Você está na página 1de 5

Ampliação do Presídio Rorenildo Rocha Leão

SUBESTAÇÃO AÉREA
75 kVA 13.800 / 380/220V

Palmares - PE

Memorial Descritivo
SUMÁRIO

1. MEMORIAL DESCRITIVO
1.1 - FINALIDADE

1.2 – RAMAL DE LIGAÇÃO

1.5 – ASPECTOS GERAIS

1.6 – PROTEÇÃO

1.7 – ATERRAMENTO

1.8 – MEDIÇÃO

1.09 – TRANSFORMAÇÃO

1.10 – QUADRO GERAL DE BAIXA TENSÃO


1. MEMORIAL DESCRITIVO

1.1 - FINALIDADE

Este projeto tem por finalidade a implantação de uma subestação


de 75kVA composta por um transformador de 75kVA para atender a
demanda elétrica das instalações da Ampliação do Presídio Rorenildo
Rocha Leão, situada em Palmares - PE.
O qual deverá ser submetido à apreciação da CELPE -
Companhia Energética de Pernambuco para sua análise e aprovação.

1.2 – RAMAL DE LIGAÇÃO

A derivação do sistema CELPE deverá ser feita em sua rede de


distribuição em 13,8kV, através de 3 (três) chaves corta-circuito de 100A-
15kV, as quais terão seus elos fusíveis dimensionados pela própria
Concessionária, o ramal de ligação, será aéreo, trifásico. O
encaminhamento deste ramal até o PDE, como também a locação do
mesmo, deverão ser definidos pela concessionária tendo em vista a falta de
rede elétrica 13,8kV nas proximidades do local.

1.3 - RAMAL DE ENTRADA

O ramal de entrada será no (poste), devendo ser colocados os para-raios e as


chaves seccionadoras e chaves fusíveis base C. Terminais de porcelana, uso
externo para tensões até 20 kV.
1.4 – CÁLCULO DA DEMANDA

QDIT- MOD. VIVÊNCIA I 17,9 kW


QDIT- MOD. VIVÊNCIA II 17,9 kW
QDG A T- MOD. VIVÊNCIA III 11,2 kW
ETE – ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTO 24 kW
ILUMINAÇÃO EXTERNA 3,52 kW
QDIL-GAL – ILUM. GALERIA 0,8 kW
ILIMUNAÇÃO GUARITAS 0,1 kW
TOTAL 75,5 kW

Cálculo da Demanda Provável: Sendo este um prédio com ramo de


atividade administração público direto e autárquico, conforme tabela 11 da
norma CELPE SM01.00-00.004 11º edição, foi considerado um fator de
demanda máximo de 81%. Sendo assim temos: 75,5 * 0,81% = 61,13 kW.

1.5 – ASPECTOS GERAIS

O empreendimento terá uma Subestação aérea em poste de


concreto Duplo “T” 300/10, situado dentro do terreno.

1.6 – PROTEÇÃO

Para-raios com corpo polimérico com resistores não lineares de óxido de


zinco ,12 kV –10 kA; Chaves fusíveis com base tipo C –300 A -15 kV –10 kA
com fusível tipo cartucho, elo fusível 5H, classe de tensão 15 K, nível de
isolamento.

1.7 – ATERRAMENTO

Deverá ser inspecionado o aterramento local junto ao poste e se


necessário instalar descida com condutor de 25mm² e haste de
aterramento de aço cobreado 3/4” x 3,00m.
1.8 – MEDIÇÃO

O sistema de medição aplicado será no secundário do transformador e se


encontrará em caixa de medição de uso individual trifásico modelo F3 uso
int/ext padrão Celpe, com derivando do transformador em cabos singelos. O
disjuntor será termomagnético trifásico de 125A.

1.09 – TRANSFORMAÇÃO

Será instalado um transformador de 75 kVA, fornecido pelo proprietário,


trifásico do tipo distribuição com as seguintes características:

POTÊNCIA: 75 kVA
TENSÕES PRIMÁRIAS: 13.800/13.200/12.600/12.000/11.400 V
TENSÕES SECUNDÁRIAS: 380/220 V
LIGAÇÃO: DELTA/ESTRELA COM NEUTRO
SOLIDAMENTE ATERRADO
FREQÜÊNCIA: 60 HZ
REFRIGERAÇÃO: ÓLEO ISOLANTE MINERAL.

A ligação primária do transformador é feita de cabo de cobre isolado


#35mm²(12/20kV). Os cabos de ligação do secundário dos transformadores
até o QGBT serão de 50mm² com isolação em XLPE/PVC para 0,6/1,0kV
classe de encordoamento 4 ou 5, instalados em canaleta, dos transformadores
até o QGBT.

1.10 – QUADRO GERAL DE BAIXA TENSÃO

O quadro geral de baixa tensão será instalado para


proporcionar condições seguras de manobras aos operadores, e proteções
adequadas contra sobrecorrentes e curtos-circuitos no secundário do
transformador e ramais de alimentação dos quadros de distribuição, para
propiciar acesso a leituras de grandezas elétricas e transmissão de dados
para controle e gerenciamento da energia elétrica.

Recife, 07 de março de 2017

____________________________________
Tiago Ramos Bezerra
CREA: PE049205