Você está na página 1de 4

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA

CENTRO DE HUMANIDADES
CAMPUS III
DISCIPLINA: PRÁTICA JURÍDICA
DOCENTE: ÍTALO
DISCENTES: JOÃO RICARDO M. ROCHA e MARCOS ANTONIO

MODELO DE PETIÇÃO INICIAL

GUARABIRA
2019
EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA ... VARA CÍVEL
DO FORO DA COMARCA DE ....

PEDRO MIRANDA, brasileiro, (estado civil), programador de computadores, (RG),


inscrito no CPF sob o nº, domiciliado e residente em São Paulo, por meio de seu advogado
que este subscreve (procuração em anexo), com endereço profissional à, CEP, nesta comarca,
onde recebe intimações, vem, respeitosamente perante vossa excelência, propor AÇÃO
INDENIZATÓRIA POR PERDAS E DANOS, observando-se procedimento comum em
face de SMART ELETRONICS LTDA, pessoa jurídica inscrita no CNPJ sob o nº, com sede
em Londrina, estado do Paraná, pelos motivos de fato e de direito a seguir expostos.

I – DOS FATOS

O autor é programador de computadores. Ocorreu que ao ser contratado para a criação


de aplicativos para celulares, este adquiriu um notebook de última geração que facilitasse a
criação do referido programa, no entanto, tal notebook, por se tratar de um produto
importado, apenas possuía alguns representantes no Brasil, cujos quais, tinham em seus
estoques o produto disponível, e uma delas era justamente a empresa demanda. Não logrando
êxito, pois, o aparelho não funcionava. De imediato contatou a fabricante SMART
ELETRONIC LTDA, não obtendo sucesso.

II – DO DIREITO

Dispõe os artigos 186, 402 e 927 do Código Civil que


Art. 186. Aquele que, por ação ou omissão voluntária, negligência ou imprudência,
violar direito e causar dano a outrem, ainda que exclusivamente moral, comete ato ilícito.
Art. 402. Salvo as exceções expressamente previstas em lei, as perdas e danos devidas
ao credor abrangem, além do que ele efetivamente perdeu, o que razoavelmente deixou de
lucrar.
Art. 927. Aquele que, por ato ilícito (arts. 186 e 187), causar dano a outrem, fica
obrigado a repará-lo.
Parágrafo único. Haverá obrigação de reparar o dano, independentemente de culpa,
nos casos especificados em lei, ou quando a atividade normalmente desenvolvida pelo autor
do dano implicar, por sua natureza, risco para os direitos de outrem.
Dos fatos materiais
Dentre os direitos fundamentais do consumidor está previsto a prevenção e reparação
de danos patrimoniais, é o que dispõe o art. 6º, VI, do Código de defesa do Consumidor.
Art. 6 º São direitos básicos do consumidor:
VI - a efetiva prevenção e reparação de danos patrimoniais e morais, individuais,
coletivos e difusos. Comprovado esta que a REQUERENTE sofreu danos materiais no
tocante à compra efetuada, uma vez que não pode utilizar o produto para o fim a que se
destinava.

III – DOS PEDIDOS

Por todo o exposto, requer a Vossa Excelência:

I - A citação do Réu para que, querendo, apresente defesa, sob pena de sujeitarem-se
aos efeitos da revelia.

II - Seja a presente ação julgada procedente, determinando-se o pagamento, pelo


REQUERIDA, pelos danos materiais causados a o REQUERENTE, no valor de R$22.000,0
0(vinte e dois mil reais), bem como a importância de R$30.000,00 (trinta mil reais), a título de
lucros cessantes, devidamente atualizados com juros e correção monetária;

Dá-se a causa o valor de R$52.000,00 (cinquenta e dois mil reais)

Termos em que,
Pede e aguarda deferimento

(local, data)

(Advogado)