Você está na página 1de 5

ERGONOMIA DE SOFTWARE

João Henrique Ferreira Diniz1


Mauro de Oliveira Ribeiro1
Pedro Arman da Conceição1
Willian James Neves Domingues1
Marco Antônio Santos de Oliveira2

RESUMO

O presente trabalho que aborda o tema “ergonomia de software” tem como objetivos identificar
padrões, vantagens e desvantagens na aplicação dos conceitos do tema definido, bem como a
usabilidade dos programas no que se refere a ergonomia. Programas mais bem documentados,
redução dos custos de manutenção, software mais eficiente, e desvantagens como esforço adicional
no desenvolvimento de software são alguns pontos trabalhados neste paper. A metodologia adotada
diz respeito a uma pesquisa bibliográfica, segundo o que alguns autores como REBELO, BISHU,
AGNER E MORAES 2002 abordam sobre ergonomia de software. É notável que já na segunda
grande guerra o trabalho do ergonomista era perceptível influenciando a relação do homem com
produtos e serviços, logo, atividades entre homem e máquina devem estar intimamente integradas
para se obter ótimos resultados. Para poderem intervir nas atividades do trabalho é preciso que os
ergonomistas tenham uma abordagem holística de todo o campo de ação da disciplina, tanto em seus
aspectos físicos e cognitivos, como sociais, organizacionais, ambientais

Palavras-chave: Ergonomia, Software, Programas.

1 INTRODUÇÃO

A pesquisa é um procedimento formal com método devendo utilizar pensamento reflexivo


que requer um tratamento cientifico, temos que ter um olhar crítico que se constitui no caminho para
se conhecer a realidade ou para descobrir veracidades incompletas.
Iremos começar abordando o assunto sobre ciência e conhecimento científico, posteriormente
a respeito de pesquisa e seus processos, vamos conhecer as etapas e aprender como elaborar uma
pesquisa. A pesquisa científica é diferente de uma simples pesquisa básica, ela necessita de toda uma
norma padronizada e organizada de acordo com a necessidade do trabalho, podendo ser na esfera
acadêmica ou em alguma outra área da sociedade.
Esse trabalho é de grande relevância no que diz respeito ao conhecimento adquirido durante
toda a elaboração, devido sua estruturação e fundamentação baseada em uma pesquisa que integra
1
Acadêmicos do 3º semestre do curso Análise de Sistemas – UNIASSELVI
2
Especialista em Engenharia de Segurança do Trabalho pela Universidade da Amazônia - UNAMA,
Graduado em Engenharia de Computação pelo Instituto de Estudos Superiores da Amazônia – IESAM,
Professor orientador e Tutor da turma de Análise de Sistemas – UNIASSELVI – marco.santos@uniasselv.edu.br
Centro Universitário Leonardo da Vinci – UNIASSELVI – Análise de Sistemas – Seminário Interdisciplinar: Ergonomia de
Software – 02/05/2019.
2

desde a concepção sobre o assunto, ate as etapas de planejamento, elaboração e aplicação das normas
técnicas para execução da pesquisa científica. Esperamos, com isso, contribuir não só com o nosso
conhecimento a respeito do assunto, mais diversas pessoas interessadas em estudar o tema citado.

2 CONCEITO

Antes de falarmos sobre ergonomia de software, devemos entender obviamente o que é


ergonomia. consideramos mais precisa a definição de Juliana Melatti (2014, FSG) “A ergonomia é a
ciência que estuda as adaptações do posto de trabalho em um contexto específico, para que os aspectos
que dificultam o desenvolvimento do trabalho possam ser observadas afim de buscar uma solução
coerente para melhorar a qualidade de vida e da atividade laboral a ser desenvolvida pelo indivíduo.”
O principal foco da ergonomia é trazer, de maneira eficaz, técnicas adaptativas para facilitar
as atividades diárias dos trabalhadores, trazendo maior qualidade de vida, buscando prevenir
patologias que podem surgir por esforço repetitivo, melhorando o rendimento dos colaboradores junto
às empresas, desenvolvendo ações que trarão benefícios para a empresa e seus colaboradores.

De acordo com a IEA (2000, Agosto):

A Associação Internacional de Ergonomia adotou a definição oficial, em Agosto de 2000,


onde diz que a Ergonomia de Software é uma disciplina científica relacionada ao
entendimento das interações entre os seres humanos e outros elementos ou sistemas, e à
aplicação de teorias, princípios, dados e métodos a projetos a fim de otimizar o bem estar
humano e o desempenho global do sistema. Os ergonomistas contribuem para o
planejamento, projeto e a avaliação de tarefas, postos de trabalho, produtos, ambientes e
sistemas de modo a torná-los compatíveis com as necessidades, habilidades e limitações das
pessoas.

Ergonomia de software reduz custo com treinamento e melhora saúde do usuário. Uma vez
que alguns programas são complexos para o manuseio acabam gerando erros e tornando o processo
lento e estressante, isso é um dos maiores problemas encontrados pelas empresas na implantação de
um software.

3 ESTRUTURA

Entendemos por tipologia uma divisão das possíveis modalidades de pesquisa. Falaremos
sobre as características de cada classificação da pesquisa cientifica.
3.1 QUANTO À NATUREZA: refere-se à origem da pesquisa.
3.1.1 Pesquisa Básica: apuração que busca ampliar o conhecimento científico, sem compromisso
de pôr em prática depois de pronto.
3.1.2 Pesquisa Aplicada: é uma investigação original concebida pelo interesse em adquirir novos
conhecimentos, é orientada para uma aplicação pratica.
3

3.2 QUANTO À ABORDAGEM: em relação à abordagem do problema a ser investigado.


3.2.1 Pesquisa Qualitativa: explora um método de pesquisa principalmente descritivo, deixando em
segundo plano padrão matemático e estatístico. É um tipo de pesquisa que não prioriza a quantificação
do objeto em estudo.
Considerando algumas variações, as pesquisas qualitativas podem apresentar as seguintes
características: subjetividade, multiplicidade, interpretação, relação de causa, narração, coleta de
dados, análise dos dados e efeito para explicação dos fenômenos.
3.2.2 Pesquisa Quantitativa: tem como o objetivo principal quantificar ou mensurar uma ou mais
variáveis estudadas. Levantamento de dados, objetividade, mensuração, perfis e abordagem,
estatísticas para apresentação em gráficos, tabelas e quadros demonstrativos.
3.3. QUANTO AOS OBJETIVOS: podemos entender como a busca de solução para um problema, o
esclarecimento de um fenômeno, novos conhecimentos que venham enriquecer os já existentes.
3.3.1 Pesquisas Exploratórias: tem como objetivo proporcionar um conhecimento sobre problema ou
fenômeno. Constitui o primeiro passo de todo trabalho científico, é elaborada por intermédio de
revisões literárias, estudos de casos ou entrevistas.
3.3.2 Pesquisas Descritivas: procuram caracterizar e identificar opiniões, atitudes ou crenças de um
grupo escolhido ou população selecionada. Os fatos são observados, registrados, analisados,
classificados e interpretados sem que o pesquisador interfira neles.
3.3.3 Pesquisas Explicativas: tais pesquisas buscam identificar os fatores que determinam ou
contribui para a ocorrência dos fenômenos, o principal método utilizado é o experimental.
3.4 QUANTO AO MÉTODO: as pesquisas também podem ser reunidas de acordo com o seu
delineamento, onde existem diversas opções para o seu desenvolvimento.
3.4.1 Pesquisa Bibliográfica: é aquela que utiliza matéria escrito-gravada, mecânica ou
eletronicamente, são consideradas fontes bibliográficas os livros, as publicações periódicas, artigos,
teses, dissertações, etc., escritas por outros autores sobre o tema em questão.
3.4.2 Pesquisa Documental: utiliza qualquer tipo de documentação que possa fornecer dados para
pesquisa, bem como registros oficiais, dados estatísticos, relatórios e material audiovisual.
3.4.3 Pesquisa Experimental: é o tipo de pesquisa que permite verificar a relação entre a causa e
efeito. São geralmente feitas por amostragem, onde se considera que os resultados validos para uma
amostra, serão, por indução, validos também para o universo.
3.4.4 Pesquisa de Campo: nesse tipo de pesquisa, os dados são obtidos diretamente com o grupo de
interesse a respeito das informações que se deseja obter, principalmente por meio de questionários e
entrevistas.
4

3.4.5 Pesquisa Participante: ocorre por meio do contato direto do pesquisador com o fenômeno
observado para se obter informações sobre a realidade dos atores sociais em seus próprios contextos,
o observador pode fazer parte do meio onde ocorre a pesquisa.
3.4.6 Pesquisa Etnográfica: é aquela que pressupõe contato direto e prolongado do pesquisador com
a situação e as pessoas ou grupos selecionados. Esse tipo de pesquisa procura registrar e descrever as
experiências e vivencias dos indivíduos e grupos que participam e constroem o cotidiano.
3.4.7 Pesquisa-Ação: é a pesquisa sistemática realizada por profissionais sobre as suas próprias
práticas. Pesquisa-ação é um estudo que envolve alguma forma de intervenção.

5 CONCLUSÃO

A pesquisa científica é desenvolvida por um pesquisador na realização de um trabalho


especifico, obedecendo a normas e técnicas definidas por um padrão estabelecido, sobretudo seguindo
formas inerentes de composição. Respeitando todas as necessidades para viabilização do trabalho em
construção, representada pela busca constante de informações rumo ao seu crescimento pessoal,
intelectual ou profissional.
Quanto à investigação estabelece um relevante processo cuja finalidade é obter informações
acerca de um determinado assunto, como tarefa frequente. Ela se determina por um grupo de
atividades direcionadas e preparada na procura pelo conhecimento, as pessoas adquirem uma atitude
investigativa, a fim de criar um espírito crítico para a realização de suas próprias averiguações.
Concluímos que nossos objetivos foram alcançados de modo satisfatório, uma vez que a
pesquisa nos possibilitou conhecimento a respeito de um assunto de grande relevância na formação
acadêmica ou até mesmo pessoal. Percebemos que a arte de pesquisar não é uma simples procura por
algo, realizadas anteriormente em nosso dia-a-dia, e sim uma busca por um determinado assunto
especifico dentro das normas técnicas e precisam ser desenvolvida com embasamento técnico.
Enfim, detectamos que todo estudo deve prezar pelo autoconhecimento dos que estão
envolvidos. Devemos ter sempre em mente que o principal objetivo de uma pesquisa, mesmo que não
esteja explicito em um projeto, é trazer, direta ou indiretamente, benefícios para as pessoas ou para
um segmento da população.
Espera-se que o trabalho exposto venha contribuir para que os leitores possam aproveitar o
conhecimento apresentado e intensificar ou incluir em seu cotidiano, a prática da pesquisa.

REFERÊNCIAS
5

 https://www.google.com/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=1&ved=2ahUKEwi
X-rLlh_3hAhVRIrkGHZ-
0BW8QFjAAegQIABAC&url=http%3A%2F%2Fdocente.ifsc.edu.br%2Fjoao.augusto%2FMaterial
Didatico%2FAn%25C3%25A1lise%2520e%2520Projeto%2520de%2520Sistemas%2FErgonomia
%2520de%2520Software.pdf&usg=AOvVaw2g0VKMvC8tO8GgClElPfqe

 https://www.google.com/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=3&ved=2ahUKEwj
ay9mxif3hAhVMHbkGHeqRDnsQFjACegQIAhAC&url=https%3A%2F%2Fwww.maxwell.vrac.p
uc-rio.br%2F8379%2F8379_3.PDF&usg=AOvVaw3jno7tmNURAUqmMdMoOe_b
 http://www.abergo.org.br/internas.php?pg=o_que_e_ergonomia