Você está na página 1de 3

Universidade Federal de Alagoas – UFAL

Aluno: José Eduardo de Farias

Lista de exercícios – Capítulo 7 Armazenagem e movimentação de materiais

1. Um armazém ou centro de distribuição tem hoje como foco criar vantagens


competitivas, permitindo de um lado, fazer um adequado gerenciamento do
fluxo de materiais que escoa ao longo de uma cadeia logística, e de outro,
disponibilizar um fluxo de informações em redes on-line que subsidie o
processo decisório quanto ao suprimento, aos mercados e aos clientes em
geral.

2. Consolidação de carga é o procedimento pelo qual diversos produtos,


geralmente de diversos exportadores diferentes, são acondicionados em um
mesmo conteiner (contentor), de forma a proporcionar o melhor aproveitamento
possível do espaço e, com isso, reduzir os custos de transporte das
mercadorias.

3. Estocagem ocasional; mix de produtos; apoio a produção; presença de


marketing:

na situação de estocagem ocasional, os produtos fabricados são transferidos


para um centro de distribuição, com a finalidade de atender as solicitações dos
clientes, muito especialmente nas condições críticas de mercado;

O apoio a produção destina-se a manter os insumos, componentes e matérias-


primas, objetivando, assim, a manutenção dos processos de produção diante
das incertezas do mercado.

4. O Cross-Docking é uma estratégia de otimização do estoque de empresas


do ramo de comércio não presencial, ou presencial com entrega futura. Além
de proporcionar economia, é um método ágil que diminui consideravelmente o
estoque e o espaço físico destinado às mercadorias.

A ideia é que exista uma movimentação contínua dos produtos, adotando


centros de distribuição próximos aos mercados consumidores e fazendo com
que os fornecedores atuem no formato Just in Time.

5. O picking consiste na coleta e combinação de cargas não unitárias para


configurar o pedido de um cliente. Pode ser realizado praticamente em
qualquer tipo de armazém e acontece a partir do momento em que for preciso
juntar pacotes, peças, produtos ou materiais para uma vez agregado, efetuar
seu translado.

6. O WMS (warehouse management system), consistem em um sistema de


gerenciamento de armazéns, destinados a otimizar as operações dos
armazens.

O WMS gerencia todas as operações executadas e as informações


geradas nos armazéns com alto nível de confiabilidade, mantendo um perfeito
controle das operações e fornecendo informações precisas sobre os níveis de
estoque dos diversos itens armazenados.

Todas as operações realizadas, como recebimento de materiais,


enderaçamento de destino e de localização, armazenagem, separação de
pedidos, expedição e despacho dos materiais, são controlados e administrados
com auxílio desse software.
Universidade Federal de Alagoas – UFAL

Aluno: José Eduardo de Farias

Lista de exercícios – Capítulo 8 Logística e distribuição física

1. A distribuição física é o ramo da logística, que trata da


movimentação, da armazenagem e da entrega dos produtos aos
diversos clientes de produtos e absorve cerca de dois terços dos
custos logísticos da empresa.

2. Por um lado, em uma visão mais generalista, pode-se considerar que


a distribuição física é operada por três tipos de distribuidores:
atacadistas versus varejistas; comerciantes versus intermediários;
operadores logísticos. É possível também classificar os canais de
distribuição por nível.

3. Minimizar os custos globais de distribuição em função da distancia e


os custos fixos associados ao consumo dos veículos; minimizar o
número de veículos e as equipes necessárias a atender os clientes;
minimizar o tempo de espera de cada veículo.

4. Tem como tarefa visitar o maior número possível de clientes ao longo


de uma vasta rede. Essa configuração de rede é bastante conhecida
na área de pesquisa operacional e é também denominada problema
do caixeiro viajante.

5. Por um lado, esse processo cria maiores facilidades e comodidade


para os clientes, visto que não precisam se deslocar até uma loja
física para comprar seus produtos. Por outro, esse crescimento fez
emergir também as dificuldades de algumas regiões quanto a
infraestrutura logística destinada a atender os pedidos, assim como
também expôs a falta de planejamento e mesmo erro de cálculo nas
projeções de vendas das empresas que ofereciam produtos via
compra on-line.