Você está na página 1de 4

http://w2.vatican.

va/content/john-paul-ii/pt/speeches/1998/october/documents/hf_jp-
ii_spe_19981031_simposio.html

http://w2.vatican.va/content/john-paul-ii/pt/letters/2004/documents/hf_jp-
ii_let_20040615_simposio-inquisizione.pdf

http://www.vatican.va/roman_curia/congregations/cfaith/documents/rc_con_cfaith_pro_1407
1997_po.html

COSTA, Antonio M. C. Títulos de Nobreza e Hierarquias: um guia sobre as graduações


sociais na história – São Paulo: Draco, 2014.

DUBY, Georges. História Da Vida Privada - Vol. 2 - Da Europa Feudal A Renascença.


Companhia das letras. São Paulo, 2009

DURANT, Wïll. Caesar and Christ. MJF Books, New York: 1950

GONZAGA, João Bernardino. A Inquisição em Seu Mundo. 8° ed., Saraiva, São Paulo:
1994.

HUIZINGA, Johan. O Declínio Da Idade Média - 2.a edição, Editora Ulisseia. Lisboa: 1996.

LE GOFF, Jacques. A civilização do Ocidente Medieval. Editora Vozes. Petrópolis, RJ: 2016.

PEDRERO-SÁNCHES, Maria Guadalupe. A historia da idade média: textos e


testemunhas. Editora Unesp, São Paulo: 2000.

DUBY, Georges. História Da Vida Privada - Vol. 2 - Da Europa Feudal A


Renascença. Companhia das letras. São Paulo, 2009

ESPAÇOS URBANOS
Se a mania de fechar, verdadeiro habitus da mentalidade medieval nascido talvez de um
profundo sentimento de insegurança (que por certo o meio circunstancial vem justificar
amplamente e reforçar, na França da Guerra dos Cem Anos), era de vasta difusão no mundo
rural, o era do mesmo modo em meio urbano, pois que precisamente uma das características da
cidade era de ser limitada por portas e por uma muralha.

COSTA, Antonio M. C. Títulos de Nobreza e Hierarquias: um guia sobre


as graduações sociais na história – São Paulo: Draco, 2014.

A propriedade feudal, principalmente nas origens, se parecia mais à noção moderna de


concessão (como a de uma linha de ônibus ou uma frequência de rádio ou tevê), que não pode
ser cassada a não ser em caso de violação grave dos termos da outorga, mas obriga a
concessionária a prestar determinados serviços e a proíbe de vender sua concessão a terceiros
sem autorização.

....

Justiça (33 – 34)

Meirinho-mor (justiciar, justicar, chief justice), chefe da justiça e fiscal da mustiça dos
senhores, que por ordem do rei podia prender membros da nobreza. Na Inglaterra substituía o
rei na sua ausência. Na Espanha, adelantado mayor.

Corregedores (royal high judge), magistrados superiores na justiça das terras do rei.

Ouvidores ou sobrejuizes (high judge) magistrados superiores na justiça das terras de


vassalos do rei.

HUIZINGA, Johan. O Declínio Da Idade Média - 2.a edição, Editora


Ulisseia. Lisboa: 1996.

As calamidades e a indigência eram mais aflitivas que presentemente; era


mais difícil proteger-se contra elas e encontrar-lhes o alívio. A doença e a saúde apresentavam
um contraste mais chocante; o frio e a escuridão do Inverno eram males mais reais. Honrarias
e riquezas eram desejadas com mais avidez e contrastavam mais vividamente com a miséria
que as rodeava. Nós, hoje em dia, dificilmente compreendemos a que ponto eram então
apreciados um casaco de peles, uma boa lareira aberta, um leito macio ou um copo de vinho.

LE GOFF, Jacques. A civilização do Ocidente Medieval. Editora Vozes.


Petrópolis, RJ: 2016.

Isso é particularmente perceptível na alta Idade Média ocidental. E a novidade mais


evidente da cultura são as relações que se estabelecem entre a herança pagã e a contribuição
cristã, supondo, o que está longe da verdade, como se sabe, que uma e outra formassem um
todo coerente. Mas ambas, pelo menos no nível das camadas instruídas, tinham chegado a um
grau de homogeneidade suficiente para que seja possível considerá-las duas parceiras.

A Igreja, como vimos, faz avançar a medida do tempo para as necessidades


do cômputo eclesiástico e da construção das igrejas - as primeiras grandes edificações da Idade
Média - estimula o progresso técnico, não apenas quanto às técnicas de construção, mas também
quanto às ferramentas, aos transportes, às artes menores, como a dos vitrais.

No próprio nível da vida cotidiana, os organismos subnutridos, mal


alimentados, predispõem-se a todas as divagações do espírito: sonhos, alucinações, visões. O
diabo, os anjos, os santos, a Virgem, o próprio Deus podem aparecer. Os corpos estão
preparados para percebê-los e levam os espíritos a recebê-los.

No entanto, mais frequentemente a sociedade reduz-se ao confronto de dois


grupos: clérigos e laicos em determinada perspectiva, fortes e fracos ou grandes e pequenos, ou
ricos e pobres se considerarmos apenas a sociedade laica, livres e não livres se nos colocarmos
no plano jurídico.

Por outro lado, pode-se indagar se a terceira categoria, a dos trabalhadores,


laboratores, confunde-se de fato com o conjunto dos produtores, se todos os camponeses
representam a função econômica.
“esquema tripartite - apesar de alguns, como Adalbéron de Laon, incluírem
nele o conjunto do campesinato e identificarem os laboratores com os servos - representa antes
o conjunto apenas das camadas superiores: a classe clerical, a classe militar, a camada superior
da classe econômica. Ele inclui apenas a melhor pars, as elites.

Vamos pensar, por outro lado, na maneira pela qual se transformará, na baixa
Idade Média, essa sociedade tripartite. Na França, ela se tornará os três estados:clero, nobreza
e terceiro estado. Mas este não se confunde com o conjunto dos plebeus. Não representa nem
mesmo toda a burguesia, é composto pelas camadas superiores da burguesia, pelos notáveis.
Aliás, o equívoco que existe já na Idade Média sobre a natureza dessa terceira classe, que é
teoricamente o conjunto de todos os que não estão nas duas primeiras e que, na verdade, se
limita à parte mais rica ou mais instruída, levará ao conflito da Revolução Francesa”