Você está na página 1de 112

Medium voltage products

UniSec
Quadro de média tensão isolado
a ar de distribuição secundária
Índice

6 1. Características gerais

11 2. Unidades típicas

38 3. Componentes principais

66 4. Dispositivos de proteção e automação

79 5. Aplicações navais

84 6. Classificação IEC

85 7. Resistência ao arco interno

88 8. Informações para a instalação

98 9. Dimensões das unidades

102 10. Software de configuração

103 11. Reciclagem

104 12. Aplicações

3
UniSec – A superior switchgear range

Os quadros UniSec são o resultado de uma inovação constante e


da vontade de satisfazer as exigências de um mercado em contínua
evolução. A série UniSec oferece uma ampla gama de soluções
técnicas que duram com o passar do tempo. Segurança, confiabi-
lidade, facilidade de utilização e sustentabilidade ambiental foram as
diretrizes respeitadas para o desenvolvimento dos quadros UniSec.

Máxima conveniência Confiabilidade absoluta


Não importa onde você exerce as suas atividades, os Em todas as situações e em qualquer lugar, com a experiência
quadros UniSec oferecem sempre as melhores soluções e o know-how global da ABB, os quadros UniSec são sempre
para resolver os seus desafios técnicos e comerciais. a solução certa para todas as aplicações e condições.

Sempre a melhor solução para todas as exigências Confiáveis e seguros


Os quadros UniSec são os mais versáteis do mercado porque Os quadros UniSec são a garantia de confiabilidade e
oferecem uma ampla gama de unidades funcionais. continuidade de serviço. O longo ciclo de vida dos quadros
Um menor número de componentes e a padronização UniSec é assegurado por ensaios extensos aos quais o produto
requerem menores recursos para a manutenção e para a é submetido e por uma inigualável rede de assistência global.
formação profissional. A segregação metálica entre o compartimento dos barramentos
Prática acessibilidade às conexões dos cabos; soluções e a linha representa mais uma garantia de segurança e conti-
simples para a ligação das unidades do quadro; disjuntores nuidade de serviço. A segurança do pessoal é mais importante
facilmente removíveis. do que qualquer outra coisa. As características dos quadros
É possível realizar soluções personalizadas, até mesmo nas UniSec garantem a segurança do pessoal e constituem um
fases avançadas de projeto, fáceis modificações, rápidas investimento seguro. A gama de quadros UniSec é totalmente
substituições e upgrade dos acessórios principais. projetada e testada segundo a norma IEC 62271-200 e apre-
Para os quadros UniSec estão previstos modernos senta elevados valores de resistência ao arco interno.
dispositivos de proteção, controle e monitoramento: desde As soluções opcionais de proteção contra o arco interno,
relés de proteção autoalimentados até sofisticados terminais integradas nos relés de proteção, limitam drasticamente os
configuráveis e uma completa disponibilidade de aplicações. efeitos negativos causados pelo arco interno.

4
Ótima adaptabilidade Comprometimento constante a 360°
Com a experiência e o know-how global da ABB, os Suportados pela presença global, pela força financeira
quadros UniSec são sempre a solução certa para todas da ABB e pela abordagem voltada a um desenvolvimento
as aplicações e condições. sustentável e de longo prazo, os quadros UniSec fazem
sempre a diferença.
Conhecimento dos mercados e serviço global
A sua presença em 100 países permite à ABB conhecer os Oferta de soluções por quem está presente de maneira
mercados e as normas locais. Onde quer que seja, a ABB capilar e há longo tempo no mercado mundial
não apenas aplica as normas e especificações corretas, A presença global, o desenvolvimento constante e a força
mas também fornece desenhos, documentação, cursos de financeira da ABB são uma garantia do comprometimento
formação e pacotes e-learning localizados. da empresa e confirmam a marca UniSec como uma das
Os quadros e componentes UniSec são produzidos em marcas líderes dos quadros isolados a ar para a distribuição
plantas regionais e entregues em todas as partes do mundo, secundária.
otimizando os prazos de entrega. Tecnologia, qualidade ao estado da técnica, mínimo impacto
Qualidade e segurança do fornecimento são sempre ambiental.
garantidas. As ferramentas de suporte ao projeto UniSec incluem:
serviços, configuradores de produto, softwares de
aprendizagem, cursos de formação personalizados e
completa documentação técnica.

5
1. Características gerais

Características elétricas do quadro


Tensão nominal kV 12 17,5 24
Tensão de teste (50-60 Hz por 1 min.) kV 28 38 50
Tensão de impulso suportável kV 75 95 125
Frequência nominal Hz 50-60 50-60 50-60
Corrente nominal dos barramentos principais A 630/800/1250 630/800/1250 630/1250
Corrente nominal das aparelhagens:
– Disjuntor removível VD4/R-Sec - HD4/R-Sec - HD4/RE-Sec A 630/800 630/800 630
– Aparelho multifunções HySec A 630 630 630
– Interruptor de manobra-seccionador a gás GSec A 630/800 630/800 630
– Disjuntor extraível Vmax/Sec A 630/1250 630/1250 –
– Disjuntor extraível VD4/Sec A – – 630/1250
– Contator a vácuo extraível VSC/P A 400 – –
Corrente nominal admissível de curta duração kA (3s) 16 (5)/20 (4)/25 (1) (2) 16 (5)/20 (4)/25 (2) 16 (5)/20 (4)
Corrente de crista kA 40 (5)/50/62,5 40 (5)/50/62,5 40 (5)/50
Corrente de resistência ao arco interno (IAC AFLR) (3)
kA (1s) 12,5/16 /21/25
(5) (2)
12,5/16 /21/25
(5) (2)
12,5/16 (5)/21
(1)
25 kA 2s para unidades “sem disjuntor extraível” (4)
Para 21 kA/52,5 kAp, entre em contato com a ABB
(2)
Para unidades com disjuntor extraível (5)
Para HySec 16 kA(1s)/40 kAp
(3)
A pedido “Sem arco interno”

Projetados para todas as aplicações −− IEC 62271-102 para o seccionador de aterramento


UniSec é o quadro da ABB isolado a ar, LSC2A-PM para os −− IEC 62271-100 para os disjuntores
painéis com interruptor de manobra-seccionador e LSC2B-PM −− IEC 60071-2 para a coordenação do isolamento
para os painéis com disjuntor extraível de até 17,5 kV e −− IEC 60470 para os contatores
LSC2B-PI de 24 kV, em conformidade com as definições de −− IEC 60265-1 para os interruptores de manobra-
perda de continuidade do serviço e as normas IEC 62271-200. seccionadores
− − IEC 60529 para o grau das proteções
O quadro UniSec apresenta as seguintes características: −− IEEE 693 Teste sísmico do quadro.
−− Isolamento a ar em todas as partes ativas
−− Interruptor de manobra-seccionador em SF6 Versões disponíveis
− − Disjuntores removíveis e extraíveis a vácuo e SF6 – Teste de resistência ao arco segundo as normas
− − Aparelho multifunções: disjuntor a vácuo e seccionador em IEC 62271-200 na versão com resistência em dois lados
SF6 IAC AFL (frente e lados) 12,5 kA e com resistência em três
− − Contator a vácuo extraível lados IAC AFLR (frente, lados, traseira) 12,5 kA, 16 kA e
− − Classificação da continuidade de serviço LSC2A 21 kA; 25 kA para painéis com disjuntores extraíveis de até
−− Disjuntor e contator extravível de classe LSC2B a segundo 17,5 kV
a classificação da continuidade de serviço – Versão antissísmica em conformidade com as normas
− − Gama completa de unidades funcionais e acessórios IEEE 693
− − Amplo sortimento de relés de proteção ao estado da – Versão marinha.
técnica atual, integrados nos disjuntores removíveis ou
montados separadamente para funções de proteção,
VD4/R-Sec HD4/R-Sec
controle e medição.

Normas de referência
O quadro e os aparelhos principais nele contidos atendem
aos requisitos das seguintes normas:
− − IEC 62271-1 para a aplicação em geral
− − IEC/EN 62271-200 para o quadro, especialmente para
o que se refere às classificações implementadas pelas
normas, o quadro UniSec é definido da seguinte maneira:
- classificação da continuidade de serviço: LSC2A e LSC2B
- classificação das segregações: PM (partição metálica)
e PI (partição de isolamento) para disjuntores extraíveis
somente de 24 kV

6
Aparelhagens disponíveis Campos de aplicação
− − Interruptor de manobra-seccionador a gás GSec − − Distribuição elétrica secundária de média tensão
− − Disjuntores a vácuo removíveis VD4/R-Sec − − Subestações de transformação
−− Disjuntores em gás SF6 removíveis HD4/R-Sec - HD4/RE-Sec − − Controle e proteção de linhas e transformadores de
− − Disjuntor a vácuo com seccionador em SF6 integrados potência
HySec − − Infraestruturas, data centers, Small Power Generation
−− Disjuntor extraível Vmax/Sec de até 17,5 kV − − Aeroportos
−− Disjuntor extraível a vácuo VD4/Sec de 24 kV − − Hospitais, centros comerciais
−− Contator a vácuo extraível VSC/P. − − Indústrias, plantas para energias renováveis
−− Marinha.
Condições normais de funcionamento
−− Temperatura de armazenagem: –5 °C ... +70 °C (*) Documentação técnica
− − Temperatura ambiente: –5 °C ... +40 °C (*) Para obter informações detalhadas sobre as características
−− Umidade relativa máxima sem formação de condensado: 95 % técnicas e aplicativas das aparelhagens utilizadas no quadro
−− Umidade relativa mínima sem formação de condensado: 5 % UniSec, solicite as seguintes publicações:
− − Altitude: < 1000 m acima do nível do mar (**). −− Disjuntor VD4/Sec 1VCP000001
− − Disjuntor VD4/R-Sec - VD4/Sec 1VCP000263
Graus de proteção − − Disjuntor HD4/R-Sec - HD4/Sec 1VCP000028
Os graus de proteção do quadro atendem aos requisitos das − − Disjuntor Vmax/Sec 1VCP000408
normas IEC 60529. − − Contator VSC/P 1VCP000165
O quadro UniSec é fornecido normalmente com os seguintes − − Transformadores de corrente 1VLC000501
graus de proteção padrão: − − Transformadores de tensão 1VLC000572
−− Para o invólucro IP 3X (***) − − REF601 1MDS07202
− − Para a segregação entre os compartimentos IP 2X − − REF610 1MRS756029
− − Para o comando mecânico IP 3X. −− REF615 1MRS756379
− − REF630 1MRS756382
Tratamento superficial
As unidades UniSec são realizadas com chapas pré-
galvanizadas. As portas dos painéis frontais e a proteção
do interruptor de manobra-seccionador são pintadas na cor
cinza RAL 7035 com acabamento brilhante.
(*)
Para temperaturas de funcionamento de –25 °C e de armazenagem de –40 °C,
entre em contato com a ABB.
(**)
Para altitudes maiores, entre em contato com a ABB.
(***)
Para graus de proteção superiores, entre em contato com a ABB.

HySec Vmax/Sec VD4/Sec VSC/P

7
1. Características gerais

Concepção Os contatos estão alojados em um invólucro realizado com


Cada unidade é realizada inteiramente com chapas pré- dois materiais: a parte superior é um invólucro moldado em
galvanizadas e é constituída por diferentes compartimentos, resina para garantir o nível de isolamento; a parte inferior
descritos nos próximos parágrafos. é realizada em aço inoxidável para garantir a segregação
Cada unidade apresenta furos para a fixação no pavimento metálica e a ligação à terra entre o compartimento do
e está munida de um painel de fechamento no fundo com barramento e o compartimento dos cabos.
aberturas para a passagem dos cabos de média tensão. Esta segregação metálica (classificação PM - segregação
Todas as unidades com porta apresentam um intertravamento metálica em conformidade com a norma IEC 62271-200)
mecânico que permite a abertura da porta unicamente em garante a máxima segurança para os operadores em caso
condições de segurança. de serviço no compartimento dos cabos mesmo quando
Uma canalete de metal presente em cada unidade separa os o barramento está sob tensão, como por exemplo para
circuitos de baixa tensão dos de média tensão. substituir os fusíveis ou controlar os cabos.

Compartimentos Seccionador de aterramento


Cada unidade é composta por vários compartimentos de Cada unidade de chegada/partida pode ser equipada com
potência: compartimento dos cabos [8], compartimento dos um seccionador de aterramento para a ligação dos cabos
barramentos [4] e compartimento dos aparelhos [9]. à terra; isso não é necessário no caso de unidades HBC
Os compartimentos são separados entre si por segregações porque o aparelho multifunções HySec executa a ligação à
metálicas por intermédio do interruptor de manobra- terra direta dos cabos.
seccionador do aparelho multifunções ou de persianas O mesmo dispositivo também pode ser utilizado para ligar o
metálicas (ou isoladas se de 24 kV) [10] no caso de sistema de barramentos à terra. Também pode ser instalado
disjuntores extraíveis. diretamente no sistema de barramentos principais, em um
As unidades podem estar providas de um compartimento compartimento dedicado (aplicação de barramento).
para os circuitos auxiliares [7], onde ficam alojados todos os O seccionador de aterramento possui capacidade de
instrumentos e cablagem. fechamento em curto-circuito (exceto para as unidades com
O quadro à prova de arco interno possui normalmente um fusíveis).
conduto para o escape dos gases produzidos pelo arco. O comando do seccionador de aterramento é feito pela parte
Todas as unidades são acessíveis pela parte frontal e, frontal do quadro.
portanto, as operações de manutenção e de serviço podem A posição do seccionador de aterramento pode ser
ser realizadas mesmo com o quadro encostado em parede. observada pela parte frontal do quadro mediante um
indicador mecânico.
Barramentos principais
O compartimento dos barramentos contém o sistema de Compartimento dos aparelhos
barramentos principais conectados aos contatos fixos Na unidade LSC2B está presente o compartimento dos
superiores do interruptor de manobra-seccionador. Os aparelhos dentro do qual podem ser instalados o disjuntor
barramentos principais são realizados em cobre eletrolítico Vmax/Sec de até 17,5 kV ou VD4/Sec de 24 kV ou o contator
até 1250 A. O sistema é constituído por barramentos chatos. VSC/P de até 12 kV.
O compartimento dos barramentos está disposto ao longo de Os isoladores passantes do compartimento dos aparelhos
todo o comprimento do quadro. contêm os contatos superiores e inferiores para ligar o
A seção dos barramentos é de: aparelho com o compartimento dos barramentos e com o
1x30x10 mm para 630 A compartimento dos cabos, respectivamente.
1x40x10 mm para 800 A
2x40x10 mm para 1250 A. Compartimento dos cabos
O interruptor de manobra-seccionador ou o aparelho
Barramentos de terra multifunções criam uma segregação metálica entre o
A barra de terra é realizada em cobre eletrolítico. Percorre compartimento dos cabos e barramentos. Pode conter várias
longitudinalmente todo o quadro, garantindo desta forma a aparelhagens em função da unidade específica.
máxima segurança para os operadores e para a instalação.
A seção das barras de terra é de 75 mm2. Terminais
O compartimento dos cabos contém os terminais
Interruptor de manobra-seccionador ou aparelho para a ligação dos cabos de potência aos contatos
multifunções de seccionamento fixos inferiores da aparelhagem. Os
Os dois compartimentos de uma unidade LSC2A são terminais são realizados em cobre eletrolítico e apresentam
realizados graças ao interruptor de manobra-seccionador de barramentos chatos para toda a gama de correntes.
3 posições isolado em gás SF 6 do tipo GSec.

8
Compartimento BT para circuitos auxiliares de baixa tensão, houver a necessidade de instalar um relé
Em todas as unidades está presente um compartimento de proteção do tipo REF 601 ou REF 610 ou REF 615 ou
BT dentro do qual é possível alojar componentes de baixa REF542plus com sensores.
tensão, aparelhagens de proteção, dispositivos de medição, • Solução compartimento BT big (grande)
controle remoto e transmissão de dados. Este compartimento é utilizado se houver a necessidade
Estão disponíveis 3 tipos de compartimentos BT. de instalar relés de proteção e instrumentos de medição e
• Solução compartimento BT padrão controle à distância ou relés muito volumosos, tais como
O compartimento BT padrão está sempre presente na REF630 ou REF542plus ou REF 541.
unidade. Dentro dele, é possível instalar componentes de Neste compartimento são instalados os relés de proteção, a
baixa tensão, terminais, botões, lâmpadas e seletores. cablagem secundária e os blocos de terminais.
• Solução compartimento BT wide (largo) Para as dimensões dos compartimentos, consulte o capítulo
Este compartimento é utilizado se, além dos componentes 9.

LSC2A LSC2A

4 4
7 1
1 7

5
5

6 8

LSC2B LSC2A

4
4 7 7

11

10 1
- Interruptor de manobra-seccionador
5, 6
2
- Fusíveis
3
- Disjuntor
4
- Compartimento dos barramentos
5
- Compartimento dos comandos
9
6
- Atuador do disjuntor
8 7
- Compartimento BT para circuitos
auxiliares
8 8 - Compartimento dos cabos
9 - Compartimento dos aparelhos
10 - Persianas para painéis de até 17,5 kV
e persianas isolantes a 24 kV
11 - Aparelho multifunções

9
1. Características gerais

Compartimento dos comandos mesmo em caso de erro acidental, e permite realizar o que a
Este compartimento contém o comando do interruptor de ABB define um sistema de intertravamentos “isento de erros”.
manobra-seccionador e do seccionador de aterramento ou o
aparelho multifunções, os intertravamentos mecânicos e os Intertravamentos com chave
indicadores de posição. Também os contatos auxiliares, as O uso dos intertravamentos com chave é muito importante
bobinas de disparo e os indicadores de presença de tensão na realização da lógica de intertravamento entre unidades
são montados neste compartimento. do mesmo quadro ou de um outro quadro de alta, média e
baixa tensão. As lógicas são realizadas mediante caixas de
Cabos comutação, chaves ou ligando as chaves em anel.
Podem ser utilizados cabos unipolares ou tripolares até um As manobras de fechamento e abertura do seccionador
máximo de dois por fase, em função da tensão nominal, das de aterramento podem ser bloqueadas mediante os
dimensões da unidade e da seção dos próprios cabos. intertravamentos com chave.
Os cabos tripolares devem ser separados abaixo do Estes podem ser removidos somente com o seccionador de
pavimento para que possam ser montados em cada fase. aterramento na posição oposta relativamente ao bloqueio a
O quadro pode ser encostado na parede da estação porque ser efetuado.
os cabos são facilmente acessíveis pela parte frontal. O bloqueio por chave também pode ser aplicado ao
Para maiores informações, consulte o capítulo 8. seccionador de aterramento de aplicações com barramentos.
As chaves utilizáveis para o intertravamento podem ser de
Intertravamentos tipo: padrão ABB, Ronis ou Profalux.
O quadro UniSec está equipado com todos os intertravamentos
e acessórios necessários para garantir o máximo nível de segu- Cadeados
rança e confiabilidade para a instalação e para os operadores. As portas dos compartimentos dos aparelhos e cabos podem
Os intertravamentos de segurança podem ser de tipo padrão ser trancadas na posição fechada mediante a utilização de
ou de tipo especial; estes últimos estão disponíveis a pedido. cadeados.
Os primeiros são exigidos pelas normas e, portanto, são No interruptor de manobra-seccionador GSec é possível
necessários para garantir a sequência de manobra correta. Os instalar um cadeado para bloquear a posição no lado da linha
segundos podem ser fornecidos a pedido e a sua integração e/ou no lado da terra.
deve ser considerada na fase de instalação e manutenção. O quadro está preparado para a utilização de cadeados de
A sua presença garante os máximos níveis de confiabilidade, diâmetro entre 4 e 8 mm.

10
2. Unidades típicas

Lista das unidades disponíveis


Sigla Descrição Largura
190 mm 375 mm 500 mm 600 mm 750 mm
SDC Unidade com interruptor de manobra-seccionador • • •
SDS Unidade com interruptor de manobra-seccionador − seccionamento • •
SDM Unidade de seccionamento com medidas, com interruptor de manobra-seccionador •
SDD Unidade com interruptor de manobra-seccionador duplo •
UMP Painel de medida universal •
SFC Unidade do interruptor de manobra-seccionador com fusíveis • •
SFS Unidade do interruptor de manobra-seccionador com fusíveis − seccionamento • •
SBC Unidade do disjuntor com interruptor de manobra-seccionador •
SBS Unidade do disjuntor com interruptor de manobra-seccionador − seccionamento •
SBM Unidade de isolamento com medidas, com disjuntor e seccionador duplo •
SBR Unidade do disjuntor invertida •
HBC Unidade com disjuntor e seccionador integrados •
SFV Unidade do interruptor de manobra-seccionador com fusível − medições •
DRC Unidade de chegada direta com medidas e ligação à terra de barramento • •
DRS Unidade de elevação − medições • •
RLC/RRC Elevação dos cabos lateral, direita e esquerda •
WBC Unidade com disjuntor extraível • (*) • (**)
WBS Unidade com disjuntor extraível − seccionamento • (*) • (**)
BME Unidade de medida e ligação à terra de barramento • (*)
(*)
12-17,5 kV
(**)
24 kV

11
2. Unidades típicas

SDC – Unidade com interruptor de manobra-seccionador

Unidades disponíveis nas larguras 375 mm, 500 mm e


750 mm.
A unidade do interruptor de manobra-seccionador com cabo
é empregada principalmente como uma unidade de chegada,
em anel ou de derivação. A unidade básica está provida de
um interruptor de manobra-seccionador de 3 posições. O
interruptor de manobra-seccionador de 3 posições pode se
encontrar em uma das três posições “fechado”, “aberto” ou
“à terra”, impedindo assim manobras erradas.
O acesso ao compartimento dos cabos é possível na posição
“à terra”. A inspeção das conexões dos cabos e sinalizadores
de falha, se forem utilizados, pode ser facilmente realizada
pela janela da porta frontal.

Largura do painel Peso (kg) Un Ir Ik


mm (*) H = 1700 mm H = 2000 mm kV A kA
375 150 (1) 160 (1) 12 630/800 12,5/16 (1)/20 (2)/25 (3) (3s)
500 170 (1)
180 (1)
17,5 630/800 12,5/16 (1)/20 (2) (3s)
750 195 (2)
210 (2)
24 630 12,5/16 (1)/20 (2) (3s)
(*)
Para as dimensões gerais, consulte o cap. 9 (1)
630 A, 16 kA 3s para comando com mola dupla
(1)
Sem TC (2)
Para 21 kA, entre em contato com a ABB
(2)
Sem TC ou TT (3)
25 kA (2s)

Referência Equipamento de série Acessórios principais


Interruptor de manobra-seccionador de três posições 4 contatos de sinalização fechado - à terra
Comando mecânico com indicadores de posição Manômetro digital ou analógico com contatos de alarme opcionais
Gsec interruptor Dispositivo de presença de tensão integrado Mecanismo de comando motorizado
de manobra- Relé de abertura
seccionador Relé de fechamento
Bobina de mínima tensão
Ímã de bloqueio lado linha/terra
Transformador de corrente em conformidade com as normas DIN ou
Compartimento dos circuitos auxiliares padrão integrado
toroidal (excluindo painéis de 375 mm)
Intertravamentos mecânicos Acessórios para a classificação do arco interno
Barramentos Canalete para passagem dos cabos auxiliares
Fecho inferior do compartimento dos cabos Resistência anticondensação
Barra de ligação à terra passante Iluminação interna
Intertravamentos com chave
Painel Indicador de curto-circuito
Bloqueio com cadeados
Descarregadores de sobretensão
Compartimento de baixa tensão wide (largo) e big (grande) (*)
Transformador de tensão (excluindo painéis de 375 mm)
Terminais para cabos em paralelo (excluindo painéis de 375 mm)
Base de sobrelevação H = 300 mm
Suporte para a fixação dos cabos
(*)
Não disponível para painéis H = 2000 mm

12
SDS – Unidade com interruptor de manobra-seccionador −
seccionamento
Unidades disponíveis nas larguras 375 mm e 500 mm.
A unidade do interruptor de manobra-seccionador para
seccionamento é utilizada juntamente com a unidade
de elevação. A versão padrão está equipada com um
interruptor de manobra-seccionador de 3 posições para o
seccionamento dos barramentos. O sistema de ligação à
terra é sempre integrado de série.
As unidades de 500 mm de largura podem ser equipadas
com TC e TT (TT somente se a saída inferior dos barramentos
se encontrar à esquerda).

Largura do painel Peso (kg) Un Ir Ik


mm (*) H = 1700 mm H = 2000 mm kV A kA
375 155 (1) 165 (1) 12 630/800 12,5/16 (1)/20 (2)/25 (3) (3s)
500 175 (1)
185 (1)
17,5 630/800 12,5/16 (1)/20 (2) (3s)
(*)
Para as dimensões gerais, consulte o cap. 9 24 630 12,5/16 (1)/20 (2) (3s)
(1)
Sem TC ou TT (1)
630 A, 16 kA 3s para comando com mola dupla
(2)
Para 21 kA, entre em contato com a ABB
(3)
25 kA (2s)

Referência Equipamento de série Acessórios principais


Interruptor de manobra-seccionador de três posições 4 contatos de sinalização fechado - à terra
Comando mecânico com indicadores de posição Manômetro digital ou convencional com contatos de alarme opcionais
Gsec interruptor Dispositivo de presença de tensão integrado Mecanismo de comando motorizado
de manobra- Relé de abertura
seccionador Relé de fechamento
Bobina de mínima tensão
Ímã de bloqueio lado linha/terra
Transformador de corrente ou sensores combinados em conformidade
Compartimento dos circuitos auxiliares padrão integrado
com as normas DIN (excluindo painéis de 375 mm)
Transformador de tensão em conformidade com as normas DIN (para painel
Intertravamentos mecânicos
de 500 mm com saída dos barramentos inferior à esquerda)
Barramentos Acessórios para a classificação do arco interno
Cobertura inferior Canalete para passagem dos cabos auxiliares
Painel Barra de ligação à terra passante Resistência anticondensação
Iluminação interna
Intertravamentos com chave
Bloqueio com cadeados
Compartimento de baixa tensão estendido (*)
Base de sobrelevação H = 300 mm
(*)
Não disponível para painéis H = 2000 mm

13
2. Unidades típicas

SDM – Unidade de seccionamento com medidas, com interruptor


de manobra-seccionador
Unidade disponível com largura de
750 mm.
A unidade de seccionamento com
medidas, com interruptor de manobra-
seccionador, realiza em uma única
unidade as funções de medida e
seccionamento, e pode ser utilizada no
lugar das unidades SDS+DRS ocupando
um espaço inferior.
A versão padrão emprega um interruptor
de manobra-seccionador de três
posições e permite o seccionamento dos
barramentos principais e a respectiva
ligação à terra (sempre disponível).
As unidades de 750 mm de largura podem
ser equipadas com transformadores
de corrente e de tensão tipo DIN. Os
A transformadores de tensão, opcionais,
Seccionador à esquerda Seccionador à direita
podem ser ligados a montante ou a
jusante dos transformadores de corrente.

Largura do painel Peso (kg) Un Ir Ik


mm (*) H = 1700 mm H = 2000 mm kV A kA
750 230 (1) 250 (1) 12 630/800 12,5/16/20 (1)/25 (2) (3s)
(*)
Para as dimensões gerais, consulte o cap. 9 17,5 630/800 12,5/16/20 (1) (3s)
(1)
Sem TC ou TT 24 630 12,5/16/20 (1) (3s)
(1)
Para 21 kA, entre em contato com a ABB
(2)
25 kA (2s)

Referência Equipamento de série Acessórios principais


Gsec interruptor Interruptor de manobra-seccionador de três posições 4 contatos de sinalização fechado - à terra
de manobra- Comando mecânico com indicadores de posição Manômetro digital ou analógico com contatos de alarme opcionais
seccionador Dispositivo de presença de tensão integrado Mecanismo de comando motorizado
Transformadores de corrente ou sensores combinados em conformidade
Compartimento dos circuitos auxiliares padrão integrado
com as normas DIN
Intertravamentos mecânicos Transformadores de tensão em conformidade com as normas DIN
Barramentos e isoladores Acessórios para a classificação do arco interno
Cobertura inferior Canalete para passagem dos cabos auxiliares
Painel
Barra de ligação à terra passante Resistência anticondensação
Iluminação interna
Compartimento de baixa tensão wide (largo) e big (grande) (*)
Descarregadores de sobretensão
Base de sobrelevação H = 300 mm
(*)
Não disponível para painéis H = 2000 mm

14
SDD – Unidade com interruptor de manobra-seccionador duplo

Unidade disponível com largura de 750 mm composta por


2 seccionadores intertravados mecanicamente entre si.
Unidade adequada para gerenciar a comutação de duas
linhas de média tensão principais ou entre uma linha principal
e uma linha auxiliar (por exemplo, grupo eletrógeno).
O intertravamento mecânico dos dois seccionadores garante
a máxima confiabilidade e evita qualquer erro por parte do
operador; de fato, os seccionadores não podem ser ligados à
terra simultaneamente.
As operações de manobra dos seccionadores podem ser
feitas manualmente (mediante alavanca e/ou botões) ou
mediante motor e/ou bobinas de abertura/fechamento
(localmente e/ou à distância).
A comutação entre as duas linhas pode acontecer
automaticamente ou de forma semiautomática mediante um
sistema de controle adequado que comanda a manobra dos
seccionadores (conforme indicado na próxima página).
O restabelecimento da situação original pode acontecer
A automática ou manualmente.
A lógica do intertravamento da unidade SDD está indicada na
tabela seguinte.

Posição do seccionador esq. Posição do seccionador dir.


(linha principal) (linha secundária)
Fechado Aberto Terra Fechado Aberto Terra
• •
• •
• •
• •
• •

15
2. Unidades típicas

A solução padrão ABB: comutação automática de duas


linhas de alimentação.

Uma vez definida a linha primária (Q1), a comutação para


a linha secundária (Q2) acontece se faltar a tensão na linha
primária (Q1) instantaneamente (300 ms) ou sob solicitação
em um tempo T1 selecionável pelo cliente, para evitar
possíveis buracos de tensão na rede.
A volta à situação inicial acontecerá após o retorno da tensão
na linha primária (Q1) instantaneamente (300 ms) ou após um
tempo T2 selecionável pelo cliente.

Entre em contato com a ABB para o estudo de outras


soluções de instalação.

Largura do painel Peso (kg) Un Ir Ik


mm (*) H = 1700 mm H = 2000 mm kV A kA
750 270 (1) 290 (1) 12 630 12,5/16 (3s)
(*)
Para as dimensões gerais, consulte o cap. 9 17,5 630 12,5/16 (3s)
24 630 12,5/16 (3s)

Referência Equipamento de série Acessórios principais


2 interruptores de manobra-seccionador intertravados
4 contatos de sinalização fechado - à terra
entre si com 3 posições
Comando mecânico com indicadores de posição Manômetro digital ou analógico com contatos de alarme opcionais
Gsec interruptor
de manobra- Dispositivo de presença de tensão Mecanismo de comando motorizado
seccionador Relé de abertura
Relé de fechamento
Bobina de mínima tensão
Compartimento dos circuitos auxiliares padrão integrado Acessórios para a classificação do arco interno
Intertravamentos mecânicos Canalete para passagem dos cabos auxiliares
Barramentos Resistência anticondensação
Fecho inferior do compartimento dos cabos Iluminação interna
Barras de ligação à terra passantes Intertravamentos com chave (apenas na terra)
Painel Bloqueio com cadeados
Indicador de curto-circuito
Compartimento de baixa tensão wide (largo) e big (grande) (*)
Descarregadores de sobretensão
Base de sobrelevação H = 300 mm
Suporte para a fixação dos cabos
(*)
Não disponível para painéis H = 2000 mm

16
UMP – Painel de medida universal

Unidade disponível com largura de 750 mm.


A unidade é utilizada nas aplicações de média tensão para as
quais é exigido um painel dedicado para os transformadores
de medida.
A unidade é muito flexível e estão disponíveis seis
configurações de entrada de barramento e saída de cabo,
entrada e saída de cabo, entrada e saída de barramento.
As configurações indicadas satisfazem plenamente também
as necessidades dos clientes mais exigentes.
O acesso aos transformadores de medida e a sua montagem
são simples e seguros; a unidade é fornecida também com
uma grande porta que permite o acesso pelo lado frontal.
A porta pode ser provida de lacres e/ou cadeados de
segurança.
Os transformadores de medida individuais são montados em
placas de deslizamento, fixadas em guias localizadas nas
paredes.
A A unidade está preparada para a montagem de
transformadores de medida de tipo DIN e tipo ARTECHE.

Largura do painel Peso (kg) Un Ir Ik


mm (*) H = 1700 mm kV A kA
750 200 (1) 12 630/800 12,5/16/20 (1)/25 (2) (3s)
(*)
Para as dimensões gerais, consulte o cap. 9 17,5 630/800 12,5/16/20 (1) (3s)
(1)
Sem TC ou TT 24 630 12,5/16/20 (1) (3s)
(1)
Para 21 kA, entre em contato com a ABB
(2)
25 kA (2s)

Referência Equipamento de série Acessórios principais


Barramentos e isoladores Provido de acessórios para arco interno
Transformadores de corrente tipo DIN ou Arteche Canalete para cabos auxiliares
Transformadores de tensão tipo DIN ou Arteche Indicadores de tensão presente
Painel Compartimento dos circuitos auxiliares padrão integrado Iluminação interna
Barras de ligação à terra passantes Aquecedor anticondensação
Intertravamentos mecânicos (cadeado e lacre) Compartimento de baixa tensão wide (largo) e big (grande)
Compartimento dos circuitos auxiliares padrão integrado Base de sobrelevação H = 300 mm

17
2. Unidades típicas

SFC – Unidade do interruptor de manobra-seccionador


com fusíveis
Unidades disponíveis nas larguras 375 mm e 500 mm.
A unidade do interruptor de manobra-seccionador com
fusíveis de tipo SFC é utilizada principalmente para a
proteção dos transformadores. A unidade está equipada com
um interruptor de manobra-seccionador de 3 posições e com
um seccionador de aterramento. Para a ligação à terra dos
fusíveis, o seccionador de aterramento integrado atua no
lado a montante, enquanto um seccionador de aterramento
separado atua no lado a jusante dos fusíveis. É utilizado
um comando com mola dupla com disparo automático dos
fusíveis. O acesso ao compartimento dos cabos é possível na
posição “à terra”. A inspeção das conexões dos cabos e dos
indicadores de falha, se forem utilizados, pode ser facilmente
realizada pela janela da porta frontal.

Largura do painel Peso (kg) Un Ik IkAp(*) Fusíveis


mm (*)
H = 1700 mm H = 2000 mm kV kA kAp A
375 155 (1)
165 (1)
12 12,5/16/20 (1)/25 (2) (3s) 5 125
500 175 (1)
185 (1)
17,5 12,5/16/20 (1) (3s) 5 80
(*)
Para as dimensões gerais, consulte o cap. 9 24 12,5/16/20 (1) (3s) 5 80
(1)
Sem fusíveis (*)
Capacidade de fechamento do seccionador de aterramento a jusante EF 230 (Ik = 2 kA)
(1)
Para 21 kA, entre em contato com a ABB
(2)
25 kA (2s)

Referência Equipamento de série Acessórios principais


Interruptor de manobra-seccionador de três posições 4 contatos de sinalização fechado - à terra
Comando mecânico com indicadores de posição Manômetro digital ou analógico com contatos de alarme opcionais
Dispositivo de presença de tensão integrado Mecanismo de comando motorizado
Gsec interruptor Relé de abertura
de manobra-
seccionador Relé de fechamento
Bobina de mínima tensão
1 contato de sinalização de fusível queimado
Ímã de bloqueio lado linha/terra
Compartimento dos circuitos auxiliares padrão integrado Acessórios para a classificação do arco interno
Intertravamentos mecânicos Canalete para passagem dos cabos auxiliares
Indicador de disparo por intervenção de fusível Resistência anticondensação
Barramentos Iluminação interna
Seccionador de aterramento a jusante dos fusíveis (EF 230) Fusíveis em conformidade com as normas DIN (1)
Painel
Base para fusíveis Intertravamentos com chave
Fecho inferior do compartimento dos cabos Bloqueio com cadeados
Barra de ligação à terra passante Compartimento de baixa tensão wide (largo) e big (grande) (*)
Base de sobrelevação H = 300 mm
Suporte para a fixação dos cabos
(1)
Fusíveis DIN: 292 & 442 mm @ 12-17,5 kV
442 mm @ 24 kV
(*)
Não disponível para painéis H = 2000 mm

18
SFS – Unidade do interruptor de manobra-seccionador
com fusíveis − seccionamento
Unidades disponíveis nas larguras 375 mm e 500 mm.
Utiliza-se a unidade SFS quando for necessária uma unidade
de seccionamento com proteção mediante fusíveis. Para a
ligação à terra dos fusíveis, o seccionador de aterramento
integrado atua no lado a montante, enquanto um seccionador
de aterramento separado atua no lado a jusante dos fusíveis.
É utilizado um comando com mola dupla com disparo
automático dos fusíveis. O acesso ao compartimento dos
cabos só é possível na posição “à terra”. É possível a ligação
à esquerda dos barramentos inferiores.

Largura do painel Peso (kg) Un Ik IkAp(*) Fusíveis


mm (*)
H = 1700 mm H = 2000 mm kV kA kAp A
375 165 (1)
175 (1)
12 12,5/16/20 (1)/25 (2) (3s) 5 125
500 180 (1)
190 (1)
17,5 12,5/16/20 (1) (3s) 5 80
(*)
Para as dimensões gerais, consulte o cap. 9 24 12,5/16/20 (1) (3s) 5 80
(1)
Sem fusíveis (*)
Capacidade de fechamento do seccionador de aterramento a jusante EF 230 (Ik = 2 kA)
(1)
Para 21 kA, entre em contato com a ABB
(2)
25 kA (2s)

Referência Equipamento de série Acessórios principais


Interruptor de manobra-seccionador de três posições 4 contatos de sinalização fechado - à terra
Comando mecânico com indicadores de posição Manômetro digital ou analógico com contatos de alarme opcionais
Gsec interruptor Dispositivo de presença de tensão integrado Mecanismo de comando motorizado
de manobra- Relé de abertura
seccionador Relé de fechamento
Bobina de mínima tensão
1 contato de sinalização de fusível queimado
Compartimento dos circuitos auxiliares padrão integrado Acessórios para a classificação do arco interno
Indicador de disparo por intervenção de fusível Canalete para passagem dos cabos auxiliares
Barramentos Resistência anticondensação
Painel Seccionador de aterramento a jusante dos fusíveis (EF 230) Iluminação interna
Cobertura inferior Fusíveis em conformidade com as normas DIN (1)
Base para fusíveis Compartimento de baixa tensão wide (largo) e big (grande) (*)
Barra de ligação à terra passante Base de sobrelevação H = 300 mm
(1)
Fusíveis DIN: 292 & 442 mm @ 12-17,5 kV
442 mm @ 24 kV
(*)
Não disponível para painéis H = 2000 mm

19
2. Unidades típicas

SBC – Unidade do disjuntor com interruptor de manobra-


seccionador
Unidade disponível na largura de 750 mm.
A unidade do disjuntor SBC é realizada para o controle
e proteção de linhas de distribuição, redes, motores,
transformadores, bancos de capacitores, etc. A unidade pode
ser equipada com um disjuntor a vácuo ou a gás SF6.
O disjuntor é montado em uma guia e fixado nos
barramentos. Para a manobra de seccionamento está
previsto um interruptor de manobra-seccionador de 3
posições provido de seccionador de aterramento, montado
entre o disjuntor e os barramentos.
A porta é intertravada mecanicamente com a posição de
terra do interruptor de manobra-seccionador, para garantir
a segurança do pessoal. A unidade foi projetada para ser
equipada com TC e TT (dimensões conforme as normas
DIN, ver os componentes principais). Como alternativa,
está disponível um disjuntor com sensor de corrente e relé
integrado.
A

Largura do painel Peso (kg) Un Ir Ik IkAp(*)


mm (*)
H = 1700 mm H = 2000 mm kV A kA kAp
750 335 (1) 355 (1) 12 630/800 12,5/16/20 (1)/25 (2) (3s) 31,5/40/50 (1)/63
(*)
Para as dimensões gerais, consulte o cap. 9 17,5 630/800 12,5/16/20 (1) (3s) 31,5/40/50 (1)
(1)
Sem TC ou TT 24 630 12,5/16/20 (1)
(3s) 31,5/40/50 (1)
(*)
Capacidade de fechamento do seccionador de aterramento a jusante EF 230
(1)
Para 21 kA, entre em contato com a ABB
(2)
25 kA (2s)

Referência Equipamento de série Acessórios principais


Gsec interruptor Interruptor de manobra-seccionador de três posições 4 contatos de sinalização fechado - à terra
de manobra- Comando mecânico com indicadores de posição Manômetro digital ou analógico com contatos de alarme opcionais
seccionador Dispositivo de presença de tensão integrado Mecanismo de comando motorizado
Dispositivo de abertura com sinalização mecânica e
VD4 - HD4 Mecanismo de comando motorizado
botões de abertura e fechamento
Disjuntor
Disjuntor removível a vácuo ou a gás Relé REF601 e sensores de corrente incorporados
Transformador de corrente (em conformidade as normas DIN ou toroidal)
Compartimento dos circuitos auxiliares padrão integrado
ou sensores combinados em conformidade com as normas DIN
Intertravamentos mecânicos Transformador de tensão em conformidade com as normas DIN
Barramentos Acessórios para a classificação do arco interno
Fecho inferior do compartimento dos cabos Canalete para passagem dos cabos auxiliares
Seccionador de aterramento nos cabos (ES 230) Resistência anticondensação
Barra de ligação à terra passante Iluminação interna
Painel Ampla gama de relés de proteção
Intertravamentos com chave
Bloqueio com cadeados
Descarregadores de sobretensão
Terminais para cabos em paralelo
Compartimento de baixa tensão wide (largo) e big (grande) (*)
Base de sobrelevação H = 300 mm
Suporte para a fixação dos cabos
(*)
Não disponível para painéis H = 2000 mm

20
SBS – Unidade do disjuntor com interruptor de manobra-
seccionador − seccionamento
Unidade disponível na largura de 750 mm.
A unidade do interruptor de manobra-seccionador com
disjuntor para seccionamento é utilizada juntamente com a
unidade de elevação. As unidades padrão estão equipadas
com um interruptor de manobra-seccionador de 3 posições
ligado em série com o disjuntor para o seccionamento do
barramento. A unidade está equipada com um disjuntor a
vácuo ou a gás SF6. O disjuntor é montado em uma guia
e fixado nos barramentos. O sistema de ligação à terra do
interruptor de manobra-seccionador é sempre integrado.
A porta é intertravada mecanicamente com a posição de
terra do interruptor de manobra-seccionador, para garantir
a segurança do pessoal. A unidade foi projetada para ser
equipada com TC (dimensões conforme as normas DIN).
Como alternativa, está disponível um disjuntor com sensor de
corrente e relés integrados.

Largura do painel Peso (kg) Un Ir Ik IkAp(*)


mm (*)
H = 1700 mm H = 2000 mm kV A kA kAp
750 355 (1) 375 (1) 12 630/800 12,5/16/20 (1)/25 (2) (3s) 31,5/40/50 (1)/63
(*)
Para as dimensões gerais, consulte o cap. 9 17,5 630/800 12,5/16/20 (1) (3s) 31,5/40/50 (1)
(1)
Sem TC 24 630 12,5/16/20 (1)
(3s) 31,5/40/50 (1)
(*)
Capacidade de fechamento do seccionador de aterramento a jusante EF 230
(1)
Para 21 kA, entre em contato com a ABB
(2)
25 kA (2s)

Referência Equipamento de série Acessórios principais


Gsec interruptor Interruptor de manobra-seccionador de três posições 4 contatos de sinalização fechado - à terra
de manobra- Comando mecânico com indicadores de posição Manômetro digital ou analógico com contatos de alarme opcionais
seccionador Dispositivo de presença de tensão integrado Mecanismo de comando motorizado
Dispositivo de abertura com sinalização mecânica e
VD4 - HD4 Mecanismo de comando motorizado
botões de abertura e fechamento
disjuntor
Disjuntor removível a vácuo ou a gás Relé REF601 e sensores de corrente incorporados
Transformador de corrente ou sensores combinados em conformidade
Compartimento dos circuitos auxiliares padrão integrado
com as normas DIN
Intertravamentos mecânicos Acessórios para a classificação do arco interno
Barramentos Canalete para passagem dos cabos auxiliares
Seccionador de aterramento nos cabos (ES 230) Resistência anticondensação
Painel Fecho inferior Iluminação interna
Barra de ligação à terra passante Ampla gama de relés de proteção
Intertravamentos com chave
Bloqueio com cadeados
Compartimento de baixa tensão wide (largo) e big (grande) (*)
Base de sobrelevação H = 300 mm
(*)
Não disponível para painéis H = 2000 mm

21
2. Unidades típicas

SBM – Unidade de isolamento com medidas, com disjuntor e


seccionador duplo
Unidade disponível com largura de 750 mm.
A unidade é composta por um disjuntor removível a vácuo
(VD4/R) ou a gás (HD4/R) e por dois seccionadores de três
posições intertravados entre si que funcionam em paralelo.
É possível utilizar a unidade SBM no lugar das unidades
SBS+SDS com uma economia de 500 mm.
Dentro da unidade podem ser instalados transformadores
de corrente (sensores combinados como alternativa) e
transformadores de tensão tipo DIN.
A utilização da unidade SBM é fundamental nas aplicações de
média tensão para as quais são necessários transformadores
de medida ou um isolamento do quadro.

Largura do painel Peso (kg) Un Ir Ik


mm (*) H = 1700 mm H = 2000 mm kV A kA
750 390 (1) 410 (1) 12 630/800 12,5/16/20 (1)/25 (2) (3s)
(*)
Para as dimensões gerais, consulte o cap. 9 17,5 630/800 12,5/16/20 (1) (3s)
(1)
Sem TC ou TT 24 630 12,5/16/20 (1) (3s)
(1)
Para 21 kA, entre em contato com a ABB
(2)
25 kA (2s)

Referência Equipamento de série Acessórios principais


2 interruptores de manobra-seccionador intertravados
Gsec interruptor entre si com 3 posições 4 contatos de sinalização fechado - à terra
de manobra-
Comando mecânico com indicadores de posição Manômetro digital ou analógico com contatos de alarme opcionais
seccionador
Dispositivo de presença de tensão
Dispositivo de abertura com sinalização mecânica e
VD4 - HD4 Mecanismo de comando motorizado
botões de abertura e fechamento
disjuntor
Disjuntor removível a vácuo ou a gás REF601 e sensores de corrente incorporados
Transformadores de corrente ou sensores combinados em conformidade
Compartimento dos circuitos auxiliares padrão integrado
com as normas DIN
Intertravamentos mecânicos Transformadores de tensão em conformidade com as normas DIN
Barramentos Acessórios para a classificação do arco interno
Fecho inferior Canalete para passagem dos cabos auxiliares
Barra de ligação à terra passante Resistência anticondensação
Painel
Iluminação interna
Intertravamentos com chave
Bloqueio com cadeados
Compartimento de baixa tensão wide (largo) e big (grande) (*)
Ampla gama de relés de proteção
Base de sobrelevação H = 300 mm
(*)
Não disponível para painéis H = 2000 mm

22
SBR – Unidade do disjuntor invertida

Unidade disponível na largura de 750 mm.


A unidade do interruptor de manobra-seccionador invertida
relativamente ao disjuntor pode ser utilizada juntamente com
a unidade de elevação de cabos direta de 190 mm. A unidade
SBR permite a abertura e a ligação à terra do interruptor
de manobra-seccionador, deixando o compartimento dos
cabos em serviço. As unidades padrão estão equipadas
com um interruptor de manobra-seccionador de 3 posições
ligado em série com o disjuntor. A unidade está equipada
com um disjuntor a vácuo ou a gás SF6. O compartimento
dos cabos é intertravado mecanicamente; o compartimento
do disjuntor é intertravado por chave com o interruptor de
manobra-seccionador. A porta do disjuntor é intertravada
mecanicamente com a posição de terra do interruptor de
manobra-seccionador, para garantir a segurança do pessoal.
A unidade foi projetada para ser equipada com TC, sensores
combinados e toroidais. Como alternativa, está disponível um
A disjuntor com sensor de corrente e relés integrados.
Os painéis são adequados para a conexão à rede segundo a
norma CEI 0-16.

Largura do painel Peso (kg) Un Ir Ik IkAp(*) IkAp(**)


mm (*)
H = 1700 mm kV A kA kAp kAp
750 335 (1) 12 630 12,5/16 (1s) 31,5/40 5
(*)
Para as dimensões gerais, consulte o cap. 9 17,5 630 12,5/16 (1s) 31,5/40 5
(1)
Sem TC ou TT 24 630 12,5/16 (1s) 31,5/40 5
(*)
Capacidade de fechamento do seccionador de aterramento a jusante ESBR230-U
(**)
Capacidade de fechamento do seccionador de aterramento a jusante ESBR230-L

Referência Equipamento de série Acessórios principais


Gsec interruptor Interruptor de manobra-seccionador de três posições 4 contatos de sinalização fechado - à terra
de manobra- Comando mecânico com indicadores de posição Manômetro digital ou analógico com contatos de alarme opcionais
seccionador Dispositivo de presença de tensão no lado dos cabos integrado
Dispositivo de abertura com sinalização mecânica e
VD4 - HD4 Mecanismo de comando motorizado
botões de abertura e fechamento
disjuntor
Disjuntor removível a vácuo ou a gás Relé REF601 e sensores de corrente incorporados
Transformadores de corrente em conformidade com as normas DIN ou
Compartimento dos circuitos auxiliares padrão integrado
sensores combinados instalados no compartimento dos barramentos
Intertravamentos mecânicos Transformadores de corrente toroidais instalados na base do compartimento
Barramentos e isoladores Seccionador de aterramento no compartimento dos barramentos ESBR230-U
Barra de ligação à terra passante Acessórios para a classificação do arco interno
Fecho inferior do compartimento dos cabos Canalete para passagem dos cabos auxiliares
Resistência anticondensação
Iluminação interna
Lâmpadas de presença de tensão no lado dos barramentos
Painel
Intertravamentos com chave
Bloqueio com cadeados
Ampla gama de relés de proteção
Compartimento de baixa tensão wide (largo) e big (grande)
Base de sobrelevação H = 300 mm
Esferas para haste de ligação à terra (CEI 0-16)
Seccionador de aterramento nos cabos ESBR230-L
Dispositivo de presença de tensão no lado dos barramentos
Intertravamento com chave no lado dos cabos para CEI 0-16

23
2. Unidades típicas

HBC – Unidade com disjuntor e seccionador integrados

Unidade disponível na largura de 500 mm.


A unidade HBC está equipada com o aparelho multifunções
HySec que integra o disjuntor a vácuo e o seccionador em
gás com 3 posições (fechado - isolado - terra). O disjuntor
e o seccionador são intertravados mecanicamente entre
si para permitir um funcionamento correto e seguro do
aparelho. A porta do compartimento dos cabos é intertravada
mecanicamente com a posição de terra do seccionador para
garantir o acesso do pessoal especializado em condições
de segurança. Graças ao aparelho HySec, a unidade HBC
pode ser utilizada tanto como chegada da linha, quanto como
partida para a proteção de transformadores e motores.
Assim, a unidade HBC pode ser utilizada como conexão à
rede elétrica porque está em conformidade com a norma
CEI 0-16. A unidade foi projetada para ser equipada com TC
de tipo toroidais e DIN, sensores combinados, TT de tipo DIN
e descarregadores.

Largura do painel Peso (kg) Un Ir Ik


mm H = 1700 mm H = 2000 mm kV A kA
500 250 (1) 275 (1) 12 630 12,5/16 (1 s)
(1)
Sem TC ou TT 17,5 630 12,5/16 (1 s)
24 630 12,5/16 (1 s)

Referência Equipamento de série Acessórios principais


Seccionador de 3 posições 4 contatos de sinalização fechado - à terra para o seccionador
Comando mecânico com indicadores de posição Manômetro digital ou analógico com contatos de alarme opcionais
HySec: aparelho
multifunções Dispositivo de presença de tensão integrado Mecanismo de comando motorizado para o disjuntor
com disjuntor Dispositivo de abertura com sinalização mecânica e
e seccionador botões de abertura e fechamento
integrados
Disjuntor a vácuo com bobina de abertura
Intertravamento mecânico entre disjuntor e seccionador
Transformador de corrente (em conformidade as normas DIN ou toroidal)
Compartimento dos circuitos auxiliares padrão integrado
ou sensores combinados em conformidade com as normas DIN
Intertravamentos mecânicos Transformador de tensão em conformidade com as normas DIN (12-17,5 kV)
Barramentos Acessórios para a classificação do arco interno
Fecho do compartimento dos cabos Canalete para passagem dos cabos auxiliares
Barra de ligação à terra passante Resistência anticondensação
Iluminação interna
Ampla gama de relés de proteção
Painel
Intertravamentos com chave
Bloqueio com cadeados
Descarregadores de sobretensão
Terminais para cabos em paralelo
Compartimento de baixa tensão wide (largo) e big (grande) (*)
Base de sobrelevação H = 300 mm
Suporte para a fixação dos cabos
Dispositivo de presença de tensão no lado dos barramentos
(*)
Não disponível para painéis H = 2000 mm

24
SFV – Unidade do interruptor de manobra-seccionador com
fusível − medições
Unidade disponível na largura de 500 mm.
A unidade combinada interruptor-fusível tipo SFV é utilizada
principalmente para a medição da tensão.
A unidade está equipada com um interruptor de manobra-
seccionador de 3 posições.
Para a ligação à terra dos fusíveis, o seccionador de
aterramento integrado atua no lado a montante.
É utilizado um comando com mola dupla com disparo
automático dos fusíveis.
Os transformadores de tensão são colocados na parte inferior
da unidade, para garantir a função de medição.

Largura do painel Peso (kg) Un Ik Fusíveis


mm (*) H = 1700 mm H = 2000 mm kV kA A
500 175 (1) 185 (1) 12 12,5/16/20 (1)/25 (2) (3s) 125
(*)
Para as dimensões gerais, consulte o cap. 9 17,5 12,5/16/20 (1) (3s) 80
(1)
Sem TT e fusíveis 24 12,5/16/20 (1) (3s) 80
(1)
Para 21 kA, entre em contato com a ABB
(2)
25 kA (2s)

Referência Equipamento de série Acessórios principais


Interruptor de manobra-seccionador de três posições 4 contatos de sinalização fechado - à terra
Comando mecânico com indicadores de posição Manômetro digital ou analógico com contatos de alarme opcionais
Gsec interruptor Dispositivo de presença de tensão integrado Relé de abertura
de manobra- Relé de fechamento
seccionador Bobina de mínima tensão
1 comutador de sinalização de fusível queimado
Mecanismo de comando motorizado
Compartimento dos circuitos auxiliares padrão integrado Acessórios para a classificação do arco interno
Intertravamentos mecânicos Canalete para passagem dos cabos auxiliares
Sistema de disparo por intervenção de fusíveis Resistência anticondensação
Barramentos Iluminação interna
Suporte para fusíveis Intertravamentos com chave
Painel
Transformadores de tensão em conformidade com as
Bloqueio com cadeados
normas DIN (fase-terra ou fase-fase)
Fecho inferior Fusíveis DIN (1)
Barra de ligação à terra passante Compartimento de baixa tensão wide (largo) e big (grande) (*)
Base de sobrelevação H = 300 mm
(1)
Fusíveis DIN: 292 & 442 mm @ 12-17,5 kV
442 mm @ 24 kV
(*)
Não disponível para painéis H = 2000 mm

25
2. Unidades típicas

DRC – Unidade de chegada direta com medidas e ligação


à terra de barramento
Unidades disponíveis nas larguras 375 mm e 500 mm.
Para ligar os cabos diretamente aos barramentos, está
disponível uma unidade de elevação direta. A porta dianteira
inferior é fixada e só pode ser aberta com uma ferramenta.
A porta apresenta uma janela para as finalidades de inspeção.
Na unidade de 500 mm, é possível preparar o seccionador
de aterramento com total capacidade de fechamento. Ele
pode ser utilizado para a ligação à terra dos barramentos do
quadro ou do cabo de chegada da linha.
Além disso, é possível preparar o painel com transformadores
de corrente ou sensores combinados ou transformadores de
tensão.
A unidade também está disponível na versão sem saída de
cabos para medidas (tensão) e ligação à terra de barramento.

Largura do painel Peso(kg) Un Ir Ik IkAp (*)


mm (*)
H = 1700 mm H = 2000 mm kV A kA kAp
375 120 (1) 130 (1) 12 630/800/1250 12,5/16/20 (1)/25 (2) (3s) 31,5/40/50 (1)/63
500 135 (1) 145 (1) 17,5 630/800/1250 12,5/16/20 (1) (3s) 31,5/40/50 (1)
(*)
Para as dimensões gerais, consulte o cap. 9 24 630/1250 (3)
12,5/16/20 (1)
(3s) 31,5/40/50 (1)
(1)
Sem TC ou TT (*)
Capacidade de fechamento ES-230 N
(1)
Para 21 kA, entre em contato com a ABB
(2)
25 kA (2s)
(3)
Apenas para H = 2000 mm

Referência Equipamento de série Acessórios principais


Compartimento dos circuitos auxiliares padrão integrado Acessórios para a classificação do arco interno
Barramentos e isoladores Canalete para passagem dos cabos auxiliares
Transformadores de corrente em conformidade com as normas DIN ou
Fecho do compartimento dos cabos
toroidais (excluindo 375 mm)
Transformadores de tensão em conformidade com as normas DIN
Dispositivo de presença de tensão integrado
(excluindo 375 mm)
Barra de ligação à terra passante Resistência anticondensação
Painel Iluminação interna
Descarregadores de sobretensão
Compartimento de baixa tensão wide (largo) e big (grande) (*)
Terminais para cabos em paralelo (exceto 375 mm)
Seccionador de aterramento com total capacidade de fechamento
(excluindo 375 mm)
Base de sobrelevação H = 300 mm
Suporte para a fixação dos cabos
(*)
Não disponível para painéis H = 2000 mm

26
DRS – Unidade de elevação − medições

Unidades disponíveis nas larguras 375 mm e 500 mm.


A unidade de elevação direta para seccionamento, tipo DRS,
conecta o barramento à parte inferior de uma unidade de
seccionamento com disjuntor ou interruptor de manobra-
seccionador.
A unidade de 500 mm de largura pode ser utilizada como
unidade de medição e pode alojar 3 TCs e 3 TTs (os TTs
só são permitidos se a saída inferior dos barramentos se
encontrar à esquerda).
A porta frontal inferior é fixada na unidade e deve ser aberta
com uma ferramenta. A porta apresenta uma janela para as
finalidades de inspeção.
A unidade de elevação com medidas pode ser acoplada com
os painéis com disjuntor extraível WBC e WBS; as dimensões
são diferentes, altura de 2000 mm e somente largura de
500 mm. Neste caso, é possível montar sempre TC e TT de
tipo DIN.
A

Largura do painel Peso (kg) Un Ir Ik


mm (*) H = 1700 mm H = 2000 mm kV A kA
375 120 (1) 130 (1) 12 630/800/1250 12,5/16/20 (2)/25 (3) (3s) (4)
500 135 (1)
145 (1)
17,5 630/800/1250 12,5/16/20 (2) (3s) (4)
(*)
Para as dimensões gerais, consulte o cap. 9 24 630/1250 (1)
12,5/16/20 (2) (3s) (4)
(1)
Sem TC e TT (1)
Apenas para H = 2000 mm
(2)
Para 21 kA, entre em contato com a ABB
(3)
25 kA (2s)
(4)
25 kA, 3s DRS acoplada a WBC/WBS

Referência Equipamento de série Acessórios principais


Compartimento dos circuitos auxiliares padrão integrado Acessórios para a classificação do arco interno
Compartimento para barramentos para elevação Canalete para passagem dos cabos auxiliares
Transformadores de corrente em conformidade com as normas DIN
Dispositivo de presença de tensão integrado
(excluindo de 375 mm)
Transformadores de tensão em conformidade com as normas DIN
Painel Fecho inferior
(excluindo de 375 mm) (1)
Barra de terra passante Resistência anticondensação
Iluminação interna
Compartimento de baixa tensão wide (largo) e big (grande) (*)
Base de sobrelevação H = 300 mm
(1)
Apenas TT com saída lateral esquerda para painel H = 1700 mm
(*)
Não disponível para painéis H = 2000 mm

27
2. Unidades típicas

RLC/RRC – Elevação dos cabos lateral, direita e esquerda

Unidade disponível na largura de 190 mm.


Está disponível tanto para a elevação dos cabos lateral direita
(RRC), como para a elevação dos cabos lateral esquerda
(RLC) para ambas as alturas dos painéis H = 1700 mm e
H = 2000 mm.
Na elevação dos cabos H = 2000 mm, estão disponíveis os
dispositivos de presença de tensão.
A elevação dos cabos é acoplável aos painéis indicados na
Tabela de acoplabilidade.
B B

C C
A A
RLC RRC

Dimensões do painel Peso Un Ir Ik


A x B x C mm kg kV A kA
190 x 1700 x 1070 80 12 630 12/16 (1s)
190 x 2000 x 1070 90 17,5 630 12/16 (1s)
24 630 12/16 (1s)

Tabela de acoplabilidade com unidade de elevação de cabos RRC/RLC


Elevação de cabos Elevação de cabos
Unidade H = 1700 mm H = 2000 mm
RLC RRC RLC RRC
SDC 375    
SDC 500    
SDC 750 –  – 
SDS 375 saída de barramentos esquerda – – – 
SDS 375 saída de barramentos direita – –  –
SDS 500 saída de barramentos esquerda – – – 
SDS 500 saída de barramentos direita – –  –
SFC 375    
SFC 500    
SFV 500    
SFS 375 saída de barramentos esquerda – – – 
SFS 500 saída de barramentos esquerda – – – 
SBC 750  –  –
SBS 750 saída de barramentos esquerda – –  –
SDM 750 Gsec à esquerda – –  –
SDM 750 Gsec à direita – – – 
SDD 750 saída de cabos    
SDD 750 saída de barramentos esquerda –  – 
SDD 750 saída de barramentos esquerda  –  –
SBM 750 – –  
SBR 750   – –

28
WBC / WBS − Unidade com disjuntor extraível

As unidades com disjuntor extraível são adequadas nador de aterramento tem a função de ligação à terra de uma
para aplicações de distribuição secundária que exigem seção dos barramentos principais. O comando do secciona-
desempenhos elevados e garantem: dor de aterramento é feito pela parte frontal do quadro com
• continuidade de funcionamento manobra manual. A posição do seccionador de aterramento
• segurança é visível pela parte frontal da unidade mediante uma janela de
• elevadas características elétricas. inspeção localizada na porta do compartimento de linha.

Monoblocos e obturadores
Continuidade de funcionamento Os monoblocos tripolares estão colocados no compartimento
As unidades com disjuntor extraível são classificadas dos aparelhos. Dentro dos monoblocos estão alojados os con-
segundo as normas IEC 62271-200. tatos fixos para a conexão do disjuntor com o compartimento
dos barramentos e cabos. Os obturadores metálicos para
Classificação LSC2B painéis de até 17,5 kV e os obturadores isolados para painéis
Compartimentos para barramentos [A], cabos [B] e aparelhos de 24 kV ativam-se automaticamente quando o disjuntor passa
[C] segregados física e eletricamente. da posição “extraído” à posição “conectado” e vice-versa.
Esta categoria define a possibilidade de ter acesso ao
compartimento do disjuntor com os barramentos e cabos sob Cabos
tensão. Podem ser utilizados cabos monopolares ou tripolares até
uma seção máxima de 630 mm2. Também os cabos também
são pela parte frontal dos compartimentos; portanto, o
quadro pode ser encostado completamente contra a parede.

A
Conduto de escape dos gases
As unidades com disjuntor extraível podem ser equipadas,
como para todas as outras unidades, com:
−− conduto de escape dos gases localizado acima do quadro.
O conduto de escape dos gases percorre o quadro ao longo
de todo o seu comprimento. Com esta solução, os gases
C
quentes e as partículas incandescentes produzidos por um
eventual arco interno são normalmente evacuados do local;
− − filtros de gases absorventes instalados na parte traseira
de cada unidade. Com esta solução, os gases quentes e
B as partículas incandescentes produzidos por um eventual
arco interno são evacuados para dentro do local.

Elevadas características elétricas


O design da unidade com disjuntor extraível permite ter
desempenhos elétricos elevados. Componentes sempre
inovadores conjugados com uma solução consolidada
Segregação entre os compartimentos
permitiram obter um quadro com desempenhos elevados.
Os compartimentos dos barramentos, linha e aparelhos são − − Corrente de curto-circuito de até 25 kA por 3s
separados entre si por segregações metálicas contínuas e − − Capacidade de resistência ao arco interno nos 4 lados
obturadores metálicos (PM) para painéis de até 17,5 kV, e por (frente, lados e traseira) 25 kA por 1s para painéis de até
obturadores isolados (PI) para painéis de 24 kV. 17,5 kV e 21 kA por 1s para painéis de 24 kV nas duas
configurações seguintes para o escape dos gases após a
Seccionador de aterramento ocorrência de um arco interno:
O seccionador de aterramento possui capacidade de fecha- - com os filtros de gases absorventes (gases no interior do
mento em curto-circuito. As unidades de chegada/partida es- local) - 25 kA a 12-17,5 kV e 16 kA a 24 kV
tão equipadas com seccionador de aterramento para a ligação - com conduto de gases (gases no exterior do local) -
dos cabos à terra. Nas unidades de acoplamento, o seccio- 25 kA a 12-17,5 kV e 21 kA a 24 kV.

29
2. Unidades típicas

Segurança Intertravamentos
Na unidade é possível distinguir dois tipos de intertravamentos
Como acontece com todas as unidades UniSec, também de segurança:
as unidades com disjuntor extraível estão equipadas com − − de série, previstos pelas normas e, portanto, necessários
os intertravamentos e acessórios necessários para garantir para garantir a sequência das manobras;
o mais elevado nível de segurança e confiabilidade para a − − bloqueios fornecidos a pedido. A sua presença deve ser
instalação e para os operadores. prevista em função dos procedimentos de funcionamento e
manutenção da instalação.
Unidade de intertravamento para as unidades LSC2B-PM
Intertravamentos de segurança de série (obrigatórios)
Tipo Descrição Condição
A Inserção/extração dos aparelhos Aparelho na posição “aberto”
1
B Fechamento dos aparelhos Carro em posição definida
A Inserção dos aparelhos Plugue multicontato dos aparelhos inserido
2
B Remoção do plugue multicontato dos aparelhos Carro na posição de teste
A Fechamento do seccionador de aterramento Carro na posição de teste
3
B Inserção dos aparelhos Seccionador de aterramento na posição “aberto”
A Abertura da porta do compartimento dos aparelhos Carro na posição de teste
4
B Inserção dos aparelhos Porta do compartimento dos aparelhos fechada
A Abertura da porta do compartimento de linha Seccionador de aterramento na posição “fechado”
5
B Abertura do seccionador de aterramento Porta do compartimento de linha fechada

Chaves
O emprego de intertravamentos com chave é extremamente importante para a realização
de lógicas de intertravamento entre unidades do mesmo quadro ou com outros quadros
de média e/ou baixa tensão.
As lógicas são realizadas por intermédio de distribuidores ou interligando as próprias chaves.

Chaves (a pedido)
1 Bloqueio para a inserção dos A chave só pode ser removida se o carro
aparelhos estiver na posição extraída
2 Bloqueio para o fechamento do A chave só pode ser removida se o
seccionador de aterramento seccionador de aterramento estiver aberto
3 Bloqueio para a abertura do A chave só pode ser removida se o
seccionador de aterramento seccionador de aterramento estiver fechado
4 Inserção da alavanca de A chave pode ser sempre removida
extração/inserção dos aparelhos
5 Inserção da alavanca de manobra A chave pode ser sempre removida
do seccionador de aterramento

Cadeados Ímãs de bloqueio (a pedido)


1 Inserção da alavanca de extração/inserção 1 Extração/inserção dos aparelhos
dos aparelhos
2 Abertura e fechamento do seccionador de
2 Abertura e fechamento dos obturadores aterramento
3 Abertura da porta do compartimento dos
aparelhos

Dispositivos acessórios
Fail-safe nas persianas O dispositivo bloqueia os obturadores quando o aparelho é removido do compartimento.
O operador não pode abrir os obturadores manualmente. Só é possível acionar os obturadores pelo carro
dos aparelhos ou pelos carros de serviço.
Matriz de compatibilidade aparelho - O plugue multicontato dos aparelhos e o respectivo soquete da unidade de quadro estão equipados com
unidade de quadro uma matriz mecânica, que impossibilita a inserção do aparelho em uma unidade de quadro com corrente
nominal não apropriada.
Comando mecânico dos disjuntores O compartimento dos aparelhos possui um dispositivo mecânico que possibilita fechar e/ou abrir os
disjuntores diretamente mediante os botões do comando frontal, mantendo a porta fechada.
Os comandos podem ser executados com os disjuntores em posição de serviço e na posição extraída.

30
WBC – Unidade com disjuntor extraível LSC2B-PM/PI

Unidades disponíveis nas larguras 600 mm (12-17,5 kV) e


750 mm (24 kV).
A unidade WBC, com disjuntor ou contator extraível, é
realizada para o controle e proteção de instalações, tais
como aeroportos, ferrovias, metrôs e indústrias, nas quais
a continuidade de serviço, a alta segurança e as elevadas
características elétricas são os requisitos principais.
Os contatores VSC/P são aparelhos adequados para
funcionar em CA e são empregados normalmente para
comandar cargas que exigem um elevado número de
manobras em base horária. Os contatores VSC/P são
utilizados para comandar aparelhagens elétricas nos setores
industrial, dos serviços, etc.
São adequados para o controle e a proteção de motores,
transformadores, baterias de compensação de fase,
sistemas de manobra, etc. Se estiverem providos de fusíveis
adequados, podem ser empregados em circuitos com níveis
de correntes de falha de até 1000 MVA.
A

Largura do painel Peso Un Ir Ik IkAp(*)


mm (*)
kg kV A kA kAp
600 (12-17,5 kV PM) 600 (1) 12 400 (1)/630/1250 16/20 (2)/25 (3s) 40/50 (2)/63
750 (24 kV PI) 750 (1) 17,5 630/1250 16/20 (2)/25 (3s) 40/50 (2)/63
(*)
Para as dimensões gerais, consulte o cap. 9 24 630/1250 16/20 (2)
40/50 (2)
(1)
Sem TC ou TT (*)
Capacidade de fechamento ESWB-150
(1)
Solução com contator VSC/P
(2)
Para 21 kA entre em contato com a ABB

Referência Equipamento de série Acessórios principais


Dispositivo de abertura com sinalização mecânica e
Mecanismo de comando motorizado
botões de abertura e fechamento
Aparelho
Disjuntor extraível (Vmax/Sec de até 17,5 kV e VD4/Sec
de 24 kV) ou contator a vácuo (VSC/P de até 12 kV)
Transformador de corrente (em conformidade as normas DIN ou toroidal)
Compartimento dos circuitos auxiliares padrão integrado
ou sensores combinados em conformidade com as normas DIN
Transformador de tensão em conformidade com a norma DIN com ou
Intertravamentos mecânicos
sem fusíveis (*)
Barramentos e isoladores Acessórios para a classificação do arco interno
Barra de ligação à terra passante Canalete para passagem dos cabos auxiliares
Persianas metálicas ou isoladas Resistência anticondensação do compartimento dos aparelhos e/ou cabos
Fecho inferior do compartimento dos cabos Iluminação interna do compartimento dos aparelhos e/ou cabos
Ampla gama de relés de proteção
Seccionador de aterramento, lado dos cabos

Painel Intertravamentos mecânicos


Dispositivo de presença de tensão no lado dos cabos
Intertravamentos com chave
Ímãs de bloqueio
Dispositivo de presença de tensão no lado dos barramentos
Descarregadores de sobretensão
Conexão de cabos de até 630 mm2 para 12-17,5 kV e 400 mm2 para 24 kV
Botões mecânicos “on-off” na porta do disjuntor
5NA + 5NF contatos auxiliares no seccionador de aterramento
Compartimento de baixa tensão wide (largo)
Suporte para a fixação dos cabos
(*)
Fusíveis tipo IEC 60282-1

31
2. Unidades típicas

Os disjuntores Vmax/Sec e VD4/Sec são empregados na As operações de extração e inserção do aparelho,


distribuição elétrica para controlar e proteger cabos, linhas colocação em serviço, manutenção e funcionamento são
aéreas, subestações de distribuição e transformação, feitas diretamente pela parte frontal. É possível equipar a
motores, transformadores, geradores e bancos de unidade com um seccionador de aterramento no lado dos
capacitores. cabos com total capacidade de fechamento. Um amplo
A unidade é classificada LSC2B-PM para unidades de compartimento para os circuitos auxiliares e instalação
até 17,5 kV e LSC2B-PI de 24 kV e é composta por três dos relés de proteção está integrado na própria unidade. A
compartimentos para barramentos, cabos e aparelho, unidade está equipada com intertravamentos de segurança,
segregados entre si mediante persianas metálicas (até cadeados, intertravamentos com chave e ímãs entre a porta, o
17,5 kV) ou mediante persianas isoladas (de 24 kV). Esta seccionador de aterramento e o carro, para garantir a máxima
categoria confere à unidade a máxima continuidade de serviço segurança dos operadores.
porque é possível acessar o compartimento dos aparelhos A unidade permite a instalação de transformadores de
mantendo sob tensão os outros compartimentos e/ou corrente e de tensão (dimensões conforme as normas DIN
unidades funcionais. - consulte o parágrafo Componentes principais). Como
Os aparelhos são montados em um carro munido de rodas alternativa, é possível instalar sensores de corrente e
que permite movimentar o disjuntor dentro do compartimento. corrente/tensão.

32
WBS – Unidade com disjuntor extraível LSC2B-PM/PI
− seccionamento
Unidades disponíveis nas larguras 600 mm (12-17,5 kV) e
750 mm (24 kV). A unidade WBS para seccionamento, com
disjuntor extraível, é utilizada juntamente com a unidade de
elevação DRS 2000 mm.
A unidade é classificada LSC2B-PM para unidades de
até 17,5 kV e LSC2B-PI de 24 kV e é composta por três
compartimentos para barramentos, barramentos isolantes e
aparelho, segregados entre si mediante persianas metálicas
até 17,5 kV ou mediante persianas isoladas (de 24 kV).
Esta categoria confere à unidade a máxima continuidade
de serviço porque é possível acessar o compartimento dos
aparelhos mantendo sob tensão os outros compartimentos
e/ou unidades funcionais. A unidade pode ser equipada com
um disjuntor extraível a vácuo da série Vmax/Sec ou
VD4/Sec montado em um carro provido de rodas que
permite movimentar o disjuntor dentro do compartimento. As
operações de extração, inserção do aparelho, colocação em
serviço, manutenção e funcionamento são feitas diretamente
A
pela parte frontal. É possível equipar a unidade com um
seccionador de aterramento com total capacidade de
Largura do painel Peso
fechamento para a ligação à terra do barramento a jusante
mm (*) kg
do disjuntor. Um amplo compartimento para os circuitos
600 (12-17,5 kV PM) 600 (1)
auxiliares e instalação dos relés de proteção está integrado
750 (24 kV PI) 750 (1)
na unidade. A unidade está equipada com intertravamentos
(*)
Para as dimensões gerais, consulte o cap. 9
(1)
Sem TC ou TT de segurança, cadeados, intertravamentos com chave
e ímãs entre a porta, o seccionador de aterramento e o
Un Ir Ik IkAp(*) carro, para garantir a máxima segurança dos operadores. A
kV A kA kAp unidade permite a instalação de transformadores de corrente
12 630/1250 16/20 (1)/25 (3s) 40/50 (1)/63
(dimensões conforme as normas DIN - consulte o parágrafo
17,5 630/1250 16/20 (1)/25 (3s) 40/50 (1)/63
Componentes principais). Como alternativa, é possível instalar
24 630/1250 16/20 (1)
40/50 (1)
sensores de corrente e corrente/tensão.
(*)
Capacidade de fechamento ESWB-150
(1)
Para 21 kA, entre em contato com a ABB

Referência Equipamento de série Acessórios principais


Dispositivo de abertura com sinalização mecânica e
Mecanismo de comando motorizado
Aparelho botões de abertura e fechamento
Disjuntor extraível (Vmax/Sec até 17,5 kV e VD4/Sec de 24 kV)
Compartimento dos circuitos auxiliares padrão integrado Transformador de corrente em conformidade a norma DIN
Intertravamentos mecânicos Acessórios para a classificação do arco interno
Barramentos e isoladores Canalete para passagem dos cabos auxiliares
Resistência anticondensação do compartimento dos barramentos e/ou
Barra de ligação à terra passante
seccionamento
Persianas metálicas ou isoladas Iluminação interna do compartimento dos barramentos e/ou seccionamento
Fecho inferior Ampla gama de relés de proteção
Seccionador de aterramento, saída dos barramentos inferiores
Painel
Intertravamentos mecânicos
Dispositivos de presença de tensão no lado dos barramentos inferiores
Intertravamentos com chave
Ímãs de bloqueio
Dispositivos de presença de tensão no lado dos barramentos superiores
Botões mecânicos “on-off” na porta do disjuntor
5NA+5NF contatos auxiliares do seccionador de aterramento
Compartimento de baixa tensão wide (largo)

33
2. Unidades típicas

BME – Unidade de medida e ligação à terra de barramento

Unidade disponível na largura 600 mm (12-17,5 kV).


A unidade é acoplável diretamente às unidades com disjuntor
extraível WBC e WBS.
A unidade BME foi realizada para a ligação à terra de
barramento do quadro mediante o seccionador de
aterramento com total capacidade de fechamento e/ou a
medida de barramento utilizando transformadores de tensão
(dimensões segundo as normas DIN – consulte o parágrafo
Componentes principais) com ou sem fusíveis alojados no
fundo.
Os transformadores são montados em uma placa metálica
facilmente removível para facilitar as operações de
manutenção e substituição.
Além dos intertravamentos de segurança prescritos pela
norma, é possível equipar o seccionador de aterramento com
intertravamentos com chave e ímã de bloqueio.

Largura do painel Peso Un Ik IkAp (*)


mm (*)
kg kV kA kAp
600 (12-17,5 KV PM) 450 (1) 12 16/20 (1)/25 (3s) 40/50 (1)/63
(*)
Para as dimensões gerais, consulte o cap. 9 17,5 16/20 /25 (3s)
(1)
40/50 (1)/63
(1)
Sem TC ou TT (*)
Capacidade de fechamento ESWB-150
(1)
Para 21 kA, entre em contato com a ABB

Referência Equipamento de série Acessórios principais


Transformador de tensão em conformidade com a norma DIN com ou
Compartimento dos circuitos auxiliares padrão integrado
sem fusíveis (*)
Barramentos e isoladores Acessórios para a classificação do arco interno
Barra de ligação à terra passante Canalete para passagem dos cabos auxiliares
Fecho inferior Resistência anticondensação
Iluminação interna
Painel
Intertravamentos com chave no seccionador de aterramento
Ímã de bloqueio no seccionador de aterramento
Compartimento de baixa tensão wide (largo)
Dispositivo de presença de tensão no lado dos barramentos
Seccionador de aterramento
Descarregadores de sobretensão
(*)
Fusíveis tipo IEC 60282-1

34
Acoplamento de painéis com disjuntor extraível e interruptor de
manobra-seccionador (GSec)
O tipo diferente dos compartimentos WBC/WBS/BME Os painéis adaptadores disponíveis são:
e a altura dos barramentos omnibus não permitem um
acoplamento direto com os painéis com interruptor de Unidade Largura Peso (*)
manobra-seccionador e/ou disjuntor, tanto para painéis (mm) (kg)
H = 1700 mm, como para painéis H = 2000 mm. SDC 500 220

Para esta finalidade, foram realizados painéis de adaptação SFC 500 225
entre estes tipos de compartimento que permitem o SFV 500 225
acoplamento dos barramentos. O painel adaptador tem uma SBC (1) 750 380
altura de 2000 mm. DRC 500 145
O painel de adaptação mantém todas as características Peso estimado considerando a unidade básica com barramentos de 630 A sem TC,
(*)

TT e fusíveis
de um painel padrão, podendo assim ser usado como (1)
Acoplável somente à esquerda das unidades com disjuntor extraível WBC/WBS/BME
chegada/partida.

A pedido, é possível ter um painel adaptador para acoplar


os quadros UniSec com os outros quadros ABB UniMix e
UniSwitch.
2000

2000
1700

500

35
2. Unidades típicas

Aplicações de barramento e de cima

As seguintes aplicações de barramento estão disponíveis


apenas para os painéis H = 2000 mm (não painéis
adaptadores):
−− chegada dos cabos por cima direta em barramento
− − transformadores de tensão.

Chegada dos cabos por cima direta nos barramentos Transformadores de tensão (1)
A solução está disponível para as seguintes unidades: A solução está disponível para as seguintes unidades:

Painéis Largura Nº de Seção Tensão de Painéis Largura Tensão de isolamento


(mm) cabos por Máx. (mm 2) isolamento (kV) (mm) (kV)
fase SDC/SDS 500 12-17,5-24
SDC/SDS 375 1 50…400 12-17,5-24 750 (*) 12-17,5-24
500 1 50…400 12-17,5-24 SFC/SFS 500 12-17,5-24
750 (*) 1 50…400 12-17,5-24 SFV 500 12-17,5-24
SFC/SFS 375 1 50…400 12-17,5-24 SBC/SBS 750 12-17,5-24
500 1 50…400 12-17,5-24 (1)
TT sem fusíveis
SFV 500 1 50…400 12-17,5-24 (*)
Apenas para SDC
SBC/SBS 750 1 50…400 12-17,5-24
(*)
Apenas para SDC

36
Pesos (*)

Peso estimado das unidades básicas


Altura de 1700 mm e altura de 2000 mm para unidades
básicas com barramentos principais de 630 A e sem TC, TT
ou fusíveis e conduto de escape dos gases.

Largura Tipo de unidade (kg)


(mm)
SDC SDS SDM SDD UMP SFC SFS SBC SBS SBM SBR HBC SFV DRC DRS RLC RRC
190 – – – – – – – – – – – – – – – 80 80
375 150/160 155/165 – – – 155/165 165/175 – – – – – – 120/130 125/135 – –
500 170/180 175/185 – – – 175/185 180/190 – – – – 250/275 175/185 135/145 140/150 – –
600 – – – – – – – – – – – – – – – – –
750 195/210 – 230/250 270/290 200 – – 335/355 355/375 390/410 335 – – – – – –

Largura Painéis adaptadores


(mm)
WBC WBS BME DRS SDC SFC SFV SBC
500 – – – 160 220 225 225 –
600 600 600 450 – – – – –
750 750 750 – – – – – 380

(*)
Os pesos apresentados são apenas indicativos. Se precisar de mais detalhes, entre
em contato com a ABB.

Peso estimado dos componentes

Transformador de corrente Fusíveis


12/17,5 kV 22 kg 3 fusíveis 19 kg
24 kV 33 kg

Transformadores de tensão Condutos de escape dos gases (1700 mm de altura)


12/17,5 kV 20 kg Largura 375 14 kg
24 kV 35 kg Largura 500 17 kg
Largura 750 30 kg

Aparelhos
VD4/R-Sec 90 kg
HD4/R-Sec, HD4/RE-Sec 105 kg Condutos de escape dos gases (2000 mm de altura)
HySec 80 kg Largura 500 25 kg
Vmax/Sec 98 kg Largura 600 38 kg
VD4/Sec 125 kg Largura 750 45 kg
VSC/P 52 kg (*)
GSec 38 kg
(*)
Excluindo os fusíveis

37
3. Componentes principais

Disjuntor removível a vácuo VD4/R-Sec


Norma IEC 62271-100
O disjuntor a vácuo VD4/R-Sec foi projetado especificamente milésimos de segundo antes de a corrente passar pelo zero
para o quadro UniSec. A capacidade do disjuntor é suficiente natural.
para enfrentar qualquer condição decorrente tanto da manobra A geometria especial dos contatos e do material utilizado,
da aparelhagem, como dos componentes do sistema em assim como a permanência reduzida e a baixa tensão do
condições normais de funcionamento e em condições de falha. arco, garantem um desgaste mínimo dos contatos e uma
O emprego dos disjuntores a vácuo apresenta vantagens longa duração.
particulares nos sistemas de potência onde são exigidas O vácuo também impede a sua oxidação e contaminação.
manobras frequentes com correntes de funcionamento
normais. Os disjuntores a vácuo VD4/R estão equipados com Equipamento de série
um comando por mola com acúmulo de energia adequado 1 Botão de fechamento
para a sequência normal de manobras e também para a 2 Botão de abertura
sequência automática de religamento (O-0,3s-CO-15s-CO). 3 Contador de operações
Apresentam uma confiabilidade de funcionamento elevada e 4 Indicadores mecânicos de abertura/fechamento do disjuntor
uma longa duração. 5 Alavanca manual para o carregamento das molas
Os polos do disjuntor incluem ampolas a vácuo instaladas em 6 Indicador mecânico de estado carregado/descarregado
isoladores tubulares realizados em resina epóxi. das molas de fechamento
7 Kit 1: grupo de cinco contatos auxiliares aberto/fechado.
Técnica de interrupção Un = 24…250 V AC-DC
O processo de interrupção de corrente em um interruptor a 8 Kit 2: relé de abertura (M01); permite a abertura remota da
vácuo diferencia-se daquele de todos os outros disjuntores, aparelhagem.
que utilizam óleo ou gás como meio de extinção do arco.
Depois da separação dos contatos que conduzem a corrente, Características
o material do contato deve gerar autonomamente os vetores Un 24 - 30 - 48 - 60 - 110 - 125 - 132 - 220 - 250 V–
de carga necessários para fazer a corrente passar através Un 48 - 60 - 110 - 120 - 127 - 220...240 V~ 50 Hz
do vácuo pelo zero natural. Para as correntes normais de Un 110 - 120 - 127 - 220 - 240 V~ 60 Hz
até cerca de 10 kA, este efeito é descrito como um “arco Limites de funcionamento 65…120 % Un
difundido em vácuo”. Sem medidas especiais, acontece a Potência absorvida no
DC 200 W; AC = 200 VA
arranque (Ps)
contração do arco difundido em vácuo a níveis mais altos,
Duração do arranque cerca de 100 ms
determinando o superaquecimento e a erosão geral dos
Potência de manutenção (Pc) DC = 5 W; AC = 5 VA
contatos. Estes efeitos são evitados pelo movimento forçado
Tempo de abertura 40...60 ms
magneticamente do arco a plasma, causado pela geometria
Tensão de isolamento 2000 V 50 Hz (por 1 min)
em espiral dos contatos. Visto que no vácuo é possível
atingir uma elevada rigidez dielétrica, mesmo com distâncias
9 Kit 3: bloqueio por chave em posição aberta com chaves
mínimas, a interrupção do circuito também é garantida
diferentes ou idênticas.
quando a separação dos contatos acontece poucos

Dados técnicos VD4/R-Sec


Tensão nominal 12 kV 17,5 kV 24 kV
Frequência nominal [Hz] 50/60 50/60 50/60
Tensão nominal de impulso suportável [kV] 75 95 125
Tensão nominal de teste em frequência industrial [kV] 28 38 50
Corrente nominal [A] 630/800 630/800 630
Capacidade de interrupção [kA] 12/16/20(1)/25(2) 12/16/20(1) 12/16/20
Capacidade de fechamento [kA] 30/40/50/62,5 30/40/50 30/40/50
Duração de curto-circuito [s] 3 3 3
Distância entre os polos [mm] 230 230 230
(1)
Para 21 kA, entre em contato com a ABB
(2)
25 kA - 2s

38
Acessórios do disjuntor a vácuo

Comando motorizado para o carregamento das molas (MAS) Relé de abertura suplementar (MBO2)
Este dispositivo carrega automaticamente as molas do Este relé é um dispositivo eletromecânico que, a seguir à
dispositivo de comando depois da manobra de fechamento. excitação de um eletroímã, ativa a alavanca do comando para
realizar a abertura do disjuntor.

Características Características
Un 24...30 - 48...60 - 110...130 - 220...250 V– Un 24 - 30 - 48 - 60 - 110 - 125 - 132 - 220 - 250 V–
Un 100...130 - 220...250 V~ 50/60 Hz Un 48 - 60 - 110 - 120 - 127 - 220...240 V~ 50 Hz
Limites de funcionamento 85-110 % Un Un 110 - 120 - 127 - 220 - 240 V~ 60 Hz
Potência absorvida no Limites de funcionamento 65…120 % Un
DC = 600 W; AC = 600 VA
arranque (Ps)
Potência absorvida no
Potência nominal (Pn) DC = 200 W; AC = 200 VA DC 200 W; AC = 200 VA
arranque (Ps)
Duração do arranque 0,2 s Duração do arranque cerca de 100 ms
Tempo de carregamento 6-7 s Potência de manutenção (Pc) DC = 5 W; AC = 5 VA
Tensão de isolamento 2000 V 50 Hz (por 1 min.) Tempo de abertura 40...60 ms
Tensão de isolamento 2000 V 50 Hz (por 1 min.)

Relé de fechamento (MBC) Relé de mínima tensão (MBU)


Este relé é um dispositivo eletromecânico que, a seguir à Este relé realiza a abertura do disjuntor no caso de redução
excitação de um eletroímã, ativa a alavanca do comando para brusca ou de interrupção da tensão de alimentação.
realizar o fechamento do disjuntor.

Características Características
Un 24 - 30 - 48 - 60 - 110 - 125 - 132 - 220 - 250 V– Un 24 - 30 - 48 - 60 - 110 - 125 - 220 - 250 V–
Un 48 - 60 - 110 - 120...127 - 220...240 V~ 50 Hz Un 48 - 60 - 110 - 120 - 127 - 220...240 V~ 50 Hz
Un 110 - 120 - 127 - 220 - 240 V~ 60 Hz Un 110 - 120...127 - 220...240 V~ 60 Hz
Limites de funcionamento 65…120 % Un Limites de funcionamento – abertura do disjuntor: 35-70 % Un
Potência absorvida no – fechamento do disjuntor: 85-110 % Un
DC 200 W; AC = 200 VA
arranque (Ps)
Potência absorvida no
Duração do arranque cerca de 100 ms DC 200 W; AC = 200 VA
arranque (Ps)
Potência de manutenção (Pc) DC = 5 W; AC = 5 VA Duração do arranque cerca de 100 ms
Tempo de fechamento 40...80 ms Potência de manutenção (Pc) DC = 5 W; AC = 5 VA
Tensão de isolamento 2000 V 50 Hz (por 1 min.) Tempo de abertura 60...80 ms
Tensão de isolamento 2000 V 50 Hz (por 1 min.)

39
3. Componentes principais

Disjuntor removível a gás HD4/R-Sec e HD4/RE-Sec


Norma IEC 62271-100
Os disjuntores de média tensão a gás SF6 HD4/R-Sec, Técnica de interrupção
realizados especificamente para a instalação nas unidades O SF6 é um gás inerte com excelentes propriedades isolantes.
UniSec, estão equipados com comando lateral à direita. Graças à sua estabilidade térmica e química especial, o SF6
Utilizam o gás SF 6 para extinguir o arco elétrico e como meio mantém as suas características por muito tempo, garantindo
isolante. São realizados com técnica de polos separados. um elevado grau de confiabilidade dos disjuntores.
O comando é do tipo ESH com acúmulo de energia e com O efeito de geração e resfriamento do gás SF6 e a forma
disparo livre, com manobras de abertura e fechamento especial dos contatos, extinguem gradualmente o arco
independentes da ação do operador. Acrescentando elétrico e restabelecem rapidamente as propriedades
acessórios elétricos, é possível obter o comando à distância. dielétricas, sem re-ignição. Este processo determina valores
A construção é compacta, resistente e de peso limitado. Os de tensão máxima muito baixos e uma duração breve do
disjuntores HD4/R-Sec são sistemas de pressão vedados arco. Estas características tornam os disjuntores HD4/R-Sec
para a vida operativa (normas IEC 60271-1). e HD4/RE-Sec ideais para o emprego em subestações de
A unidade UniSec também pode ser equipada com o distribuição de MT.
disjuntor de média tensão HD4/RE-Sec, isolado em gás
SF 6, com comando lateral direito tipo EL, com acúmulo de Equipamento de série
energia, com disparo livre e com fechamento e abertura 1 Botão de fechamento
independentes da ação do operador. O disjuntor 2 Botão de abertura
HD4/RE-Sec é realizado com a técnica de polos separados 3 Contador de operações
(distância entre eixos de 230 mm). Acrescentando acessórios 4 Indicadores mecânicos de abertura/fechamento do disjuntor
elétricos, é possível obter o comando à distância. 5 Alavanca manual para o carregamento das molas
O gás contido nos polos permite a resistência do isolamento 6 Indicador mecânico de estado carregado/descarregado
e permite extinguir o arco elétrico durante a abertura do das molas de fechamento
disjuntor. 7 Kit 1: grupo de cinco contatos auxiliares aberto/fechado.
Os disjuntores HD4/RE-Sec estão disponíveis para Un = 24…250 V AC-DC
desempenhos de até 24 kV, 630 A e 16 kA. 8 Kit 2: relé de abertura (MBO1); permite a abertura remota
Os disjuntores HD4/R-Sec e HD4/RE-Sec são caracterizados da aparelhagem.
pelo design compacto e resistente e pelo peso limitado.
Ambos os disjuntores HD4/R-Sec e HD4/RE-Sec são Características elétricas
sistemas de pressão vedados para a vida operativa (normas Potência de arranque 125 VA / W
IEC 60271-1). Tensões disponíveis 24-30-48-60-110-125-132-220-250 V–
48-110-120-127-220-230-240 V 50 Hz
110-120-127-220-230-240 V 60 Hz

9 Kit 3: bloqueio por chave em posição aberta com chaves


diferentes ou idênticas.

Dados técnicos HD4/R-Sec


Tensão nominal 12 kV 17,5 kV 24 kV
Frequência nominal [Hz] 50/60 50/60 50/60
Tensão nominal de impulso
[kV] 75 95 125
suportável
Tensão nominal de teste
[kV] 28 38 50
em frequência industrial
Corrente nominal [A] 630/800 630/800 630
Capacidade de interrupção [kA] 12/16/20(1)/25(2) 12/16/20(1) 12/16/20(1)
Capacidade de fechamento [kA] 30/40/50/62,5 30/40/50 30/40/50
Duração do curto-circuito [s] 3 3 3
Distância entre os polos [mm] 230 230 230
(1)
Para 21 kA, entre em contato com a ABB
(2)
25 kA - 2s

40
Pressostato de dois níveis
− − Primeiro nível - intervenção por baixa pressão: a
sinalização acontece quando a pressão do gás desce do
valor absoluto de 380 kPa a um valor absoluto de 310 kPa.
− − Segundo nível - intervenção por pressão insuficiente:
a sinalização acontece quando a pressão do gás desce
abaixo do valor absoluto de 280 kPa.
O pressostato deve ser solicitado no momento da encomenda
porque deve ser montado e testado na fábrica.

Dispositivo de bloqueio do disjuntor com luzes


indicadoras por pressão insuficiente do gás SF6
Este dispositivo está disponível só para os disjuntores
equipados com pressostato.
O circuito de bloqueio é uma aplicação opcional e pode ser
instalado exclusivamente pela ABB.
Estão disponíveis as seguintes configurações:
A - Circuito para a abertura automática do disjuntor, com três
luzes indicadoras.
B - Circuito para o bloqueio do disjuntor na posição em que
se encontra, com três luzes indicadoras.

41
3. Componentes principais

Acessórios do disjuntor a gás

Comando motorizado para o carregamento das molas (MAS) Relé de abertura suplementar (MBO2)
Este dispositivo carrega automaticamente as molas do Este relé é um dispositivo eletromecânico que, a seguir à
dispositivo de comando depois da manobra de fechamento. excitação de um eletroímã, ativa a alavanca do comando para
realizar a abertura do disjuntor.

Características elétricas Características elétricas


Potência de arranque 1500 VA / W Potência de arranque 125 VA / W
Potência absorvida em Tensões disponíveis 24-30-48-60-110-125-132-220-250 V –
400 VA / W
serviço contínuo
48-110-120-127-220-230-240 V 50 Hz
Tempo de carregamento de 7 a 10 s.
110-120-127-220-230-240 V 60 Hz
Tensões disponíveis 24-30-48-60-110-125-220 V–
24-30-48-60-110-120-127-220-230-240 V 50 Hz
110-120-127-220-230-240 V 60 Hz

Relé de fechamento (MBC) Relé de mínima tensão (MBU)


Este relé é um dispositivo eletromecânico que, a seguir à Este relé realiza a abertura do disjuntor no caso de redução
excitação de um eletroímã, ativa a alavanca do comando para brusca ou de interrupção da tensão de alimentação.
realizar o fechamento do disjuntor.

Características elétricas Características elétricas


Potência de arranque 250 VA / W Potência de arranque 250 VA / W
Potência absorvida em Potência absorvida em
5 VA / W 5 VA / W
serviço contínuo serviço contínuo
Tensões disponíveis 24-30-48-60-110-125-132-220-250 V – Tensões disponíveis 24-30-48-60-110-125-132-220-250 V –
24-30-48-60-110-120-127-220-230-240 V 50 Hz 24-48-60-110-120-127-220-230-240 V 50 Hz
110-120-127-220-230-240 V 60 Hz 110-120-127-220-230-240 V 60 Hz

42
HySec: aparelho multifunções que integra disjuntor a vácuo
e seccionador em gás
Norma IEC 62271-100
IEC 62271-102
O HySec é um aparelho multifunções que integra no seu de instalação do painel e de manutenção: a parte inferior
interior as funções de disjuntor a vácuo e seccionador do aparelho é realizada em aço inoxidável para garantir a
em gás. A parte superior do aparelho exerce a função de segregação metálica (PM) entre o compartimento dos cabos
disjuntor e consiste em uma capa de resina epóxi que contém e o compartimento dos barramentos, e uma continuidade de
as ampolas a vácuo. A parte inferior possui as funções de um serviço de tipo LSC2A.
seccionador de 3 posições (linha – isolado – terra) isolado em Graças às partes realizadas em resina e à utilização do gás
gás SF6. SF6 como meio isolante na parte do seccionador, é possível
A aparelho HySec foi projetado para garantir a máxima segu- tanto conter as dimensões do aparelho, como garantir uma
rança para o pessoal que o opera: uma série de intertrava- proteção mais alta ao longo do tempo contra os ambientes
mentos garante a exatidão da sequência das operações. externos fortemente agressivos.
Os comandos da parte do disjuntor e da parte do O aparelho HySec integra também, nos isoladores inferiores,
seccionador são intertravados mecanicamente entre si para as tomadas capacitivas para os dispositivos de presença
permitir operar o seccionador somente com os contatos de tensão e a predisposição para a conexão dos cabos,
do disjuntor na posição aberta. Também está presente um permitindo assim reduzir o número de componentes
intertravamento com a porta do painel que impede o acesso presentes no interior do painel e um melhor aproveitamento
ao compartimento dos cabos quando o seccionador de dos espaços do compartimento dos cabos.
aterramento não está fechado e, vice-versa, não permite pôr O HySec foi projetado especificamente para o painel HBC da
o painel em serviço se a porta não estiver fechada. série UniSec e a versatilidade deste aparelho permite que o
O comando do seccionador foi projetado com sedes de painel HBC possa ser utilizado tanto como painel de chegada
manobra separadas para as operações de linha e para com disjuntor (série SBR), quanto como painel de partida
as operações de terra: esta característica representa um (série SBC).
intertravamento natural para garantir a sequência correta das O design compacto e a integração da função de dois apa-
operações, impedindo, por exemplo, fechar o seccionador de relhos em um único permitem realizar painéis HBC muito
aterramento com o contato de linha fechado. compactos, com largura de 500 mm. Também a massa de SF6
A segurança que o HySec oferece é máxima não apenas contida no interior do aparelho é reduzida (inferior a 300 gra-
durante a manobra, mas também durante as operações mas) para conter ao mínimo o impacto ambiental do produto.

Características elétricas do HBC


Tensão nominal 12 kV 17,5 kV 24 kV
Tensão nominal de teste em frequência industrial
[kV] 28 38 50
(50 Hz, 1 min.)
Tensão nominal de impulso suportável [kV] 75 95 125
Frequência nominal [Hz] 50/60
Corrente nominal [A] 630
Capacidade de interrupção [kA] 12,5 - 16
Capacidade de fechamento, parte do disjuntor [kAp] 12,5 - 16
Capacidade de fechamento, contato de terra [kAp] 31,5 - 40
Corrente de curta duração [kA (s)] 12,5 (1s) - 16 (1s)
Sequência de manobra O - 0,3s - CO - 15s - CO
Distância entre as fases [mm] 230

43
3. Componentes principais

Equipamento de série Acessórios


Função disjuntor Relé de abertura –MO1
1. Comando mecânico com alavanca para o carregamento Este relé é um dispositivo eletromecânico que, a seguir à
manual das molas excitação de um eletroímã, ativa a alavanca do comando para
2. Botão de abertura realizar a abertura do disjuntor.
3. Botão de fechamento
4. Indicadores mecânicos de estado do disjuntor Características
(aberto/fechado e molas carregadas/descarregadas) Un 24 - 30 - 48 - 60 - 110 - 125 - 132 - 220 - 250 V–
5. Contador de operações Un 48 - 60 - 110 - 120 - 127 - 220...240 V~ 50 Hz
6. Grupo de contatos auxiliares (6 + 6) Un 110 - 120 - 127 - 220 - 240 V~ 60 Hz
7. Bobina de abertura –MO1 Limites de funcionamento 70…110 % Un
Potência absorvida no
DC 200 W; AC = 200 VA
arranque (Ps)
Função seccionador
Duração do arranque cerca de 100 ms
8. Intertravamento mecânico entre disjuntor e seccionador
Potência de manutenção (Pc) DC = 5 W; AC = 5 VA
9. Intertravamento mecânico com a porta para o acesso ao
Tempo de abertura 40...60 ms
compartimento dos cabos do painel
Tensão de isolamento 2000 V 50 Hz (por 1 min.)
10. Predisposição para cadeados, para bloquear a posição
do comando de seccionamento
O relé –MO1 está incluído no fornecimento de série do
aparelho.

Relé de fechamento –MC


Este relé é um dispositivo eletromecânico que, a seguir à
excitação de um eletroímã, ativa a alavanca do comando para
realizar o fechamento do disjuntor.

Características
Un 24 - 30 - 48 - 60 - 110 - 125 - 132 - 220 - 250 V–
Un 48 - 60 - 110 - 120...127 - 220...240 V~ 50 Hz
Un 110 - 120 - 127 - 220 - 240 V~ 60 Hz
Limites de funcionamento 70…110 % Un
Potência absorvida no
DC 200 W; AC = 200 VA
arranque (Ps)
Duração do arranque cerca de 100 ms
Potência de manutenção (Pc) DC = 5 W; AC = 5 VA
Tempo de fechamento 40...80 ms
Tensão de isolamento 2000 V 50 Hz (por 1 min.)

44
Relé de mínima tensão –MU Bloqueios por chave para as sedes de manobra, para a
Este relé realiza a abertura do disjuntor no caso de redução parte relativa ao seccionador
brusca ou de interrupção da tensão de alimentação. Permitem bloquear cada uma das sedes de manobra da parte
seccionador do aparelho nas posições aberta ou fechada.
Características É possível combinar até um máximo de duas chaves para a
Un 24 - 30 - 48 - 60 - 110 - 125 - 220 - 250 V– sede de linha e duas chaves para a de terra.
Un 48 - 60 - 110 - 120 - 127 - 220...240 V~ 50 Hz Estão disponíveis três tipos de chaves: padrão, Ronis e
Un 110 - 120...127 - 220...240 V~ 60 Hz Profalux.
Limites de funcionamento – abertura do disjuntor: 35-70 % Un
– fechamento do disjuntor: 85-110 % Un Bloqueios por chave Comando 1S
Potência absorvida no - Mola simples
DC 200 W; AC = 200 VA
arranque (Ps) Linha 2 chaves livres

Duração do arranque cerca de 100 ms - 1 aberto e 1 fechado
1 chave livre - aberto 
Potência de manutenção (Pc) DC = 5 W; AC = 5 VA
Tempo de abertura 60...80 ms 1 chave livre - fechado 
Terra 2 chaves livres
Tensão de isolamento 2000 V 50 Hz (por 1 min.) 
- 1 aberto e 1 fechado
1 chave livre - aberto 
Também está disponível o dispositivo de exclusão mecânico
1 chave livre - fechado 
para este relé.

Motor de carregamento das molas do comando do Contatos auxiliares


disjuntor Permitem assinalar à distância a posição do aparelho. Estão
Este dispositivo carrega automaticamente as molas do disponíveis 4 contatos auxiliares para a linha e 4 para a terra.
dispositivo de comando depois da manobra de fechamento. Cada contato pode ser utilizado como circuito normalmente
fechado (NC) ou normalmente aberto (NO). Ver o esquema
Características elétrico.
Un 24...30 - 48...60 - 110...130 - 220...250 V–
Un 100...130 - 220...250 V~ 50/60 Hz Capacidade máxima AC DC
Limites de funcionamento 85-110 % Un Tensão [V] 250 250
Potência absorvida no Corrente [A] 16 0,3
DC = 600 W; AC = 600 VA
arranque (Ps)
Potência nominal (Pn) DC = 200 W; AC = 200 VA
Duração do arranque 0,2 s
Tempo de carregamento 6-7 s
Tensão de isolamento 2000 V 50 Hz (por 1 min.)

45
3. Componentes principais

Lâmpadas de presença de tensão no lado dos cabos VPIS Densostato termocompensado


O HySec pode ser equipado com indicadores de presença O densostato permite monitorar a pressão do gás e gera um
de tensão do tipo VPIS (Voltage Presence Indicating System), alarme que assinala a presença de baixa pressão.
de acordo com as normas IEC 61958. Desta forma, torna-
se possível detectar a presença de tensão nos cabos Sinal Descrição
conectados ao aparelho. OK Pressão de funcionamento correto
Mediante estes dispositivos é também possível executar a LOW Indicação do nível mínimo do gás com o qual se garante
concordância das fases. o funcionamento do seccionador
VERY LOW O seccionador não pode ser manobrado

Manômetro (analógico) É também possível transmitir à distância o estado das


O manômetro exibe a pressão do gás e fornece sinalizações mediante uma cablagem e um bloco de
uma indicação de tipo analógico. terminais. Ver o esquema elétrico.
A informação é visível na parte frontal do painel e também
pode ser enviada à distância mediante uma cablagem e um
bloco de terminais. Ver o esquema elétrico.

46
Disjuntor a vácuo extraível Vmax/Sec
Norma IEC 62271-100
Informações gerais A abertura e o fechamento do aparelho podem ser realizados
Os disjuntores de média tensão Vmax são constituídos por por meio dos botões situados na parte frontal do comando
um monobloco isolante no qual ficam alojadas três ampolas ou através dos relés elétricos (fechamento, abertura e tensão
a vácuo. O monobloco e o comando são fixados numa mínima).
armação. A ampola a vácuo, uma para cada polo, aloja os Os disjuntores são sempre equipados com dispositivo
contatos e constitui a câmara de interrupção. antifecho para eliminar a possibilidade de sequências
repetidas de abertura e fechamento a seguir a comandos de
Monobloco isolante abertura e fechamento simultâneos e mantidos (locais e/ou
A estrutura do disjuntor Vmax é constituída por um único remotos).
monobloco isolante, onde ficam alojadas as três ampolas a
vácuo. O monobloco e o comando mecânico com acúmulo Carro
de energia, são fixados em uma sólida armação metálica. A Os polos e o comando são fixados num carro metálico de
estrutura é muito compacta e garante solidez e robustez. suporte e movimentação. O carro possui um sistema de
A excursão reduzida dos contatos e a pequena massa rodas que possibilita as operações de extração e inserção do
limitam a energia necessária para a manobra, garantindo um aparelho no compartimento do quadro com a porta fechada.
desgaste extremamente reduzido do sistema, que requer O carro permite a ligação à terra eficaz do disjuntor através
pouca manutenção. da estrutura metálica do quadro.
As ampolas dos disjuntores de média tensão Vmax são as
mesmas adotadas em outros tipos de disjuntores (VD4, Interface aparelho-operador
VM1, etc.) e têm a característica de interromper a corrente, A parte frontal do disjuntor representa a interface do aparelho
gerando sobretensões de valor transcurável e restabelecendo com o operador. Possui os seguintes acessórios:
as propriedades dielétricas muito rapidamente. −− botão de abertura
− − botão de fechamento
Comando − − contador de operações
A série Vmax possui um comando mecânico com acúmulo −− indicador do estado de disjuntor aberto e fechado
de energia de simples concepção e utilização, derivado do − − indicador do estado de molas de comando carregadas e
mesmo comando mecânico da série VD4. O comando é com descarregadas
disparo é livre e garante manobras de abertura e fechamento −− dispositivo de carga manual das molas de comando
independentes da ação do operador. O sistema de molas − − seletor de exclusão do relé de mínima tensão (opcional).
do comando é recarregável tanto manualmente, como por
intermédio de um motor de engrenagens.

Características elétricas Vmax/Sec


Tensão nominal 12 kV 17,5 kV
Frequência nominal [Hz] 50/60 50/60
Tensão nominal de impulso suportável [kV] 75 95
Tensão nominal de teste em frequência industrial [kV] 28 38
Corrente nominal [A] 630/1250 630/1250
Capacidade de interrupção [kA] 16/20/25 16/20/25
Capacidade de fechamento [kA] 40/50/62,5 40/50/62,5
Duração do curto-circuito [s] 3 3
Distância entre os polos [mm] 150 150

47
3. Componentes principais

Disjuntor a vácuo extraível VD4/Sec


Norma IEC 62271-100
As ampolas dos disjuntores de média tensão VD4 empregam cromo sinterizado e soldados nos terminais de cobre. Uma
o vácuo para a extinção do arco elétrico e como meio membrana metálica permite o movimento do grupo móvel
isolante. contato-terminal, garantindo ao mesmo tempo a manutenção
Graças às propriedades insuperáveis do vácuo e da técnica do vácuo na ampola. Os componentes da ampola são
de interrupção utilizada, a interrupção da corrente acontece soldados em um ambiente em ultravácuo para garantir na
sem ruptura do arco e sem geração de sobretensões. ampola valores de vácuo inferiores a 10-5 Pa.
O restabelecimento das propriedades dielétricas após a Portanto, a ampola não contém material inonizável. Quando
interrupção é extremamente rápido. ocorre o destaque dos contatos gera-se, de qualquer
Os disjuntores VD4 são empregados para a proteção de maneira, um arco elétrico que é constituído exclusivamente
cabos, linhas aéreas, motores, transformadores, geradores e pela fusão e vaporização do material dos contatos.
bancos de capacitores. Na ampola está integrada uma blindagem metálica que
captura os vapores metálicos emitidos durante a interrupção
Polos e que controla o campo elétrico. A forma especial dos
Os disjuntores de média tensão VD4 empregam ampolas a contatos gera um campo magnético que força o arco a rodar
vácuo encapsuladas nos polos. e a envolver uma superfície muito mais ampla do que a do
O encapsulamento da ampola nos polos torna o disjuntor arco com contato fixo.
particularmente resistente e protege-o das pancadas, dos Tudo isso, além de limitar a solicitação térmica nos contatos,
depósitos de pó e da umidade. torna a erosão dos contatos insignificante e, sobretudo,
A ampola a vácuo aloja os contatos e constitui a câmara de permite controlar o processo de interrupção mesmo com
interrupção. correntes de curto-circuito muito elevadas.
Os disjuntores da ABB utilizam as técnicas de interrupção O arco elétrico permanece sustentado pela energia externa
no vácuo mais avançadas: com fluxo magnético radial para até a corrente passar pelo zero natural.
disjuntores de desempenhos médio-baixos e com fluxo As ampolas a vácuo da ABB são do tipo com corrente zero e
magnético axial para os disjuntores com elevada capacidade isentas de reignições.
de interrupção. A rápida redução da densidade de corrente e a rápida
Ambas as técnicas garantem a distribuição homogênea das condensação dos vapores metálicos, simultaneamente à
raízes do arco em toda a superfície dos contatos, permitindo passagem da corrente pelo zero, permitem restabelecer a
obter os melhores desempenhos em todos os valores de máxima rigidez dielétrica entre os contatos da ampola em
corrente. A estrutura da ampola a vácuo é relativamente poucos milésimos de segundo. A supervisão do nível de
simples. O invólucro externo é constituído por um Isolador vácuo é desnecessária porque os polos do disjuntor são
cerâmico, fechado nas extremidades por coberturas de aço sistemas de pressão vedada para a vida operativa e não
inoxidável. Os contatos são realizados em cobre puro e necessitam de manutenção.

Características elétricas VD4/Sec


Tensão nominal 24 kV
Frequência nominal [Hz] 50/60
Tensão nominal de impulso suportável [kV] 125
Tensão nominal de teste em frequência industrial [kV] 50
Corrente nominal [A] 630/1250
Capacidade de interrupção [kA] 16/20/25
Capacidade de fechamento [kA] 40/50/62,5
Duração do curto-circuito [s] 3
Distância entre os polos [mm] 210

48
Comando O carro possui um sistema de rodas que possibilita
O disjuntor VD4 possui um comando mecânico com acúmulo as operações de extração e inserção do aparelho no
de energia. compartimento do quadro com a porta fechada. O carro
O disparo é livre, garantindo assim manobras de abertura e permite a ligação à terra eficaz do disjuntor através da
fechamento independentes da ação do operador. estrutura metálica da unidade do quadro.
O sistema de molas de comando é recarregável tanto O carro do disjuntor a vácuo pode ser motorizado.
manualmente, como por intermédio de um motor de As manobras de inserção e extração podem ser executadas
engrenagens. A abertura e o fechamento do aparelho podem mediante comandos elétricos, tanto localmente pelo
ser realizados por meio dos botões situados na parte frontal operador, como por intermédio de um sistema remoto.
do comando ou através dos relés elétricos (fechamento,
abertura e tensão mínima). Interface aparelho-operador
Os disjuntores são sempre equipados com dispositivo A parte frontal do disjuntor contém a interface para o usuário,
antifecho para eliminar a possibilidade de comandos munida dos seguintes acessórios:
de abertura e fechamento simultâneos, comandos de −− Botão ON
fechamento com molas descarregadas ou com os contatos − − Botão OFF
principais ainda não na posição de fim de curso. − − Contador de operações
−− Indicador do estado de disjuntor aberto e fechado
Carro − − Indicador do estado de molas de comando carregadas e
Os polos e o comando são fixados num carro metálico de descarregadas
suporte e movimentação. −− Dispositivo de carga manual das molas do comando
− − Seletor de exclusão do relé de mínima tensão (opcional).

49
3. Componentes principais

Acessórios para disjuntor do tipo Vmax/Sec e VD4/Sec

Relé de abertura (MBO1) Relé de mínima tensão (MBU)


Este dispositivo permite comandar a abertura do aparelho à Este relé realiza a abertura do disjuntor no caso de redução
distância. brusca ou de interrupção da tensão de alimentação.
As características elétricas e de funcionamento estão As características elétricas e de funcionamento estão
indicadas na tabela 1. indicadas na tabela 1.

Comando motorizado para o carregamento das molas


(MAS) Características elétricas
Este dispositivo carrega automaticamente as molas do 24 - 30 - 48 - 60 - 110 - 132 - 220 -
Un
dispositivo de comando depois da manobra de fechamento. 250 V DC-AC (50-60 Hz)

As características elétricas e de funcionamento estão Limites de MBO1-MBO2-MBC 65...120 % Un

indicadas na tabela 1. funciona- MBU 35...85 % Un


mento RL1 85...110 % Un

Relé de fechamento (MBC) Duração de MBO1-MBO2 33,5...60 ms

Este relé é um dispositivo eletromecânico que, a seguir à funciona- MBC 45...80 ms


mento MBU 60...60 ms
excitação de um eletroímã, ativa a alavanca do comando para
realizar o fechamento do disjuntor. Potência absorvida no arranque (Ps) < 150 W

As características elétricas e de funcionamento estão Duração do arranque 150 ms

indicadas na tabela 1. Potência de manutenção (Pc) 3W


Tensão de isolamento 2000 V 50-60 Hz (por 1 min.)

Relé de abertura suplementar (MBO2) Tabela 1

Este relé é um dispositivo eletromecânico que, a seguir à


excitação de um eletroímã, ativa a alavanca do comando para
realizar a abertura do disjuntor.
As características elétricas e de funcionamento estão
indicadas na tabela 1.

50
Contator a vácuo extraível VSC/P
Norma IEC 60470
Os contatores de média tensão VSC/P são aparelhos − − SCO (manobra de comando simples). O contator se fecha
adequados para funcionar em corrente alternada e são, quando é fornecida a tensão auxiliar para a entrada do
normalmente, empregados para comandar cargas que exigem alimentador de diversas tensões e abre-se quando a
um elevado número de operações por hora. São adequados tensão auxiliar é interrompida
para comandar e proteger motores, transformadores e − − DCO (manobra de comando dupla). O contator se fecha
bancos de compensação de fase. quando é fornecida a tensão auxiliar para a entrada de
Se forem equipados com fusíveis adequados, podem ser fechamento do alimentador de diversas tensões e abre-se
empregados em circuitos com níveis de falha de até 1000 MVA. quando é fornecida tensão para a entrada de abertura. A
A duração elétrica dos contatores VSC/P é definida como função antifecho está incorporada
de categoria AC3 com 100.000 manobras (fechamento/ −− A pedido, a configuração DCO também está disponível
abertura), corrente interrompida de 400 A. com uma função de mínima tensão temporizada. Esta
função permite a abertura automática do contator quando
Contator VSC/P o nível de tensão auxiliar desce abaixo dos níveis definidos
Estes contatores são constituídos por um monobloco em pelas normas IEC.
resina que contém os seguintes componentes: A abertura pode ser temporizada de 0 a 5 segundos
− − ampolas a vácuo (regulação definida pelo cliente mediante dip-switches).
− − partes móveis
− − atuador magnético Fusíveis
− − alimentador de diversas tensões O contator possui fusíveis de média tensão para a proteção
− − acessórios e contatos auxiliares. das cargas.
Os contatores estão disponíveis nas seguintes versões: A coordenação entre o contator, os fusíveis e a unidade de
− − VSC7/P para tensões de até 7,2 kV proteção em classe C é garantida em conformidade com as
−− VSC12/P para tensões de até 12 kV. normas IEC 60470.
A armação porta-fusíveis é normalmente predisposta para a
Comando instalação de três fusíveis com dimensões e percutor de tipo
Devido à presença do atuador magnético, os contatores médio, segundo as normas indicadas a seguir:
VSC/P necessitam de uma quantidade transcurável de energia − − DIN 43625
auxiliar em todas as configurações (15 W no arranque - 36 W −− BS 2692 (*).
por 6 segundos na primeira vez se o capacitor principal estiver Podem ser empregados os seguintes fusíveis:
completamente descarregado - 5 W em contínuo). − − tipo DIN com comprimento de 192, 292 e 442 mm
O contator VSC/P está disponível em três diferentes −− tipo BS com comprimento de 235, 305, 410, 453 e 553 mm.
configurações:

(*)
Os fusíveis ABB CMF-BS não são utilizáveis em VSC/P.

Características elétricas VSC/P


VSC7/P VSC12/P
Tensão nominal [kV] 7,2 12
Tensão nominal de isolamento [kV] 7,2 12
Tensão de teste em frequência industrial [kV] 1 min. 20 28
Tensão de impulso suportável [kV] 60 75
Frequência nominal [Hz] 50/60 50/60
Corrente nominal admissível de curta duração [kA] (1) …50 …50
Corrente de crista [kA] …125 …125
Corrente de resistência ao arco interno (2) [kA] 1 s …50 …50
Corrente nominal máxima do contator [A] 400 400
(1)
Limitada pelos fusíveis.
(2)
Os valores de resistência ao arco interno são garantidos nos compartimentos antes dos fusíveis (barramentos e
aparelhos) pela estrutura do quadro e no compartimento depois deles (da linha) pelas propriedades limitadoras dos
fusíveis.

51
3. Componentes principais

As armações porta-fusíveis estão equipadas com um


dispositivo de abertura automática mesmo em caso de
intervenção de um único fusível.
Este dispositivo não permite o fechamento do contator em
caso de ausência de até mesmo um único fusível.
A gama ABB de fusíveis para a proteção dos transformadores
é denominada CEF, enquanto que a gama para os motores e
capacitores é denominada CMF.

Normas
IEC 60470 para o contator
IEC 60282-1 para os fusíveis.

Performances limite do contator com fusíveis


3,6 kV 7,2 kV 12 kV
Motores kW 1000 1800 3000
Transformadores kVA 2000 2500 2500
Capacitores kVAR 1000 1800 3000

Máxima corrente de carga dos fusíveis


Linha Transformadores Motores Banco de capacitores único
Tensão nominal Fusível Carga máxima Fusível Carga máxima Fusível Carga máxima
3,6 kV 200 A 160 A 315 A 250 A 450 A 250 A
7,2 kV 200 A 160 A 315 A 250 A 355 A 250 A
12 kV 200 A 160 A 200 A 160 A 200 A 160 A

Nota: o tamanho do fusível é indicativo; para selecionar o fusível, consulte o catálogo técnico dos contatores.

52
Interruptores de manobra-seccionadores a gás GSec
Norma IEC 60265-1
IEC 62271-102
IEC 62271-105
O GSec é um interruptor de manobra-seccionador de 3 Em caso de emergência, ambos os atuadores podem ser
posições isolado em gás SF6. acionados manualmente mediante uma alavanca de manobra
Os contatos do interruptor de manobra-seccionador estão (tipo 1S) ou botões (tipo 2S), mesmo se estiverem equipados
alojados em um invólucro realizado com dois materiais: com comando motorizado.
a parte superior é um invólucro moldado em resina para
garantir o nível de isolamento; a parte inferior é realizada Atuador 1S - Mola simples
em aço inoxidável para garantir a segregação metálica e a Este comando permite o fechamento rápido e a abertura,
ligação à terra entre o compartimento do barramento e o manual ou motorizada, do interruptor de manobra-
compartimento dos cabos. seccionador com velocidade de operação independente da
Isso garante a máxima segurança do pessoal em caso ação do operador. O fechamento ou a abertura são feitos
de intervenções no compartimento de linha, mesmo com carregando mola (manualmente ou mediante comando
os barramentos principais sob tensão, por exemplo para motorizado) até o ponto morto ser ultrapassado. Este
substituir um ou mais fusíveis ou para controlar os cabos. comando realiza também o fechamento rápido manual do
O interruptor de manobra-seccionador pode ser empregado seccionador de aterramento com velocidade de operação
associado a fusíveis, como por exemplo, para a proteção de independente da ação do operador.
transformadores.
Atuador 2S - Mola dupla
Atuador Este comando permite o fechamento rápido manual
O atuador GSec é acessível diretamente pela parte frontal e do interruptor de manobra-seccionador com manobra
permite uma fácil instalação “plug and play” e substituição independente da ação do operador, por intermédio de uma
dos acessórios. O atuador GSec apresenta engates para mola carregada até o ponto morto ser ultrapassado.
alavanca separados para as manobras de isolamento e O ciclo de manobra é realizado na seguinte sequência:
ligação à terra. − − carregamento das molas de abertura e fechamento
O GSec utiliza dois tipos diferentes de atuadores: mediante alavanca ou comando motorizado
− − 1S - Mola simples: para as manobras de fechamento e − − fechamento do interruptor de manobra-seccionador
abertura. Pode ser acionado por alavanca e por motor mediante botão ou relé de fechamento
− − 2S - Mola dupla: para as manobras de fechamento − − abertura do interruptor de manobra-seccionador mediante
e abertura. Pode ser acionado através de botões botão ou relé de abertura. A abertura pode acontecer
(carregamento das molas mediante alavanca) ou relés de também pela intervenção de um fusível ou mediante
abertura e fechamento (carga das molas mediante motor). bobina de mínima tensão.
O atuador de tipo 2 realiza também o fechamento rápido
manual do seccionador de aterramento com velocidade de
operação independente da ação do operador.

Unidade Atuadores
1S - Mola simples 2S - Mola dupla
SDC, SDS  
SFC, SFS – 
SDM  –
SDD – 
SBC, SBS  –
SBM  –
SBR  –
DRC, DRS – –
SFV – 

53
3. Componentes principais

Tempos de intervenção dos atuadores GSec


Diagrama de funcionamento do comando 1S - Mola simples Diagrama de funcionamento do comando 2S - Mola dupla

100% 100%

50%

0% 0%
tempo tempo
Ts1 Tc Ts1 Tc Ts2 Tc Tc

T close T open T close T open

Posição do contato de linha Posição do contato de linha


Estado da carga da mola Estado da carga das molas
Ts1 Tempo de carga da mola Ts2 Tempo de carga das molas
– comando manual: depende do operador – comando manual: depende do operador
– comando motorizado = 3-4 s – comando motorizado = 3-4 s
Tc Tempo de abertura ou fechamento do contato < 0,3 s Tc Tempo de abertura ou fechamento do contato < 0,3 s
Tclose Tempo de fechamento total < 5 s (comando motorizado) Tclose Tempo de fechamento total < 0,3 s (comando motorizado)
Topen Tempo de abertura total < 5 s (comando motorizado) Topen Tempo de abertura total < 0,3 s (comando motorizado)

54
Controle à distância do GSec
Todos os tipos de seccionador GSec podem ser comandados
à distância para as manobras de abertura e colocação em
linha.
Para o comando 1S - Mola simples - o controle à distância é
realizado graças ao motor para a carga da mola.
O controle à distância do comando 2S - Mola dupla -
acontece mediante o motor de carga das molas e as bobinas
de fechamento e de abertura.
O sistema de comando do motor e das bobinas pode ser
simples ou realizado mediante um dispositivo eletrônico
(MOD, Motor Operating Device).

Características elétricas
Tensão nominal kV 12 17,5 24
Tensão suportável à frequência industrial (50-60 Hz, 1 min.)
– Fase-fase e fase-terra kV 28 38 50
– Entre os contatos abertos kV 32 45 60
Tensione suportável de impulso atmosférico (BIL 1,2/50 µs)
– Fase-fase e fase-terra kVp 75 95 125
– Entre os contatos abertos kVp 85 110 145
Frequência nominal Hz 50-60 50-60 50-60
Corrente nominal (40 °C) A 800 (1) 800 (1) 630
Corrente nominal admissível de curta duração kA 25 (2s) (2) 20 (3s) (2)(3) 16 (3s) - 20 (3s) (2)(3)
Capacidade de fechamento (corrente de crista) kAp 62,5 52,5 40-52,5
Capacidade de interrupção:
– Carga ativa A 800 (1) 800 (1) 630
– Transformadores a vácuo A 16 16 16
– Linhas a vácuo A 25 25 25
– Cabos a vácuo A 50 50 50
– Circuitos em anel A 800 (1) 800 (1) 630

Desempenhos mecânicos e elétricos


Duração elétrica do contato de linha classe E3 - até 5 fechamentos e 100 interrupções da corrente nominal
Duração elétrica do contato de terra classe E2 - até 5 fechamentos
Duração mecânica do contato de linha com comando 1S - Mola simples classe M2 - 5000 manobras mecânicas
Duração mecânica do contato de linha com comando 2S - Mola dupla classe M1 - 1000 manobras mecânicas
Duração mecânica do contato de terra classe M0 - 1000 manobras mecânicas
(1)
630 A para SDC com comando 2S - Mola dupla
(2)
16 kA (3s) para SDC com comando 2S - Mola dupla
(3)
Para 21 kA (3s), entre em contato com a ABB

55
3. Componentes principais

Acessórios dos disjuntores de manobra-seccionadores a gás GSec

1. Bloqueios por chave 2. Predisposição para cadeados


Permitem bloquear cada uma das sedes de manobra Permite alojar os cadeados para bloquear o aparelho na
do aparelho (linha e terra) na posição aberta ou fechada. É posição aberta, em linha ou à terra. É possível combinar até
possível combinar até um máximo de duas chaves para a um máximo de três cadeados para cada aparelho.
linha e duas chaves para a terra. O diâmetro máximo do gancho do cadeado é de 6 mm.
Estão disponíveis três tipos de chaves: padrão, Ronis e Está presente no fornecimento padrão de todos GSec; os
Profalux. cadeados não são fornecidos.
A sede de manobra de linha dos seccionadores com
comando 2S - Mola dupla não pode ser bloqueada na
posição fechada. 3. Contatos auxiliares
Permitem assinalar à distância a posição do aparelho. Estão
Bloqueios por chave Comando 1S Comando 2S disponíveis 4 contatos auxiliares para a linha e 4 para a terra.
- Mola simples - Mola dupla Cada contato pode ser utilizado como circuito normalmente
Linha 2 chaves livres
 fechado (NC) ou normalmente aberto (NO). Ver o esquema
- 1 aberto e 1 fechado
1 chave livre - aberto
elétrico.
 
1 chave livre - fechado 
Terra 2 chaves livres Capacidade máxima AC DC
 
- 1 aberto e 1 fechado Tensão [V] 250 250
1 chave livre - aberto   Corrente [A] 16 0,3
1 chave livre - fechado  

56
4. Motor para comando 1S - Mola simples (-MAD) 6. Relé de abertura -MBO4
O motor realiza o carregamento automático da mola do (para comando 2S - Mola dupla)
comando 1S - Mola simples, para as manobras de linha. É um dispositivo eletromecânico que, a seguir à excitação
Deste modo, é possível manobrar o seccionador à distância. de um eletroímã, ativa a abertura do contato de linha do
Os tempos de fechamento (Tclose) e de abertura (Topen) do aparelho. Ver o esquema elétrico.
seccionador são inferiores a 5 segundos. O tempo de abertura total dos contatos do seccionador é de
Para o que se refere aos métodos de alimentação do motor, 300 ms.
consulte o esquema elétrico.
Características:
DC DC/AC (50Hz) AC (50-60 Hz) DC
Tensão de alimentação [V] 24 48 110 220 Tensão de alimentação LV [V] 48, 60 24, 48, 60
Potência necessária [W/VA] 90 90 90 90 Tensão de alimentação HV [V] 110-127, 220-250 110-132, 220-250
Potência absorvida no
200 VA 200 W
Se o motor apresentar problemas de funcionamento, é arranque

sempre possível manobrar o seccionador manualmente


mediante a alavanca de manobra.
7. Relé de fechamento -MBC4
(para comando 2S - Mola dupla)
5. Motor para comando 2S - Mola dupla (-MAD) É um dispositivo eletromecânico que, a seguir à excitação
O motor realiza o carregamento automático das molas do de um eletroímã, ativa o fechamento do contato de linha do
comando 2S - Mola dupla, para as manobras de linha. aparelho. Ver o esquema elétrico.
Graças a este motor e aos relés de fechamento e O tempo de fechamento dos contatos do seccionador é de
abertura, é possível manobrar o seccionador à distância. 300 ms.
O tempo de carregamento das molas com o motor é inferior a
4 segundos. Características:
Para o que se refere aos métodos de alimentação do motor, AC (50-60 Hz) DC

consulte o esquema elétrico. Tensão de alimentação LV [V] 48, 60 24, 48, 60


Tensão de alimentação HV [V] 110-127, 220-250 110-132, 220-250
Potência absorvida no
DC DC/AC (50Hz) 200 VA 200 W
arranque
Tensão de alimentação [V] 24 48 110 220
Potência necessária [W/VA] 260 260 260 260

8. Relé de mínima tensão -MBU


A motorização está disponível com os seguintes modos: (para comando 2S - Mola dupla)
− − CCO (Charge - Close - Open) de três fases: o motor Este relé realiza a abertura do contato de linha
carrega as molas do comando e depois o fechamento e do interruptor de manobra-seccionador quando acontece
a abertura seguinte acontecem mediante duas entradas uma redução ou interrupção na tensão de alimentação
(botões ou bobinas) auxiliar. Ver o esquema elétrico.
− − CO (Charge and close - Open) de duas fases: o motor
carrega as molas do comando e realiza o fechamento do Características:
seccionador. AC (50 Hz) DC
A abertura acontece mediante uma entrada seguinte Tensão de alimentação LV [V] 48, 60 24, 48, 60
(botão ou bobina). Tensão de alimentação HV [V] 110-132 (*) 110-132
Se o motor apresentar problemas de funcionamento, é 220-250 (*) 220-250
sempre possível manobrar o seccionador manualmente Potência absorvida no
150 VA 150 W
mediante a alavanca de manobra. arranque
Duração do arranque [ms] 150 150
Potência de manutenção 3 VA 3W
Limites de intervenção 35-70% da tensão nominal
da alimentação auxiliar
(*)
Disponíveis também para 60 Hz

57
3. Componentes principais

9. Bobina de bloqueio da introdução da alavanca de 12. Dispositivos de presença de tensão VDS e VPIS
manobra na sede de linha -RLE5 (para comando Os painéis UniSec podem ser equipados com dois tipos
1S - Mola simples) diferentes de dispositivos de presença de tensão: VDS e VPIS.
Quando a bobina não recebe alimentação, um bloqueio VDS: dispositivo baseado no sistema HR conforme a norma
mecânico impede a introdução da alavanca na sede de IEC 61243-5. O VDS é composto por um dispositivo fixo
manobra da linha. Ver o esquema elétrico. com os soquetes capacitivos, instalado no quadro, e por um
Este acessório está disponível apenas para o comando móvel no qual estão instalados os indicadores luminosos que
1S - Mola simples. detectam visualmente a presença ou ausência de tensão e
concordância de fase.
Características: VPIS: dispositivo em conformidade com a norma IEC 61958.
Tensão de alimentação DC [V] 24, 30, 48, 60, 110, 220, 240 O VPIS é composto por um dispositivo fixo instalado no
Potência nominal [W] 250 quadro, com soquetes capacitivos e indicadores luminosos
Potência contínua [W] 5 que fornecem ao operador a indicação do estado de tensão
Duração no arranque [ms] 150 do circuito principal do quadro.
Os dispositivos podem ser associados à travessa com
indicadores capacitivos ou TC tipo DIN.
10. Bobina de bloqueio da introdução da alavanca de
manobra na sede de terra -RLE3
Quando a bobina não recebe alimentação, um bloqueio 13. Manômetro (analógico)
mecânico impede a introdução da alavanca na sede de O manômetro exibe a pressão do gás e fornece uma
manobra do seccionador de aterramento. Ver o esquema indicação de tipo analógico.
elétrico. A informação é visível na parte frontal do painel e também
Este acessório é fornecido como alternativa ao bloqueio por pode ser enviada à distância mediante uma cablagem e um
chave da sede de manobra de terra. bloco de terminais. Ver o esquema elétrico.

Características:
Tensão de alimentação DC [V] 24, 30, 48, 60, 110, 220, 240
Potência nominal [W] 250
Potência contínua [W] 5
Duração no arranque [ms] 150

11. Contato de sinalização de fusível queimado


Quando um fusível intervém, uma corrente cinemática ativa
um indicador visível na parte frontal do painel (fornecimento
padrão para todos os GSec/T2F).
Além disso, é possível solicitar um contato de sinalização
para transmitir à distância a intervenção do fusível.
O contato pode ser normalmente aberto (NA) ou
normalmente fechado (NC). Ver o esquema elétrico.

58
14. Densostato termocompensado 15. Motor Operating Device (MOD)
O densostato permite monitorar a pressão do gás e gera um MOD é um dispositivo eletrônico que controla/comanda o
alarme que assinala a presença de baixa pressão. motor de carga das molas e as bobinas dos comandos do
GSec, sendo também provido de saídas binárias para indicar
Sinal Descrição o estado do aparelho.
OK Pressão de funcionamento correto O MOD também exerce funções de proteção e diagnóstico,
LOW Indicação do nível mínimo do gás com o qual se garante em especial protege o motor e as bobinas contra
o funcionamento do seccionador sobrecorrentes, sobretemperaturas e curtos-circuitos,
VERY LOW O seccionador não pode ser manobrado
e verifica continuamente as condições do comando do
seccionador, do motor, das bobinas, das entradas binárias e
É também possível transmitir à distância o estado das da alimentação auxiliar.
sinalizações mediante uma cablagem e um bloco de
terminais. Ver o esquema elétrico.

O estado de funcionamento do seccionador pode ser


visualizado diretamente na parte frontal do comando
mediante 3 LEDs presentes no dispositivo de interface local
(HMI) ou à distância através das saídas binárias. Além disso,
mediante a interface local (HMI) é possível comutar o controle
do seccionador de remoto a local (botão L/R).
Como alternativa, está sempre disponível a motorização
elétrica sem diagnóstico e funções de sinalização fornecidas
pela versão MOD.

Un DC AC
Tensão (V) 24 (*) 48 60 110 220 110 230
Potência de
Atuador abertura (W) 160 200 200
1S (VA)
(Mola Potência de
simples) fechamento (W) 160 200 200
(VA)
Potência de
Atuador abertura (W) 220 440 440
2S (VA)
(Mola Potência de
dupla) fechamento (W) 220 440 440
(VA)
(*)
Para o atuador 2S - Mola dupla, entre em contato com a ABB

59
3. Componentes principais

Fusíveis ABB CEF para a proteção do transformador


Norma IEC 60282-1/DIN 43625
É possível conectar em série com o interruptor de manobra- Uma verificação rápida da corrente de curto-circuito nos
seccionador três fusíveis (um para cada fase) para proteger o terminais secundários do transformador e antes do disjuntor
transformador. no secundário, se colocado a uma distância significativa,
A escolha do fusível, em função da tensão e da potência do permite controlar na curva de fusão do fusível o tempo de
transformador, deve ser feita em conformidade com os dados intervenção.
indicados na tabela. A tabela de emprego reproduzida considera ambas as
condições necessárias, ou seja, corrente nominal
Proteção do transformador e escolha dos fusíveis suficientemente alta para evitar fusões fora de tempo no
Quando os seccionadores são empregados para o comando momento da inserção sem carga e, de qualquer maneira,
e proteção dos transformadores, são equipados com um tipo com valor suficiente para garantir a proteção da máquina em
especial de fusíveis limitadores que garantem a seletividade caso de falhas no lado de baixa tensão.
com outros dispositivos de proteção e podem aceitar,
sem deterioração, as elevadas correntes de conexão dos
transformadores.
Neste caso, a proteção contra as sobrecorrentes no lado de
média tensão do transformador não é indispensável porque
esta tarefa é realizada pela proteção prevista no lado de
baixa tensão. A proteção no lado de média tensão pode
ser confiada apenas ao fusível, que deve ser escolhido
considerando a corrente de inserção sem carga, que pode
assumir valores iguais ou superiores a 10 vezes a corrente
nominal em função da potência do transformador e do tipo de
chapas empregadas (laminadas a quente ou com cristais
orientados).
A corrente máxima de conexão é obtida quando o
fechamento do disjuntor acontece na passagem da tensão
pelo zero da tensão.
Outro resultado que deve ser garantido é a proteção contra
as falhas do enrolamento de baixa tensão e do trecho de
ligação entre ele e o disjuntor posto no secundário, evitando
o emprego de fusíveis com corrente nominal muito elevada,
para poder garantir a atuação em curto tempo mesmo nestas
condições de falha.

Escolha dos fusíveis para a proteção do transformador


Tensão Potência do transformador [kVA] Tensão
nominal do nominal
25 50 75 100 125 160 200 250 315 400 500 630 800 1000 1250 1600
transformador dos fusíveis
[kV] Fusível CEF In [A] [kV]
3 16 25 25 40 40 50 63 80 100 125 – – – – – –
5 10 16 25 25 25 40 40 50 63 80 100 125 – – – – 3,6/7,2
6 6 16 16 25 25 25 40 40 50 63 80 100 125 – – –
10 6 10 16 16 16 20 20 25 31,5 40 50 63 80 100 125 –
12
12 6 6 10 16 16 16 20 20 25 40 40 50 63 80 100 125
15 6 6 10 10 16 16 16 20 20 25 40 40 50 63 80 80 17,5
20 6 6 6 10 10 16 16 16 20 20 25 31,5 40 50 63 80
24
24 6 6 6 6 10 10 16 16 16 20 20 25 40 40 50 63

60
Transformadores de medida
Transformadores de corrente em conformidade com as Transformadores de tensão
normas DIN Os transformadores de tensão são do tipo isolado em resina
Os transformadores de corrente do tipo em conformidade epóxi e são empregados para alimentar sistemas de medição
com as normas DIN são isolados em resina e são empregados e proteção.
para alimentar dispositivos de medição e proteções. Estes Estão disponíveis para a montagem fixa ou em placa
transformadores são do tipo com núcleo envolvido com um removível para os painéis com disjuntor extraível. Neste caso,
ou mais núcleos, com desempenhos e classes de precisão os transformadores podem ser equipados com fusível de
adequados às exigências da instalação. Estes dispositivos proteção de média tensão.
atendem aos requisitos da norma IEC 60044-1. As suas Atendem aos requisitos das normas IEC 60044-2.
dimensões estão em conformidade com a norma DIN 42600 As suas dimensões estão em conformidade com a norma
Narrow Type. Além disso, os transformadores de corrente DIN 42600 Narrow type.
podem ser fornecidos com tomada capacitiva para a ligação Estes transformadores podem ser de um ou dois polos,
a dispositivos de sinalização de presença de tensão. A gama com desempenhos e classes de precisão adequados aos
ABB de transformadores de corrente é denominada TPU. requisitos funcionais dos instrumentos ligados a eles.
A gama ABB de transformadores de tensão é denominada
Transformador de corrente TJC, TDC, TJP.

TT fase-terra – tipo TJC TT fase-fase – tipo TDC

Transformadores de corrente toroidais


Os transformadores toroidais são do tipo isolado em resina
e são empregados para alimentar sistemas de medição e TT fase-terra com fusível – tipo TJP
proteção. Estes transformadores podem ser com núcleo
fechado ou com possibilidade de abertura.
Podem ser empregados tanto para a medição das correntes
de fase, como para a determinação da corrente de falha a
terra. Atendem aos requisitos das normas IEC 60044-1.

Transformador de corrente toroidal com isolamento de baixa tensão

61
3. Componentes principais

Sensores de medida
Transformadores de medida eletrônicos Características dos sensores
A tecnologia do futuro para a medição de correntes e Estruturalmente, os sensores de corrente e tensão não
tensões nos quadros UniSec inteligentes é representada apresentam um núcleo ferromagnético. Essa característica
por um transformador de medida (pertencente, segundo proporciona muitas vantagens importantes:
as normas IEC atuais, ao grupo dos transformadores de − − o comportamento do sensor não é afetado pela falta de
medida eletrônicos), denominado brevemente “sensor”. linearidade e pela amplitude da curva de histerese; isso
Estes sensores substituem os transformadores de medida significa uma resposta precisa e linear para uma ampla
convencionais com núcleo ferromagnético. gama dinâmica de grandezas medidas
A característica que diferencia os sensores da ABB é o nível − − a possibilidade de utilizar um único dispositivo/sensor
do sinal de saída, perfeitamente adaptado às exigências das tanto para a medição, como para a proteção (não são
aparelhagens microprocessadas, que não necessitam de necessários dispositivos separados)
potência para a alimentação, mas de apenas um sinal. −− não acontecem perdas de histerese e, consequentemente,
O nível do sinal de saída analógica depende do princípio os sensores apresentam uma excelente resposta mesmo
utilizado e pode ser: a frequências diferentes da nominal, garantindo um sinal
−− da ordem de mV para o sensor de corrente (o valor muito seletivo para as funções de proteção e possibilitando
característico é de 150 mV à corrente primária nominal) a obtenção de uma análise das avarias muito precisa e uma
− − da ordem de Volt para os sensores de tensão cuja relação localização eficaz das avarias
de partição é 1:10000 (por exemplo, saída de 1/√3 V − − os sensores não apresentam estados de funcionamento
para tensão nominal do sistema de 10000/√3 kV no lado perigosos (não existem problemas de saídas curto-
primário/entrada). circuitadas ou abertas) e isso proporciona uma elevada
O quadro UniSec pode ser equipado com os sensores de tipo segurança para os dispositivos que circundam os sensores
KEVCD. e para o pessoal. O sinal de saída permanece muito baixo
Para o que se refere às dimensões, o sensor do tipo com até mesmo em situações de avaria da rede
bloco KEVCD está em conformidade com as normas DIN. − − o emprego de sensores elimina a possibilidade de
Estão disponíveis duas versões: uma versão com medição fenômenos de ferrorressonância, aumentando ainda mais
de corrente e função de indicação da tensão; a outra com a segurança e a confiabilidade da rede de distribuição;
medição tanto da corrente, como da tensão. Todas as além disso, não são necessários outros dispositivos de
medições/indicações para cada fase são realizadas no interior proteção, cablagens ou investimentos especiais.
do mesmo instrumento, não sendo por isso necessário Os sensores da ABB são ligados aos aparelhos de medição
instalar dispositivos adicionais. e proteção mediante cabos blindados e conectores,
garantindo um grau elevado de imunidade às perturbações
eletromagnéticas.
A precisão destes sensores, incluindo a cablagem, é
verificada e testada, sendo assim garantida a disponibilidade
de informações precisas até o instrumento de medição. Além
disso, o emprego de sensores e relés da ABB garante uma
total precisão do sistema, ou seja, garante a precisão de toda
a cadeia de medição (sensores mais IED) superior a 1%.

Linearidade dos sensores Secundária


da ABB e comparação Sensor ABB
Saída
com a forma de onda dos
Us
sinais de saída de um
transformador de corrente
convencional em saturação
Nível de saturação

TC padrão

is

10 A 100 A 1000 A 10000 A Corrente primária

62
Vantagens dos sensores Sensor de corrente
Vista a resposta linear e o amplo campo dinâmico, os O sensor de corrente baseia-se no princípio da bobina
sensores são dispositivos muito mais padronizados de Rogowski. A bobina de Rogowski funciona da mesma
(relativamente aos numerosos modelos de TCs e TTs). maneira dos transformadores de corrente convencionais
Portanto, fica muito mais simples selecionar o modelo com núcleo ferromagnético (TC). A diferença principal
adequado (simplificação das atividades de engenharia) e é entre a bobina de Rogowski e o TC é representada pelos
possível reduzir a quantidade de peças de reposição. enrolamentos da bobina, que são envolvidos em um núcleo
A redução significativa do consumo de energia durante não magnético, em vez de ferromagnético. Por conseguinte,
o funcionamento dos sensores pelo efeito de perdas os sinais de saída das bobinas de Rogowski são lineares
insignificantes induzidas pelos sensores (ausência de ferro = porque o núcleo não magnético não fica sujeito à saturação.
nenhuma perda de histerese; corrente inferior no enrolamento As bobinas de Rogowski produzem uma tensão na saída (US),
e insignificante na saída = perdas reduzidas no enrolamento ou seja, uma derivada temporal escalar da corrente primária
dos sensores) proporciona uma enorme economia em termos medida (I P).
de energia perdida e um aumento mínimo de temperatura
(com consequente melhoramento das condições térmicas e
do estado de envelhecimento no interior da aplicação). Deste
modo, consegue-se obter dispositivos consideravelmente
mais leves se comparados com os TCs ou TTs convencionais.
Princípio de funcionamento da bobina de Rogowski
Consequentemente, não são necessários equipamentos/
sistemas especiais para transportá-los e isso permite uma
redução dos custos de transporte.
A ligação rápida dos sensores aos dispositivos eletrônicos,
Ip
sem a necessidade de ferramentas especiais, simplifica e
reduz os custos de montagem.

US

dip (t)
uS (t) = M –––––––
dt

Sensor de corrente e tensão de tipo com bloco KEVCD Sensores de corrente

63
3. Componentes principais

A integração do sinal de saída do sensor de corrente é feita Sensores de tensão


no interior do IED conectado para obter as informações sobre O sensor de tensão baseia-se no princípio do divisor resistivo.
o valor efetivo de corrente. É constituído por 2 elementos resistivos que dividem o sinal
No caso de corrente primária apenas sinusoidal (Ip) à de entrada para permitir a ligação de um dispositivo de
frequência nominal definida como: medição em baixa tensão padrão.
A principal diferença entre o divisor resistivo e o
transformador de tensão convencional (TT) está no princípio
ip (t) = √2 Ip sin(ωt)
de funcionamento deles. No TT, a tensão é induzida no
enrolamento. No divisor resistivo, a tensão é simplesmente
a tensão na saída da bobina de Rogowski é dividida com base nas resistências dos elementos resistivos,
não acontecendo portanto nenhuma indução.
us (t) = M √2 Ip ωcos(ωt)

Princípio de funcionamento do divisor resistivo


Neste caso, o valor eficaz (r.m.s.) do sinal de saída
poderia ser medido facilmente mesmo sem um conversor,
empregando um voltímetro ou um osciloscópio, observando
uma defasagem de 90° relativamente à corrente primária.

A tensão na saída é defasada em 90° relativamente à forma


de onda da corrente primária.
Por este motivo, para ter informações simples e grosseiras
sobre o sinal de corrente medido, é possível utilizar
voltímetros com uma impedância de entrada elevada.
Todavia, para obter informações exatas e precisas em
condições de transitórios, conhecer o conteúdo de diferentes
componentes de frequência ou possíveis distorções da forma
da onda da corrente que acontecem na rede de distribuição,
é necessária a integração de um sinal de tensão produzido
pela bobina de Rogowski. Este recurso já é garantido pelos
IEDs fornecidos pela ABB, que oferecem uma medição muito R2
US = ––––––– Up
precisa da corrente primária. R1 + R2
A tensão na saída da bobina de Rogowski depende da
frequência; portanto, o valor nominal da tensão é de 150 mV
a 50 Hz e 180 mV a 60 Hz. Uma vez definida a frequência Os elementos resistivos utilizados são constituídos por
nominal no IED, o sensor fornece informações precisas material cerâmico estável no qual é aplicado um revestimento
sobre o sinal de corrente primária medida até mesmo na resistivo especial não indutivo.
presença de várias harmônicas (nenhuma perda de histerese O sinal de saída é uma tensão diretamente proporcional à
e nenhuma saturação), garantindo assim desempenhos tensão primária, não sendo por isso necessária qualquer
corretos para todas as funções de proteção. integração ou cálculo suplementar.
Teoricamente, a resposta da saída da bobina de Rogowski No caso de corrente primária apenas sinusoidal (UP) à
é linear na gama dinâmica ilimitada da corrente primária frequência nominal, definida como:
medida. As restrições de uso da bobina de Rogowski derivam
de outras limitações, tais como, por exemplo, as dimensões up (t) = √2 Up sin(ωt)
da aplicação, os sistemas de fixação, etc. É suficiente
uma única bobina para cobrir toda a gama de correntes A tensão que sai do divisor de tensão resistivo é:
secundárias; por exemplo, o tipo KECA 250B1 foi testado R2
com sucesso até uma corrente térmica contínua de 2000 A. up (t) = ––––––– √2 Up sin(ωt)
R1 + R2
O sensor KEVCD inclui um condutor primário, sendo por isso
necessário apenas um tipo deste sensor para cobrir toda a Também neste caso, o valor do sinal de saída poderia ser
gama de correntes secundárias de 0 a 1250 A. facilmente medido com a utilização de um voltímetro ou um
Estes dispositivos atendem aos requisitos da norma osciloscópio.
IEC 60044-8.

64
A relação de repartição padrão utilizada nos sensores da ABB contínua, outras componentes de frequência (a ausência
é 10000/1. Isso garante um sinal de saída suficiente e seguro do núcleo ferromagnético do divisor elimina a possibilidade
para mais um cálculo no interior do IED. de saturação em frequências diferentes). Isso permite obter
Para obter informações sobre o sinal de tensão medido, uma avaliação não distorcida dos transitórios e uma análise
é possível utilizar voltímetros com impedância de entrada precisa das funções de proteção. Além da possibilidade
elevada, todavia recomenda-se a utilização dos IEDs da ABB de medir as componentes CC durante os transitórios, o
porque a respectiva conexão foi testada e verificada. divisor resistivo também permite uma medição precisa da
O divisor resistivo não apresenta núcleo ferromagnético nem componente contínua da tensão.
enrolamento, portanto não acarreta o risco de fenômenos de Vista a resposta linear e a ausência de saturação, é suficiente
ferrorressonância como acontece com os TTs e não necessita um único divisor para cobrir toda a gama de tensões que vai
de outros dispositivos de amortecimento para esta finalidade. de 0 a 24 kV. Apesar disso, no caso de um único sensor de
O emprego destes divisores aumenta consideravelmente tensão geral, poderia ser necessário levar em consideração
a segurança e a confiabilidade da rede, como também a outros requisitos mecânicos ou dimensões/distâncias para
segurança do pessoal em todas as circunstâncias. Não os diferentes níveis de tensão. Justamente por isso, o sensor
existem problemas ou perigos em caso de curto-circuito KEVCD está disponível em duas alturas diferentes, com
dos terminais secundários. Além disso, o sensor pode dimensões em conformidade com as normas DIN. A versão
permanecer conectado até mesmo durante os ensaios de selecionada do sensor também pode ser utilizada para níveis
tensão em frequência industrial do quadro. de tensão inferiores à tensão primária nominal máxima.
O divisor resistivo funciona corretamente até mesmo durante Estes dispositivos atendem aos requisitos da norma
os transitórios nos quais estão presentes, além da corrente IEC 60044-7.

65
4. Dispositivos de proteção e automação

Segurança
No desenvolvimento de um quadro moderno de média tensão tais como lesões (causados pela onda de choque, partes
deve-se necessariamente colocar a segurança do pessoal projetadas e abertura das portas) e queimaduras (resultantes
no nível mais alto de importância. Por este motivo, o quadro da emissão de gases quentes).
UniSec foi projetado e testado para garantir a resistência ao O teste de resistência ao arco interno tem a finalidade de
arco interno produzido por uma corrente de curto-circuito verificar se as portas dos compartimentos permanecem
do mesmo nível da máxima corrente admissível de curta fechadas, se nenhum componente se solta do quadro,
duração. mesmo na presença de pressões muito elevadas, e se não
Os testes demonstram que o invólucro metálico do quadro acontece a saída de chamas ou gases incandescentes,
UniSec é capaz de proteger os operadores que trabalham garantindo desta forma a segurança do pessoal que trabalha
nas proximidades do quadro caso uma avaria evolua até nas proximidades do quadro.
desencadear um arco interno. O teste visa ainda garantir que não sejam produzidos
Um arco interno é uma avaria muito improvável, apesar de, furos nas partes externas acessíveis do invólucro e, por
teoricamente, poder ser causada por vários fatores, tais fim, que todas as conexões com o circuito de aterramento
como: permaneçam eficazes, garantindo a segurança do pessoal
−− defeitos de isolamento decorrentes da deterioração que deva ter acesso ao quadro após a avaria.
qualitativa dos componentes. As causas podem ser A norma IEC 60298 prescreve o método de execução do
condições ambientais adversas e a presença de uma teste e fornece os critérios que o quadro deve satisfazer.
atmosfera fortemente poluída O quadro UniSec satisfaz plenamente todos os cinco critérios
− − sobretensões de origem atmosférica ou geradas pela indicados na norma IEC.
manobra de algum componente Os parâmetros de cada instalação específica preveem
− − treinamento inadequado do pessoal encarregado da que a evacuação dos gases quentes e das partículas
condução do sistema incandescentes deva ser controlada com muita atenção para
−− ruptura ou alteração dos intertravamentos de segurança preservar a segurança dos operadores.
−− superaquecimento das zonas de contato devido à
presença de agentes corrosivos ou, em caso de aperto Sistemas limitadores de avarias
insuficiente das conexões A estrutura do quadro UniSec oferece uma proteção completa
− − entrada no quadro de pequenos animais (por exemplo, de tipo passivo aos efeitos de avarias provocadas por arco
através da entrada dos cabos) interno da duração de 1 segundo até 25 kA.
− − esquecimento de materiais dentro do quadro após os Além disso, a ABB desenvolveu sistemas de proteção que
serviços de manutenção. permitem obter importantes vantagens:
As características do quadro UniSec reduzem em muito a − − detecção e extinção da avaria em um tempo geralmente
incidência destas causas de avaria. Todavia, algumas delas inferior a 100 ms, para melhorar a estabilidade da rede
não podem ser eliminadas completamente. − − contenção dos danos causados nas aparelhagens
A energia produzida pelo arco interno produz os seguintes − − limitação do tempo de quadro fora de serviço.
fenômenos: Para a proteção ativa contra o arco interno, podem
− − aumento da pressão interna ser instalados nos vários compartimentos dispositivos
− − aumento da temperatura constituídos por vários tipos de sensores, que detectam os
− − efeitos visuais e acústicos efeitos imediatos da falha e executam o disparo seletivo dos
− − solicitações mecânicas à estrutura do quadro disjuntores.
− − fusão, decomposição e vaporização dos materiais. Os sistemas limitadores das falhas baseiam-se em sensores
Se não forem adequadamente controlados, estes fenômenos que utilizam a pressão ou a luz gerada pela falha por arco
podem provocar consequências muito graves para o pessoal, interno para ativar o desligamento da linha avariada.

66
TVOC Proteção contra os arcos elétricos com IED
Este sistema é constituído por um dispositivo eletrônico de A pedido, os IEDs (Intelligent Electronic Device) REF615,
monitoramento alojado no compartimento de baixa tensão, RET615, REM615 e REF610 podem ser equipados com uma
que controla alguns sensores ópticos. Estes últimos estão proteção contra os arcos elétricos rápida e seletiva. Trata-se
distribuídos nos compartimentos de potência e são ligados ao de um sistema de proteção contra falhas por arco de dois ou
dispositivo mediante fibras ópticas. três canais, para a supervisão de possíveis arcos elétricos
Quando um determinado nível de luz preestabelecido com carga dos compartimentos do disjuntor, da linha e dos
é ultrapassado, o dispositivo comanda a abertura dos barramentos das unidades do quadro.
disjuntores. O tempo total de disparo é de 72 ms (12 ms IED + 60 ms
Para evitar que o sistema possa intervir pela presença de luz disjuntor).
ocasionalmente gerada por fenômenos externos (flash de uma
máquina fotográfica, reflexo de luzes externas, etc.), é também
Configuração típica com REA 101 e subunidade 103
possível ligar transformadores de corrente ao dispositivo de
monitoramento.
O módulo de proteção só envia o comando de abertura ao
disjuntor se receber o sinal da luz e o sinal de corrente de
curto-circuito ao mesmo tempo.
O tempo total de disparo é de 62 ms (2 ms TVOC + 60 ms
disjuntor).

REA
Este sistema oferece os mesmos recursos do sistema
TVOC. É constituído por uma unidade central (REA 101) e
por unidades de extensão opcionais (REA 103, 105, 107)
que permitem obter soluções personalizadas com disparo
seletivo.
O tempo total de disparo é de 62,5 ms (2,5 ms REA + 60 ms
disjuntor).

Unidade de proteção contra os arcos elétricos Unidade de proteção contra os


REA 101 com extensões REA 103, REA 105 e REA 107 arcos elétricos TVOC

67
4. Dispositivos de proteção e automação

Proteção contra o arco elétrico


O aspecto tempo é crítico na detecção e na redução ao A implementação da norma IEC 61850 no REF615 inclui
mínimo dos efeitos de um arco elétrico. Uma falha por ainda uma comunicação peer-to-peer rápida no barramento
arco da duração de 500 ms pode causar danos graves na da subestação. Utilizando a comunicação GOOSE, os
instalação. Se o tempo de permanência do arco for inferior IEDs RBF615 das linhas de chegada e de partida de uma
a 100 ms, os danos são frequentemente de pequena subestação funcionam em sinergia, formando um sistema
importância, mas se o arco for extinguido em menos de de proteção para barramentos estável, confiável e de alta
35 ms, os seus efeitos são praticamente insignificantes. velocidade. Utilizando a comunicação GOOSE, a transmissão
Portanto, um sistema adequado de proteção contra o arco tradicional cablada de relé a relé no quadro é substituída por
elétrico protege a subestação contra as avarias causadas uma LAN (Local Area Network) Ethernet estendida a toda a
pelo arco, reduzindo ao mínimo o tempo de permanência estação. Com a função de geração de mensagens GOOSE
do arco e impedindo a produção de calor excessivo e de consegue-se obter uma velocidade de manobra cerca de 30%
danos consideráveis. Minimiza os danos materiais, aumenta a superior relativamente à velocidade dos esquemas tradicionais
segurança do pessoal e permite o restabelecimento seguro e de proteção para barramentos baseados em intertravamento.
regular da distribuição de energia. A vantagem em velocidade deriva inteiramente da velocidade
e da confiabilidade do serviço GOOSE.
Proteção dos barramentos em alta velocidade com Obtém-se a proteção eficiente dos barramentos baseada
GOOSE em GOOSE simplesmente configurando os IEDs, e a
Os esquemas tradicionais de proteção baseados em disponibilidade operacional da proteção é garantida pelo
intertravamentos, que utilizam os trajetos convencionais monitoramento contínuo dos IEDs de proteção e das
cablados do sinal de bloqueio entre as unidades do quadro, respectivas mensagens GOOSE no barramento da estação.
em geral não são suficientemente rápidos para garantir Possíveis interrupções e erros de transmissão são detectados
tempos de resolução das avarias causadas pelo arco capazes imediatamente, o que possibilita a adoção de medidas
de excluir danos. A comunicação GOOSE, baseada na norma corretivas adequadas. Além de uma LAN Ethernet padrão,
IEC 61850, permite aumentar significativamente a velocidade não é necessária nenhuma cablagem separada para a
do esquema tradicional de intertravamento. comunicação horizontal entre as unidades do quadro.

Proteção contra o arco elétrico com REF615 e GOOSE

3
.

IED “A”
“A”

2
1 .
.

2 1
. .

GOOSE
message
IED “B”
“B”
3
.

68
Proteção seletiva dos barramentos com sensores de arco de barramentos. O IED que detecta o arco elétrico transmite
elétrico uma mensagem GOOSE ou utiliza os trajetos tradicionais
As terminações dos cabos são os componentes mais de comunicação cablada para transferir a mensagem aos
suscetíveis às avarias de um quadro de MT. Os sistemas de outros IEDs. Também os IEDs das unidades que alimentam
proteção dos barramentos baseados na medição da corrente a corrente de falha para o sistema de barramentos recebem
não são, em geral, suficientemente sensíveis para detectar a mensagem de avaria por arco elétrico e fazem disparar
as falhas que acontecem nas terminações dos cabos e os respectivos disjuntores o mais rapidamente possível.
podem causar até mesmo a desexcitação de todo o sistema Geralmente, na presença de uma avaria por arco, a proteção
de barramentos, não obstante a possibilidade da avaria ser contra o arco elétrico elimina a avaria com uma velocidade
eliminada pelo disparo da linha em questão. cerca de duas vezes mais rápida do que o sistema de
Os sistemas de proteção baseados na detecção do arco proteção de barramentos baseado na geração de mensagens
elétrico fazem disparar o respectivo disjuntor de linha de peer-to-peer entre IEDs.
maneira seletiva, deixando o sistema de barramentos intacto.
A velocidade pode ser aumentada ainda mais instalando Filosofia de proteção da ABB
sensores de arco elétrico para monitorar cada unidade do Na qualidade de fornecedor de IEDs (Intelligent Electronic
quadro. Ao mesmo tempo, a nova tecnologia oferece uma Device, ou seja, dispositivos eletrônicos inteligentes) de
maior confiabilidade de manobra e flexibilidade da proteção. proteção em mais de 70 países, a ABB está plenamente
Graças ao REF615, o tempo total de eliminação das avarias ciente da existência de diferentes filosofias de proteção
pode ser reduzido a 10 ms mais o tempo de percorrência dos derivantes das legislações locais, dos requisitos ambientais
contatos do disjuntor. e das aplicações técnicas. Por este motivo, a ABB elaborou
Opcionalmente, cada IED de proteção e controle de linha uma filosofia de proteção que não apenas satisfaz as
REF615 pode ser equipado com três sensores de arco exigências e os requisitos técnicos específicos de diferentes
elétrico, cada um deles para cada compartimento do quadro. sistemas de distribuição, mas cria também um estado de
A proteção dos barramentos contra o arco elétrico baseia-se segurança e absoluta tranquilidade tanto para os proprietários
na detecção de uma avaria causadas pelo arco no sistema dos sistemas, como para os usuários.

69
4. Dispositivos de proteção e automação

O objetivo principal de um sistema de proteção com IEDs estreita correlação entre a velocidade operacional do sistema
da ABB é o de reconhecer os estados anormais do sistema de proteção e os riscos e danos causados por uma falha
elétrico ou o funcionamento irregular dos componentes do na rede. A automação das subestações oferece funções de
sistema. Com base nos dados adquiridos pelo IED, o sistema supervisão e controle à distância, que aceleram a localização
de proteção adota medidas corretivas que restabelecem o das falhas e o restabelecimento seguinte da alimentação.
estado operacional normal do sistema ou isolam a falha para Além disso, o funcionamento rápido dos relés de proteção
limitar possíveis danos no sistema e lesões físicas pessoais. minimiza os picos de carga após a falha, os quais, juntamente
Isso garante um ambiente seguro para todos. com as quedas de tensão, aumentam o risco de a falha poder
Os sistemas de proteção não impedem que aconteçam se difundir aos componentes sãos da rede. A sensibilidade
falhas de rede, porém ativam-se somente se acontecerem da proteção deve ser adequada para permitir a detecção
anomalias no sistema elétrico. Todavia, uma seleção atenta de falhas a terra de alta resistência e de curtos-circuitos
das funções e dos métodos de proteção oferecidos pelos nos componentes mais distantes da rede. Uma seletividade
IEDs da ABB para as exigências específicas de proteção confiável é fundamental para circunscrever ao máximo as
do sistema elétrico e dos respectivos componentes não perdas de alimentação e permitir a localização segura do
apenas garante a melhor proteção para o sistema elétrico, componente avariado da rede.
mas também melhora o rendimento e a confiabilidade do Assim, torna-se possível adotar ações corretivas voltadas
sistema de proteção, minimizando os efeitos das falhas na especificamente ao componente avariado da rede e
rede e impedindo que uma possível avaria possa se difundir restabelecer a alimentação com a máxima rapidez.
aos componentes sãos da rede, causando anomalias e O sistema de proteção também deve apresentar um elevado
perturbações. grau de confiabilidade. Isso significa, por exemplo, que se um
disjuntor apresenta uma falha, essa falha será identificada e
Vantagens de um sistema de proteção completo eliminada pela proteção de back-up.
A velocidade operacional, a sensibilidade, a seletividade A automação das subestações permite que o operador
e a confiabilidade do sistema de proteção são fatores tenha o pleno controle da subestação. Além disso, o sistema
importantes que merecem uma certa atenção. Existe uma de automação de subestação (SA) melhora a qualidade da
energia da rede de transmissão e distribuição nas condições
de funcionamento normal, mas, sobretudo, em caso de
Comparação entre linhas com requisitos padrão e elevados
falhas e durante a manutenção da subestação. Um sistema
de automação de subestação (SA) ou SCADA (controle
Requisitos elevados de supervisão e aquisição de dados) oferece todas as
vantagens da tecnologia digital para a proteção e o controle
das redes. Os terminais podem ser facilmente ajustados
Alimentação de ambas
as extremidades e parametrizados em função das exigências específicas
do sistema mediante um acesso fácil e seguro mediante a
Linhas em anel posição do operador.

Proteção Terminais de proteção mono e multifuncionais


Linhas de distância
Métodos de proteção adequados e uma funcionalidade
Características do IED

paralelas
completa aumentam o rendimento do sistema de proteção.
Tipo de linha

Esquema unifilar
Linhas com geração da HMI* A definição de “funcionalidade completa” varia em função dos
distribuída requisitos da rede ou do sistema elétrico protegido. Enquanto
Localizador de falhas para algumas aplicações de rede são suficientes IEDs
Linhas radiais proteção monofuncionais, redes e sistemas mais complexos
com dispositivos
de religamento/ Supervisão da qualidade exigem IEDs de proteção multifuncionais avançados. Os IEDs
seccionadores da energia
de proteção monofuncionais incluem uma série de funções de
proteção, por exemplo para um tipo específico de aplicação.
Comunicação
Linhas As vantagens principais destes IEDs de proteção são a
radiais
redundância e o preço. Um ou mais IEDs de proteção
Religamento automático
monofuncionais garantem uma proteção suficiente em grande
parte das aplicações.
Função simples * Interface homem-
máquina

Padrões elevados

70
Proteção e controle da distribuição
Nas redes de média tensão, automação da distribuição Proteção de linha na distribuição secundária
significa proteção, controle, medição e monitoramento de As aplicações de proteção de linha podem ser divididas
subestações de utilities e sistemas elétricos industriais. A brevemente em duas categorias, ou seja, aplicações padrão
finalidade da automação da distribuição é a de melhorar a (1) que utilizam uma proteção baseada na corrente de base,
segurança, confiabilidade e desempenhos do processo de e as aplicações com requisitos elevados (2), que utilizam uma
distribuição da energia. proteção baseada na corrente e na tensão, e também em
O objetivo principal de um sistema de proteção com relés várias combinações das duas.
é o de reconhecer os estados anormais do sistema elétrico O esquema de proteção selecionado deve satisfazer
ou o funcionamento irregular dos componentes do sistema. os requisitos específicos da aplicação em termos de
Com base nas informações coletadas, o sistema de proteção sensibilidade, seletividade e velocidade de manobra. Os
dá início a ações corretivas que visam restabelecer o estado requisitos de proteção são ditados principalmente pela
operacional normal do sistema. estrutura física da rede. Na maior parte dos casos, estes
O relé de proteção não impede o surgimento de falhas requisitos podem ser satisfeitos com relés de sobrecorrente
de rede, porém ativa-se somente quando acontece não direcionais/direcionais.
uma anomalia no sistema elétrico. Todavia, uma seleção O sistema de proteção de máxima e mínima tensão tem
atenta das funções e dos métodos de proteção melhora a finalidade de monitorar o nível de tensão da rede. Se o
o rendimento e a confiabilidade do sistema de proteção, nível de tensão diferir do valor alvo numa medida superior à
minimizando os efeitos das falhas de rede e impedindo que a margem admitida por um tempo pré-estabelecido, o sistema
falha em questão possa se difundir às partes sãs da rede. de proteção da tensão limita a duração da anomalia e as
Os dispositivos eletrônicos inteligentes (IED), modernos e em consequências decorrentes dela.
conformidade com a norma IEC 61850, permitem a utilização A nossa gama de IEDs foi selecionada para satisfazer os
eficiente dos mais sofisticados esquemas de proteção requisitos de proteção de linha em aplicações de distribuição
também na distribuição secundária. secundária desde as mais simples até as mais complexas.

Combinando os respectivos bloqueios funcionais em


configurações padrão A e B, o REF615 pode ser utilizado
em uma ampla gama de aplicações de distribuição
secundária. Também está disponível a configuração
padrão F, provida de funções de proteção suplementares.

71
4. Dispositivos de proteção e automação

Produtos recomendados para a proteção e


controle da distribuição
REF601
O REF601 é um relé de proteção de linha digital, projetado ADVERTÊNCIA
para proteger e controlar sistemas elétricos tanto de utilities,
Se o relé REF601 for alimentado mediante uma unidade
como industriais, em redes de distribuição. O relé garante a
UPS (Uninterrupted Power System) de onda pseudo
proteção básica contra curto-circuito, sobrecorrente e falha
senoidal, será necessário utilizar um transformador para
a terra em redes com neutro ligado diretamente à terra, à
limitar a tensão de alimentação (tensão de pico) dentro
terra mediante resistência e isolado. As correntes de fase são
dos valores previstos do relé.
medidas por sensores de corrente segundo o princípio da
As características recomendadas para o transformador
bobina de Rogowski e a corrente de falha a terra pode ser
são:
calculada ou medida internamente com transformadores de
− − Potência nominal: 20 VA
corrente convencionais.
− − Tensão de saída do secundário: 30...150 V c.a.
Para maiores informações entre em contato com a ABB.
A ABB oferece dois sensores:
−− KECA (tipo bobina de Rogowski) com montagem ao redor
dos cabos de MT;
− − KEVCR com montagem a bordo do disjuntor.
O relé REF601 pode ser montado a bordo do disjuntor
VD4/R-Sec e HD4/R-Sec ou no compartimento dos circuitos
auxiliares.
Além disso, estão disponíveis dois tipos de relés:
− − REF601 em conformidade com as normas IEC
− − REF601 em conformidade com as normas CEI 0-16 para o
mercado italiano.

Tensão de alimentação auxiliar:


24…240 V AC/DC

72
Série RE- 610 • O REM610 é um IED para a proteção, medição e
A série 610 inclui o IED para a proteção de linha, a proteção monitoramento de motores de baixa tensão assíncronos
de motores e o monitoramento da tensão de sistemas em de dimensões médias e grandes, e de motores de alta
geral. O design “plug-in” da série 610 facilita a entrada em tensão assíncronos de dimensões pequenas e médias
funcionamento do quadro e permite uma rápida e segura na indústria manufatureira e de processo. O REM610 é
inserção e extração das unidades IED “plug-in”. ainda empregado para a proteção de linhas cabladas e
Os IEDs de proteção digitais da série 610 suportam uma transformadores de distribuição que, portanto, beneficiam
ampla gama de protocolos de comunicação, entre os quais da proteção contra sobrecargas térmicas e também da
IEC 61850, IEC 60870-5-103, Modbus e Profibus. proteção de máxima corrente de fase, de falha a terra e de
• O REF610 é um relé de proteção projetado principalmente desequilíbrio de fase.
para proteger as linhas de chegada e partida em • O REU610 foi projetado para a proteção de máxima
subestações de distribuição de média tensão. O REF610 tensão e mínima tensão dos barramentos de subestações
também pode ser utilizado como proteção de back-up de distribuição, a proteção de máxima tensão de
para motores, transformadores e geradores, em aplicações transformadores de potência e de linha, a proteção de
de tipo tanto industrial, como de utilities. As funções de mínima tensão de motores e a proteção e monitoramento
proteção integradas, incluindo a proteção de sobrecorrente de bancos de capacitores. Em sistemas elétricos com
de três limites e uma proteção de falha a terra não neutro isolado, é também utilizado para a proteção contra
direcional de dois limites, fazem do relé REF610 um falhas a terra não discriminante com base na medida da
sistema válido de proteção contra sobrecorrentes e falhas tensão residual.
a terra.
Tensão de alimentação auxiliar:
Alta: 110 - 240 V AC
110 - 250 V DC
Baixa: 24 - 60 V DC

73
4. Dispositivos de proteção e automação

Série RE- 615 • O RED615 é um IED diferencial de linha que pode ser
Providos da mais recente tecnologia de proteção e em empregado especialmente para as aplicações que exigem
conformidade com a norma vigente relativa à comunicação uma proteção de linha altamente seletiva (proteção de
para subestações IEC 61850, os IEDs de proteção e unidades). O RED615 mantém a seletividade mesmo nos
controle da ABB série 615 representam a escolha ideal para casos em que a corrente de falha apresenta uma ordem de
a proteção e controle de subestações de distribuição. A grandeza variável e pode ser alimentada por várias fontes.
implementação rigorosa da norma relativa à comunicação Isso acontece geralmente nas redes com circuito fechado,
para subestações IEC 61850 nos IEDs da série 615 cobre nas redes em anel e nas redes de malhas.
a comunicação tanto horizontal, como vertical, incluindo a • O REU615 é um IED disponível em duas configurações
função de geração de mensagens GOOSE e a programação predefinidas denominadas A e B, destinadas a duas das
dos parâmetros segundo a norma IEC 61850-8-1. aplicações mais comuns.
• O REF615 garante a proteção geral de linhas aéreas, linhas A configuração A está preparada para as proteções que
cabladas e sistemas de barramentos de subestações se baseiam em tensão e frequência, para aplicações em
de distribuição. Adapta-se tanto a redes com neutro sistemas elétricos industriais e de utilities, incluindo as
isolado, como a redes com neutro ligado à terra mediante redes de geração distribuída de energia.
resistência ou impedância. A configuração B está preparada para as funções
• O REM615 é um IED dedicado para a proteção e o automáticas de regulação da tensão para transformadores
controle de motores, perfeitamente alinhado para a providos de comutador sob carga (tap-changer).
proteção, controle, medição e monitoramento de motores As configurações A e B também permitem o controle do
assíncronos na indústria manufatureira e de processo. disjuntor com funções de medição e supervisão.
• O RET615 é um IED dedicado para a proteção e o controle
de transformadores, projetado para transformadores de Além da proteção, todos os IEDs da série 615 oferecem as
potência, transformadores de unidades e step-up, incluindo funções necessárias para o controle local e remoto de um
blocos transformador-gerador de potência em sistemas de disjuntor.
distribuição de energia para as utilities e para a indústria.
Tensão de alimentação auxiliar:
Alta: 100 - 110 - 120 - 220 - 240 V 50/60 Hz
46 - 60 - 115 - 220 - 250 V DC
Baixa: 24 - 30 - 48 - 60 V DC

74
Série RE- 630 ser empregadas como tais ou podem ser modificadas e
•  Unidade de proteção e controle de linhas REF630: esta estendidas nos seus recursos com funções adicionais
unidade oferece uma proteção importante para as linhas selecionáveis livremente para adaptar o IED de forma
aéreas e linhas em cabo de redes de distribuição da energia. específica, satisfazendo os mais exigentes requisitos de
A unidade REF630 adapta-se tanto a redes com neutro aplicação individuais.
isolado, como a redes com neutro ligado à terra mediante
resistência ou impedância. •  Unidade de proteção e controle de motores REM630:
Estão disponíveis quatro configurações predefinidas para este IED completo de gerenciamento de motores foi projetado
atender aos requisitos típicos de controle e proteção das para a proteção, o controle, a medição e a supervisão de
linhas. motores assíncronos de tamanhos médios-grandes em
As configurações predefinidas podem ser empregadas como sistemas elétricos industriais de média tensão.
tais ou modificadas e estendidas nos seus recursos com A unidade REM630 pertence à família de produtos ABB
funções adicionais selecionáveis livremente para adaptar Relion® e à série de produtos 630, sendo caracterizada por
o IED de forma específica, satisfazendo os mais exigentes escalabilidade funcional e flexibilidade de configuração.
requisitos de aplicação individuais. Apresenta também funções de controle necessárias para o
gerenciamento de quadros de controle de motores industriais.
•  Terminal de proteção e controle para transformadores A unidade REM630 garante a proteção principal para
RET630: trata-se de um IED completo para o gerenciamento motores assíncronos e respectivas transmissões. O IED
dos transformadores, projetado para a proteção, o controle, de gerenciamento de motores foi concebido para motores
a medição e a supervisão de transformadores de potência, assíncronos de tamanhos médios-grandes controlados por
transformadores de unidade e step-up, incluindo blocos disjuntor e contator em uma ampla gama de aplicações de
transformador-gerador em redes de distribuição das utilities e transmissões, tais como transmissões motorizadas para
da indústria. Este terminal fornece a proteção principal para bombas, ventiladores, compressores, trituradores, etc. A
transformadores de potência com dois enrolamentos e blocos configuração predefinida pode ser utilizada como tal ou
gerador-transformador de potência. facilmente personalizada ou estendida com funções adicionais,
Estão disponíveis duas configurações predefinidas para mediante as quais o IED de gerenciamento de motores pode
satisfazer as exigências específicas de proteção e controle ser perfeitamente adaptado para satisfazer exatamente os
dos transformadores. As configurações predefinidas podem requisitos específicos de uma determinada aplicação.

75
4. Dispositivos de proteção e automação

Sistema de automação COM600 ção com processador lógico faz do sistema COM600 uma
COM600, o sistema de automação de subestações, inclui plataforma de implementação flexível para as funções de
um gateway de comunicação, uma plataforma de automação automação a nível das subestações. Como interface para o
e uma interface homem-máquina para as subestações de usuário, o sistema COM600 incorpora funcionalidades basea-
distribuição a nível industrial e de utilities. A funcionalidade das na tecnologia web, garantindo o acesso aos dispositivos
gateway garante uma conectividade IEC 61850 ininterrupta e aos processos das subestações através de uma interface
entre os IEDs das subestações e os sistemas de controle homem-máquina (HMI) baseada em web browser.
e gerenciamento a nível de rede. A plataforma de automa- O COM600 está disponível apenas a pedido.

EMS/ DISTRIBUTED
CONTROL
REMOTE
ACCESS -
SCADA SYSTEM ENGINEERING

OPC Client/Server
WAN

Ethernet switch
GPS

Serial protocols
(DNP3, IEC 60870-5-101)
LAN 1

Ethernet switch

TCP/IP protocols Serial protocol


(IEC 61850, DNP3, (Modbus®)
Modbus®)

Vista geral de um sistema que utiliza o


sistema de automação de estações COM600.
Para maiores informações, visite o site
REF601 REF601 www.abb.com/substationautomation
REF610 REF610 REF615 REF615

76
Guia para a seleção dos relés
REF RED REJ REB REM RET REU REX REA
Aplicação
601 610 615 630 54_ 542+ 615 603(3) 611 610 615 630 54_ 615 630 54_ 610 615 521 10_
Proteção baseada na medição
• • • • • • • (1) •
da tensão
Proteção de linhas (chegada
• • • • • • • • s • •
e/ou partida)
Proteção de linhas com requisitos
• • • •
elevados
Proteção de transformadores • • • • s • • • • (2)
Proteção de transformadores
• •
com requisitos elevados
Proteção de motores • • • • • • •
Proteção de motores com
• • •
requisitos elevados
Proteção de geradores e motores
• •
síncronos
Proteção de distância • • •
Proteção diferencial de linha • •
Proteção de back-up • • •
Proteção contra os arcos elétricos o o o o o •
Proteção diferencial de barramento •
Protocolos de comunicação
IEC61850-8-1 o • • • (*) • (*) • • • (*) • • • (*) • • • (*) o • • (*)
IEC60870-5-103 • • • • • • • • • • • •
DNP 3.0 • • • • • • • • • • • • • •
SPA • • • • • • • •
LON • • • (*) • • •
Modbus • • • • • • • • • • • • • • •
Profibus o • (*) • (*) • (*) • (*) • (*) • • (*) • (*) o • (*) • (*)
Funções suplementares
Localizador de falhas • • •
3 5 2 5 5 o (5 5 5
Religamento automático
manobras manobras manobras manobras manobras manobras) manobras manobras
Controle de comutador sob carga • •
Osciloperturbógrafo • • • • • • • • • • • • • (2) •
Registro dos eventos • o (4)

Extraibilidade • • • • • • • • •
Esquema unifilar da HMI (**) • • • • • • • • • • • • •
Controle local • • • • • • • • • • • • • • • • •
Controle remoto • • • • • • • • • • • • • • • •
Supervisão do estado da bobina
• • • • • • • • • • • •
de abertura (TCS)
Supervisão da qualidade da
• •
energia
Entradas analógicas (TT/TC) -/1 -/4 9/8 -/5 -/4 (5) -/4 -/4 -/5 4/5 -/7 3/9 4/- -/3
Entradas dos sensores 3 • • • • • •
Entrada(s) / saída(s) binária(s) 4/6 5/8 18/13 32/27 42/24(****) 18/13 1/1 4/4 5/8 12/10 32/27 14/13 32/27 5/8 1/3
RTD (***)
/ entradas mA 8/- 6 6/- 6/2 8/- 6/2 8/- 6/2(2)
Saídas mA o (4) o (4)
(*)
Com conversor do protocolo de interface
(**)
HMI - Interface homem-máquina
(***)
RTD - Detector de temperatura resistivo
(****)
27 se as saídas forem estáticas
(1)
REU615 com configuração A, para a proteção baseada na medição da tensão e da frequência
(2)
REU615 com configuração B, para o controle do comutador
(3)
Relé autoalimentado
(4)
Somente com HMI
(5)
TCs dedicados tipo KOKM
o = opcional
s = aplicação secundária

77
4. Dispositivos de proteção e automação

Sistema de comutação automática


Os sistemas de comutação automática são empregados ATS
para garantir a máxima continuidade de serviço, fornecendo A unidade REF542plus pode ser utilizada nos quadros de
energia sem interrupções às cargas. média tensão para gerenciar a comutação automática e
Tudo isso é possível utilizando sistemas de vários tipos, manual entre duas diferentes linhas de chegada.
baseados em técnicas diferentes. O tempo necessário para a comutação automática efetuada
Indicamos a seguir as mais comuns, com os respectivos mediante a unidade REF542plus fica entre 200 e 300
tempos médios de comutação: milésimos de segundo (incluindo os tempos de manobra dos
−− Temporizada: 1500 ms disjuntores).
− − Dependente da tensão residual: 400-1200 ms Este tempo pode variar no interior da faixa indicada em
− − Sincronizada (ATS): 200-500 ms função da complexidade das lógicas de comutação previstas
− − De alta velocidade (HSTS): 30-120 ms no software.
Os primeiros dois sistemas são os mais simples e Os quadros equipados com REF542plus, adequadamente
também podem ser realizados com lógica e instrumentos programados, são um sistema completo e eficiente, capaz de
convencionais. gerenciar a comutação entre um sistema de alimentação e
Garantem tempos de comutação médios e podem ser um outro alternativo, ou de reconfigurar a rede passando de
empregados em instalações nas quais eventuais os buracos uma distribuição duplo radial a uma distribuição com sistema
de tensão não são particularmente críticos. simples, de maneira totalmente automática.
Por outro lado, os outros dois sistemas (ATS – Automatic É ainda possível realizar a mesma manobra manualmente a
Transfer System e HSTS – Hight Speed Transfer System) partir de uma estação de controle remoto ou da parte frontal
exigem o emprego de aparelhagens microprocessadas de do quadro com a supervisão dos usuários.
elevado conteúdo tecnológico. A comutação manual acarreta a execução do paralelo de
Garantem tempos de comutação rápidos e são adequados passagem: mediante a função de controle de sincronismo
para instalações cujo processo é particularmente crítico. (synchro-check – código 25) implementada pela unidade
De fato, comutações não extremamente rápidas causariam REF542plus, as linhas de alimentação são fechadas
problemas de funcionamento graves ou a parada do próprio simultaneamente quando acontece a sincronização dos
processo. vetores de tensão para depois serem desligadas uma vez
A ABB é capaz de oferecer todos os sistemas de comutação, feita a comutação.
desde o mais simples ao mais complexo. As aplicações descritas não necessitam de instrumentos
adicionais.

Esquema unifilar do quadro UniSec com arquitetura REF542plus adequada para realizar, além das proteções e medições do quadro, também a comutação
automática e manual

78
5. Aplicações navais

Descrição
O mercado naval pode ser dividido em quatro segmentos UniSec é adequado para as aplicações navais de 7,2-12 kV
diferentes: (opção para 17,5 kV).
− − navios de passageiros (navios de cruzeiro e balsas) No mundo, estão em serviço mais de 10.000 painéis
− − embarcações industriais (navios cisterna, navios de da ABB a bordo de todos os tipos de embarcação. Os
perfuração, petroleiros, navios de carga, etc.) registros navais e os clientes finais (estaleiros navais ou
− − plataformas (de perfuração e de extração de petróleo) armadores) necessitam de quadros que sejam produzidos
− − marinha. em conformidade com os requisitos de ensaio dos registros
Neste tipo de aplicações, a gama de temperaturas, as navais para as aparelhagens de bordo.
vibrações e a inclinação variável representam condições Com esta finalidade, são realizados ensaios que visam
particularmente agravantes que afetam o funcionamento dos averiguar o cumprimento das principais disposições dos
componentes de bordo, tais como os quadros. registros navais: DNV, LR, RINA, BV, GL e ABS.
A ABB é o fabricante líder de quadros isolados a ar para Para garantir o conforto e as estruturas necessárias,
aplicações navais instalados por todos os principais estaleiros grandes instalações de geração de energia elétrica e
navais (Brasil, China, Dinamarca, Finlândia, França, Alemanha, sistemas de controle devem ser concentrados em volumes
Japão, Coreia, Itália, Noruega, Singapura, Espanha, Reino significativamente reduzidos.
Unido e Estados Unidos).

79
5. Aplicações navais

O quadro UniSec está disponível na versão com plano O teste demonstra que o quadro é capaz de resistir a estas
simples e oferece uma gama de aparelhos e unidades de condições de funcionamento extremas e que todos os
controle para satisfazer os requisitos das aplicações navais. aparelhos que contém possam ser acionados sem problemas
Os quadros UniSec representam soluções ideais para as e sem sofrerem danos.
aplicações navais: • Vibração
−− a estrutura à prova de arco, os intertravamentos de A confiabilidade e a robustez do quadro UniSec são
segurança mecânicos, os obturadores de segregação definitivamente demonstradas pelo êxito do teste de
automáticos e o controle dos aparelhos com a porta resistência às solicitações mecânicas provocadas por
fechada garantem a segurança do pessoal durante as vibração. As condições normais de funcionamento em
operações de instalação, manutenção e serviço instalações navais e plataformas marinhas exigem que o
− − o invólucro externo apresenta um elevado grau de quadro funcione em ambientes fortemente atingidos por
proteção (até IP42) vibrações, como acontece para os motores de manobra dos
− − são garantidas segregações metálicas entre todos grandes navios de cruzeiro ou nos sistemas de perfuração
os compartimentos e a ligação à terra de todos os das plataformas de petróleo:
componentes acessíveis ao pessoal: aparelhos, persianas, −− amplitude de 1 mm na gama de frequência entre 2 e 13,2 Hz
portas e toda a estrutura do quadro − − amplitude de aceleração de 0,7 g na gama de frequência
−− é prevista uma elevada resistência ao fogo graças à pouca entre 13,2 e 100 Hz.
utilização de materiais plásticos e resinas: as aparelhagens
auxiliares e a cablagem são altamente autoextinguíveis.
Características elétricas IEC
Condições ambientais para a classificação das Tensão nominal kV 7,2 12
aparelhagens a bordo Tensão nominal de isolamento kV 7,2 12
−− Temperatura ambiente de 0 °C a + 45 °C Tensão de teste em frequência
kV 1 min 20 28
−− Inclinação de até 25° permanente. industrial
Tensão de impulso suportável kV 60 75

Vibrações na gama de frequência de 2…100 Hz com a Frequência nominal Hz 50/60 50/60

seguinte amplitude de movimento Corrente nominal admissível de


kA 3s 16/21/25 16/21/25
curta duração
−− Amplitude de 1 na gama de frequência 2…13,2 Hz
Corrente de crista kA 40/50/62,5 40/50/62,5
− − Amplitude de aceleração de 0,7 g na gama de frequência
Corrente de resistência ao arco
13,2…100 Hz. kA 1s 16/21/25 16/21/25
interno
Corrente nominal dos
A 630-800-1250 630-800-1250
Gama completa de ensaios barramentos principais

Além de todos os testes exigidos pelas normas internacionais Corrente nominal do disjuntor A 630-800-1250 630-800-1250

(IEC), o quadro UniSec também foi submetido aos testes Note: – Os valores indicados são válidos tanto para o disjuntor a vácuo
– Para o painel com contator, o valor da corrente nominal é de 400 A
exigidos pelos principais registros navais (LR, DNV, RINA, BV
e GL) para a utilização a bordo.
Os testes de tipo exigidos pelos principais registros navais
são:
• Temperatura ambiente elevada Inspeção termográfica
As condições de funcionamento das aparelhagens elétricas A inspeção termográfica é necessária, em geral, nos
em instalações navais são geralmente mais severas do que as terminais dos cabos de potência e, às vezes, nos sistemas de
das colocadas em aplicações terrestres normais. barramentos principais.
A temperatura é um destes fatores e, por este motivo, os Normalmente, é solicitado o primeiro tipo de inspeção porque
regulamentos dos registros navais exigem que o quadro possa as avarias nos terminais dos cabos representam grande
funcionar a uma temperatura ambiente mais elevada (45 °C ou parte das falhas nos quadros, enquanto que as avarias nos
superior) do que a prevista pelas normas IEC (40 °C). sistemas de barramentos são bastante raras.
• Inclinação A inspeção e supervisão termográfica dos cabos de potência
O teste é feito inclinando o quadro por um tempo definido até podem acontecer com inspeção temporária mediante uma
25°, alternadamente em todos os quatro lados, e acionando câmara IR através de uma janela de inspeção adequada.
os aparelhos de manobra. O sistema (inspeção temporária) requer uma câmara IR (de
raios infravermelhos) e uma janela de inspeção para cada
compartimento que deve ser submetido ao controle.

80
Painel “Shore connection”
Durante as paradas no porto, para alimentar os processos Uma destas medidas é o sistema de alimentação “shore-to-
normais e as cargas, os navios mantêm os seus sistemas de ship”, que elimina os problemas de poluição e emissão de
geração em funcionamento e, consequentemente, representam partículas poluentes, como também o ruído e as vibrações
uma fonte de poluição considerável fortemente localizada. das embarcações nos portos.
Nos portos com tráfego intenso de embarcações, esta prática O painel UniSec Shore Connection é fornecido sob a forma
cria um impacto negativo tanto a nível ambiental, como para de uma cabine pronta, provida tanto de um módulo de
a saúde das comunidades locais circundantes. potência, como de um módulo de controle.
Vista a expansão contínua do comércio global, as emissões Em função da configuração do sistema e dos requisitos de
navais constituem um problema ambiental de proporções bordo, a cabine pode ser equipada com conectores para
crescentes. cabos alojados na parte frontal da cabine ou com aberturas
Atualmente, a sustentabilidade é um conceito chave na para a entrada dos cabos através do pavimento da cabine.
indústria naval, na qual estão sendo implementadas medidas Todas as aparelhagens são produzidas e testadas na
rigorosas em vários setores para reduzir drasticamente as fábrica segundo as normas internacionais e os registros de
emissões navais. classificação naval.

81
5. Aplicações navais

Características
A seguir estão descritas as características necessárias para Filtros absorvedores de gases
as aplicações navais que não fazem parte da configuração Nos navios, os gases de escapamento não podem ser
padrão. evacuados normalmente do local.
O quadro UniSec é à prova de arco interno e está equipado
Grau de proteção com filtros absorvedores para eliminar os gases produzidos
A pedido, o invólucro externo do quadro UniSec está por eventuais arcos internos.
disponível com diferentes graus de proteção. O grau de O filtro é fixado na parte traseira do compartimento.
proteção padrão necessário para as aplicações navais é IP32
ou IP42: proteção contra objetos estranhos com diâmetro Portas
de 1 mm e contra a penetração de água com uma inclinação Todas as portas (compartimentos de baixa tensão, aparelhos
máxima de 15°. e linha) são munidas com uma trava adequada que permite
bloqueá-las na posição aberta.
Canalete para interconexões
Na parte superior, e mais precisamente no compartimento Cabos
de baixa tensão, o quadro pode ser equipado a pedido com As unidades UniSec tipo WBC permitem ter a altura da
canalete para interconexões. Este canalete aloja os quadros conexão dos cabos a 600 mm para conexão padrão e com
de terminais aos quais é ligada a cablagem entre os painéis. máximo de 3 cabos por fase.
As unidades UniSec tipo SBC e SDC permitem ter a altura
da conexão dos cabos a 500 mm e 915 mm para a conexão
padrão e com máximo de 2 cabos por fase, respectivamente.

82
Unidades típicas navais
As unidades típicas utilizadas nas aplicações navais são: • SDC: unidade linha de chegada/partida com seccionador
• WBC: unidade linha de chegada/partida • SBC: unidade linha de chegada/partida com disjuntor e
• WBS: unidade de acoplamento seccionador
• DRS: unidade de elevação e elevação com medidas • SBS: unidade de acoplamento com disjuntor e
• BME: medida dos barramentos e unidade de ligação à seccionador
terra

WBC: unidade linha de chegada/ WBS: unidade de acoplamento DRS: unidade de elevação de BME: unidade de medidas e
partida barramento ligação à terra

SDC: unidade linha de chegada/ SBC: unidade linha de chegada/ SBS: unidade de acoplamento com
partida com seccionador partida com disjuntor e disjuntor e seccionador
seccionador

83
6. Classificação IEC

A norma IEC 62271-200 introduziu novos aspectos 2. Compartimento com acesso baseado em procedimento,
relacionados com as definições e classificações dos contendo partes de alta tensão, projetado para ser
quadros de média tensão. Uma das principais modificações aberto para os efeitos do funcionamento normal e/
introduzidas por esta norma é a eliminação da classificação ou da manutenção, cujo acesso é controlado por um
dos quadros em blindados, compartimentados e com procedimento adequado associado a um bloqueio.
unidades. A classificação dos quadros foi reexaminada
considerando o ponto de vista do usuário, sobretudo para 3. Classe de continuidade de serviço
o que se refere a alguns aspectos, como a operatividade e Os compartimentos dos barramentos e cabos são
facilidade de manutenção do quadro, segundo os requisitos segregados física e eletricamente. Esta categoria define
e expectativas de uma boa gestão das subestações, desde a possibilidade de abrir um compartimento do circuito
a instalação até o seu desmantelamento. Neste contexto, a principal mantendo os outros compartimentos e/ou
“perda de continuidade de serviço” foi escolhida como critério unidades funcionais sob tensão.
fundamental para o usuário.
4. Classe de segregação
Segundo as normas atualizadas, os quadros UniSec podem Aparelhagens de comando e controle que apresentam
ser definidos da seguinte maneira: segregações metálicas contínuas, destinadas a serem
1. Compartimento com acesso controlado por ligadas à terra, entre os compartimentos com acesso livre
intertravamento, contendo partes sob alta tensão, e as partes sob tensão do circuito principal.
projetado para ser aberto para os efeitos do As segregações metálicas ou as partes metálicas delas
funcionamento normal e/ou da manutenção normal, cujo devem ser ligadas ao ponto de aterramento da unidade
acesso é controlado pela configuração integral do quadro funcional.
e das aparelhagens de comando.

84
7. Resistência ao arco interno

As avarias provocadas pelo arco são extremamente raras, quadro UniSec satisfaz todos os 5 critérios de aceitação
porém podem acontecer por erro humano, anomalia de estabelecidos pela norma. Os testes de resistência ao arco
funcionamento da aparelhagem, deterioração do isolamento interno foram realizados no compartimento dos barramentos
e outros motivos excepcionais. No projeto do quadro UniSec e no compartimento dos cabos, e também no invólucro do
foi reservada uma atenção especial à segurança do pessoal interruptor de manobra-seccionador.
em situações de arco interno. As unidades do quadro O quadro UniSec oferece soluções diferentes de resistência
apresentam uma resistência mecânica extremamente elevada, ao arco interno (IAC). Todas as soluções são de classe A
porque são capazes de resistir aos efeitos de pressão e (somente pessoal autorizado) e acessíveis por diferentes
térmicos causados também pelas máximas correntes do arco lados (F para lado frontal, L para lateral, R pela traseira), e
interno. Antes de mais nada, o próprio design do quadro atendem a todos os 5 critérios da norma IEC.
reduz consideravelmente a probabilidade de ocorrência de A pedido, é possível ter o quadro UniSec sem resistência ao
um arco interno. O quadro UniSec foi submetido ao teste arco interno (Não IAC).
de resistência ao arco interno segundo a norma IEC 62271-
200, Anexo A. Nesta nova norma os testes de resistência ao Classificações UniSec:
arco interno são melhor classificados relativamente ao que −− IAC AFL(*) 12,5 kA 1s
acontecia na norma anterior. − − IAC AFLR 16 kA 1s
O teste verifica a eficácia da proteção do quadro ao − − IAC AFLR 21 kA 1s
proteger as pessoas contra os arcos internos, avaliando − − IAC AFLR 25 kA 1s
os efeitos da pressão dinâmica e os efeitos térmicos. O − − Não IAC (**).

(*)
ATENÇÃO: Proibido o acesso à parte traseira do quadro quando o mesmo se encontra em funcionamento.
(**)
ATENÇÃO: O acesso à sala do quadro quando este se encontra em funcionamento é permitido única e exclusivamente o pessoal
autorizado com competências específicas em termos de segurança elétrica, de acordo com a norma CEI 11-27 ou IEC/EN 50110.

Estrutura para um teste de resistência ao arco interno

85
7. Resistência ao arco interno

IAC AFL 12,5 kA 1s


A proteção contra o arco interno é garantida nos 3 lados do
quadro, frontal e lateral.
É possível ter duas soluções:
1. Quadro totalmente encostado em parede (*)
Esta solução permite criar um único vão para o
escape dos gases utilizando a parte traseira do
quadro e a parede. Mediante fechos específicos
montados nas partes superior e lateral do quadro,
os gases incandescentes são encaminhados para a
traseira do quadro, dentro deste vão especial criado
especificamente para o escape (ver a figura para a
instalação do quadro).
2. Filtros montados na parte traseira de cada unidade
individual
Esta solução pode ser utilizada como alternativa à
anterior quando não for possível encostar o quadro
completamente contra a parede.
Para o efeito, cada unidade está provida de filtro
individual para a resistência ao arco. Neste caso, os
gases são encaminhados para dentro do filtro que se
encarrega de resfriá-los e reduzir a respectiva pressão
antes que sejam liberados para dentro do local do
quadro.
Com esta solução, não são exigidas obras
suplementares no local de instalação.
Sendo a proteção AFL (3 lados), é sempre proibido o
acesso à parte traseira do quadro quando o mesmo se
encontra em funcionamento.

(1)
Solução disponível para quadros com comprimento mínimo de 1100 mm

86
AFLR 21 kA 1s e AFLR 25 kA 1s(1) IAC AFLR 21 kA 1s e AFLR 25 kA 1s(1)
Solução com filtros Solução com conduto de escape dos gases
Nesta solução, o quadro pode ser encostado na parede Nesta solução, o quadro pode ser encostado na parede
ou colocado no centro da sala. ou colocado no centro da sala. É garantida uma proteção
É garantida uma proteção contra avaria provocada por contra avaria provocada por arco interno nos 4 lados até
arco interno nos 4 lados. Os gases produzidos pelo uma corrente de falha de 21 kA e 25 kA (1).
arco são enviados para a sala do quadro. Uma estrutura O quadro é fornecido com um conduto de extensão
eficaz de absorção dos gases produzidos pelo arco entre o quadro e a parede, para a saída dos gases do
garante um resfriamento considerável e uma diminuição local de instalação, de 1 metro de comprimento. Para
da pressão dos mesmos antes que entrem na sala do comprimentos maiores, entre em contato com a ABB.
quadro, garantindo uma resistência ao arco interno até A solução está disponível com saída à direita, esquerda,
uma corrente de falha de 21 kA e 25 kA (1). Os filtros já traseira e sobrelevada.
estão montados atrás de cada unidade do quadro, não A forte resistência mecânica, juntamente com dispositivos
sendo por isso necessárias obras suplementares no local adequados de escape dos gases produzidos pelo arco,
de instalação. oferecem um bom nível de segurança contra os arcos
internos. Todavia, é possível aumentar ainda mais a
segurança utilizando métodos de proteção ativa para
extinguir rapidamente os arcos.
O sistema de proteção contra o arco elétrico com sensor
de monitoramento integrado oferece uma proteção
extremamente rápida e seletiva dos barramentos baseada
na zona.
Também o relé de proteção de linha REF615 oferece
uma função opcional de proteção contra avaria causada
por arco. Para maiores informações sobre os métodos
de proteção ativa, consulte o capítulo 4 (Dispositivos de
proteção).

(1)
Apenas para unidades com disjuntor extraível de até 17,5 kV

87
8. Informações para a instalação

Local de instalação
O local de instalação deve ser preparado com base nas correto e seguro das aparelhagens.
dimensões e na versão do quadro. Para condições de instalação diferentes das indicadas,
O respeito das distâncias indicadas garante o funcionamento consulte a ABB.

Layout do local

400 min
400 min

2100/2400 min
2100/2400 min
1700/2000

1700/2000

1070 1000 min (*) 70 1070 1000 min (*)

30 min
30 min

150 150 min

Distâncias em relação às paredes do local de instalação com vão Distâncias mínimas das paredes do local de instalação, solução
de escape dos gases na parte traseira, solução IAC A-FL 12,5 kA 1s IAC A-FL 12,5 kA 1s com filtros montados em cada unidade.
encostada em parede.

(*)
1300 mm mín. para painéis com disjuntor

88
Layout do local
400 min

600 min
2100/2400 min

2600 min
1700/2000

2000

100 1070 1000 min (*) 140 1070 1000 min (*)
30 min

35 min

100 min 50 min

Distâncias mínimas das paredes do local de instalação, solução Distâncias mínimas das paredes do local de instalação, solução
IAC A-FLR 16 kA 1s com filtros montados em cada unidade. IAC A-FLR 21 kA 1s com filtros montados em cada unidade.

(*)
1300 mm mín. para painéis com disjuntor

89
8. Informações para a instalação

Layout do local
400 min

2100/2400 min
1700/2000

120 1070 1000 min (*)


30 min

65 min

Distâncias mínimas das paredes do local de instalação, solução


IAC A-FLR 21 kA 1s com filtros conduto de escape dos gases.

(*)
1300 mm mín. para painéis com disjuntor

90
Layout do local para unidades com disjuntor extraível
600 min

400 min
2600 min

2400 min
2000

2000

120 1200/1300 1200 min 100 1200/1300 1200 min


30 min

30 min

50 min

65 min

Distâncias mínimas das paredes do local de instalação, solução Distâncias mínimas das paredes do local de instalação, solução
IAC A-FLR 25 kA, 1s @ 12-17,5 e 16 kA, 1s @ 24 kV com filtros IAC A-FLR 25 kA, 1s @ 12-17,5 e 21 kA, 1s @ 24 kV com conduto
montados em cada unidade. de escape dos gases.

91
8. Informações para a instalação

Passagem dos cabos e pontos de fixação das unidades


As figuras seguintes mostram a localização e as dimensões Está presente um ponto de fixação em cada canto da
dos furos de passagem dos cabos embaixo das várias unidade (4 para cada unidade). As unidades sem entrada
unidades. para os cabos apresentam dimensões e pontos de fixação
Estes furos devem ser feitos antes da instalação do quadro. que dependem da largura da unidade. Para a fixação podem
As figuras ilustram ainda os pontos de fixação do quadro. ser utilizados parafusos de ancoragem de 10 mm.
800

800

800
692

692
692

1037

1037

1037
Ø12,5
202
158,5

202
158,5

202
158,5
Ø12,5 Ø12,5

43,5 43,5 43,5 43,5 43,5 43,5


77,5 220 97,5 230 140 220
375 500 500

Unidades de 375 mm de largura Largura de 500 mm para unidades DRC Unidades de 500 mm de largura
800
800

692
692

1037
1037

692

Ø12,5
Ø12,5 1037

Ø12,5
207,5

202
158,5
158,5

2 0 7 ,5
1 5 8 ,5

43,5 43,5 43,5 43,5

265 220 327 230 25 100

750 750
150

Largura de 750 mm para unidades SBR Unidades de 750 mm de largura Largura de 190 mm para as unidades
RLC/RRC (apenas para SBR)

100 400 100 550


230

230
800

800

1 2 0 0 /1 3 0 0
8 00
1200

1300

Ø12,5
Ø12,5
Ø12.5
753

773
81
301.5

3 0 1 .5
81
3 01.5
125

1 25

10 25 43,5 43,5
43.5 43.5 10 25
43.5 500
600 43.5
750

Largura de 600 mm para unidades Largura de 750 mm para unidades DRS para WBC/WBS/BME
com disjuntor extraível de até 17,5 kV com disjuntor extraível de até 24 kV
WBS e BME sem saída de cabos WBS sem saída de cabos

92
Fundações
O quadro deve ficar ereto sobre uma fundação que satisfaça O quadro deve ser fixado na posição correspondente aos
os requisitos de planaridade 2x1000 relativamente ao furos no fundo da unidade (2 cordões de solda/unidade) ou
comprimento do quadro. Por ser difícil realizar uma fundação mediante dois parafusos/unidade diretamente no pavimento.
em concreto que satisfaça este requisito de planaridade, O quadro pode ser fixado em pavimento de concreto,
os ajustes necessários são feitos mediante uma estrutura mediante buchas de ancoragem, em estrutura metálica e em
metálica ou instalando placas de aço embaixo dos cantos pavimento flutuante.
das unidades. Também a capacidade de carga do pavimento A fixação do quadro deve ser feita conforme indicado na
e da fundação deve ser suficiente. figura (ver as figuras adicionadas).

12,5

93
8. Informações para a instalação

Posição e comprimentos dos cabos de média tensão


Os comprimentos dos cabos de média tensão utilizados As figuras e a tabela reproduzidas a seguir mostram os
(distância entre o ponto de ligação do cabo e o pavimento) comprimentos e a posição dos cabos para as diferentes
dependem das unidades e dos acessórios. unidades.

Unidade RLC

Posição e comprimentos dos cabos de média tensão


Detalhes largura da unidade largura da unidade largura da unidade largura da unidade largura da unidade
190 mm 375 mm 500 mm 600 mm 750 mm
A (mm) B (mm) A (mm) B (mm) A (mm) B (mm) A (mm) B (mm) A (mm) B (mm)
SDC Base – – 915 210 915 275 – – – –
Com TC – – – – 525 275 – – 525 275
SDM Base – – – – – – – – 525 (1) 275(1)
SDD Base – – – – – – – – 918 185
SFC Fusível de 292 mm – – 600 200 600 230 – – – –
Fusível de 442 mm – – 450 200 450 230 – – – –
SBC Base – – – – – – – – 500 310
HBC Base – – – – 600 280 – – – –
Com TC – – – – 460 330 – – – –
WBC Base ou com TC – – – – – – 600 150 (2) 600 165
DRC Base – – 500 165 668 255 – – – –
Com TC – – – – 530 275 – – – –
SBR Base – – – – – – – – 400 390
RLC/RRC Base 1495/1440 (3) 310/290(3) – – – – – – – –
(1)
Com terminal para cabos opcional
(2)
Distância entre a parede lateral do painel e a primeira conexão do cabo
(3)
Distâncias para painel SBR

94
Terminações dos cabos
−− Aplicadas a frio Aplicações e características
−− Utilizáveis em espaços apertados Em função da estrutura do cabo, é necessário utilizar o tipo
−− Não são necessárias ferramentas especiais correto de acessórios para cabos.
−− Pré-fabricadas para uma instalação fácil e segura Se for utilizado um cabo unipolar blindado exclusivamente
−− Remoção de quantidade mínima de bainha dos cabos com blindagem de cobre, é suficiente utilizar um terminal e
−− Pressão ativa uma terminação adequada às dimensões efetivas do cabo.
−− Poucos componentes Se for utilizado um cabo tripolar ou um cabo blindado com
−− Longa duração fita de cobre ou com folha de alumínio ou então um cabo com
armadura, é necessário empregar material suplementar.
Aspectos gerais Tão importante quanto o emprego de material correto, é a
Os cabos de potência utilizados para o quadro necessitam de preparação correta do cabo. Para esta finalidade, a ABB
terminações adequadas. O cabo de potência apresenta um também oferece uma ampla gama de ferramentas ideais para
condutor de alumínio ou cobre, um isolamento em material a preparação dos cabos.
polimérico, uma bainha isolante extrudada, uma blindagem
metálica, uma armadura (opcional) e uma bainha protetora Produtos aconselhados
externa polimérica. A terminação pré-moldada tipo SOT da ABB pode ser
Para garantir um fluxo de corrente seguro e confiável, empregada em qualquer cabo polimérico, independentemente
é necessário obter uma boa conexão mecânica entre o da estrutura ou das dimensões do condutor.
condutor do cabo e o barramento. Para esta finalidade, Poucas variantes de terminações são adequadas para uma
a ABB oferece terminais mecânicos concebidos ampla gama de dimensões dos cabos. Para os valores de
especificamente para se adaptarem ao conector do cabo 12/17,5/24 kV são suficientes quatro tipos de terminações
mediante enroscamento. É também indispensável guiar para cobrir dimensões dos cabos de até 800 mm2.
corretamente o campo elétrico produzido pelos cabos; por A gama de produtos da ABB inclui também o material
este motivo, a ABB fornece terminações aplicadas a frio suplementar, tais como kits de ligação à terra, guarnições de
realizadas em borracha, que garantem uma pressão ativa ao suporte para cabos tripolares e material de blindagem para
redor do cabo. Além disso, se o cabo for projetado com uma a armadura dos cabos. Para maiores informações, entre em
blindagem metálica que não inclui cobre, devem ser utilizados contato com a sede local da ABB.
kits especiais de ligação à terra para um gerenciamento
correto de possíveis correntes de falha.
Eventuais armaduras do cabo devem garantir o mesmo
potencial de terra da bainha e, portanto, pode ser necessário
utilizar material de ligação suplementar, que também faz parte
da oferta da ABB. Informações detalhadas são fornecidas na
documentação técnica separada relativa aos acessórios para
cabos da ABB.

Normas
São satisfeitos os requisitos da norma CENELEC HD 629.1 S1.

Terminação de cabos Kebeldon tipo SOT com terminal bimetálico


tipo SKSB

95
8. Informações para a instalação

Kits completos com terminais roscados


Terminação de cabos, incluindo terminal roscado bimetálico
para condutores em Al e Cu.
O terminal possui parafusos de cisalhamento.

Designação Peso Designação Peso Ø XLPE Condução (12 kV) Condução (24 kV)
Terminação para interior kg/kit Terminação para interior, kg/kit mm mm 2 mm2
tripolar / 3 x unipolar kit monofásico
SOT 241 A-3 0,60 SOT 241 A 0,20 11-15 10-35 10
SOT 241-3 0,60 SOT 241 0,19 15-28 50-185 25-120
SOT 242-3 0,70 SOT 242 0,23 24-39 240-500 150-300
SOT 242 B-3 0,90 SOT 242 B 0,30 38-54 630 500-630

Designação Peso Designação Peso Condução (12 kV) Condução (24 kV)
Terminação para interior kg/kit tripolar / 3 x unipolar kg/kit mm 2 mm2
unipolar / 1 x unipolar para interior
SOT 241A S1 0,35 SOT 241A-3 S1 1,05 16-35 16
SOT 241 S1 0,34 SOT 241-3 S1 1,02 50-70 25-70
SOT 241 S2 0,44 SOT 241-3 S2 1,32 95-150 95-120
SOT 241 S3 0,59 SOT 241-3 S3 1,50 185 –
SOT 242 S2 0,48 SOT 242-3 S2 1,44 – 150
SOT 242 S3 0,63 SOT 242-3 S3 1,89 240 185-240
SOT 242 S4 0,98 SOT 242-3 S4 2,94 300-400 300-400
SOT 242B S5 1,78 SOT 242B-3 S5 5,25 500-630 500-630

Designação I L
mm
SOT 241/242/242 B 235 min 300

D Designação Condutor de Al ou Cu Torque de Dimensões Peso


C
sector round max Ø aperto A B C D (Ø) E (Ø) kg/
shaped artigo

mm2 mm2 mm mm
E A SKSB 70-12 25-70 16-70 11 15* 90 103 25 13 21,5 0,15
B
SKSB 150-12 95 95-150 16 20* 103 118 30 13 27 0,25
SKSB 240-12 120-185 185-240 20 30* 125 140 30 13 33,5 0,40
SKSB 400-16 240 300-400 25,5 40* 166 185 37 17 41,5 0,75
SKSB 630-16 – 500-630 33 45* 201 227 55 17 49 1,45
(*)
O parafuso será apertado com o torque de aperto correto

96
Ligação dos cabos

Painéis Largura Quantidade Seção máxima dos


máxima cabos (mm2)
de cabos
SDC 375 1 (*) 400
500 2 300
1 630
750 2 300
SDD 750 1 400
SFC 375 1 95
500 1 95
SBC 750 2 300
1 630
SBR 750 1 300
HBC 500 2 300
1 630
DRC 375 1 (*) 400
500 2 300
1 630
WBC 600 2 400
1 630
750 2 400
(*)
2 cabos de 300 mm @ 12 kV
2

97
9. Dimensões das unidades

Os desenhos têm a única finalidade de mostrar as dimensões gerais das unidades típicas e não de representar a frente do
quadro e as seções.

Vista frontal

375 500 600 750 750

SDC SDC WBC WBC (*)


SBC (*)

SDS SDS WBS WBS SBS


SFC SFC (*) BME SBR
SFS SFS SBM
DRC SFV (*) SDD
DRS DRC (*) SDM
DRS UMP
HBC SDC

(*)
Disponível também com painel adaptador H = 2000 mm

Vista lateral não IAC e A-FL 12,5 kA 1s (solução totalmente encostada em parede)
1700/2000(**)

1070 110 (*)

(*)
Para painéis com disjuntor removível
(**)
Não disponível para painéis SBR e UMP

98
Vista lateral IAC A-FL 12,5 kA, com filtros Vista lateral IAC A-FLR 16 kA, com filtros

1700/2000(**)
1700/2000(**)

70 1070 110 (*) 100 1070 110 (*)

(*)
Para painéis com disjuntor removível (*)
Para painéis com disjuntor removível
(**)
Não disponível para painéis SBR e UMP (**)
Não disponível para painéis SBR e UMP

Vista lateral IAC A-FLR 21 kA, com filtros


2000 (**)

140 1070 110 (*)

(*)
Para painéis com disjuntor removível
(**)
Não disponível para painéis SBR e UMP

99
9. Dimensões das unidades

Vista lateral IAC A-FLR 21 kA, com conduto


2020/2320

1700/2000(**)

120 1070 110 (*)

(*)
Para painéis com disjuntor removível
(**)
Não disponível para painéis SBR e UMP

Vista lateral para painéis com disjuntor Vista lateral para painéis com disjuntor
extraível, IAC A-FLR 25 kA, 1s de até extraível, IAC A-FLR 25 kA, 1s de até
17,5 kV e IAC A-FLR 16 kA, 1s a 24 kV 17,5 kV e IAC A-FLR 21 kA, 1s a 24 kV
com filtros com conduto

WBC WBC
WBS WBS
DRS para WBS DRS para WBS
BME (*) BME (*)
2340
2000

2000

120 1200/1300 100 1200/1300

(*)
Apenas 12-17,5 kV (*)
Apenas 12-17,5 kV

100
Compartimentos de baixa tensão disponíveis
Soluções para painéis com GSec
235
500
125/165 (**)

580/643(**)
580/643(**)
B
280/343(**)

2000

2000
1700

1070 1070 110 1070 110

A = Padrão (*) B = Wide (largo) C = Big (grande) (*)

(*)
Não disponível para painéis H = 2000 mm
(**)
Apenas para painel HBC

Soluções para painéis com disjuntor extraível


350

235

B
750

A
450

2300
2000

1200/1300 1200/1300 110

A = Padrão B = Wide (largo)

101
10. Software de configuração

UniSec Pro
UniSec Pro foi desenvolvido para proporcionar
uma ferramenta útil nas fases de projeto e cotação
de quadros. Além disso, fornece um auxílio para
os departamentos técnicos durante as fases de
determinação e planejamento dos projetos. Também
está disponível uma versão para projetistas. Entre em
contato com o representante ABB da zona.
−− Os projetos são memorizados online, o que
permite a execução de estatísticas e operações de
acompanhamento.
− − Site online para projetos, feedback, novidades,
arquivos de instalação, etc.

102
11. Reciclagem

As atividades e os processos presentes e futuros da ABB Reciclagem do gás SF6


serão sempre em conformidade com as normas e a legislação É obrigação da ABB facilitar a reciclagem dos produtos no fim
ambiental. da sua vida útil. Nos países da UE e EEA deve ser respeitado
A ABB está comprometida com o desenvolvimento e o regulamento relativo aos F-gas.
fornecimento de produtos e serviços com impacto ambiental O SF6 é um gás fluorado com efeito estufa e, portanto, é
reduzido, de utilização segura e recicláveis, reutilizáveis ou necessário adotar precauções para evitar a emissão do SF 6;
que possam ser eliminados em condições de total segurança. para este efeito, no fim da vida útil dos aparelhos, o gás com
Estes requisitos estendem-se também aos produtos e efeito estufa deve ser recuperado.
serviços adquiridos dos fornecedores e dos subempreiteiros Aconselhamos ainda o cliente a consultar sempre o site web
da ABB. A nossa atividade de pesquisa e desenvolvimento da ABB http://www.abb.com/sf6.
está focada em tecnologias, sistemas e produtos inovadores
e ecológicos.
Para apoiar os seus clientes e proteger o ambiente durante
a manutenção e até o fim da vida útil dos quadros, a ABB
oferece um programa de assistência completo, que visa
eliminar a liberação do gás SF6 na atmosfera.
As unidades UniSec são produzidas em conformidade com
os requisitos das normas internacionais para o sistema de
gestão da qualidade e o sistema de gestão ambiental.
A ABB está comprometida com a tutela do meio ambiente e
adere às normas ISO 14001. O produto é desenvolvido em
conformidade com os requisitos da norma IEC 62271-200.
A tabela a seguir indica os materiais utilizados na unidade
SDC de 375 mm.

Reciclabilidade
Material Reciclável kg %
Aço Sim 106,5 69
Aço inox Sim 5,5 3,5
Cobre Sim 14 9
Latão Sim <0,5 <0,5
Alumínio Sim 4 3
Zinco Sim 1,5 1
Plástico Sim 4,6 3
SF6 Sim <0,5 <0,5
Total de materiais recicláveis 132 87
Borracha Não <1 <0.5
Resina epóxi Não 18,5 12
Total de materiais não recicláveis 19 13

103
12. Aplicações

Emprego dos quadros Unisec

Marinha Green power

Energia eólica

Uso residencial

Indústria

Geradores

Distribuição

Transportes

Medição

Os quadros UniSec são empregados na distribuição Segurança


secundária de média tensão. Podem ser empregados em −− Indicador de tensão integrado
especial para subestações de transformação, para o controle − − Dispositivos de intertravamento
e proteção de linhas e transformadores de potência, no setor − − Manômetro do gás ou indicador de pressão
dos transportes, nos aeroportos, nos centros comerciais e −− Janelas de inspeção
nas indústrias, etc. − − Condutos de escape dos gases
O quadro UniSec é a solução da ABB para uma rede de
distribuição completamente automatizada. Suportado pela Integração inteligente
tecnologia com sensores e pela mais recente com relés de − − Dimensões compactas
proteção, o quadro satisfaz os requisitos mais rigorosos em −− Design modular com componentes para várias aplicações
vários tipos de aplicações. − − Facilidade de instalação e extensão
A série UniSec oferece uma gama de painéis, permitindo
assim identificar a solução mais eficaz para todas as Economia
aplicações graças à combinação das unidades disponíveis. − − Longa duração
−− Elevada resistência mecânica
− − Custos de manutenção reduzidos
− − Baixo impacto ambiental
−− Manutenção praticamente ausente

Confiabilidade
−− Testes rigorosos para cada unidade
− − Estrutura robusta
−− Comando extremamente duradouro e confiável
− − Assistência ABB local com foco global na confiabilidade e
na qualidade

104
Uso residencial

Exigências dos clientes


As áreas residenciais recebem energia de uma subestação de
transformação local.
− − A subestação de transformação deve ser segura, de
dimensões compactas e com baixo impacto ambiental.
− − Continuidade de serviço e alimentação estável são fatores
importantes no projeto das aparelhagens que devem ser
instaladas.

Soluções para subestações de transformação


A subestação de transformação é a solução UniSec mais
difundida para redes em anel, áreas residenciais, edifícios e
indústrias de pequeno porte.
O design flexível e modular garante a facilidade de instalação.
Neste caso, os fatores-chave são:
− − Fácil extendibilidade
− − Unidades muito compactas
− − Ampla gama de soluções de proteção, controle e
monitoramento.

105
12. Aplicações

Distribuição

Exigências dos clientes − − Segurança - Quadros projetados e testados em conformi-


Por rede de distribuição entende-se o conjunto de estações de dade com as normas IEC e resistentes ao arco interno.
distribuição que alimentam, protegem, monitoram e controlam, −− Custo do ciclo de vida - Soluções padronizadas e
por exemplo, áreas residenciais, zonas industriais e edifícios modulares, requisitos reduzidos de formação do pessoal e
de grandes dimensões. Neste caso as prioridades são: manutenção, redução do número de peças de reposição,
− − Continuidade de serviço e confiabilidade facilidade de manobra e rapidez de substituição dos
− − Segurança componentes, com a consequente redução dos recursos
−− Custo do ciclo de vida dedicados à planta.
− − Facilidade de integração em redes e sistemas existentes. − − Facilidade de integração - Conformidade com os
requisitos locais.
Soluções leves para subestações
As soluções UniSec para a
distribuição incluem:
− − Continuidade de
serviço - Soluções
com disjuntor removível
e extraível capaz de
satisfazer os requisitos
mais severos em termos
de segurança do pessoal
e confiabilidade. Estão
disponíveis classes
LSC2A e LSC2B e
a última geração de
soluções de proteção,
monitoramento e
controle.

106
Indústria

Exigências dos clientes


Os clientes das indústrias exigem um fornecimento de
energia estável, sem flutuações e ininterrupta. UniSec
satisfaz especificamente os seguintes requisitos dos
clientes:
− − Uma solução confiável
− − Uma ampla gama de unidades funcionais facilmente
expansíveis
− − Segurança e facilidade para os operadores.

Soluções desenvolvidas especificamente para as


indústrias
UniSec oferece aos clientes das indústrias:
− − Um design comprovado
− − Uma ampla gama de unidades para configurar
soluções capazes de satisfazer da melhor maneira a
aplicação solicitada
− − Facilidade de manobra e manutenção.

107
12. Aplicações

Outras aplicações

Infraestruturas
A confiabilidade da instalação é um fator fundamental
para garantir performance e segurança.

Medição
Perante a demanda de desregulamentação do mercado
da eletricidade, o quadro UniSec apresenta soluções
standard para aplicações de medição.

Geradores
Aplicações típicas para geradores são os sistemas
de emergência em hospitais, aeroportos, centros
comerciais, como também sistemas de energia de back-
up para estufas, onde a confiabilidade representa um
aspecto indispensável.

108
Note

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

109
Note

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

..............................................................................................................................................

110
Contatos

Os dados e ilustrações não são vinculantes. Durante o

1VFM200003 – Rev. K, pt – 2013.07 (Product catalogue) (mt)


desenvolvimento técnico do produto, reservamo-nos o
direito de efetuar modificações no mesmo.

© Copyright 2013 ABB.


All rights reserved.

Your sales contact: www.abb.com/contacts


More product information: www.abb.com/productguide