Você está na página 1de 4

Análise Matemática II E

Departamento de Matemática FCT-UNL

Ficha de Exercı́cios: “Equações diferenciais”


1. (Modelo simples de crescimento populacional) Um dos modelos matemáticos para o crescimento
de uma população (sob condições ideais) baseia-se no pressuposto de que a sua taxa de crescimento é
directamente proporcional ao tamanho da população (Lei de Malthus). Designe por t a variável tempo e
por y o número de indivı́duos da população (a variável dependente).

(a) Sabendo que a taxa de crescimento da população corresponde à derivada de y em ordem a t, indique
uma equação diferencial que descreva o modelo acima referido.
(b) Mostre que qualquer função da forma Cekt , onde C é uma constante real e k é a constante de
proporcionalidade, é solução da equação diferencial encontrada em (a).
(c) Represente geometricamente a famı́lia de soluções indicada na alı́nea anterior. Interprete de acordo
com o problema.

2. Um modelo de crescimento populacional, que reflita os recursos limitados do meio ambiente, pode ser
dado pela equação diferencial (logı́stica)

dy  y 
= ky 1− , (k > 0)
dt M
onde M representa a constante de saturação.
Considere k = 1.2 e M = 4200.

(a) Verifique que a taxa de crescimento é nula quando y atinge o valor de saturação M .
(b) Indique para que valores de y a população aumenta/diminui.
(c) Verifique se a equação tem soluções de equilı́brio (ou seja, soluções constantes), e em caso afirmativo,
determine-as.

3. Para cada uma das equações diferenciais indicadas verifique que a função y(x) dada é solução da equação
no intervalo I.

(a) y 0 + y = 0, y(x) = Ce−x em I = R;


(b) y 0 + 2xy 2 = 0, y(x) = x21−1 em I =] − 1, 1[;

(c) ex − yy 0 = 0, y(x) = 2ex − 1 em I = log 21 , +∞ ;
 
i √ √ h
(d) y 0 = xy 3 , y(x) = √C−x
1
2
em I = − C, C , com C > 0.

4. Para cada uma das equações diferenciais do exercı́cio anterior indique a sua ordem e verifique se a equação
é linear.

5. Considere a equação diferencial xy 0 − y = 1.

(a) Verifique se a equação admite soluções de equilı́brio. Em caso afirmativo determine-as.


(b) Mostre que y(x) = x − 1 é uma solução da equação em R.

6. Considere a equação diferencial x2 y 0 + xy = 1.


log(x)+C
(a) Verifique que todo o elemento da famı́lia de funções y(x) = x é solução da equação diferencial
+
dada em R .
(b) Encontre uma solução da equação que satisfaça a condição inicial y(1) = 2.
(c) Encontre uma solução da equação que satisfaça a condição inicial y(2) = 1.

7. Verifique que y(x) = sin(x) cos(x) − cos(x) é uma solução do problema de valor inicial
(
y 0 + (tan x)y = cos2 x
y(0) = −1,

no intervalo − π2 , π2 .
 

(y 0 )2
8. Considere a equação diferencial 2 + xy 0 − y = 0.
C2
(a) Verifique que todo o elemento da famı́lia de funções y(x) = Cx + 2 , onde C é uma constante
arbitrária, é solução da equação diferencial dada em R.
(b) Justifique que y(x) = 2x + 2 é solução particular da equação diferencial.
2
(c) Verifique que y(x) = − x2 é solução singular da equação diferencial dada.

9. Verifique que a famı́lia de funções y(x) = ϕ(x) que satisfazem a equação x2 +y 2 = 4, são soluções implı́citas
da equação diferencial 2x + 2yy 0 = 0, no intervalo ] − 2, 2[.

10. Determine a solução geral de cada uma das seguintes equações lineares homogéneas:

(a) y 0 − 7y = 0; (c) y 0 − x2 y = 0, para x > 0;


(b) y 0 + 2xy = 0; (d) y 0 + x2 y = 0, para x > 0.

11. Determine a solução geral de cada uma das seguintes equações diferenciais lineares de primeira ordem:

(a) y 0 − 7y = ex ; (c) y 0 + 2xy = 2x3 ;


(b) y 0 − 7y = sin(2x); (d) (x2 + 1)y 0 + 3x(y − 1) = 0.

12. Determine a solução particular de cada uma das equações diferenciais do exercı́cio anterior considerando
a condição inicial y(0) respectiva:

(a) y(0) = 31 ; (b) y(0) = 0; (c) y(0) = 1; (d) y(0) = 2.

13. Resolva os seguintes problemas de valor inicial com equações diferenciais lineares de primeira ordem:

(a) xy 0 − 2y = x5 , y(1) = 1, para x > 0; (c) xy 0 − y = x2 sin x, y(−π) = 0, para x < 0;


(b) y 0 + x2 y = x, y(1) = 0, para x > 0; (d) y 0 + (tan x)y = sin(2x), y(0) = 2, x ∈ − π2 , π2 .
 

14. Determine a solução geral das seguintes equações diferenciais de primeira ordem separáveis:

xex
(a) y 0 + (x + 2)y 2 = 0; (c) y 0 = 2y ;
y cos x
(b) x2 + 1 + y 2 y 0 + yy 0 = 0; (d) y 0 = 1+y 2 .

15. Resolva cada uma das seguintes equações diferenciais:

2
2 √
(a) y 0 = xe− sin x − y cos x; (c) 2yey y 0 = 2x + 3 x;
1
(b) dx
dt = 1 − t + x − tx; (d) x2 y 0 − y = 2x3 e− x .

16. Resolva cada um das seguintes problemas de valor inicial:

(a) dr
dt + 2tr = r, r(0) = 5; (c) xy 0 − y = x log x, y(1) = 2;
(b) (1 + cos x)y 0 = (1 + e−y ) sin x, y(0) = 0; (d) y 0 = 3x2 ey , y(0) = 1.

17. Encontre a função f tal que f 0 (x) = f (x) (1 − f (x)) e f (0) = 21 .

18. Determine a equação da curva cujo gráfico passa no ponto (0, 1) e o declive no ponto (x, y) é dado pela
expressão xy.

19. Resolva a equação diferencial y 0 = x + y efectuando a mudança de variável u = x + y.

20. A equação de Bernoulli tem a forma y 0 + p(x)y = q(x)y n , sendo n um número natural. Esta equação
é linear para n = 0 ou n = 1. Para outros naturais obtém-se, efectuando uma mudança de variável
z = y 1−n , também uma equação diferencial linear.

(a) Verifique para o caso n = 2 que efectuando a mudança de variável sugerida se obtém uma equação
linear.
(b) Usando o método descrito anteriormente resolva a equação y 0 + xy = xy 2 .

21. Uma equação diferencial na sua forma normal y 0 = f (x, y) (f é contı́nua num domı́nio de R2 ) diz-se
homogénea se f (tx, ty) = f (x, y), para todo o t real.

(a) Mostre que efectuando uma mudança de variável y(x) = x u(x) numa equação diferencial homogénea,
obtem-se uma equação de variáveis separáveis.
2y 4 +x4
(b) Usando o método agora descrito resolva a equação diferencial y 0 = xy 3 .

22. (a) Esboçe o campo de direcções da equação diferencial y 0 = x2 + y 2 .


Sugestão: No site http://www.directionfield.com/ introduza a função x ∗ x + y ∗ y.
(b) Esboçe a curva integral que satisfaz y(0) = 1.

23. (a) Utilize o método de Euler, com um passo de ∆x = 0.2, para determinar um valor aproximado de
y(0.4), onde y é a solução do problema de valor inicial
(
y 0 = 2xy 2
y(0) = 1.

(b) Determine uma solução particular do problema de valor inicial da alı́nea (a).
(c) Em cada uma das aproximações indicadas na alı́nea (a), indique o erro absoluto e a percentagem de
erro cometidos.
(d) Sabe-se que, no método de Euler, reduzindo o passo para metade o erro absoluto e a percentagem
de erro reduzem na mesma proporção. Verifique este facto repetindo o processo anterior utilizando
um passo de 0.1.

24. Considere o seguinte problema de valor inicial: y 0 = y − x com y(0) = 2.

(a) Recorrendo ao método de Euler determine y(1) utilizando um passo de ∆x = 0.25.

3
(b) Resolva o problema anterior com um passo de ∆x = 0.1.
Sugestão: Implemente o método numa folha de Excel.

25. Considere o problema de valor inicial (P.V.I.)


(
dy
dx + p(x) y = q(x)
y(x0 ) = y0 .

onde p e q são funções contı́nuas num intervalo aberto I contendo x0 .


R 
1 x dP
(a) Mostre que y(x) = µ(x) x0
µ(t)q(t) dt + y 0 µ(x 0 ) é solução do P.V.I., onde µ(x) = eP (x) e dx (x) =
p(x).
du
(b) Mostre que se u(x) é tal que, no intervalo I, satisfaz (∗) dx + p(x) u = q(x) e u(x0 ) = y0 , então
u(x) = y(x) em I.
Sugestão: Multiplique a equação (∗) por µ(x) e aplique o Teorema fundamental do cálculo.
(c) Conclua que um P.V.I. dado por uma equação diferencial de primeira ordem linear tem uma única
solução.
dH dG
26. Considere funções diferenciáveis H(y) e G(x), com dy (y) = h(y) e dx (x) = g(x).

(a) Mostre que se y(x) é uma função diferenciável (num intervalo aberto I) que é solução implı́cita da
equação (∗) H(y) = G(x) + C, para alguma constante arbitrária C, então y(x) é solução da equação
dy
diferencial de variáveis separáveis h(y) dx = g(x).
Sugestão: Derive a equação (∗) em ordem a x.
dy
(b) Reciprocamente, mostre que se y(x) é solução da equação diferencial h(y) dx = g(x), num intervalo
aberto I, então y(x) é solução da equação (∗), para alguma constante arbitrária C.

27. Considere os seguintes P.V.I. com equações diferenciais separáveis.


dy
(a) Encontre duas soluções para o P.V.I. y dx = x com y(0) = 0.
dy
(b) Mostre que o seguinte P.V.I. não tem solução: y dx = −x com y(0) = 0.
(c) Compare as possı́veis soluções dum P.V.I. dado por uma equação diferencial de primeira ordem
linear, com as possı́veis soluções dum P.V.I. dado por uma equação diferencial separável.