Você está na página 1de 4
FACULDADES INTEGRADAS DO NORTE DE MINAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL 1° LISTA DE EXERCÍCIOS DISCIPLINA

FACULDADES INTEGRADAS DO NORTE DE MINAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

1° LISTA DE EXERCÍCIOS

DISCIPLINA DRENAGEM PLUVIAL

PROFESSOR: VANDERSON AGUIAR SANTOS

9 - A retirada de vegetação em grandes áreas pode levar ao empobrecimento do solo,

ao assoreamento dos rios, à ocorrência de enchentes e à alteração do clima local.

PORQUE

A vegetação protege o solo contra a erosão da água e do vento, que causam a perda

da camada superior fértil. Além disso, ela abastece o solo com matéria orgânica de

suas folhas e frutos, amortece a água das chuvas, propulsiona o escoamento

superficial, favorece a infiltração e favorece o aumento da evapotranspiração.

Analisando essas afirmações, conclui-se que (Adaptada ENADE 2005):

(A)

as duas afirmações são verdadeiras e a segunda justifica a primeira.

(B)

as duas afirmações são verdadeiras e a segunda não justifica a primeira.

(C)

a primeira afirmação é verdadeira e a segunda é falsa.

 

(D)

a primeira afirmação é falsa e a segunda é verdadeira.

(E)

as duas afirmações são falsas.

10 - Considere que uma precipitação uniforme intensa, ocorrida sobre uma bacia

hidrográfica, com intensidade de 120 mm/h e duração de 20 min, gerou sobre a foz um

hidrograma de cheia triangular com vazão de pico de 80 m 3 /s, tempo de base de 160

min e tempo de pico de 60 min, conforme a figura. Se a área da bacia é de 20 km 2 ,

qual o coeficiente de escoamento superficial ( runoff ) dessa bacia? (MODIFICADA

ENADE 2008)

FACULDADES INTEGRADAS DO NORTE DE MINAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL coeficiente de escoamento superficial (

FACULDADES INTEGRADAS DO NORTE DE MINAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

INTEGRADAS DO NORTE DE MINAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL coeficiente de escoamento superficial ( runoff )

coeficiente de escoamento superficial ( runoff ) - C

C = V es / V p

V es = Volume de escoamento superficial

V p = Volume de precipitado

Volume de precipitado (V p )

V p = Altura da precipitação (P) x Área de Contribuição (Ac)

Altura da precipitação (P)

P = intensidade de chuva (i) x tempo de duração da chuva (t d )

intensidade de chuva (i) = 120,0 mm/h;

tempo de duração da chuva (t d ) = 20 mim/ 60 = 0,33 h

P = 120*0,333 = 39,67 mm = 0,03967 m.

Área de Contribuição (Ac) = 20,00km² = 20.000.000,0 m².

V p = 0,03966 x 20.000.000,0 = 793.400,0 m³

FACULDADES INTEGRADAS DO NORTE DE MINAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Volume de escoamento superficial (V

FACULDADES INTEGRADAS DO NORTE DE MINAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

Volume de escoamento superficial (V es )

V es = Área do gráfico (Q x t) = Área do Triângulo

V es = b (base) x A (altura)/2

V es = (160 mim x 80 m³/s)/2

-

Transformando os minutos em segundos

V es = (160x60 s x 80 m³/s)/2 = 384.000,0 m³.

C = V es / V p = 384.000,0 m³ / 793.400,0 m³

C =0,48.

FÓRMULAS:

COEFICIENTE DE COMPACIDADE:

m³ C =0,48. FÓRMULAS: COEFICIENTE DE COMPACIDADE: Onde, Kc - coeficiente de compacidade; P B H

Onde,

Kc - coeficiente de compacidade;

P

BH Perímetro da Bacia Hidrográfica

P

C Perímetro do Círculo correspondente a área da bacia

VAZÃO NO MÉTODO RACIONAL:

Q = 166,67. C. i. A,

onde:

Q

- deflúvio superficial direto em l/s;

C

- coeficiente de escoamento superficial;

i - intensidade média de chuva para a precipitação ocorrida durante o tempo de concentração da bacia em estudo, em mm/mim;

A - área da bacia de contribuição em ha.

TEMPO DE CONCENTRAÇÃO 1) VENTURA

de contribuição em ha. TEMPO DE CONCENTRAÇÃO 1) VENTURA Tc - tempo de concentração (min); A

Tc - tempo de concentração (min);

A

- área de drenagem (km²);

L

- comprimento do talvegue (km);

H - diferença de cota entre o ponto mais alto do talvegue e o exutório.

2) KIRPICH

FACULDADES INTEGRADAS DO NORTE DE MINAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL tc[min], L = comprimento do

FACULDADES INTEGRADAS DO NORTE DE MINAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

INTEGRADAS DO NORTE DE MINAS CURSO DE ENGENHARIA CIVIL tc[min], L = comprimento do talvegue principal,

tc[min],

L

= comprimento do talvegue principal, em km; e

H

= desnível entre a parte mais elevada e a seção de controle, em m

Área do Círculo = π. D 2 /4; PerÍmetro do Círculo =.π. D;

Equação da chuva intensa de Montes Claros

=. π . D; Equação da chuva intensa de Montes Claros i = intensidade de precipitação,

i

= intensidade de precipitação, em mm/h;

2

T

= tempo de recorrência, em anos;

t

= duração da precipitação em minutos.

Vazão

Q = 2,78 C I A 10 4

Sendo:

C = coeficiente de escoamento superficial;

I = Intensidade da chuva de projeto mm/h;

A = Área de contribuição em m²;