Você está na página 1de 3

O que é aço?

O aço é uma liga metálica composta de ferro e carbono, que contém geralmente entre
0,008% e 2,11% de carbono, ou seja, aços são ligas maleáveis de ferro. Os aços-carbono são
aqueles que possuem teores apenas residuais de Silício e Manganês, como veremos adiante
(CHIAVERINI, 1996).

Como faz?
O aço é obtido a partir do ferro-gusa, produzido nos altos-fornos das usinas siderúrgicas,
no setor denominado aciaria, o gusa líquido passa por um processo de descarbonetação, ou seja,
remoção, por oxidação do carbono existente no gusa, além do carbono também são retirados
outros elementos como o enxofre, o fósforo, o silício e o manganês.
O carbono oxidado escapa em forma de gás ao passo que os óxidos do fósforo (P), silício
(Si) e o manganês (Mn) são dissolvidos em uma escória com alto teor de cal. Com resultado
obtém-se um aço forjável, com aproximadamente 99% de ferro.
Os diversos processos de produção de aço se diferenciam entre si pela forma de adição de
oxigênio para oxidação dos elementos indesejáveis e pelo modo de efetuar o aumento da
temperatura.

Características e Aplicações
Segundo a NBR 6215, aço carbono é aquele não contém elementos de liga isto é, apenas
teores residuais de Cromo (Cr) = 0,20%, Níquel (Ni) = 0,25%, etc e no qual os teores de Silício
(Si) e Manganês (Mn) não ultrapassem limites máximos de 0,60% e 1,65% respectivamente.
Os aços carbonos são classificados apenas em função do teor de carbono que
apresentam. Os aços subdividem-se em três classes:
1. Aços com baixo teor de carbono: possuem no máximo 0,30% do elemento. Têm
baixa resistência e dureza e alta tenacidade e ductilidade. É usinável e soldável,
além de apresentar baixo custo de produção. Geralmente não é tratado
termicamente.
1.1. Aplicações: chapas automobilísticas, perfis estruturais, placas para produção
de tubos, construção civil, pontes e latas de folhas de flandres.
1.2. Características: boa tenacidade, conformabilidade, soldabilidade e baixa
temperabilidade. O limite de resistência deste tipo de aço é 440 N/mm².
2. Aços com médio teor de carbono: apresentam de 0,30 a 0,60% de Carbono.
Possuem maior resistência e dureza e menor tenacidade e ductilidade do que o
baixo carbono. Apresentam quantidade de carbono suficiente para receber
tratamento térmico de têmpera e revenimento, embora o tratamento, para ser
efetivo, exija taxas de resfriamento elevadas e em seções finas.
2.1. Aplicações: rodas e equipamentos ferroviários, engrenagens,
virabrequins e outras peças de máquinas, que necessitem de elevadas
resistências mecânica e ao desgaste e tenacidade.
2.2. Características: média conformalidade, soldabilidade e média
temperalidade. Limite de resistência: 440 a 590 N/mm².
3. Aços com alto teor de carbono: Possuem de 0,60% a 2,11% de Carbono. É o aço
com maior resistência e dureza, porém apresenta menor ductilidade que os outros
aços carbono. Geralmente, são utilizados temperados ou revenidos, possuindo
propriedades de manutenção de um bom fio de corte.
3.1. Aplicações: talhadeiras, folhas de serrote, martelos e facas.
3.2. Características: Má conformabilidade e soldabilidade, altas
temperaturas e resistência ao desgaste. Limite de resistência: 590 a 780
N/mm².

Nomenclatura
Os aços-carbono são usualmente classificados no Brasil através das normas da ABNT
(Associação Brasileira de Normas Técnicas), do Sistema SAE (Society of Automotive Engineers)
ou da DIN (Deutsch Industrie Normen).
No Sistema SAE, os Aços-carbono adotam um código numérico de 4 algarismos em que
os dois primeiros (10) representam o grupo do aço (aço-carbono) e os 2 ou 3 últimos divididos por
100 representam o percentual médio de carbono no aço.
Exemplo: SAE 1040. Os algarismos 10 conjugados representam que é um aço-carbono. Já
40 representa que o aço tem 0,40% de Carbono.
No Sistema ABNT
Referências Bibliográficas

CHIAVERINI, V. Aços e Ferros fundidos.