Você está na página 1de 25
ELETRONICA ## TRANSISTOR # polarizacao INDICE 2 TRANSISTOR BIPOLAR FUNCIONAMENTO DE TRANSISTORES BIPOLARES POLARIZAGAO DO TRANSISTOR NPN TRANSISTOR PNP. AS CORRENTES NO TRANSISTOR MONTAGEM BASICA COM TRANSISTOR 3 POLARIZACAO DE TRANSISTORES RETA DE CARGA TRANSISTOR COMO CHAVE O TRANSISTOR COMO FONTE DE CORRENTE O TRANSISTOR COMO AMPLIFICADOR: CIRCUITOS DE POLARIZAGAO EM EMISSOR COMUM REGRAS DE PROJETO EXERCICIOS EXERCICIOS COM RESPOSTA PROF. SANTANNA Pagina 2 2 TRANSISTOR BIPOLAR Existe uma infinidade de sinais de interesse em eletrénica que s4o muitos fracos, como por exemplo, as correntes elétricas que circulam no corpo humano, o sinal de saida de uma cabega de gravacao, etc., e para transforma-los em sinais Uteis torna-se necessario amplifica-los. Antes da década de 50, a vaivula era 0 elemento principal nesta tarefa. Em 1951, foi inventado o transistor. Ele foi desenvolvido a partir da tecnologia utilizada no diodo de jungdo, como uma alternativa em relagao as valvulas, para realizar as fungdes de amplificagao, deteogao, oscilagao, comutagao, etc. A partir dai o desenvolvimento da eletranica foi imenso. Dentre todos os transistores, 0 bipolar 6 muito comum, com semelhancas ao diodo estudado anteriormente, com a diferenga de o transistor ser formado por duas jungGes pn, enquanto 0 diodo por apenas uma juncdo. FUNCIONAMENTO DE TRANSISTORES BIPOLARES (© transistor bipolar é constituido por trés materiais semicondutor dopado. Dois cristais tipo ne um tipo p ou dois cristais tipo p e um tipo n. O primeiro ¢ chamado de transistor npn e o segundo de pnp. Na Figura 2-1 sao mostrados de maneira esquematica os dois tipos: TRANSISTOR NPN TRANSISTOR JUNGKO YNCRO = pl wle Ts wissor 3 3 Base 2 CoLEToR Figura 2-1 Cada um dos trés cristais que compde o transistor bipolar recebe 0 nome relativo a sua funcao. © cristal do centro recebe 0 nome de base, pois é comum aos outros dois cristais, & levemente dopado e muito fino. Um cristal da extremidade recebe 0 nome de emissor por emitir portadores de carga, fortemente dopado e finalmente o ultimo cristal tem o nome de coletor por receber os portadores de carga, tem uma dopagem media Em resumo: Base (B): dopagem leve e muito fina. Assim, a maioria dos portadores tangados do emissor para a base, conseguem atravessa-la dirigindo-se ao coletor; Coletor(C): mediamente dopado, coleta (recolhe) os portadores que vém da base. Ele muito maior que as outras camadas, pois é nele que se dissipa a maior parte da poténcia gerada pelos circuitos transistorizados; Emissor (E): fortemente dopado, tem por fungao emitir portadores de carga para a base (e” no transistor NPN e lacunas no PNP). ‘Apesar de na Figura 2-1 nao distinguir os cristais coletor e emissor, eles diferem entre si no tamanho e dopagem. O transistor tem duas juncdes, uma entre o emissor a base, e outra entre a base e 0 coletor. Por causa disso, um transistor se assemelha a dois diodos. O diodo da esquerda é comumente designado diodo emissor -base (ou sé emissor) e o da direita de coletor -base (ou s6 coletor) ‘Serd analisado o funcionamento do transistor npn. A analise do transistor pnp é similar ao do npn, bastando levar em conta que os portadores majoritérios do emissor sao lacunas em vez dos elétrons livres. Na pratica isto significa tensdes e correntes invertidas se comparadas com 0 npn. PROF. SANTANNA Pagina 3