Você está na página 1de 4

Análise Matemática II E

Departamento de Matemática FCT-UNL

Ficha de Exercı́cios: “Equações diferenciais”


1. (Modelo simples de crescimento populacional) Um dos modelos matemáticos para o crescimento
de uma população (sob condições ideais) baseia-se no pressuposto de que a sua taxa de crescimento é
directamente proporcional ao tamanho da população (Lei de Malthus). Designe por t a variável tempo e
por y o número de indivı́duos da população (a variável dependente).

(a) Sabendo que a taxa de crescimento da população corresponde à derivada de y em ordem a t, indique
uma equação diferencial que descreva o modelo acima referido.
(b) Mostre que qualquer função da forma Cekt , onde C é uma constante real e k é a constante de
proporcionalidade, é solução da equação diferencial encontrada em (a).
(c) Represente geometricamente a famı́lia de soluções indicada na alı́nea anterior. Interprete de acordo
com o problema.

2. Um modelo de crescimento populacional, que reflita os recursos limitados do meio ambiente, pode ser
dado pela equação diferencial (logı́stica)

dy  y 
= ky 1− , (k > 0)
dt M
onde M representa a constante de saturação.
Considere k = 1.2 e M = 4200.

(a) Verifique que a taxa de crescimento é nula quando y atinge o valor de saturação M .
(b) Indique para que valores de y a população aumenta/diminui.
(c) Verifique se a equação tem soluções de equilı́brio (ou seja, soluções constantes), e em caso afirmativo,
determine-as.

3. Para cada uma das equações diferenciais indicadas verifique que a função y(x) dada é solução da equação
no intervalo I.

(a) y 0 + y = 0, y(x) = Ce−x em I = R;


(b) y 0 + 2xy 2 = 0, y(x) = x21−1 em I =] − 1, 1[;

(c) ex − yy 0 = 0, y(x) = 2ex − 1 em I = log 21 , +∞ ;
 
i √ √ h
(d) y 0 = xy 3 , y(x) = √C−x
1
2
em I = − C, C , com C > 0.

4. Para cada uma das equações diferenciais do exercı́cio anterior indique a sua ordem e verifique se a equação
é linear.

5. Considere a equação diferencial xy 0 − y = 1.

(a) Verifique se a equação admite soluções de equilı́brio. Em caso afirmativo determine-as.


(b) Mostre que y(x) = x − 1 é uma solução da equação em R.

6. Considere a equação diferencial x2 y 0 + xy = 1.


log(x)+C
(a) Verifique que todo o elemento da famı́lia de funções y(x) = x é solução da equação diferencial
+
dada em R .
(b) Encontre uma solução da equação que satisfaça a condição inicial y(1) = 2.
(c) Encontre uma solução da equação que satisfaça a condição inicial y(2) = 1.

7. Verifique que y(x) = sin(x) cos(x) − cos(x) é uma solução do problema de valor inicial
(
y 0 + (tan x)y = cos2 x
y(0) = −1,

no intervalo − π2 , π2 .
 

(y 0 )2
8. Considere a equação diferencial 2 + xy 0 − y = 0.
C2
(a) Verifique que todo o elemento da famı́lia de funções y(x) = Cx + 2 , onde C é uma constante
arbitrária, é solução da equação diferencial dada em R.
(b) Justifique que y(x) = 2x + 2 é solução particular da equação diferencial.
2
(c) Verifique que y(x) = − x2 é solução singular da equação diferencial dada.

9. Verifique que a famı́lia de funções y(x) = ϕ(x) que satisfazem a equação x2 +y 2 = 4, são soluções implı́citas
da equação diferencial 2x + 2yy 0 = 0, no intervalo ] − 2, 2[.

10. Determine a solução geral de cada uma das seguintes equações lineares homogéneas:

(a) y 0 − 7y = 0; (c) y 0 − x2 y = 0, para x > 0;


(b) y 0 + 2xy = 0; (d) y 0 + x2 y = 0, para x > 0.

11. Determine a solução geral de cada uma das seguintes equações diferenciais lineares de primeira ordem:

(a) y 0 − 7y = ex ; (c) y 0 + 2xy = 2x3 ;


(b) y 0 − 7y = sin(2x); (d) (x2 + 1)y 0 + 3x(y − 1) = 0.

12. Determine a solução particular de cada uma das equações diferenciais do exercı́cio anterior considerando
a condição inicial y(0) respectiva:

(a) y(0) = 31 ; (b) y(0) = 0; (c) y(0) = 1; (d) y(0) = 2.

13. Resolva os seguintes problemas de valor inicial com equações diferenciais lineares de primeira ordem:

(a) xy 0 − 2y = x5 , y(1) = 1, para x > 0; (c) xy 0 − y = x2 sin x, y(−π) = 0, para x < 0;


(b) y 0 + x2 y = x, y(1) = 0, para x > 0; (d) y 0 + (tan x)y = sin(2x), y(0) = 2, x ∈ − π2 , π2 .
 

14. Determine a solução geral das seguintes equações diferenciais de primeira ordem separáveis:

xex
(a) y 0 + (x + 2)y 2 = 0; (c) y 0 = 2y ;
y cos x
(b) x2 + 1 + y 2 y 0 + yy 0 = 0; (d) y 0 = 1+y 2 .

15. Resolva cada uma das seguintes equações diferenciais:

2
2 √
(a) y 0 = xe− sin x − y cos x; (c) 2yey y 0 = 2x + 3 x;
1
(b) dx
dt = 1 − t + x − tx; (d) x2 y 0 − y = 2x3 e− x .

16. Resolva cada um das seguintes problemas de valor inicial:

(a) dr
dt + 2tr = r, r(0) = 5; (c) xy 0 − y = x log x, y(1) = 2;
(b) (1 + cos x)y 0 = (1 + e−y ) sin x, y(0) = 0; (d) y 0 = 3x2 ey , y(0) = 1.

17. Encontre a função f tal que f 0 (x) = f (x) (1 − f (x)) e f (0) = 21 .

18. Determine a equação da curva cujo gráfico passa no ponto (0, 1) e o declive no ponto (x, y) é dado pela
expressão xy.

19. Resolva a equação diferencial y 0 = x + y efectuando a mudança de variável u = x + y.

20. A equação de Bernoulli tem a forma y 0 + p(x)y = q(x)y n , sendo n um número natural. Esta equação
é linear para n = 0 ou n = 1. Para outros naturais obtém-se, efectuando uma mudança de variável
z = y 1−n , também uma equação diferencial linear.

(a) Verifique para o caso n = 2 que efectuando a mudança de variável sugerida se obtém uma equação
linear.
(b) Usando o método descrito anteriormente resolva a equação y 0 + xy = xy 2 .

21. Uma equação diferencial na sua forma normal y 0 = f (x, y) (f é contı́nua num domı́nio de R2 ) diz-se
homogénea se f (tx, ty) = f (x, y), para todo o t real.

(a) Mostre que efectuando uma mudança de variável y(x) = x u(x) numa equação diferencial homogénea,
obtem-se uma equação de variáveis separáveis.
2y 4 +x4
(b) Usando o método agora descrito resolva a equação diferencial y 0 = xy 3 .

22. (a) Esboçe o campo de direcções da equação diferencial y 0 = x2 + y 2 .


Sugestão: No site http://www.directionfield.com/ introduza a função x ∗ x + y ∗ y.
(b) Esboçe a curva integral que satisfaz y(0) = 1.

23. (a) Utilize o método de Euler, com um passo de ∆x = 0.2, para determinar um valor aproximado de
y(0.4), onde y é a solução do problema de valor inicial
(
y 0 = 2xy 2
y(0) = 1.

(b) Determine uma solução particular do problema de valor inicial da alı́nea (a).
(c) Em cada uma das aproximações indicadas na alı́nea (a), indique o erro absoluto e a percentagem de
erro cometidos.
(d) Sabe-se que, no método de Euler, reduzindo o passo para metade o erro absoluto e a percentagem
de erro reduzem na mesma proporção. Verifique este facto repetindo o processo anterior utilizando
um passo de 0.1.

24. Considere o seguinte problema de valor inicial: y 0 = y − x com y(0) = 2.

(a) Recorrendo ao método de Euler determine y(1) utilizando um passo de ∆x = 0.25.

3
(b) Resolva o problema anterior com um passo de ∆x = 0.1.
Sugestão: Implemente o método numa folha de Excel.

25. Considere o problema de valor inicial (P.V.I.)


(
dy
dx + p(x) y = q(x)
y(x0 ) = y0 .

onde p e q são funções contı́nuas num intervalo aberto I contendo x0 .


R 
1 x dP
(a) Mostre que y(x) = µ(x) x0
µ(t)q(t) dt + y 0 µ(x 0 ) é solução do P.V.I., onde µ(x) = eP (x) e dx (x) =
p(x).
du
(b) Mostre que se u(x) é tal que, no intervalo I, satisfaz (∗) dx + p(x) u = q(x) e u(x0 ) = y0 , então
u(x) = y(x) em I.
Sugestão: Multiplique a equação (∗) por µ(x) e aplique o Teorema fundamental do cálculo.
(c) Conclua que um P.V.I. dado por uma equação diferencial de primeira ordem linear tem uma única
solução.
dH dG
26. Considere funções diferenciáveis H(y) e G(x), com dy (y) = h(y) e dx (x) = g(x).

(a) Mostre que se y(x) é uma função diferenciável (num intervalo aberto I) que é solução implı́cita da
equação (∗) H(y) = G(x) + C, para alguma constante arbitrária C, então y(x) é solução da equação
dy
diferencial de variáveis separáveis h(y) dx = g(x).
Sugestão: Derive a equação (∗) em ordem a x.
dy
(b) Reciprocamente, mostre que se y(x) é solução da equação diferencial h(y) dx = g(x), num intervalo
aberto I, então y(x) é solução da equação (∗), para alguma constante arbitrária C.

27. Considere os seguintes P.V.I. com equações diferenciais separáveis.


dy
(a) Encontre duas soluções para o P.V.I. y dx = x com y(0) = 0.
dy
(b) Mostre que o seguinte P.V.I. não tem solução: y dx = −x com y(0) = 0.
(c) Compare as possı́veis soluções dum P.V.I. dado por uma equação diferencial de primeira ordem
linear, com as possı́veis soluções dum P.V.I. dado por uma equação diferencial separável.

Você também pode gostar