Você está na página 1de 4

A falta de ética contamina um país

A falta de ética entre os indivíduos das diversas sociedades tem gerado uma série de
situações prejudiciais ao desenvolvimento dos países. Esse fenômeno tem se agravado a cada
década e causado muitos problemas, desde os simples até os mais graves.
Inicialmente, ao observar a realidade da escassez de moral como um todo, é possível
perceber que não atinge apenas um pequeno grupo, mas se apresenta como um grande ciclo
vicioso que abrange as mais diversas áreas e idades. Segundo a definição da palavra, ética é a
parte da filosofia responsável pela investigação dos princípios que disciplinam ou orientam o
comportamento humano, e assim é fácil perceber que uma das origens de todo esse problema
se encontra na forma com que cada ser é criado ou educado. A educação frágil, de pouca
qualidade e superficial encontrada em muitos lugares contribuem para o baixo saber ético da
população ao longo da vida.
Desse modo, a corrupção ou a quebra de deveres pode ser facilmente percebida,
apesar de ignorada, ao longo da vida inteira de uma pessoa. Pequenas situações são vistas
desde o início como algo a ser relevado, e as mesmas se tornam problemáticas cada vez
maiores e que exigem uma ruptura ainda mais drástica na ética pessoal. A ausência de moral
não deve ser notada e corrigida apenas quando possuem grande dimensão, mas deve ser
tratada ainda quando estiver iniciando, ou na raiz.
Por outro lado, com o despertar e o predomínio do capitalismo, passou a existir uma
corrida incessante por crescimento, status social e poder aquisitivo que leva os cidadãos a
realizarem tudo quanto é possível para alcançar tais privilégios, ainda que prejudiquem outros
ou firam os próprios princípios. Assim, sendo a ética um bem independente de vontades
próprias ou benefícios, entra em contraste com a teoria egocentrista vigente.
Desta forma, todas essas falhas de conduta e adversidades geradas na simplicidade do
dia a dia refletem e se aglomeram gerando obstáculos de grande porte no campo político,
social, econômico, moral e acabam por contaminar o país como um todo. Desde às
autoridades, até as menores famílias acabam por se sujar com corrupção, mentiras, falhas e
desonestidade.
Portanto, é primordial que haja investimento na educação, além de incentivos para
que haja fidelidade à moral nos mínimos detalhes, e que todos os erros sejam corrigidos desde
o principio. Somente assim poderão amadurecer sujeitos que formarão uma sociedade íntegra
e fiel, independente do sistema político ou econômico predominante ou da circunstância em
que vivam.

ÉTICA E MORAL
Para a filosofia clássica a ética estuda a busca da harmonia coletiva,ou seja,a mesma busca
estudar uma forma em que haja uma harmonia de ideias,de conceitos para todos os indivíduos
da sociedade independente dos padrões. A ética na filosofia estuda os valores que regem
os relacionamentos interpessoais, como as pessoas se posicionam na vida, e de que
maneira elas convivem em harmonia com as demais.Além disso a mesma encontra-se
interligada aos princípios morais,que são nada mais nada menos que regras gerais de
comportamento que não podem ser desfeitos ou mudados por indivíduos detentores de
maior poder.
Contudo,embora a ética seja um valor indispensável para se formar um individuo com
caráter e honestidade,existem fatores que ao longo da nossa vida fazem com que essa
ética se perca ou se distorça no meio do caminho.A falta de ética se revela desde as
mínimas coisas ás mais absurdas,como:mentir para os pais,colar em
provas(independente qual seja a prova),roubar,humilhar,subornar,entre outras coisas.Ela
abrange uma vasta área, podendo ser aplicada à cunho profissional. Existem códigos de
ética profissional, que indicam como um indivíduo deve se comportar no âmbito da sua
profissão,sendo ela ligada á área de saúde,da política,escolar...
Não é de hoje que a falta de ética existe,até porque a mesma teve seu inicio muito
antes do governo atual,ela apenas foi passada de geração em geração até chegar nos dias
atuais.

A imagem acima é um exemplo clássico de suborno ao eleitor,um caso simples e


corriqueiro que por sua vez é um dos exemplos mais atuais de antiética.Entretanto,qual
dos dois indivíduos desta imagem agiu com mais imoralidade,o político que suborna
para ter votos,ou o eleito que aceita o suborno e vota no mesmo? Se pararmos para
pensar notaremos que ambos agiram com “má fé”,pois o político deveria arcar com as
consequências de sua campanha e do seu discurso político,sendo essas consequências
favoráveis ou não à ele,quanto ao eleitor,ainda que ele esteja passando por necessidades
ou seja apenas por ganância,o mesmo ao deve aceitar tal suborno,pois se esse político
faz o que faz,imagine o que ele fará com o país.

A ética no governo do PT:


“Lula está errado. O que ele
afirma serve mesmo é para
comprovar os seus próprios
defeitos. Seus oito anos na
chefia do governo foram de
uma dedicação exemplar à
tarefa de mediocrizar o
exercício da política,
transformando-a, como
nunca antes na história deste
país, em nome de um
equivocado conceito de governabilidade, num balcão de negócios cuja expressão
máxima foi o episódio do mensalão.”-Estadão

No Brasil é possível visualizar uma linha que segue a vida cotidiana diretamente ligada
á corrupção,tanto na mídia,nos hospitais,nos tribunais,nas escolas,nas ruas há o
constante estímulo ao comportamento imoral,que tem como motivo a obtenção de
benefícios com facilidade.
Por isso,não importa o quão alto seja a quantia oferecida,não importa o quão difícil
seja a prova,não importa o quão conturbada esteja a situação no seu meio de
trabalho,preze por sua ética e moral,pois valores são criados para que haja respeito e
sabedoria,pois valores atravessam gerações e formam seres humanos conscientes e
honestos.