Você está na página 1de 25

UNIVERSIDADE PAULISTA – UNIP

ESTUDO DE CASO PORCELANA MONTE SIÃO


PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR – PIM VII

Minas Gerais
2018
ESTUDO DE CASO PORCELANA MONTE SIÃO
PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR – PIM VII

ALUNO - MATRÍCULA
ALUNO - MATRÍCULA
ALUNO - MATRÍCULA

Projeto Integrado Multidisciplinar – PIM VII, apresentado


como um dos pré-requisitos para aprovação do bimestre
vigente no Curso Superior de Tecnologia em Processos
Gerenciais.

Orientador (a): Professor

Minas Gerais
2018
RESUMO

O seguinte projeto abordará o funcionamento da fábrica Porcelana Monte Sião, de


modo amplo, objetivando inserir conhecimentos detalhados de sua estrutura e dos
processos organizacionais por ela utilizados. O projeto descrito tem como finalidade
fornecer dados coerentes e relevantes sobre a fábrica, fundamentando-se nas
matérias ministradas no penúltimo período do curso de Processos Gerenciais, onde
serão vistos aspectos referentes às disciplinas Logística Integrada, Gerenciamento de
Sistemas de Informação e Desenvolvimento Sustentável. O presente projeto foi
organizado em capítulos, cada um abordando uma disciplina do semestre. Assim
sendo, a finalidade principal da elaboração deste projeto é escrever algumas
considerações sobre as características da fábrica no que diz respeito ao
gerenciamento dos sistemas de informação empregado no ambiente organizacional
com vistas a nortear a tomada de decisões, assim como no que concerne à integração
dos processos logísticos e ao gerenciamento da cadeia de suprimentos, junto à um
plano de desenvolvimento sustentável que leve em consideração os preceitos de ética
e responsabilidade social, tudo isso com o finalidade de executar um diagnóstico
organizacional da fábrica pesquisada e propor possíveis benfeitorias em suas
atividades.

Palavras-chave: Sistemas, logística, informação, sustentabilidade e integração.


SUMÁRIO
1. INTRODUÇÃO .............................................................................................................................. 3
2. HISTÓRICO DA ORGANIZAÇÃO ............................................................................................ 4
3. LOGÍSTICA INTEGRADA .......................................................................................................... 5
3.1. Demonstração das cadeias de distribuição...................................................................... 6
3.2. Estratégias de preços .......................................................................................................... 8
3.3. Estratégia de propaganda ................................................................................................... 9
3.4. Localização .......................................................................................................................... 10
3.5. Administração de compras e estoques ........................................................................... 10
4. GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO .................................................... 13
4.1. Investimento, Qualidade e Inovação ............................................................................... 14
4.2. O papel do ADM de SI (Sistemas de Informação) ........................................................ 15
4.3. Comercial Financeira ......................................................................................................... 15
4.4. Sigilo dos Dados ................................................................................................................. 15
4.5. Industrial (Produção, Logística e Vendas) ...................................................................... 16
4.6. Computação Pessoal ......................................................................................................... 17
4.7. Sistemas de Comércio Internacional (Siscomex) .......................................................... 17
5. PROJETO DE SUSTENTABILIDADE .................................................................................... 18
6. CONCLUSÃO ............................................................................................................................. 21
REFERÊNCIAS .................................................................................................................................. 23
3

1. INTRODUÇÃO

A produção textual objetiva demonstrar que logística é aquela em que


o processo concebido atende aos níveis de serviços objetivados ao menor custo total
possível e ganhou importância estratégica no decorrer do tempo, nos processos da
empresa. Pois, reduzir custos é foco geral em todas as fábricas e é isso que a logística
planejada pode efetivar. E ter o produto na hora e local que o cliente desejar também
é fator primordial nos dias de hoje, com concorrência acirrada e a cultura do consumo
instantâneo.
Um dos assuntos que tem sido corriqueiramente abordado no setor
de logística é o conceito de “logística reversa”, que consiste basicamente em dar um
destino correto para produtos fora de uso, por meio de reciclagem, reutilização ou
reparação dos mesmos. Todavia, mais que adotar esse conceito nas execuções da
fábrica, o grande desafio do setor parece ser utilizá-lo com eficiência.
Em destaque também é o Gerenciamento de Sistemas de Informação,
que podem auxiliar uma organização a ser mais eficiente e ágil na gestão de suas
informações. A Aplicação de Inteligência nos negócios através de sistemas de
comércio eletrônico, gestão de relacionamento com o cliente, gerenciamento da
cadeia de suprimentos, planejamento de recursos da fábrica e e-business são os
principais termos relacionados à aplicação de tecnologia de informação na gestão de
empresas.
Outro assunto de grande relevância é o Desenvolvimento
Sustentável, em tempos de discussão sobre o aquecimento global e responsabilidade
social, investir em empresas que adotam o caminho da sustentabilidade é de vital
importância para aqueles que têm uma visão de longo prazo.
Mais do que um tema que está “na fama empresarial”,
sustentabilidade é tema sério. O conceito está relacionado com a continuidade dos
aspectos econômicos, sociais, culturais e ambientais da sociedade humana. Por isso,
deve ser posto em prática por todas as pessoas e empresas, pois a sustentabilidade
não ocorre de forma isolada.
A produção integrará as três disciplinas citadas e que serão
desenvolvidas a partir do estudo de caso da fábrica de porcelanato, Porcelana Monte
Sião.
4

2. HISTÓRICO DA ORGANIZAÇÃO

A informação histórica da fábrica foi retirada integralmente do website


da própria fábrica, que informa, esclarece e traz para usuários uma ampla
transparência sobre ela. A Porcelana Monte Sião fundada no ano de 1959, tinha
produção, no início, pequena fabricando somente apenas bibelôs. Sob encomenda,
foi solicitado que fosse feito uma cópia de uma jarrinha azul e branca recém trazida
de Portugal. Essa peça foi reproduzida e fez tanto sucesso que passou a ser um
modelo de produção. Outros modelos parecidos foram desenvolvidos e produzidos e
o sucesso continuava.
Para diversificar a linha de produtos, foram sendo desenvolvidas
peças domésticas, como xícaras, pires, travessas, canecas, copos, etc., e o sucesso
continuava.
O processo era 100% artesanal. Moía-se a matéria prima, fazia-se os
moldes, estampava-se as peças, aplicava-se a pintura artesanal e por fim as mesmas
eram colocadas no forno a lenha por várias horas até ficarem prontas para o comércio.
Todo maquinário necessário para a produção das porcelanas era
engenhado na própria fábrica, desde o 'Tamburão', enorme tambor que girava num
eixo central moendo a matéria prima, o torno que era utilizado para confecção dos
moldes, as peças giratórias para aplicação da pintura artesanal, as prateleiras onde
as peças ficavam acondicionadas para secagem, até mesmo o forno.
As vendas no início se restringiam a pequenos eventos e feiras nas
cidades vizinhas, e alguns anos após foi então inaugurada a loja, no mesmo local da
fábrica. Fazia-se plantões na cidade vizinha de águas de Lindóia, com a finalidade de
atrair turistas para visitação da fábrica. Quando a fábrica foi instalada, a cidade de
Monte Sião era basicamente rural, não havia visita de turistas nem comércio
significativo. Com o aumento de turistas visitando a fábrica, as costureiras locais
começaram a fazer ponto no local para vender suas malhas tecidas em suas casas.
Apesar tantos anos de existência, a Porcelana Monte Sião não se
rendeu até hoje à tecnologia e produz porcelana da mais alta qualidade em forno a
lenha. O segredo da legítima porcelana está na mistura dos gases da lenha queimada
com a porcelana encandecida, que lhe confere extrema rigidez e qualidade.
Atualmente a Porcelana Monte Sião é autossuficiente em madeira
para queima dos seus fornos, mantendo uma área especialmente reflorestada. O
5

diferencial das nossas porcelanas é justamente a valorização do artesanal, do


exclusivo, onde cada peça é tratada como única, o que nos garante uma clientela de
bom gosto que sabe valorizar a arte de fazer porcelana.
Possui os departamentos de: Administração, Financeiro,
Contabilidade, Faturamento, Acerto de Contas, operacional que é o elo entre a
logística e produção da empresa, é o coração de tudo, ele é a programação,
orientação, procura equipamentos, faz adequação, recebe programação do cliente,
tipos de carga, procura a melhor carreta disponível e mais próxima do cliente,
manutenção, check list, documentação da carreta e do motorista, enfim, todo o
processo da operação, RH, Informática, Segurança, Funciona também o setor de
Manutenção de Veículos que agrega a Oficina, Borracharia, Lavagem e Lubrificação,
check list, Liberação, Almoxarifado e Estação de Limpeza.

3. LOGÍSTICA INTEGRADA

A logística integrada volta-se para a gestão do processo produtivo, em


outras palavras, a cadeia de suprimentos, e nessa cadeia, toma destaque para os
objetivos desta produção, os estoques das empresas. Constantemente se tem
abordado atribuições dos estudos logísticos, porém quanto mais se discute, mais
carência de se discutir é latente.
O termo logístico é algo novo, como disciplina isolada para as
empresas, esse termo, logística, nasceu no continente Europeu, no século XVIII,
enraizado do verbo loger, que caracteriza alojar, prover. Seu nascimento está atrelado
às operações militares que eram específicas para o serviço de suporte à guerra, por
exemplo: suprimento e transporte do material bélico. (ABEU, 2010, apud SILVA, 2012,
p.11).
Entender a formação da palavra, não vai esclarecer o conceito do
termo logístico, dentro da empresa, mas, para fortalecer o entendimento sobre a
logística empresarial Ballou (2013, p. 17), diz que ela está atribuída como o setor, área
ou departamento, que estuda, planeja e organiza como a administração pode prover
melhor nível de rentabilidade nos serviços de distribuição aos clientes e
consumidores, por meio do planejamento do que entra e sai, organização dos
materiais e de sua manipulação e controle efetivos para as atividades de
movimentação e armazenagem que visam facilitar o fluxo dos materiais adquiridos.
6

Para compreender como ocorre essa atribuição, Ching (2010), já


abordava sobre como funciona o processo da cadeia de logística integrada dividida
em três grandes blocos: logística de suprimento, logística de produção e logística de
distribuição (está será abordada mais à frente no relatório de estágio). A forma como
esses três blocos são distribuídos e estão relacionados são expostos na figura abaixo:

Figura 1: Logística – Empresa.


Fonte: Adaptado de Ching (2010).

3.1. Demonstração das cadeias de distribuição

O processo logístico é formado por um número de atividades que


devem ser executadas de modo integrado, sendo classificadas como “primárias” ou
“de apoio”. Em que são aquelas (primárias) responsáveis por grande parte dos custos
logísticos, por isso são definidos como as mais importantes. Enquanto as de apoio
são adicionais e responsáveis pelo suporte das atividades primárias.
Atualmente, achar maneiras de melhorar e reduzir distâncias entre o
processo produtivo e o consumidor final é um dos grandes desafios das organizações,
e para isso, é necessário conhecer bem os agentes envolvidos nos processos que
formam a cadeia de distribuição.
Assim sendo, na Porcelana Monte Sião, as operações associadas à
transferência de bens desde o local de sua produção até o local designado no destino
e no fluxo de informação associado, garantem que os bens cheguem ao destino em
7

boas condições comerciais podendo assim serem oferecidos a preços competitivos.


Além disso, a empresa tem como objetivo garantir a rápida disponibilidade do produto
nos segmentos dos mercados prioritários, intensificar ao máximo o potencial de
vendas dos produtos em questão, buscar a cooperação entre os participantes da
cadeia de suprimento no que se refere aos fatores relevantes da distribuição, garantir
um nível de serviço preestabelecido pelos parceiros da cadeia de suprimentos,
garantir um fluxo de informações rápido e preciso entre os elementos participantes e
buscar de forma integrada e permanente a redução de custos, analisando a cadeia
de valor ao seu lado.
Para garantir que não falte produtos, mantendo o equilíbrio entre o
excesso e a escassez, a empresa tenta manter esse equilíbrio integrando todas as
áreas que participam efetivamente do processo logístico.
Um dos maiores desafios enfrentados na gestão de uma empresa é
encontrar formas de aperfeiçoar e reduzir distâncias entre o processo produtivo e o
consumidor final, e acredita que para vencer estas barreiras é imprescindível conhecer
bem os agentes envolvidos nos processos que compõe a cadeia de distribuição. Para
tanto, a fábrica investe na realização de treinamentos periódicos para as equipes
envolvidas no processo logístico, de modo a oferecer informações detalhadas acerca
das especificações técnicas dos produtos aos colaboradores para que os mesmos
tenham condições de dar suporte adequado aos clientes, encurtando a distância
entre o ponto de origem (fabricante) e o destino (cliente), que é o principal objetivo
da logística integrada.
Por exercer esta filosofia, baseada na integração, todos os setores da
empresa trabalham em cadeia. O setor responsável pelo recebimento das
mercadorias, por exemplo, é encarregado também da distribuição e armazenagem de
materiais, de modo que centralizar a identificação dos produtos pelo seu código,
tornando a localização mais rápida, o que ajuda a evitar atrasos e extravios. Enquanto
isso, o setor de suprimentos e expedição tem a incumbência de separar, embalar e
despachar os produtos vendidos por intermédio das transportadoras escolhidas pelo
cliente (sistema FOB).
Devido ao grande volume de entrega, a Porcelana Monte Sião
contrata prestadores de serviços especializados em entregas para atender a demanda
de pedidos, controlando assim o fluxo de atendimento aos seus clientes. Este recurso
8

é utilizado em situações emergenciais com o propósito de cumprir o estabelecido com


o cliente.
Todo este conjunto de métodos aplicados na empresa proporciona
uma integração real entre todos os elos da cadeia logística, desde o recebimento,
passando pela armazenagem, transporte e estoque, até chegar ao consumidor final,
tudo isso com a utilização de sistemas de informação integrados especialmente
desenvolvidos para atender às necessidades da empresa.

3.2. Estratégias de preços

Com as mudanças ocorridas no cenário econômico é fundamental


para garantir uma boa política de preços, principalmente no que se refere ao alcance
dos resultados esperados pela empresa. Isso por que o fator preço está diretamente
ligado ao sistema de custos, ponto crucial no processo logístico da empresa.
Pensando nisso, a empresa avalia a concorrência e o seu posicionamento em relação
à mesma, optando em focar nos seus diferenciais de qualidade e praticidade ao
consumidor. Ao trabalhar no desenvolvimento de seus produtos, porcelanato, a fábrica
busca estar sempre focada na total satisfação de seus clientes.
Na empresa, todo o controle relacionado à aquisição de produtos,
prazos de entrega e estoque enxuto têm como objetivo minimizar o capital investido
nestas operações, já que o propósito principal da logística integrada é justamente
reduzir custos ao mesmo tempo em que eleva o nível de serviço prestado ao cliente.
Para garantir a continuidade desse fluxo é preciso traçar uma definição da rotatividade
de estoques, uma vez que os principais problemas de dimensionamento de estoque
residem justamente na relação entre capital investido, disponibilidade de estoques,
custos incorridos e demanda. (DIAS, 1995).
Para obter este equilíbrio entre os custos incorridos e os lucros
obtidos, a Porcelana Monte Sião preconiza a definição adequada das políticas
estratégicas, levando em considerações todos os aspectos relacionados à venda do
produto e consequente satisfação do cliente, tais como tempo de entrega hábil,
disponibilidade, divulgação explícita, preços justos e pontos de venda próximos aos
clientes potenciais. Todos estes elementos compõem os 4P’s (Preço, Produto, Praça
e Promoção) que formam o mix de marketing da empresa, o qual precisa ser
criteriosamente definido a fim de obter vantagens competitivas.
9

A composição dos custos envolve três pontos principais, que são


armazenagem, estoques e transporte, sendo este último o que representa o maior
peso nos custos logísticos totais. Mesmo com esta particularidade, a empresa procura
mensurar todos estes custos de modo a reduzir ao máximo as despesas oriundas
deste processo a fim de praticar preços que sejam realmente atrativos ao consumidor,
mas que, ao mesmo tempo, não comprometa as finanças da empresa.

3.3. Estratégia de propaganda

A Porcelana Monte Sião é uma fábrica de produtos para decoração


de casas que, segundo o site da empresa (2018), surgiu no fim da década de 50, no
estado de Minas Gerais.

IMAGEM 1: Propaganda Porcelana Monte Sião


FONTE: https://www.porcelanamontesiao.com.br/midia (Adaptado).
10

É claro que a nesta propaganda a fábrica está buscando passar ao


seu consumidor alvo, que sua marca preocupa-se com o meio ambiente, contato e em
harmonia com a natureza e que é diferente conforme Saker (1998), entre as demais,
pois é a única ainda no mercado que limpa muito mais fácil e preserva o
reflorestamento, como citado em sua história produz o seu próprio madeiro.
A qualidade que se percebe, conforme Aaker (1998) nesta peça
publicitária é que a empresa está tentando se posicionar como sendo diferente dos
concorrentes existentes no mercado e isso cria um interesse muito grande
principalmente por parte dos consumidores “verdes”, fazendo com que os
revendedores tenham interesse em possuir esse produto pois, se há público para
esse produto é necessário que se criem novos postos de revendam.
Nesta peça também se percebe um grande interesse da empresa em
criar associações com a marca a vida dos famosos e pessoas de alto escalão. Essa
associação também pode estar relacionada ao estilo de vida desses consumidores,
clientes com um nível financeiro e intelectual mais elevado, são pessoas que buscam
um estilo de vida em sintonia com a natureza, consumindo sem agredir os recursos
naturais demonstrando sua preocupação com o futuro das próximas gerações. Além
disso, a fábrica tem se destacado na mídia ao ter seus produtos em participações em
novela das 19:00 – Além do horizonte.

3.4. Localização

Sediada no interior de Minas Gerais, que produz principalmente peças


de porcelanato, começa a incomodar as gigantes multinacionais, empresas sempre
dominaram o mercado no Brasil, com gordas fatias de participação nas principais
categorias, por exemplo, Portobello, Cerâmica Portinari, Eliane, Via Rosa, Ceusa,
Cerâmica Porto Ferreira, Biancogres, Delta, Cerâmica Lume e Cerâmica Elizabeth.

3.5. Administração de compras e estoques

A otimização na resposta ao cliente se faz cada vez mais necessária


devido ao crescimento do mercado e consequentemente ao aumento da concorrência,
que oferta produtos com o mesmo nível de qualidade, dando ao cliente a opção de
escolher o que mais responde as suas necessidades. A otimização na resposta ao
cliente, de fato se torna algo imprescindível na busca por uma maior fatia do mercado,
e essa otimização só será alcançada através de um plano bem estruturado de
11

gerenciamento de compras e estoques feito por profissionais com pleno conhecimento


do mercado em que atua.
O gerenciamento de compras é parte essencial para se manter uma
empresa, pois é nesse setor onde começa o processo produtivo, influenciando
diretamente nos seus estoques e no relacionamento com os clientes, estando também
relacionada à competitividade e ao sucesso da organização, sendo responsável pelo
fluxo de matérias na empresa e pela agilização das entregas.
Na compra, a empresa primeiro faz uma seleção dos fornecedores
de acordo com aqueles que melhor atendem as necessidades da empresa nas
questões financeiras e materiais e depois é analisado o custo benefício da matéria
prima, a execução da compra é feita em cima da demanda da empresa e tem suas
entregas programadas para que os estoques não se acumulem, para que não haja
necessidade de se ter um grande espaço para armazenamento e para que a
produção não seja interrompida.
A Porcelana Monte Sião procura controlar o consumo das matérias
primas para que a previsão de gasto seja cumprida. Os estoques são mantidos para
que a produção não tenha seu ciclo produtivo interrompido, uma vez que isso
aconteça, a empresa poderá sofrer graves prejuízos, como arranhar a própria marca,
tornando se um prejuízo incalculável, portanto esse abastecimento deve ser feito de
forma consciente, sem deixar de suprir a demanda dos setores da empresa.
A grande questão é determinar a quantidade ideal de estoque e
alinhar as compras de matérias primas de acordo com o fluxo de caixa da empresa.
Mas para isto é necessário fazer um estudo de perfil da empresa e de seus
administradores e entender suas necessidades para que isto não se torne um fator
negativo. Para que se tenha um ciclo de processos funcionando corretamente e uma
eficiente administração de materiais faz-se necessário ter muita disciplina e
organização. A Organização, ou o Sistema-Empresa, é definida como a ordenação e
agrupamento de atividades e recursos visando ao alcance dos objetivos
estabelecidos. A Administração de estoques é um subsistema do Sistema-Empresa.
Seu enfoque fundamental é determinar o quê, quando e como adquirir ao menor custo
- desde o momento de sua concepção até seu consumo final - para repor o estoque.
A administração do controle de estoques deve minimizar o capital total
investido em estoques, pois ele é caro e aumenta continuamente, uma vez que o custo
financeiro também se eleva. Uma empresa não poderá trabalhar sem estoque, pois
12

sua função amortecedora entre vários estágios de produção vai até a venda final do
produto. O controle de estoques é de suma importância para a empresa, sendo que
se controla o desperdício, desvios, apuram valores para fins de análise, bem como
apura o demasiado investimento, o qual prejudica o capital de giro.
Na fábrica o sistema de gestão dos estoques, os físicos refletem todas
as transações resultantes de uma modificação no estoque e, consequentemente, nos
níveis de inventário atualizados. Pode-se obter facilmente uma síntese dos estoques
atuais de qualquer material especificado. Para cada material, são apresentados não
somente os estoques existentes no depósito, como também os estoques pedidos, mas
não fornecidos ainda, reservados para produção ou para um cliente, e os estoques
em controle de qualidade podem ser monitorados, por exemplo. Se for necessária
uma subdivisão adicional por lotes para um material, é possível um batch por lote.
Esses lotes passam a ser administrados individualmente no estoque. Os estoques
especiais do fornecedor ou do cliente (estoques em consignação, por exemplo) são
administrados separadamente do estoque próprio da sociedade. Este guia discute os
diversos tipos de estoque utilizados no sistema SAP e como os estoques
correspondentes variam em função de movimentos de mercadorias.
Na Porcelana Monte Sião, os estoques são administrados por
quantidade e pelo valor - uma condição para contabilidade de custos. A cada
movimento de mercadorias, os seguintes valores são atualizados:
 o valor do estoque para administração de estoques;
 a classificação contábil para contabilidade de custos;
 as contas do Razão correspondentes para contabilidade financeira, através da
classificação contábil automática.
Tanto a quantidade quanto o valor são atualizados automaticamente
ao entrar um movimento de mercadorias. Este guia trata principalmente da
monitorização dos estoques por quantidade. A monitorização de estoques por valor é
discutida em detalhes em uma guia de avaliação de material.
Já os movimentos de mercadorias incluem os movimentos "externos"
(entradas de mercadorias provenientes de suprimento externo, saídas de mercadorias
por ordens do cliente) e os movimentos "internos" (entradas de mercadorias
provenientes de produção, retiradas de material para fins internos, transferências de
estoques e transferências).
13

Para cada movimento de mercadorias é criado um documento que é


utilizado pelo sistema para atualizar quantidades e valores e serve como comprovação
de movimentos de mercadorias. As notas de entrada/saída de mercadorias são
impressas para facilitar a movimentação física e a monitorização dos estoques
individuais no depósito. Este guia focaliza o planejamento e a entrada de todos os
tipos de movimentos de mercadorias.
Com capacidade de diferenciação de produtos e, também, pela
capacidade de operar com baixos custos, a empresa tem se preocupado em
estabelecer uma vantagem competitiva sustentável. A empresa acredita que existe
valor no produto ou serviço quando ele chega às mãos do cliente ou consumidor.

4. GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

Com o passar dos anos, as empresas vêm percebendo que o


mercado está cada vez mais exigente, e por conta disso, elas vêm desenvolvendo
novas ferramentas e técnicas com o intuito de otimizar a sua gestão. As organizações
funcionam como se fossem uma espécie de sistemas abertos, pois os mesmos estão
em um processo contínuo de mudança. Para tal, as empresas necessitam de mais
rapidez no que tange a informação e uma das ferramentas que colaboram de maneira
significativa é a “Revolução da Informação”.
A revolução da Informação exige, assim, mudanças profundas no
modo como vemos a sociedade na organização e sua estrutura, o que se traduz num
grande desafio: aproveitar as oportunidades, dominando os riscos inerentes ou
submeter-se aos riscos com todas as incertezas que acarretam.
A empresa, onde são desenvolvidos produtos para contribuir com o
movimento diário, facilitando e proporcionando conforto na realização das mais
diversas tarefas, vem se atentando para esse cenário.
Inovação é uma preocupação constante para esta empresa, pois os
administradores sabem que o investimento em pesquisa e tecnologia resultam em
produtos cada vez mais eficientes, que respeitam o meio ambiente e garantem
agilidade na realização das atividades do dia-a-dia.
Para corresponder à confiança depositada pelos seus clientes, a
empresa privilegia processos que utilizam matéria-prima e sistemas selecionada e
resultam em um excelente custo-benefício.
14

Utilizam como foco os critérios de gestão do conhecimento e a análise


dos critérios estabelecidos e analisados no PNQ por meio dos indicadores de
resultados da organização, uma vez que a gestão da informação deve levar ao
estabelecimento de metas que busquem o desafio para atingirem os resultados
desejados e que permitam elencar um conjunto de indicadores de desempenho da
organização, de forma a indicar como um instrumento de gestão e de seus produtos
se tornam um referencial interno e externo para aferir e entender os níveis de
resultados alcançados e projetados, proporcionando uma análise crítica destes para
o replanejamento de planos de ação visando manter ou ampliar as metas e a
obtenção dos outros novos resultados.
Descreveremos a seguir os conceitos de sistemas de informação
aplicados aos processos gerenciais nas áreas de qualidade e inovação, o papel do
ADM de SI (Sistemas de Informação), comercial (financeira), industrial (produção e
logística), computação pessoal, com as tecnologias da informação e sistemas de
comércio internacional (Siscomex).
Cabe também descrever que a informação é mais do que um fator de
produção. Informação é o recurso que permite a efetiva combinação e utilização dos
outros fatores de produção – informação é, de fato, a meta; um recurso que coordena
a mobilização de outros ativos com a finalidade de melhorar o desempenho
organizacional e para que isso aconteça precisam envolver Recursos Humanos,
Hardwares, Softwares, Dados e Redes.
A automação comercial é a aplicação de métodos e ferramentas para
automatizar processos comerciais, isso é, mecanizar e agilizar processos manuais,
alcançando total eficiência. A integração entre o homem e a máquina somados a
gestão buscam reduzir os custos de mão-de-obra e despesas, além de gerência e
controle operacional sobre a empresa. Com a automação, tarefas passíveis de erros,
como: cálculo e digitação de preços, quantidades, formulações, emissão de nota
fiscal; ficam mais seguras e eficientes, melhorando o trabalho dos funcionários e o
atendimento aos clientes.

4.1. Investimento, Qualidade e Inovação

A inovação tecnológica e o investimento no que há de mais moderno


em equipamentos, sistemas, processos de fabricação e administração fazem da
Porcelana Monte Sião uma fábrica que está sempre na vanguarda do mercado em
15

que atua. Desde o início das atividades, renovam seus processos produtivos a fim de
oferecer os melhores produtos aos consumidores de todo o Brasil. Investem em
modernos parques industriais que estão instalados em Porto Ferreira - SP. Também
insistem no desenvolvimento e na formação de seus colaboradores, que são
treinados para dominar os novos processos tecnológicos e operar os equipamentos
mais modernos com segurança e eficiência.

4.2. O papel do ADM de SI (Sistemas de Informação)

O Administrador do Sistema de Informação deve criar e manter os


sistemas de informações vitais, de tal forma que maximizem a eficácia da ação
gerencial. O ADM de SI controla o Plano Estratégico da Informação que por sua vez
deve estar alinhado com Plano Estratégico da fábrica.

4.3. Comercial Financeira

A empresa se preocupa com a integridade de seus dados e


recomenda para sua segurança que antes de navegar por websites e transmitir
informações, leia atentamente a política de privacidade e os termos de usos dos
ambientes virtuais visitados. Chamam de ambiente virtual todos websites,
plataformas, redes sociais e aplicativos on-line.
Se beneficiam também dos Sistemas de informação Gerenciais (SIG).
As informações disponibilizadas pelo SIG são apresentadas de forma agrupada. O
objetivo é atender o nível tático ou gerencial da organização, onde localizam-se o
corpo gestor de gerências, chefias, coordenações e supervisões. Sistemas de
Informação Estratégicos (SIE). O SIE apresenta a informação na perspectiva macro,
relacionando-as com o meio ambiente interno ou externo da organização. Esse
sistema atende ao nível hierárquico estratégico: presidentes, diretores e sócios.
4.4. Sigilo dos Dados

Tem por finalidade estabelecer as regras de privacidade nos


ambientes virtuais em que a empresa está presente.
A empresa se preocupa com o direito e necessidade a privacidade.
Seus dados são mantidos em sigilo e não serão vendidos. No caso deles serem
analisados por terceiros, existem cláusulas contratuais que tornam confidencial essa
informação, tendo ela o tratamento devido. Já a informação aberta é aquela que tem
a informação do ambiente que também são usadas como dados pessoais de
16

identificação principal como nome, endereço residencial ou comercial, e-mail, data de


nascimento, telefone celular e telefone residencial.
São usados também dados pessoais de identificação secundária
como endereço de IP, gênero, faixa etária, região geográfica, tipo de navegador,
resolução do monitor, modelos dos dispositivos utilizados, páginas visitadas e links
em seu ambiente virtual.
Dados como: preferências de compra, informações sobre seu estilo
de vida, hobbies e interesses diversos, possíveis de serem obtidos pelos cookies
armazenados em sua máquina, não são coletados pela empresa.
Todos estes dados poderão ser utilizados em diversas analises que
visam medir, monitorar e avaliar os itens abaixo descritos. A informação é um fator
decisivo na gestão por ser um recurso importante e indispensável tanto no contexto
interno como no relacionamento com o exterior. Quanto mais viável, oportuna e
exaustiva for essa informação, mais coesa será a empresa e maior será o seu
potencial de resposta às solicitações da concorrência. Alcançar este objetivo depende,
em grande parte, do reconhecimento da importância da informação e do
aproveitamento das oportunidades oferecidas pela tecnologia para orientarem os
problemas enraizados da informação.

4.5. Industrial (Produção, Logística e Vendas)

Beneficiam-se de sistemas de informação dentro da organização que


apoiam uma das funções tradicionais da empresa como os departamentos de
marketing, finanças, RH e produção. Sistemas funcionais são os sistemas de
informação de administração e de operações.
Os dados de identificação principal (nome e endereço) são
encaminhados aos prestadores de serviço, que vão realizar trocas ou entregas de
produtos. As agências de publicidade contratadas pela empresa poderão ter acesso
aos seus dados caso se inscrevam para participar em promoções e concursos
culturais.
Não permitem que seus parceiros utilizem seus dados obtidos em
seus ambientes virtuais para entrar em contato com seus clientes.
Utilizam um sistema de CRM (Customer Relationship Managment)
para gerenciar todas as vendas e prospecções de marketing junto ao cliente.
17

Também utilizam os Sistemas de Informação Operacionais (SIO). O


SIO apresenta a informação em nível detalhado, para a utilização do corpo técnico da
organização (seus engenheiros, assistentes, auxiliares etc.). Esse tipo de sistema é
conhecido também como Sistema de Apoio às Operações Empresariais, Sistema de
Controle ou Sistema de Processamento de Transações (SPT).
Sistemas SAD são ferramentas de software para apoio e suporte à
decisão, essenciais ao processo decisório, compostos de pessoas, procedimentos,
banco de dados e precisam apresentar certa flexibilidade para atender a dados
internos e externos recebidos pela empresa.

4.6. Computação Pessoal

Os dados pessoais são de dois tipos, os que possibilitam a sua


identificação principal, e os que possibilitam a sua identificação secundária gerando
interesses por nosso ambiente virtual e produtos, experiência em nosso ambiente
virtual, eficácia das ações promocionais, concursos culturais e parcerias com redes
de conteúdo como blogs e portais de notícia.
Com essas informações, o objetivo da empresa é melhorar sua
experiência em seu ambiente virtual e facilitar sua comunicação para atender as
necessidades de seus clientes e colaboradores.
Seus dados também servirão para que a empresa possa entrar em
contato com seus clientes e responder comentários, dúvidas, elogios, sugestões ou
reclamações enviadas ao nosso ambiente virtual.

4.7. Sistemas de Comércio Internacional (Siscomex)

A qualidade dos produtos da empresa cruzou fronteiras e atualmente


estão disponíveis em diversas partes do mundo. O respeito e o cuidado com o lar de
cada consumidor e com o meio ambiente têm aberto as portas para seus produtos
nos mais diversos e exigentes mercados. Conquistaram a confiança e a fidelidade dos
consumidores de países na América do Sul, Caribe, África e Ásia.
Para atuar nestes mercados e na importação de produtos e serviços
são cadastrados no SISCOMEX que dispõe sobre a Segurança e o Controle de
Acesso Lógico de Responsáveis e Representantes Legais aos Sistemas de Comércio
Exterior da Secretaria da Receita Federal – RFB, aonde a empresa é habilitada, para
fazer as transações financeiras de venda dos produtos e serviços.
18

Existe também agora recém-criada a necessidade de registro no


SICOSERV para empresas que trabalhem com produtos não tangíveis e serviços.
Dispõe sobre normas complementares à Nomenclatura Brasileira de Serviços,
Intangíveis e Outras Operações que Produzam Variações no Patrimônio (NBS) e às
Notas Explicativas da Nomenclatura Brasileira de Serviços, Intangíveis e Outras
Operações que Produzam Variações no Patrimônio (NEBS).
Há automação para operações de importação e exportação pelas
operadoras de comércio exterior, controlando os processos e preenchimento da
documentação obrigatória e destinando aos órgãos competentes nesse processo que
é a característica de que automação do processo de importação e exportação.

5. PROJETO DE SUSTENTABILIDADE

A responsabilidade social está intensivamente atrelada com as ações


de preservação do meio ambiente. Com isso, uma empresa responsável no âmbito
social tem que ser reconhecida pela sua execução de políticas responsáveis na área
ambiental, estabelecendo como um dos seus fundamentais objetivos a sua
sustentabilidade.
Observando a Porcelana Monte Sião, que apesar de respeita o
reflorestamento e os quesitos de segurança quanto a fabricação artesanal, não tinha
uma política de sustentabilidade forte. Por isso dentro desse contexto, e utilizando o
livro da disciplina de Responsabilidade Social e Ambiental propor-se-á um projeto:

No que se refere à empresa, é importante compreender a


responsabilidade social empresarial que trata do conjunto de práticas
e ações da empresa que beneficiam a sociedade e as corporações,
levando em consideração a economia, a sociedade, o meio ambiente,
a educação, a saúde, o transporte, a moradia, as atividades locais e o
governo. Essas ações otimizam ou criam programas sociais, trazem
benefícios mútuos entre a empresa e a comunidade local, a fim de
melhorar a qualidade de vida dos empregados e da população.
(DELBONO, 2016 p.188).

Dentro desse contexto, observando a importância da


responsabilidade social empresarial para as organizações e para que a empresa não
cometa novamente erros com funcionários, meio ambiente e sociedade buscando
cumprir sua função social empresarial é preciso estabelecer na missão, visão e
valores da empresa o trinômio da sustentabilidade.
Atualmente, a tecnologia é um dos grandes responsáveis pelo
consumo dos recursos naturais do planeta Terra. Além da energia consumida durante
19

o processo de produção, entram nesta conta também o desperdício de energia de


aparelhos eletrônicos. Avanços tecnológicos ocorrem ao passar dos dias e os
fabricantes e idealizadores dessas evoluções se preocupam cada vez mais com o
meio ambiente.
É perceptível a mudança nos hábitos dos empreendedores ao se
preocuparem com o meio ambiente quando inventam alguma tecnologia. Essa
conscientização pode ser explicada, talvez, pelo fato das consequências de os
impactos ambientais terem afetado o bolso dos próprios criadores, seja direta ou
indiretamente.
O que se destaca, então, é o grande índice de novas tecnologias
criadas para tentar combater o desperdício abusivo de resíduos prejudiciais ao meio
ambiente. Criar modelos de eletrônicos que gerem mais economia e tenham uma
durabilidade maior. Feitos com produtos menos poluentes e que, de certa forma,
podem ser recicláveis.
Computadores chegam a desperdiçar até metade da energia que
consomem e há que se levar em conta também o uso irresponsável por parte de
usuários, que deixam monitores ligados quando desnecessário, por exemplo. Além de
computadores, existem diversos produtos eletrônicos que consomem energia da Terra
e que poderiam ser substituídos.
A tecnologia verde, por exemplo, com a crescente preocupação
acerca do meio ambiente, diversas empresas têm desenvolvido inúmeros produtos
que não emitem – ou então emitem menos – gases poluentes, que utilizam energias
renováveis e muito mais. A maioria deles ainda não se encontra no Brasil, mas é uma
boa maneira de saber o que vem por aí.
Diversas empresas grandes vêm investindo pesado na preservação
do meio ambiente e também no desenvolvimento de produtos eletrônicos que não
sejam tão danosos à natureza tanto enquanto são usados, quanto no momento em
que são descartados. Redução do consumo de energia, utilização de material
reciclável ou criado a partir de fontes renováveis de energia e produtos reutilizáveis
são alguns exemplos.
Google Preto – BLACKLE: (digitando esse nome é possível usar o
recurso), em janeiro de 2007 o blog ecoiron.blogspot.com publicou uma postagem
afirmando que se a página inicial do Google – o site mais acessado do mundo –
eventualmente fosse preta ao invés de branca, seriam economizados no mundo todo
20

em um ano 3 mil MWh (Megawatt hora), quantidade de energia suficiente para


abastecer durante um mês uma cidade de 100 mil habitantes.
Universal Solar ChargerUniversal Solar Charger possui uma boa
opção para quem deseja poupar energia elétrica na hora de carregar grande parte dos
aparelhos eletrônicos existentes é o Universal Solar Charger, um carregador universal
compatível com quase todos os celulares, iPod, USB ou tomada e que usa a energia
solar para tal.
Em suas instalações, a fábrica conta com estações de tratamento de
efluentes – Estes, que realizam o tratamento dos esgotos gerados a partir de
atividades produtivas. Em seguida, junto com a água captada do rio, esses esgotos
são novamente tratados e tornam-se potáveis para serem reutilizados nos processos
industriais. Isso significa que é feito a reutilização de toda a água despejada de
atividades produtivas.
Desse modo, contribuí para a despoluição dos mananciais e garante
o ecossistema regional, uma medida de responsabilidade dentro de uma visão global
de proteção ambiental.
21

6. CONCLUSÃO

O trabalho apresentado contou com vários proveitos para o exercício


da profissão e na fixação dos conteúdos trabalhos durante todo o semestre permitindo
que o aluno exerça com a fundamentação devida, sem deixar de permitir a
subjetivação aos assunto
s abordados, por exemplo o projeto de sustentabilidade. Sendo
notório na produção textual que o planejamento e o conhecimento em quaisquer
setores das empresas têm suma relevância para o êxito nos processos empresariais.
As disciplinas: Logística Integrada, Gerenciamento De Sistemas De Informação e
Desenvolvimento Sustentável estão interligadas.
As técnicas ofertadas pelo gerenciamento em sistemas de informação
dão a suporte preciso para a boa gestão da empresa e desenvolver-se competitiva e
seguramente em sua atuação. Para realizar transações no exterior (exportação e
importação) temos o suporte da “logística para exportação e importação” desta forma
conseguimos escolher os melhores itens e os melhores critérios para realizar as
operações de exportação ou importação.
Faz-se o estudo do mercado, se é constante ou flutuante qual a
interferência sofrida nas crises econômicas, qual o volume negociado e relaciona as
informações com o ciclo de pedido, o prazo de entrega e os tramites legais. O
desenvolvimento sustentável agrega valor na empresa, mais principalmente
protegendo o meio ambiente.
As técnicas da gestão de qualidade permitem um manual de como
gerir para diminuir o impacto causado com consumo de matéria prima e derivados
oferecidos pelo ambiente. Garantindo dessa forma que sempre terá a oferta, ao
contrário do que ocorria no consumo predatório. Com base nas informações coletadas
da empresa foi possível analisar todo o processo de elaboração das práticas de gestão
relativas à qualidade dos serviços oferecidos, suas características e toda a
infraestrutura utilizada neste processo.
A empresa com arte artesanal e preparo de produtos não
industrializados é sinônimo de bons negócios e já se vivência estas práticas, como
uma das principais formas de empreender negócios de maneira duradoura e lucrativa.
Em outras palavras, o quanto antes às organizações começarem a enxergar o meio
22

ambiente como um dos seus principais desafios econômico, oportunidade competitiva,


maior será a chance de sobreviverem nesta nova exigência de mercado.
As empresas, no mercado dinâmico, assim como a fábrica
pesquisada faz, necessitam partilhar o entendimento de que deve existir um objetivo
comum, e não um conflito, entre desenvolvimento econômico e proteção ambiental,
tanto para o momento presente como para as gerações futuras. A inclusão da
proteção do ambiente e da sustentabilidade entre os objetivos da organização
moderna amplia substancialmente todo o conceito de administração.
Com o desenvolvimento do trabalho ficou claro que para sobreviver
num mercado tão competitivo e movido por práticas tão distintas não basta ter
produtos de qualidade e de preços baixos. É preciso planejar e administrar
estrategicamente. Diante do que foi apresentado, o objetivo esperado com a produção
textual deste projeto foi alcançado, pois promoveu, dentro do requerido, a
aproximação entre o aluno e a pesquisa do dia-a-dia de uma fábrica. Foi gratificante
participar e evoluir um pouco mais na realização da produção acadêmica
interdisciplinar.
23

REFERÊNCIAS

BALLOU, Ronald H. Logística empresarial: Transportes, administração de materiais


e distribuição física, São Paulo: Atlas, 2013.
BARNEY, J.B.; HESTERLY, W.S. Administração estratégica e vantagem
competitiva: conceitos e casos. 3. ed. São Paulo: Pearson, 2011.
BITTI, Thainan Gomes. Tecnologias a favor do meio ambiente. Disponível em:
http://www.usjt.br/universo_sustentavel/index.php/arquivo-de-noticias/191-
tecnologias-a-favor-do-meio-ambiente-.html. Acesso em 01/10/2018.
BOONE, Louis E; KURTZ, David L. Marketing contemporâneo. 12. Ed. Rio de
Janeiro: Cengage Learning, 2009.
CABRAL, A. R. N. LEONETTI, C. A. Uma ordem econômica sustentável junto ao
princípio constitucional da defesa do ambiente. Disponível em:
http://www.publicadireito.com.br/artigos/?cod=99880ac6c3bbe603. Acesso em
02/10/2018.
CHING, H. Y. Gestão de estoques na cadeia de logística integrada. 4ª Ed. Porto
Alegre: AMGH, 2014.
DELBONO, B. de F. Responsabilidade social e ambiental. Londrina: Editora e
Distribuidora Educacional S.A., 2016.
DIAS, M. A. P. (2010). Administração de materiais: uma abordagem logística. São
Paulo: Atlas.
FARIA, A. C., ROBLES, L. T., BIO, S. R. Custos Logísticos: Discussão sob uma ótica
diferenciada. In: XI CONGRESSO BRASILEIRO DE CUSTOS, 2004, Porto Seguro:
XI Congresso Brasileiro de Custos, 2004. Anais.
FARIA, A.C; COSTA, M.F.G. Gestão de Custos Logísticos. - 1ª Ed. 5 reimp. – São
Paulo: Atlas, 2010.
INFORMAÇÕES SOBRE A EMPRESA. Disponível em
https://www.porcelanamontesiao.com.br/. Acesso 02/10/2018.
KOTLER, Philip; ARMSTRONG, Gary. Princípios de Marketing. 15. ed. Pearson
Prentice Hall, 2015.
PAOLESCHI, Bruno. Estoques e Armazenagem.1ªEdição, Editora Erica, 2014.
Disponível em http://download.editoraerica.com.br/kroton/estoques.pdf. Acesso em
04/10/2018.
SILVA, A. F. da. Fundamentos da Logística. Curitiba: Livro Técnico, 2012. 120 p.
TACHIZAWA, Takeshy. Gestão Ambiental e Responsabilidade Social
Corporativa: Estratégias de Negócios Focados na Realidade Brasil eira. São Paulo:
Atlas, 2002.
ZACCARELLI, S. Estratégia e sucessos nas empresas. 7ª ed. São Paulo: Saraiva,
2009.