Você está na página 1de 4

Liberalismo gourmet

Guilherme Fiuza
Jornalista e escritor com mais de 200 mil livros vendidos, autor dos best-sellers “Meu nome não é
Johnny” (maior bilheteria do cinema nacional em 2008), “3.000 dias no bunker” (história do Plano Real,
também adaptado para o cinema), “Bussunda – A vida do casseta”, entre outros. Escreveu o romance “O Império
do Oprimido” e é coautor da minissérie “O Brado Retumbante” (TV Globo), indicada ao Emmy Internacional.
Twitter: @GFiuza_Oficial
Conversa contemporânea:

_ Você é o que?
_ Liberal.
_ E você?
_ Democrata.
_ Ufa! Nenhum fascista na conversa.
_ Ninguém merece.
_ Qual é a sua bandeira?
_ Sou pragmático: reforma da Previdência. Senão, o país quebra.
_ Tá certíssimo. O problema é esse governo.
_ Pois é. Nem sei como o Paulo Guedes foi parar lá.
_ É, o cara é bom. E levou uma equipe de primeira linha.
_ Aliás, apresentaram um projeto tecnicamente excelente.
_ Verdade. O problema é o governo.
_ É, o problema é o governo.
_ Nem dá pra entender como o Moro foi parar lá. Um cara com a história dele…
_ E já entrou a mil por hora, combatendo o crime em várias frentes. Será que ele pensa
que tá na Lava Jato?
_ Sei lá. Estão dizendo aí que as invasões de terra caíram quase a zero neste ano. Será que
finalmente deram uma trava na fanfarra do MST?
_ Tomara. E os parasitas do sindicalismo também estão tendo vida dura.
_ Agora você foi no ponto: o parasitismo do empreendimento. Muito boa essa MP da
Liberdade Econômica. Finalmente, atacamos o custo Brasil de frente.
_ Exato. E o projeto de reforma tributária também tá vindo aí.
_ Tributária, não. Administrativa.
_ As duas.
_ Ah, tá. Pô, os caras tão correndo mesmo, hein?
_ É, abriram o setor aéreo e já fizeram concessões privadas nos portos e nas estradas. Vai
entrar grana aí.
_ Com certeza. O problema é o governo.
_ É, o problema é o governo.
_ Mudando de assunto: o que você acha que vai acontecer com a Venezuela?
_ Pergunta difícil. Bom, pelo menos o Brasil parou de apoiar aquela ditadura enrustida.
_ Isso é. Só com o que a gente perdeu de grana enfiada nesses regimes autoritários da
América do Sul e da África dava pra botar hospital no Brasil inteiro.
_ Esse derrame acabou.
_ Fora o absurdo que era você se dizer um país democrático e ficar financiando ditadores
fantasiados de progressistas.
_ Vexame mesmo. Felizmente aqui a liberdade tá mais que garantida, todo mundo fala o
que der na telha, numa boa.
_ Exatamente. O problema é o fascismo.
_ Qual fascismo?
_ Desse governo aí.
_ Ah, é. Que horror.
_ Que nojo.
_ Autoritário.
_ Inoperante.
_ Obscuro.
_ Nem sei como Paulo Guedes, Sergio Moro e toda aquela equipe qualificada estão
tocando uma agenda tão intensa em tão pouco tempo.
_ E com tanta liberdade.
_ Esse governo fascista não consegue nem implantar um fascismo decente.
_ Aí você disse tudo.
_ Obrigado.
_ De nada.
_ Muito bom conversar com um democrata.
_ Muito bom conversar com um liberal.
_ Somos inteligentes.
_ Concordo. E civilizados.
_ E belos.
_ E formidáveis.
_ Coisa fofa.
_ Utchigutchigutchi.

 
Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Os artigos assinados são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem,


necessariamente, a opinião de Forbes Brasil e de seus editores.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em
qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil
(copyright@forbes.com.br).

Recomendados Para Você