Você está na página 1de 2

Compreendendo a Ansiedade

A ansiedade é uma das emoções mais perturbadoras que as pessoas podem sentir.
É, algumas vezes, chamada de medo ou nervosismo. Também utilizamos a palavra
“ansiedade” para descrever curtos períodos de nervosismo ou medo que experimentamos
quando enfrentamos experiências difíceis em nossas vidas.
As alterações fisiológicas que ocorrem durante o estado de ansiedade são facilmente
identificáveis e podem incluir agitação, tensão, palma das mãos suadas, tonteira,
dificuldades respiratórias, batimentos cardíacos acelerados e rubor facial.
Acontecimentos importantes de nossas vidas (ambiente) podem contribuir para a
ansiedade. Exemplo de acontecimentos importantes são traumas (por exemplo, sofrer
abusos físicos ou sexuais; passar por acidente; presenciar uma guerra; doenças ou morte),
coisas que nos foram ensinadas (“As cobras picam”, “Se você não se lavar você ficará
doente), as coisas que observamos (um artigo no jornal sobre uma catástrofe, “Meu
coração está batendo descompassado” ) e experiências que parecem impossíveis de serem
manejadas (falar em público, promoção, perda do emprego, ter um filho).
Quando ficamos ansiosos experimentos alterações fisiológicas, comportamentais e
do pensamento. Todas essas alterações são parte das respostas de ansiedade chamadas de
“Lutar, Fugir ou Congelar”. Estas três respostas podem ser adaptativas quando encaramos o
perigo. Para ver como isso acontece, imagine que você está em outra cidade. Você decide
sais para caminhar à noite e descobre que está perdido em uma rua escura. Você nota um
homem grande a aproximadamente 20 metros de distância vindo em sua direção. Você
acha que ele viu você e que ele vai atacá-lo e roubá-lo. O que você vai fazer? Uma opção
seria lutar. Para fazer isto seu coração bateria mais forte, sua respiração seria mais rápida e
seus músculos se contrairiam. O suor ajudaria a resfriar seu corpo. Como você pode notar,
todas estas mudanças corporais seriam úteis nesta situação (mas não tão úteis quando
você encara seu chefe - um perigo social). Estas mudanças compõem a resposta de “luta”.
Talvez, você ache que lutar contra o homem não seja uma boa idéia. Talvez você ache
melhor correr. Para correr rápido, você também precisa de um batimento cardíaco
acelerado, bastante oxigênio, tensão muscular e transpiração. Portanto, mesmas mudanças
físicas que compõem a resposta de “luta” compõem a resposta de “fuga”. Você
simplesmente usa a energia extra para correr, ao invés de ficar e combater. Com um pouco
de sorte correr pode salva-lo de ser atacado. Uma terceira resposta que pode funcionar
bem seria “paralisar”. Talvez o homem não tenha visto você, e talvez se você ficar bem
parado ele não irá notá-lo. Neste caso, uma paralisação total exigiria que você tivesse os
músculos muito tensos, rígidos. Com o tórax apertado você nem respira de forma muito
visível. Esses tipos de mudanças físicas que fazem com que você fique bem parado fazem
parte da resposta de “congelamento”.
Essas três respostas da ansiedade - “luta”, “fuga” e “congelamento” - são boas
reações ao perigo. Infelizmente nós também experimentamos estas mesmas reações
quando assistimos a um filme sobre um assalto ou quando estamos diante de um grupo de
pessoas para fazer um discurso, ou seja, quando não há presença de perigo real ou quando
o perigo não é tão sério quanto se possa crer.

Perfil da ansiedade

Reações Físicas Pensamentos


Palma das mãos suadas Superestimação do perigo
Tensão muscular Subestimação da capacidade de
enfrentamento
Coração acelerado
Subestimação da ajuda disponível
Rubor
Preocupações e pensamentos
Tonteira
catastróficos

Comportamentos Estado de Humor


Evitação de situações onde a ansiedade possa Nevoso
ocorrer
Ansiedade
Sair da situação onde a ansiedade começa a
Pânico
ocorrer
Tentar fazer as coisas de forma perfeita ou
tentar controlar os acontecimentos para
prevenir o perigo

Adaptado de A mente vencendo o humor; Greenberger & Padesky (1999).