Você está na página 1de 1

S7 – A narrativa verbo-visual no contexto do ensino-aprendizado da leitura

(Comunicação oral)

ALFABETIZAÇÃO E LITERATURA: A INFLUÊNCIA DO ESPAÇO MEDIADOR E DO


LIVRO ILUSTRADO NA FORMAÇÃO DA CRIANÇA LEITORA

MODESTO-SILVA, Kenia Adriana de Aquino, Universidade Federal de Goiás/Jataí,


UFG/UFJ, keniaaquino@gmail.com
DOMINGUES, Isa Mara Colombo Scarlati, Universidade Federal de Goiás/Jataí,
UFG/UFJ, isa.scarlati@gmail.com

Resumo
Este trabalho apresenta duas experiências, uma de pesquisa e outra de formação, tendo
como temática a relevância da literatura durante o processo de aquisição inicial da
escrita. Do ponto de vista da criança, como sujeito aprendente, o processo de
alfabetização inicia-se muito antes do ingresso na escola e nada tem de mecânico
(FERRERO, 2011), visto que ela costuma receber e compreender, desde a mais tenra
idade, informações de origens variadas como as que recebe por meio da televisão, das
fachadas de estabelecimentos comerciais, dos rótulos das caixas de brinquedo ou de
alimentos, da leitura de um livro, da participação em atos sociais com o ler ou o escrever.
Sendo assim, compreende-se que a instituição escolar pode permitir convivências em
atos sociais de leitura e escrita às crianças desde a educação infantil, como: escrever
um bilhete ou ler em voz alta uma história que nasça de um livro de ilustrado. Este texto,
especificamente, tem como objetivo refletir sobre o ato de ler literatura com o apoio das
ilustrações, além disso, descrever e analisar como o espaço também pode ser
mediador, propiciando situações de vivências e aprendizagem, favorecendo a formação
do pequeno leitor e colaborando para seu processo de alfabetização. Para tanto,
apresentam-se duas práticas de leitura literária vivenciadas nos estados de Mato Grosso
e Goiás, na educação infantil e nos anos iniciais, respectivamente. Para as discussões
teóricas, foram utilizados autores como Chartier (2006), Ferreiro (2011), Linden (2011),
Nikolajeva e Scott (2011), Saraiva (2001), Solé (1998) e Weiss (2009).
Metodologicamente, ambos relatos apresentam dados qualitativos, sendo o primeiro
deles desenvolvido dentro de uma pesquisa de Mestrado que teve como metodologia a
ação na pesquisa, ou seja, a pesquisa-ação com cunho autobiográfico; enquanto a
segunda explanação ocorreu dentro de um curso de Pedagogia com acadêmicos
engajados no Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID),
privilegiando o estudo de caso, com planejamento coletivo, no qual se assegurava a
formação docente inicial e a constituição leitora das crianças envolvidas. Como
resultados é possível observar nos dois níveis de ensino: aproximação da criança ao
objeto livro, a suas imagens e às histórias que ele porta; estabelecimento de vínculos
tanto com as narrativas como com os mediadores; seleção de livros a partir das
preferências infantis e seu conhecimento prévio atualizado; crescente envolvimento com
as histórias e o mundo da literatura; análise linguística com discriminação dos sons da
fala; aquisição da ideia de função simbólica da linguagem escrita; distinção entre
desenho e texto, bem como observação das relações entre palavras e ilustrações; além
de orientação espacial e organização da página escrita.

Palavras-chave: Alfabetização, Educação literária, Livro ilustrado, Espaço mediador,


Ensino de leitura.