Você está na página 1de 30

ESCOLA TÉCNICA DO RIO DE JANEIRO

Desenvolvendo o Potencial de Empregabilidade

Componentes:

Marcos V. Eufrazio Nascimento

Rafael B. Campello

Thiago Loroza Brandão

Rodrigo P. Ferreira Carmo

Jofre Ramos
Abril /2010
ESCOLA TÉCNICA DO RIO DE JANEIRO
Avenida Santa Cruz, 9617 Santíssimo

Desenvolvendo o Potencial de Empregabilidade

Componentes:

Marcos V. Eufrazio Nascimento

Rafael B. Campello

Thiago Loroza Brandão

Rodrigo P. Ferreira Carmo

Orientador:
Jofre Ramos

Tempo Gasto no Desenvolvimento do Projeto


3 semanas

Aluno Coordenador
Sumário

1. Introdução.......................................................................................................1

2. Conceito de Empregabilidade.......................................................................2

3. Conceito e técnicas de elaboração de currículo ........................................4

4. Dicas de como se dar bem numa entrevista de emprego..........................8

5. Conceito e técnicas de marketing pessoal................................................15

6. Comunicação em Público ...........................................................................20

7. Redação Empresarial ..................................................................................23

8. Conclusão .....................................................................................................25

9. Cronograma de Desenvolvimento .............................................................26

10. Referências Bibliográficas ........................................................................27


Introdução

Esta é uma apostila que contém tudo que você precisa para desenvolver
o seu potencial de empregabilidade, isto é, toda gestão e conhecimento mínimo
necessário para ingressar no mercado de trabalho. Lendo esta apostila você irá
aprender o que é empregabilidade, conhecerá o que é currículo e técnicas de
elaboração para o mesmo, conhecerá o mundo de uma entrevista de emprego
e como se dar bem nele, descobrirá a importância da habilidade de se
comunicar em público e uma passará a ter uma base sobre redação
empresarial.

Esta apostila foi confeccionada em função de avaliação acadêmica em


sala de aula coordenada pelo Professor Jofre Ramos e também para promover
estudo, compartilhar conhecimento, explorar melhor a área de Gestão
Empresarial criando dinâmicas em sala de aula para que todos se
comuniquem, adquirindo experiência e treinando o trabalho em equipe, pois
construir um trabalho como esse, é como fazer parte de uma empresa.
Conceito de Empregabilidade

Empregabilidade

Empregabilidade foi um termo criado por volta de duas décadas atrás da


data atual, que diz, basicamente, que todo o profissional para estar empregado
deve estar sempre atualizado, se adequando com as novas exigências do
mercado de trabalho. Sendo essas exigências fatores que afetam o mercado
de trabalho, tanto pelo lado dos profissionais que estão a procura de um
emprego, quanto os empresários que procuram um profissional que se
adaptem a sua empresa.

Este termo, ou nome, foi criado por um brasileiro chamado José Augusto
Minarelli, que estabeleceu seis outros termos, dentro de empregabilidade, que
podem garantir a segurança do profissional no mercado de trabalho. Estes
termos foram nomeados por ele de “os seis pilares", sendo eles: Adequação da
profissão à vocação, Competências, Idoneidade, Saúde física e mental,
Reserva financeira e fontes alternativas de aquisição de renda e
Relacionamentos.

Adequação da profissão à vocação

Para ser um ótimo profissional e se sentir realizado, ou seja, com sua


meta atingida, a pessoa deve unir a função que exerce ou quer exercer com a
sua capacidade para cumpri-la e seu apego, ou amor, pelo devido trabalho.

Competência

É a soma de alguns fatores importantes que podem garantir o trabalho


para quem o quer. Sobre competência foram desenvolvidas muitas formas de
explicá-la, sendo a mais utilizada no meio a sigla CHAR, que significa
Conhecimento, Habilidade, Atitude e Relacionamento.

Idoneidade

Esta é uma palavra que em sim é complexa de ser explicada, mas por
alto ela é sinônima de honestidade. Ou seja, idoneidade significa a conduta,
ética, respeito, e dentre outras qualidades que se aplicam a mesma, no seu
trabalho.

Saúde física e mental

Para muitos esta é uma área que devia ser vista separada, mas para
outros a saúde física depende da mental e vice-versa. Para estar apto a
trabalhar a pessoa deve ter sua grade horária organizada, sempre tendo seu
tempo de descanso para que assim, quando estiver trabalhando, estar bem
disposto para cumprir sua meta, e sempre manter um bom relacionamento com
seu companheiro. A pessoa deve também manter-se longe de vícios
prejudiciais a saúde, e manter sempre sua auto-estima.

Reserva financeira e fontes alternativas de aquisição de renda

Para mantermos nossa segurança com relação ao dinheiro, sempre


temos que guardar um pouco já que o futuro é imprevisível. Sendo assim a
mesma diz que temos de estar sempre pronto para o acaso do desemprego.
Para isto um negócio próprio paralelo ao seu emprego é sempre bom, pois lhe
garantirá uma fonte alternativa de renda.

Relacionamentos

Ter um relacionamento saudável com outras pessoas dentro e fora do


seu emprego é sempre bom, pois estas pessoas sempre lhe darão
informações, podendo elas ser importantes relevantes para você, lhe
garantindo o emprego.
Conceito e técnicas de elaboração de currículo

O primeiro passo para o emprego

Hoje vivemos um momento em que o mercado de trabalho esta se


tornando cada vez mais exigente e concorrido. O próprio sistema capitalista
cria esse clima de competitividade. Dessa forma, devemos acompanhar essa
evolução e nos prepararmos de forma adequada. O primeiro passo para isso é
a construção de um bom currículo.

Em um processo seletivo, o currículo representa a identidade


profissional do entrevistado. Será através dele que entrevistador verificará
todos os atributos que serão levados em conta para a admissão ou não do
candidato, e por isso ele deve estar impecável.

Atualmente um modelo simples e eficiente de currículo deverá conter


informações pessoais básicas (nome completo, idade) e todas as informações
referentes ao lado profissional do candidato (experiência, escolaridade, cursos
de qualificação e o seu perfil profissional)

Enfim, o currículo certamente é um elemento fundamental no ingresso


ao mercado de trabalho. Uma vez que seja bem construído, poderá oferece
uma boa impressão ao entrevistador para o candidato além de uma vantagem
sobre seus concorrentes.

Currículo deve apresentar informações pessoais e profissionais, mas


tudo na medida certa. Algumas coisas devem ser tratadas como
desnecessárias, então vamos separá-las para melhor entendimento.

Informações necessárias:

Nome completo;

Idade;

Escolaridade (Nome da ultima instituição e grau de escolaridade);

Cursos de qualificação;
Objetivo profissional

Perfil profissional;

Participação em ações sociais;

Experiências profissionais (as, mas importantes ou as, mas recentes);

Habilidade profissional (tem habilidade em quatro assuntos na área de


atuação);

Telefone fixo e celular;

Correio eletrônico;

Nacionalidade;

Informações desnecessárias:

Número do CPF;

Número do RG;

Endereço onde reside;

Nome de pais;

Nome de todas as instituições onde estudou;

Sua religião;

Sua etnia;

Cursos que não estão ligados a área de interesse;

Estado civil;

Pretensão salarial ou salário a combinar;

Assinatura;

Nem uma medida referente ao corpo;

Foto;
Apresentação do Currículo

O Currículo deve ter no máximo três folhas no formato A4. O papel pode
ser branco ou papel reciclado. O papel reciclado tem um ponto muito positivo,
mostra que você se importa com meio ambiente e esse diferencial pode fazer
toda diferença no final.

A fonte deve esta em Arial, tamanho de fonte 12 para todo o Currículo,


mas colocando em negrito o nome da pessoa e os subtítulos, colocando o
espaçamento entre linhas 1,5 para deixar mais arejado, colocando três linhas
de espaço para o próximo tópico.

Lembrando que não é legal (aconselhado) pega Currículo pronto na


internet para só fazer a troca das informações. Veremos agora um exemplo de
Currículo a ser seguido.
MARCOS VINÍCIUS EUFRAZIO DO NASCIMENTO

Tel.: 24127038 18 anos

E-mail: marcosvenasc@gmail.com Brasileiro

Objetivo

Estagiar na área de eletrônica industrial

Formação Escolar

Escola Técnica do Rio de Janeiro (ETERJ) cursando o 3º ano do ensino médio


técnico em eletrônica industrial.

Habilidades Desenvolvidas

Instrumentação;

Eletrônica linear;

Desenho de circuito;

Montagem e manutenção de microcomputadores;

Automação;

Cursos de Qualificação

Técnicas Básicas de Instrumentação – SENAI

Controle e Proteção de Máquinas Elétricas – ETERJ


Dicas de Como se Dar Bem Numa Entrevista de Emprego

Após uma pré-seleção onde se analisa o currículo, na próxima fase do


processo seletivo, o candidato capacitado será chamado para a entrevista de
emprego, nesta fase é muito importante estar preparado.

Em uma entrevista de emprego, onde você não deve somente mostrar


que está apto, mas que é o melhor candidato para determinado cargo, é
importante apresentar um diferencial, e nesta altura do processo seletivo, já
devemos compreender o vem a ser Marketing Pessoal, um conjunto de ações e
ferramentas que, se utilizados em conjunto, ajudam a promover a carreira de
um profissional. Baseando nesse conceito temos algumas dicas para se dar
bem numa entrevista de emprego o qual será nosso próximo assunto.

1. Não dê nada por garantido nem assuma nenhum pressuposto. Ouça


atentamente o seu interlocutor. Se alguma das perguntas que lhe for feita
exigir mais do que uma simples resposta, esteja à vontade e reflita durante
alguns segundos, em vez de responder impensadamente.

2. Não monopolize a conversa nem tente evitar responder a perguntas.


Existem diversas maneiras sutis de assumir o controle sem hostilizar o
entrevistador, ou dar início a um guerra pelo poder.

3. Assuma uma atitude positiva relativamente a tudo e todos. Não uma


atitude de falso otimismo, mas não se queixe do seu emprego ser chato,
da forma injusta com o seu chefe o trata ou da forma como os seus
colegas e colaboradores se comportam. Mesmo um comentário negativo
feito por acaso, poderá colocar o seu entrevistador de sobreaviso e
preocupá-lo. Nessa situação, até poderá sentir-se tentado a explorar mais
essa situação e descobrir uma razão para retirá-lo da "corrida". Ou até a
sua própria atitude poderá provocar essa situação.

4. Não copie na totalidade a linguagem corporal do seu entrevistador.


Poderá ser notado e parecer que está o imitando ou a agir de forma
estranha. No entanto, poderá tentar adotar a postura global e,
conseqüentemente, ficar mais confortável psicologicamente.

5. Não deixe que seja o entrevistador a ter todo o trabalho. Apóie as suas
respostas com fatos. Não dê respostas de sim e não ou de uma palavra só.
Poderá começar assim, mas a seguir continue com uma resposta mais
completa.

6. A não ser que o entrevistador faça, evite questões tabu como salários e
benefícios, já que isso fará parecer que só está interessado no pagamento
ao fim do mês e não no emprego em si. Além disso, é do seu melhor
interesse esperar até ao último momento para discutir esses assuntos.
Nessa altura, já terá informação suficiente para calcular aproximadamente
quanto vale esse cargo e qual o valor que poderá acrescentar a empresa.

A Resposta Certa

Abaixo algumas das mais comuns perguntas de uma entrevista de emprego. É


muito importante as conhecer e estar preparado para responder da melhor
maneira.

1. Fale sobre si.

Esta pergunta é quase obrigatória em uma entrevista de emprego e deverá ser


muito bem praticada para uma resposta sucinta, direta e, acima de tudo, que
valorize o seu perfil profissional.

2. Quais são seus objetivos a curto prazo? E a longo prazo?

Seja específico e tente aproximar, de alguma forma, os seus objetivos aos da


própria empresa. Respostas como "ganhar bem" ou "aposentar-se" são
totalmente proibidas.

3. O que o levou a enviar o seu currículo a esta empresa?

Aproveite esta deixa para demonstrar que fez o seu "trabalho de casa" e fale
sobre a atividade da empresa e a forma como o posicionamento desta a torna
uma empresa de elevado interesse para qualquer profissional. Naturalmente,
para responder a esta pergunta, é preciso fazer previamente uma pesquisa
sobre a empresa. Vá ao site institucional, faça pesquisas usando mecanismos
de busca, leia revistas da especialidade e converse com pessoas que
trabalham ou já trabalharam lá.

4. Qual foi a decisão mais difícil que tomou até hoje?

O que é pretendido com esta questão, é que os candidatos sejam capazes de


identificar uma situação em que tenham sido confrontados com um problema
ou dúvida, e que tenham sido capazes de analisar alternativas e
conseqüências e decidir da melhor forma.

5. O que procura num emprego?

As hipóteses de resposta são várias: desenvolvimento profissional e pessoal,


desafios, envolvimento, participação num projeto ou organização de sucesso,
contribuição para o sucesso da sua empresa, etc.

6. Você é capaz de trabalhar sob pressão e com prazos definidos?

Um "não" a esta pergunta pode destruir por completo as suas hipóteses de ser
o candidato escolhido, demonstre-se capaz de trabalhar por prazos e dê
exemplos de situações vividas em trabalhos anteriores.

7. Dê-nos um motivo para o escolhermos em vez dos outros candidatos.


Esta é sempre das perguntas mais complicadas mas o que se espera é que o
candidato saiba "vender" o seu produto. Isto é, deverá focar-se nas suas
capacidades e valorizar o seu perfil como o mais adequado para aquela função
e a forma como poderá trazer benefícios e lucros para a empresa.

8. O que você faz no seu tempo livre?

Seja sincero, mas, sobretudo lembre-se que os seus hobbies e ocupações


demonstram não só a capacidade de gerir o seu tempo, preocupações com o
seu desenvolvimento pessoal e facilidade no relacionamento interpessoal.
9. Quais são as suas maiores qualidades?

Aponte aquelas características universalmente relacionadas com um bom


profissional: pro atividade, empenho, responsabilidade, entusiasmo,
criatividade, persistência, dedicação, iniciativa, e competência.

10. E pontos negativos/defeitos?

Naturalmente que a resposta não poderá ser muito negativa, pois serão poucas
as hipóteses para um profissional que diga ser desorganizado, desmotivado ou
pouco cumpridor dos seus horários. Assim, o truque é responder partindo
daquilo que normalmente é considerado uma qualidade, mas agravando-o de
forma a parecer um "defeito". Ou seja, exigente demais, perfeccionista, muito
autocrítico, persistente demais, etc.

11. Que avaliação faz da sua última (ou atual) experiência profissional?
Não se queixe e, em caso algum, critique a empresa e respectivos
colaboradores. Diga sempre alguma coisa positiva, ou o ambiente de trabalho
ou o produto/serviço da empresa. Se começar a apontar defeitos ao seu
emprego anterior correrá o risco de o entrevistador achar que o mesmo pode
acontecer no futuro relativamente aquela empresa.

12. Até hoje, quais foram as experiências profissionais que lhe deram
maior satisfação?

Seja qual for a sua escolha, justifique bem os motivos. Tente mencionar as
mais recentes e que sejam mais adequadas aos seus objetivos profissionais.

Atitudes Que Falam

O candidato não é analisado apenas pelo que fala, também estarão olhando
objetivamente uma série de fatores que vão bem além das respostas que você
dá.

Mostrarei passo-a-passo, dicas de como agir numa entrevista de emprego,


agora o objetivo é facilitar para que você consiga não armar uma armadilha
para si mesmo, e que os entrevistadores consigam vê-lo como você realmente
é, neste momento sua atitude é crucial.

O que deve fazer além de responder as perguntas:

1. Começo firme: troque um aperto de mão firme com seu entrevistador,


mesmo que seja do sexo oposto. Se você estava sentado quando ele
entrou na sala, levante-se para apertar sua mão. Se for uma banca e
tiver até 3 pessoas, aperte a mão de todas ao chegar. Se a banca tiver
mais pessoas, aperte a mão do responsável por ela e cumprimente os
demais de forma geral. Nada de apertos de mão “moles”, e nem de
apertar em excesso – seja firme, apenas.

2. Apresente-se: sem prolongar o aperto de mão, aproveite o momento


para dizer claramente quem você é, mantendo o contato visual. Preste
atenção no que o entrevistador responder: você não deseja esquecer o
nome dele, nem pedir para que ele depois repita. Fuja de fórmulas
prontas, seja cordial. “Bom dia, meu nome é Augusto Campos, como
vai?” é uma frase muito melhor do que as inúmeras frases decoradas
que já ouvi de candidatos. Lembre-se que seu entrevistador estará
procurando não apenas um profissional competente, mas também uma
pessoa agradável de conviver e de ter em sua equipe. Não passe uma
sensação de desânimo ou abatimento. Se lhe oferecerem café ou água,
aceite, e tome ao longo da entrevista, com naturalidade.

3. Busque a sintonia: dedique o máximo de atenção à conversa com o


entrevistador. Esta é a hora da verdade – não fique olhando pela janela,
para o relógio, rabiscando (mas tomar notas pode!) ou brincando com o
lápis. Mesmo que você consiga se concentrar mantendo o olhar distante,
pense na imagem que você estará transmitindo. Mantenha a postura, e
o contato visual, de forma natural e relaxada.

4. Fale com clareza: não exagere no volume, mas também não sussurre
ou murmure. Pronuncie todas as palavras, responda em frases
completas, sem reticências. Use a voz ativa, frases afirmativas, e que
terminam com um claro ponto final, e não com reticências verbais.
Transmita confiança, determinação e certeza.

5. Saiba errar e sobreviver: Se você cometer um equívoco ou notar que


fez ou disse algo errado, saiba lidar com isso: corrija com categoria,
assuma que está “a mil” devido a ter muito interesse na vaga, e que isto
o levou a falhar, e mantenha a calma. O bom entrevistador irá valorizar a
forma como você lidou com a situação adversa, mais do que irá se
importar com o fato de você ter errado.

6. Cuidado com as piadas: Evite fazê-las. O entrevistador também deve


evitar. Mas se ele cometer alguma, mesmo se for ruim, sorria para
demonstrar que você entendeu, e por cortesia. Não ria de modo falso –
dê um sorriso, e deixe a conversa prosseguir.

7. Entenda a pergunta: Ouça a pergunta até o fim, sem interromper. E se


você não entendeu, não tente enrolar – peça que o entrevistador
esclareça, e só então responda.

8. Responda bem: Nunca tente fugir da resposta, ou enrolar. Seja claro e


direto, e responda rapidamente. Mas não exagere: quando uma
pergunta puder ser respondida apenas com um “sim”, ou um “não”,
elabore o suficiente para dizer o motivo ou complementar sua resposta.
Demonstre seu interesse e iniciativa. Jogue limpo: diga a verdade, não
fuja de temas espinhosos, e jamais fale mal de sua antiga empresa ou
empregadores anteriores.

9. Faça perguntas: ao final da entrevista, em geral você ouvirá um convite


a fazer suas próprias perguntas. O entrevistador espera ouvir perguntas
sobre salário, horário e benefícios, mas você pode surpreendê-lo
positivamente fazendo uma pergunta objetiva sobre a atividade
desempenhada, a situação do mercado ou mesmo sobre como começou
a carreira do próprio entrevistador nesta mesma empresa, se ele tiver se
identificado como trabalhando na mesma área onde é a vaga. Mesmo
que não seja aberto o espaço para perguntas, você pode fazê-las com
segurança ao se despedir – mas não seja invasivo!
10. Despeça-se com cortesia: pode ser sua última oportunidade de
garantir uma impressão positiva. Despeça-se com um sorriso,
demonstrando sua tranquilidade e segurança. Cumprimente o
entrevistador, agradeça o seu tempo, e NÃO procure confirmar neste
momento os seus contatos, a não ser que o entrevistador solicite – eles
precisam estar corretos no currículo que você enviou, e do qual você
deve ter cópias à mão, para o caso de ser solicitado.

Estagio não é Escola

Quando for participar ou se estiver participando de um processo seletivo,


ou de seu primeiro emprego através de um estágio, saiba o que você pode
oferecer para a empresa. Não vá para aprender, mas para contribuir. A
empresa quer resultados e não é uma escola. Com certeza você aprenderá
muito na organização e obterá excelentes experiências, mas isso deverá ser
conseqüência de seu trabalho e não apenas um processo de aprendizado.
Conceito e técnicas de marketing pessoal

O Marketing Pessoal é como o Marketing de algum produto ou serviço,


no conceito de criar uma imagem para promover alguma coisa que vai ser
consumida ou contratada, porém você está tratando de você mesmo, o
marketing pessoal é uma maneira de se promover ou se colocar no mercado
de trabalho.

O Marketing Pessoal antigamente não era tratado com importância, ele


surgiu quando chegou uma época em que existiam muitos candidatos
qualificados e nivelados então era necessário o primeiro livro que tratava
exclusivamente do assunto marketing pessoal foi publicado em no Brasil em
1993 por Pedro Carvalho Neto, intitulado Marketing Pessoal -
O posicionamento pessoal através do marketing.

Apresentarei quatro fases para se fazer o bom marketing pessoal.

1 - Criar uma imagem pública profissional, a boa imagem do profissional


é um dos elementos mais importantes para o êxito de sua carreira no mercado
de trabalho. Tome cuidado com seus perfis e blogs na internet e atente a sua
relação com todos.

2 - Estabeleça o maior número possível de contatos pessoais do cunho


profissional. As pessoas dependem das outras para seu sucesso profissional.
Selecione seus relacionamentos e programe-os para a obtenção dos
resultados desejados.

3 - Preparar-se para a venda propriamente dita do profissional, o que


implica, novamente, em trabalho de preparação para se apresentar e
conquistar uma posição, causando sempre boa impressão.

4 - “Marketing significa conquistar e manter os clientes”. Por isso, é


preciso ter permanente preocupação com a satisfação dos clientes atuais,
sejam diretos ou indiretos. Não basta estar empregado, importa manter de
forma permanente o perfil empreendedor, de comprometimento com o
empregador, de responsabilidade, de preocupação com os resultados
esperados pelo cliente, ou seja, o seu empregador seja em dependência direta
ou indireta.

E quem ainda não entrou no mercado de trabalho, precisa preparar-se


atentamente para enfrentá-lo. Não basta possuir conhecimento, ter capacidade.
É preciso fazer o jogo do mercado que quer gente talentosa, competente, mas
também capaz de relacionar-se com outros, de trabalhar em equipe; gente
empreendedora, criativa, emocionalmente equilibrada. Não basta mais ser
inteligente, é preciso também controlar as emoções, saber viver com alegria,
em harmonia com seus parceiros de trabalho.

Todos sabem que as empresas preocupam-se por demais com a criação


e a manutenção de uma imagem institucional sobre si própria e seus produtos.
Gastam fortunas para atingirem esse objetivo, criando marcas próprias,
logotipos, adotando cores exclusivas em suas logomarcas e, principalmente,
fazendo campanhas para que todos percebam sua presença no mercado e
tenha para com elas boa vontade, comprando de modo permanente seus
produtos ou contratando seus serviços.

Com as pessoas, acontece o mesmo. Precisam cuidar bem de sua


imagem, tanto pessoal como profissional. A imagem de uma pessoa está ligada
a seu conhecimento, a seu comportamento, as suas atitudes, ao sucesso de
seus empreendimentos. Inclui o modo de agir, de se apresentar, as roupas que
veste, as cores que usa, o modo de falar, de se manifestar, de andar; postura
ereta ou não, fisionomia alegre, triste ou abatida, e forma de se relacionar com
os outros.

Tudo isso está fundamentado no princípio de que nos comunicamos


muito mais com o mundo exterior a nós com nossa forma física; é ela que leva
as pessoas a perceberem quem somos e a criarem a imagem que têm de nós,
exatamente a partir de nossa forma de agir.

O agir reflete o interior da pessoa, projeta sua imagem que pode ser
falsa ou verdadeira, boa ou má. Enganam-se quem pensa que os outros não
percebem os seus disfarces, quando se pretende projetar aquilo que a pessoa
não é. Todos observam as expressões faciais, o tom de voz, as roupas, o
penteado, a cor dos cabelos e até os sapatos. Exatamente como fazemos com
os outros, observamos a pessoa e fazemos uma imagem dela pelas
informações que nos passa pela linguagem do corpo.

Como proceder?

A primeira coisa a fazer é analisar o seu comportamento, as suas


atitudes. Como se veste se comporta, se relaciona com os outros. Em seguida,
considere qual a imagem que você quer projetar de si próprio: como quer ser
visto, ser percebido. Para isso, seja curioso, observe como os outros se
comportam na vida pessoal, no trabalho. Faça seu benchmarking. Aprenda
com os outros. Aceite as críticas que recebe e peça até a seus amigos para
contribuírem com suas observações sobre a imagem que você projeta sobre
você mesmo.

Comece, então, a mudar sua postura, sendo sempre autêntico, não


caindo no erro de querer demonstrar imagem daquilo que não é. Você não vai
virar outra pessoa, nem renegar seus valores. Vai precisamente redirecionar
tudo isso de forma planejada, para conseguir seus novos objetivos.

Imagem não é macete, jogo, truque ou mentira, nem um substituto para


conhecimento e habilidade. Ela é uma ferramenta de comunicação, uma parte
de seu pacote de habilidades e um outdoor que anuncia quem você é, o que
você faz e quão bem o faz.

Toda essa “produção” é necessária para poder conseguir seu objetivo:


projetar sempre uma imagem positiva de você mesmo, ou começar a fazer
esse trabalho o mais rápido possível para preservar o emprego ou para
conquistar novo trabalho. Essa imagem positiva é que irá garantir que você
deixará sempre nas pessoas aquela primeira boa impressão que fica, como
característica de sua personalidade.
Os 10 mandamentos do marketing

Vou citar agora 10 mandamentos, 10 características que você deve ter,


ensinados por Max Gehringer (administrador de empresas e escritor, autor de
diversos livros sobre carreiras e gestão empresarial):

1 - Liderança - Habilidade maior de influenciar os outros, seja um formador de


opiniões.

2 - Confiança – Seja a pessoa que é procurada para dar uma informação


correta ou para assumir uma responsabilidade importante.

3 - Visão – Entenda o que está fazendo, se interesse, invista seu trabalho,


proponha idéias. Procure tem pequenas idéias, uma por dia, que produza
alguma coisa, muita gente fica esperando para ter a grande idéia na vida de
200 milhões de reais e perde a oportunidade de ter a pequena idéia de cada
dia.

4 - Espírito de equipe – Ofereça ajuda sem ser solicitado.

5 - Maturidade – Saiba solucionar conflitos sem gerar mais conflitos.

6 - Integridade – Faça o seu trabalho sem prejudicar ninguém e não seja


excessivamente ambicioso.

7 - Visibilidade – Seja o primeiro a levantar a mão quando o chefe for executar


uma tarefa.

8 – Empatia – Saiba elogiar o trabalho de um colega e reconhecer o mérito dos


outros.

9 – Otimismo – Sempre pense positivo, procure o lado bom das coisas e tire
proveito das oportunidades.

10 - Paciência – De todas as qualidades que podemos ter, essa é talvez a que


se agente não ter vai nos prejudicar mais.
Evidentemente não adianta ter tudo isso se o funcionário não consegue
fazer o que ele foi pago para fazer, promover bons resultados a curto prazo.

Basta fazer o que aprendeu em casa, respeite o próximo. Numa


empresa séria e consequentemente grande ou pelo menos com o futuro
garantido de certa forma, quem tem marketing pessoal recebe atenção da
chefia e apoio dos colegas. Numa empresa medíocre a mesma pessoa pode
ser vista como uma ameaça, num caso assim, não adianta tentar mudar a
empresa, é mais sábio mudar de empresa.
Comunicação em Público

Oratória é a arte de como falar em público ou o conjunto de regras e


técnicas que permitem pessoas ser comunicar em publico.

Comunicação em publico não significa que um palestrante chega


falando ou lendo um texto em tom alto e sem gagueja ele seria um orador.

A comunicação é uma necessidade indispensável à natureza humana.


Por meio da comunicação imprimimos nossa marca, nossa raiz, nosso chão e
deixamos patente o nosso lugar no mundo, mas a comunicação não vem só de
palavras ela tem grande parte nos Gestos, atos até mesmo presente no
silêncio. Cada vez mais a comunicação em publico esta ser tornado comum
nas nossas vidas tanto na vida social quanto na vida profissional. Mas para
uma pessoa fala em publico não precisa ser um palestrante profissional.

A comunicação em publico para ser bem desenvolvido a pessoa precisa


de ter segurança, auto-estima, ter o planejamento da palestra e esta preparada
pelo menos uma semana antes, saber controlar e não transparecer o
nervosismo, preste atenção na platéia e saber todo o assunto da palestra.

Para a oratória ficar mais fácil veja algumas dicas:

-Tente reproduzir as condições da apresentação para tornar mais real o ensaio;

-Identifique seus pontos fracos e também os positivos;

-Treine o improviso, sem uso de roteiros, para inspirar mais credibilidade diante
da platéia;

-Pratique usando gestos, variando a intensidade da voz e a velocidade, as


pausas, depois decida qual o modo ideal de comunicar determinado ponto;

-Cronometre sempre o discurso;


Os vícios de linguagens
Né?, Tá?, Ok?, Entende?, Percebe?, Fui claro?;
Ããããã, Ééééé, Hummm, Bommm, Bemmm;
Causas:
Esqueceu o que dizer;
Sabe o que dizer, mas não encontra uma maneira e esforce-se para
pensar em silêncio.

Medo e Nervosismo

Isto é bom porque nos mantém atentos. Uma pessoa totalmente segura
correrá o risco de se tornar negligente. Excesso de confiança pode deixar uma
pessoa arrogante. Trabalhe para controlar o medo, não para eliminá-lo.

Motivos do medo mais comuns:

Falta de autoconhecimento;
Falta de conhecimento sobre o assunto;
Falta de prática;
C.H.A.

CONHECIMENTOS HABILIDADES ATITUDES


PAPÉIS
(SABER) (SABER FAZER) (QUERER
FAZER)

APRESENTADOR/ • Técnicas de • Aplicação dos • Querer


planejamento conhecimentos planejar
PLANEJADOR • Conhecimento da • Automotivação
realidade • Organização
• Perfil do público- • Criatividade
alvo • Sensatez
• Conteúdo a ser
exposto • Auto-análise
• Utilização de
recursos
audiovisuais

• Técnicas de
apresentação

APRESENTADOR/ • Técnicas de • Liderança • Querer se


comunicação • Identificação dos comunicar
COMUNICADOR verbal e não- tipos de
verbal participantes
• Definição dos • Auto-análise
tipos • Empatia
característicos de
participantes
• Sinergia

• Técnicas de
controle da
emoção

APRESENTADOR/ • Técnicas de • Percepção das • Querer


avaliação: reações do grupo avaliar
AVALIADOR • Reação.

• Resultados.
Redação Empresarial

Para muitos a redação empresarial trata-se de, dentro de uma empresa,


apenas da montagem de um relatório, uma ata, um memorando, uma carta
formal ou informal e etc. Vendo este ponto de vista é correto afirmar que ele
está incorreto, pois está incompleto.

Uma redação empresarial é, principalmente, uma forma de


comunicação, ou seja, a transmissão de uma mensagem, informação,
geralmente uma pessoa física escolhida para representar uma pessoa jurídica
(que seria a transmissora da informação) para outra pessoa, podendo ela
também ser física ou jurídica (receptora da informação).

Para esta área, maioria das vezes, tem-se um ou mais funcionários


designados diretamente as mesmas, chamados redatores. O profissional que
sabe redigir com qualidade usando com propriedade a norma culta da Língua
Portuguesa domina Redação Empresarial. A função do redator é passar uma
mensagem de sua empresa para seus funcionários, tendo em mente o
desenvolvimento da mensagem a ser enviada e a forma como esta será
escrita. No caso da escrita temos duas formas de linguagem: formal e informal.
Sendo utilizada neste processo a linguagem formal, de maneira objetiva,
correta e concisa.

Modalidades da correspondência comercial:

- Carta;

- Mala direta;

- E-mail;

- Relatório;

- Ata;

- Aviso;
- Recibo;

- Telegrama;

- Currículo;

Modalidades da Correspondência Oficial:

- Atestado

- Declaração

- Ofício

- Procuração

- Requerimento
Conclusão

Estar por dentro dos conceitos da gestão empresarial e exclusivamente


desenvolvendo o potencial de empregabilidade é a melhor e essencial forma de
se manter no mercado de trabalho ativo.

Este trabalho foi tão importante para nós quanto para nossa turma. Para
nosso grupo da forma como estamos sendo designados a fazer tais trabalhos
nos preparando para um futuro próximo, e para nossa turma da forma que lhe
transmitimos tais informações de forma simples e objetiva, fazendo com que
assim entendam mais facilmente o conteúdo.
Cronograma de Desenvolvimento

ETAPAS SEMANAS

1 2 3

Distribuição de Tarefas e X
Pesquisas

Digitação e revisão X

Impressão e encadernação X
Referências Bibliográficas

Apostilas:

MARIA, Ana; PEREIRA, Alessandra; RAMOS, Jofre - Gestão Empresarial. Rio


de Janeiro, ETERJ, 2010.

Livros:

GEHRINGER, Max – Acerte na entrevista e no currículo. São Paulo, Gold,


2008.

Documentos Eletrônicos:

GEHRINGER, Max – Marketing Pessoal. Fantástico. Disponível no endereço


eletrônico http://www.youtube.com.

PERSONA, Mario - Fazendo seu Marketing Pessoal. Disponível no endereço


eletrônico http://www.youtube.com.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Empregabilidade

http://www.guiarh.com.br/x6.htm

http://www.administradores.com.br/aperfeicoamento/cursos-online/redacao-
empresarial/46/

http://www.baguete.com.br/colunistas/colunas/61/maria-rita-
quintella/19/07/2006/principais-problemas-da-redacao-empresarial

http://www.girhusrh.com.br/tecnicas.html

http://pt.wikipedia.org/wiki/Marketing_pessoal

http://www2.metodista.br/agenciarp/marketingpessoal_texto3.htm