Você está na página 1de 11

UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO

INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS E GEOCIÊNCIAS


CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO

TÍTULO DO TRABALHO

Nomes dos Autores (com as iniciais em Maiúsculo, um por linha)

Disciplina de Introdução à Engenharia de Computação


Prof. Dr. Rafael Rieder

Passo Fundo
Ano
SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO ................................................................................................................ 3
2. CAPÍTULO DAS SUBSEÇÕES ..................................................................................... 4
2.1. SEÇÃO SECUNDÁRIA........................................................................................................ 4
2.1.1. Seção Terciária.................................................................................................................. 4
2.1.1.1. Seção Quaternária ............................................................................................................... 4
2.1.1.1.1. Seção Quinária ................................................................................................................... 4
3. EXEMPLOS DE TABELAS, FIGURAS E EQUAÇÕES ............................................ 5
3.1. TABELAS E QUADROS ...................................................................................................... 5
3.2. FIGURAS E GRÁFICOS ...................................................................................................... 6
3.3. EQUAÇÕES E FÓRMULAS ................................................................................................ 6
4. EXEMPLOS DE CITAÇÕES ......................................................................................... 7
4.1. CITAÇÃO DIRETA .............................................................................................................. 7
4.2. CITAÇÃO DIRETA COM MAIS DE TRÊS LINHAS ........................................................ 7
4.3. CITAÇÃO INDIRETA .......................................................................................................... 8
4.4. CITAÇÃO DE CITAÇÃO..................................................................................................... 8
4.5. INDICAÇÃO DE CITAÇÃO ................................................................................................ 8
5. CONCLUSÃO................................................................................................................. 10
REFERÊNCIAS ..................................................................................................................... 11
3

1. INTRODUÇÃO

Os números de página aparecem a partir deste ponto. Números ímpares alinhados


à direita, números pares à esquerda. O documento deverá ser impresso sempre em frente e
verso. Todas as páginas do documento são contadas (inclusive a capa).
Palavras em língua estrangeira que não se encontram no dicionário de Língua
Portuguesa deverão ser grafadas em itálico. Por exemplo: science e visualization. Já palavras
comumente utilizadas, como mouse e software, não é necessário.
Sempre utilize os estilos definidos neste documento padrão de monografia. Da
mesma forma, é altamente recomendável o uso das referências cruzadas para fazer citações ao
longo de texto, sejam elas referências bibliográficas, seções do texto, figuras, tabelas e
equações. Assim, será possível utilizar sumários e índices de ilustrações.
4

2. CAPÍTULO DAS SUBSEÇÕES

Texto

2.1. SEÇÃO SECUNDÁRIA

Texto

2.1.1. Seção Terciária

Texto

2.1.1.1. Seção Quaternária

Texto

2.1.1.1.1. Seção Quinária

Texto1

1
Notas de rodapé devem ser sucintas e diretas.
5

3. EXEMPLOS DE TABELAS, FIGURAS E EQUAÇÕES

3.1. TABELAS E QUADROS

Adota-se uma simplificação relativa à Norma ABNT, não fazendo diferença entre
tabelas e quadros. Ambos os casos devem ser considerados tabelas. Pseudocódigos ou trechos
de código-fonte também devem ser referenciados como tabelas. A legenda deve ser
centralizada, não usar negrito, e deve estar posicionada sobre a tabela. Exemplos podem ser
visualizados na Tabela 1, na Tabela 2 e na Tabela 3.

Tabela 1. Preços de alimentos em dólares de 1950-1952 a 1995-1997 [1].

ALIMENTO 1950-1952 1995-1977 VARIAÇÃO


Trigo 427,6 159,3 -62,7%
Arroz 789,7 282,3 -64,2%
Sorgo 328,7 110,9 -66,2%
Milho 372,0 119,1 -68,0%

Tabela 2. Comparativo de competitividade [2].

ALTERNATIVAS DE SUPRIMENTOS
PRINCIPAL
EMPRESA PARA A PRINCIPAL MATÉRIA- FLEXIBILIDADE
MATÉRIA-PRIMA
PRIMA
Copesul Nafta Disponibilidade de produto na Argentina 45% condensado e GLP
Copene Nafta Alternativas Venezuela e Argélia Inexistente
PQU Nafta Único fornecedor Inexistente
Rio Polímeros Etano Único fornecedor Inexistente
Baía Blanca Etano Projeto Mega / Única opção Inexistente
Baía Roja OMG Oh Long Johnson 100%

Tabela 3. Código-fonte C++.

1. #include <iostream>
2. using namespace std;
3. int main()
4. {
5. cout << "Hello world!" << endl;
6. return 0;
7. }
6

3.2. FIGURAS E GRÁFICOS

Adota-se uma simplificação relativa à Norma ABNT, não fazendo diferença entre
figuras e gráficos. Ambos os casos devem ser considerados figuras. A legenda deve ser
centralizada, não usar negrito, e deve estar posicionada sob a tabela. Exemplos podem ser
visualizados na Figura 1 e na Figura 2.

Figura 1. Logotipo da Universidade (adaptado do site da UPF [3]).

Figura 2. Uma imagem qualquer de acesso à internet 1999 – 2002.

3.3. EQUAÇÕES E FÓRMULAS

Equações e fórmulas devem ser colocadas em uma nova linha, centralizadas e


numeradas consecutivamente para fins de referência, como pode ser observado na
Equação (1). As equações devem ser referências conforme linha anterior, citado apenas o
número da equação entre parênteses.
−𝑏 ± √𝑏 2 − 4𝑎𝑐 (1)
𝑥=
2𝑎
Outros exemplos de referências cruzadas podem ser realizados. Exemplos:
Capítulo 2 e Seção 3.2.
7

4. EXEMPLOS DE CITAÇÕES

4.1. CITAÇÃO DIRETA

Deve iniciar e terminar por aspas duplas. Se o texto original já contiver aspas
duplas, substituí-las por aspas simples (apóstrofos). A indicação da página da citação pode
estar inserida ao final do texto citado. Os próximos parágrafos apresentam alguns exemplos.
Segundo Rieder, Kristensen e Pinho [4], “medidas fisiológicas ainda não podem
ser consideradas como substitutas de medidas de desempenho e de avaliação subjetiva”.
“A OpenGL é uma API complexa, com muitos detalhes que podem confundir o
iniciante” [5]. Apenas como exemplo, a Figura 3 mostra que a numeração de figuras é
sequencial ao longo do texto. A mesma regra aplica-se a tabelas e equações, cada qual em
suas respectivas listas de numeração.

Figura 3. Logotipo da OpenGL.

4.2. CITAÇÃO DIRETA COM MAIS DE TRÊS LINHAS

Deve ser destacada com recuo de 4 cm da margem esquerda, com letra menor que
do que a utilizada no texto. Não se utilizam aspas. A indicação da página da citação pode estar
inserida ao final do texto citado. Veja o exemplo a seguir.
Sobre o caderno de campo para dispositivos móveis, Silva et al. [6] considera que:
Para preencher a lacuna entre aplicações nativas e web, mantendo a portabilidade da
solução, faz-se necessário o uso de uma abordagem de desenvolvimento híbrido, em
que tecnologias web (HTML, CSS, Javascript) são utilizadas em conjunto com
recursos nativos de uma interface de programação (p. 2).
8

4.3. CITAÇÃO INDIRETA

Não se utilizam aspas para esse tipo de citação, nem a(s) página(s) de onde foi
extraída a ideia. Este é um dos formatos mais utilizados em monografias, pois apresenta a
ideia de outros autores utilizando suas próprias palavras.
Segundo a metodologia de avaliação de interfaces 3D apresentada por Rieder [7],
pode-se utilizar a medida fisiológica de condutância de pele para avaliar o nível de adaptação
do usuário ao ambiente virtual.
Redes de Petri podem ser utilizadas para especificar uma tarefa de interação,
possibilitando identificar partes de código reutilizáveis em novos projetos de interfaces de
Realidade Virtual [8].

4.4. CITAÇÃO DE CITAÇÃO

A indicação da fonte é iniciada pelo sobrenome do autor da obra citada (não


consultada). Em seguida, dentro de parênteses, utiliza-se a expressão latina apud ou citado
por, seguido do sobrenome do autor da obra consultada. Quando for citação direta, utilizar
aspas. Tome por base o exemplo a seguir.
Segundo Bowman, Gabbard e Hix [9] (apud Bowman et al. [10]), as técnicas para
manipulação 3D podem ser classificadas de maneira isomórfica, por decomposição de tarefas
e por metáfora de interação.

4.5. INDICAÇÃO DE CITAÇÃO

Exemplo com autor pessoal: De acordo com Combatalade [11], apesar da


precaução tomada em relação à preparação da pele, aplicação do gel condutor, colocação dos
eletrodos e instruções ao usuário, é muito difícil gravar dados de frequência cardíaca
absolutamente livre de ruídos.
Exemplo com dois autores: Cohen e Manssour [5] destacam que a OpenGL é uma
biblioteca de rotinas gráficas e de modelagem 2D e 3D, portável, rápida e que permite
desenvolver aplicações interativas com alto grau de realismo.
Exemplo com três autores: Conforme Rieder, Raposo e Pinho [8], tanto o
emprego de formalismos, como de taxonomias, visam otimizar o tempo de projeto e de
desenvolvimento de ambientes virtuais.
9

Exemplo com mais de três autores: Neste contexto, Bowman et al. [10] afirmam
que a Realidade Aumentada é uma área em expansão para novas e desafiadoras soluções.
Exemplo com autor institucional: De acordo com o site da UPF [3]: “Há 45 anos,
a Universidade de nossa comunidade”.
Exemplo sem autor, com a entrada pelo título: Segundo o manual de Referência
do GTK+ 3 [12], a última versão estável é a 3.10.6.
E, por fim, um exemplo de inserção de subfiguras – Figura 4(a) e Figura 4(b),
conforme mostra a Figura 4.

(a) Flor de lis azul. (b) Flor de lis vermelha.

Figura 4. Duas flores de lis.


10

5. CONCLUSÃO

Ao longo do texto, as citações são feitas através de números consecutivos entre


colchetes, de acordo com a ordem de citação. Ao final, a lista de referências deve ter o nome
de Referências sem numeração de seção. Não colocar quebra de página antes. As referências
que possuírem mais de três autores deverão ser colocados o nome do primeiro autor seguido
da expressão latina et al. As referências devem seguir a ordem de citação no texto e devem
estar formatadas de acordo com a norma ABNT NBR 6023.
Procure utilizar o recurso de “Citações e Bibliografia” do MS-Word, gerenciando
suas fontes bibliográficas e gerando automaticamente as referências. Este documento utiliza
os seguintes tipos de fonte bibliográfica:
 “Livro”, para referência a livros;
 “Artigo de Revista”, para referência aos artigos de revista e de periódicos;
 “Atas de Conferência”, para referência aos artigos publicados em conferências;
 “Relatório”, para referência a relatórios técnicos, dissertações e teses;
 “Site”, para referência a home pages;
 “Patente”, para referência a documentos de registro de produtos.

Veja mais detalhes no arquivo README, que contém os arquivos de


configuração de estilos bibliográficos e das fontes citadas neste modelo.
11

REFERÊNCIAS

[1] DE TAL, F. Um livro que não existe. 2. ed. Ghost: Fantasma, 1970. 37 p.
[2] MALUQUINHO, M. Inventor de uma Bibliografia em uma Data Improvável. INPI
123.456, 30 Fev. 2000.
[3] UPF. Universidade de Passo Fundo. Disponível em: <http://www.upf.br/>. Acesso em:
16 Jan. 2014.
[4] RIEDER, R.; KRISTENSEN, C. H.; PINHO, M. S. Identifying Relationships between
Physiological Measures and Evaluation Metrics for 3D Interaction Techniques. In:
INTERACT 2011 IFIP TC13 CONFERENCE ON HUMAN-COMPUTER
INTERACTION, XIII. Proceedings of INTERACT 2011. Lisbon: Springer. 2011. p. 662-
679.
[5] COHEN, M.; MANSSOUR, I. H. OpenGL: uma abordagem prática e objetiva. São
Paulo: Novatec, 2006. 478 p. ISBN 85-7522-084-5.
[6] SILVA, M. A. M. et al. Desenvolvimento de um Caderno de Campo para Plataformas
Móveis utilizando PhoneGap. IX Congresso Brasileiro de Agroinformática (SBIAgro
2013). Cuiabá: UFMT. 2013. 6 p.
[7] RIEDER, R. Avaliação da Qualidade de Técnicas de Interação em Ambientes Virtuais
Imersivos Utilizando Medidas Fisiológicas. 2011. 178p. Tese (Doutorado). PPGCC,
PUCRS, Porto Alegre.
[8] RIEDER, R.; RAPOSO, A. B.; PINHO, M. S. A Methodology to Specify Three-
dimensional Interaction using Petri Nets. Journal of Visual Languages and Computing,
v. 21, n. 3, p. 136-156, Jun. 2010.
[9] BOWMAN, D. A.; GABBARD, J. L.; HIX, D. A Survey of Usability Evaluation in
Virtual Environments: classification and comparison of methods. Presence:
Teleoperators and Virtual Environments, v. 11, n. 4, p. 404-424, 2002.
[10] BOWMAN, D. A. et al. 3D User Interfaces: theory and practice. Boston: Addison-
Wesley, 2004. 478 p. ISBN 0-201-75867-9.
[11] COMBATALADE, D. C. Basics of Heart Rate Variability Applied to Psychophysiology.
2010. 31p.
[12] GTK+ 3 Reference Manual. Disponível em: <https://developer.gnome.org/gtk3/>.
Acesso em: 31 Dez. 2013.