abrangente bestiário deve
o mesmo das outras estirpes de dragões. aos feiticeiros não é apenas limitada aos mutantes e bestas
Dragões verdes são a subespécie mais difundida, gerados magicamente. Magos também têm o infeliz hábito
embora, na verdade, eles sejam mais cinza do que de criar seus próprios servos mágicos ou convocar seres de
verdes, bem como os osluzgos. Dragões vermelhos outras dimensões. Não podemos omitir essas criaturas de
possuem escamas que variam de um castanho- nossas considerações, já que acidentes ocorrem de tempos
avermelhado escuro para um vermelho-tijolo. em tempos, permitindo que elas escapem de seus vínculos
Quanto aos dragões negros, que são a maior raça,
mágicos e tenham um acesso de fúria. Tais eventos geral-
de fato apresentam um marrom bem escuro. Os raros
mente têm consequências terríveis para a região inteira, mas
dragões brancos não são encontrados em nosso clima,
podem representar uma oportunidade de trabalho para um
pois habitam o extremo norte. Eles são conhecidos
apenas pelos contos de alguns bravos exploradores,
bruxo bem preparado.
que descrevem suas escamas como de um cinza-claro
chegando até a um azul-claro.
Irrefutavelmente, a subespécie mais rara é o dragão
dourado, draconis aurum nobilis — uma criatura Golens
semimística que supostamente possui habilidades
mágicas e um intelecto aguçado. É dito que eles podem Golens são construtos criados por feiticeiros para realizar
comunicar-se com outras raças usando telepatia, e que determinadas tarefas, desde carregar grandes cargas até
conseguem mudar de forma, até mesmo assumindo lidar com visitantes indesejados. Eles são montados a
a feição humana. Embora os dragões dourados sejam partir de vários materiais, pedra sendo o mais comum,
considerados lendas, avistamentos foram relatados apesar de argila e madeira também serem usados. Esses
por testemunhas muito confiáveis, tornando impossível
seres não possuem vontade própria e não pensam — ape-
negar completamente sua existência. Um caso assim
nas podem seguir as instruções simples de seus mestres.
ocorreu próximo a Holopole, alguns anos atrás.
Um golem é geralmente animado por uma pedra mágica
A região estava fervilhada de caçadores de dragões
com o rumor de que uma dessas bestas estaria
conhecida como coração de golem, que é, obviamente,
assombrando a área. Esses rumores se tornaram colocada em seu peito.
verdadeiros, quando um poderoso dragão dourado, Golens utilizados como guardiões provavelmente irão
chamado Villentretenmerth, confrontou a comitiva do continuar suas tarefas até mesmo depois da morte de seu
Rei Niedamir de Caingorn junto de seus caçadores de criador. Em batalha, eles compensam sua falta de criatividade
dragões, forçando-os a baterem em retirada. Eventos com uma resiliência natural e grande força f ísica. Dada sua
assim foram confirmados por múltiplas testemunhas, lealdade inquestionável, falta de laços familiares e, portanto,
incluindo duas feiticeiras e um bruxo.” o não requerimento de férias ou entretenimento, e ainda
o fato de não nutrirem desejo por remuneração nem por
— Fragmento de uma palestra da Faculdade de
encher a cara, você pode realmente dizer que eles são os
História Natural na Academia de Oxenfurt
servos ideais, e certamente irá entender o porquê de um
feiticeiro preferir um golem em vez de um criado bêbado
ou um palerma preguiçoso.

permanece um segredo muito bem guardado, mas ele envolve


principalmente o estímulo mágico do crescimento de um
escorpião-vinagre normal, até ele atingir um enorme tama- Gênios
nho. Como a besta mantém a relação força-tamanho típica
de aracnídeos normais, ela transforma-se em uma genuína Esse nome é bastante usado para descrever poderosas, mas
máquina de matar, facilmente capaz de retalhar um cavalo decerto menores criaturas elementais convocadas por fei-
e seu cavaleiro em pedaços. Até hoje, apenas dois casos de ticeiros de um dos quatro planos elementais — terra, fogo,
criação de um koschey foram registrados, e devemos sua água e ar. O termo, na verdade, é empregado de forma er-
existência aos honrados pais da tradição mágica, Cosimo rônea, já que um gênio verdadeiro é um ser de poder ini-
Malaspina e seu aprendiz, Alzur. maginável, um que não pode ser ferido com aço ou prata.

O Mundo de The Witcher


Golens de pedra têm tudo o que precisam para se tornarem grandes
armas de destruição. Desventurado o mago que permitir que tal
criado escape de seu controle ou, pior, vire-se contra seu mestre.
134
135
“Naquele dia, um destino terrível acometeu a cidade
redaniana de Rinde, quando a gananciosa e traiçoeira
feiticeira Jennifer tentou capturar um gênio em uma rede
mágica. Pois a maga acreditou que se conseguisse controlar
Enfrentar tal ser requer pelas redondezas, desapa-
o gênio, ela teria um servo poderoso, um que poderia atiçar
magia poderosa, e mesmo recendo no solo e ressur-
para cima do burgomestre, do alto sacerdote e do conselho
tal magia pode falhar, le- gindo instantaneamente
da cidade aqueles que a tinham repreendido imensa e
vando a resultados tão es- justamente por seu estilo de vida promíscuo e seus feitos
em outro lugar.
petaculares quanto trágicos imundos. Esses monstros comu-
para o feiticeiro e toda a Contudo, a bruxa não teve o que desejava, já que seus nicam-se através de uma
área ao redor. Felizmente, esforços não duraram muito tempo, e ela não conseguiu série de guinchos, grunhi-
apenas os mestres mais po- conter o gênio usando seus feitiços. Já a criatura, ao dos e gemidos. Esta am-
derosos do conhecimento tentar fugir, destruiu não menos do que uma dúzia de pla variedade de sons fez
mágico podem convocar tal propriedades, incluindo uma estalagem, uma loja de vinhos um grupo de acadêmicos
criatura, e portanto esses e uma cirurgio-barbearia, o que levou as pessoas a ficarem teorizar que esses não são
seres são extremamente rabugentas, sóbrias e barbudas pelos dias que se seguiram. meros sinais verbais, mas,
raros. É impossível dizer como toda a coisa teria acabado, se não na verdade, um tipo de lin-
Ao contrário de verda- fosse pelo bruxo Gerhard, que usou um exorcismo secreto guagem primitiva.
deiros gênios, os servos para afugentar o monstruoso gênio até os confins do mundo.” Um nekker típico é tão
mágicos inferiores dos pla- alto quanto uma criança de
nos elementais podem ser — Um conto popular vários invernos, apesar de
derrotados, mas isso não alguns espécimes possuí-
significa que eles sejam rem meio braço a mais de Magos hábeis
nada menos do que mor- altura. Essas criaturas ca- constroem golens de
argila e madeira com
talmente perigosos. Sua conexão direta a um elemento çam em bandos, com vários membros em cada. Elas embos- relativa facilidade.
permite-lhes acesso a um poder suficiente para esmagar cam suas presas pelos seus túneis subterrâneos, tentando Eles os animam com o
uso de selos mágicos
praticamente qualquer um que seu mestre deseje, o que cortar as rotas de fuga da vítima. Logo, uma multidão de e fórmulas esculpidas
significa que aqueles que ousam enfrentar tais seres precisam nekkers irá se arremeter sobre homem ou animal encur- diretamente em seus
corpos ou escritas em
ser soberanamente hábeis ou soberanamente tolos. ralado, mordendo-o e rasgando-o com suas garras afiadas. faixas amarradas ao
Seus ataques são geralmente desorganizados, já que nekkers redor deles.

não são extraordinariamente corajosos,

OGROIDES
e espécimes individuais irão
frequentemente hesitar
por um momento
Supostamente, os acadêmicos que criaram essa classifi- antes de supe-
cação seguiram algum tipo de regra taxonômica, mas sua rar seu medo e
seleção de espécies nunca deixa de me impressionar. Mas atacar. No en-
não somente as subespécies de ogros e trolls são conta- tanto, esse
das entre os ogroides, o que chega a ser lógico de alguma
forma, como também os gigantes e os nekkers — os quais
são tão diferentes um do outro como uma estrige é de um
liche. Apesar disso, estes homens instruídos, após muita
discussão e de provavelmente concordar sabiamente com
a cabeça, chegaram à conclusão de que o número de traços
comuns na estrutura óssea, hábitos e diabos sabe lá o que
mais, são suficientes o bastante para atribuir todas essas
espécies a um único grupo comum.

Nekkers
Nekkers são pequenas e deformadas criaturas que habitam
áreas remotas. Eles constroem suas moradas em florestas
escuras, ravinas úmidas e vales sombrios, onde vivem em
colônias compostas por uma ou várias dúzias de indivíduos.
Seus lares assumem o formato de galerias subterrâneas,
interconectadas por estreitos túneis. Os nekkers usam esses
caminhos para viajar rapidamente dentro de sua colônia e

As Criaturas dos Reinos do Norte


136
“Se você pensar um tiquinho, vai ver que é fácil ver que os trolls
não são monstros de verdade. Pois é, eles não são nada bonitos,
mas a esposa do tanoeiro Sulibor também não é, e ninguém
chamou um bruxo pra pegar ela, né?
padrão pode ser alterado conceito de troca de bens e
Eles também são espertos. Não tão espertos quanto o nosso
com a presença de espéci- serviços. Esses espécimes
estalajadeiro, já que ele é um homem estudado que aprendeu
mes maiores, que são fáceis na escola do templo e consegue contar sem nem usar os dedos;
mais sagazes fazem negó-
de identificar pelo seu há- até vai pras feiras na cidade. Rapaz, ele viu mesmo o resto do cios com vilas próximas,
bito de esfregar argila ver- mundo. Mas um troll é bem mais esperto que o Dreslav, o menino geralmente construindo e
melha em seus focinhos. do pastor — cê sabe, aquele que tomou um coice de cavalo na mantendo pontes locais,
Esses indivíduos maiores fuça quando era pequeno, e agora tem a cabeça fraca, vive e até protegendo os cam-
e mais perigosos, comu- conversando com os porcos e falando sozinho. poneses de predadores e
mente conhecidos como Os trolls também pegam no pesado, mais do que muito bandidos.
“nekkers guerreiros”, espe- humano por aí. Aqueles da montanha, ali depois da vila, Isso não significa, no
cializam-se em luta e caça. fizeram uma ponte em cinco dias — quantos carpinteiros entanto, que essas criatu-
conseguem fazer isso?! Verdade seja dita, eles iam reclamar
Eles são frequentemente ras sejam completamente
até receber o pagamento adiantado, e depois sair para encher
encontrados liderando os inofensivas ou vegetaria-
a cara, esses beberrões miseráveis. Decerto, iam cagar a
grupos de seus irmãos me- nas. Ataques contra hu-
construção toda no final, também! Eu conheço essa laia! Éh,
nores, e sua presença é o agora os trolls querem cobrar pedágio de quem quer passar pela
manos ainda ocorrem,
suficiente para estimular ponte, e se você não paga, eles te quebram a perna, às vezes as particularmente no come-
outros nekkers a lutarem duas, mas isso ainda é mais barato e mais seguro que ir pela ço da primavera, quando
mais ferozmente. Velha Clareira ou pelo Atoleiro dos Sapos. E você também pode as reservas de inverno dos
fazer um negócio com o troll, barganhar o preço, já que os trolls trolls famintos começam
falam a língua comum e você pode entender eles, diferente dos a acabar. Alguns deles,
cobradores de impostos do reino. Um deles costumava vir aqui e especialmente as subes-
Trolls pegar da gente tudo o que a gente tinha: era imposto por cabeça, pécies mais selvagens das
imposto por chaminé, imposto pelo arado, imposto pelo rabo e montanhas, não notam
Trolls são enormes e deuses sabem lá o que mais. E ele nem queria saber se o inverno uma diferença real entre
tinha sido dif ícil e a colheita pobre, ele tinha que atingir uma
fortes, mas não particu- um humano e uma vaca.
tal de ‘cota dos teu-brutos’, e se alguém perguntasse por que a
larmente perspicazes. Esses trolls ainda atacam
gente tinha que pagar tanto, ele começava a tagarelar sobre
S u r p r e e n d e nt e m e nt e viajantes e atormentam
serviços de encargo, obrigações, prerrogativações reais e outras
para criaturas tão gran- merdas assim. Por sorte, quando ele tava indo embora no último
aldeias locais, represen-
des e aparentemente de- inverno, ele usou a Ponte do Troll. E como os trolls tavam com tando um verdadeiro ter-
sastradas, eles são bastante muita fome por causa do frio . . . Bem, ainda não mandaram ror para a região e uma
hábeis na carpintaria e al- um novo, então, a gente tá tendo paz por enquanto . . . ” legítima fonte de trabalho
venaria. As estruturas que para um bruxo.
constroem são espantosa- — Miwocht, ferreiro aldeão
mente resistentes, apesar
de não serem as mais este-
ticamente agradáveis. Os

RELICTOS
trolls erguem suas moradias perto de pontes, edificadas
por eles mesmos ou por outras raças, e vivem da coleta de
pedágios dos viajantes. Geralmente demandam provisões,
animais de pecuária ou cavalos. Se o viajante não tiver Finalmente, existem criaturas que fogem de toda catego-
nada a oferecer, ele terá de achar outra rota — apesar de rização e não cabem em nenhum tipo de taxonomia aca-
que, em tempos dif íceis, poderá acabar virando o prato dêmica. Muitos são bastante raros ou até completamente
principal de um troll faminto. únicos, enquanto outros são muito comuns. A única coisa
Atualmente, é insensato continuar classificando trolls que todos eles têm de semelhante é sua origem em tempos
como monstros. Pois, após anos de coexistência com raças antigos, bem antes da vinda de homens e elfos ou até de
mais inteligentes, eles, no mínimo, adaptaram parcial- anões e gnomos para este mundo. Este é o motivo pelo qual
mente seus costumes, e agora devem ser propriamente acadêmicos classificam essas espécies como “relictos”. Muitas
considerados uma espécie racional, apesar de primitiva. dessas criaturas têm diferentes nomes em diversas partes
Incidentes em que trolls atacam vilas e aldeias são raros do Continente, tornando a criação de uma lista completa
agora, já que abandonaram em massa seu hábito de comer ainda mais dif ícil. Ao longo de dezenas de séculos, algumas
humanos e normalmente limitam-se a roubar gado e ou- dessas espécies foram completamente extintas, contudo
tros animais de tempos em tempos. Eles até começaram outras ainda podem ser encontradas, especialmente em
a utilizar roupas simples, apesar de serem geralmente lugares selvagens e remotos, onde elas foram enraizadas
trapos, sacos velhos e diversos tipos de lixo utilizados nas lendas populares locais de forma tão profunda que são
como enfeite. O mais inteligente dos trolls até entende o tratadas como deidades menores ou demônios.

O Mundo de The Witcher


137

Apesar de inegavelmente inteligentes, os trolls da floresta ainda têm dificuldade no


que diz respeito aos pontos mais sutis de conceitos, tais como “vestimentas”. Em
função disso, eles vestem de tudo, desde peles de animais até galhos de árvores e
trapos, pedaços de armaduras e qualquer outra coisa que acharem ou roubarem.
Liches são metamorfos inteligentes e astutos. Alguns acham que eles preferem
formas humanoides devido aos séculos de influência dos mitos, lendas e religiões
que se consolidaram em torno destes misteriosos seres da floresta.
139
“Há também aquelas bestas que não podem ser dominadas;
e, em vez disso, devem ser apaziguadas através de sacrif ícios.
Se um Senhor do Bosque fica furioso e espanta as suas caças
Liches pra longe, leve um cordeiro ou leitão para a floresta e o
tuindo seu perfil caracterís-
amarre a um carvalho no meio de uma clareira em uma
tico. A cabeça animalesca
noite enluarada. Se o Senhor do Bosque aceitar o presente, ele
Ta m b é m c o n h e c i d o adiará sua ira e a floresta se encherá de presas novamente . . .
dessas criaturas, quase sem
como o Senhor da Flores- . . . Se um demônio ou chorabash está trazendo pragas pescoço, aparenta brotar
ta ou Senhor do Bosque, e dizimando seu rebanho, sua única esperança é preparar direto do meio de seus om-
o liche é um metamorfo uma refeição de pão com mel e carne e deixá-la na orla da bros musculosos. Enquanto
que habita florestas antigas. floresta ou pântano. Você também poderá tocar uma música um demônio irá dispor de
De acordo com algumas tranquilizante com uma lira, para fazer as feras adormecerem longas galhadas não muito
lendas, ele pode assumir e acalmarem sua cólera . . . diferentes das de um cervo,
muitas formas, desde um . . . Ainda que tudo o mais falhe e você não consiga apaziguar um chorabash, por sua vez,
os espíritos da floresta, vá e faça uma algazarra perto de outro
velho corcunda com pele terá um par de chifres cur-
vilarejo, gritando e xingando os espíritos o máximo que puder. Em
da cor de casca e cabelo de vados similares aos de um
seguida, as criaturas irão se voltar para aquela outra comunidade
musgo, folhas e galhos, até carneiro.
e deixarão a sua em paz. A verdade seja dita: talvez seja melhor
uma besta alta com garras, começar com essa estratégia, de modo a não desperdiçar nenhum Algum tempo atrás, os
coroada por um crânio com rebanho e alimento. E se mesmo isso não ajudar, a única coisa acadêmicos tentaram in-
chifres de veado, ou então que pode ser feita é pagar umas moedas para um bruxo, que cluir estas criaturas numa
qualquer outro tipo de pre- certamente irá dar cabo dessas vis criaturas.” das ordens de monstros
dador da floresta, incluin- conhecida e atribuir-lhes
— Autor desconhecido, “O Manuscrito das Remediações para Demônios raramente
do lobos, gatos selvagens, nomes adequados, mas arriscam sair do abrigo
ursos ou até um bando de Bestas e Monstros de Todos os Tipos” nenhuma das tentativas de suas tocas no
coração da floresta, mas,
pássaros. Um liche é muito foi bem-sucedida por mui- devido ao seu tamanho
perigoso em batalha, pois to tempo, e certamente isso e agressividade, cada
vez que eles o fazem
pode invocar a própria flo- nunca caiu na cultura popu- espalham catástrofe
resta e todos os seus habitantes para o ajudar. Este controle lar. Até o presente momento, as criaturas conhecidas nos em toda a região. Um
demônio enfurecido não
sobre tanto os animais quanto as plantas faz com que muitos contos populares como demônios e chorabashes habitam co- vai ceder até que tenha
o considerem o senhor da floresta. vis nas florestas, zonas pantanosas e lodaçais, de onde saem, esgotado toda a sua fúria
e saciado seu enorme
Em algumas regiões do mundo, esta criatura foi objeto algumas vezes, para atacar os humanos, destruir plantações apetite, geralmente com
de adoração de um tipo de culto à natureza, e tal prática e devorar os rebanhos. Por conta disso, acredita-se que eles consequências fatais
para os habitantes das
ainda permanece viva em muitas comunidades isoladas na sejam a causa de várias calamidades, desde perda de safras aldeias e assentamentos
floresta. Ainda hoje, os habitantes de certas vilas sacrificam e tempestades de granizo até pragas e doenças em geral. próximos.

pequenas presas ou pássaros em oferenda a um liche, e o


adoram sob o nome de Kerun ou Kernos. Estas relíquias
culturais deram origem a muitas lendas sobre liches pres-
tativos que conduzem as presas em direção aos caçadores,
ajudam peregrinos perdidos a encontrar o seu caminho na
floresta ou salvam viajantes de bandidos. De certa forma,
este último mito não é totalmente infundado — um liche é
uma criatura altamente territorial e trata a floresta que habita
como o seu domínio pessoal. Ele vai muitas vezes encarar a
aparição de homens armados — quer seja um bandido ou
caçador — como uma provocação ou uma ameaça direta. Em
seguida, irá usar todos os meios disponíveis para expulsar os
intrusos ou eliminá-los. Este territorialismo feroz é a base
para a opinião generalizada de que apenas os caçadores mais
valentes podem atravessar os terrenos de caça de um liche
e permanecerem no mundo dos vivos.

Demônios e Chorabashes
Estas poderosas criaturas são dotadas de torsos largos e sa-
lientes, cobertos por peles e crinas curtas, além de patas
não muito diferentes das das cabras. Elas também utilizam
suas alongadas patas dianteiras para se sustentar, consti-

As Criaturas dos Reinos do Norte


141

CAPÍTULO V

A HISTÓRIA
DE GERALT
DE RÍVIA
G
eralt de Rívia é um indivíduo verdadeiramente
excepcional. É certo que um breve encontro pode instigar
alguém a rotulá-lo como um mero chacoalhador de
espadas, um simples caçador de monstros e um canalha praticante
de um ofício sujo — mas olhe mais de perto e logo você vai
descobrir que ele é um homem de profundidades inalcançáveis,
perspectivas únicas e dotado de uma experiência que abrange toda
a vastidão deste mundo. Por fora, ele é introvertido, inarticulado,
e pode-se até mesmo dizer, rude; mas por dentro encontra-se um
mar transbordante de boa vontade, bom humor e uma sincera
prontidão para ajudar seus amigos, seja com um bom conselho ou
com a aplicação magistral de sua lâmina. Ele é um homem rústico
e de aparência por vezes malcuidada, que, no entanto, goza de um
grande apreço vindo do sexo oposto. Ele é, em poucas palavras,
uma contradição ambulante. E é exatamente por isso que ele faz o
herói perfeito para poemas tanto épicos quanto líricos. Eu prevejo
que, mais cedo ou mais tarde, alguém vá pôr sua história no papel
e fazer dela uma canção que estará nos lábios de cada bardo
do Norte ao longo dos séculos — e eu espero, caro leitor, que este
alguém seja eu.
Geralt e eu temos sido amigos por anos, desde o momento
que nos conhecemos há quase um quarto de século. Ao longo
deste tempo, temos compartilhado a companhia um do outro
com mais frequência do que nunca. Assim, permita-me deixar
de lado qualquer incômoda falsa modéstia — sempre um
fardo particularmente oneroso para alguém como eu — e dizer
que conheço sua história melhor do que qualquer homem
vivo. Desta forma, é meu dever colocar por escrito, mesmo que
apenas sob a forma de um esboço, os eventos mais importantes
de nossa convivência.


— Dandelion
t
142

O COMEÇO
DE UMA BELA
AMIZADE
O destino decidiu que o caminho de Geralt se
cruzaria com o meu pela primeira vez num amá-
vel dia de verão durante uma festa em Gulet,
no Reino de Aedirn. Essa não fora, é claro, a
primeira vez que eu ouvira falar dele — não;
naquele tempo, todo mundo já sabia um pouco
sobre Geralt de Rívia, o Lobo Branco, Matador
de Terríveis Bestas, Removedor das Maldições
Nocivas e Defensor de Diversos Males. Contu-
do, todo mundo também ouvira falar do infame
Geralt, o Carniceiro de Blaviken, que, em ple-
na luz do dia, havia massacrado meia dúzia de
pessoas naquela cidade pacata da Arcomerânia,
aparentemente sem qualquer motivo. Alguns,
porém, tais como eu próprio, sabiam que ambos
os Geralts eram o mesmo indivíduo, e, embora
na época não tenha tido a ousadia de perguntar
mais detalhadamente, eu era tão astuto para jul-
gamentos de caráter quanto sou agora, e, desta
forma, percebi assim que o conheci, que aquele
Geralt não era nenhum assassino de inocentes.

Mal começamos a conversar, percebemos de imediato


que estávamos destinados a ser grandes amigos; assim,
decidimos seguir viagem juntos, como companheiros. Isso,
é claro, nos serviu muito bem. O bruxo estava farto de não
ter ninguém, além de seu cavalo, para caminhar ao seu
lado e então quase pulou de alegria com a ideia de ter
um tagarela talentoso como eu para ajudar a passar as
longas horas na estrada. Quanto a mim, acontece que a
adorável moça a quem eu recentemente havia conce-
dido meus favores possuía três irmãos corpulentos
e facilmente irritáveis — então, como você pode
imaginar, caro leitor, a oportunidade de ter um
habilidoso espadachim como companheiro me
entusiasmou até a alma. Assim, eu e o bruxo saí-
mos em direção à nossa primeira aventura juntos,
como recém-amigos e camaradas.
Essa aventura iria se situar bem nos limi-
tes do mundo conhecido, no encantador
Vale das Flores, ao pé das Montanhas
Azuis. Lá, um grupo de habitantes lo-
cais contratou Geralt para caçar um
demônio que estava atormentando
Geralt de Rívia era o matador de monstros
dos cabelos brancos que protagonizava os
o seu pequeno assentamento. Eu
numerosos contos heroicos e canções entre a não o aborrecerei entrando nos
plebe, muito antes de seus atos terem mudado
o destino dos reinos e influenciado o curso da
detalhes desse contrato, mas
história de todo o mundo. basta dizer que o bruxo
143
“Eu conhecia Geralt há muito tempo, e considerava-o um
amigo. Acontece que ele estava peregrinando em Blaviken
quando eles apareceram. Sete deles, prontos pra lutar, todos
cheios de ameaças frias e armados até os dentes. Deixaram
provou não ser o tipo de uma impressão carregada — até mesmo lembro-me de
relacionamento deles não
exterminador de mons- seus nomes. O companheiro baixo, atarracado e moreno se parecesse pressagiar uma
tros que mata primeiro e chamava Tavik. Outros dois, Nohorn e Quinzena, tinham grande paixão, qualquer
pergunta depois. Pois esse sido mercenários na Companhia Independente de Angren. pessoa familiarizada com
“diabo”, como chamavam Em seguida, vieram os gêmeos Vyr e Nimir diabos de deus- os assuntos do coração e
os locais em seu próprio sabe-onde. O mestiço Civril era um bandido e assassino do sexo frágil teria reco-
e encantador dialeto, aca- que encharcara suas adagas de sangue no massacre de nhecido imediatamente
Tridam, onde ele e seu bando tinham tomado como reféns
bou se mostrando ser uma que algo iria acontecer
um grupo particularmente desafortunado de peregrinos,
criatura pensante; um sil- entre os dois. No início,
esquartejando-os um por um até o barão local atender
vano, na verdade. Geralt suas exigências. E então veio Renfri, mais conhecida como Yennefer tratou Geralt
não o matou; em vez disso, Picança por causa de sua propensão a empalar suas como apenas mais uma
empenhou-se em afastá-lo vítimas. Ela estava vagando pelo mundo por algum tempo, peça útil, flertando com
pacificamente. Entretan- primeiro com um bando de sete gnomos, e depois com o seu ele e concordando em
to, antes de poder concluir próprio bando diversificado de valentões vindos de todos restaurar a minha voz,
sua tarefa, uma facção de os cantos mais repugnantes desta terra. Ela trazia alguns apenas para, em segui-
guerrilheiros élficos nos papéis alegando que eles estavam a serviço da realeza, mas da, lançar um feitiço so-
na verdade eles haviam vindo à nossa cidade por vingança,
cercou — e o primeiro re- bre Geralt que o colocou
para se acertar com esse mago que tinha supostamente feito
flexo de Geralt foi nego- em um transe estranho,
a ela algum mal terrível.
ciar por minha vida, me Geralt, bem, ele sentiu o problema começando durante o qual ele açoitou
salvar, um artista que ele a ferventar e foi ter uma conversa com Renfri. Ela publicamente várias pes-
havia conhecido apenas aparentemente jurou-lhe que, se o mago fosse embora por soas e, em seguida, des-
há algumas semanas, an- conta própria, ela iria oferecer-lhe o ‘Ultimato de Tridam’. maiou e foi levado para as
tes de pensar em salvar a si O bruxo não era tolo e sabia que isso significava que eles masmorras. A feiticeira,
próprio. Tendo se provado estavam planejando repetir o que acontecera em Tridam. no fim das contas, tinha
Eu disse a ele que não tínhamos provas, que eles não
um homem de grande dis- planos de usar nós dois
tinham feito nada de errado até o momento, e que se ele
cernimento e magnanimi- para ajudar a capturar o
os atacasse a lei não iria e não poderia estar do seu lado...
dade, daquele tempo em Ele não deu ouvidos. Ele não esperou. E assim, naquele dia,
gênio, buscando domar
diante Geralt teve minha um dia de pleno comércio, sete pessoas foram abatidas na este ser e vincular o enor-
total confiança e nenhuma praça da cidade — um verdadeiro banho de sangue.” me poder mágico dele à
palavra mal-intencionada sua vontade. O porquê de
sobre ele jamais sairá de — Caldemeyn, Intendente de Blaviken os magos acharem que é
meus lábios. sensato tentar escravizar
criaturas de poder quase
ilimitado e temperamen-
tos igualmente irascíveis, eu nunca vou entender. Mas isso
Geralt e Yennefer é irrelevante, pois prometi a você, caro leitor, um conto
de amor entre Geralt e Yennefer, e por isso um conto de
Geralt e a feiticeira Yennefer, seu grande amor, encontraram-se amor você terá. Como você sabe, muitos são os amores
pela primeira vez durante a nossa aventura seguinte — que que se iniciam com uma briga, e este se encaixa perfei-
começou com uma sequência de eventos tão improváveis, tamente nesse exemplo. Quando as coisas começaram
tão inacreditáveis, que sem dúvida você vai acusar-me de ter a ficar fora de controle e a vida da feiticeira estava em Em seu curso, Geralt
conta com suas espadas
exagerado na licença poética, ou talvez na bebida alcoólica. perigo, o bruxo correu em seu socorro. É claro, antes tanto como ferramentas
Mesmo assim, a verdade nua e crua é que em uma manhã que o perigo passasse, Geralt e Yennefer deram um jeito de seu ofício quanto
como símbolos que
particularmente agradável, o bruxo e eu lançamos nossas de entrar em uma luta severa, na qual o gênio conseguiu proclamam “bruxo”
linhas em um rio na esperança de arranjar um peixe para o destruir um quarto da cidade, mas tudo terminou bem. a todos que as veem.
Portanto, ele raramente
café da manhã, mas em vez disso fisgamos uma ânfora má- Geralt usou um de seus desejos para ganhar o coração se separa delas por
gica, com um gênio aprisionado dentro. Uma vez libertado, da feiticeira e salvar o resto do povoado da vingança do vontade própria.

o ser ingrato não só falhou em nos conceder os três desejos, gênio furioso, colocando um selo permanente no afeto
como também, em um instante, voou na minha garganta! entre os dois e atando seus destinos, para todo o sempre.
O resultado disso foi uma lesão grave que chegou perto de Contudo, enquanto o amor é um assunto, a necessidade
privar permanentemente a mim, e ao mundo, do instrumento de um homem de ser independente é outro totalmente
de meu of ício — minha voz. Geralt foi em busca de ajuda e, diferente. Um ano em seu relacionamento, Geralt previsi-
conseguindo informações sobre uma feiticeira hospedada velmente se mandou, desaparecendo da casa de Yennefer
na cidade vizinha de Rinde, partiu para vê-la sem demora. em Vengerberg e deixando apenas uma carta e um buquê
Foi aí que ele conheceu Yennefer e, embora o início do de violetas em cima da mesa como forma de explicação.

A História de Geralt de Rívia


Cabelos negros como um corvo, orgulhosa, apaixonante, e
algumas vezes até vingativa — para muitos, Yennefer parece
ser completamente o oposto do que é Geralt, e, mesmo assim,
os sentimentos unindo esses dois têm sobrevivido a inúmeras
provações e moldado seus destinos repetidas vezes.
145

Nem preciso dizer que este tipo de despedida enfureceu O Banquete em Cintra
Yennefer de tal maneira que pelos próximos quatro anos
qualquer menção ao homem faria seus dentes rangerem. Ao menos Geralt teve o bom senso de se manter fora do ca-
O bruxo pode ser um veterano grisalho quando se trata minho da enfurecida feiticeira por algum tempo. Foi durante
de combater monstros, mas nas suas relações com as esse período de afastamento que ele viajou para o Reino de
mulheres ele sempre se comportou como um imaturo Cintra, carregando um contrato bruxo que provaria ser o
colegial. Dizendo isso eu não me refiro ao seu impulso mais importante de sua vida. Ele chegou em Cintra a pedido
por fugir quando sentiu que a mulher estava ficando da rainha local, Calanthe, que temia a ocorrência de algum
excessivamente possessiva ou tentando mudar seus há- transtorno durante a festa de aniversário de sua filha. E,
bitos à força — pois isto ele compartilha com todos os justamente, foi o que ocorreu, pois antes que a suntuosa
seus irmãos do sexo masculino. Em tal situação, fugir é festa chegasse ao fim, um monstro apareceu e invocou a Lei
uma reação natural, mas a maturidade e cortesia comum da Surpresa, um contrato mágico antigo e extremamente
exigem que o ato de despedida seja conduzido de forma a poderoso, para reivindicar o direito sobre a filha de Calanthe,
dar a notícia da maneira mais delicada possível. Agir de Pavetta. Esse monstro, conhecido como Ouriço de Erlenwald,
modo diferente não é apenas cruel, mas também gera o possuía a aparência de um cavaleiro de armadura, porém,
risco de levar a mulher em questão e, possivelmente, seus com a cabeça de um gigantesco ouriço. Desnecessário dizer
amigos à busca de vingança. Também elimina qualquer uma criatura curiosa — curiosa de uma maneira suspeita,
chance de passar momentos de ternura e prazer em sua na verdade, pois Geralt tinha um pressentimento de que
companhia, novamente, no futuro. Eu espero, caro leitor, esse monstro não era nada além de um homem amaldiçoa-
que você não ache vulgar de minha parte se eu disser do; então, ele impediu que o matassem até que a verdade Geralt e Dandelion se
conhecem há mais de
que precisei quebrar alguns corações em minhas muitas pudesse ser descoberta. De fato, o ouriço provou ser um vinte anos. As aventuras
viagens, e o que aprendi com essas experiências tanto duque sulista chamado Duny, para quem a Rainha Calanthe, e perigos que eles
viveram juntos forjaram
deliciosas quanto trágicas é que nunca vale a pena tomar eventualmente e após superar suas ressalvas, concordou em uma amizade profunda
atitudes precipitadas. ceder Pavetta como sua noiva, assim revertendo a maldição. que sobrevive até hoje.

A História de Geralt de Rívia


Um dos feitos que concedeu a Geralt sua maior reputação
foi reverter a maldição que havia transformado a filha do Rei
Foltest de Teméria em uma estrige sedenta por sangue.
147
“A morte de Duny e Pavetta — foi grande o luto que se seguiu
aqui nas ilhas. Pavetta era filha de Calanthe, a filhota
de Lionors aep Xintra — a Leoa de Cintra, como vocês,
continentais, a chamavam. Calanthe teve como seu segundo
O que ocorreu a seguir, antes que os ânimos se
marido Eist Tuirseach, filho das ilhas. E por isso entramos
caro leitor, emaranhou acalmassem.
em luto por sua filha e pelo homem de sua filha, porque
Geralt inextricavelmente também foi como uma morte na nossa família, e uma morte
Quanto a Yennefer e
na teia do Destino e mu- da pior espécie, pois não trouxe glória nem inimigos para Geralt, eles reataram e
dou o curso de sua vida termos nossa vingança. Nós nos sentamos juntos na fortaleza viveram novamente como
para sempre. Duny, mo- do rei, cada homem grisalho de sal do mar que tinha perdido um só, por algum tempo.
vido por lágrimas de gra- seus companheiros de remo ou irmãos de guerra, e bebemos Mas não por muito, é cla-
tidão, ofereceu a Geralt juntos num silêncio mais escuro e mais sombrio do que ro — logo se revelou que
qualquer coisa que ele qualquer outro que eu já tinha conhecido ou viria a conhecer. Yennefer tinha sentimen-
desejasse. O bruxo então Nós murmuramos no momento em que o Geas Muire tos por um de seus com-
repetiu a antiga fórmula da matou a princesa e seu marido — a Maldição do Mar, uma panheiros magos, Istredd,
Lei da Surpresa: “Dê-me tempestade que ninguém poderia prever . . . e não conseguia escolher
o que tu já tens, embora E é verdade que uma tempestade irrompeu sobre as ilhas entre ele e Geralt. Des-
ainda não saibas.” O que naquele dia manchado, que atingiu com força o suficiente troçada por suas emoções
para abalar as próprias rochas de Ard Skellig — mas o céu
Duny não sabia era que sua conflituosas, ela decidiu
sempre chora com fúria quando o sangue real de Cintra é
nova noiva, Pavetta, estava abandonar ambos e de-
derramado. Ele deixou escorrer lágrimas amargas após a
grávida, e logo Geralt havia sapareceu, para somente
morte da mãe de Calanthe, a velha Adalia, e estremeceu
assegurado o direito à filha retornar outra vez algum
em desespero quando a própria Leoa de Cintra também
deles — a futura Cirilla de morreu. Então, não foi a tempestade que matou Pavetta e
tempo após. De fato, o
Cintra. Duny. O mar só começou seu choro depois que o pior já tinha bruxo e a feiticeira costu-
O destino de Geralt, acontecido. O Abismo de Sedna, aquele lugar amaldiçoado mavam se separar, para se
contudo, esperaria por dos pesadelos dos marujos, onde muitos navios desaparecem reconciliarem e depois se
mais dez longos anos antes em plena luz do dia sem deixar sequer uma prancha para trás, separarem de novo. Even-
de bater novamente à sua havia colocado sua magia imunda em ação mais uma vez . . ”. tualmente, este ritmo se
porta. Enquanto isso, ele tornou tão natural quanto
deixou Cintra e recomeçou — Hallbjorn, filho de Guthlaf, marinheiro de Skellige as marés, e então não havia
a vagar pelo mundo, enga- muito sentido em acompa-
jado em futuras aventuras, nhar esses fatos de perto
romances com feiticeiras — por mais que um possa
e seus típicos contratos de bruxo ao longo do caminho. tentar (e, caro leitor, como eu tentei!), é impossível com-
Alguns desses contratos bem-sucedidos trouxeram-lhe por uma balada interessante sobre “Seis Separações e Seis
grande fama, tais como reverter a maldição da filha do Reconciliações de-Novo-Outra-Vez.”
Rei Foltest, que havia se transformado em uma estrige e Assim os anos passaram. Geralt e eu caçamos um dú-
estava aterrorizando Vizíma. Por ter tratado essa tarefa plice em Novigrad, arranjamos uma união entre o Duque
com habilidade e discrição, Geralt conquistou a gratidão Agloval de Bremervoord e uma sereia e tivemos muitas
do governante e ampliou ainda mais a sua já considerável outras aventuras do tipo que não valem ser mencionadas
reputação. aqui, mas sobre as quais você pode ler com toda a glória
Foi um imenso prazer testemunhar em primeira mão e detalhe em minhas outras obras. Pois então, dez anos
uma porção de seus feitos durante esse tempo. Mais de depois daquele banquete memorável em Cintra, o destino
uma vez nós despencamos juntos para dentro de panelas outra vez caiu sobre a cabeça de Geralt como um pingo de
de problemas fumegantes, somente para abrir um cami- chuva vindo de um céu sem nuvens.
nho de saída através do fio da espada dele ou de minha
perspicácia. No curso de tais escapadas, nós encontramos
muitos velhos amigos e muitos novos, também. Tal foi
o caso durante o problema com o dragão dourado em Brincando com o Destino
Holopole, quando nós cruzamos com Yennefer, que ainda
estava furiosa como nunca com Geralt, após eles termi- Geralt tinha visitado Cintra apenas uma vez em todo esse
narem. Neste tempo, também conhecemos Yarpen Zigrin tempo, e, então, voltou lá apenas para informar a Rainha
e seu bando de caçadores de dragões, os Rachadores de Calanthe de que ele não iria reivindicar a Lei da Surpresa e que-
Crinfrid. Uma rixa bastante tumultuosa se desenrolou ria “negar todos os direitos sobre a criança de Pavetta”. Mas por
quando Geralt — o teimoso e cheio de princípios Geralt que renunciar os seus legítimos privilégios, garantidos por uma
— bateu o pé e se recusou a matar o dragão. Isso não lei mágica antiquíssima e inquebrável? Geralt tinha ponderado
agradou muito ao bando de Yarpen, dada sua dedica- este assunto por algum tempo, e decidiu que não queria expor
ção profissional a caçar e matar dragões, e mais do que a criança aos riscos do treinamento bruxo e, mais importante
algumas mãos já estavam puxando suas adagas ocultas ainda, tirá-la de sua família. No entanto, sem o conhecimento

A História de Geralt de Rívia


148
“Em verdade vos digo! O Tempo da Espada e do Machado
se aproxima, a Época da Selvageria Lupina. Acerca-se
o Tempo do Frio Branco e da Luz Branca, o Tempo da
de Geralt, Pavetta deu à luz Loucura e o Tempo do Desprezo, Tedd Deireádh, o Tempo coração tivesse sido arran-
uma menina. Ele só soube do Fim. O mundo morrerá congelado e renascerá com o cado do peito.
novo sol. Ele renascerá do Sangue Antigo, de Hen Ichaer,
deste fato anos depois, em Mas o destino mais uma
da semente plantada. Da semente que não apenas brotará,
um local totalmente inespe- vez iria mostrar o quão
mas explodirá em chamas.
rado — no meio da Floresta fortes são os grilhões que
Ess’tuath esse! Assim será! Atentem para os sinais!
de Brokilon —, quando ele ligam Geralt a Ciri — mais
Que sinais serão esses, eu vos direi, porém antes a terra se
puramente por acidente fortes ainda do que a sede
cobrirá com o sangue dos Aen Seidhe, o Sangue dos Elfos...”
acabou resgatando a sua de sangue dos exércitos ou
Criança-Surpresa das gar- o cálculo brutal do Massa-
— “Aen Ithlinnespeath”, a profecia de Ithlinne Aegli aep
ras de um monstro. cre de Cintra. Pois, embo-
Aevenien
Esta criança era Ciri, ra a população de Cintra
que mesmo em sua tenra tenha sido dizimada, a
idade era um indivíduo tão menina de alguma forma
excepcional quanto Geralt. sobreviveu ao tumulto da
Eu não vou me aprofundar na história de como ela foi parar guerra e encontrou abrigo, primeiro, com druidas nas pro-
no bosque das dríades — pois, em si, é digna de uma canção ximidades e, em seguida, com uma família de camponeses
inteira — nem de como superou os inúmeros perigos da- bondosos de Trásrios. Foi aí que Geralt a encontrou, em
quela selva, incluindo a removedora de memórias Água de um desses felizes acidentes que agem como a assinatura
Brokilon, exceto para dizer que ela revelou-se uma heroína do destino no frontispício da poesia de nossas existências.
à altura de qualquer outra que a vida ou a arte já produziu. Geralt salvou a vida de um fazendeiro, que, depois, convidou
Os laços de ferro do destino que ligam os dois estavam o bruxo para ir à sua cabana, na esperança de livrar seu bolso
bem evidentes ao longo de tudo isso; ainda assim, o bruxo do devido pagamento por meio da hospitalidade e bebida
se recusou teimosamente a aceitar o veredito da sorte. Ele caseira. Ah, como eu lamento não estar presente quando
decidiu não levar a garota consigo, embora este fosse seu Geralt entrou naquela humilde casa de campo, esperando
direito e seu destino — e apesar do fato de que, até onde encontrar nada além de pão amanhecido ou uma matrona
ele sabia, Ciri era então uma órfã, já que Duny e Pavetta velha e, ao invés disso, viu seu destino. Colocar em palavras
tinham morrido em um misterioso acidente marítimo alguns a surpresa e alegria que se misturavam em seu rosto teria
anos antes. Em vez disso, Geralt enviou a criança de volta sido o desafio artístico de toda uma vida, que mesmo os
para sua avó, Calanthe, para ser criada sob os cuidados de meus talentos não poderiam ser capazes de cumprir.
seu amigo, o druida Ermion. Agora, apenas pense — se A partir de então, Geralt não tinha mais dúvidas de
ele tivesse tomado uma decisão contrária, a história de que Ciri era de fato o seu destino, e assumiu este novo
Cintra e, possivelmente, de todo o Norte teria de fato papel de cuidador e pai adotivo com entusiasmo. Acerta-
se desenrolado de forma bastante diferente. damente supondo que Ciri, herdeira do trono de Cintra,
Pouco tempo depois, a Primeira Guerra Nilfgaardiana era uma pessoa de grande interesse para Nilfgaard e para
eclodiu. Eu não vou delinear o curso do conflito em a miríade de maquinadores do Norte, ele decidiu então
detalhes aqui — para os leitores não familiariza- escondê-la de todos os olhares curiosos. Assim, levou-a
dos com esse evento de extrema importância, eu para o melhor lugar possível para se esconder qualquer
forneci uma breve história no primeiro capítulo um — a isolada e quase inacessível fortaleza dos bruxos,
do presente trabalho. Eu devo apenas afirmar Kaer Morhen. Lá, a menina cresceu em força e habilidade
que, após o massacre de Cintra e a morte de enquanto treinava com a espada sob o olhar atento de
Calanthe, foi amplamente presumido que a sua Vesemir e outros bruxos. A memória dos horrores que
neta também havia perecido durante o abate ela havia testemunhado foi lentamente esquecida, ou, pelo
generalizado dos cidadãos da capital. Eu contei menos, enterrada debaixo de uma vida nova e mais feliz.
tudo isso a Geralt quando me deparei com ele Ciri passou cerca de um ano e meio em Kaer Morhen.
algum tempo depois em Alagante, enquanto Durante este tempo, Geralt lhe ensinou o que sabia melhor,
a guerra ainda estava no auge. Ao ouvir esta ou seja, a arte da espada, e deve-se admitir que a menina
notícia, o bruxo primeiro ficou pálido como um mostrou-se uma aluna muito hábil. Contudo, Geralt per-
cadáver, e depois insistiu em cavalgar até Cintra cebeu que matadores profissionais de monstros, mesmo os
imediatamente, e que se danasse todo o exército mais dedicados e bem-intencionados, não fazem os com-
nilfgaardiano. Mais tarde, suas emoções deram lugar panheiros ideais para uma florescente jovem mulher. Seus
a um pensamento mais racional e ele abandonou camaradas bruxos concordaram, e então ele decidiu enviar
esse plano suicida. Embora ele tivesse mantido Ciri ao templo de Melitele, onde ela teria uma educação
sua boca bem fechada em uma carranca sombria mais bem embasada, abordando coisas que vão além da
e não trouxesse o tema à tona novamente, eu criação de poções e das fraquezas dos carniçais. Esta deci-
pude ver em seus olhos que sentiu como se seu são foi estimulada pelo fato de descobrirem que a criança

O Mundo de The Witcher


O Destino e a Lei da Surpresa uniram Cirilla a Geralt a partir do
momento do nascimento dela. Quando a tragédia tirou-a de sua família,
Geralt encontrou-a e levou-a para Kaer Morhen, onde ele e seus
companheiros bruxos lhe ensinaram os caminhos de seu ofício.
150

era uma Fonte — uma pessoa dotada de talentos mágicos ainda estava viva, e muito menos sobre sua estadia em Kaer
adormecidos e poderosas habilidades proféticas. E assim Morhen. Os eventos posteriores provaram que isso não foi
aconteceu: o bruxo levou a jovem para Ellander, onde por um simples caso de precaução excessiva. Um grande número
mais de um ano ela estudou história, geografia, a Língua de pessoas estava à procura de Ciri após seu desaparecimen-
Ancestral e caligrafia rúnica adequada sob a tutela de Mãe to durante o massacre em Cintra — e ninguém tinha boas
Nenneke. Os recém-descobertos talentos mágicos da Fonte, intenções. O líder da procura era o pai de Ciri, Imperador
por outro lado, ficaram aos cuidados de ninguém menos que de Nilfgaard, Emhyr var Emreis, conhecido também como
Yennefer, a quem Geralt tinha pedido para orientar a instru- Deithwen Addan yn Carn aep Morvudd — A Chama Branca
ção de Ciri nos caminhos da feitiçaria. No começo, Ciri não Dançante sobre as Tumbas de Seus Inimigos.
era uma grande entusiasta da feiticeira, mas suas relações Ó querido leitor, o que eu não daria para ver a expressão
rapidamente se tornaram mais afetuosas — confirmando confusa em seu rosto neste momento! Você certamente está
a minha teoria de que a estima por Yennefer cresce com o coçando a cabeça enquanto lê estas palavras se perguntando
tempo, assim como um queijo camembert ou uma melodia se elas não foram resultado de algum erro ortográfico ou
atonal. Depois daquele ano em Ellander, a feiticeira estava um honesto engano de minha parte, ou até mesmo uma
disposta a levar Ciri para Aretuza, a academia de feiticei- tentativa desajeitada de humor equivocado. “Ora, o pai de
ras na Ilha de Thanedd, onde a jovem iria completar seus Ciri, querido Dandelion, não era Duny? Aquele cavaleiro
estudos. Infelizmente, a história, como tão frustrantemente andante de outrora, o enfeitiçado Ouriço de Erlenwald, cuja
tende a fazer, havia preparado outros planos. maldição Geralt tão memoravelmente removeu algumas
O fato de o pai
páginas atrás?!” Acredite em mim, eu ouço seu grito, caro
verdadeiro de Cirilla ser o leitor, e embora eu não possa deixar de conter uma leve
governante de Nilfgaard,
risada ante a sua situação, não sou tão cruel como autor
Caçadores no Rastro
Imperador Emhyr var
Emreis, permaneceu um para mantê-lo preso na ignorância.
segredo bem guardado
por um bom tempo,
Pois agora é chegada a hora de revelar um grande segredo
desconhecido tanto Durante todo esse período, Geralt havia mantido a existên- conhecido apenas por um punhado de indivíduos selecio-
pelos confidentes mais
próximos do soberano
cia de Ciri fortemente trancada a sete chaves. Mesmo seus nados. Embora possa pasmá-lo ouvir isso, Duny era e sem-
quanto por Geralt. amigos mais próximos, incluindo eu, mal sabiam que ela pre foi Emhyr var Emreis, herdeiro do trono de Nilfgaard.

O Mundo de The Witcher


151
“Quando atearam fogo à pira da criminosa e as chamas a
alcançaram, começou ela a insultar os guerreiros, barões,
feiticeiros e senhores do conselho presentes na praça
Quando ele era um jovem com palavras tão terríveis que todos foram tomados de conclusão bem-sucedida.
adolescente, o homem que horror. Embora antes tivessem umedecido a pira para Ciri, entretanto, não embar-
usurpou e matou seu pai que a diabólica criatura não queimasse rápido demais e cou no navio com os pais. É
pudesse sentir toda a tortura de ser queimada viva, agora
— o imperador por direito mais provável que Pavetta,
imediatamente ordens foram dadas para jogar gravetos
— ordenou a seus magos sendo também uma po-
secos, a fim de o ato terminar. Mas, na verdade, deveria um
que se livrassem de Emhyr. derosa Fonte e talvez uma
demônio estar naquela maldita, pois, apesar de pipocar no
Mas eles executaram mal profetisa, tivesse visto atra-
meio de fagulhas, não soltou um grito de dor sequer, apenas
o serviço e, em vez de ma- vés dos planos de Emhyr e
se pôs a vociferar terríveis maldições. ‘Nascerá um vingador
tá-lo, acabaram transfor- deste sangue meu’, gritou a plenos pulmões. ‘Nascerá
agido para proteger a filha.
mando-o em uma mistura do profanado Sangue Antigo um destruidor de nações e Quando Emhyr percebeu
hedionda de homem e por- mundos! É ele quem vingará o sofrimento meu! Morte, morte que Cirilla não estava entre
co-espinho. Ele abandonou e vingança a vocês todos e a seus descendentes!’ Somente isso eles, desatou em uma fúria
o império e se dirigiu para pôde gritar antes de perecer. E foi assim que morreu Falka, violenta. Na discussão aca-
o Norte, para Cintra, onde castigada por ter sangue inocente derramado.” lorada e no confronto f ísico
uma profecia prometera que se seguiram, sua esposa
que ele encontraria a cura — Roderick de Novembre, “A História do Mundo” caiu no mar — e somente
para sua condição. A sua então, tarde demais, o mago
salvação veio na forma da teleportou o navio para ter-
Lei da Surpresa, que, com ra firme dentro do Império.
a ajuda de Geralt, o levou a casar-se com Pavetta, her- Os planos de Emhyr tinham dado em nada, mas ele não
deira do trono cintrense. Sua vida como Duny, marido iria desistir após o primeiro imprevisto. Uma vez seguro
de Pavetta, foi de paz e harmonia, embora, se os rumores no trono de Nilfgaard, ele declarou guerra contra Cintra,
forem creditados, Calanthe nunca tenha confiado total- tanto para fortalecer sua posição com uma gloriosa vitória
mente em seu genro — sendo que, para ser justo, é raro militar quanto para propor outra maneira de recuperar seu
haver alguma sogra que o faça. domínio sobre Cirilla. E, outra vez, no entanto, seus esforços
Você agora certamente irá perguntar: “Mas, Dandelion! falharam. Pois antes de morrer corajosamente, Calanthe foi
Como foi que Duny, também conhecido como Emhyr, so- capaz de afastar Ciri da capital, e assim a filha de Emhyr
breviveu à inundação catastrófica que afogou sua esposa?” escapou por entre seus dedos pela segunda vez.
Porque… Veja só que leitor atento é você! Infelizmente, eu Ainda persistente, o imperador continuou seus esforços
temo que precisará permanecer atento por mais um boca- para pôr as mãos em sua filha, e Geralt sabia que a escon-
do, pois essa história está ligada a uma parte do destino de der em Kaer Morhen teria certamente impedido a ameaça
Geralt que irei relatar em outro momento... somente por um curto período de tempo. O imperador
Pensando bem, vou contá-la agora mesmo. Após ter re- tinha espiões e informantes em todo lugar, e a cada dia eles
vertido com sucesso a maldição de Duny, Geralt retornou às apertavam suas buscas e traçavam um perímetro ainda
suas atividades bruxescas, mesmo elas agora estando acom- menor, circundando a fortaleza dos bruxos.
panhadas de um conturbado debate interior sobre exercer
ou não seus direitos sob a Lei da Surpresa. Enquanto isso, os
recém-casados seguiam suas vidas. Pavetta deu à luz Cirilla e
Duny/Emhyr arquitetou para retomar o trono imperial com As Ambições dos Feiticeiros e
a ajuda do exército cintrense. Foi então que, tão subitamente os Esquemas Políticos
quanto a gravidez indesejada de uma amante, o misterioso
mago apareceu. Esse feiticeiro, cuja identidade eu omitirei Enquanto isso, outra pessoa estava procurando por Ciri.
por enquanto, como um segredo dramático, familiarizou Alguém com recursos para contratar os melhores caçado-
Emhyr com uma antiga profecia que em pouco tempo se res, espiões e assassinos, todos com uma só tarefa: eliminar
tornou a futura grande obsessão do imperador. A profecia Geralt de Rívia e capturar sua protegida. Este misterioso
afirmava que o mundo seria consumido por uma Geada adversário revelou-se ser um mago do Norte, que havia
Branca, e somente o filho de Cirilla poderia salvá-lo; após colaborado em segredo com Emhyr var Emreis por anos
isso, ele se tornaria seu governante incontestado. — o mesmo mago que lhe tinha contado sobre a profecia
Desejando reconstruir o poderio do Império estando em de Ithlinne anos antes, e cujo nome eu vou finalmente
seu comando, Emhyr incubou um plano para afastar Pavetta revelar: Vilgefortz de Roggeveen.
e Ciri para longe do olhar desconfiado de sua sogra, Calanthe. Ninguém suspeitava da sua traição — afinal de contas, ele
O mago, ainda não nomeado, deveria forjar a morte da era um herói renomado da Colina de Alagante, um membro
família em um naufrágio, enquanto na verdade estaria tele- proeminente do Capítulo dos Feiticeiros e um veterano
portando todos eles em segurança para Nilfgaard, onde um muito condecorado da Primeira Guerra Nilfgaardiana. Jo-
levante destinado a entronar Emhyr estava próximo de uma vem, bonito e altamente talentoso, Vilgefortz, infelizmente,

A História de Geralt de Rívia


152

era também doente de ambição e seu obsessivo desejo de da vista das inteligências nortenhas. Eles não sabiam que
poder empurrou-o em direção ao caminho da traição. O Emhyr era o pai da neta de Calanthe, mas as razões políticas
Imperador Nilfgaardiano, reconhecendo que tais ambições para ele querer tê-la eram claras. Ciri era, afinal, por direito
poderiam ser usadas a seu proveito, havia prometido ao de nascimento, uma figura importante no tabuleiro com-
jovem feiticeiro o controle sobre as províncias a serem es- plicado e sempre mutável das alianças e uniões dinásticas.
tabelecidas, onde uma vez eram os Reinos do Norte, assim Seu casamento com o Imperador iria selar o direito dele de
que o Império fosse vitorioso. No entanto, até mesmo o ocupar o trono de Cintra, e foi essa possibilidade que os
astuto Emhyr não compreendera a verdadeira dimensão reis do Norte queriam evitar a todo custo. O Norte, por
das ambições de Vilgefortz. Pois durante todo o período sua vez, teve como objetivo utilizar Ciri como um pretexto
em que cooperou na busca de Emhyr por Ciri, Vilgefortz para travar a guerra contra o Império e recuperar sua terra
planejava trair o Imperador e usar a menina para seus pró- natal. A Paz de Alagante entre o Norte e Nilfgaard nunca
prios vis propósitos. Ele secretamente iniciou experimentos pareceu tão frágil, com cada lado esperando o momento
que eram destinados a fornecer-lhe nada menos do que o certo para atacar o outro.
poder sobre a totalidade do tempo e do espaço. Como ele Embora ele tenha sempre procurado distanciar-se dos
pretendia alcançar este objetivo? A horrível depravação de assuntos de reis e governantes mesquinhos, o bruxo não era
seu plano desafia todas as palavras — tanto que não me nenhum ingênuo político. Ele não sabia da natureza exata
atreverei a falar sobre isso em detalhes aqui, caso contrário das forças que ameaçavam Ciri, mas reconheceu que o pe-
Para proteger sua pupila,
Geralt frequentemente
meus leitores hão de recuar em tal choque e repulsa que rigo era grave. Com moedas, contatos e algumas contendas
batia de frente com se recusarão a terminar o resto de nosso conto. com os assassinos de aluguel, ele conseguiu aprender sobre
bandidos comuns e com
assassinos impiedosos
As atividades do grupo de espionagem nilfgaardiano e o que os espiões dos Reinos do Norte tinham conseguido
e bem treinados, dos agentes do ainda desconhecido mago (desconhecido, estabelecer a respeito da busca de Nilfgaard e dos magos por
enviados por forças
desconhecidas, por
isto é, para Geralt — mas não para você, caro leitor!) em Ciri. O plano para colocar Ciri na academia de feiticeiras
motivos misteriosos. Brugge, Trásrios, Teméria e Redânia não haviam escapado sob os cuidados de Yennefer, agora, parecia o mais sábio a se

O Mundo de The Witcher


153

seguir. Aretuza estava mais protegida do que quase qualquer sido capturada, teria sido levada para lá. Eu não preciso dizer
outro lugar no Continente, e seu estado fora de qualquer a você que essa ideia me parecia a epítome da estupidez
jurisdição, em conjunto com a presença de dezenas das mais suicida, mas quem conhece Geralt sabe que uma vez que
talentosas feiticeiras do mundo, dificultou as operações dos uma ideia se enraíza em sua cabeça, nada menor do que a
espiões e soldados de todas as bandeiras. força de um furacão poderá tirá-la de lá.
Infelizmente, a estadia de Geralt, Ciri e Yennefer em
Thanedd coincidiu com uma reunião extremamente mal-
fadada de magos. A cúpula, convocada para unir e for-
talecer a influência de usuários de magia, terminou em À Procura de Ciri
uma tentativa de golpe e numa fratricida guerra civil, com
guerrilheiros Scoia’tael a serviço do Império auxiliando uma E então nós pegamos a estrada mais uma vez, planejando
facção, enquanto as forças especiais redanianas auxiliaram cruzar o braço central do Yaruga para continuar ao sul. Eu
as outras. Naturalmente, o bruxo encontrou-se na parte digo “nós” porque, como amigo do bruxo, nunca pensei nem
mais conturbada de toda essa confusão caótica, lutando por um momento abandoná-lo nesta hora de necessidade.
contra toda e qualquer pessoa que se colocava entre ele Era uma coisa boa também, pois sua jornada teria sido de
Este retrato, que
e Ciri. Durante este generalizado combate corpo a corpo, fato curta sem minha assistência. Nosso grupo aumen- apresenta a jovem
ele matou alguns elfos, um mago traidor, agrediu alguns tou ao longo do caminho, sendo acrescido de personagens princesa Cirilla Fiona
Elen Riannon de uma
agentes especiais redanianos e quebrou a perna do chefe mais caricatos do que qualquer bardo poderia imaginar. maneira condizente
deles, Dijkstra. Em seguida, na lista de Geralt, veio o mago Unindo-se a nós assim que deixamos Brokilon estava Ma- com a herdeira ao trono
de Cintra, foi uma das
Vilgefortz, que tinha finalmente revelado sua verdadeira face ria “Milva” Barring, uma arqueira e caçadora completa, poucas pistas que os
traidora. Para a grande surpresa de todos — assim como a além de uma audaz fora da lei. Um pouco mais adiante em assassinos contratados
a serviço do mago
de Geralt —, o confronto entre estes dois demonstrou que nossas viagens, cruzamos com uma companhia de errantes Vilgefortz tinham para
o bruxo finalmente havia encontrado um oponente à altura. anões, liderada por Zoltan Chivay, com quem logo fizemos ir em sua busca.

Depois de algumas jocosidades preliminares e das ten-


tativas de atrair o bruxo para o seu lado, Vilgefortz chegou
a um argumento mais convincente que veio na forma de
um taco de aço mágico. Então, ele fez o que nenhum ho-
mem jamais tinha feito antes: bateu no bruxo até se formar
uma poça de sangue, esmagando-o tão completamente
que Geralt foi largado uma pilha de destroços, incapaz
de mover um único dedo ou músculo. Com ele, assim,
incapacitado, Vilgefortz estava livre para perseguir Ciri.
O destino tinha mais uma vez separado o bruxo de sua
protegida — temporariamente, é claro, embora dado o
estado de Geralt naquele momento, isso parecesse longe
de ser uma certeza.
Aleijado e quase morto, o bruxo foi resgatado de seu
flagelo por Triss Merigold, que o teleportou para a se-
gurança de Brokilon. Lá, Geralt passou por uma longa
recuperação, tratado pela magia das dríades que habitam
a floresta. Foi lá também onde eu, seguindo as instruções
de Triss, encontrei-o e entreguei-lhe notícias tanto de
seus entes queridos quanto sobre os eventos do mundo.
Essas notícias que levei não eram do tipo animadoras.
O destino de Ciri era desconhecido, e Yennefer também
tinha desaparecido durante o golpe, fazendo com que suas
colegas condenassem-na como uma traidora e conspiradora
junto a Vilgefortz. Enquanto isso, as tropas nilfgaardianas
tinham cruzado Yaruga e estavam derrotando os aliados
do Norte em todas as frentes, lentamente devorando suas
terras um pedaço de cada vez.
Geralt, em seu típico estilo Geralt de ser, ficou emburrado
e retraído ao ouvir isso, mas, assim que recuperou a sua
saúde, decidiu sair cavalgando em busca de Cirilla — em
direção à própria Nilfgaard, raciocinando que se ela tivesse

A História de Geralt de Rívia


Geralt conheceu Zoltan Chivay durante sua busca por Cirilla e
logo descobriu nele uma excelente companhia para suas viagens.
O afável anão obsceno serviu como uma grande prova de que
Geralt e seus associados sempre poderiam contar com sua
amizade incondicional e auxílio.
155
“Lara Dorren aep Shiadhal era uma feiticeira élfica, uma
integrante do círculo de elite dos Aen Saevherne, os Senhores
do Saber, ou Sábios, como os seres humanos por vezes os
chamam. Ela era herdeira de uma linhagem incomumente
amizade e que também se fazer o bruxo entender que
forte do Hen Ichaer — na sua língua, o Sangue Ancestral —
juntou a nós. O próximo sua busca era vã. Ciri não
e estava prometida a se casar com um elfo especialmente
a integrar nosso bando precisava de proteção; na
escolhido para conceber-lhe uma criança — uma criança
foi Emiel Regis Rohellec verdade, a futura intromis-
que iria possuir o poder para controlar os Portões do Tempo
Terzieff-Godefroy, o me- e que iria salvar nossa espécie da Geada Branca.
são no caminho que o des-
lhor vampiro farmacêuti- Lara, porém, se rebelou contra esse destino e escolheu tino havia planejado para
co abstêmio de sangue que dentre os seres humanos um jovem mago chamado ela traria consequências
eu já conheci. Por último, Cregennan de Lod. Ela atou sua vida à dele e deu à luz a imprevistas e provavel-
havia um outro homem de sua criança algum tempo depois. Embora ambos os pais mente horrendas.
nome obscenamente longo, tenham morrido — ele pelas mãos de vossa raça, e ela de Geralt não faz o tipo
Cahir Mawr Dyffryn aep frio e exaustão ao fugir de seus perseguidores —, a criança que aceita conselhos até
Ceallach, um jovem nilf- sobreviveu, começando uma longa linhagem, cuja herdeira é de seus amigos mais próxi-
gaardiano que o Imperador Cirilla Fiona Elen Riannon, de Cintra.” mos, como eu mesmo des-
havia despachado em busca cobri em várias ocasiões.
de Ciri, mas que, movido — Avallac’h, Aen Saevherne Assim, não parecerá ne-
pelos acontecimentos que nhuma surpresa o fato de
presenciara, abandonou sua ele ter ignorado os avisos
missão e decidiu nos ajudar diretivos e misteriosos de
a ir atrás dela. um elfo desconhecido e um tanto arrogante. Infelizmente,
Juntos nós seguimos, guiados por um tênue fio de es- ele não sabia o que fazer a seguir, pois todos os rastros
perança, determinação interminável e rastros que iam se que estávamos seguindo até ali subitamente se esgotaram
desvanecendo. Nós deixamos Brokilon, cruzamos as de- pouco tempo depois, próximo à fronteira do pequeno
vastadas pela guerra: Brugge, Alagante e Trásrios, e então e autônomo ducado de Toussaint, governado por meu
trilhamos nosso percurso até Angren — pois os druidas que grande amor de outrora, a duquesa Anna Henrietta. Nós
lá residiam iriam, de acordo com nosso novo amigo Regis, decidimos descansar ali por algum tempo para que nosso
ajudar Geralt e providenciar algumas orientações sobre que grupo pudesse renovar suas reservas de força e bom hu-
direção tomar a seguir, em nossa busca. mor, ao determinarmos nosso próximo movimento. Isso
Não há tinta suficiente no mundo para escrever sobre acabou se mostrando uma decisão muito mais sábia do que
todas as aventuras que passamos ao longo deste percurso; poderíamos imaginar. Os habitantes locais nos receberam
por isso, vou apenas dizer que, embora tenha sido por um de braços bem abertos, e até mesmo um sujeito quieto e
triz, nós sobrevivemos ao nosso batismo de fogo, lutando reservado como o Geralt foi capaz de fazer alguns amigos
lado a lado contra os caprichos do destino. Em algum próximos. A mais próxima deles? Fringilla Vigo, uma fei-
ponto do caminho, tivemos de nos separar de Zoltan e ticeira nilfgaardiana e parente de Anna Henrietta que era
seu bando, a estrada levou-os até seu lar em Mahakam. convidada no palácio. É claro que mais tarde foi revela-
Pouco depois, atravessamos o Yaruga, entrando em um do que ela havia atraído Geralt até a sua cama somente
território anexado por Nilfgaard alguns anos antes. Lá, para completar sua tarefa de espioná-lo mais facilmente
nós pegamos a trilha do lacaio de Vilgefortz, acompa- — embora, muito surpreendentemente, não o fizesse
nhados pela juvenil aventureira Angoulême, que decidiu sob ordens do imperador, mas em nome da Estada das
juntar-se à nossa alegre companhia. Foi lá também que Feiticeiras. Esse grupo de poderosas mulheres detentoras
Geralt, seguindo as instruções dos druidas, conheceu da magia, fundado após o golpe de estado em Thanedd,
um misterioso elfo chamado Avallac’h, que lhe contou queria ter sua própria vingança contra Vilgefortz, e, para
os segredos dos antepassados de Ciri, e embora nunca isso, localizariam Ciri em função de educá-la adequada-
tenhamos imaginado isso na época, desempenharia um mente, integrá-la à Estada e casá-la com um duque de
grande papel em seu futuro. Koviri. Sua justificativa era a de que feiticeiras no trono
Por sua mãe Pavetta, sua avó Calanthe e seu antepassado de um estado forte e estável seriam a cura para as guerras
Riannon, Cirilla era uma descendente direta da elfa Sábia e conflitos que despedaçam nosso mundo (assim como
Lara Dorren aep Shiadhal. Ela também era uma herdeira muitas mulheres ambiciosas, precedentes e atuais, elas
do Hen Ichaer, o misterioso Sangue Ancestral mencio- sentiram a necessidade de disfarçar seu desejo por poder
nado na famosa profecia proclamada por Ithlinne, a elfa e prestígio sob o pretexto de uma preocupação maternal
vidente. Apesar de, para os elfos, ela também ser algo com a paz mundial).
mais — Zireael, a andorinha, um arauto do renascimento Todos os sinais indicavam que Geralt, desencorajado
e da primavera a vir depois da Geada Branca, nada menos pela falta de qualquer aviso, pista ou alguma vanta-
do que a salvadora de toda a sua espécie. Ainda por cima, gem de qualquer natureza, e enfeitiçado pelo charme
Avallac’h, na melhor forma a lembrar um professor cam- de Fringilla, ficaria em Toussaint indefinidamente. Mas
ponês lecionando a seu aluno mais cabeça-dura, tentou o destino interveio novamente, nesse momento, na for-

A História de Geralt de Rívia


Durante sua estadia em Toussaint, Geralt acabou com um
grande número de criaturas que encontrou vagando pelo
aparentemente calmo e pacífico vale.
159
“O Teleportal de Lara — também chamado Portal de
Benavent, nome de seu descobridor, encontra-se na Ilha de
Thanedd, no último andar da Torre da Gaivota. Funciona e
pode ser ocasionalmente ativado. Bases de seu funcionamento:
ma de um feliz acidente. na multidão enquanto essa
desconhecidas. Destinação: desconhecida, provavelmente
Toussaint, como parecia, aparentemente frágil jovem
distorcida pela própria degradação, não sendo excluída a
tinha sido aterrorizada donzela abatia homens
existência de diversas bifurcações e dissipações.
por uma medonha e, mais que tinham duas vezes o
Atenção: o teleportal tem comportamento caótico e
importante, indescritível seu tamanho, um após o
é mortalmente perigoso. Quaisquer experimentos são
besta por algum tempo — categoricamente proibidos. Não é permitido o uso de magia no
outro. Quando finalmen-
justo o tipo de problema interior da Torre da Gaivota e em suas cercanias, sobretudo te se cansou de mandar
que demandava a atenção a magia de teleportação. Excepcionalmente, o Capítulo hordas de bandidos para
de um bruxo. Ao caçar o examinará as petições para autorizar a entrada em Tor Lara e cima dela e vê-la enchê-los
monstro, aconteceu de de belos entalhes verme-
visitar o teleportal. As petições devem ser justificadas por teses
Geralt ouvir por acaso científicas em curso desenvolvidas por pessoas especializadas lhos, ele decidiu coletar sua
uma conversa que esclare- nesse ramo de atividade.” recompensa entregando-a
cia, em termos explícitos, ao mago Vilgefortz e ao
exatamente onde o covar- — Prohibita (índice dos artefatos proibidos), “Ars Magica”, seu aliado, um agente du-
de Vilgefortz estava se es- ed. LVIII plo imperial, Stefan Skel-
condendo. Não tardando len, conhecido também
qualquer momento, Geralt Bibliografia: “A Magia do Povo Ancestral”, de Geoffrey como o Coruja-do-Mato.
Monck; “O Portal de Tor Lara”, de Immanuel Benavent;
reuniu sua companhia e Felizmente, Ciri conseguiu
“Teoria e Prática da Teleportação”, de Nina Fioravanti; “Os
apressou-se para seu en- escapar antes de tal plano
Portões dos Segredos”, de Ransant Alvaro
contro com o destino. ser posto em prática, so-
frendo um grave ferimento
no processo, que lhe dei-
xou uma rajada cicatriz no
O Destino de Cirilla, rosto. Foragida mais uma vez e caçada por todos os lados,
Princesa de Cintra ela finalmente encontrou abrigo com um velho eremita.
Este homem bondoso ajudou-a a tratar de suas feridas e se
Cá, preciso dizer algumas palavras sobre o que tinha acon- recuperar dos horrores que ela havia encarado. Mais tarde,
tecido a Ciri durante esse tempo. Ao fugir de Vilgefortz no ele revelou ser um sábio historiador, filósofo e acadêmico
período de caos no Golpe de Thanedd, ela foi parar dentro chamado Vysogota de Corvo. Reprimido por seu ponto de
de um antigo portal mágico conhecido como Tor Lara... vista franco, o qual era progressista demais para os insípidos
e saiu numa paisagem desconhecida e hostil. Na verdade, salões acadêmicos — na verdade, para qualquer lugar —,
o portal tinha levado-a para a beira do Deserto Korath, ele havia escolhido viver uma vida de exílio afastado das
longe, muito ao sul, perto da borda oriental do Império colônias humanas em vez de ceder aos seus algozes.
Nilfgaardiano. Lá, ela superou inúmeros obstáculos que, Com Vysogota, Ciri aprendeu sobre a misteriosa Tor
caso seu espírito fosse mais frágil, ou caso o destino não a Zireael, ou a Torre da Andorinha, que alojava um telepor-
tivesse reservado coisas grandiosas, certamente teria sido tal dito estar magicamente conectado a Tor Lara, na Ilha
o seu fim. Ela suportou a fome e sede do deserto só para de Thanedd. Então, assim que ela havia recuperado suas
depois quase acabar em um cativeiro nilfgaardiano, antes forças, partiu em busca dessa torre, planejando usar o
de ser salva deste destino no último minuto por um bando portal mágico para retornar para casa. Após enfrentar
de fora da lei conhecido como Os Ratos. Sozinha e longe de os agentes de Vilgefortz e do Coruja, e de fugir da
casa, Ciri se juntou a este predatório grupo de desajustados, caçada de Bonhart como sempre, Ciri finalmente
composto por jovens desgarrados e órfãos, que rondavam os encontrou a lendária Tor Zireael e esteve face a
limites sul do Império vivendo livres de impostos, saqueando face com seu legado. O Sangue Ancestral que ela
e subsistindo dos frutos da terra. Ela viajou com eles durante havia herdado da elfa Lara Dorren fora despertado
vários meses, logo ganhando o seu respeito, lutando e rou- e concedeu-lhe um poder imenso: o domínio sobre o
bando sob o falso nome de Falka. O idílio destes baderneiros tempo e o espaço. Embora Ciri ainda mal compreen-
terminou quando o bando teve o azar de atrair a atenção de desse ou sequer soubesse como controlar esse poder,
um implacável caçador de recompensas, que atendia pelo ela se tornou a Dama do Tempo e Espaço, capaz de
nome de Leo Bonhart. Ele assassinou o bando, poupando transitar entre mundos tão facilmente quanto eu ou
somente Ciri — não por caridade. Pois Bonhart era um você, leitor, podemos aparecer na casa de um vizinho
homem imoral e cruel que, tendo reconhecido quem “Falka” nosso para encher a cara e bater um papo.
realmente era, tomou-a como prisioneira na esperança de Ciri adentrou no portal na Torre da Andorinha,
coletar o gordo valor pela sua cabeça. Durante esse perío- ainda que ele não a tenha levado para Thanedd, como
do, e para sua própria diversão deturpada, ele forçou Ciri esperava. Em vez disso, ela se encontrou no
a lutar na arena de Claremont, regozijando-se da agitação mundo místico dos Aen Elle, o Povo Alder,

A História de Geralt de Rívia


160
“Vysogota de Corvo — Alquimista, médico, cirurgião,
historiador, acadêmico, filósofo e especialista em ética.
Professor extraordinarius na Academia de Oxenfurt,
afastado da referida academia após publicar seus
onde se tornou um peão em conseguiu, descobriu que
trabalhos sobre a disciplina de filosofia, considerados
um contínuo xadrez políti- blasfemos, na época. Forçado a emigrar, ele viajou para o
o destino a havia coloca-
co entre o poderoso Sábio Império Nilfgaardiano, onde ocupou a posição de docente do bem diante dos portões
Avallac’h e Eredin Bréacc em ética na Academia Imperial no Castelo Graupian. da agourenta Cidadela de
Glas, o líder dos cavaleiros Fora, então, exilado novamente após a publicação do Stygga — que acabava
conhecidos em nosso mun- tratado ‘No Poder Totalitário e a Natureza Criminosa das por ser o esconderijo de
do como A Caçada Selva- Guerras de Ocupação’. Acusado de estar mantendo contato Vilgefortz.
gem. Ela descobriu que os com os dissidentes e traindo o estado, foi sentenciado a
Aen Elle também compe- passar a vida na prisão. Sua pena, contudo, foi revogada
tiam por uma reivindicação em favor de um banimento vitalício, onde qualquer tipo Os Últimos
sobre seu sangue baseada
de intromissão no solo nilfgaardiano seria punido com a Dias do
em sua descendência de
morte. Ele prontamente emigrou para Ebbing. Quando esse Grupo dos
Lara Dorren, a qual estava
reino foi anexado ao Império Nilfgaardiano e colocado
sob a jurisdição imperial, ele provavelmente foi forçado
Bruxos
em dívida eterna para com a emigrar mais uma vez, ou ao menos encontrou uma
eles devido a sua traição à maneira de se esconder da justiça imperial.” Todo conto sobre feitos
profecia de Ithlinne. Em heroicos que se preze tem
razão de voltar para casa, — Effenberg e Talbot, “Encyclopaedia Maxima Mundi, um momento culminante,
Ciri teria que dar ao líder Volume XV” um estágio onde todos os
deles o que Lara não fora heróis devem enfrentar
capaz de oferecer tantos seus arqui-inimigos em
séculos atrás — uma crian- uma batalha final glorio-
ça com poder sobre o Portal dos Mundos. sa. Assim, também é o conto que você está lendo, pois
Diferentes motivações guiaram estes dois influentes quando Ciri deu um passo adiante para desafiar o rene-
elfos. Avallac’h alegou que queria usar o Portal para salvar gado Vilgefortz, Geralt e seus companheiros correram
os habitantes de nosso mundo — principalmente os seus em seu auxílio, além de Yennefer, que se libertou de seu
primos, os elfos Aen Seidhe, mas os humanos também cativeiro para juntar-se a eles. Antes que o leitor fique
— da ameaça da Geada Branca. Eredin não revelou seus confuso com a aparição repentina da feiticeira em nosso
planos, mas, como pode-se claramente presumir, eles conto, eu devo fazer uma pausa para aqui mencionar que
tinham mais relação com a conquista de outros mundos a amante do bruxo não havia, ao contrário do que dizem
do que com a salvação deles. O Povo Alder, assim como os rumores, participado do golpe de estado em Thanedd.
Ciri acidentalmente descobriu durante o tempo que passou Em vez disso, Yennefer estava procurando uma maneira de
em seu reino estranho, outrora havia possuído o domínio encontrar Ciri desde o momento de seu desaparecimento,
sobre o Portal dos Mundos, e o usou para tomar o mundo e foi durante essa busca que ela, infelizmente, caiu nas
no qual presentemente residiam matando ou escravizando garras dos traidores, seus ex-companheiros.
seus habitantes primordiais: os humanos. Assim começou a grande batalha na Cidadela de
Ciri decidiu fugir. Ela Stygga, um caso horri-
já havia começado a de- velmente sangrento que
senvolver um maior con- “Os eventos que se passaram em Rívia, no dia 25 de resultou na derrota de
trole sobre seus poderes setembro de 1268, começaram com um incidente sendo Vilgefortz e seus lacaios,
recém-encontrados, no instigado por um feirante anão. Ele insultou a honra de mas custou também a
tempo que passou com os Nadia Esposito, uma nobre jovem mulher, órfã de guerra, nossos heróis um preço
Aen Elle, então apelou para da maneira mais vil possível. Quando seus amigos terrível. Pois enquanto
naturalmente se colocaram em defesa dela, este anão
sua crescente habilidade Vilgefortz perecia pela
convocou alguns de seus parentes não humanos e logo
de mover-se entre mun- mão do próprio Geralt,
começou uma rixa que rapidamente cresceu e se tornou
dos e partiu. Eredin reu- muitos dos companhei-
uma revolta. A batalha se espalhou até abranger outros
niu sua Caçada Selvagem burgos, incluindo o bairro dos Olmos dos não humanos. ros do bruxo, como Regis,
para persegui-la, mas Ciri Durante a hora que passou entre o início da revolta e a Milva, Cahir e Angoulê-
conseguiu escapar deles. intervenção de Triss Merigold, cento e oitenta e quatro me também caíram. An-
Infelizmente, ela também pessoas morreram, das quais a metade era composta por tes de Geralt sequer ter
acabou se perdendo, va- mulheres e crianças.” a chance de lamentar a
gando por tempos e luga- morte deles ou regozijar-se
res desconhecidos, incapaz — Fragmento de um tratado pelo Professor Emmerich por ter encontrado Ciri e
de encontrar o seu cami- Gottschalk da Academia de Oxenfurt Yennefer, o trio reunido foi
nho de volta por conta pró- cercado por soldados impe-
pria. Quando finalmente riais, que inesperadamente

O Mundo de The Witcher


Eredin Breácc Glas ansiava por controlar a dádiva
de Ciri, que seria a chave para a realização de todos
os seus planos. O orgulhoso, calculista e faminto por
poder líder dos Aen Elle queria usá-la a fim de iniciar
uma campanha para conquistar outros mundos e
escravizar seus habitantes.
Poucos em nosso mundo compreendem que a Caçada, ou
a Perseguição Selvagem, conhecida como uma cavalgada
nefasta de entidades e espectros, é, na verdade, a divisão
militar dos Aen Elle. Liderados por Eredin, esses ferozes
cavaleiros atravessam tempo e espaço para raptar
escravos e levá-los de volta a seu planeta natal.
163
“Existem evidências consideráveis para sugerir que o Massacre
de Rívia foi uma provocação planejada. Os caudilhos haviam
entrado na cidade dois dias antes, contrabandeando um
transporte de armas. Meros minutos após a briga no mercado,
entraram em cena. Den- Ciri, Geralt e Yennefer
essas armas já haviam sido distribuídas entre a multidão
tro de instantes, eles se embarcaram na jornada de
de espectadores humanos, que foram dirigidos aos distritos
encontraram face a face volta ao Norte, mas a sua
da cidade, os quais eram predominantemente habitados
com o próprio Impera- boa sorte, como é de praxe
por anões e elfos. Ademais, durante toda a primeira hora do
dor de Nilfgaard, Emhyr acontecer quando se está
incidente, a guarda da cidade demorou a reagir — até que
var Emreis, em carne e finalmente decidiu interferir.”
com Geralt, não durou por
osso. Pois, tendo tomado muito tempo. Essa sorte
ciência do plano de trai- — Boethius de Lyria, “A Verdadeira História sobre o Pogrom sofreu um desvio tortuo-
ção de Vilgefortz e de sua de Rívia” so — onde mais poderia
conspiração com o agen- ser? — na cidade de onde
te duplo Stefan Skellen, o Geralt havia retirado seu
imperador havia se diri- nome, Rívia. Logo após a
gido até a Cidadela de Stygga para punir pessoalmente chegada deles, irrompeu-se um massacre contra os não
tanto o mago traiçoeiro quanto seu infiel aliado. humanos. Como um bruxo, Geralt havia suportado olhares
Parecia que Geralt havia perdido Ciri mais uma vez hostis e injúrias sussurradas de “aberração” e “mutante”
— para não mencionar sua própria vida, também, pois por grande parte de sua vida, então, não iria ficar de lado
ele sabia demasiado a respeito das relações dela com o permitindo que inocentes, cujo único crime, aparente-
imperador para ser deixado sair vivo dali. Ainda assim, mente, fora terem nascido na forma de qualquer coisa que
Emhyr observou por um bom tempo o rosto de sua filha e não fosse humana, fossem massacrados. Enquanto Geralt
surpreendeu a todos quando decidiu não a levar consigo. lutava em vão para dar um fim ao massacre, um jovem, cuja
O Pogrom de Rívia
E não para por aí, pois ele, a Chama Branca que Dança vida ele havia poupado apenas alguns momentos antes, tirou as vidas de quase
sobre as Tumbas de Seus Inimigos, mostrou misericórdia enfiou uma forquilha em seu peito, ferindo-o mortalmente. duzentos indivíduos,
sendo a maioria não
aos seus prisioneiros e permitiu que todos os três fossem A feiticeira tentou em vão salvar seu amado através de humanos. Geralt foi
embora, ilesos. Eu não sei exatamente o porquê de ele magia, quase matando a si mesma por exaustão durante ferido enquanto tentava
conter a multidão
ter feito isso, mas o poeta dentro de mim acredita que o processo. Foi então que Ciri, em uma última tentativa enfurecida e morreu
o amor paternal por Ciri falou mais alto, um amor que desesperada de salvar os dois, transportou Geralt e Yen- por conta dos seus
ferimentos — ou
lhe possibilitou entender um pouco da ligação que unia nefer para algum lugar além do nosso tempo e espaço e, assim acreditava-se
Geralt e sua protegida. assim, desapareceu deste mundo. durante muito tempo.

A História de Geralt de Rívia


164
“E por isso — e aqui eu devo implorar em divergir de
meu estimado e experiente colega, Professor Gottshalk,
tanto quanto o venerável Boethius e outros partidários
de suas teorias de conspiração — eu sustento firmemente
nobra desesperada — ele
O Retorno do que no coração desses trágicos eventos repousa uma
ofereceu a si próprio para
Lobo Branco combinação de traços infelizmente comuns e todos muito
humanos: ignorância, xenofobia, uma ausência brutal ocupar o lugar de Yenne-
de consideração pelos outros e impulsos animalescos fer. Concordando com a
Muitos anos se passaram. profundamente enraizados.” troca sem sequer um mo-
Nenhum de nós pensou mento de hesitação, Eredin
que chegaria a ver Geralt — Mestre Casper Dubhen sobre as causas do Pogrom de esperava que a captura do
novamente, e muito tempo Rívia pai substituto de Ciri pu-
tiveram os seus amigos e desse finalmente trazê-la
ex-companheiros, incluin- até ele. Geralt foi tomado
do aquele que escreve essas como prisioneiro e arras-
palavras, para lamentar a sua morte e retornar ao ciclo tado para longe, junto com a fantasmagórica cavalgada.
cotidiano de sempre, alegria e tristeza, embriaguez e ale- Se Eredin pensou que tudo isso faria Ciri simplesmente
gria e tristeza, embriaguez e sobriedade. Você pode assim se entregar de bom grado, ele então a havia julgado muito
imaginar nossa surpresa quando os rumores surgiram de mal. Mais uma vez, ela mostrou sua tendência de jogar
que o famoso Lobo Branco estava vivo — e havia retornado somente de acordo com suas próprias regras. Em vez de
de lugares desconhecidos. fazer um acordo com seus perseguidores, a jovem tramou
Geralt reapareceu em algum lugar próximo a Kaer um plano ousado para resgatar Geralt. Desta forma e com
Morhen, quase morto, vestindo nada além de sua camiseta sua ajuda, o bruxo foi capaz de escapar, se livrando da
e ceroulas. Além disso, ele estava com amnésia parcial, Caçada e aterrissando de volta em seu próprio mundo,
incapacitado de lembrar claramente onde esteve ou como seminu e desprovido de sua memória, mas enfim livre.
subitamente havia chegado à fortaleza dos bruxos. Se a Ele encontrou abrigo dentro dos muros amigáveis de Kaer
Caçada Selvagem não estivesse claramente em sua cola, Morhen, cuidado e protegido por seus velhos companheiros
alguém poderia dizer que ele havia acabado de retornar da Escola do Lobo. Ainda assim, nem os esforços de seus
de uma festa de arromba. A verdade, é claro, era algo companheiros nem a magia da feiticeira Triss Merigold,
completamente diferente, embora a tenhamos entendido que foi chamada para auxiliar o ainda desorientado Geralt,
por inteiro muito tempo depois. foram capazes de recuperar sua memória perdida.
Os eventos que levaram ao seu retorno começaram
logo após Ciri ter ajudado Geralt e Yennefer a escapar
do massacre em Rívia. A Caçada Selvagem, liderada por
Eredin, ainda estava em busca da herdeira do Sangue O Ataque a Kaer Morhen
Ancestral, mas ela permanecia evasiva. Geralt e Yennefer,
no entanto, foram encontrados na Ilha de Avalon, onde Geralt rapidamente voltou com força total, pelo menos
Ciri havia preparado um refúgio para eles descansarem fisicamente, e sorte a dele, pois, ao mesmo tempo em que
e se recuperarem. Querendo atrair Ciri para fora de seu Geralt se recuperou, um bando de capangas liderados por
esconderijo, a Caçada sequestrou a feiticeira, incitando um mago renegado, Azar Javed, e um assassino de aluguel
Geralt a sair atrás deles imediatamente. conhecido apenas como o Professor, lançou um ataque
Ele cruzou muitos mundos ao seguir o rastro da Caçada, surpresa contra Kaer Morhen. Embora os bruxos tenham
mas Eredin e seus cavaleiros permaneciam sempre um lhes dado uma surra sangrenta, os invasores conseguiram
passo adiante. Durante sua perseguição, Geralt ganhou atingir seu objetivo, roubando os segredos das mutações
muitos aliados inesperados. Entre os quais, estavam três dos bruxos do laboratório do forte.
bruxos da Escola da Víbora, que decidiram seguir com As motivações para esse custoso e descarado ataque
Geralt em sua missão para encontrar a Caçada Selvagem, permaneceram desconhecidas. Mas Geralt e seus com-
após ele ter salvado a vida de um dos integrantes de sua panheiros estavam determinados a reverter isso, par-
organização. O bruxo resgatado, cujo nome era Letho de ticularmente por um dos seus ter perecido durante a
Gulet, havia sido ferido em batalha contra um monstro letal, batalha. Eles cavalgaram pelos quatro cantos do mundo
e somente a intervenção oportuna de Geralt permitiu que em busca dos grupos culpados, para recuperar seus per-
os caçadores de monstros triunfassem. Mal sabia Geralt que tences roubados.
salvar Letho implicaria enormes consequências no futuro. O Lobo Branco se dirigiu ao sul, para Vizíma, a capital
No fim, os bruxos alcançaram a Caçada Selvagem e ainda de Teméria, esperando utilizar-se de seus contatos na
mergulharam em outra batalha sangrenta. Contudo, apesar corte real. Todavia, o Rei Foltest não estava em casa, e
da combinação de suas habilidades, eles não foram capa- as condições gerais da cidade eram um tanto sombrias.
zes de derrotar o próprio Eredin ou libertar Yennefer das Durante a ausência de Foltest, Jacques de Aldersberg, o líder
garras da Caçada. Vendo essa chance de salvar sua amada da Ordem da Rosa Flamejante, estava aos poucos alimen-
escorregando de suas mãos, Geralt arriscou uma última ma- tando o atrito nas relações entre humanos e não humanos.

O Mundo de The Witcher


Em prol de encontrar Ciri, Eredin decidiu atingir aqueles
próximo a ela. Os cavaleiros da Caçada destruíram a Ilha
de Avalon e sequestraram o amor de Geralt, Yennefer.
168
“Fisstech é uma droga das cidades. Vizíma está cheia dela.
Assim como qualquer outro lugar no Continente que seja grande
o suficiente para ter ao menos um beco ou uma sarjeta. Ela é
um pó branco — os drogados cheiram isso, esfregam em suas
A elevada repressão aos pelo bruxo que assassina-
gengivas… ou encontram formas mais criativas de fazer com
não humanos havia, por ra em Kaer Morhen. Antes
que entre em seu organismo. Essa coisa está em circulação há
sua vez, levado os elfos e anos. Ela te deixa acordado e entorpece a dor. Os médicos de morrer, entretanto, ele
os anões a se bandear para começaram a usá-la nos soldados, e então os soldados revelou a Geralt a identi-
dentro das linhas Scoia’tael começaram a usá-la por contra própria, em si mesmos. dade do homem que estava
locais. Apesar da situação Os estudantes foram os próximos — só pelo tapa, ou pelo puxando as cordas desde o
delicada e extremamente empurrão pra quando chega a temporada das provas. começo.
volátil em Vizíma, Geralt Eles dizem: ‘Ela faz maravilhas do caralho, prolonga sua vida, O chefe de Javed era,
foi capaz de se apoiar na limpa sua mente e sua tez’. Ha! Essa merda que eles vendem nas ninguém mais, ninguém
ajuda de nosso velho amigo ruas apodrece o seu rosto quase tão rápido quanto seu cérebro. menos, do que o grão-
Zoltan Chivay, entre outros, Eu já vi muitos viciadinhos com aqueles estúpidos sorrisos mestre da Ordem da Rosa
esticados em suas caras enrugadas e marcadas pela droga,
e descobrir aqueles respon- Flamejante, Jacques de
por acreditar nessa porcaria. ‘Vida longa’ — isso também é
sáveis pelo ataque ao forte Aldersberg. Sua meta ao
uma piada. Basta você perguntar aos dois imbecis que nós
dos bruxos. Eles acabaram roubar os segredos dos
pegamos noite passada. Tão chapados de fiss que nem sabiam
se revelando membros da a diferença entre dia ou noite, ou entre seus próprios paus e
bruxos logo se tornou mui-
Salamandra, uma orga- macarrão que passou do ponto. Em vez de cooperar como bons to clara: ele estava criando
nização criminosa muito garotinhos, um deles saiu correndo em direção a uma balestra mutantes para dar um fim
conhecida nos submundos apontada diretamente pra ele, gritando alguma coisa como à rebelião de não humanos
da cidade. Essa companhia ‘lâminas e raios nunca irão me ferir’. Errado. Embora, pra ser que ele mesmo havia cini-
lidava com todos os tipos camente incitado ao espa-
justo, ele estava tão fodido que foram precisos três tiros diretos
de negócios infames, desde para derrubá-lo. A próxima coisa que eu me lembro, é de seu lhar o terror e a repressão
extorsão e tráfico de fisstech colega puxando uma espada e vindo pra cima de mim. em Vizíma. Deixando de
até assassinatos por aluguel. Só que esse tinha cheirado uma carreira alguns momentos antes, lado todas as pretensões,
daí ele começou a espirrar tão forte que quase o seu maldito
A investigação de Geralt em de Aldersberg agora havia
cérebro, ou pelo menos o que restou dele, saiu pelo nariz. Então,
cima dessa guilda crimino- deixado suas ambições
lá estava ele de pé, com catarro da cabeça aos pés e com aquela
sa, entretanto, o colocou claras como cristal: ele
espécie de olhar demente na cara — até a maça de um dos
bem no meio de um conflito iria tomar o poder. Isso,
guardas esmagá-la. Deve ter acertado um pouco forte demais,
entre raças que havia entra- porque o pobre diabo nem sobreviveu para ver os calabouços obviamente, era algo que
do em erupção por toda a ou a forca. Ao menos nós temos uma história engraçada para o Rei Foltest não poderia
região de Vizíma. Enquanto contar depois de tudo, e eu espero que alguns do seu grupinho permitir, ainda mais depois
os membros da Ordem da tenham aprendido a lição. Exemplos como esses são muito mais de retornar à sua capital e
Rosa Flamejante e as uni- encontrá-la manchada de
eficientes do que cartazes com frases do tipo ‘Consuma e pereça’,
dades Scoia’tael cruzavam ‘Basta dizer não’ ou qualquer merda do tipo.” vermelho com fogo e san-
os chifres em um combate gue. Sob as ordens de Fol-
mortal por todos os lados, — Vincent Meiss, capitão da Guarda da Cidade, Distrito do test, Geralt partiu atrás do
Geralt confrontava Azar, Templo de Vizíma grão-mestre e o encurralou
o mago ladino. A batalha em um último confronto.
entre eles, no entanto, ter- Para a surpresa do bruxo,
minou inconclusiva, e Azar Jacques de Aldersberg ti-
aproveitou o caos do momento para escapar. nha um poder mágico incrível à sua disposição — pois
acabou revelando ser uma Fonte. Ele aprisionou Geralt em
uma realista ilusão de um mundo congelado após a chegada
do apocalipse. Retido dentro dessa ilusão, o bruxo teve que
A Guerra de Salamandra enfrentar monstros reais até demais e mutantes criados
pelo grão-mestre, guiados pela sua crença deturpada e
É muito complicado dissuadir um lobo que acabou de fare- fanática de que eles estariam trabalhando para o bem da
jar uma presa, e, da mesma maneira, Gwynbleidd, o Lobo humanidade. O objetivo fundamental do grão-mestre, ao
Branco, não iria deixar o rastro por causa de um mínimo que parece, era procriar uma nova raça de supra-huma-
contratempo como esse. Ele se aproveitou de cada conhe- nos, capazes de sobreviver à Geada Branca profetizada
cido e cada contato que havia feito durante suas semanas por Ithlinne. Porém, Geralt não comprou nem um pouco
na capital para golpear a Salamandra onde doía mais. Ele essa ideia. Ele rejeitou a oferta final de se juntar a de Al-
destruiu os laboratórios secretos onde eles produziam dersberg e deu um fim aos sonhos loucos da Fonte com
fisstech e rastreou e matou, um a um, os membros desta uma lâmina de bruxo. Foi dessa forma que pereceu este
guilda, abrindo seu caminho até o líder. O primeiro a cair monstro em pele humana, o mestre titereiro da Ordem da
foi o Professor, que havia sido recompensado integralmente Rosa Flamejante, Jacques de Aldersberg.

O Mundo de The Witcher


169

Assassinos de Reis Como qualquer leitor que esteja prestando o mínimo de


atenção à nossa história até então pode adivinhar, assumir
Ainda assim, pensar que a tão satisfatória morte do grão-mes- essa posição somente levaria a mais problemas — mas aqui
tre significou o fim dos problemas para Geralt seria cometer eu realmente devo propor algumas palavras em defesa
um erro grave — pois a vida não é uma balada, e o fim de de meu amigo. Pesando intensamente sobre sua decisão
cada história é o começo de outra. Quando o agradecido rei estava o fato de que Geralt precisava de mais tempo para
temeriano foi entregar a Geralt sua recompensa tão merecida, recuperar sua memória perdida. Por sua vez, pendendo a
ele foi subitamente abordado por um misterioso agressor. balança conclusivamente, estava o fato de que a frase “não
Geralt, naturalmente, não permitiu que o rei fosse degolado se refuta um rei” tem, infelizmente, uma grande quantida-
bem diante de seus olhos e frustrou a tentativa do assassino, de de verdade, até mesmo para um bruxo. Assim, Geralt
o que o fez ganhar ainda mais a gratidão de Foltest. Ainda concordou, mas sob uma condição: ele estaria livre para
assim, quando Geralt virou o cadáver do quase futuro regi- seguir seu caminho uma vez que o perigo estivesse anulado.
cida para procurar por provas de sua verdadeira identidade, Todavia, nosso herói ingênuo não sabia quão dif ícil era a
ele descobriu algo inquietante: o assassino desconhecido tarefa que havia assumido. Tempos sombrios para os reis
era, baseado nos sinais de mutação característicos visíveis do Norte se aproximavam pelo horizonte, tempos em que
em seus olhos, um membro do próprio ofício dos bruxos… muitos deles perderiam suas vidas pela lâmina de um as-
Como ninguém poderia explicar o misterioso aciden- sassino. Primeiro, o Rei Demavend de Aedirn foi abatido, Os poderes do mago
te, o rei decidiu manter Geralt como seu guarda pessoal, e quase um mês se passou antes de Foltest encontrar o Azar Javed permitiram
que ele escapasse do
temendo que outros assassinos pudessem obter sucesso mesmo destino. Apesar de seus enormes esforços, Geralt bruxo por diversas vezes,
naquilo que primeiro havia falhado. Embora todo o ocor- não somente foi incapaz de salvar o monarca temeriano, mas, no fim, Geralt o
pegou e foi capaz de dar
rido cheirasse pior do que sapato de anão, o bruxo, para a como também foi acusado de ele próprio ter cometido o o troco por todo o mal
surpresa de todos, aceitou a oferta de Foltest. assassinato e, por isso, jogado nos calabouços reais. que ele havia causado.

A História de Geralt de Rívia


Geralt estava ao lado do Rei Foltest quando os La Valettes
levantaram sua rebelião. Como resultado, o bruxo acabou
preso em uma teia de intrigas políticas que mais tarde
acarretou em uma grande dose de problemas para ele e
seus companheiros.
171
“Questão dissertativa: Explique o que significou a
‘Cimeira em Loc Muinne’ e descreva brevemente suas
consequências mais importantes.

Suas perspectivas de Parada em seu caminho


Uma reunião dos líderes do Norte nas antigas ruínas
sair dali vivo eram escas- estava uma insurreição
de Loc Muinne. Tomando parte das discussões estavam
sas, já que um regicida é coordenada de cavaleiros,
representantes de Kaedwen, Aedirn, Teméria e Redânia,
geralmente punido de uma príncipes e camponeses
assim como enviados do Império Nilfgaardiano sob
maneira excepcionalmen- liderados pela renomada
o papel de observadores imparciais. O objetivo da
te cruel e criativa. O bruxo heroína Saskia, a Virgem
reunião era, entre outros, abordar a situação em
agiu, então, surpreendente- Teméria (que havia sido ocupada logo em seguida à
de Aedirn. Geralt se viu
mente, com racionalidade morte de seu governante, Foltest) e resolver os assuntos tendo que navegar por
— em vez de se submeter sobre a sucessão temeriana. Também foi levantada a uma atribulada bagunça de
à justiça duvidosa de um questão de reativar o Congresso e o Supremo Conselho intrigas envolvendo cava-
magistrado à procura de dos Feiticeiros, que fora dissolvido como resultado leiros, clérigos, feiticeiras
um bode expiatório conve- dos eventos em Thanedd. Quando a delegação e até mesmo Nilfgaard,
niente, ele escapou e foi em nilfgaardiana interveio, as discussões foram suspensas, revertendo uma maldição
busca do verdadeiro assas- e então canceladas indefinidamente quando houve um mortal e ensopando a terra
sino por conta própria, na ataque de dragão logo em seguida. Apesar de tudo, com o sangue de monstros
esperança de que localizar algumas questões-chave foram resolvidas na cimeira, e inimigos humanos pelo
o regicida de Foltest fosse as mais importantes foram aquelas referentes ao futuro caminho, tudo enquanto
limpar seu nome. do Reino de Teméria.” mantinha os olhos focados
Seguindo o rastro in- em sua verdadeira procura:
certo do assassino, Geralt — Questão retirada de um exame em “História os regicidas. No fim, seus
viajou até o entreposto Contemporânea” da Academia de Oxenfurt esforços determinados
comercial da fronteira de finalmente deram frutos
Flotsam, onde, como de quando ele descobriu que
costume, ele rapidamente dois dos confederados de
se envolveu num emaranhado de problemas. Desta vez, Letho da Escola da Víbora (os mesmos bruxos que haviam
incluía os Scoia’tael, a milícia local e seu líder corrupto, uma vez auxiliado Geralt em sua perseguição à Caçada,
além das forças especiais temerianas. Com uma grande embora ele não se lembrasse disso) também estavam ativos
dose de assistência inestimável de Zoltan Chivay e Triss na região. A essa altura, já era tarde demais para chegar
Merigold, sem mencionar a si mesmo, Geralt arrumou a qualquer tipo de entendimento, e os três bruxos aca-
um jeito de encontrar o misterioso regicida. Ele ficou sur- baram resolvendo suas diferenças com lâminas no lugar
preso ao descobrir que o assassino era, na verdade, um de palavras. Entretanto, antes de os dois caçadores de
bruxo chamado Letho de Gulet. Ele teria ficado ainda monstros convertidos em assassinos encontrarem seu fim,
mais surpreso se soubesse que o homem uma vez fora seu Geralt descobriu o nome de seu empregador. Era a mesma
companheiro e camarada. Infelizmente, Geralt não possuía pessoa que os havia contratado para matar Demavend, e
lembranças de suas aventuras juntos no passado, e, de quem o próprio Geralt havia recentemente conhecido,
qualquer modo, as prioridades de Letho haviam mudado em Flotsam: Síle de Tansarville, uma integrante da Estada
consideravelmente desde aquele tempo. Assim, a reunião das Feiticeiras.
dos dois não culminou em um par de copos levantados e Por que a Estada buscaria matar os reis do Norte? Não
boas recordações dos velhos tempos, mas sim num duelo havia nenhuma resposta pronta para essa pergunta, mas
feroz. Geralt escapou com uma cabeça dolorida, além de tanto o rastro de Síle quanto o de Letho levavam ao Pon-
não poucos machucados em seu corpo (e ego), enquanto tar, às antigas ruínas de Loc Muinne. Essas paredes quase
Letho fugiu de Flotsam forçando Triss a teleportar ambos desmoronando deveriam acolher uma reunião do tipo mais
para o Reino de Aedirn. nobre — uma cúpula de reis e feiticeiras. Então, o bruxo
partiu para lá, determinado a derrotar os envolvidos e dar
um fim a toda aquela intriga.
Os eventos nas ruínas de Loc Muinne chegaram a uma
Políticas e Perseguições conclusão quando as maquinações dos delegados nilfgaar-
dianos conseguiram incitar medo, incerteza e suspeita o
Sendo um sujeito que nunca desistiu na face da adversi- suficiente entre os vários representantes, ao ponto de quais-
dade, Geralt partiu sem demora para encontrar Letho e quer negociações efetivamente colapsarem. Enquanto cada
Triss. Sua perseguição levou-o às fronteiras entre Aedirn um dos líderes reunidos tentou ao máximo se aferrar no
e Kaedwen, que estavam travadas em um conflito armado. “cada um por si” político que se seguiu, Geralt e Letho se
O oportunista Rei Henselt de Kaedwen tirou vantagem do enfrentaram mais uma vez. Foi então que, enfim, o nosso
caos que irrompera após a morte de Demavend para pegar bruxo compreendeu a história interna da intriga na qual ele
um naco considerável das terras de seus vizinhos do Sul. havia involuntariamente se enroscado.

A História de Geralt de Rívia


Um dos oponentes mais poderosos que Geralt enfrentou
em Lormark foi o demoníaco Draug, um monstro nascido
da maldição da feiticeira Sabrina Glevissig e do ódio e
crueldade de Vandergrift, o assassinado general kaedweni.
173

Toda aquela conspiração havia sido arranjada pelo Impe- A Longa Busca
rador Emhyr var Emreis, com certa ajuda de alguns peões
mal-intencionados. Ele ganhou a assistência dos bruxos da Dada a distância separando Geralt da Cidade das Torres
Escola da Víbora prometendo ajudar a reconstruir seu forte Douradas, e o nocivo caos irrompendo de todos os luga-
de origem, e então enviou-os em uma missão para assassinar res, os nilfgaardianos mais uma vez invadiam o Norte,
os governantes do Norte e espalhar a desordem por todos Yennefer poderia estar também na terra mítica de Hann.
os reinos nortenhos. O papel da Estada na conspiração Teimoso como sempre, o bruxo decidiu ir atrás dela de
para matar o Rei Demavend foi em parte uma manobra qualquer jeito. Ele, então, partiu para o Sul, mas, algum
particular das feiticeiras que pousou como um presente tempo depois, recebeu uma carta de Yennefer requisitan-
inesperado no colo do imperador. Ele estava mais do que do urgentemente um encontro com ele na antiga cidade
contente em se beneficiar do caos da morte de Demavend, temeriana de Arbusteira. Geralt, assim, deu meia-volta e
antes de revelar, na hora exata, o papel que as feiticeiras se dirigiu para o Norte, viajando através da Teméria ocu-
haviam desempenhado no assassinato. Ele foi, assim, capaz pada, parando para contratos ocasionais a fim de pagar
de matar dois coelhos com uma única cajadada, livrando-se suas despesas. Para sua surpresa e grande alegria, durante
dos monarcas e simultaneamente descreditando os magos o trajeto ele se deparou com seu mentor e grande amigo
nortenhos — enfraquecendo as forças que poderiam ter Vesemir, que havia vindo a Teméria para matar alguns
entrado no caminho de sua renovada marcha ao norte. dos incontáveis monstros que se espalharam neste tempo A cimeira dos
governantes realizada
Foi também durante este diálogo fatídico que o bruxo de conflitos como cogumelos após uma forte tempestade. nas ruínas da antiga
descobriu que Yennefer, a qual ele havia salvado das garras Reunidos, eles seguiram caminho até Arbusteira juntos, cidade de Loc Muinne
teve consequências
da Caçada, estava provavelmente viva e muito bem em somente para descobrir que a cidade havia sido destruída graves que moldaram o
algum lugar do Império Nilfgaardiano. em um confronto devastador entre os exércitos do Norte destino de todo o Norte.

A História de Geralt de Rívia


176

e Nilfgaard, em que não havia nenhum sinal de Yennefer. algum tempo antes de contatarem Geralt, mas sem sucesso.
Capazes de seguir o rastro dela até a vila de Pomar Branco, Na verdade, seus esforços se provaram muito perigosos
onde, após dar cabo de um grifo que ameaçava tanto os para continuar, pois eles haviam atraído a atenção das
habitantes locais quanto as tropas nilfgaardianas posicio- forças que perseguiam Ciri, os antigos nêmesis de Geralt
nadas nas proximidades, Geralt finalmente ficou cara a e os adversários mais poderosos com quem ele já havia
cara com sua amada Yennefer, outra vez. cruzado: A Caçada Selvagem. Eles precisavam que Geralt
Menos aprazível do que seu tenro reencontro foi o fato rastreasse Ciri usando métodos mais convencionais, e assim
de que ela estava acompanhada por uma unidade de guardas a trouxesse de volta à segurança. O imperador, claramente
nilfgaardianos e, sem tempo para explicar qualquer coisa, subestimando o poder da ligação que vincula Geralt e Ciri,
informou a Geralt que o imperador precisava ver ambos ofereceu a ele uma montanha de ouro em retribuição, caso
de uma só vez. Deixando Vesemir para retornar sozinho a a missão fosse concluída. Contudo, Geralt não precisava
Kaer Morhen, eles zarparam para Vizíma, onde o imperador de nenhum incentivo adicional, pois já decidira o curso de
havia montado uma corte temporária para supervisionar suas ações assim que ouvira que Ciri estava com problemas.
sua luta pelo Norte. No entanto, antes de chegar à cidade, Encontrar Ciri e ajudá-la a lutar contra seus perseguidores
eles precisaram escapar de outra emboscada pela Caçada de outro mundo se tornou a sua tarefa de tempo integral.
Tirando vantagem do Selvagem — um tenebroso augúrio de que perigos poderiam Ele aceitou a ajuda dos espiões do imperador como meios
interregno temeriano
e do caos e discórdia
estar envolvidos nas urgentes convocações do imperador. para este fim, e após conversar com Yennefer, aventurou-se
semeados entre Aedirn, Como Geralt suspeitava, o monarca não o havia cha- adiante tendo em mente cruzar esta terra na mais vasta e
Kaedwen e Redânia, o
exército nilfgaardiano
mado para jogar uma rodada de gwent e relembrar velhas desesperada caçada de toda a sua vida.
atravessou o Yaruga — histórias de tempos passados. A vasta rede de espiões im- Os espiões do imperador ouviram rumores de Ciri em
o primeiro passo para
o próximo estágio de
periais havia descoberto que Ciri retornara a este mundo. diversos lugares, abrangendo desde as terras devastadas
expansão do Império. Ademais, o imperador e Yennefer estavam em busca dela já pela guerra de Velen, na fronteira entre Redânia e Teméria,

O Mundo de The Witcher


177

até a Cidade Livre de Novigrad, e terminando na borda


mais distante da civilização conhecida, as Ilhas Skellige. A Maldição Misteriosa
Geralt valentemente viajou para um lado e para o outro e a Ilha da Névoa
através de todas essas regiões e além, desbravando pântanos
traiçoeiros, selvas indomadas, ruínas assombradas, becos O bruxo reconstituiu os passos mais importantes de Ciri em
encardidos e elegantes salões de banquete. Ele se deparou Novigrad durante sua investigação, mas, naquele tempo, ele
com muitos sinais da presença de Ciri, mas construir um estava tateando às escuras, tendo em mãos somente algumas
rastro coerente a partir deles se provou quase impossível, peças do quebra-cabeças e tentando de alguma maneira
pois Ciri era capaz de se mover de um lugar para o outro encaixá-las à força. Todavia, mais tarde, com uma dose de
num piscar de olhos, e tendia a deixar pouco além de con- ajuda preciosa de Yennefer, Triss, Zoltan e minha, ele con-
fusão e caos em seu rescaldo. seguiu estabelecer uma crônica completa sobre o que ela
O panorama geral de suas atividades, que Geralt even- havia feito ali — e o mais importante, por que ela havia feito.
tualmente montou, peça por peça, era como se segue: Por Tornou-se claro que Ciri tinha um aliado crucial em sua
primeiro, Ciri desembocou neste mundo em Skellige, onde, fuga da Caçada Selvagem: Avallac’h, agora em conflito aberto
com a Caçada em seus calcanhares, ela, de alguma forma, contra o comandante da mesma, Eredin. Sendo um mago
provocou uma explosão mágica que dizimou uma parte das poderoso — um Aen Saevherne, como os elfos os chamam
ilhas, após a qual a jovem fugiu via teleporte. Depois disso, —, ele foi capaz de protegê-la por algum tempo dos planos
ela despontou em Velen, onde teve o infortúnio de encontrar maléficos de seu ex-camarada. Infelizmente, durante um de
três irmãs demoníacas conhecidas como as Moiras. Depois seus embates com a Caçada, uma maldição poderosa lhe foi
de mal escapar de ser capturada, Ciri buscou refúgio para se lançada e deformou seu corpo e sua mente, transformando o
recuperar dos ferimentos e encontrou abrigo com um líder outrora poderoso Sábio em um escombro distorcido de homem,
de bandidos local conhecido como Barão Sanguinário. Ele incapaz de proferir uma palavra sensata ou até mesmo cuidar
recomendou-lhe que tentasse a sorte em Novigrad, para de sua própria higiene. Com a ajuda de Yennefer e algumas
onde ela aceitou ir. Lá, buscou ajuda para remover alguma operações particularmente invasivas, Geralt conseguiu
espécie de maldição — e acabou se voltando para ninguém reverter a maldição. O elfo, cheio de gratidão, de imediato
menos do que eu, Dandelion, por ajuda. Infelizmente, caro revelou a localização de Ciri, fazendo com que o coração de
leitor, eu não tenho tempo para contar minhas muitas, entre Geralt perdesse o ritmo por um instante ao pensar no que
outras, amorosas aventuras na grande cidade de Novigrad, teria acontecido se a maldição não tivesse sido interrompida.
pois a próxima coisa da qual me recordo era de estarmos Com uma clareza doentia, Geralt percebeu que enquanto
ambos mergulhados em problemas até o pescoço, caçando o corpo e a mente de Avallac’h lentamente se reduziam a
lucros ilícitos com criminosos do submundo respirando nada, as chances de Ciri ser encontrada teriam também
em nossos cangotes. Através de uma série de desventu- desaparecido junto — pois o mago élfico havia enfiado-a
ras que culminou comigo cobrindo a fuga de Ciri (muito em um lugar exterior ao próprio espaço e tempo, onde nem
bravamente, eu me atrevo a acrescentar), fui capturado Eredin nem ninguém poderia jamais encontrá-la.
pelos guardas que serviam à Igreja do Fogo Eterno e jogado Que lugar era esse? A mística, e há muito esquecida, Ilha
em uma masmorra úmida. Sobrevivendo à base de uma das Névoas. Ciri repousou lá em um profundo sono magica-
escassa dieta de pão, água e das sobras dos ratos, aguardei mente induzido, esperando o perigo passar ou que o bruxo
por minha iminente execução (devo apontar aqui que a chegasse para trazê-la de volta a este mundo.
minha prisão foi uma questão de pura bandidagem e não Eu não irei recontar aqui as façanhas heroicas do bruxo
tinha nada a ver com minha religião. Estes eram tempos em viagem para a Ilha das Névoas, que inimigos assassinou
dif íceis em Novigrad, e os caprichos de oficiais corruptos e quais aliados ganhou. Basta dizer que sua jornada foi lon-
eram suficientes para privar um homem de sua vida, até ga, e que, quando ele chegou ao seu fim e parou na soleira
mesmo um homem de tanta fama e talento como eu). do quarto onde Cirilla dormia, nenhum beijo mágico foi
Enquanto um homem feito de coisa menos resistente necessário — a sua própria presença quebrou o feitiço e ela
certamente haveria se despedaçado, apavorado só de acordou. Fora essa parte da proteção deixada por Avallac’h,
imaginar a tortura cruel que sem dúvida precederia a sua teria ele previsto a chegada do bruxo? Ou foi simplesmente
morte, eu me mantive inteiro. Nunca perdi a esperança, o poder implacável do Destino, o ribombar do acaso sendo
sabendo que meus amigos jamais me abandonariam na presenciado, que despertou Ciri de seu sono? Qualquer
hora da necessidade. E, de fato, Geralt e Zoltan concebe- que seja o caso, agora, após anos de separação e intensas
ram um plano engenhoso para me arrancar das mãos dos buscas, o bruxo tinha afinal encontrado sua filha adotiva,
guardas, provando, não pela primeira vez, que verdadeiros e a alegria que ele sentiu nesse momento, de tão intensa,
amigos sempre revelam seus melhores lados em tempos não há quaisquer palavras, pronunciadas ou redigidas, que
de adversidades. possam expressar.

A História de Geralt de Rívia


178

A Hora da Verdade e familiarizado com Geralt e Ciri sabe que nenhum dos dois
a Última Batalha faz o tipo que cede frente ao desespero. Eles decidiram
que, se agissem rapidamente e com precisão, poderiam,
Infelizmente, a preciosa reunião que o destino lhes ha- em seguida, enfraquecer o bando de Eredin e então atacar
via garantido logo seria tomada. Assim que Geralt e Ciri quando o aço ainda estivesse quente, pegando de surpresa
retornaram ao nosso mundo, Eredin podia sentir que a a Caçada em um momento e local de própria escolha, antes
sua procurada estava finalmente dentro de seu alcance. de ela sequer ter a chance de se reagrupar e reabastecer
Reunindo seus cavaleiros espectrais, ele partiu para Kaer suas fileiras.
Morhen, onde sua tão cobiçada presa havia encontrado Determinados a arrancar o mal pela raiz, eles encontra-
refúgio temporário. Graças ao aviso de Avallac’h, Geralt ram e mataram Imlerith, privando a Caçada de um dos seus
conseguiu reunir seus aliados na fortaleza, e os liderou melhores oficiais. Em seguida, Avallac’h levou Geralt para
em um embate sangrento e desesperado contra a Caçada. persuadir outro dos principais generais, Ge’els, a abster-se
Apesar da bravura e dedicação dos defensores, a batalha de se juntar ao conflito. Também foram atrás dos membros
logo tomou uma virada desastrosa, pois os cavaleiros da sobreviventes da Estada das Feiticeiras, onde passaram por
Caçada eram muitos e estavam sendo liderados pelo des- uma grande dose de problemas ao reunir as integrantes e
temido Imlerith, um dos comandantes de primeira mão de convencê-las a ajudar na batalha vindoura. Com a magia
Eredin. Imlerith se lançou diretamente para o centro do combinada da Estada à sua disposição, eles planejaram con-
conflito e, durante o terrível embate que se seguiu, matou vocar e então aprisionar Naglfar, a embarcação que Eredin
Vesemir, privando o mundo de um dos melhores homens utilizava para viajar entre os mundos. Dado o momento,
Os rumores sobre
o retorno de Cirilla
que já pisaram nesta terra. Ciri, destroçada pela perda de eles iriam, então, enfrentar os Aen Elle em seu território e
provaram-se seu ex-guardião e mentor, involuntariamente libertou o sob suas regras.
verdadeiros. Na fuga
da Caçada Selvagem,
Poder que repousava latente dentro dela, devastando os A batalha final tomou palco no litoral de Skellige. Usando
ela escapou da morte inimigos remanescentes e forçando a Caçada a recuar. um artefato élfico mágico, Geralt chamou o Naglfar direto
por um triz por muitas
vezes consecutivas,
Todos que tomaram partido nesta luta estavam cons- das névoas do tempo e espaço até uma baía rochosa das ilhas
contornando um perigo cientes de que essa vitória havia sido somente momentânea, — e para dentro de uma armadilha. O poder das feiticeiras o
só para encontrar-
se face a face com
tornando as perdas ainda mais dolorosas. A Caçada com impediu de fugir desse mundo, e a frota imperial barrou sua
outro — dentre eles, certeza iria atacar outra vez, e os defensores de Kaer Morhen rota de escape por alto-mar. Neste instante, Geralt embarcou
estavam as hediondas
Moiras, habitantes dos
sabiam que as mesmas táticas não funcionariam para anular no navio fantasmagórico; em meio aos gritos dos homens e
pântanos de Velen. outra investida àquela fortaleza. Contudo, qualquer um do clangor do aço, ele finalmente encontrou-se face a face

O Mundo de The Witcher


179
“Tedd Deireadh está próximo, a Era Final, o Tempo da
Geada Branca e da Selvageria Lupina. Neste momento, o
galo Kambi irá cacarejar, anunciando a chegada do Naglfar,
com Eredin. Em um longo o grande navio feito das unhas dos mortos, carregando um E então, caro leitor, nós
exército de demônios de Mörhogg. Seu cacarejo acordará
e exaustivo duelo, o bruxo e chegamos ao fim de nossa
o herói Hemdall, que se erguerá sobre a ponte do arco-íris
o líder dos Aen Elle lutaram história. Com o meu olho
e assoprará seu chifre, ressonando o tempo de empunhar
até o limite máximo de suas interior, posso vê-lo exal-
armas e formar fileiras para a Batalha Final, para Ragh nar
notáveis habilidades. Ainda tando-se em fúria, “O fim?
Roog. Pois seu desfecho irá decidir se o mundo será tomado
assim, quando tudo estava pelas Trevas e pelo Frio, ou se o amanhecer irromperá, no
Já? Assim, do nada? Mas
acabado, era Geralt que se prenúncio dos Novos Dias.” eu ainda tenho tantas per-
erguia vitorioso, tendo que- guntas para você responder!
brado o poder da Caçada — Mitologia de Skellige O que aconteceu com Ciri,
Selvagem de uma vez por afinal? Geralt de Rívia viveu
todas. para vê-la retornar de sua
viagem pelo tempo e espaço?
E ele encontrou seu verda-
deiro amor? Era Yennefer ou outra pessoa? O que aconteceu
O Fim? com Zoltan Chivay, aquele incorrigível anão altruísta? E,
o mais intrigante, como se desenrolou a carreira futura do
Infelizmente, somente nos contos de fadas a história ter- autor deste presente trabalho, aquele que pintou para nós
mina com o odiado vilão morrendo e todos vivendo felizes com palavras uma tapeçaria maravilhosa de momentos de
para sempre. Agora havia chegado a hora de Ciri enfrentar há muito passados?”
seu próprio destino. De acordo com Avallac’h, somente ela Lamentavelmente, caro leitor, eu devo deixá-lo deste
possuía o poder para deter a Geada Branca — a força quase modo, cheio de suspense e especulações. Talvez você possa
Eredin estava
mítica que ameaçou destruir não somente este mundo, mas encontrar as respostas para algumas dessas perguntas por determinado a capturar
todos os outros. É por isso que Cirilla decidiu entrar no conta própria. Outras, eu mesmo posso fornecer — mas em Ciri e não hesitou em
descer sobre Kaer
portal ancestral da Ilha de Undvik, deixando para trás seu outro momento. Agora, se me permite, parafrasearei um Morhen com seu braço
pai adotivo que tentara encontrá-la tão desesperadamente certo filósofo conceituado: um bom conto deve ser como um direito no comando,
Imlerith, e os cavaleiros
por tanto tempo. Como acabou a expedição dela? Baseado banquete; desse modo, ele deverá acabar no momento em da Caçada Selvagem.
no fato de que, ao escrever estas palavras, olho pela minha que você ainda consegue se levantar e ir embora, não estando Somente um miraculoso
golpe de sorte permitiu
janela e contemplo um dia glorioso de verão, acredito que nem com sede, nem muito bêbado. aos defensores do forte
Cirilla tenha sido bem-sucedida. — Dandelion impedir este ataque.

A História de Geralt de Rívia


Uma antiga torre que se projeta das costas rochosas de Undvik, conhecida como Tor
Gvalch’ca, a Torre de Falka, tornou-se o palco para o último capítulo do conto cujo
resultado viria a determinar o destino do mundo inteiro. Foi aqui que Cirilla entrou em
um portal para cumprir seu destino como a Dama do Tempo e Espaço e enfrentar a
Geada Branca.
181
ARTES

Bartłomiej Gaweł • Paweł Dobosz • Adam Kozłowski • Adrian Madej • Dominik Redmer •

Przemek Truściński • Sławomir Maniak • Jan Marek • Jakub Rebelka • Monika Zawistowska

• Grzegorz Krysiński • Damian Bajowski • Marek Madej • Lea Leonowicz • Marta Dettlaff

• Andrzej Dybowski • Grzegorz Rutkowski • Victor Titov • Michał Buczkowski • Marian

Chomiak • Kamil Kozłowski • Paweł Mielniczuk • Piotr Żyła


UM MERGULHO PROFUNDO
EM UM MUNDO DE MONSTROS
E aqueles que caçam junto de Geralt, como os seus companheiros de confiança,
irão te guiar em um fascinante passeio pelo mundo de The Witcher, reunindo um aprofundado
conhecimento sobre as deslumbrantes localidades, as feras mortais que as habitam e as armas
letais utilizadas para abatê-las. Este magnífico volume ilustrado de capa dura é um
companheiro essencial para a série de videogames da saga The Witcher, e indispensável
para os fãs de uma boa fantasia sombria e de aventuras épicas!