Você está na página 1de 65

Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

Licitações – Parte 1
Matéria: Direito Administrativo
Professor: Jonatas Albino do Nascimento
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

CONSIDERAÇÕES INICIAIS

Olá, Pessoal!
Trataremos hoje do assunto licitações, que é algo muito presente na
Administração Pública. Por tratar-se de tema um pouco extenso, vamos dividir
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

o tema em duas aulas. São muitos detalhes e por isso preciso da sua máxima
atenção!
Antes de começarmos nossa aula, aproveito para dar algumas dicas
para quem trabalha muito, como eu fazia quando era Oficial do Exército, e
precisa estudar pelo menos 5 horas por dia: aproveite todos os minutos do
seu dia! Dê uma olhada crítica no seu dia e veja como você pode otimizar suas
atividades, mesmo as que não estão ligadas ao estudo. Se você perde tempo
diariamente com o trânsito, você pode ver vídeo-aulas no carro, ou extrair os
áudios delas para usar esse tempo. Use seu intervalo de almoço, use o tempo
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

que está no banho. Use tudo! Eu tinha que fazer a barba todos os dias, então
enquanto fazia escutava a Constituição Federal. Pode parecer pouco tempo,
mas multiplique 10 minutos que sejam pela quantidade de dias nos quais
estaremos nos preparando. O montante certamente será considerável.
Portanto, faça isso! Reveja sua rotina, reinvente o tempo!
NOTA PARA A DINÂMICA “RESUMO + QUESTÕES”. O assunto tem
uma quantidade de informações muito grande, mesmo na presente proposta
que é de um resumo. Aconselho, ao candidato que já passou pelo tema em
outra oportunidade, que se atenha aos destaques realizados, ganhando
velocidade. As eventuais lacunas podem ser preenchidas por ocasião da
resolução de exercícios. No entanto, deixei uma quantidade considerável de
informações para que aquele aluno que nunca tenha tido contato com o tenha
consiga caminhar. Nesse caso, não atropele os temas sem entender. Quando
for necessário, leia todas as informações colocadas.
Vamos em frente!

Professor Jonatas Albino do Nascimento 2 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

LICITAÇÃO – PARTE 1

Sumário
1 – Introdução - Licitação .................................................................. 4
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

1.1 - Competência Legislativa .....................................................................................................5


2 – Princípios na licitação .................................................................. 6
2.1 - Isonomia ............................................................................................................................7
2.2 - Impessoalidade e julgamento objetivo ...............................................................................9
2.3 - Publicidade....................................................................................................................... 10
2.4 - Princípio de vinculação ao instrumento convocatório ....................................................... 10
2.5 - Princípios implícitos da licitação ....................................................................................... 10
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

3 – Fases da Licitação...................................................................... 11
3.1 – Edital ............................................................................................................................... 14
3.2 – Habilitação ...................................................................................................................... 18
3.3 – Julgamento ...................................................................................................................... 22
3.4 – Recursos .......................................................................................................................... 25
3.5 – Homologação .................................................................................................................. 26
3.6 - Assinatura do contrato .....................................................................................................28

4 - Exceções à regra de licitar .......................................................... 28


4.1 - Inexigibilidade .................................................................................................................. 29
4.2 - Licitação dispensada......................................................................................................... 30
4.3 - Licitação dispensável ........................................................................................................ 33
5 – Questões Comentadas ............................................................... 40
6 – Listas de exercícios ................................................................... 57
7 – Gabarito .................................................................................... 64
8– Referencial Bibliográfico ............................................................. 65

Professor Jonatas Albino do Nascimento 3 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

1 – Introdução

Por meio da licitação, a APU busca maximizar sua eficiência,


realizando contratos com aqueles se dispõem a estabelecer o vínculo
numa situação mais favorável para a APU (e para a sociedade,
indiretamente).
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Notem que situação mais favorável não é sinônimo de menor preço.


Outros critérios são utilizados, como a qualidade, prazo, garantias prestadas,
sustentabilidade, etc.
Em regra, a realização de obras, serviços, compras, alienações,
concessões e locações (entre outros) quando contratados com terceiros devem
ser precedidos de licitação. Vejam o que diz a CF/88:
“Art. 37. A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos


princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência
e, também, ao seguinte: (...)
XXI - ressalvados os casos especificados na legislação, as obras, serviços,
compras e alienações serão contratados mediante processo de licitação
pública que assegure igualdade de condições a todos os concorrentes, com
cláusulas que estabeleçam obrigações de pagamento, mantidas as condições
efetivas da proposta, nos termos da lei, o qual somente permitirá as
exigências de qualificação técnica e econômica indispensáveis à
garantia do cumprimento das obrigações.”

Percebe-se que licitar é verdadeira obrigação a ser cumprida pelos entes


políticos. O texto deixa claro que só o estritamente necessário pode ser
exigido para os licitantes. Vejamos mais um trecho:
“Art. 175. Incumbe ao Poder Público, na forma da lei, diretamente ou sob
regime de concessão ou permissão, sempre através de licitação, a
prestação de serviços públicos.”

Aqui o interessante é que no caso da prestação de serviços públicos


não há ressalva quanto a hipóteses de dispensa previstas na
legislação. Se há prestação de serviços públicos por terceiros, então a
realização de licitação é obrigatória e na modalidade concorrência.

Concessão de Modalidade
Tem que ter licitação
serviço público concorrência

Professor Jonatas Albino do Nascimento 4 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

Segundo o estatuto das licitações (Lei nº 8.666/93), subordinam-se


ao regime da licitação, além dos órgãos da administração direta, os fundos
especiais, as autarquias, as fundações públicas, as empresas públicas, as
sociedades de economia mista e demais entidades controladas direta ou
indiretamente pela União, Estados, Distrito Federal e Municípios.
Um ponto muito importante é que as SEM e EP (Sociedades de
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Economia Mista e Empresas Públicas) que desempenham atividade


econômica somente estão obrigadas a licitar nas suas atividades-
meio, mas não nas atividades-fim. Já imaginou a Petrobras fazendo uma
licitação a cada carro que parasse para abastacer?

1.1 - Competência Legislativa


Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

A competências para estabelecer normas gerais sobre licitação é da


União. Vejamos o que diz a CF/88:
“Art. 22. Compete privativamente à União legislar sobre(...)
XXVII - normas gerais de licitação e contratação, em todas as
modalidades, para as administrações públicas diretas, autárquicas e
fundacionais da União, Estados, Distrito Federal e Municípios, obedecido o
disposto no art. 37, XXI, e para as empresas públicas e sociedades de
economia mista, nos termos do art. 173, § 1°, III”

Vamos destrinchar o texto:


1º) A competência para legislar sobre normas gerais de
licitação/contratação de todos os entes políticos é da União.
2º) O artigo 173 estabelece que a lei estabelecerá o estatuto jurídico da
empresa pública, da sociedade de economia mista e de suas
subsidiárias que explorem atividade econômica de produção ou
comercialização de bens ou de prestação de serviços, dispondo sobre:
I - sua função social e formas de fiscalização pelo Estado e pela sociedade;
II - a sujeição ao regime jurídico próprio das empresas privadas, inclusive
quanto aos direitos e obrigações civis, comerciais, trabalhistas e tributários;
III - licitação e contratação de obras, serviços, compras e alienações,
observados os princípios da administração pública;
IV - a constituição e o funcionamento dos conselhos de administração e fiscal,
com a participação de acionistas minoritários;
V - os mandatos, a avaliação de desempenho e a responsabilidade dos
administradores.

Professor Jonatas Albino do Nascimento 5 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

Esse estatuto foi publicado e corresponde à Lei nº 13.303/2016,


também conhecida como Lei das Estatais. Percebam que as EP e SEM que
prestem serviços públicos não estao englobadas nesse conceito.
3º) Os Estados, DF e municípios possuem capacidade legislativa para
tratar sobre temas específicos referentes a licitação e contratação, atuando
de forma supletiva naquilo que lhes é peculiar.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

• Capacidade para legislar sobre normas


União gerais de licitação e contratos

• Capacidade para legislar sobre normas


específicas de licitação e contratos -
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

Estados, DF e Municípios capacidade supletiva

2 – Princípios na licitação

A Lei nº 8.666/93 estabelece que a licitação destina-se a garantir a


observância do princípio constitucional da isonomia, a seleção da
proposta mais vantajosa para a administração e a promoção do
desenvolvimento nacional sustentável e será processada e julgada em
estrita conformidade com os princípios básicos da legalidade, da
impessoalidade, da moralidade, da igualdade, da publicidade, da
probidade administrativa, da vinculação ao instrumento convocatório,
do julgamento objetivo e dos que lhes são correlatos.
Esse elenco de princípios não é exaustivo. Já estudamos diversos desses
princípios e por isso vamos falar apenas daqueles que tenham alguma
especificidade relativa a licitação.

Professor Jonatas Albino do Nascimento 6 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

Legalidade

Isonomia

Impessoalidade

Princípios da Licitação
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

LIMP

Moralidade
Probidade
administrativa
Publicidade
Vinculação ao
instrumento
convocatório
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

Julgamento objetivo

2.1 - Isonomia

Por esse princípio, todos os licitantes devem ser tratados de forma


igual, isonômica. Segundo a lei, é vedado aos agentes públicos admitir,
prever, incluir ou tolerar, nos atos de convocação, cláusulas ou condições que
comprometam, restrinjam ou frustrem o seu caráter competitivo,
inclusive nos casos de sociedades cooperativas, e estabeleçam preferências ou
distinções em razão da naturalidade, da sede ou domicílio dos licitantes ou de
qualquer outra circunstância impertinente ou irrelevante para o específico
objeto do contrato, ressalvado os casos previstos em lei.

 PREFERÊNCIA NO PROCESSO LICITATÓRIO

Bens e Serviços Brasileiros


Relativisando o princípio da isonomia, a lei estabelece que, em
igualdade de condições, como critério de desempate, será assegurada
preferência, sucessivamente, aos bens e serviços: produzidos no País,
produzidos ou prestados por empresas brasileiras e produzidos ou
prestados por empresas que invistam em pesquisa e no
desenvolvimento de tecnologia no País.

Professor Jonatas Albino do Nascimento 7 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

Bens e serviços
produzidos No país

Critério de
desempate em Por empresa brasileira
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

licitações

Por empresa que


invista em tecnologia
no país

Setor de Informática/Automação
Os órgãos e entidades da Administração Pública Federal, direta ou
indireta, as fundações instituídas e mantidas pelo Poder Público e as demais
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

organizações sob o controle direto ou indireto da União darão preferência,


nas aquisições de bens e serviços de informática e automação,
observada a seguinte ordem, a:
I - bens e serviços com tecnologia desenvolvida no País;
II - bens e serviços produzidos de acordo com processo produtivo básico,
na forma a ser definida pelo Poder Executivo.

Margem de Preferência Produtos Manufaturados/Serviços Nacionais


Tal margem será estabelecida com base em estudos revistos
periodicamente, em prazo não superior a 5 (cinco) anos, que levem em
consideração:
I - geração de emprego e renda;
II - efeito na arrecadação de tributos federais, estaduais e municipais;
III - desenvolvimento e inovação tecnológica realizados no País;
IV - custo adicional dos produtos e serviços;
V - em suas revisões, análise retrospectiva de resultados.

Margem de preferência

Grupo de
Estabelecida com
Divide-se em produtos
base em Prazo máximo de
normal e definidos pelo
estudos revistos 5 anos
adicional Poder Executivo
periodicamente
Federal

Professor Jonatas Albino do Nascimento 8 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

Preferência EPPs/MEs
Segundo a Lei Complementar nº 123/06, nas licitações será
assegurada, como critério de desempate, preferência de contratação
para as microempresas e empresas de pequeno porte.
Entende-se por empate aquelas situações em que as propostas
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

apresentadas pelas microempresas e empresas de pequeno porte sejam


iguais ou até 10% (dez por cento) superiores à proposta mais bem
classificada. Na modalidade de pregão, o intervalo percentual estabelecido
será de até 5% (cinco por cento) superior ao melhor preço.

Preferência p/ EPPs e MEs


Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

Demais
Pregão
modalidades

Até 5% Até 10%


superiores superiores

Ocorrendo o empate (segundo definição acima), proceder-se-á da


seguinte forma:
1º - a microempresa ou empresa de pequeno porte mais bem classificada
poderá apresentar proposta de preço inferior àquela considerada
vencedora do certame, situação em que será adjudicado em seu favor o
objeto licitado;
2º - não ocorrendo a contratação da microempresa ou empresa de
pequeno porte, serão convocadas as remanescentes que porventura se
enquadrem na hipótese acima, na ordem classificatória, para o exercício do
mesmo direito. Explicando: se a primeira EPP/ME não cobrir o valor, será
chamada a segunda EPP/ME para que o faça. Até quando? Até que apareça
uma EPP/ME que cubra a melhor proposta ou que não haja mais nenhuma
EPP/ME que tenha “empatado” com o melhor licitante.

2.2 - Impessoalidade e julgamento objetivo

O julgamento deve ser objetivo, sem privilegiar nenhum licitante


em detrimento dos outros que estejam na mesma situação. Este é o
princípio do julgamento objetivo, intimamente ligado à impessoalidade.

Professor Jonatas Albino do Nascimento 9 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

Ainda segundo o princípio do julgamento objetivo, no julgamento das


propostas, a Comissão levará em consideração os critérios objetivos
definidos no edital ou convite, os quais não devem contrariar as normas e
princípios estabelecidos na Lei.
É vedada a utilização de qualquer elemento, critério ou fator sigiloso,
secreto, subjetivo ou reservado que possa, ainda que indiretamente, elidir o
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

princípio da igualdade entre os licitantes.

Licitantes Quem atender


devem ser aos requisitos
Impessoalidade tratados de necessários
forma poderá
isonômica participar
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

Devem ser
É vedado o uso
utilizados os
Julgamento de qualquer
critérios
objetivo critério ou fator
previstos no
sigiloso
edital/convite

2.3 - Publicidade

Estebelece a lei que a licitação não será sigilosa, sendo públicos e


acessíveis ao público os atos de seu procedimento, salvo quanto ao
conteúdo das propostas, até a respectiva abertura. A publicidade é
essencial para o controle pela sociedade.

2.4 - Princípio de vinculação ao instrumento convocatório

Por esse princípio, estabelece a lei que a APU não pode descumprir as
normas e condições do edital/convite, ao qual se acha estritamente vinculada.
O edital é a lei interna da licitação e como tal vincula tanto a APU
quanto os licitantes.

2.5 - Princípios implícitos da licitação

Além dos princípios expressos na lei, a doutrina aponta outros, como o


princípio da obrigatoriedade, no qual a regra é a necessidade de
licitação para contratação com terceiros de obras, serviços, compras, etc.
O princípio do formalismo estabelece que o procedimento licitatório
previsto nesta lei caracteriza ato administrativo formal, seja ele
praticado em qualquer esfera da Administração Pública.

Professor Jonatas Albino do Nascimento 10 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

Já o princípio do sigilo das propostas determina que as propostas


serão mantidas em sigilo, até a abertura dos envelopes que será
realizada sempre em ato público previamente designado, do qual se lavrará
ata circunstanciada, assinada pelos licitantes presentes e pela Comissão.
Pelo princípio da adjudicação compulsória ao vencedor, a APU não
pode, depois de encerrada a licitação e definido o vencedor, atribuir a
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

outro a realização do contrato e nem abrir outra licitação enquanto


houver procedimento válido. É uma regra similar ao concurso público,
lembram?
Já o princípio da competitividade determina que é vedado aos
agentes públicos admitir, prever, incluir ou tolerar, nos atos de convocação,
cláusulas ou condições que comprometam, restrinjam ou frustrem o
seu caráter competitivo.
Veja que os princípios aplicados às licitações públicas se relacionam
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

entre si de forma bastante clara.

Obrigatoriedade

Adjudicação Formalidade
compulsória

Sigilo das
Competitividade propostas

3 – Fases da Licitação

Podemos dividir o procedimento licitatório em duas fases, a


interna e a externa. A fase interna corresponde a todos os atos praticados
antes da convocação dos licitantes para participarem do certame.
Nessa etapa é realizado o levantamento das necessidades para definir como
ocorrerá a licitação.
Podemos citar como atos da fase interna: a designação da
comissão de licitação, pesquisa de preços, preparação da minuta do

Professor Jonatas Albino do Nascimento 11 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

edital e do contrato, audiências públicas, levantamento dos recursos


orçamentários, etc.

Fase interna da licitação


Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Elaboração
Levantamento Realização de
Designação da Pesquisa da minuta
dos recursos audiências
comissão de preços do edital e
orçamentários públicas
contrato

A lei estabelece que sempre que o valor estimado para uma licitação ou
para um conjunto de licitações simultâneas ou sucessivas for superior a R$
330.000.000,00, o processo licitatório será iniciado, obrigatoriamente, com
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

uma audiência pública concedida pela autoridade responsável com


antecedência mínima de 15 (quinze) dias úteis da data prevista para a
publicação do edital, e divulgada, com a antecedência mínima de 10 (dez) dias
úteis de sua realização, pelos mesmos meios previstos para a publicidade da
licitação, à qual terão acesso e direito a todas as informações pertinentes e a
se manifestar todos os interessados.
Com a publicação do edital ou envio dos convites, inicia-se a fase
externa da licitação.

Fase Interna Fase Externa

Publicação do
Edital/envio dos
convites

Já na fase externa, ocorrem diversas etapas como a divulgação, análise


da habilitação dos participantes, julgamento das propostas e recursos,
adjudicação e assinatura. Vejam o encadeamento das etapas na fase externa:

Recebimento
Convocação Julgamento e
dos
dos Habilitação classificação
documentos e
interessados das propostas
propostas

Assinatura do
Adjudicação Homologação
contrato

Professor Jonatas Albino do Nascimento 12 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

Vamos estudar em detalhes o procedimento licitatório. Dependendo do


tipo de modalidade, temos pequenas mudanças em tal procedimento, que
serão devidamente explicadas.

Comissão de Licitação
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

A comissão de licitação é responsável por cuidar do registro


cadastral e das fases de habilitação e julgamento. Após o julgamento,
encaminhará o processo para que autoridade competente o avalie e
homologue, se concordar com a licitude do procedimento.
Será do tipo permanente ou especial, criada pela Administração com
a função de receber, examinar e julgar todos os documentos e procedimentos
relativos às licitações e ao cadastramento de licitantes.
A comissão especial é criada para cuidar de determinada licitação e
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

tem duração estabelecida para tal. Já a comissão permanente atua de


forma contínua e por tempo indeterminado, geralmente cuidando das
licitações de um órgão/entidade.

Criada para atuar


Especial em determinada
licitação
Comissão
Atua de forma
Permanente contínua em
diversas licitações

A habilitação preliminar, a inscrição em registro cadastral, a sua


alteração ou cancelamento, e as propostas serão processadas e julgadas por
comissão permanente ou especial de, no mínimo, 3 (três) membros, sendo
pelo menos 2 (dois) deles servidores qualificados pertencentes aos quadros
permanentes dos órgãos da Administração responsáveis pela licitação.

Composição da comissão

2 devem ser servidores do


Mínimo de 3 membros
quadro permanente

No caso de convite, a comissão de licitação, excepcionalmente, nas


pequenas unidades administrativas e em face da exigüidade de pessoal

Professor Jonatas Albino do Nascimento 13 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

disponível, poderá ser substituída por servidor formalmente designado pela


autoridade competente.
Os membros das comissões de licitação responderão
solidariamente por todos os atos praticados pela Comissão, salvo se
posição individual divergente estiver devidamente fundamentada e
registrada em ata lavrada na reunião em que tiver sido tomada a decisão.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

A investidura dos membros das comissões permanentes não


excederá a 1 (um) ano, vedada a recondução da totalidade de seus
membros para a mesma comissão no período subseqüente.
No caso de concurso, o julgamento será feito por uma comissão
especial integrada por pessoas de reputação ilibada e reconhecido
conhecimento da matéria em exame, servidores públicos ou não.
O leilão pode ser cometido a leiloeiro oficial ou a servidor designado
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

pela Administração, procedendo-se na forma da legislação pertinente.

3.1 – Edital

Já estudamos que o edital é a lei interna da licitação, vinculando


todas as parte envolvidas – seja a APU ou os licitantes. Assim, o
descumprimento do edital é motivo para anulação da licitação devido ao
princípio de vinculação ao instrumento convocatório.
O edital conterá no preâmbulo o número de ordem em série anual, o
nome da repartição interessada e de seu setor, a modalidade, o regime de
execução e o tipo da licitação, a menção de que será regida pela Lei nº
8.666/93, o local, dia e hora para recebimento da documentação e proposta,
bem como para início da abertura dos envelopes, e indicará,
obrigatoriamente, o seguinte:
I - objeto da licitação, em descrição sucinta e clara;
II - prazo e condições para assinatura do contrato ou retirada dos
instrumentos, para execução do contrato e para entrega do objeto da
licitação;
III - sanções para o caso de inadimplemento;
IV - local onde poderá ser examinado e adquirido o projeto básico;
V - se há projeto executivo disponível na data da publicação do edital de
licitação e o local onde possa ser examinado e adquirido;
VI - condições para participação na licitação e forma de apresentação das
propostas;
VII - critério para julgamento, com disposições claras e parâmetros
objetivos;

Professor Jonatas Albino do Nascimento 14 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

VIII - locais, horários e códigos de acesso dos meios de comunicação à


distância em que serão fornecidos elementos, informações e esclarecimentos
relativos à licitação e às condições para atendimento das obrigações
necessárias ao cumprimento de seu objeto;
IX - condições equivalentes de pagamento entre empresas brasileiras e
estrangeiras, no caso de licitações internacionais;
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

X - o critério de aceitabilidade dos preços unitário e global, conforme o caso,


permitida a fixação de preços máximos e vedados a fixação de preços
mínimos, critérios estatísticos ou faixas de variação em relação a preços de
referência,
XI - critério de reajuste, que deverá retratar a variação efetiva do custo de
produção, admitida a adoção de índices específicos ou setoriais, desde a data
prevista para apresentação da proposta, ou do orçamento a que essa proposta
se referir, até a data do adimplemento de cada parcela;
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

XIII - limites para pagamento de instalação e mobilização para execução de


obras ou serviços que serão obrigatoriamente previstos em separado das
demais parcelas, etapas ou tarefas;
XIV - condições de pagamento, prevendo:
a) prazo de pagamento não superior a trinta dias, contado a partir
da data final do período de adimplemento de cada parcela;
b) cronograma de desembolso máximo por período, em conformidade
com a disponibilidade de recursos financeiros;
c) critério de atualização financeira dos valores a serem pagos, desde a
data final do período de adimplemento de cada parcela até a data do
efetivo pagamento;
d) compensações financeiras e penalizações, por eventuais atrasos, e
descontos, por eventuais antecipações de pagamentos;
e) exigência de seguros, quando for o caso;
XV - instruções e normas para os recursos previstos na Lei;
XVI - condições de recebimento do objeto da licitação;
XVII - outras indicações específicas ou peculiares da licitação.
Por mais que pareça detalhado, isso é apenas uma orientação geral
para elaboração do edital. Em caso de necessidade, outros itens podem e
devem ser inseridos.

Professor Jonatas Albino do Nascimento 15 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

fixação de Preço máximo - permitido

fixação de preço mínimo - vedado


Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

A lei estabece também uma lista exemplificativa de documentos que


devem ser anexos do edital. Vejamos:
I - o projeto básico e/ou executivo, com todas as suas partes, desenhos,
especificações e outros complementos;
II - orçamento estimado em planilhas de quantitativos e preços unitários;
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

III - a minuta do contrato a ser firmado entre a Administração e o licitante


vencedor;
IV - as especificações complementares e as normas de execução pertinentes à
licitação.

Documentos que devem


acompanhar o edital

Projeto Básico e/ou Orçamento


Minuta do contrato
Executivo estimado

Projeto Básico é considerado o conjunto de elementos necessários


e suficientes, com nível de precisão adequado, para caracterizar a
obra ou serviço, ou complexo de obras ou serviços objeto da licitação.
Ele é elaborado com base nas indicações dos estudos técnicos
preliminares, que assegurem a viabilidade técnica e o adequado
tratamento do impacto ambiental do empreendimento, e que possibilite a
avaliação do custo da obra e a definição dos métodos e do prazo de
execução.
A lei estabelece que projeto executivo é o conjunto dos elementos
necessários e suficientes à execução completa da obra, de acordo com
as normas pertinentes da Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT.
As licitações para a execução de obras e para a prestação de
serviços obedecerão à seguinte seqüência:
I - projeto básico;

Professor Jonatas Albino do Nascimento 16 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

II - projeto executivo;
III - execução das obras e serviços.

Projeto Básico
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Projeto Executivo

Execução da obra/serviço
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

A execução de cada etapa será obrigatoriamente precedida da


conclusão e aprovação, pela autoridade competente, dos trabalhos relativos
às etapas anteriores, à exceção do projeto executivo, o qual poderá ser
desenvolvido concomitantemente com a execução das obras e serviços, desde
que também autorizado pela Administração.
As obras e os serviços somente poderão ser licitados quando:
I - houver projeto básico aprovado pela autoridade competente e disponível
para exame dos interessados em participar do processo licitatório;
II - existir orçamento detalhado em planilhas que expressem a composição
de todos os seus custos unitários;
III - houver previsão de recursos orçamentários que assegurem o
pagamento das obrigações decorrentes de obras ou serviços a serem
executadas no exercício financeiro em curso, de acordo com o respectivo
cronograma;
IV - o produto dela esperado estiver contemplado nas metas estabelecidas no
Plano Plurianual, quando for o caso.

Observem que o projeto básico é sempre necessário, ao contrário


do projeto executivo, que poderá ser desenvolvido
concomitantemente com a execução das obras e serviços, desde que
também autorizado pela Administração. Essa possibilidade de dispensa do
projeto executivo é apontada como uma das princípais causas dos erros
verificados nas licitações públicas.

Professor Jonatas Albino do Nascimento 17 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

Projeto Básico Projeto Executivo

• Possibilita a avaliação de • Possibilita a execução


impactos, prazos, custos, etc completa da obra
• Sempre necessário • Pode ser desenvolvido junto
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

com o serviço/obra

Em relação aos prazos para publicação, há variação conforme a


modalidade em questão. Segue abaixo um quadro que resumo essas
informações.
Prazo mínimo (entre publicação e entrega da proposta)
Tipo Dias Tipo
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

Concursos 45 Corridos
45 Corridos
(empreitada integral ou
tipo "melhor técnica" ou
Concorrência "técnica e preço")

30 Corridos
(outros)

30 Corridos
(tipo "melhor técnica"
Tomada de preços ou "técnica e preço")

15 Corridos
(outros)

Leilão 15 Corridos
Pregão 8 Úteis
Convite 5 Úteis

3.2 – Habilitação

É nessa fase que é verificado se os licitantes têm condições de


participar do processo licitatório, pois são avaliadas as condições pessoais
dos participantes. É também chamada de fase subjetiva.
Nessa fase ocorre a abertura dos envelopes contendo a documentação
relativa à habilitação dos concorrentes e sua apreciação. Se forem
considerados inabilitados, ocorrerá a devolução dos envelopes

Professor Jonatas Albino do Nascimento 18 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

fechados contendo as respectivas propostas, desde que não tenha havido


recurso ou após sua denegação.
Exigir-se-á dos interessados, exclusivamente, documentação relativa a:
I - habilitação jurídica;
II - qualificação técnica;
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

III - qualificação econômico-financeira;


IV – regularidade fiscal e trabalhista;
V – cumprimento da proibição de trabalho noturno, perigoso ou insalubre a
menores de dezoito e de qualquer trabalho a menores de dezesseis anos,
salvo na condição de aprendiz, a partir de quatorze anos, de acordo com a
CF/88.
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

Regularidade
Habilitação Para se
fiscal e
jurídica habilitar
trabalhista

Qualificação Não contratar


técnica irregularmente
Qualificação
menores
econômico-
financeira

A documentação relativa à habilitação jurídica, conforme o caso,


consistirá em:
I - cédula de identidade;
II - registro comercial, no caso de empresa individual;
III - ato constitutivo, estatuto ou contrato social em vigor, devidamente
registrado, em se tratando de sociedades comerciais, e, no caso de sociedades
por ações, acompanhado de documentos de eleição de seus administradores;
IV - inscrição do ato constitutivo, no caso de sociedades civis,
acompanhada de prova de diretoria em exercício;
V - decreto de autorização, em se tratando de empresa ou sociedade
estrangeira em funcionamento no País, e ato de registro ou autorização
para funcionamento expedido pelo órgão competente, quando a atividade
assim o exigir.

A documentação relativa à qualificação técnica limitar-se-á a:


I - registro ou inscrição na entidade profissional competente;

Professor Jonatas Albino do Nascimento 19 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

II - comprovação de aptidão para desempenho de atividade pertinente e


compatível em características, quantidades e prazos com o objeto da licitação,
e indicação das instalações e do aparelhamento e do pessoal técnico adequados
e disponíveis para a realização do objeto da licitação, bem como da qualificação
de cada um dos membros da equipe técnica que se responsabilizará pelos
trabalhos;
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

III - comprovação, fornecida pelo órgão licitante, de que recebeu os


documentos, e, quando exigido, de que tomou conhecimento de todas as
informações e das condições locais para o cumprimento das obrigações objeto
da licitação;
IV - prova de atendimento de requisitos previstos em lei especial, quando
for o caso.
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

A documentação relativa à qualificação econômico-financeira


limitar-se-á:
I - balanço patrimonial e demonstrações contábeis do último exercício
social, já exigíveis e apresentados na forma da lei, que comprovem a boa
situação financeira da empresa, vedada a sua substituição por balancetes ou
balanços provisórios, podendo ser atualizados por índices oficiais quando
encerrado há mais de 3 (três) meses da data de apresentação da proposta;
II - certidão negativa de falência ou recuperação judicial expedida pelo
distribuidor da sede da pessoa jurídica, ou de execução patrimonial, expedida
no domicílio da pessoa física;
III - garantia, nas mesmas modalidades e critérios previstos na lei, limitada
a 1% (um por cento) do valor estimado do objeto da contratação.

A documentação relativa à regularidade fiscal e trabalhista,


conforme o caso, consistirá em:
I - prova de inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) ou no Cadastro
Geral de Contribuintes (CGC);
II - prova de inscrição no cadastro de contribuintes estadual ou municipal,
se houver, relativo ao domicílio ou sede do licitante, pertinente ao seu ramo
de atividade e compatível com o objeto contratual;
III - prova de regularidade para com a Fazenda Federal, Estadual e
Municipal do domicílio ou sede do licitante, ou outra equivalente, na forma da
lei;
IV - prova de regularidade relativa à Seguridade Social e ao Fundo de
Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), demonstrando situação regular no
cumprimento dos encargos sociais instituídos por lei;

Professor Jonatas Albino do Nascimento 20 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

V – prova de inexistência de débitos inadimplidos perante a Justiça do


Trabalho, mediante a apresentação de certidão negativa.

Com relação às MEs e EPPs, a Lei nº 123/06 estabelece que a


comprovação de regularidade fiscal será exigida apenas na assinatura
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

do contrato. Notem que as empresas têm que apresentar toda a


documentação, mas não serão inabilitadas por pendências fiscais.
Caso venham a vencer o certame e seja verificada pendências, terão o
prazo de 5 dias úteis para regularizá-las.
Quando permitida na licitação a participação de empresas em
consórcio, observar-se-ão as seguintes normas:
I - comprovação do compromisso público ou particular de constituição de
consórcio, subscrito pelos consorciados;
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

II - indicação da empresa responsável pelo consórcio que deverá atender às


condições de liderança, obrigatoriamente fixadas no edital;
III - apresentação dos documentos de habilitação por parte de cada
consorciado, admitindo-se, para efeito de qualificação técnica, o somatório dos
quantitativos de cada consorciado, e, para efeito de qualificação econômico-
financeira, o somatório dos valores de cada consorciado, na proporção de sua
respectiva participação, podendo a Administração estabelecer, para o
consórcio, um acréscimo de até 30% (trinta por cento) dos valores
exigidos para licitante individual, inexigível este acréscimo para os
consórcios compostos, em sua totalidade, por micro e pequenas
empresas assim definidas em lei;
IV - impedimento de participação de empresa consorciada, na mesma
licitação, através de mais de um consórcio ou isoladamente;
V - responsabilidade solidária dos integrantes pelos atos praticados em
consórcio, tanto na fase de licitação quanto na de execução do contrato.

No consórcio de empresas brasileiras e estrangeiras a liderança


caberá, obrigatoriamente, à empresa brasileira.
A APU poderá dispensar a apresentação da documentação referente à
habilitação jurídica, qualificação técnica, qualificação econômica-
financeira e regularidade fiscal, no todo ou em parte, nos casos de
convite, concurso, fornecimento de bens para pronta entrega e leilão.

Registros Cadastrais
Em relaçaõ aos registros cadastrais, podemos resumir o tema no
esquema abaixo.

Professor Jonatas Albino do Nascimento 21 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

Registro cadastral
• Deve ser amplamento divulgado;
• Permanentemente aberto para novos registros;
• Cabe recurso no prazo de 5 dias úteis contra indef. do registro;
• Válido por no máximo 1 ano - registro individual;
• Pedidos são julgados por comissão de no mínimo 3 membros,
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

sendo 2 servidores permanentes.

3.3 – Julgamento

Na etapa de julgamento, as propostas são classificadas de acordo


Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

com os critérios definidos no instrumento convocatório, de forma que a


melhor proposta ocupe a primeira colocação e assim sucessivamente.
Pode-se dizer que a fase de julgamento possui duas etapas
diferentes. Na primeira, a avaliação é se as propostas entregues estão
de acordo com o especificado no edital. Aquelas que não atenderem tal
requisito serão desclassificadas.
Serão desclassificadas:
I - as propostas que não atendam às exigências do ato convocatório da
licitação;
II - propostas com valor global superior ao limite estabelecido ou com preços
manifestamente inexeqüiveis, assim considerados aqueles que não venham a
ter demonstrada sua viabilidade através de documentação que comprove que
os custos dos insumos são coerentes com os de mercado e que os coeficientes
de produtividade são compatíveis com a execução do objeto do contrato,
condições estas necessariamente especificadas no ato convocatório da
licitação.

O edital pode prever que os licitantes apresentem amostras na


fase de classificação para verificar a qualidade dos produtos. Notem que tal
exigência não pode ocorrer na fase da habilitação.
A lei diz que o edital indicará o critério de aceitabilidade dos preços
unitário e global, conforme o caso, permitida a fixação de preços máximos e
vedados a fixação de preços mínimos, critérios estatísticos ou faixas de
variação em relação a preços de referência. Apesar da redação da lei não dizer
isso, o TCU entende que é obrigatório a fixação de preços máximos
pela APU.

Professor Jonatas Albino do Nascimento 22 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

Consideram-se manifestamente inexeqüíveis, no caso de licitações


de menor preço para obras e serviços de engenharia, as propostas cujos
valores sejam inferiores a 70% (setenta por cento) do menor dos
seguintes valores:
a) média aritmética dos valores das propostas superiores a 50%
(cinqüenta por cento) do valor orçado pela administração, ou
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

b) valor orçado pela administração.

Desclassificação
da propostas
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

Desacordo com o
Preços
previsto no
inaceitáveis
edital/convite

Como critério de desempate, será assegurada preferência,


sucessivamente, aos bens e serviços:

•Produzidos no país
1O

•Produzidos/prestados por empresa brasileira


2o

•Produzidos ou prestados por empresas que invistam em


pesquisa e no desenvolvimento de tecnologia no País
3o

Persistindo o empate, será realizado sorteio em ato público.

Tipos de Licitação
Tipo de licitação corresponde ao critério que é utilizado para o
julgamento das propostas. A Lei nº 8.666/93 estabelece os seguintes tipos de
licitação:
 Menor preço;

Professor Jonatas Albino do Nascimento 23 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

 Melhor técnica;
 Técnica e preço;
 Maior lance ou oferta, nos caso de alienação/concessão de uso real de
bem.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Os tipos de licitação "melhor técnica" ou "técnica e preço" serão


utilizados exclusivamente para serviços de natureza predominantemente
intelectual, em especial na elaboração de projetos, cálculos, fiscalização,
supervisão e gerenciamento e de engenharia consultiva em geral e, em
particular, para a elaboração de estudos técnicos preliminares e projetos
básicos e executivos.
No parágrafo acima fica claro que a lei dá preferência à modalidade
“menor preço”, por ser esta dotada de menor grau de subjetividade. Por isso,
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

procura restringir o uso dos outros tipos de licitação.


Para contratação de bens e serviços de informática, a administração
adotará obrigatoriamento o tipo de licitação "técnica e preço", permitido o
emprego de outro tipo de licitação nos casos indicados em Decreto do Poder
Executivo.
Se, entretanto, a modalidade for o pregão na aquisição de bens e
serviços de informática e automação, será adotado o tipo menor preço. Isso
só pode ocorrer se tais produtos/serviços possam ser encarados como comuns
(Lei nº 8.248/91, artigo 3º).
No caso de serviços de publicidade, serão adotados obrigatoriamente os
tipos “melhor técnica” ou “técnica e preço”.
Nas licitações do tipo "melhor técnica" será adotado o seguinte
procedimento claramente explicitado no instrumento convocatório, o qual
fixará o preço máximo que a Administração se propõe a pagar:
1º - serão abertos os envelopes contendo as propostas técnicas
exclusivamente dos licitantes previamente qualificados e feita então a
avaliação e classificação destas propostas de acordo com os critérios
pertinentes e adequados ao objeto licitado, definidos com clareza e
objetividade no instrumento convocatório e que considerem a capacitação e
a experiência do proponente, a qualidade técnica da proposta,
compreendendo metodologia, organização, tecnologias e recursos
materiais a serem utilizados nos trabalhos, e a qualificação das equipes
técnicas a serem mobilizadas para a sua execução;
2º - uma vez classificadas as propostas técnicas, proceder-se-á à
abertura das propostas de preço dos licitantes que tenham atingido a
valorização mínima estabelecida no instrumento convocatório e à
negociação das condições propostas, com a proponente melhor
classificada, com base nos orçamentos detalhados apresentados e

Professor Jonatas Albino do Nascimento 24 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

respectivos preços unitários e tendo como referência o limite representado


pela proposta de menor preço entre os licitantes que obtiveram a valorização
mínima;
3º - no caso de impasse na negociação anterior, procedimento idêntico será
adotado, sucessivamente, com os demais proponentes, pela ordem de
classificação, até a consecução de acordo para a contratação;
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

4º - as propostas de preços serão devolvidas intactas aos licitantes que não


forem preliminarmente habilitados ou que não obtiverem a valorização mínima
estabelecida para a proposta técnica.

Percebam que mesmo no tipo “melhor técnica” o fator preço não é posto
de lado. O que ocorre é a escolha da melhor técnica e, posteriormente, a
negociação para contratar com o menor preço proposto pelos licitantes
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

classificados.
Nas licitações do tipo "técnica e preço" será adotado, adicionalmente
ao escrito acima (todos os critérios do tipo melhor técnica também valem
aqui), o seguinte procedimento claramente explicitado no instrumento
convocatório:
I - será feita a avaliação e a valorização das propostas de preços, de acordo
com critérios objetivos preestabelecidos no instrumento convocatório;
II - a classificação dos proponentes far-se-á de acordo com a média
ponderada das valorizações das propostas técnicas e de preço, de
acordo com os pesos preestabelecidos no instrumento convocatório.

3.4 – Recursos

Recursos são formas de que dispõem os administrados para impugnar


algum ato ou decisão adotada pela APU. Vejamos o que diz a lei.
Dos atos da Administração cabem:
I - recurso, no prazo de 5 (cinco) dias úteis a contar da intimação do ato
ou da lavratura da ata, nos casos de:
a) habilitação ou inabilitação do licitante;
b) julgamento das propostas;
c) anulação ou revogação da licitação;
d) indeferimento do pedido de inscrição em registro cadastral, sua
alteração ou cancelamento;
e) rescisão do contrato, quando esta se der por ato unilateral da APU;

Professor Jonatas Albino do Nascimento 25 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

f) aplicação das penas de advertência, suspensão temporária ou de


multa.
II - representação, no prazo de 5 (cinco) dias úteis da intimação da decisão
relacionada com o objeto da licitação ou do contrato, de que não caiba
recurso hierárquico;
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

III - pedido de reconsideração, de decisão de Ministro de Estado, ou


Secretário Estadual ou Municipal, no prazo de 10 (dez) dias úteis da
intimação do ato.
O recurso previsto nos itens "a" e "b" do item I terá efeito
suspensivo, podendo a autoridade competente, motivadamente e presentes
razões de interesse público, atribuir eficácia suspensiva aos demais recursos.
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

Recurso com efeito suspensivo

Contra decisão sobre

Habilitação/inabilitação Julgamento das propostas

Interposto, o recurso será comunicado aos demais licitantes,


que poderão impugná-lo no prazo de 5 (cinco) dias úteis.
O recurso será dirigido à autoridade superior, por intermédio da que
praticou o ato recorrido, a qual poderá reconsiderar sua decisão, no prazo de 5
(cinco) dias úteis, ou, nesse mesmo prazo, fazê-lo subir, devidamente
informado, devendo, neste caso, a decisão ser proferida dentro do prazo de 5
(cinco) dias úteis, contado do recebimento do recurso, sob pena de
responsabilidade.
A regra é a seguinte: o recurso hierárquico se restringe aos casos
previstos em lei (citados no início do tópico). Se o direcionamento for à
autoridade que praticou o ato, será caso de reconsideração. Se for para a
autoridade superior, será considerado recurso.

3.5 – Homologação

Após o julgamento das propostas, a comissão encaminhará o


processo licitatório para a autoridade competente, de forma que esta
homologue o procedimento e adjudique o objeto ao vencedor. Aqui encerra-
se o trabalho da comissão.

Professor Jonatas Albino do Nascimento 26 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

Após o recebimento do processo, a autoridade superior irá adotar


uma das seguintes providências:
 Se constatar a regularidade do procedimento, irá homologar a
licitação e adjudicar o objeto ao vencedor;
 Se houver algum vício de ilegalidade sanável, irá devolver o
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

processo para a comissão para que sejam sanadas as irregularidades;


 Se houver algum vício de ilegalidade insanável, irá anular o
procedimento licitatório;
 Se verificar que existem razões de interesse público decorrentes de
fato superveniente devidamente comprovado, pertinente e suficiente
para justificar tal conduta, poderá revogar, mediante parecer escrito e
devidamente fundamentado.
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

Devolve
para
Vício
comissão
sanável?
sanar os
Há vícios
irregularidade
Autoridade
avalia Anula
Insanável
processo Licitação
licitatório
entregue
pela Homologa a licitação e
comissão adjudica o objeto
Não há
irregularidades Revoga a licitação por
interesse público baseado
em fato superveniente

A homologação corresponde ao ato em que a autoridade


competente certifica que todo o procedimento foi realizado em
conformidade com a legislação.
Homologado o certame, será então realizada a adjudicação, quando é
entregue ao vencedor o objeto do contrato. A adjudicação é ato
vinculado, pois somente pode deixar de ocorrer em caso de anulação ou
revogação da licitação. É também o ato que finaliza a licitação. O detalhe é
que a adjudicação não é sinônimo de assinatura do contrato, que
ocorre posteriormente.

Professor Jonatas Albino do Nascimento 27 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

3.6 - Assinatura do contrato

Após a adjudicação, a APU tem 60 dias para convocar o vencedor


para a assinatura do contrato. Após esse período, ficam os licitantes
liberados dos compromissos assumidos.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

O prazo de convocação poderá ser prorrogado uma vez, por igual


período, quando solicitado pela parte durante o seu transcurso e desde que
ocorra motivo justificado aceito pela Administração.

60 dias 60 dias

Prorrogação
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

É facultado à Administração, quando o convocado não assinar o


termo de contrato ou não aceitar ou retirar o instrumento equivalente no
prazo e condições estabelecidos, convocar os licitantes remanescentes, na
ordem de classificação, para fazê-lo em igual prazo e nas mesmas
condições propostas pelo primeiro classificado, inclusive quanto aos preços
atualizados de conformidade com o ato convocatório, ou revogar a licitação
independentemente da cominação das sanções previsas em lei.

Convocar licitante
remanescente
Vencedor não
APU pode
assinar
Revogar a
licitação

O licitante convocado para assinar o contrato no lugar do vencedor pode


ou não aceitar. Porém, se aceitar, terá que fazê-lo nas mesmas condições
estabelecidas inicialmente para o vencedor.

4 - Exceções à regra de licitar

Como vimos, a regra é a licitação pública na contratação com


terceiros realizada pala APU. Há, no entanto, três exceções: licitação
inexigível, dispensada e dispensável. Vejamos cada uma em detalhes.

Professor Jonatas Albino do Nascimento 28 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

Exceções à regra de licitar


Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Licitação Licitação Licitação


inexigível dispensável dispensada

4.1 - Inexigibilidade

Pode ocorrer uma situação em que a competição na licitação não


seja viável. Caso isso ocorra, não há como falar em licitação.
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

Define a lei que é inexigível a licitação quando houver inviabilidade


de competição, em especial:
I - para aquisição de materiais, equipamentos, ou gêneros que só
possam ser fornecidos por produtor, empresa ou representante
comercial exclusivo, devendo a comprovação de exclusividade ser feita
através de atestado fornecido pelo órgão de registro do comércio do local em
que se realizaria a licitação ou a obra ou o serviço, pelo Sindicato, Federação
ou Confederação Patronal, ou, ainda, pelas entidades equivalentes;
II - para a contratação de serviços técnicos profissionais especializados,
de natureza singular, com profissionais ou empresas de notória
especialização, os trabalhos relativos a:
 estudos técnicos, planejamentos e projetos básicos ou
executivos;
 pareceres, perícias e avaliações em geral;
 assessorias ou consultorias técnicas e auditorias financeiras ou
tributárias;
 fiscalização, supervisão ou gerenciamento de obras ou serviços;
 patrocínio ou defesa de causas judiciais ou administrativas;
 treinamento e aperfeiçoamento de pessoal;
 restauração de obras de arte e bens de valor histórico.
III - para contratação de profissional de qualquer setor artístico,
diretamente ou através de empresário exclusivo, desde que consagrado pela
crítica especializada ou pela opinião pública.

Professor Jonatas Albino do Nascimento 29 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

É vedada a inexigibilidade para serviços de publicidade/divulgação


e a preferência de marca no caso do item I descrito acima. Nesse caso, é
importante esclarecer que é vedada a escolha baseada exclusivamente em
marca, sem nenhum respaldo técnico.
No caso de serviços técnicos especializados, estes devem ser de
natureza singular e o prestador deve possuir notória especialização. Caso
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

contrário, não se aplica a regra da inexigibilidade.

Inexigibilidade devido a
serviços técnicos
especializados

Prestador possuir
Natureza
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

notória
singular
especialização

É importante ressaltar que sempre que não houver possibilidade de


competição será caracterizada a inexigibilidade, ainda que não esteja prevista
nos itens acima. Logo a lista que está na lei é meramente exemplificativa.

Inexigibilidade
Quando não
Produtor houver
exclusivo concorrência

Serviços Artista
especializados Consagrado

4.2 - Licitação dispensada

Nessa situação, é posssível a concorrência, mas a própria lei


dispensa tal procedimento. Percebam que não há discricionariedade: se a
situação se enquadrar no especificado na lei, a licitação será dispensada.
Em decorrência do descrito acima – trata-se de uma ordem à APU – a
lista de situações prevista em lei é exaustiva.
No caso de bens imóveis, dependerá de autorização legislativa para
órgãos da administração direta e entidades autárquicas e fundacionais, e, para

Professor Jonatas Albino do Nascimento 30 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

todos, inclusive as entidades paraestatais, dependerá de avaliação prévia,


dispensada a licitação nos seguintes casos (dar maior importância aos
destaques):
a) dação em pagamento;
b) doação, permitida exclusivamente para outro órgão ou entidade da
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

administração pública, de qualquer esfera de governo;


c) permuta, por outro imóvel que que seja destinado ao atendimento das
finalidades precípuas da administração, cujas necessidades de instalação e
localização condicionem a sua escolha, desde que o preço seja compatível com
o valor de mercado, segundo avaliação prévia;
d) investidura;
e) venda a outro órgão ou entidade da administração pública, de qualquer
esfera de governo;
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

f) alienação gratuita ou onerosa, aforamento, concessão de direito real de uso,


locação ou permissão de uso de bens imóveis residenciais construídos,
destinados ou efetivamente utilizados no âmbito de programas habitacionais
ou de regularização fundiária de interesse social desenvolvidos por órgãos ou
entidades da administração pública;
g) procedimentos de legitimação de posse de que trata o art. 29 da Lei no
6.383, de 7 de dezembro de 1976, mediante iniciativa e deliberação dos
órgãos da Administração Pública em cuja competência legal inclua-se tal
atribuição;
h) alienação gratuita ou onerosa, aforamento, concessão de direito real de
uso, locação ou permissão de uso de bens imóveis de uso comercial de âmbito
local com área de até 250 m² (duzentos e cinqüenta metros quadrados) e
inseridos no âmbito de programas de regularização fundiária de interesse
social desenvolvidos por órgãos ou entidades da administração pública
i) alienação e concessão de direito real de uso, gratuita ou onerosa, de terras
públicas rurais da União na Amazônia Legal onde incidam ocupações até o
limite de 15 (quinze) módulos fiscais ou 1.500ha (mil e quinhentos hectares),
para fins de regularização fundiária, atendidos os requisitos legais;

Bens imóveis Dação em pgto

Doação/venda a
outro órgão/entidade
Licitação
dispensada
Permuta

Investidura

Professor Jonatas Albino do Nascimento 31 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

Para bens móveis, dependerá de avaliação prévia e a licitação será


dispensada nos seguintes casos:
a) doação, permitida exclusivamente para fins e uso de interesse
social, após avaliação de sua oportunidade e conveniência sócio-econômica,
relativamente à escolha de outra forma de alienação;
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

b) permuta, permitida exclusivamente entre órgãos ou entidades da


Administração Pública;
c) venda de ações, que poderão ser negociadas em bolsa, observada a
legislação específica;
d) venda de títulos, na forma da legislação pertinente;
e) venda de bens produzidos ou comercializados por órgãos ou entidades da
Administração Pública, em virtude de suas finalidades;
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

f) venda de materiais e equipamentos para outros órgãos ou entidades


da Administração Pública, sem utilização previsível por quem deles dispõe.

Venda de materiais e
Bens móveis equipamentos para
outros
órgãos/entidades da
APU

Doação para fins de


Licitação dispensada interesse social

Permuta entre
órgãos da APU

Venda de
ações/títulos

Entende-se por investidura de bens imóveis:


1º - a alienação aos proprietários de imóveis lindeiros de área remanescente
ou resultante de obra pública, área esta que se tornar inaproveitável
isoladamente, por preço nunca inferior ao da avaliação e desde que esse não
ultrapasse R$ 88.000,00.
2º - a alienação, aos legítimos possuidores diretos ou, na falta destes, ao
Poder Público, de imóveis para fins residenciais construídos em núcleos
urbanos anexos a usinas hidrelétricas, desde que considerados dispensáveis
na fase de operação dessas unidades e não integrem a categoria de bens
reversíveis ao final da concessão.

Professor Jonatas Albino do Nascimento 32 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

A Administração também poderá conceder título de propriedade ou


de direito real de uso de imóveis, dispensada licitação, quando o uso destinar-
se:
1º - a outro órgão ou entidade da Administração Pública, qualquer que seja a
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

localização do imóvel;
2º - a pessoa natural que, nos termos da lei, regulamento ou ato normativo do
órgão competente, haja implementado os requisitos mínimos de cultura,
ocupação mansa e pacífica e exploração direta sobre área rural situada na
Amazônia Legal, superior a 1 (um) módulo fiscal e limitada a 15 (quinze)
módulos fiscais, desde que não exceda 1.500ha (mil e quinhentos hectares).

Segundo a lei, a doação com encargo será licitada e de seu instrumento


Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

constarão, obrigatoriamente, os encargos, o prazo de seu cumprimento e


cláusula de reversão, sob pena de nulidade do ato, sendo dispensada a
licitação no caso de interesse público devidamente justificado.
Do exposto acima, entende-se que a doação com encargos será
precedida de licitação, mas pode ser dispensada se houver interesse público
nisso.

móveis

Licitação Alienação de
dispensada bens

imóveis

4.3 - Licitação dispensável

Aqui temos uma situação em que a lei permite que a APU decida
quanto à conveniência de realizar ou não a licitação pública. Trata-se
de ato discricionário tal decisão, sempre pautado no interesse público.
Assim como as hipóteses de licitação dispensada, a concorência entre os
licitantes é possível. A diferença é que lá não há margem para escolha,
devendo a APU não realizar a licitação.
Aqui os casos previstos em lei são também exaustivos, não havendo
margem para o gestor determinar que outros casos também possam ter a
licitação dispensável. Vejamos as situações:

Professor Jonatas Albino do Nascimento 33 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

I - para obras e serviços de engenharia de valor até R$ 33.000,00, desde


que não se refiram a parcelas de uma mesma obra ou serviço ou ainda para
obras e serviços da mesma natureza e no mesmo local que possam ser
realizadas conjunta e concomitantemente. Para compras, obras e serviços
contratados por consórcios públicos, sociedade de economia mista, empresa
pública e por autarquia ou fundação qualificadas, na forma da lei, como
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Agências Executivas, o limite será o dobro, ou seja, de valor até R$


66.000,00
II - para outros serviços e compras de valor até R$ 17.600,00 e para
alienações, nos casos previstos nesta Lei, desde que não se refiram a parcelas
de um mesmo serviço, compra ou alienação de maior vulto que possa ser
realizada de uma só vez. Para compras, obras e serviços contratados por
consórcios públicos, sociedade de economia mista, empresa pública e por
autarquia ou fundação qualificadas, na forma da lei, como Agências
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

Executivas, o limite será o dobro, ou seja, de valor até R$ 35.200,00.


 Percebam que a regra para dobrar o limite só é valida se as entidades
forem agências executivas.
III - nos casos de guerra ou grave perturbação da ordem;
IV - nos casos de emergência ou de calamidade pública, quando
caracterizada urgência de atendimento de situação que possa ocasionar
prejuízo ou comprometer a segurança de pessoas, obras, serviços,
equipamentos e outros bens, públicos ou particulares, e somente para os bens
necessários ao atendimento da situação emergencial ou calamitosa e para as
parcelas de obras e serviços que possam ser concluídas no prazo máximo
de 180 (cento e oitenta) dias consecutivos e ininterruptos, contados da
ocorrência da emergência ou calamidade, vedada a prorrogação dos
respectivos contratos;
V - quando não acudirem interessados à licitação anterior e esta,
justificadamente, não puder ser repetida sem prejuízo para a Administração,
mantidas, neste caso, todas as condições preestabelecidas;
 Essa situação é a chamada situação deserta, que possibilita que
a APU contrate diretamente (sem licitação ) com terceiros. A dispensa
só será possível se:
1º) Nenhum interessado tenha se apresentado;
2º) Impossibilidade de realizar nova licitação por ser prejudicial
(oneroso) à APU;
3º) Que sejam mantidas as mesmas condições da licitação
originalmente realizada.

Professor Jonatas Albino do Nascimento 34 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

Licitação deserta x Licitação fracassada

Na licitação deserta nenhum licitante se apresenta. Já na licitação


fracassada há licitantes, mas estes não vencem o certame por serem
considerados inabilitados ou desclassificados. A primeira é hipótese de
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

dispensa e a segunda não (em regra).

VI - quando a União tiver que intervir no domínio econômico para regular


preços ou normalizar o abastecimento;
 Aqui a União atua intervindo no mercado, estabelecendo o preço por
questões de interesse público.
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

VII - quando as propostas apresentadas consignarem preços


manifestamente superiores aos praticados no mercado nacional, ou
forem incompatíveis com os fixados pelos órgãos oficiais competentes,
casos em que, observado o § 3º do art. 48 da lei e, persistindo a situação,
será admitida a adjudicação direta dos bens ou serviços, por valor não
superior ao constante do registro de preços, ou dos serviços;
 Aqui é a exceção à regra de que licitação fracassada (que é o caso
citado), não sendo permitida dispensa de licitação. Nessa situação todos os
licitantes foram desclassificados devido ao preços. A APU poderá fixar
aos licitantes o prazo de oito dias úteis para a apresentação de nova
documentação ou de outras propostas escoimadas das causas referidas neste
artigo, facultada, no caso de convite, a redução deste prazo para três dias
úteis. Se isso também não tiver sucesso poderá realizar a contratação direta
(sem licitação) por valores definidos no registro de preços (veremos adiante).
VIII - para a aquisição, por pessoa jurídica de direito público interno, de bens
produzidos ou serviços prestados por órgão ou entidade que integre a
Administração Pública e que tenha sido criado para esse fim específico em
data anterior à vigência desta Lei, desde que o preço contratado seja
compatível com o praticado no mercado;
IX - quando houver possibilidade de comprometimento da segurança
nacional, nos casos estabelecidos em decreto do Presidente da República,
ouvido o Conselho de Defesa Nacional;
X - para a compra ou locação de imóvel destinado ao atendimento das
finalidades precípuas da administração, cujas necessidades de instalação
e localização condicionem a sua escolha, desde que o preço seja
compatível com o valor de mercado, segundo avaliação prévia;
XI - na contratação de remanescente de obra, serviço ou fornecimento,
em conseqüência de rescisão contratual, desde que atendida a ordem de

Professor Jonatas Albino do Nascimento 35 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

classificação da licitação anterior e aceitas as mesmas condições oferecidas


pelo licitante vencedor, inclusive quanto ao preço, devidamente corrigido;
XII - nas compras de hortifrutigranjeiros, pão e outros gêneros perecíveis,
no tempo necessário para a realização dos processos licitatórios
correspondentes, realizadas diretamente com base no preço do dia;
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

XIII - na contratação de instituição brasileira incumbida regimental ou


estatutariamente da pesquisa, do ensino ou do desenvolvimento institucional,
ou de instituição dedicada à recuperação social do preso, desde que a
contratada detenha inquestionável reputação ético-profissional e não
tenha fins lucrativos;
XIV - para a aquisição de bens ou serviços nos termos de acordo
internacional específico aprovado pelo Congresso Nacional, quando as
condições ofertadas forem manifestamente vantajosas para o Poder Público;
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

 Percebam que o acordo internacional tem que ter sido aprovado pelo
Congresso Nacional e não apenas pelo Poder Executivo.
XV - para a aquisição ou restauração de obras de arte e objetos históricos,
de autenticidade certificada, desde que compatíveis ou inerentes às finalidades
do órgão ou entidade.
XVI - para a impressão dos diários oficiais, de formulários padronizados de uso
da administração, e de edições técnicas oficiais, bem como para prestação de
serviços de informática a pessoa jurídica de direito público interno, por órgãos
ou entidades que integrem a APU, criados para esse fim específico;
XVII - para a aquisição de componentes ou peças de origem nacional ou
estrangeira, necessários à manutenção de equipamentos durante o período de
garantia técnica, junto ao fornecedor original desses equipamentos, quando tal
condição de exclusividade for indispensável para a vigência da garantia;
XVIII - nas compras ou contratações de serviços para o abastecimento de
navios, embarcações, unidades aéreas ou tropas e seus meios de
deslocamento quando em estada eventual de curta duração em portos,
aeroportos ou localidades diferentes de suas sedes, por motivo de
movimentação operacional ou de adestramento, quando a exiguidade dos
prazos legais puder comprometer a normalidade e os propósitos das
operações e desde que seu valor não exceda R$ 176.000,00;
XIX - para as compras de material de uso pelas Forças Armadas, com
exceção de materiais de uso pessoal e administrativo, quando houver
necessidade de manter a padronização requerida pela estrutura de apoio
logístico dos meios navais, aéreos e terrestres, mediante parecer de comissão
instituída por decreto;
XX - na contratação de associação de portadores de deficiência física,
sem fins lucrativos e de comprovada idoneidade, por órgãos ou entidades da
Admininistração Pública, para a prestação de serviços ou fornecimento de

Professor Jonatas Albino do Nascimento 36 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

mão-de-obra, desde que o preço contratado seja compatível com o praticado


no mercado.
XXI - para a aquisição de bens e insumos destinados exclusivamente à
pesquisa científica e tecnológica com recursos concedidos pela Capes, pela
Finep, pelo CNPq ou por outras instituições de fomento a pesquisa
credenciadas pelo CNPq para esse fim específico;
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

XXII - na contratação de fornecimento ou suprimento de energia elétrica e gás


natural com concessionário, permissionário ou autorizado, segundo as normas
da legislação específica;
XXIII - na contratação realizada por empresa pública ou sociedade de
economia mista com suas subsidiárias e controladas, para a aquisição
ou alienação de bens, prestação ou obtenção de serviços, desde que o preço
contratado seja compatível com o praticado no mercado.
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

 Segundo o TCU essa hipótese só se aplica nos casos onde o preço


seja compatível com o preço de mercado e o bem/serviço esteja
dentro do objeto social das subsidiárias.
XXIV - para a celebração de contratos de prestação de serviços com as
organizações sociais, qualificadas no âmbito das respectivas esferas de
governo, para atividades contempladas no contrato de gestão
XXV - na contratação realizada por Instituição Científica e Tecnológica - ICT ou
por agência de fomento para a transferência de tecnologia e para o
licenciamento de direito de uso ou de exploração de criação protegida.
XXVI – na celebração de contrato de programa com ente da Federação ou
com entidade de sua administração indireta, para a prestação de serviços
públicos de forma associada nos termos do autorizado em contrato de
consórcio público ou em convênio de cooperação.
XXVII - na contratação da coleta, processamento e comercialização de
resíduos sólidos urbanos recicláveis ou reutilizáveis, em áreas com sistema de
coleta seletiva de lixo, efetuados por associações ou cooperativas formadas
exclusivamente por pessoas físicas de baixa renda reconhecidas pelo poder
público como catadores de materiais recicláveis, com o uso de equipamentos
XXVIII – para o fornecimento de bens e serviços, produzidos ou prestados
no País, que envolvam, cumulativamente, alta complexidade tecnológica e
defesa nacional, mediante parecer de comissão especialmente designada
pela autoridade máxima do órgão.
XXIX – na aquisição de bens e contratação de serviços para atender aos
contingentes militares das Forças Singulares brasileiras empregadas em
operações de paz no exterior, necessariamente justificadas quanto ao
preço e à escolha do fornecedor ou executante e ratificadas pelo Comandante
da Força.

Professor Jonatas Albino do Nascimento 37 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

XXX - na contratação de instituição ou organização, pública ou privada, com


ou sem fins lucrativos, para a prestação de serviços de assistência técnica e
extensão rural no âmbito do Programa Nacional de Assistência Técnica e
Extensão Rural na Agricultura Familiar e na Reforma Agrária, instituído por lei
federal.
XXXI - nas contratações visando ao cumprimento do disposto nos arts. 3º, 4º,
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

5º e 20 da Lei no 10.973, de 2 de dezembro de 2004, observados os princípios


gerais de contratação dela constantes.
 A citada lei dispõe sobre incentivos à inovação e à pesquisa científica e
tecnológica no ambiente produtivo e dá outras providências. Tal hipótese
permite a dispensa de licitação na contratação com empresas nacionais,
Instituições Científicas e Tecnológicas e organizações de direito privado sem
fins lucrativos voltadas para atividades de pesquisa e desenvolvimento.
XXXII - na contratação em que houver transferência de tecnologia de
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

produtos estratégicos para o Sistema Único de Saúde - SUS, no âmbito


da Lei no 8.080, de 19 de setembro de 1990, conforme elencados em ato da
direção nacional do SUS, inclusive por ocasião da aquisição destes produtos
durante as etapas de absorção tecnológica.
XXXIII - na contratação de entidades privadas sem fins lucrativos, para a
implementação de cisternas ou outras tecnologias sociais de acesso à água
para consumo humano e produção de alimentos, para beneficiar as famílias
rurais de baixa renda atingidas pela seca ou falta regular de água.
A lista é grande e por isso não recomendo decorar os incisos, mas sim
dar um lida com atenção para entender a lógica do que é previsto.
De forma geral podemos dizer que as hipóteses de licitação dispensável
se enquadram nas seguintes situações:

Pequeno Situações
valor excepcionais

Devido ao Devido à
objeto Pessoa

Foram marcados os itens que entendo como relevantes para tentar


facilitar a vida de vocês. Vejamos um esquema das formas de contratação
direta.

Professor Jonatas Albino do Nascimento 38 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

não é possível
Inexigibilidade ato vinculado
concorrência

é possível
Dispensada ato vinculado
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

concorrência

é possível ato
Dispensável
concorrência discricionário

Por fim, o bizú. Recomendo que o candidato decore as hipóteses de


inexigibilidade (são poucas). Dê uma lida com muita atenção nas
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

hipóteses de licitação dispensada (lembrando que todos os itens se referem


a alienação de bens móveis e imóveis) e, por fim, leiam rapidamente
(focando nos incisos destacados) a parte de licitação dispensável.

Caro aluno, chegamos ao final da nossa aula. Todos os detalhes devem


ser revistos várias vezes e as questões também!
Não se assustem com a quantidade de informações. O segredo é revisão
e exercícios!
Até a próxima!
Bons estudos!

Professor Jonatas Albino do Nascimento 39 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

5 – Questões Comentadas

5.1 - CESPE
1. (CESPE - Ag Adm - SUFRAMA/2014)
Considerando que a SUFRAMA, autarquia vinculada ao Ministério do
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, pretenda contratar serviços


de consultoria para auxiliar na elaboração do Plano Diretor Plurienal da ZFM,
julgue o item a seguir.
Sendo uma autarquia, a SUFRAMA não é obrigada a realizar prévio
procedimento de licitação para contratar o serviço.
Comentários.
A Suframa, sendo uma autarquia, está submetida ao regime de licitação
pública.
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

Gabarito 1. Errado.

2. (CESPE - Ag Adm - MDIC)/2014)


No que se refere às compras públicas, julgue o item que se segue.
Na aquisição pública de materiais mediante processo licitatório, o princípio da
vinculação ao instrumento convocatório poderá, excepcionalmente, ser
descumprido para se obter maior celeridade no recebimento dos materiais.
Comentários.
Não há previsão de exceção à vinculcação ao instrumento convocatório.
Gabarito 2. Errado

3. (CESPE - Ag Adm - MDIC/2014)


No que se refere à gestão de processos e de contratos e ao processo licitatório
na administração pública, julgue o próximo item.
As normas que disciplinam as licitações públicas devem ser interpretadas em
favor da disputa entre os interessados, desde que não comprometam o
princípio da isonomia.
Comentários.
É claro que a concorrência entre os participantes deve ser estimulada.
Gabarito 3. Certo.

4. (CESPE - ANATEL - Administração/2014)


No que se refere ao disposto na Lei n.º 8.666/1993, julgue o próximo item.

Professor Jonatas Albino do Nascimento 40 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

Na fase interna da licitação, a autoridade competente determina a realização


do processo licitatório, define seu objeto e indica o recurso orçamentário; na
fase externa, a mesma autoridade convoca os interessados, por edital ou
carta-convite, analisa as condições dos interessados que afluem à licitação
(habilitação), julga as propostas e homologa e adjudica o objeto da licitação.
Comentários.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Ótima questão para aprendizado, pois aponta a separação entre a fase interna
e externa. O marco entre as fases é a convocação dos interessados.
Gabarito 4. Certo.

5. (CESPE - Adm - PF/2014)


A respeito de compras e serviços no setor público, julgue o item subsecutivo.
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

Para otimizar o processo de compras no setor público, especificamente quanto


à aquisição de materiais de consumo, no edital de licitação deverá ser descrito
detalhadamente o objeto a ser contratado, visto que a riqueza de
especificações evita uma contratação inócua e, dessa forma, preserva-se o
interesse público.
Comentários:
A descrição do objeto deve ser sucinta e clara, e não detalhamente como
coloca a questão.
Gabarito 5. Errado.

6. (CESPE - TA - ICMBio/2014)
Com relação às licitações públicas, julgue o item subsecutivo.
Na fase de habilitação de uma licitação, a administração pública pode solicitar
a comprovação de regularidade fiscal e trabalhista de participante.
Comentários:
Questão maldosa. O erro está na palavra “pode”, pois não se trata de uma
faculdade e sim de dever por parte da APU.
Gabarito 6. Errado.

7. (CESPE – ANTAQ /2014)


Considere que a administração pública federal necessite adquirir, junto ao
mercado, papel A4 para impressão, para uso de determinado ente público.
Nessa situação,

Professor Jonatas Albino do Nascimento 41 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

pode a administração exigir no edital, como condição para a habilitação da


empresa interessada no certame, a entrega de amostras do bem a ser
adquirido pelo ente público.
Comentários.
Tal exigência só pode ocorrer na fase de classificação e não na fase de
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

habilitação
Gabarito 7. Errado.

8. (CESPE - APF – DEPEN - Área 1/2015)


Com relação aos processos licitatórios na administração pública, julgue o item.
A homologação do certame é o ato administrativo pelo qual se atribui ao
vencedor o objeto da licitação, outorgando-lhe a titularidade jurídica do
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

resultado alcançado.
Comentários.
O ato descrito é a adjudicação e não homologação.
Gabarito 8. Errado.

9. (CESPE - Ag Adm - SUFRAMA/2014)


Considerando que a SUFRAMA, autarquia vinculada ao Ministério do
Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, pretenda contratar serviços
de consultoria para auxiliar na elaboração do Plano Diretor Plurienal da ZFM,
julgue o item a seguir.
Encerrada a sessão de julgamento e habilitação das empresas licitantes, a
administração estará obrigada a realizar a contratação, sob pena de
indenização à empresa classificada em primeiro lugar.
Comentários.
O vencedor tem garantido apenas o direito, se a APU assinar o contrato
definido na licitação, terá que ser obrigatoriamente com o licitante vencedor.
Não há, entretanto, obrigação de assinar o contrato.
Gabarito 9. Errado.

10. (CESPE - AnaTA – SUFRAMA - Geral/2014)


No que concerne aos serviços públicos, ao controle administrativo e a licitação,
julgue o item subsequente.
Se determinado município, para realizar festividade em razão do aniversário
da cidade, decidir pela contratação de bandas compostas por renomados

Professor Jonatas Albino do Nascimento 42 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

artistas nacionais, a contratação desses artistas poderá dar-se mediante


inexigibilidade de licitação.
Comentários.
Artistas consagrados são exatamente uma das hipóteses de inexigibilidade.
Gabarito 10. Certo.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

11. (CESPE - AnaTA - CADE/2014)


Com relação a licitações, contratos e convênios, julgue o próximo item.
Caso um equipamento integrante do patrimônio do CADE não tenha utilização
previsível, ele poderá ser vendido a outra entidade da administração pública
sem a realização de licitação.
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

Comentários.
Está previsto na lei como hipótese de licitação dispensada: venda de materiais
e equipamentos para outros órgãos ou entidades da Administração Pública,
sem utilização previsível por quem deles dispõe.
Gabarito 11. Certo.

12. (CESPE - Admin - SUFRAMA/2014)


Com relação a organização administrativa e licitação, julgue o item a seguir.
Caso, em razão de fortes chuvas em determinado município, uma represa se
rompa e ocasione alagamento em alguns bairros, e, em razão desse fato, o
governo local decrete estado de calamidade pública, poderá o município valer-
se da inexigibilidade de licitação para realizar obras de reparo da represa e
evitar novos alagamentos.
Comentários.
A calamidade é realmente uma causa de contratação direta, mas não de
inexigibilidade. Lembrem-se: inexigibilidade só ocorre se não houver
possibilidade de competição. A calamidade é hipótese de licitação dispensável.
Gabarito 12. Errado.

13. (CESPE/2015/FUB/Conhecimentos Básicos – Nível


Intermediário)
À luz do disposto na Constituição Federal de 1988 acerca da administração
pública, julgue o item a seguir.

Professor Jonatas Albino do Nascimento 43 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

É autorizado ao Poder Legislativo delegar ao administrador o poder normativo


de definir as hipóteses de dispensa ou inexigibilidade de licitação pública para
a contratação de prestação de serviços.
Comentários.
A Constituição Federal de 1988 define que:
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Art. 37. A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da


União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos
princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência
e, também, ao seguinte:
XXI - ressalvados os casos especificados na legislação, as obras,
serviços, compras e alienações serão contratados mediante processo
de licitação pública que assegure igualdade de condições a todos os
concorrentes, com cláusulas que estabeleçam obrigações de pagamento,
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

mantidas as condições efetivas da proposta, nos termos da lei, o qual somente


permitirá as exigências de qualificação técnica e econômica indispensáveis à
garantia do cumprimento das obrigações.
De acordo com o inciso acima, percebe-se que podem ser estabelecidas, pela
legislação, situações em que é permitida a contratação direta (ou seja, sem a
realização de licitação). Além desse inciso, temos também outro que dispõe
sobre licitações:

Art. 22. Compete privativamente à União legislar sobre:


XXVII – normas gerais de licitação e contratação, em todas as
modalidades, para as administrações públicas diretas, autárquicas e
fundacionais da União, Estados, Distrito Federal e Municípios, obedecido o
disposto no art. 37, XXI, e para as empresas públicas e sociedades de
economia mista, nos termos do art. 173, § 1°, III;
Parágrafo único. Lei complementar poderá autorizar os Estados a legislar
sobre questões específicas das matérias relacionadas neste artigo.
Assim, a competência é privativa da União para editar normas gerais (Lei
8.666/93) e os Estados podem legislar sobre questões específicas.
Mas essas competências explanadas acima podem ser delegadas ao
administrador pelo Poder Legislativo? Da leitura do texto da Constituição,
entendo que não é possível e a questão especificou que a resposta deve ser
pautada de acordo com a CF/88. Apesar de não haver expressamente essa
proibição no texto constitucional, temos tal comando em legislação
infraconstitucional (Lei 9784/99) e é bom relembrarmos:

Art. 13. Não podem ser objeto de delegação:


I - a edição de atos de caráter normativo;

Professor Jonatas Albino do Nascimento 44 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

II - a decisão de recursos administrativos;


III - as matérias de competência exclusiva do órgão ou autoridade.
Gabarito 13. Errado.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

14. (CESPE/2015/STJ/Conhecimentos Básicos pra todos os cargos


(Exceto 1, 3, 6 e 14)
A respeito da licitação e dos contratos administrativos, julgue o item
subsecutivo.
A nulidade de contrato administrativo por ausência prévia de licitação gera,
para o contratado de boa-fé, direito a indenização pelos serviços por ele
prestados.
Comentários.
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

Segundo a Lei nº 8.666/93:


Art. 59. A declaração de nulidade do contrato administrativo opera
retroativamente impedindo os efeitos jurídicos que ele, ordinariamente,
deveria produzir, além de desconstituir os já produzidos.
Parágrafo único. A nulidade não exonera a Administração do dever de
indenizar o contratado pelo que este houver executado até a data em
que ela for declarada e por outros prejuízos regularmente
comprovados, contanto que não lhe seja imputável, promovendo-se a
responsabilidade de quem lhe deu causa.
Também é importante vermos um julgado do STJ, que mostra a posição do
Tribunal:
STJ - AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO DE INSTRUMENTO AgRg no Ag
1056922 RS 2008/0118334-6 (STJ)
Ementa: ADMINISTRATIVO E PROCESSUAL CIVIL. AGRAVO REGIMENTAL NO
AGRAVO DE INSTRUMENTO. AÇÃO DE COBRANÇA. CONTRATO
ADMINISTRATIVO SEM PRÉVIA LICITAÇÃO. EFETIVA PRESTAÇÃO DO SERVIÇO
CONSTATADA PELO TRIBUNAL A QUO. INDENIZAÇÃO CABÍVEL. SÚMULA
7/STJ. HONORÁRIOS REDUÇÃO. SÚMULA 7/STJ. 1. Segundo jurisprudência
pacífica desta Corte, ainda que o contrato realizado com a
Administração Pública seja nulo, por ausência de prévia licitação, o
ente público não poderá deixar de efetuar o pagamento pelos serviços
prestados ou pelos prejuízos decorrentes da administração, desde que
comprovados, ressalvada a hipótese de má-fé ou de ter o contratado
concorrido para a nulidade. 2. Não há como alterar as conclusões obtidas
pelo Tribunal de origem que, com base nas provas dos autos, entendeu ter
havido a efetiva prestação do serviço por parte da autora. Incidência da
Súmula 7/STJ. 3. Não sendo o caso de valor exorbitante, ante o arbitramento
dos honorários em 10% (dez por cento) do valor da causa, não cabe a esta

Professor Jonatas Albino do Nascimento 45 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

Corte modificar o decisório sem incursionar no substrato fático-probatório dos


autos. Súmula 7/STJ. 4. Agravo regimental não provido.
Gabarito 14. Certo.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

15. (CESPE/2015/MEC/Connhecimentos Básicos para os postos 9,


10, 11 e 16)
De acordo com as Leis n.º 8.666/1993 e n.º 10.520/2002 e com o Decreto n.º
7.892/2013, julgue o item que se segue.
Na administração pública, as normas de licitações devem privilegiar as
empresas de pequeno porte.
Comentários.
Segundo a Lei 8.666/93:
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

Art. 5o-A. As normas de licitações e contratos devem privilegiar o


tratamento diferenciado e favorecido às microempresas e empresas de
pequeno porte na forma da lei.
Há também o comando com o mesmo sentido no artigo 3o:
Art. 3o A licitação destina-se a garantir a observância do princípio
constitucional da isonomia, a seleção da proposta mais vantajosa para a
administração e a promoção do desenvolvimento nacional sustentável e será
processada e julgada em estrita conformidade com os princípios básicos da
legalidade, da impessoalidade, da moralidade, da igualdade, da publicidade,
da probidade administrativa, da vinculação ao instrumento convocatório, do
julgamento objetivo e dos que lhes são correlatos.
§ 14. As preferências definidas neste artigo e nas demais normas de licitação
e contratos devem privilegiar o tratamento diferenciado e favorecido às
microempresas e empresas de pequeno porte na forma da lei.
Gabarito 15. Certo.

16. (CESPE/2015/MPOG/Analista Técnico Administrativo – Cargo 2)


De acordo com a Lei de Licitações, julgue o item que se segue.
Qualquer cidadão é parte legítima para impugnar preço constante do quadro
geral de registro de preços em razão de incompatibilidade do preço disposto
no quadro geral com o vigente no mercado.
Comentários.
A questão está correta, pois é reprodução literal do parágrafo 6o do artigo 15
da Lei nº 8.666/93:

Professor Jonatas Albino do Nascimento 46 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

Art. 15 - § 6o Qualquer cidadão é parte legítima para impugnar preço


constante do quadro geral em razão de incompatibilidade desse com o preço
vigente no mercado.
Gabarito 16. Certo.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

17. (CESPE/2015/TCU/Auditor Federal de Controle Externo –


Conhecimentos Gerais)
Com base nas normas que regulam as licitações e os contratos
administrativos, julgue o item seguinte.
Dado o princípio da isonomia, é vedado atribuir preferências para bens e
serviços produzidos e prestados no Brasil, ou por empresas brasileiras, mesmo
que se trate de critério de desempate em procedimentos licitatórios, situação
que deverá ser resolvida por sorteio.
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

Comentários:
A questão está errada, pois deverá ser assegurada preferência como critério
de desempate, conforme parágrafo 2o do artigo 3o da Lei 8.666/93:
Art. 3o A licitação destina-se a garantir a observância do princípio
constitucional da isonomia, a seleção da proposta mais vantajosa para a
administração e a promoção do desenvolvimento nacional sustentável e será
processada e julgada em estrita conformidade com os princípios básicos da
legalidade, da impessoalidade, da moralidade, da igualdade, da publicidade,
da probidade administrativa, da vinculação ao instrumento convocatório, do
julgamento objetivo e dos que lhes são correlatos.
§ 2o Em igualdade de condições, como critério de desempate, será
assegurada preferência, sucessivamente, aos bens e serviços:

I - produzidos ou prestados por empresas brasileiras de capital


nacional; (Revogado pela Lei nº 12.349, de 2010)
II - produzidos no País;
III - produzidos ou prestados por empresas brasileiras.
IV - produzidos ou prestados por empresas que invistam em pesquisa e no
desenvolvimento de tecnologia no País.
V - produzidos ou prestados por empresas que comprovem cumprimento de
reserva de cargos prevista em lei para pessoa com deficiência ou para
reabilitado da Previdência Social e que atendam às regras de acessibilidade
previstas na legislação.
Além disso, o sorteio será realizado caso:
Art. 45. - § 2 o No caso de empate entre duas ou mais propostas, e após
obedecido o disposto no § 2o do art. 3o desta Lei, a classificação se fará,

Professor Jonatas Albino do Nascimento 47 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

obrigatoriamente, por sorteio, em ato público, para o qual todos os


licitantes serão convocados, vedado qualquer outro processo.
Gabarito 17. Errado.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

18. (CESPE/2009/ICMSBIO/Analista Ambiental)


Julgue os itens a seguir acerca da Lei n. o 8.666/1993.
No procedimento licitatório, é vedado estabelecer tratamento diferenciado de
natureza comercial, legal, trabalhista, previdenciária ou qualquer outra, entre
empresas brasileiras e estrangeiras, salvo as diferenciações estabelecidas em
lei, entre as quais está a possibilidade de se utilizar, como critério de
desempate, a preferência a bens e serviços produzidos por empresas
brasileiras.
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

Comentários.
Conforme explicação anterior, a regra é a vedação de tratamento diferenciado.
Porém, quando houver igualdade de condições (exceção), como critério de
desempate poderão ser estabelecidas diferenciações como as preferências
elencadas nos incisos II a V do parágrafo 2º do artigo 3º da Lei 8.666/93.
Gabarito 18. Certo.

19. (CESPE/2013/ANP/Analista Administrativo – Área 5)


Com relação à Lei n.º 8.666/1993 e aos Decretos n.º 2.271/1997 e
n.º 7.174/2010, julgue os itens consecutivos.
De acordo com a Lei n.º 8.666/1993, caso ocorra igualdade de condições em
uma concorrência pública, um dos critérios para desempate são os bens e
serviços produzidos no país.
Comentários.
A questão está correta conforme a Lei 8.666/93:
Art. 3o - § 2o Em igualdade de condições, como critério de desempate,
será assegurada preferência, sucessivamente, aos bens e serviços:

I - produzidos ou prestados por empresas brasileiras de capital


nacional; (Revogado pela Lei nº 12.349, de 2010)
II - produzidos no País;
III - produzidos ou prestados por empresas brasileiras.
IV - produzidos ou prestados por empresas que invistam em pesquisa e no
desenvolvimento de tecnologia no País.

Professor Jonatas Albino do Nascimento 48 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

V - produzidos ou prestados por empresas que comprovem cumprimento de


reserva de cargos prevista em lei para pessoa com deficiência ou para
reabilitado da Previdência Social e que atendam às regras de acessibilidade
previstas na legislação.
Gabarito 19. Certo.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

20. (CESPE/2013/MPOG/Gestor)
Julgue os itens a seguir, relativos à lei n.º 8.666/1993.
O primeiro critério de desempate a ser utilizado, em uma concorrência, é o de
bens e serviços produzidos no país.
Comentários.
Já vimos na explicação da questão anterior, que o primeiro critério de
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

preferência é para os bens e serviços produzidos no País.


Gabarito 20. Certo.

21. (CESPE/2015/TCU/Técnico Federal de Controle Externo –


Conhecimentos Específicos)
A respeito de licitações, julgue o item que se segue.
Qualquer cidadão é parte legítima para impugnar edital de licitação por
irregularidade na aplicação da lei, devendo a administração pública, caso a
impugnação seja protocolada no prazo da lei, julgá-la e respondê-la em até
três dias úteis.
Comentários.
Questão correta, conforme a Lei 8.666/93:
Art. 41. A Administração não pode descumprir as normas e condições do
edital, ao qual se acha estritamente vinculada.
§ 1o Qualquer cidadão é parte legítima para impugnar edital de
licitação por irregularidade na aplicação desta Lei, devendo protocolar
o pedido até 5 (cinco) dias úteis antes da data fixada para a abertura
dos envelopes de habilitação, devendo a Administração julgar e
responder à impugnação em até 3 (três) dias úteis, sem prejuízo da
faculdade prevista no § 1o do art. 113.
Gabarito 21. Certo.

22. (CESPE/2012/TCU/Técnico de Controle Externo)


Julgue os itens seguintes, acerca de licitação.

Professor Jonatas Albino do Nascimento 49 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

Poderá o cidadão, mesmo não sendo licitante, impugnar edital de licitação


pública que não esteja em conformidade com a lei.
Comentários.
Questão correta, conforme a Lei nº 8.666/93:
Art. 41. A Administração não pode descumprir as normas e condições do
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

edital, ao qual se acha estritamente vinculada.


§ 1o Qualquer cidadão é parte legítima para impugnar edital de
licitação por irregularidade na aplicação desta Lei, devendo protocolar
o pedido até 5 (cinco) dias úteis antes da data fixada para a abertura
dos envelopes de habilitação, devendo a Administração julgar e
responder à impugnação em até 3 (três) dias úteis, sem prejuízo da
faculdade prevista no § 1o do art. 113.
Gabarito 22. Certo.
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

23. (CESPE/2013/MC/Todos os cargos)


Acerca de licitações e contratos, julgue o item a seguir à luz das Leis n.º
8.666/1993 e n.º 10.520/2002.
Somente têm legitimidade para impugnar edital de licitação por motivo de
irregularidade aqueles participantes do certame.
Comentários.
Questão incorreta. Esse é um direito de qualquer cidadão, conforme o artigo
41 da Lei 8.666/93:
Art. 41. A Administração não pode descumprir as normas e condições do
edital, ao qual se acha estritamente vinculada.
§ 1o Qualquer cidadão é parte legítima para impugnar edital de
licitação por irregularidade na aplicação desta Lei, devendo protocolar
o pedido até 5 (cinco) dias úteis antes da data fixada para a abertura
dos envelopes de habilitação, devendo a Administração julgar e
responder à impugnação em até 3 (três) dias úteis, sem prejuízo da
faculdade prevista no § 1o do art. 113.
Gabarito 23. Errado.

24. (CESPE/2009/TCU/Técnico de Controle Externo – Área


Administrativa)
Com referência aos ditames trazidos pela Lei n.º 8.666/1993, de observância
obrigatória pela administração pública, julgue os próximos itens.

Professor Jonatas Albino do Nascimento 50 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

Qualquer cidadão é parte legítima para impugnar edital de licitação por


irregularidade na aplicação da lei em apreço, assim como para representar ao
tribunal de contas responsável pela fiscalização dos recursos.
Comentários.
Questão correta. Esse é um direito de qualquer cidadão, conforme o artigo 41
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

da Lei 8.666/93:
Art. 41. A Administração não pode descumprir as normas e condições do
edital, ao qual se acha estritamente vinculada.
§ 1o Qualquer cidadão é parte legítima para impugnar edital de
licitação por irregularidade na aplicação desta Lei, devendo protocolar
o pedido até 5 (cinco) dias úteis antes da data fixada para a abertura
dos envelopes de habilitação, devendo a Administração julgar e
responder à impugnação em até 3 (três) dias úteis, sem prejuízo da
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

faculdade prevista no § 1o do art. 113.


Quanto à parte de representação ao Tribunal de Contas, temos o artigo 113:
Art. 113. O controle das despesas decorrentes dos contratos e demais
instrumentos regidos por esta Lei será feito pelo Tribunal de Contas
competente, na forma da legislação pertinente, ficando os órgãos interessados
da Administração responsáveis pela demonstração da legalidade e
regularidade da despesa e execução, nos termos da Constituição e sem
prejuízo do sistema de controle interno nela previsto.
§ 1o Qualquer licitante, contratado ou pessoa física ou
jurídica poderá representar ao Tribunal de Contas ou aos órgãos
integrantes do sistema de controle interno contra irregularidades na
aplicação desta Lei, para os fins do disposto neste artigo.
Gabarito 24. Certo.

25. (CESPE/2015/TCU/Técnico Federal de Controle Externo)


A respeito de licitações, julgue o item que se segue.
Será dispensável a licitação caso haja inviabilidade de competição.
Comentários.
Para acertar a questão, devemos nos atentar a um dos mais importantes
artigos da Lei 8.666/93:
Art. 25. É inexigível a licitação quando houver inviabilidade de competição,
em especial: ...
Veja que é caso de inexigibilidade de licitação e não dispensa, como afirma a
questão.
Gabarito 25. Errado.

Professor Jonatas Albino do Nascimento 51 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

26. (CESPE/2015/TCU/Técnico Federal de Controle Externo –


Conhecimentos Específicos)
A respeito de licitações, julgue o item que se segue.
É inexigível a licitação em caso de guerra ou de grave perturbação da ordem.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Comentários.
A questão está errada! A Lei 8.666/93 determina:
Art. 24. É dispensável a licitação:
III - nos casos de guerra ou grave perturbação da ordem;
Os casos de inexigibilidade de licitação estão definidos no artigo 25 (lista
exemplificativa)
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

Art. 25. É inexigível a licitação quando houver inviabilidade de competição,


em especial:
I - para aquisição de materiais, equipamentos, ou gêneros que só possam ser
fornecidos por produtor, empresa ou representante comercial exclusivo,
vedada a preferência de marca, devendo a comprovação de exclusividade ser
feita através de atestado fornecido pelo órgão de registro do comércio do local
em que se realizaria a licitação ou a obra ou o serviço, pelo Sindicato,
Federação ou Confederação Patronal, ou, ainda, pelas entidades equivalentes;
II - para a contratação de serviços técnicos enumerados no art. 13 desta Lei,
de natureza singular, com profissionais ou empresas de notória especialização,
vedada a inexigibilidade para serviços de publicidade e divulgação;
III - para contratação de profissional de qualquer setor artístico, diretamente
ou através de empresário exclusivo, desde que consagrado pela crítica
especializada ou pela opinião pública.
§ 1o Considera-se de notória especialização o profissional ou empresa cujo
conceito no campo de sua especialidade, decorrente de desempenho anterior,
estudos, experiências, publicações, organização, aparelhamento, equipe
técnica, ou de outros requisitos relacionados com suas atividades, permita
inferir que o seu trabalho é essencial e indiscutivelmente o mais adequado à
plena satisfação do objeto do contrato.
§ 2o Na hipótese deste artigo e em qualquer dos casos de dispensa, se
comprovado superfaturamento, respondem solidariamente pelo dano causado
à Fazenda Pública o fornecedor ou o prestador de serviços e o agente público
responsável, sem prejuízo de outras sanções legais cabíveis.
Gabarito 26. Errado.

27. (CESPE/2008/MPE-RR/Promotor de Justiça)

Professor Jonatas Albino do Nascimento 52 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

A respeito de licitações, julgue o item que se segue.


Em razão de situações excepcionais, a dispensa de licitação é possível nos
casos de guerra ou de grave perturbação da ordem.
Comentários.
Conforme comentários da questão anterior, a questão está correta.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Gabarito 27. Certo.

28. (CESPE/2015/FUB/Administrador)
De acordo com os dispositivos legais que regulam as licitações públicas, julgue
o item a seguir.
Em casos de situação de emergência ou de calamidade pública, poderá haver
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

contratação direta, com dispensa de licitação, tendo o contrato decorrente


prazo máximo de duração de cento e oitenta dias, vedada a sua prorrogação.
Comentários.
Segundo a Lei nº 8.666/93:
Art. 24. É dispensável a licitação:
IV - nos casos de emergência ou de calamidade pública,
quando caracterizada urgência de atendimento de situação que possa
ocasionar prejuízo ou comprometer a segurança de pessoas, obras, serviços,
equipamentos e outros bens, públicos ou particulares, e somente para os bens
necessários ao atendimento da situação emergencial ou calamitosa e para as
parcelas de obras e serviços que possam ser concluídas no prazo máximo de
180 (cento e oitenta) dias consecutivos e ininterruptos, contados da
ocorrência da emergência ou calamidade, vedada a prorrogação dos
respectivos contratos;
Gabarito 28. Certo.

29. (CESPE/2010/PGPE-MS/Analista Técnico - Administrativo)


Quando houver dispensa de licitação para execução de obras e serviços por
força de uma situação de emergência ou de calamidade pública, tal execução
deve ser concluída em, no máximo, 180 dias consecutivos e ininterruptos, sob
pena de descaracterizar a situação de licitação dispensável.
Comentários.
Segundo a Lei 8.666/93:
Art. 24. É dispensável a licitação:
IV - nos casos de emergência ou de calamidade pública,
quando caracterizada urgência de atendimento de situação que possa

Professor Jonatas Albino do Nascimento 53 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

ocasionar prejuízo ou comprometer a segurança de pessoas, obras, serviços,


equipamentos e outros bens, públicos ou particulares, e somente para os bens
necessários ao atendimento da situação emergencial ou calamitosa e para as
parcelas de obras e serviços que possam ser concluídas no prazo máximo de
180 (cento e oitenta) dias consecutivos e ininterruptos, contados da
ocorrência da emergência ou calamidade, vedada a prorrogação dos
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

respectivos contratos;
Gabarito 29. Certo.

30. (CESPE/2008/STF/Analista Judiciário – Área Administrativa)


A respeito do direito administrativo, julgue os itens seguintes.
A contratação de artistas consagrados pela crítica ou pelo público é um
exemplo de dispensa de licitação.
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

Comentários.
A Lei nº 8.666/93 informa:
Art. 25. É inexigível a licitação quando houver inviabilidade de competição,
em especial:
I - para aquisição de materiais, equipamentos, ou gêneros que só possam ser
fornecidos por produtor, empresa ou representante comercial exclusivo,
vedada a preferência de marca, devendo a comprovação de exclusividade ser
feita através de atestado fornecido pelo órgão de registro do comércio do local
em que se realizaria a licitação ou a obra ou o serviço, pelo Sindicato,
Federação ou Confederação Patronal, ou, ainda, pelas entidades equivalentes;
II - para a contratação de serviços técnicos enumerados no art. 13 desta Lei,
de natureza singular, com profissionais ou empresas de notória especialização,
vedada a inexigibilidade para serviços de publicidade e divulgação;
III - para contratação de profissional de qualquer setor artístico, diretamente
ou através de empresário exclusivo, desde que consagrado pela crítica
especializada ou pela opinião pública.
Gabarito 30. Errado.

31. (CESPE/2015/MPU/Analista do MPU – Conhecimentos Básicos)


Julgue o próximo item, acerca de inexigibilidade de licitação e do leilão como
modalidade licitatória.
A contratação de serviços técnicos, de natureza singular, com profissionais ou
empresas de notória especialização, insere-se entre as hipóteses de licitação
dispensável.
Comentários.

Professor Jonatas Albino do Nascimento 54 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

A questão está incorreta, já que é um dos casos de licitação inexigível do


artigo 25 da Lei 8.666/93:
Art. 25. É inexigível a licitação quando houver inviabilidade de competição,
em especial:
II - para a contratação de serviços técnicos enumerados no art. 13 desta
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Lei, de natureza singular, com profissionais ou empresas de notória


especialização, vedada a inexigibilidade para serviços de publicidade e
divulgação;
Gabarito 31. Errado.

32. (CESPE/2014/Anatel/Analista Administrativo - Direito)


Considerando o disposto na Lei n.º 8.666/1993, julgue o item subsequente.
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

De acordo com o posicionamento do Tribunal de Contas da União, a


possibilidade de dispensa prevista no art. 32, § 1.º, dessa lei não se estende à
documentação relativa à seguridade social.
Comentários.
O artigo 32 da Lei 8.666/93 traz o seguinte:
Art. 32. Os documentos necessários à habilitação poderão ser apresentados
em original, por qualquer processo de cópia autenticada por cartório
competente ou por servidor da administração ou publicação em órgão da
imprensa oficial.
§ 1o A documentação de que tratam os arts. 28 a 31 desta Lei poderá ser
dispensada, no todo ou em parte, nos casos de convite, concurso,
fornecimento de bens para pronta entrega e leilão.
Porém, para acertar a questão precisamos saber o posicionamento do TCU,
que foi informado no acórdão nº 3146/2010 (1ª Turma):
"9.3.3.1 por força do disposto no art. 195, § 3º, da Constituição Federal, que
se torna sem efeito, em parte, o permissivo do art. 32, § 1º, da Lei nº
8.666/1993, a documentação relativa à regularidade fiscal e com a
Seguridade Social, prevista no art. 29, inciso IV, da Lei nº 8.666/1993
é de exigência obrigatória nas licitações públicas, ainda que na
modalidade de convite, para contratação de obras, serviços ou
fornecimento, e mesmo que se trate de fornecimento de pronta
entrega;
9.3.3.2. a obrigatoriedade da apresentação da documentação referida no
subitem anterior é aplicável igualmente aos casos de contratação de obra,
serviço ou fornecimento com dispensa ou inexigibilidade de licitação ex vi do
disposto no § 3º do art. 195 da CF, citado;"

Professor Jonatas Albino do Nascimento 55 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

Para complementar o nosso estudo, o acórdão faz referência ao artigo


parágrafo terceiro do artigo 195 da CF/88 que informa:
Art. 195. A seguridade social será financiada por toda a sociedade, de forma
direta e indireta, nos termos da lei, mediante recursos provenientes dos
orçamentos da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, e das
seguintes contribuições sociais:
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

§ 3º A pessoa jurídica em débito com o sistema da seguridade social,


como estabelecido em lei, não poderá contratar com o Poder Público nem
dele receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios.
Gabarito 32. Certo.
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

Professor Jonatas Albino do Nascimento 56 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

6 – Listas de exercícios

6.1 - CESPE
1. (CESPE - Ag Adm - SUFRAMA/2014)
Considerando que a SUFRAMA, autarquia vinculada ao Ministério do
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, pretenda contratar serviços


de consultoria para auxiliar na elaboração do Plano Diretor Plurienal da ZFM,
julgue o item a seguir.
Sendo uma autarquia, a SUFRAMA não é obrigada a realizar prévio
procedimento de licitação para contratar o serviço.

2. (CESPE - Ag Adm - MDIC)/2014)


Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

No que se refere às compras públicas, julgue o item que se segue.


Na aquisição pública de materiais mediante processo licitatório, o princípio da
vinculação ao instrumento convocatório poderá, excepcionalmente, ser
descumprido para se obter maior celeridade no recebimento dos materiais.

3. (CESPE - Ag Adm - MDIC/2014)


No que se refere à gestão de processos e de contratos e ao processo licitatório
na administração pública, julgue o próximo item.
As normas que disciplinam as licitações públicas devem ser interpretadas em
favor da disputa entre os interessados, desde que não comprometam o
princípio da isonomia.

4. (CESPE - ANATEL - Administração/2014)


No que se refere ao disposto na Lei n.º 8.666/1993, julgue o próximo item.
Na fase interna da licitação, a autoridade competente determina a realização
do processo licitatório, define seu objeto e indica o recurso orçamentário; na
fase externa, a mesma autoridade convoca os interessados, por edital ou
carta-convite, analisa as condições dos interessados que afluem à licitação
(habilitação), julga as propostas e homologa e adjudica o objeto da licitação.

5. (CESPE - Adm - PF/2014)


A respeito de compras e serviços no setor público, julgue o item subsecutivo.
Para otimizar o processo de compras no setor público, especificamente quanto
à aquisição de materiais de consumo, no edital de licitação deverá ser descrito
detalhadamente o objeto a ser contratado, visto que a riqueza de

Professor Jonatas Albino do Nascimento 57 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

especificações evita uma contratação inócua e, dessa forma, preserva-se o


interesse público.

6. (CESPE - TA - ICMBio/2014)
Com relação às licitações públicas, julgue o item subsecutivo.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Na fase de habilitação de uma licitação, a administração pública pode solicitar


a comprovação de regularidade fiscal e trabalhista de participante.

7. (CESPE – ANTAQ /2014)


Considere que a administração pública federal necessite adquirir, junto ao
mercado, papel A4 para impressão, para uso de determinado ente público.
Nessa situação,
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

pode a administração exigir no edital, como condição para a habilitação da


empresa interessada no certame, a entrega de amostras do bem a ser
adquirido pelo ente público.

8. (CESPE - APF – DEPEN - Área 1/2015)


Com relação aos processos licitatórios na administração pública, julgue o item.
A homologação do certame é o ato administrativo pelo qual se atribui ao
vencedor o objeto da licitação, outorgando-lhe a titularidade jurídica do
resultado alcançado.

9. (CESPE - Ag Adm - SUFRAMA/2014)


Considerando que a SUFRAMA, autarquia vinculada ao Ministério do
Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, pretenda contratar serviços
de consultoria para auxiliar na elaboração do Plano Diretor Plurienal da ZFM,
julgue o item a seguir.
Encerrada a sessão de julgamento e habilitação das empresas licitantes, a
administração estará obrigada a realizar a contratação, sob pena de
indenização à empresa classificada em primeiro lugar.

10. (CESPE - AnaTA – SUFRAMA - Geral/2014)


No que concerne aos serviços públicos, ao controle administrativo e a licitação,
julgue o item subsequente.
Se determinado município, para realizar festividade em razão do aniversário
da cidade, decidir pela contratação de bandas compostas por renomados

Professor Jonatas Albino do Nascimento 58 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

artistas nacionais, a contratação desses artistas poderá dar-se mediante


inexigibilidade de licitação.

11. (CESPE - AnaTA - CADE/2014)


Com relação a licitações, contratos e convênios, julgue o próximo item.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Caso um equipamento integrante do patrimônio do CADE não tenha utilização


previsível, ele poderá ser vendido a outra entidade da administração pública
sem a realização de licitação.

12. (CESPE - Admin - SUFRAMA/2014)


Com relação a organização administrativa e licitação, julgue o item a seguir.
Caso, em razão de fortes chuvas em determinado município, uma represa se
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

rompa e ocasione alagamento em alguns bairros, e, em razão desse fato, o


governo local decrete estado de calamidade pública, poderá o município valer-
se da inexigibilidade de licitação para realizar obras de reparo da represa e
evitar novos alagamentos.

13. (CESPE/2015/FUB/Conhecimentos Básicos – Nível


Intermediário)
À luz do disposto na Constituição Federal de 1988 acerca da administração
pública, julgue o item a seguir.
É autorizado ao Poder Legislativo delegar ao administrador o poder normativo
de definir as hipóteses de dispensa ou inexigibilidade de licitação pública para
a contratação de prestação de serviços.

14. (CESPE/2015/STJ/Conhecimentos Básicos pra todos os cargos


(Exceto 1, 3, 6 e 14)
A respeito da licitação e dos contratos administrativos, julgue o item
subsecutivo.
A nulidade de contrato administrativo por ausência prévia de licitação gera,
para o contratado de boa-fé, direito a indenização pelos serviços por ele
prestados.

15. (CESPE/2015/MEC/Connhecimentos Básicos para os postos 9,


10, 11 e 16)
De acordo com as Leis n.º 8.666/1993 e n.º 10.520/2002 e com o Decreto n.º
7.892/2013, julgue o item que se segue.

Professor Jonatas Albino do Nascimento 59 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

Na administração pública, as normas de licitações devem privilegiar as


empresas de pequeno porte.
16. (CESPE/2015/MPOG/Analista Técnico Administrativo – Cargo 2)
De acordo com a Lei de Licitações, julgue o item que se segue.
Qualquer cidadão é parte legítima para impugnar preço constante do quadro
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

geral de registro de preços em razão de incompatibilidade do preço disposto


no quadro geral com o vigente no mercado.

17. (CESPE/2015/TCU/Auditor Federal de Controle Externo –


Conhecimentos Gerais)
Com base nas normas que regulam as licitações e os contratos
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

administrativos, julgue o item seguinte.


Dado o princípio da isonomia, é vedado atribuir preferências para bens e
serviços produzidos e prestados no Brasil, ou por empresas brasileiras, mesmo
que se trate de critério de desempate em procedimentos licitatórios, situação
que deverá ser resolvida por sorteio.

18. (CESPE/2009/ICMSBIO/Analista Ambiental)


Julgue os itens a seguir acerca da Lei n. o 8.666/1993.
No procedimento licitatório, é vedado estabelecer tratamento diferenciado de
natureza comercial, legal, trabalhista, previdenciária ou qualquer outra, entre
empresas brasileiras e estrangeiras, salvo as diferenciações estabelecidas em
lei, entre as quais está a possibilidade de se utilizar, como critério de
desempate, a preferência a bens e serviços produzidos por empresas
brasileiras.

19. (CESPE/2013/ANP/Analista Administrativo – Área 5)


Com relação à Lei n.º 8.666/1993 e aos Decretos n.º 2.271/1997 e
n.º 7.174/2010, julgue os itens consecutivos.
De acordo com a Lei n.º 8.666/1993, caso ocorra igualdade de condições em
uma concorrência pública, um dos critérios para desempate são os bens e
serviços produzidos no país.

20. (CESPE/2013/MPOG/Gestor)
Julgue os itens a seguir, relativos à lei n.º 8.666/1993.

Professor Jonatas Albino do Nascimento 60 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

O primeiro critério de desempate a ser utilizado, em uma concorrência, é o de


bens e serviços produzidos no país.

21. (CESPE/2015/TCU/Técnico Federal de Controle Externo –


Conhecimentos Específicos)
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

A respeito de licitações, julgue o item que se segue.


Qualquer cidadão é parte legítima para impugnar edital de licitação por
irregularidade na aplicação da lei, devendo a administração pública, caso a
impugnação seja protocolada no prazo da lei, julgá-la e respondê-la em até
três dias úteis.

22. (CESPE/2012/TCU/Técnico de Controle Externo)


Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

Julgue os itens seguintes, acerca de licitação.


Poderá o cidadão, mesmo não sendo licitante, impugnar edital de licitação
pública que não esteja em conformidade com a lei.

23. (CESPE/2013/MC/Todos os cargos)


Acerca de licitações e contratos, julgue o item a seguir à luz das Leis n.º
8.666/1993 e n.º 10.520/2002.
Somente têm legitimidade para impugnar edital de licitação por motivo de
irregularidade aqueles participantes do certame.

24. (CESPE/2009/TCU/Técnico de Controle Externo – Área


Administrativa)
Com referência aos ditames trazidos pela Lei n.º 8.666/1993, de observância
obrigatória pela administração pública, julgue os próximos itens.
Qualquer cidadão é parte legítima para impugnar edital de licitação por
irregularidade na aplicação da lei em apreço, assim como para representar ao
tribunal de contas responsável pela fiscalização dos recursos.

25. (CESPE/2015/TCU/Técnico Federal de Controle Externo)


A respeito de licitações, julgue o item que se segue.
Será dispensável a licitação caso haja inviabilidade de competição.

26. (CESPE/2015/TCU/Técnico Federal de Controle Externo –


Conhecimentos Específicos)

Professor Jonatas Albino do Nascimento 61 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

A respeito de licitações, julgue o item que se segue.


É inexigível a licitação em caso de guerra ou de grave perturbação da ordem.

27. (CESPE/2008/MPE-RR/Promotor de Justiça)


Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

A respeito de licitações, julgue o item que se segue.


Em razão de situações excepcionais, a dispensa de licitação é possível nos
casos de guerra ou de grave perturbação da ordem.

28. (CESPE/2015/FUB/Administrador)
De acordo com os dispositivos legais que regulam as licitações públicas, julgue
o item a seguir.
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

Em casos de situação de emergência ou de calamidade pública, poderá haver


contratação direta, com dispensa de licitação, tendo o contrato decorrente
prazo máximo de duração de cento e oitenta dias, vedada a sua prorrogação.

29. (CESPE/2010/PGPE-MS/Analista Técnico - Administrativo)


Quando houver dispensa de licitação para execução de obras e serviços por
força de uma situação de emergência ou de calamidade pública, tal execução
deve ser concluída em, no máximo, 180 dias consecutivos e ininterruptos, sob
pena de descaracterizar a situação de licitação dispensável.

30. (CESPE/2008/STF/Analista Judiciário – Área Administrativa)


A respeito do direito administrativo, julgue os itens seguintes.
A contratação de artistas consagrados pela crítica ou pelo público é um
exemplo de dispensa de licitação.

31. (CESPE/2015/MPU/Analista do MPU – Conhecimentos Básicos)


Julgue o próximo item, acerca de inexigibilidade de licitação e do leilão como
modalidade licitatória.
A contratação de serviços técnicos, de natureza singular, com profissionais ou
empresas de notória especialização, insere-se entre as hipóteses de licitação
dispensável.

32. (CESPE/2014/Anatel/Analista Administrativo - Direito)


Considerando o disposto na Lei n.º 8.666/1993, julgue o item subsequente.

Professor Jonatas Albino do Nascimento 62 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

De acordo com o posicionamento do Tribunal de Contas da União, a


possibilidade de dispensa prevista no art. 32, § 1.º, dessa lei não se estende à
documentação relativa à seguridade social.
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

Professor Jonatas Albino do Nascimento 63 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

7 – Gabarito

Gabarito 1. Errado. ...................................................................... 40


Gabarito 2. Errado ....................................................................... 40
Gabarito 3. Certo. ........................................................................ 40
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Gabarito 4. Certo. ........................................................................ 41


Gabarito 5. Errado. ...................................................................... 41
Gabarito 6. Errado. ...................................................................... 41
Gabarito 7. Errado. ...................................................................... 42
Gabarito 8. Errado. ...................................................................... 42
Gabarito 9. Errado. ...................................................................... 42
Gabarito 10. Certo. ........................................................................ 43
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

Gabarito 11. Certo. ........................................................................ 43


Gabarito 12. Errado. ...................................................................... 43
Gabarito 13. Errado. ...................................................................... 45
Gabarito 14. Certo. ........................................................................ 46
Gabarito 15. Certo. ........................................................................ 46
Gabarito 16. Certo. ........................................................................ 47
Gabarito 17. Errado. ...................................................................... 48
Gabarito 18. Certo. ........................................................................ 48
Gabarito 19. Certo. ........................................................................ 49
Gabarito 20. Certo. ........................................................................ 49
Gabarito 21. Certo. ........................................................................ 49
Gabarito 22. Certo. ........................................................................ 50
Gabarito 23. Errado. ...................................................................... 50
Gabarito 24. Certo. ........................................................................ 51
Gabarito 25. Errado. ...................................................................... 51
Gabarito 26. Errado. ...................................................................... 52
Gabarito 27. Certo. ........................................................................ 53
Gabarito 28. Certo. ........................................................................ 53
Gabarito 29. Certo. ........................................................................ 54
Gabarito 30. Errado. ...................................................................... 54
Gabarito 31. Errado. ...................................................................... 55
Gabarito 32. Certo. ........................................................................ 56

Professor Jonatas Albino do Nascimento 64 de 65


www.exponencialconcursos.com.br
Direito Administrativo - Teoria e Questões comentadas
Professor Jonatas Albino do Nascimento

8– Referencial Bibliográfico

Alexandrino, M. Paulo, V. Direito Administrativo Descomplicado. 23ª ed. São


Paulo: Editora Método, 2015.
Bandeira de Melo, C. A. Curso de Direito Administrativo. 27ª ed. São Paulo:
Direitos autorais reservados (Lei 9610/98). Proibida a reprodução, venda ou compartilhamento deste arquivo. Uso individual.

Malheiros, 2010.
Di Pietro, M. S. Z. Direito Administrativo. 22ª ed. São Paulo: Editora Atlas,
2009.
Alexandre, Ricardo. Deus, João de. Direito Administrativo Esquematizado. São
Paulo: Editora Método, 2014.
Meirelles, Hely Lopes. Direito administrativo brasileiro. 22. Ed. São Paulo, RT,
1997.
BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil.
Cópia registrada para Felipe Gomes (CPF: 016.535.976-58)

Brasília, DF, Senado, 1998.

Professor Jonatas Albino do Nascimento 65 de 65


www.exponencialconcursos.com.br