Você está na página 1de 2

LETRAS CLÁSSICAS, n. 4, p. 365-374, 2000.

cialmente da mania pelos tribunais, e dis-


ARISTÓFANES. As Aves. Tradução, in- postos a encontrar uma cidade mais tran-
trodução, notas e glossário de Adriane da qüila ou, se for preciso, fundar uma ao seu
Silva Duarte. Edição bilíngüe. São Paulo: gosto (vv. 36-48):
Hucitec, 2000. 265 p. B.L. ...Não odiamos aque-
la cidade pelo que ela é:/
grande por natureza, feliz/
A peça As Aves de Aristófanes tem e comum a todos que pa-
um destaque todo especial no conjunto da gam taxas./ As cigarras,
obra do maior comediógrafo grego da an- por um mês ou dois,/ can-
tigüidade. Então é mais do que louvável a tam sobre os ramos, mas os
publicação dessa comédia, traduzida por atenienses/ cantam sem-
Adriane da Silva Duarte, como parte da pre sobre as tribunas, a
sua Dissertação de Mestrado, e agora vida toda./ Por isso fazemos
esta caminhada/ com uma
enriquecida por uma introdução atualiza-
cesta, uma panela e coro-
da, numa abordagem, ao mesmo tempo,
as de mirto,/ vagamos em
completa e sucinta, descrevendo a trajetó- busca de um lugar tranqüi-
ria literária de Aristófanes, com a impres- lo,/ onde pousar e passar a
sionante clareza própria da autora. À tra- vida.
dução acompanham notas bem definidas
e não exaustivas, completadas, por sua vez, Mas podemos notar uma contra-
por um glossário oportuno e leve, os quais, dição nos dois personagens principais, a
em conjunto, tornam a leitura agradável e partir de seus nomes: Bom de Lábia
eficiente, algo raro de se encontrar nas tra- (Pisetero) e Tudo Azul (Evélpides). Eles
duções do grego para o português. Por ser são guiados por dois pássaros e procuram
uma edição bilíngüe (grego-português), o mítico Tereu, homem que foi transfor-
permite a leitura nas duas línguas, verso mado em pássaro, juntamente com sua
por verso. mulher Procne e sua cunhada Filomela,
“Embora faça referências a perso- numa triste história de traição, violência
nalidades e a situações comtemporâneas, e canibalismo. Tereu, a poupa, saberia in-
como era de costume na comédia antiga, formar sobre o lugar por eles desejado.
As Aves é especialmente atraente para o Porém, depois de rejeitarem as sugestões
leitor moderno por contar uma história de da poupa, resolvem criar uma cidade nas
apelo universal, que faz lembrar um conto nuvens, a Cuconuvolândia, convencen-
popular”, explica a autora na introdução. do os pássaros da sua antiga realeza sobre
A peça traz dois velhos cidadãos atenienses todos os deuses. Os dois homens recebem
cansados da agitação da sua cidade, espe- asas, e Bom de Lábia casa-se com Sobe-

– 365 –
Relatório do curso “As Paixões na Antigüidade: Amor, Ira, Compaixão”...

rania, tornando-se, desse modo, o senhor Dessa maneira, é equivocada a afirmação


do universo. de que As Aves é uma comédia de escape,
Por esse enredo, observa-se que as quando os princípios essenciais da pólis
intenções de Bom de Lábia não eram as ateniense estão ali expressos.
mesmas de Tudo Azul, que, convenien- As Aves inaugura uma nova era na
temente, desaparece, na segunda metade comédia aristofânica. A partir de agora, a
da peça. Toda a obra de Bom de Lábia é voz do poeta, que era ouvida nitidamente
atribuída ao seu caráter persuasor: primei- na parábase, “seção característica da co-
ro persuadiu Tudo Azul a acompanhá-lo; média antiga, em que o coro é deixado so-
depois Tereu, a ser seu cúmplice diante zinho em cena e passa a se dirigir direta-
dos outros pássaros; em seguida, conven- mente aos espectadores”, é silenciada. O
ceu os próprios pássaros a fundarem coro de pássaros fala em seu próprio nome
Cuconuvolândia; então os homens foram e demonstra que foi mais que persuadido
persuadidos, na parábase, de que deve- por Bom de Lábia sobre sua divindade, pois
riam sacrificar aos pássaros e não mais aos tecem sua própria teogonia, num estilo que
deuses; e, finalmente, Bom de Lábia per- faz lembrar a de Hesíodo.
suadiu os deuses a lhe darem Soberania Somente a leitura dessa peça tão
como esposa. especial vai refletir o seu verdadeiro va-
Somos então surpreendidos pelo lor. E agora temos em mãos uma excelen-
tema real da peça, a palavra. “As Aves é te tradução para o português, acompanha-
uma comédia sobre o poder das palavras”, da do texto original grego, que vai possi-
esclarece a autora na introdução. bilitar aos estudiosos da língua grega uma
“Emblemática dessa condição é a idéia da leitura ainda mais eficiente.
fundação da cidade dos pássaros, que sur-
ge para Bom de Lábia a partir de um tro- ANA MARIA CÉSAR POMPEU*
cadilho (pólo – pólis, v. 184). Todo o seu Faculdade de Filosofia, Letras e
plano está, literalmente, na ponta da Ciências Humanas
língua, depende de sua capacidade de con- da Universidade de São Paulo.
vencimento. A palavra de Bom de Lábia
é poderosa não só porque é capaz de alte- NOTA
rar o mundo, mas também porque confe-
re poder ao seu usuário”. * Professora de Língua e Literatura Grega
Adriane nos adverte ainda de que do Curso de Graduação de Letras da
Universidade Federal do Ceará-UFC e
somente na Atenas do século V, uma cul- Doutoranda em Grego do Programa de
tura, predominantemente, oral com um Pós-Graduação em Letras Clássicas da
regime democrático, tal poder seria atri- FFLCH-USP.
buído à palavra, mesmo na imaginação.

– 366 –