Você está na página 1de 38

FIGURAS DE

LINGUAGEM
recursos estilísticos e expressivos, ou seja, “as técnicas de linguagem e
pensamento que podem ser usadas para construir discursos eficazes”, de
acordo com Culler (1999).

Aspectos: semânticos
fonéticos
sintáticos
▪ FIGURAS DE PALAVRAS: se relacionam com a
significação das palavras.
▪ FIGURAS DE PENSAMENTO: dependem da
interpretação do contexto.
Classificação: ▪ FIGURAS DE SOM: efeitos sonoros produzidos na
frase.
▪ FIGURAS SINTÁTICAS OU DE CONSTRUÇÃO:
dependem da construção sintática.
FIGURAS DE
PALAVRAS
COMPARAÇÃO aproximação entre dois elementos

OU SÍMILE: comparação explícita


uso explícito de nexos ou conjunções
(como, igual, que nem, tal qual)

universos diferentes

❖EXEMPLO:
“ Eu faço versos como que chora
De desalento... De desencanto”
Trecho adaptado do poema Desencanto, de Manuel Bandeira
METÁFORA
semelhança de sentido
: comparação subjetiva/implícita

espécie de metáfora
metáfora corriqueira/comum/de uso popular

utilizada para designar algo para


qual não existe palavra com sentido
próprio

❖EXEMPLOS DE CATACRESE:
COSTAS DA CADEIRA
MANGA DA CAMISA
substituição de um termo por outro
relação de sentido, semelhança e lógica
relação que depende da realidade
semelhança objetiva

relação de proximidade
substituição do todo pela parte e vice-versa
ampliação ou redução do sentido usual de uma palavra

substituição de um nome por uma característica ou feito


EXEMPLOS DE METONÍMIA:
“Lemos Machado com interesse.”
“Cadê a gilete que eu deixei no banheiro?”
“Sócrates tomou a morte.”
“Ontem à noite, tomamos uma garrafa de vinho tinto.”
EXEMPLOS DE SINÉDOQUE:
“Eles não têm um teto para morar.”
“Quanto mais o Homem constrói, mais o Homem destrói.”
EXEMPLOS DE ANTONOMÁSIA:
O pai da aviação = Santos Dumont
O rei do futebol = Pelé
O Criador = Deus
O poeta dos escravos = Castro Alves
“Esta chuvinha de água viva esperneando luz e ainda com gosto de mato longe,
meio baunilha, meio manacá, meio alfazema.”
Eça de Queirós

Era uma vez


Um lugarzinho no meio do nada
Com sabor de chocolate
E cheiro de terra molhada
Toquinho part. Sandy e Junior

“Indefiníveis músicas supremas,


Harmonias da Cor e do Perfume...
Horas de Ocaso, trêmulas, extremas,
Réquiem do Sol que a Dor da luz resume...”
Cruz e Souza
associação dos cinco sentidos básicos (paladar, olfato,
audição, tato e visão)
FIGURAS DE
PENSAMENTO
contraposição de um termo ou expressão a outra de sentido oposto

EXEMPLO:
“Eu, que sou cego – mas só peço luzes...
Que sou pequeno, - mas só fito os Andes...”

Castro Alves
EXEMPLO:
“É um contentamento descontente
É dor que desatina sem doer”
Camões

intensificação da antítese
confronto de dois termos que se excluem
contradição entre si
reunião de ideias contraditórias num só pensamento

harmoniza conceitos expostos

EXEMPLO DE OXIMORO:
Neve ardente
EXEMPLOS:
“O ônibus leva uma eternidade para chegar.”
“Esta mala pesa uma tonelada.”
“Estou morrendo de fome e sede!”
“Ela chorou um balde de lágrimas.”
“Você leva anos para se arrumar!”

linguagem conotativa
afirmação exagerada
irreal
EXEMPLOS:
“ E fizeste isto durante vinte e três anos [...] até que um dia deste o grande mergulho nas
trevas [...]
Machado de Assis

“Para o porto de Lúcifer”


Gil Vicente

“Era uma estrela divina que ao firmamento voou!”


Álvares de Azevedo

suavização de termos ou expressões desagradáveis


intuito de não chocar o interlocutor
forma de expressar mais amena
dizer algo contrário ao que se pensa
sarcasmo
reconhece-se pela entonação ou contexto
EXEMPLO:
EXEMPLO:
sequência de palavras, frases ou expressões
relacionada com a enumeração
de maneira acumulativa
exposição de ideias de forma crescente (clímax) ou
decrescente (anticlímax)
intensificando ou atenuando

EXEMPLO:
“ Já se supunha um príncipe, um gênio, um deus, mas que caiu nas alturas,
rodopiou no ar e estatelou-se no abismo.”
Machado de Assis
atribuição de ações, qualidades ou sentimentos a seres inanimados

EXEMPLO:
“[…]
Os letreiros a te colorir
...também posso ver
As vitrines te vendo passar.

As Vitrines – Chico Buarque de Holanda


EXEMPLOS:
"Não vos direi, pois, senhores, quão grandes e quão afortunados foram seus
feitos na paz e na guerra, por terra e por mar [...]." (Cícero)
FIGURAS DE
SOM
repetição das mesmas consoantes ou semelhantes

EXEMPLO:
“Boi bem bravo, bate baixo, bota baba, boi berrando...”
Guimarães Rosa
repetição das mesmas vogais/sílabas ou semelhantes

EXEMPLO:
“Ó formas alvas, brancas, formas claras.”
Cruz e Sousa
palavras com som semelhante
diferentes significados

EXEMPLO:
“Levou seu retrato
Seu trapo, seu prato...”
Chico Buarque
EXEMPLOS:

termos que tentam imitar determinados


sons (voz, ruídos)
FIGURAS
SINTÁTICAS OU DE
CONSTRUÇÃO
inverte-se a ordem dos termos
inversão da ordem natural das palavras na frase ou da frase no período
intenção de destacar
enfatizar a rima
produzir efeito de surpresa

EXEMPLO:
“Ó mar salgado, quando do teu sal
São lágrimas de Portugal
[...]
Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
Mas nele é que espelhou o céu.

Fernando Pessoa
repetição simétrica
termos invertidos

EXEMPLO:
“Cheguei. Chegaste. Vinhas fatigada.
E triste, e triste e fatigado eu vinha.”
Olavo Bilac
repetição da mesma palavra/construção no início de orações, períodos
ou versos

retomada de termos já expressos, por meio de pronomes


demonstrativos/relativos

EXEMPLO:
“A vós pregados pés, por não deixar-me
A vós, sangue vertido, para ungir-me,
A vós, cabeça baixa, para chamar-me.
Gregório de Matos
antecipação de termos, por meio de pronomes
geralmente, utilizada para causa surpresa ou avivar a
expectativa

EXEMPLO:
“Minha mãe um dia me disse isto: ‘meu filho, não maltrate os animais’.”
a concordância é feita de acordo com a ideia, não com as palavras

concordância com um termo subentendido

de gênero/número/pessoa

EXEMPLOS:
“Salvador é muito movimentada.”
“Os Lusíadas é uma homenagem ao povo português.”
“A multidão assistia satisfeita, aplaudiam e acreditavam.”
uma repetição ou uma retomada
sem ela a frase permaneceria com sentido sintático e
semântico

serve para avivar a expressão

EXEMPLO:
“Mas as coisas ditas, mesmo se as não fitas, essas ficarão.”
Carlos Drummond de Andrade
antecipação de um termo sintaticamente desligado da oração

dá-se um desvio da ordem lógica

mudança de construção sintática, no meio do enunciado

EXEMPLOS:
“Eu, toda vez que chego, você me chama pra conversar.”
“umas carabinas que guardava atrás do guarda-roupa, a gente brincava com elas de
tão imprestáveis.”
omissão de um termo

termo subentendido pelo contexto

quando o termo omitido é um verbo


faz um termo já expresso participar de dois ou mais enunciados

EXEMPLOS:
“Não sou alegre, nem triste...”
Cecília Meirelles

“No mar, tanta tormenta e tanto dano.”


Camões
omissão intencional da conjunção

EXEMPLO:
Tem que ser selado, registrado, carimbado, avaliado, rotulado, se quiser voar
Pra lua, a taxa é alta
Pro sol: identidade
Mas para o seu foguete viajar pelo universo é preciso o meu carimbo dando o sim, sim, sim,
sim
Raul Seixas
repetição expressiva do conectivo/conjunção

EXEMPLO:
Enquanto os homens exercem seus podres poderes
índios e padres e bichas, negros e mulheres
E adolescentes fazem o carnaval
Caetano Veloso