Você está na página 1de 2

Os Sete Espíritos de Deus (1)

Por Ruy Porto Fernandes

Muito já foi escrito sobre os Sete Espíritos de Deus, mas o tema não se esgota.
Sua atração desperta o aprofundamento no estudo da Palavra de Deus, um mergulho
(uma imersão, um batismo) para fazermos deste assunto uma realidade em nossas vidas.
E, ao escrever o artigo A Verdade Prevalecerá, descobri mais uma explicação para o
símbolo em Isaías 11.

A explicação corrente, que o texto (Is 11.2) enumera os Sete Espíritos de Deus
do livro do Apocalipse não está, em sua totalidade, correta. Na realidade, o texto de
Isaías refere-se apenas a seis atributos, ou melhor, funções do único Espírito de Iaveh
(em hebraico, o tetragrama ‫)יהוה‬.

Portanto, devemos entender a partir desse versículo, que o Espírito do Senhor


(em hebraico Adonai) é o Espírito que revestirá o Renovo, em destaque no primeiro
versículo, de sabedoria (1), entendimento (2), conselho (3), fortaleza (4), conhecimento
(5) e de temor de Iaveh (6).

Ou seja, são seis atributos pessoais de Deus que o Espírito de Iaveh transmitirá
ao Messias Jesus para exercer julgamento e justiça, como o próprio texto nos aponta em
continuação (vs. 3-5) para estabelecer seu reinado eterno de paz (Is 11.6-9).

Conseqüentemente, esse texto em Isaías antecipa o julgamento sobre o Mal. O


julgamento do príncipe deste mundo, conforme o Senhor Jesus Cristo nos ensina no
evangelho segundo João, capítulos 12, 14 e 16. Mas é no capítulo 16 que o Senhor Jesus
ensina que ele irá para o Pai e enviará o Consolador (vs. 1-7) que convencerá o mundo
do pecado, da justiça e do juízo (vs. 8-11).

Ora, agora podemos entender porque Deus enumera em Isaías apenas seis
funções do Seu Espírito, pois a sétima função, a que irá exercer a finalização do caráter
divino, deverá passar pelo próprio Deus, em Seu Ungido, o Senhor Jesus Cristo. E isto,
somente depois de sua morte e ressurreição.

Então, podemos esquematizar que os Sete Espíritos de Deus simbolizam:

1- Espírito de Sabedoria
2- Espírito de Entendimento
3- Espírito de Conselho
4- Espírito de Poder
5- Espírito de Conhecimento de Iaveh
6- Espírito de Temor de Iaveh
7- Espírito de Cristo. O Espírito que proporciona o testemunho de Cristo (Ap 5.6) e
o Fruto do Espírito (Gl 5.22).

Assim, o Senhor Jesus Cristo envia o Consolador (Jo 16.7), o Espírito Santo,
que, como o Espírito de Cristo (Rm 8.9; 1Pe 1.11), completa a totalidade dos Sete
Espíritos de Deus do Apocalipse (Ap 1.4; 3.1; 4.5; 5.6). Daí o credo posterior ao do
concílio de Nicéia afirmar que o Espírito Santo procede do Pai e do Filho (filioque).
Isto, por que é somente a totalidade dos Sete Espíritos de Deus que proporciona
o fruto do Espírito, que o apóstolo Paulo se refere no capítulo 5 da epístola aos Gálatas,
para vivermos uma verdadeira vida cristã pautada na Ética e no Amor de Deus, que
Vive no Senhor Jesus Cristo Vivo (Jo 4.23; 14.11; Ef 2.18; Ap 1.18).

Assim, os seis Espíritos citados em Isaías conferem, além do conhecimento e


temor de Deus, os atributos para entendermos a justiça e o julgamento, com equidade,
que Deus realiza no mundo através do Seu Renovo, o Senhor Jesus Cristo.

Além disso, nos conferem sabedoria, entendimento e conselho para convivermos


com o próximo e discernir a realidade da Imanência de Deus na natureza. E,
completando com o sétimo Espírito, o Espírito de Cristo, nos confere os atributos do
Fruto do Espírito que proporciona uma vida cristã, conforme o versículo 22, capítulo 5,
da epístola aos Gálatas, que são: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade,
bondade, fé, mansidão e domínio próprio.

É interessante notar que os atributos podem ser agrupados em três conjuntos,


com três virtudes cada um, e referenciados. O primeiro em relação à nossa atitude para
com Deus, o segundo para com o próximo, e o terceiro em relação a nós mesmos,
conforme nota da Bíblia de Estudos Plenitude (pg. 1225).

Além disto, creio que o símbolo dos Sete Espíritos de Deus refere-se à própria
natureza de Deus. Creio se tratar de um número incalculável de Espíritos de Deus, como
expus nos estudos sobre o Livro do Apocalipse. Assim, esta função também determina a
própria Imanência de Deus.

Pois é nessa função que Deus existe em tudo e em todos. O Senhor Jesus Cristo
afirmou que Deus é Espírito (João 4.24), portanto é necessário notar que tanto o Pai
como o Espírito Santo são Espíritos. Daí, qualquer antropomorfismo, ou descrição física
que a Bíblia faz de Deus, é símbolo de uma realidade invisível aos nossos olhos. Porém,
não invisível à nossa consciência e entendimento, porque é real e faz parte do Universo.

Os Sete Espíritos de Deus representam a pluralidade e totalidade do Espírito


Santo na Unidade de Deus (Mc 12.32; 1Co 8.6; Ef 4.4; 1Tm 2.5; Tg 2.9) . É o símbolo
de um conjunto finito, mas com um número incalculável de Espíritos de Deus que dão o
testemunho de Deus Pai aos judeus e do Senhor Jesus Cristo em todo o mundo.

Niterói, 05 de novembro de 2010.


ruyportofernandes@gmail.com
ruyporto@hotmail.com

http://ruyporto.blogspot.com/
http://ruyportofernandes.blogspot.com/
http://ruyporto.wordpress.com/