Você está na página 1de 3

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA

CAMPUS FLORIANO

LICENCIATURA EM MATEMÁTICA

DISCIPLINA: EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

PROFESSORA: ESP. MARIA RAIMUNDA

PERÍODO LETIVO: 2019.1 - TURNO: NOITE - MÓDULO: VII

ALUNO: FRANÇOILSON DA SILVA LIMA

EJA: OBSERVAÇÃO DE SALA DE AULA E ENREVISTA

FLORIANO, MAIO 2019


RELATÓRIO DE OBSERVAÇÃO DE SALA DE AULA E ENREVISTA.

A entrevista e a observação foram realizadas em conjunto no dia 28 de maio 2019 pela manhã
com a professora bacharel em matemática Gelma Eveliny da escola José Francisco Dutra do município
de Floriano Piauí.

“A gente se depara hoje com muitos jovens que não quiseram estudar e que estão buscando
retornar porque o trabalho exige muito da questão do estudo.” Disse a professora Gelma sobre o
porquê de as pessoas estarem buscando e optando pela modalidade EJA.

De acordo com a entrevista e a observação em sala de aula, ela é bem diversificada, contendo
desde jovens a adultos e até mesmo pessoas já de idade. De acordo com a professora, no início, a
quantidade de alunos é bastante, mas com o tempo vão se evadindo. A sala de aula tem um número
considerável de alunos, homens e mulheres, a maioria de classe social baixa e trabalhadores. O que
eles têm em comum é a necessidade daquele aprendizado e a dificuldade escolar acumulada ao longo
dos anos fora da sala de aula.

A questão do planejamento é feito às necessidades dos alunos. Não são passados atividades ou
trabalhos por causa do tempo que os alunos não dispões para realizá-las. Todas as atividades são feitas
em sala de aula com os alunos. E o planejamento é feito mensalmente se adequando cada vez mais ao
contexto da sala com os conhecimentos que serão essenciais para os discentes, porque de acordo com
a Eveliny, nem sempre as metas são cumpridas e para não ter que ficar adequando e modificando um
planejamento a curto prazo faz-se necessário. E o que foi planejado é colocado realmente em prática.

A atuação da professora é flexível no que se diz respeito a linguagem e a postura em sala de


aula. Ela utiliza da linguagem formal e a do dia a dia, como justificativa ela diz que como é uma turma
de EJA algumas palavras não são conhecidas, existem pessoas de idade que tem que ter respeito,
alunos com uma realidade diferente da aparente, havendo assim, até mesmo uma transposição didática
de alguns conteúdos com os recursos que a escola dispõe que são satisfatórios. Não havendo um
tratamento individual diferenciado. A avaliação é continuada, são realizadas atividades e provas ao
longo do tempo regularmente.

Sabemos que a relação é um dos fatores principais para o desenvolvimento e o êxito. Na sala
de aula da docente, a relação entre professor e aluno é boa, havendo respeitos de ambas as partes assim
como a relação alunos com alunos, e a professora repassa bem esse recado aos seus alunos: com o
respeito se obtém mais respeito. É notória essas características pessoais ao estar numa sala de aula
com a professora Gelma, assídua, usando do otimismo e da motivação para conquistar os alunos.
Como justificativa ela explica que é uma forma de evitar a evasão.
A Atuação dos alunos é satisfatória, a maioria estar sempre interessada nas atividades e se
desenvolvendo, mas tem sempre uma pequena parcela que deixa de fazer determinada tarefa por causa
da sua rotina social e trabalhista. Mas todas as atividades são cumpridas.

Em suma, a dificuldade tida foi encontrar professores que se dispuseram a discutir sobre sua
atuação como professor de EJA e acerca da modalidade. A fala mais importante da professora
entrevistada foi uma critica sobre a falta de projetos que envolvam a EJA e seus complementos, em
especial a forma que os estagiários trabalham com esse tipo de turma.