Você está na página 1de 8

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DA

SEÇÃO DE DIREITO XXX DO TRIBUNAL XXX

NOME DO (A) RECORRENTE, qualificado (a) nos autos, por seu advogado que esta
subscreve, vem, respeitosamente, a Vossa Exceleê ncia, com fundamento no artigo
102, inciso III, alíínea a da Constituiçaã o da Republica Federativa do Brasil de 1988,
artigo 1.029 e seguintes do Coí digo de Processo Civil (Lei 13.105/2015) e na Lei
8.038/1990, interpor RECURSO EXTRAORDINÁRIO em face do acoí rdaã o proferido
nas fls. XXXXXXXX, que (deu / naã o deu) provimento ao recurso (XXX de apelaçaã o)
interposto nos autos da açaã o de nuí mero em epíígrafe, em face do recorrido (a)
NOME DO RECORRIDO (A), tambeí m jaí qualificado (a) nos autos.
Requer seja recebido e processado o presente recurso, intimando-se a parte
contraí ria para que ofereça, dentro do prazo legal, as contrarrazoã es e, apoí s, seja o
recurso admitido e encaminhado com as inclusas razoã es ao Egreí gio Supremo
Tribunal Federal.
Por fim, quanto aà s custas, (XXX informa que o preparo e o porte de remessa e
retorno naã o precisaram ser pagos, pois o (a) recorrente eí beneficiaí rio (a) da Justiça
Gratuita / informa que jaí pagou, conforme guias anexas).
Termos em que,
Pede deferimento.
Local e data.
NOME DO ADVOGADO
OAB/SP nº XXXXXXXX

RAZÕES DE RECURSO EXTRAORDINÁRIO

Recorrente: XXXXXXXX
Recorrido: XXXXXXXX
Processo nº XXXXXXXX
Origem: XXXª Câmara XXX do Tribunal XXX

Egreí gio Supremo Tribunal Federal,


Colenda Turma,
IÍnclitos Julgadores,

O (a) Recorrente, naã o se conformando com o acoí rdaã o de fls. XXXXXXXX, que julgou
o recurso de apelaçaã o, vem, respeitosamente, apresentar as razoã es do presente
recurso extraordinaí rio.

I – BREVE RESUMO

(......................)
Infelizmente, os argumentos utilizados pelo Tribunal XXX naã o fundamentam
juridicamente a decisaã o proferida e, ainda, ferem as seguintes normas
constitucionais:
· Direito 1 – art. XXX, CRFB/88
· Direito 2 – art. XXX, CRFB/88
· Princíípio 3 – art. XXX, CRFB/88
· Garantia 4 – art. XXX, CRFB/88
Desta forma, faz-se necessaí rio a XXXX (reforma do acoí rdaã o prolatado / anulaçaã o
do julgado), conforme seraí , a seguir, demonstrado.

II – PRELIMINARMENTE:
II.1. DOS PRESSUPOSTOS DE ADMISSIBILIDADE ESPECÍFICOS
II.1.1. DA REPERCUSSÃO GERAL

Por força do § 3º acrescentado ao artigo 102, III, da CF/88 pela EC nº 45/04, o (a)
recorrente demonstra, neste capíítulo preliminar e autoê nomo, que haí repercussaã o
geral nas questoã es constitucionais discutidas no presente caso, apta a ensejar a
admissibilidade do apelo extraordinaí rio por este colendo Supremo Tribunal
Federal.
De acordo com o § 1º do art. 1.035 do CPC/15: “Para efeito da repercussão geral,
será considerada a existência, ou não, de questões relevantes do ponto de vista
econômico, político, social ou jurídico, que ultrapassem os interesses subjetivos do
processo”.
Assim, a preliminar de Repercussaã o Geral eí um instrumento processual inserido na
Constituiçaã o Federal de 1988, por meio da Emenda Constitucional 45, de modo a
possibilitar que o Supremo Tribunal Federal selecione os Recursos Extraordinaí rios
que iraí analisar, de acordo com criteí rios de relevância jurídica, política, social
e/ou econômica.
O uso desse filtro recursal resulta numa diminuiçaã o do nuí mero de processos
encaminhados aà Suprema Corte. Uma vez constatada a existeê ncia de repercussaã o
geral, o STF analisa o meí rito da questaã o e a decisaã o proveniente dessa anaí lise seraí
aplicada posteriormente pelas instaê ncias inferiores, em casos ideê nticos.

In casu, existem questoã es relevantes do ponto de vista (XXX social, jurídico e


econômico) que ultrapassam os interesses subjetivos da causa.

II.1.1.1. Desdobramentos na esfera social

Os desdobramentos na esfera social se vislumbram, pois XXXXXXXX.


(...................................................)

II.1.1.2. Desdobramentos na esfera jurídica

A repercussaã o geral juríídica tambeí m resta caracterizada porque o acoí rdaã o


guerreado tem servido de precedente perigoso a outros julgados, como, por
exemplo, os seguintes:
(.................................................)
Logo, a mateí ria deste recurso eí relevante para a coletividade do ponto de vista
juríídico.

II.1.1.3. Desdobramentos na esfera econômica

Sob o aspecto econômico, (..........................)


II.1.1.4. Conclusão da repercussão do presente caso

Sendo assim, com suporte nos entendimentos supracitados, conclui-se que a


presente causa guarda pertineê ncia com a repercussaã o geral (XXX juríídica,
econoê mica e social).
Isto posto, comprova-se, fundamentadamente, que a causa preenche todos os
requisitos necessaí rios para o seu recebimento e julgamento perante o Supremo
Tribunal Federal.

II.1.2. DO PREQUESTIONAMENTO

Verifica-se presente o requisito baí sico do prequestionamento para fins da


admissibilidade do presente recurso, pela tratativa preí via do tema constitucional
ventilado no tribunal a quo.
Como se pode averiguar nos autos, a recorrente adotou a cautela de questionar
com antecedeê ncia e de modo expresso a mateí ria que se tornaria objeto deste
recurso extraordinaí rio, superando a ressalva entabulada na Suí mula 282 do STF, in
verbis:
Súmula 282 do STF - “É inadmissível o recurso extraordinário, quando não ventilada, na decisão
recorrida, a questão federal suscitada.”

(.................................................)
Dito isto, demonstra-se que naã o restam no bojo deste recurso questoã es de ordem
constitucional que naã o tenham sido previamente suscitadas nas instaê ncias
inferiores, prequestionadas, merecendo ser admitido o presente Recurso
Extraordinaí rio.

II.1.3. DO EXAURIMENTO DOS RECURSOS ORDINÁRIOS

A decisaã o ora recorrida foi objeto de (XXX recurso de apelaçaã o), tratando-se de
decisaã o de uí ltima instaê ncia, da qual naã o cabe nenhum outro recurso ordinaí rio, nos
termos da Suí mula 281 do STF.

II.1.4. DA NÃO REANÁLISE DE FATO

O recurso extraordinaí rio interposto naã o implica reanaí lise de fato, que eí vedada
pela Suí mula 279 do STF, pois estaí apenas discutindo a interpretaçaã o e a aplicaçaã o
dos dispositivos constitucionais indicados.
II.2. DOS PRESSUPOSTOS DE ADMISSIBILIDADE GERAIS DA TEORIA
RECURSAL
II.2.1. DA TEMPESTIVIDADE

O recurso ora interposto preenche o requisito da tempestividade, conforme se


passa a demonstrar.
O prazo para recurso especial eí de 15 dias, conforme determina o artigo 1.003, §
5º do Coí digo de Processo Civil de 2015.
O v. acoí rdaã o recorrido foi disponibilizado em (DATA), considerando-se publicado
em (DATA), de modo o iníício do prazo ocorreu em (DATA).
Desta forma, o dies ad quem para interposiçaã o do presente recurso extraordinaí rio eí
dia (DATA), tendo em vista que os prazos processuais civis computam-se excluindo
o dia do começo e incluindo o do vencimento e somente em dias uí teis, consoante
prescrevem os artss 219 e 224, caput, do Coí digo de Processo Civil de 2015.

II.2.2. DO PREPARO

As custas XXX foram pagas, conforme guias anexas (OU: “A parte eí beneficiaí ria da
justiça gratuita (fl. XXXXXXXX dos autos – processo nº XXXXXXXX da XXXXXXXX
Vara da Fazenda Puí blica da Comarca de Santo Andreí /SP), motivo pelo qual naã o
precisa pagar as custas relativas ao processamento do presente recurso. Ademais, o
processo tramita de forma digital, naã o havendo que se falar em gastos com remessa
de autos fíísicos, portanto, o pagamento com estas despesas naã o saã o devidos.”)

II.2.3. DO CABIMENTO

O presente recurso eí cabíível, haja vista que houve esgotamento preí vio das vias
ordinaí rias e que a decisaã o recorrida contrariou dispositivos da Constituiçaã o da
Republica Federativa do Brasil, nos termos do art. 102, inciso III, alínea a da
Constituição da Republica Federativa do Brasil de 1988, in verbis:
Art. 102. Compete ao Supremo Tribunal Federal, precipuamente, a guarda da Constituição, cabendo-lhe:
(…)
III – julgar, mediante recurso extraordinário, as causas decididas em única ou última instância, quando a
decisão recorrida:
a) contrariar dispositivo desta Constituição; (...)

O acórdão proferido pelo TJ/SP contrariou as seguintes normas


constitucionais:
· Direito 1 – art. XXX, CRFB/88
· Direito 2 – art. XXX, CRFB/88
· Princíípio 3 – art. XXX, CRFB/88
· Garantia 4 – art. XXX, CRFB/88
Portanto, este recurso – como todo recurso extraordinaí rio – tem por finalidade a
proteçaã o do direito de forma objetiva, protegendo a norma juríídica constitucional.

III – DO ACÓRDÃO RECORRIDO

O acoí rdaã o recorrido foi proferido aà s fls. XXXXXXXX dos autos nº XXXXXXXX da XXXª
Caê mara de XXX do Tribunal XXX, em julgamento de provimento ao recurso de
apelaçaã o interposto pelo ora recorrido.
(........................)

IV – DO DIREITO

O recurso extraordinaí rio tem por finalidade manter a guarda e a proteçaã o da


Constituiçaã o da Republica Federativa do Brasil.
Por isso, interpoã e a recorrente o presente recurso, haja vista as vaí rias violaçoã es de
norma constitucional ocasionadas pelo julgado.

IV.1. DA OFENSA AO DIREITO XXX

A decisaã o recorrida afronta o Direito XXXXXXXX, pois...........

(...............................)
Desta forma, a decisaã o recorrida deve ser totalmente modificada restabelecendo a
decisaã o proferida em primeira instaê ncia.

IV.2. DA OFENSA AO DIREITO XXX

(....................................)
A decisaã o recorrida afronta o artigo XXX, da CRFB/88, pois (............)

IV.3. DA OFENSA AO PRINCÍPIO XXX

A decisaã o recorrida afronta o artigo XXX, da CRFB/88, pois (............)

(................)
Diante disso, tem-se por ofendido o princíípio XXX, de modo que o acoí rdaã o
recorrido deve ser reformado.

V – DA CONCLUSÃO

Diante do exposto, o (a) Recorrente requer seja o presente recurso admitido no


Juíízo “a quo” para ser remetido ao Juíízo “ad quem”, o Supremo Tribunal Federal,
para que por este Tribunal haja o conhecimento e o provimento do presente
recurso extraordinaí rio, pois estaã o presentes todos os pressupostos de sua
admissibilidade, reformando-se totalmente a decisaã o recorrida de fls. XXX dos
autos nº XXXXXXXX (origem de 2ª instaê ncia: XXXª Caê mara de Direito XXX do
Tribunal XXX; origem de 1ª instaê ncia: 1ª Vara XXX da Comarca XXX), acoí rdaã o
registrado sob o nº XXX, para que se mantenha a condenaçaã o de 1º grau de
jurisdiçaã o, condenando-se o (a) Recorrido (a) em (XXX.........................), com fulcro em
todo o regramento constitucional acerca da mateí ria, consoante exposto nestas
razoã es recursais.
Por conseguinte, requer a inversaã o do oê nus da sucumbeê ncia, com a condenaçaã o da
parte recorrida ao pagamento das custas e honoraí rios advocatíícios, nos termos do
art. 82, § 2º do Coí digo de Processo Civil de 2015.
Informa que (XXX naã o) foram juntadas guias de recolhimento de custas (XXX
porque a recorrente eí beneficiaí ria da Justiça Gratuita).
Requer a intimaçaã o da parte contraí ria para a apresentaçaã o de contrarrazoã es.
Termos em que,
Pede deferimento.

Santo Andreí , DATA.

NOME DO ADVOGADO
OAB/SP nº XXXXXXXX