Você está na página 1de 10
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA ENGENHARIA ELÉTRICA Circuitos de Eletrônica Aplicada Memorial Descritivo -

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA

ENGENHARIA ELÉTRICA

Circuitos de Eletrônica Aplicada

Memorial Descritivo - Transmissor FM

Alunos:

Gerson Cassiano dos Santos Netto

Professor:

Dr. Alan Petrônio Pinheiro de Lima

1 de junho de 2019

¨

Sumário

1 Objetivos e considerações preliminares

 

2

2 Transmissor: arquitetura, projeto, simulação e montagem

 

2

2.1 Arquitetura

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

2

2.2 Considerações a serem feitas

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

2

2.3 Pré Amplificador

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

3

2.3.1

Cálculos dos valores dos componentes do pré amplificador

 

4

2.4 Oscilador

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

5

2.5 Amplificador RF

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

7

2.5.1

Cálculos dos valores dos componentes do amplificador RF

 

8

2.6 Ligação dos estágios

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

9

 

1

1

Objetivos e considerações preliminares

Um transmissor é um dispositivo eletrônico que, com a ajuda de uma antena, propaga um sinal eletromagnético, podendo ser de rádio, televisão, ou outras telecomunicações. O transmissor de rádio é composto por um circuito amplificador e um circuito de saída. Medi- ante um transmissor de rádio é possível comunicar com outra pessoa que tenha um receptor de rádio e cujo receptor de rádio esteja sintonizado na mesma frequência de transmissão. Pode transmitir-se voz e dados por meio de um transmissor de rádio. O objetivo desse memorial descritivo é mostrar um projeto amador de um transmissor de radio FM para fins diatáticos.

2 Transmissor: arquitetura, projeto, simulação e montagem

2.1 Arquitetura

Primeiramente iremos demonstrar a estrutura do o transmissor FM, a seguir segue o diagrama de blocos que explica, de forma simplificado, o funcionamento do transmissor:

de forma simplificado, o funcionamento do transmissor: Figura 1: Diagrama de bloco do transmissor FM A

Figura 1: Diagrama de bloco do transmissor FM

A primeira etapa se trata de um pré amplificador, necessário para amplificar o sinal de um microfone ou um sinal de áudio provindo de um conector p2 de um celular ou computador. A etapa seguinte se trata de um VCO, que é capaz de ’misturar’ o sinal de áudio recebido com uma portadora da frequência desejada. O terceiro estagio se trata de um amplificador, capaz de pegar o sinal, já em radio frequência, e amplifica lo ainda mais para que seja enviado para o ultimo estagio, a antena, que fara a transmissão do sinal resultante dos estágios anteriores.

2.2 Considerações a serem feitas

1. Fonte: Usaremos como fonte de alimentação uma bateria de 9 volts, o motivo de tal escolha se deve ao fato da alta confiabilidade que se tem para o nível tensão fornecido pela bateria, a mesma não possui quase que nenhum tipo Ripple. Além de ser um tipo de fonte relativa- mente barata e fácil de se encontrar. Usaremos no nosso circuito 2 capacitores para fins de desacoplamento, evitando que algum sinal AC indesejado atinja nossa bateria e provendo um caminho mais rápido de abastecimento de energia para o circuito.

2

2. Transistores: O transistor utilizado para a pre-amplificação é o 2n3904. Se trata de um tran- sistor de uso geral, porem comumente usado para pre amplificadores em diversos projetos encontrados na literatura e nas comunidades de entusiastas. O mesmo, de acordo com seu datasheet, possui um β de 40 para a corrente I c que desejamos trabalhar (0,8mA). O mesmo conseguiria trabalhar com até 40 volts de V CE . E por ultimo ele pode ser facilmente encon- trado e possui baixo custo. Para o amplificador RF e o VCO, utilizaremos o transistor 2n2222. Apesar de não se tratar da melhor escolha para aplicação, ele ainda sim possui algumas boas características que o fazem a nossa escolha para o projeto. Primeiramente ele conseguiria trabalhar na frequência de oscilação de FM (88-108 MHz), o mesmo possui baixo custo, e é facilmente encontrado na região.

2.3 Pré Amplificador

Foi escolhido o topologia do amplificador de divisor de tensão para esse estagio, se trata de um modelo com boa características de amplificação e conseguiria dar um bom ganho de tensão em sinal pequeno como de um microfone de eletreto e poderia ser facilmente ajustado para amplificar um sinal um pouco maior, como o provindo de um terminal p2 de celulares ou notebooks. A figura a seguir demonstra o modelo escolhido para o pre amplificador.

A figura a seguir demonstra o modelo escolhido para o pre amplificador. Figura 2: Esquemático do

Figura 2: Esquemático do Pré Amplificador

3

2.3.1

Cálculos dos valores dos componentes do pré amplificador

• Cálculos das resistências para a polarização do transistor, para isso iremos considerar o ponto quiescente de 4.5 e I C = 0.8mA. R3 - R 3 = (9 4.5)/0.8mA = 5625 = 5600Ω Iremos considerar que 1/6 da tensão VCC estará no resistor R 4 R4 - R 4 = 1.5/0.8mA = 1800Ω I B = I C /β = 20µA R2 - R 2 = (1.5 + 0.7)/10 I B = 11kR1 - R 1 = (9 2.2)/(20µ + 200µ)mA = 31k

• Cálculos dos capacitores de C3, C2, C1. A reatância desses capacitores C 1 e C 2 devem ser no máximo 1% da impedância de entrada do dos circuitos ligados apos ele. Dessa maneira temos que a impedância de entrada é dado por R 1 //R 2 //βr e = 1106Ω. Logo X c < 11Ω. C > 1/(2π 20k 11) > 0.7µF . Escolhemos então o capacitor de 3.9µF . Para o capacitor de by-pass adotamos que o mesmo deveria ser 100x menor que a resistência R 4 , logo temos X c < 18, portanto, C > 1/(2π 20k 18) > 0.5µF , e escolhemos uma capacitor de 10µF . Para o uma entrada a partir de um terminal p2, talvez deverá ser retirado o capacitor C 1 , sobe o risco de saturar o transistor. O potenciômetro R5 foi inserido justamente para controlar a tensão de entrada na base do transistor

4

Figura 3: Dados de simulação para uma entrada similar a de um terminal p2. 2.4

Figura 3: Dados de simulação para uma entrada similar a de um terminal p2.

2.4 Oscilador

Para o oscilador VCO escolhemos a topologia clássica de Colpitts. Esse circuito é capaz de gerar uma onda portadora do sinal através do fenômeno de ressonância do circuito tanque, que se encontra no coletor do transistor. Esse circuito possui uma realimentação positiva e deve-se ter um ganho próximo de -1. A frequência no qual o circuito esta oscilando pode ser calculado pela formula a seguir.

1

f =

2π LC No demais o circuito pode do VCO é mostrado a seguir:

5

(1)

Figura 4: Esquemático do VCO Os resistores de 56 k Ω e 12 kω são

Figura 4: Esquemático do VCO

Os resistores de 56ke 12são apenas para correta polarização do transistor. Os capacitores de 470pF são uma maneira de permitir que o sinal CA produzido no emissor do transistor tenha um caminho livre para o terra e VCC, esses capacitores possui uma resistência próxima de 4Ω para Frequências de 91.9 Mhz, e foi calculado usando o mesmo método do usado para os capacitores do pre amplificador. De acordo com a equação 1, podemos encontrar uma relação entre os capacitores e indutores do circuito tanque. Onde deduzindo um bom valor de indutância cujo conseguiremos manufaturar, encontramos o valor de capacitância equivalente para fazer com que oscile com a frequência na ordem dos 91.9 MHz. Os resultados obtidos medidos estão abaixo:

na ordem dos 91.9 MHz. Os resultados obtidos medidos estão abaixo: Figura 5: Dados de simulação

Figura 5: Dados de simulação do VCO na frequência

6

Figura 6: Dados de simulação do VCO no tempo Na resposta em frequência obtivemos um

Figura 6: Dados de simulação do VCO no tempo

Na resposta em frequência obtivemos um pico na frequência de 91.5Mhz, e no restante do es- pectro há uma considerável atenuação, sendo a maioria do espectro indesejado estando abaixo dos -20db. Um problema encontrado na simulação foi do nível de tensão de saída do VCO, tendo pico de 10 volts. Tal magnitude de tensão nunca seria medida em um projeto visto no mundo real, dado que o VCC é de apenas 9 volts.

2.5 Amplificador RF

Esse estagio tem como finalidade dar potencia para o sinal, para que o mesmo consiga cobrir maior distancia na sua propagação. Por se tratar de um sinal de alta frequência, é necessário uma to- pologia diferente dos amplificadores clássico, essa topologia pode ser visto a seguir, o amplificador sintonizado.

7

Figura 7: Esquemático do Amplificador de RF 2.5.1 Cálculos dos valores dos componentes do amplificador

Figura 7: Esquemático do Amplificador de RF

2.5.1 Cálculos dos valores dos componentes do amplificador RF

Partimos do ponto de operação do transistor. Ponto quiescente no meio da reta de carga, temos V c = 4.5v.

• Para calcular a polarização do transistor, primeiro partimos da escolha da frequência central de oscilação do mesmo. Usando a equação 1, e usando o indutor no qual foi proposto que conseguiremos na etapa anterior (0.1µH), usando a frequência central como a frequência de oscilação no qual o estagio anterior estava sintonizado, (91.9Mhz) obtivemos um capacitor da dimensão de 30pF . Sabendo que ganho é determinado pelo resistência R C no coletor, e que R C = X L //X C e que X L = X C na frequência central, temos que R C = X L /2. Portanto, a corrente I C do ponto de operação desse transistor pode ser encontrada a partir do ponto quiescente desejado concluímos que I C = 4.5/R C = 9/X L = 9/(2πf c L) = 156mA, o que não é um problema, pois de acordo com o datasheet do 2n2222, o mesmo suporta até

800mA.

• Para o resistor do emissor, desejamos que tenha 1 volt nele. Para isso temos R e = 1/I C = 1/156mA = 6.4Ω.

• para o calculo do divisor de tensão e para β = 100, temos que I B = I C /100 = 1.56mA, logo temos R 2 = (1 + 0.7)/(10 1.56mA) = 109Ω. Portanto R 1 = (9 1.7)/(1.56mA + 156mA) = 425.4 = 426Ω.

Vale a pena ainda ressaltar que o circuito tanque LC, no coletor do transistor ainda vai agir como um filtro, passa-banda, com frequência central f c , e como é um filtro com elementos reativos, o circuito altera a fase do sinal de saída, variando de acordo com a frequência.

8

2.6

Ligação dos estágios

A figura a seguir mostra os 3 estágios anteriores com seus devidos acoplamentos, na ordem esta- belecida. Apesar da figura mostrar os 3 estágios juntos, não foi possível simular os 3 dessa maneira, devido alguns problemas relacionados ao simulador escolhido. Como não foi possível validar o pro- jeto com a simulação, será confeccionado, com atenção redobrada, o projeto, e tentaremos validar o projeto experimentalmente.

redobrada, o projeto, e tentaremos validar o projeto experimentalmente. Figura 8: Esquemático do Transmissor FM 9

Figura 8: Esquemático do Transmissor FM

9