Você está na página 1de 13

Introdução

Síntese de óxido ácido

Os óxidos ácidos são aqueles óxidos que ao reagirem com a água produzem um
ácido como produto. Já ao reagir com uma base, os produtos serão sal e água.

Esses compostos normalmente apresentam caráter covalente, isto é, são


moleculares, sendo solúveis em água e formados em sua maioria por ametais,
que são elementos com alta eletronegatividade. Quando formados por metais,
esses possuem números de oxidação (carga elétrica) elevados.

Exemplos:
CO2, SO2, SO3, P2O5, Cl2O6, NO2, N2O4, N2O5, etc.
A seguir temos o esquema geral das reações características para os óxidos
ácidos e um exemplo:

Óxidos ácidos reagindo com água e com base.

Os óxidos ácidos também são denominados anidridos, porque essa palavra vem
do grego anhydros, que significa “sem água”, e os óxidos ácidos podem ser
considerados um “ácido sem água”.

Propriedades e aplicações de alguns óxidos ácidos:

• Dióxido de carbono (gás carbônico) – CO2:

Esse composto é utilizado como gás de refrigerantes e em águas minerais, pois


quando submetido a altas pressões, torna-se solúvel em água. Ele produz nesses
produtos um meio ácido, pois é um óxido ácido que reage com a água,
produzindo um ácido, conforme a reação abaixo:

Abaixo de 78ºC, ele se encontra no estado sólido e é conhecido como gelo-seco,


que recebe esse nome porque seu aspecto lembra o gelo comum, porém ele não
se derrete, passando para o estado líquido em temperatura ambiente, mas passa
para o estado de vapor, ou seja, ele sublima. Assim, essa característica é usada
como recurso cênico em shows, filmes, teatros, festas, etc.

Ele também é encontrado na atmosfera, como resultado da respiração humana,


da queima de combustíveis fósseis (carvão, derivados do petróleo, álcool, etc.) e
queimadas de florestas. Assim, ele é um dos responsáveis pela chuva ácida.

• Óxidos de enxofre – SO2 e SO3

Esses óxidos também estão presentes na atmosfera, sendo de origem natural e


artificial. A natural se dá por meio das erupções vulcânicas e da decomposição de
vegetais e animais. Já a artificial corresponde à maior parcela de quantidade
desses óxidos na atmosfera, pois são expelidos pela queima de combustíveis
fósseis, principalmente o óleo diesel, que contém enxofre como impureza.

O dióxido de enxofre (SO2) reage com o oxigênio da atmosfera produzindo o


trióxido de enxofre (SO3). Ao reagir esse último óxido com a água da chuva,
forma-se o ácido sulfúrico, que é muito forte e causa estragos.
• Queima do enxofre dos combustíveis: S + O2 → SO2
• Transformação de SO2 em SO3: SO2 + ½ O2 → SO3
Reações de SO2 e SO3 com água originando ácidos: SO 2 + H2O → H2SO3
SO3 + H2O → H2SO4
• Tetróxidos de dinitrogênio (anidrido nitroso-nítrico) – N2O4

Esse composto tem ponto de ebulição igual a 22ºC, possui coloração amarela e é
bastante volátil. É formado na atmosfera pela oxidação do nitrogênio e pode
apresentar-se na forma líquida, na forma de um dímero do dióxido de
mononitrogênio ou óxido nítrico (NO2). Acima dessa temperatura, adquire a forma
do NO2:
N2O4 ↔ NO2
É um gás extremamente tóxico, sendo sua inalação fatal. É também usado na
composição de combustíveis para foguetes.
Síntese de óxido básico

Os óxidos básicos são aqueles que ao reagirem com a água dão origem a bases.
Já quando reagem com um ácido dão origem a sal e água.

Óxidos básicos reagindo com água e com ácido.


Por exemplo, temos o óxido de sódio (Na2O), que é um óxido básico. Veja a
seguir que, ao reagir com a água, ele forma a base hidróxido de sódio:

Se esse mesmo óxido reagir com um ácido, como o ácido sulfúrico (H 2SO4), será
produzido um sal (sulfato de sódio) e a água.

Se um óxido básico reagir com um óxido ácido, também se produz um sal, porém
sem a água.

Conforme o exemplo mostrado, os outros óxidos básicos também são compostos


iônicos, sendo formados na sua maioria por metais, elementos que são altamente
eletropositivos, apresentando normalmente a “carga” igual a +1 ou +2.

Exemplos:

Na2O = Na1+
K2O = K1+
CaO = Ca2+
MgO = Mg2+
Esses compostos apresentam pontos de fusão e ebulição elevados e todos
encerram o ânion oxigênio (O2-).

Aplicações de alguns óxidos básicos:


• CaO: Óxido de cálcio
Esse composto é normalmente conhecido como cal virgem. Ao reagir com a
água, conforme a reação a seguir, forma-se uma base (hidróxido de cálcio) que é
usada para pintar paredes, troncos de árvores e outros materiais, com a principal
finalidade de repelir insetos, preservar a vedação e evitar a infiltração da água.
Essa base formada é chamada de cal hidratada e, por isso, quando se pinta com
ela, dá-se o nome de pintura de caiação.

• K2O: Óxido de potássio

O óxido de potássio é normalmente encontrado em cinzas de madeira e de


cigarros. Ao reagir com água, ele forma a base hidróxido de sódio (NaOH),
utilizada na fabricação de sabões. Inclusive, antigamente, em locais onde não
havia o NaOH, usavam-se cinzas vegetais, que continham K2O, para reagir com
gorduras e produzir o chamado “sabão de cinza”.

Reações químicas: dupla troca

Reações de dupla troca ocorrem entre dois reagentes compostos originando dois
produtos compostos, veja a equação que representa:

AB + CD → AD + BC

Para que esta reação aconteça é necessário que um dos produtos (AD ou BC),
quando comparado aos reagentes, se apresente menos ionizado, mais volátil ou
insolúvel.

1. Produto menos ionizado: é o produto menos dissociado, ou seja, mais fraco.


A Neutralização é um exemplo de reação que dá origem a esse tipo de produto:

HCl(aq) + NaOH(aq) → NaCl(aq) + H2O(l)

A reação entre o Ácido clorídrico (HCl) e a base Hidróxido de sódio (NaOH) é


considerada dupla troca porque o produto H2O é menos ionizado (+ fraco) que os
reagentes (HCl e NaOH).

2. Produto mais volátil: a reação se caracteriza pela formação de um gás. Um


exemplo deste tipo de reação é a que ocorre entre o sal carbonato (CO 2-3) e um
ácido. Equação do processo:

2H+(aq) + CO3-2(aq) → CO2(g) + H2O(l)


Um dos produtos formados é o gás carbônico CO2(g), e como este produto é mais
volátil que os reagentes, a reação se classifica como dupla troca.

3. Produto Insolúvel: este produto pode ser obtido da reação entre Nitrato de
chumbo [Pb (NO3)2] e Iodeto de sódio (NaI).

[Pb (NO3)2] (aq) + 2 NaI(aq) → PbI2 (s)

Repare que os reagentes [Pb (NO3)2] e NaI são soluções aquosas que dão origem
a um produto sólido PbI2 , é justamente este fator - a formação de um precipitado
ao final do processo - que caracteriza a Reação de dupla troca.

Observação: Esta reação é a mais fácil de ser visualizada em razão da presença


do precipitado sólido que se deposita no fundo do recipiente.

Objetivo
Experimento um:
Sintetizar um óxido ácido e um óxido básico
Identificar o caráter ácido e básico destes óxidos quando os mesmos reagem com
a água
Experimento dois:
Prever com auxilio da tabela de solubilidade, as reações que ocorrem com
formação de precipitado.

Materiais
Enxofre;

Erlenmeyer de 250mL;

Rolha;

Dispositivo de combustão;

Bico de Bünsen;

Água destilada;

Fita de magnésio;

Pinça metálica;

15 tubos de ensaio;

Ácido clorídrico (HCl);


Hidróxido de sódio (NaOH);

Fenolftaleína;

Vermelho congo;

Nitrato de chumbo (Pb(NO3)2);

Iodeto de potássio (KI);

Hidróxido de amônio (NH4OH);

Cloreto de bário (BaCl2);

Cromato de potássio (K2CrO4);

Procedimentos
 Experimento 1:
Primeiramente adicionou-se cerca de 100mL de água destilada em eu
erlenmeyer de 250mL, em seguida colocou-se uma pequena quantidade de
enxofre em um dispositivo de combustão e iniciou a queima com a ajuda do bico
de Bünsen, usando a chama azulada, depois da queima levou o dispositivo com o
enxofre para o erlenmeyer com água destilada, e vendando-o com uma rolha.
Deixou prosseguir a queima no erlenmeyer até que a chama fosse extinta.

Em seguida fixou-se uma fita de magnésio na pinça metálica e a levou para a


chama do bico de Bünsen e deixou queimar totalmente, evitando a perda das
3
cinzas, depois transferiu a cinza para um tubo de ensaio contendo cerca de de
4
água destilada e agitou-se a solução para dissolver o material sólido.

Dispôs-se de duas séries (A e B) de cinco tubos de ensaio cada e depois foi


enumerado de 1A – 5A e de 1B – 5B. Nos tubos 1A e 1B foi adicionado cerca de
3mL de água destilada; nos tubos 2A e 2B foram adicionados cerca de 3mL de
uma solução de 0,1 mol/L de HCl; nos tubos 3A e 3B foram adicionados cerca de
3mL de uma solução de 0,01mol/L de NaOH; nos tubos 4A e 4B, 3mL de solução
do enxofre e água e nos tubos 5A e 5B, 3mL de solução de magnésio e água.
Depois foi adicionado duas gotas do indicador fenolftaleína aos tubos da série A e
duas gotas do indicador vermelho congo nos tubos da série B.

 Experimento 2:
Dispôs se de 4 tubos de ensaio numerados de 1 a 4. Adicionou-se cerca de
3mL de cada solução para cada tubo de ensaio. No tubo 1 adicionou-se o
Pb(NO3)2 e o KI; no tubo 2 NH4OH e o HCl; no tubo 3 NaOH e BaCl2, e por fim, no
tubo 4 K2CrO4 e BaCl2.

Resultados e discussões
Experimento 1:
Após a fundamentação teórica foram aplicado em pratica a síntese do oxido acido
e do oxido básico. Sendo a síntese oxido acido a formação gás SO2(g)- dióxido
de enxofre- formado da combustão do enxofre em contato om o ar, que reagiu
com agua formando o oxido acido H2SO3(aq)- acido sulforoso-. Já no
experimento da síntese do oxido básico temos que a combustão da fita de
magnésio reagindo com oxigênio do ar formou MgO- oxido de magnésio- que
reagiu com a agua formando uma base hidrogenada Mg(OH2) que `e classificado
como oxido básico. Representados a seguir as reações:

S(s) + O(g) —> SO2(g)


SO2(g) + H2O(l) <—> H2SO3(aq)
Mg(S) + O2(g) —> MgO(s)
MgO(s) + H2O(l) —> Mg(OH)2(aq)

Queima de enxofre

Enxofre gasoso em reação com a água em sistema fechado


Queima da fita de magnésio

Oxido de magnésio reagindo com a água

Sendo assim, foram separados cinco tubos de ensaio nos quais possuíam agua
destilada, acido clorídrico (HCl), hidróxido de sódio (NaOH), a síntese do oxido
acido (H2SO4 ) e a síntese do oxido básico (Mg(OH)2), onde cada qual foi
adicionado duas gotas de identificador fenolftaleína adquirindo as seguintes
cores: incolor, incolor, rosa, incolor e rosa claro, respectivamente. Além disso, foi
repetido a primeira parte do experimento, mas adicionando duas gotas de
identificador vermelho congo obtendo cada qual a coloração laranja, azul, laranja,
azul e laranja clara, respectivamente. Então, foi possível identificar que as
sínteses são realmente acidas e básicas.
Experimento 2:
Para a realização do experimento de dupla troca foi separado quatro tubos de
ensaios, no qual misturou nitrato de chumbo (Pb(NO3)2) com iodeto de potássio
(KI). No outro tubo foi misturado hidróxido de amônia (NH4OH) com ácido
clorídrico (HCl). No terceiro tubo foi misturado hidróxido de sódio (NaOH) com
cloreto de bário (BaCl2). No último tudo de ensaio, foi utilizado cromato de
potássio (K2CrO4) com cloreto de bário (BaCl2). Abaixo estão representadas as
equações na forma molecular, iônica completa e iônica liquida, respectivamente:

Tubo 1:
Pb(NO3)2(aq) + 2KI(aq) <—> PbI2(aq) + 2KNO3(aq)
Pb2+(aq) + 2NO-3(aq) + 2K(aq) + 2I-(aq) <—> PbI2(s) + 2No-3(aq)
Pb2+(aq) + 2I-(aq) <—> PbI2(s) + 2No-3(aq)

Tubo 2:
NH4OH(aq) + HCl(aq) <—> NH4Cl(aq) + H2O(aq)
NH+4(aq) +OH-(aq) + H-(aq) +Cl-(aq) <—> NH+4(aq) +OH-(aq) + H-(aq) +Cl-(aq)
NH+4(aq) + Cl-(aq) <—> NH4Cl(aq) + H2O(aq)

Tubo 3:
2NaOH + BaCl2 <—> 2NaCl + Ba(OH)2
2Na+(aq) + 2OH-(aq) + Ba2+(aq) + 2Cl-(aq) <—> 2Na+(aq) + 2Cl-(aq) + Ba2+(aq)
+ 2OH-(aq)
2NaOH + BaCl2 <—> 2NaCl(s) + Ba(OH)2(aq)

Tubo 4:
K2CrO4(aq) + BaCl2(aq) <—> 2KCl(aq) + BaCrO4(aq)
2K+(aq) + CrO-4(aq) + Ba+(aq) + 2Cl-(aq) <—> 2K+(aq) + 2Cl-(aq) + Ba+(aq) +
CrO-4(aq)
K2CrO4(aq) + BaCl2(aq) <—> 2KCl(s)+ BaCrO4(aq)
Observou-se que no Tubo um, forma-se PbI2, que por ser insolúvel em água
precipita, e KNO3, que é solúvel em água. A solução tornou-se amarelo.
No Tubo dois, observou-se que para a solução de H2O com NH4Cl, obteve-se
solução incolor e sem precipitado, pois o Cloreto de Amônio é solúvel em água.
No Tubo três, houve precipitado branco correspondente ao sal NaCl formado
durante a reação, e solução incolor.
No tubo quatro, observou-se a formação de uma solução amarela clara, pois há
precipitação do BaCrO4 que é amarelo.

Conclusão

Sendo assim, foi atingido o objetivo que era a de: sintetizar um óxido ácido e um óxido
básico e identificar o caráter ácido e básico destes óxidos quando os mesmos reagem
com a água pela comparação da coloração após adicionar identificador fenolftaleína e
vermelho congo em meio acido, básico e aquoso. Já a reação de dupla troca foi
identificada com o auxilio da tabela de solubilidade as reações que ocorreu formação de
precipitado, podendo ser explicado pela força de atração entre íons de cargas opostas.

Bibliografia
http://brasilescola.uol.com.br/quimica/oxidos-basicos.htm

http://brasilescola.uol.com.br/quimica/oxidos-acidos.htm

http://brasilescola.uol.com.br/quimica/reacoes-dupla-troca.htm