Você está na página 1de 3

INSTITUTO FEDERAL FLUMINENSE CAMPUS CABO FRIO

Aluno (a): Raquel Ribeiro

Turma: 104

Professor: Luã Guimarães

Matéria: Introdução Exploração e Produção de Petróleo e Gás

RELATÓRIO: A HISTÓRIA DO PETRÓLEO NO BRASIL

A história do petróleo no Brasil é interessante, o nosso país é um país


gigantesco. Nós temos bacias sedimentares porque o petróleo só dá em bacias
sedimentares. São 6.9 milhões de quilômetros quadrados no brasil em bacia
sedimentar e terra. Eugênio Ferreira de Camargo, em 1892 chegou a perfurar
poços, sem sucesso no estado de São Paulo.

No início do século XX, procurar petróleo ainda era uma aventura. Em 1930, em
Lobato na Bahia, Manoel Inácio de Bastos e Oscar Cordeiro alertados por uma
briga entre fazendeiros, por causa de uma certa sujeira escura na água
suspeitaram da existência de petróleo na região. Os dois então, pediram auxílio
ao recém criado Departamento Nacional de Produção Mineral e não tiveram
nenhuma resposta a não ser uma carta do ministério dizendo que eles não
passavam de impertinentes.

A revolução de 30 trouxe uma esperança muito grande no país, até porque foi
a primeira vez em que os governos passaram a falar em construir um país. Nessa
época, o escritor Monteiro Lobato influenciado por uma viagem aos Estados
Unidos, resolve fundar a Companhia de Petróleo Nacional, e inicia uma
discussão inédita sobre a exploração do petróleo no Brasil. O primeiro poço
fundado com eficiência e rentabilidade foi na região de Lobato, na Bahia.
Enquanto isso, Monteiro Lobato fazia uma forte campanha contra a intervenção
do estado nessa atividade, por que ele pensava que tínhamos que fazer como
nos EUA, aonde a iniciativa privada é a que fez com que desse certo a
exploração petrolífera lá. Mas ele não conseguiu apoio.
A constituição promulgada no estado novo garantia a riqueza do subsolo
nacional em mãos brasileiras e a criação do Conselho Nacional do Petróleo
presidido pelo general Horta Barbosa logo após a descoberta do poço em Lobato
reafirma o otimismo em relação á existência de jazidas no país. Mas com a
renúncia de Getúlio Vargas em 1945, assume a presidência o general Eurico
Gaspar Dutra em campo ao polêmico estatuto do petróleo, gerando grande
discussão nacional.

"O petróleo é nosso!" é uma frase que se tornou famosa ao ser pronunciada
pelo então presidente da república Getúlio Vargas por ocasião da descoberta de
reservas de petróleo na Bahia. Mais adiante, a frase tornou-se lema da
Campanha do Petróleo, patrocinada pelo Centro de Estudos e Defesa do
Petróleo.

Enquanto nos Estados Unidos, ao longo de 150 anos foi perfurado quatro
milhões e meio de poços de petróleo, o Brasil ao longo de toda sua história até
hoje perfurou cerca de 22 mil postos.

Em 1954 Getúlio Vargas suicida-se, deixando como herança a Petrobrás. A


Petrobrás começa a tentar substituir grande importação de produtos derivados
do petróleo, se tornando no mínimo uma refinadora de petróleo.

Governo de Juscelino Kubitschek se inicia deixando o povo entusiasmado e


otimista.

O automóvel queima petróleo, começaram então a fabricar gasolina e a


Petrobrás começa a se desenvolver e ter que atender a indústria automobilística,
com isso o consumo de combustível aumentou e a produção nacional também.

Em 1975, o Brasil ainda importava 60% do petróleo que consumia. A fim de


reverter essa situação, o então presidente Ernesto Geisel criam os contratos de
risco que propiciavam as empresas privadas acesso ás nossas bacias para
produção de petróleo. Isso se encerra sem grandes descobertas em 1984.

Nos anos 90, várias estatais são privatizadas, cria-se um cenário para o fim do
monopólio do petróleo.

A perspectiva do petróleo nos próximos anos é de que novas reservas sejam


descobertas em São Paulo, Alagoa, Sergipe e na Região Amazônica abrindo um
novo horizonte para a indústria de petróleo no país.