Você está na página 1de 2

Páscoa no mundo

Embora hoje a Páscoa seja uma das principais festas cristãs, sua origem é judaica. A
celebração foi criada há 34 séculos para comemorar a libertação dos judeus do Egito, durante
o reinado do faraó Ramsés II, e sua fuga para Canaã liderada por Moisés. Já para os cristãos,
a data celebra a ressurreição de Cristo. A Páscoa é realizada anualmente na primeira lua cheia
depois do outono no hemisfério sul e dura oito dias.

Para os judeus

A palavra Páscoa deriva da festa hebraica Pessach, que significa passagem do anjo
exterminador. Pela tradição, os judeus deveriam comer cordeiro assado, para
recordar o sacrifício dos primogênitos, pão ázimo (sem fermento), que simboliza a
pureza, e ervas amargas - que lembram o sofrimento da escravidão no Egito.

No Ocidente

Nas religiões cristãs, que encontram maior número de fiéis nos países do
Ocidente, a Páscoa simboliza a ressurreição de Jesus Cristo no ano 30 da era
cristã. De acordo com a Bíblia, o Filho de Deus foi condenado à crucificação
durante a comemoração da Páscoa judaica. Entre os cristãos, a celebração começa
na quinta-feira Santa e termina no domingo.

Na Europa

A celebração segue a tradição dos rituais instituídos pelo Imperador Constantino,


no século 4o. a.C. A festa acontece no domingo seguinte à lua cheia do equinócio da
Primavera para trazer sorte e fortuna à colheita de grãos. Geralmente, a Páscoa é
celebrada com decoração de ovos cozidos e brincadeiras. Nos países da Europa
Oriental, como Rússia, Lituânia e Ucrânia, a comemoração também é feita com a
decoração de ovos. Geralmente, eles são oferecidos a amigos e parentes.

O costume é bem antigo. Os membros da realeza costumavam trocar entre si ovos


feitos de ouro e prata decorados com esmalte, pedras preciosas e desenhos em
miniatura. Os mais famosos foram os encomendados pelo Czar Aleksandr III ao
joalheiro Peter Carl Fabergé, dono da joalheria Fabergé - a mais famosa da Rússia
no final do século XIX. Os ovos levavam quase um ano para serem criados. Ao todo,
foram esculpidas 56 peças entre 1885 e 1917.

Nos Estados Unidos

Os ovos são a principal atração também nas comemorações de Páscoa dos Estados
Unidos. Na terra do Tio Sam, no entanto, eles ganham a versão chocolate e são
escondidos pela casa para que as crianças os encontrem na manhã de Páscoa.
No Brasil e América Latina

Nos países latino-americanos, a comemoração se assemelha ao Natal, mas é o


coelhinho que visita a criançada de madrugada para deixar seus ovos de Páscoa.
Para receber as dádivas de chocolate, as crianças criam ninhos -de madeira ou
papelão- e dormem ansiosas à espera do amigo nada secreto.

Na China

Como na tradição judaica, a Páscoa chinesa relembra o sofrimento dos ancestrais.


Para os chineses, os ancestrais são como protetores das famílias. Durante a festa,
de nome "Ching-Ming", as pessoas visitam os túmulos de seus parentes e fazem
oferendas de refeições e doces para agradar os mortos