Você está na página 1de 6

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO

CENTRO DE ENGENHARIAS
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA E TECNOLOGIA

DISCIPLINA: LABORATÓRIO DE ENGENHARIA


QUÍMICA 2

EXTRAÇÃO SÓLIDO-LÍQUIDO

Ana Lorena de Brito Soares


Lucas Marques Bezerra
Teresa Raquel da Rocha Cardoso
Thaiane Andrade Cruz
Yago Neco Teixeira

Mossoró – RN
31/07/2017
Sumário

1. Introdução ...........................................................................................................1
2. Objetivo................................................................................................................1
3. Metodologia..........................................................................................................1
4. Resultados e Discussão........................................................................................2
5. Conclusão.............................................................................................................3
6. Referências Bibliográficas..................................................................................4
1. Introdução

A etapa de separação sólido- líquido está entre as operações unitárias mais


importantes que atualmente podem ser empregadas em indústrias químicas, têxteis,
farmacêuticas, tratamento de água e resíduos, entre outras. Segundo Blackadder (1982)
a extração sólido - líquido consiste em um processo de transferência de massa, também
conhecido como lixiviação, na qual ocorre a separação de um ou mais componentes
contidos na fase sólida pela dissolução seletiva da parte solúvel do sólido por meio de
um solvente apropriado.

A extração sólido- líquido apresenta uma vasta quantidade de métodos, na qual


dependendo da natureza do material a extrair, alguns métodos são mais promissores que
outros. Por exemplo, geralmente utiliza-se a destilação por arraste de vapor d'água na
extração de essências ou óleos voláteis. Para óleos (e gorduras) não voláteis (óleos
fixos) a extração contínua por meio de solvente orgânico em extrator Soxhlet é a
metodologia mais conveniente. Independente da técnica a ser usado na extração, o
processo comum para a obtenção de produtos naturais a partir de fontes naturais
envolve a escolha da fonte (material biológico, geralmente vegetal), a secagem do
material, a trituração, a extração e a purificação do produto extraído. (HONORATO, F.;
HENRIQUE, L.; MONIZE, R.S.L., 2007)

Um exemplo de extração sólido-líquido seria a fervura do café, no qual os


componentes solúveis do café moído são separados dos finos insolúveis pela
solubilização em água quente. Se o café for fervido durante um tempo muito longo, a
solução atingirá o equilíbrio com os sólidos restantes. A solução é separada no coador,
dos finos residuais (FOUST, et al., 2011).

2. Objetivo

A partir dos dados coletados na prática deve-se avaliar o processo de extração sólido-
líquido do óleo de coco contido no coco ralado.

3. Metodologia

1. Pesou-se o filtro (cartucho) (mf);

2. Pesou-se o filtro com a amostra (Xg) do coco ralado (mfa);

3. Colocou-se 200 mL do solvente no balão Vo;L

1
4. O aquecedor foi ligado;

5. Esperou-se que fossem completados 3 (três) ciclos de extração;

6. O solvente foi recuperado no sistema e mediu-se o volume recuperado Vr;

7. Pesou-se o filtro úmido após o último ciclo de extração (mfu);

8. O filtro foi seco na estufa;

9. Pesou-se o filtro seco (mfs);

4. Resultados e Discussões

Na tabela 1 apresenta-se os dados obtidos no experimento de extração de sólido-líquido:

𝒎𝒇 (g) 𝒎𝒇𝒂 (g) 𝒎𝒇𝒖 (g) 𝒎𝒇𝒔 (g) V0 (mL) Vr (mL)


2,3122 5,2415 14,5341 5,8541 200 162

Onde:

m = Peso do filtro seco e vazio;

m = Peso do filtro cheio com coco ralado;

m = Peso do filtro úmido após o último ciclo de extração;

m = Peso do filtro seco;

V0 = Volume do solvente;

Vr = Volume do solvente recuperado.

Cálculos:

a) Cálculo do rendimento de remoção do óleo R (%)

(𝑚 − 𝑚 )
𝑅(%) = × 100
(𝑚 − 𝑚 )

(5,2415 – 5,8541)𝑔
𝑅(%) = × 100
(5,2415 – 2,3122)𝑔

𝑅(%) =-20,9128%

2
Este resultado significa dizer que -20,9128% do óleo presente na amostra foi
removido através do método de extração contínuo utilizando álcool como solvente. Este
resultado foi negativo por causa do valor da massa final do filtro após a secagem ter
sido maior do que a massa do filtro inicial da amostra.

b) Cálculo da taxa de retenção de líquido “m”

(𝑚 − 𝑚 )
𝑚=
(𝑚 − 𝑚 )

(14,5341 – 5,8541)𝑔
𝑚=
(5,8541 – 2,3122)𝑔

𝑚 =2,450662

c) Avaliação da perda de solvente P (%)

(𝑉 − 𝑉 )
𝑃= × 100
𝑉

(200 – 162)𝑚𝐿
𝑃= × 100
200 𝑚𝐿
𝑃 = 19%

Isto é, 19% do volume do solvente foi gasto durante o experimento, não sendo
mais possível ser recuperado, podendo-se dizer que a recuperação foi satisfatória.

5. Conclusão

A partir dos resultados podemos concluir que o rendimento de remoção do óleo


presente na amostra foi de aproximadamente -21% utilizando o álcool como solvente e
repetindo o processo três vezes. O fato da massa final do filtro ter sido maior que a
massa inicial do filtro foi o motivo do sinal ser negativo. Foi feita a avaliação da perda
de solvente também e o resultado foi que foram gastos, durante o experimento, apenas
19% do volume inicial de solvente. Sendo assim, o processo de recuperação do solvente
apresentou resultado aceitável.

3
6. Referências Bibliográficas

BLACKADDER, D. A.; NEDDERMAN, R. M. Manual de Operações Unitárias.1ª


edição. Editora: Hemus, 1982. 276 p

FOUST, Alan S. et al. Princípios das operações unitárias. Rio de Janeiro: LTC, 2011.

ARAUJO, A. A. de L. Roteiros de Aulas: Laboratório de Engenharia Química 2,


Extração Sólido-Líquido. Mossoró. 9 p.

Você também pode gostar