Você está na página 1de 7

Universidade da Amazônia

Centro de Ciências Humanas e Educação

PROJETO DE PESQUISA
Curso de Licenciatura Plena em Geografia

Entre Martin Heidegger e Éric Dardel: considerações


sobre espaço e lugar

Candidato: Romeu Bacelar de Souza Neto


Supervisor: Prof. Daniel Ramôa Farias
Instituição: Universidade da Amazônia – UNAMA
Unidade: Centro de Ciências Humanas e Educação
Título do Projeto de Pesquisa: “Entre Martin Heidegger e Éric Dardel: considerações
sobre espaço e lugar

BELÉM – PA
2019
1. Resumo

Este projeto de pesquisa propõe-se a investigar a questão do sentido do ser exposto por
Martin Heidegger em Ser e Tempo a partir da analítica existencial proposta por Éric Dardel em
O Homem e a Terra de uma ontologia geográfica para a compreensão do conceito de Espaço e
Lugar. Para isso, voltaremos ao problema da facticidade do próprio Dasein existir no "estar
sendo" particular situado no mundo, daquilo que Dardel apontou como geograficidade,
associado a relação do homem à Terra. A espacialidade contemplada pela existência "aí" do
ser-no-mundo se constitui como a própria abertura do ente como possibilidade ao mundo. Por
esse caminho, Heidegger e Dardel convergem ao apreender o espaço como um modo da
presença, direcionado a liberdade e ao pertencimento, habitando o homem ao lugar. Neste meio
habitado, a Terra é como um puro chamado para uma hermenêutica onde a alma realiza a
travessia ao seu modo de ser concedendo um gesto poético a partir da relação mundo-terra,
sendo ela construída e habitada poeticamente. Nesta atitude perante a realidade fática do
Dasein, é necessário compreender o indivíduo pelo desvelar do que está “aí”manifestado e
captado como referência significativa dos sentidos, constituindo uma condição da realidade
geográfica como fenomenologia-hermenêutica. Este ato à hermenêutica, resgatado por Éric
Dardel nas obras de Martin Heidegger, consiste do avanço da iluminação do ente do ser daquilo
que ultrapassa o campo da interpretação estritamente a partir do texto, a realidade geográfica é
ela mesma revelada pelos seus limites e resistências.

2
2. Introdução e justificativa

Muito já foi produzido sobre a concepção de geograficidade realizada por Éric Dardel
em O Homem e A Terra, dado ao "interesse pela reflexão espacial [...], junto com a preocupação
epistemológica e (embora mais tímida) ontológica" (MARANDOLA, 2011, p. 15). Diversos
autores da geografia humanística como Yi-Fu Tuan e Edward Relph, ligados a fundamentos
fenomenológicos, beberam de fontes filosóficas existencialistas, como afirma Marandola
(2011, p.15), "autores como Martin Heidegger e Gaston Bachelard têm sido fundamentais para
uma filosofia do espaço". Neste contexto, foi realizado uma pesquisa no banco de dados
SciELO e Google Acadêmico e foram encontrados diversos artigos em relação à obra de Dardel
atrelada a Martin Heidegger ou como forma de compreensão de um dos autores (GALLO e
MARANDOLA, 2017; PÁDUA, 2005; SILVA, 2015; TEIXEIRA, 2012). Em relação direta
com o tema proposto, foi produzido um desdobramento significativo que mapeou as influências
de Martin Heidegger a obra O Homem e a Terra de Éric Dardel, como afirma os autores

O filósofo alemão aparece na obra de maneira direta em alguns pontos, porém, sua
influência é claramente identificável de forma mais ampla pela proximidade das
reflexões de Dardel e a fenomenologia existencial e hermenêutica que Heidegger leva
à cabo em suas ponderações sobre a ontologia. (GALLO e MARANDOLA, 2017, p.
4)

A partir disso, a compreensão de Dardel da espacialidade do ser-aí se aproxima com a


filosofia heideggeriana dado "à impossibilidade de objetivação do mundo deve-se a total
impossibilidade de separação entre mundo e Dasein" (PÁDUA, 2005, p. 50). Como afirma
Dardel “A geografia não é, de inicio, um conhecimento; a realidade geográfica não é, então,
um “objeto”; o espaço geográfico não é um espaço em branco a ser preenchido a seguir com
colorido” (DARDEL, 2011, p. 33). Neste desbravar a realidade geográfica dardeliana, significa
considerar a própria existência no campo da compreensão da realidade fática do Dasein, não
dar-se primeiramente em um cogito dado (HEIDEGGER, 1988). Desse modo, como afirma
Gallo e Marandola (2017, p. 12)

A resposta que Dardel constrói para sua própria pergunta “que é a


geografia?” vem na contramão do próprio fazer científico, visto que a
ciência moderna coloca o conhecimento em termos de uma relação
segmentada entre sujeito e objeto. Para Dardel, tal encaminhamento do
pensamento é contraditório com a realidade geográfica. Seu
entendimento é guiado por um posicionamento fenomenológico-
existencial que acena para uma impossibilidade de separação; a origem

3
da realidade geográfica já reside na própria interdependência entre
homem e terra.
Portanto, considerando os elementos apreendidos, este projeto de pesquisa pretende
aprofundar o conceito explorado por Éric Dardel a partir das obras de Martin Heidegger,
considerando o Espaço e Lugar, Mundo e Terra como indissociáveis em relação perante a
possibilidade de ser-no-mundo.

3. Objetivos

1) Efetuar uma análise detalhada da reunião das obras que compõem a leitura da
realidade geográfica de Éric Dardel a partir da filosofia heideggeriana, para indicar a
compreensão conceitual sobre o Espaço e Lugar, nos limites da fenomenologia hermenêutica,
no que é conferido por Heidegger como "trazer à tona" do processo de manifestação do ser dos
entes.

2) Investigar o processo da espacialidade do Dasein em sua lida cotidiana, configurando


o mundo circundante que o cerca a partir do que lhe é "mais próximo", tornando o "aí" que o
cerca como referências fundamentais para o próprio lugar e habitar.

3) Analisar os fundamentos epistemológicos percorridos pelos autores, para o


entendimento da fenomenologia hermenêutica, apresentando como caráter introdutório na
produção da tese.

4. Plano de trabalho e cronograma de sua execução

Primeira etapa: o primeiro semestre do estudo será realizado a análise das obras de
Martin Heidegger e Éric Dardel estruturando os fundamentos sobre o Espaço e Lugar posto nos
escritos. A revisão bibliográfica usada para o tema referido está listada no item 6. Referências
bibliográficas.

Segunda etapa: na primeira metade do segundo semestre, a partir da revisão


bibliográfica, análise e estruturação dos escritos escolhidos, serão feitas os respectivos
fichamentos e mapeamentos conceituais em torno das obras referente ao tema proposto.
4
Terceira etapa: na segunda metade do último semestre, será dedicado à finalização da
tese, resultado da revisão bibliográfica e discussões realizado sobre a tématica proposta da
compreensão do Espaço e Lugar na concepção heideggeriana e dardeliana.

5. Métodos e formas de análise dos resultados

Investigação das fontes primárias da pesquisa, que envolve a obra de Éric Dardel O
Homem e a Terra, com destaque na relação com os escritos de Martin Heidegger como Ser e
Tempo, para aprofundar a discussão do sentido do ser, A Origem da Obra de Arte, para a
compreensão da relação mundo-terra retomado como referência por Dardel para a apreensão da
realidade geográfica como facticidade do próprio ser-aí.

Análise das fontes secundárias indicadas no item 6. Referências bibliográficas de como


que sirva para elucidar a reflexão sobre a determinada temática proposta. A partir disso, será
usado para futuras discussões com o orientador, permitindo a relação a aquilo que as fontes
primarias se dirigem.

Após esses dois momentos, apresentaremos os resultados obtidos pela proposta inicial,
em que consiste afirmar os sentidos do espaço como processo de compreensão da existência,
envolvendo a dimensão do cotidiano mergulhado na possibilidade como condição para o habitar
e ao pertencer a determinado lugar situado.

5
6. Referências bibliográficas

BACHELARD, Gaston. A poética do espaço. Tradução de Antônio da Costa Leal e Lídia do


Valle Santos Leal. São Paulo: Abril Cultural, 1978. (Coleção Os Pensadores).
BRAGAGNOLO, Felipe. ATITUDE NATURAL E ATITUDE FENOMENOLÓGICA: A
RELAÇÃO EXISTENTE ENTRE AS DIFERENTES ATITUDES A PARTIR DO ATO
INTUITIVO. Intuitio, Porto Alegre, v. 7, n. 2, p.73-88, 2014.
DARDEL, Éric. O Homem e a Terra: natureza da realidade geográfica. São Paulo: ed.
Perspectiva, 2011.
GALLO, Priscila Marchiori Dal; MARANDOLA JUNIOR, Eduardo. O PENSAMENTO
HEIDEGGERIANO NA OBRA DE ÉRIC DARDEL: A CONSTRUÇÃO DE UMA
ONTOLOGIA DA GEOGRAFIA COMO CIÊNCIA EXISTENCIAL. Revista da ANPEGE,
[S.l.], v. 11, n. 16, p. 173-200, jun. 2017. ISSN 1679-768X. Disponível em:
<http://ojs.ufgd.edu.br/index.php/anpege/article/view/6430>. Acesso em: 10 maio 2019.
doi:https://doi.org/10.5418/RA2015.1116.0008.
HEIDEGGER, Martin. Ser e tempo. Trad. Márcia de Sá Cavalcante. Parte I. Petrópolis: Vozes,
1988.
HEIDEGGER, Martin. Ser e tempo. Trad. Márcia de Sá Cavalcante. Parte II. Petrópolis: Vozes,
1997a.
HEIDEGGER, Martin. Ensaios e Conferências. 8. ed. Petrópolis: Vozes, 2012.
HEIDEGGER, Martin. A Caminho da Linguagem. Trad. Marcia Sá Cavalcante Schuback.
Petrópolis, RJ: Vozes: Bragança Paulista, SP: Ed. Universitária São Francisco, 2003a.
HEIDEGGER, Martin. A origem da obra de arte. Biblioteca de Filosofia Contemporânea. Ed.:
Edições 70. Tradutora: Maria da Conceição da Costa, 1977.
HEIDEGGER, Martin. Sobre o humanismo (1947), tradução de Emmanuel Carneiro Leão, Rio
de janeiro: Tempo Brasileiro, 1967. [Carta sobre o humanismo, tradução de Rubens Eduardo
Frias, São Paulo: Editora Moraes, 1991.]
MARANDOLA JR, Eduardo José. Heidegger e o pensamento fenomenológico em geografia:
sobre os modos geográficos de existência. Geografia. Rio Claro, v. 37, n. 1, p. 81-94, jan./abr.
2012.
NUNES, B. Passagem para o poético: filosofia e poesia em Heidegger. São Paulo: Ática, 1992.

6
PÁDUA, L. T. S. A “topologia do ser”: lugar, espaço e linguagem no pensamento de Martin
Heidegger. Tese de Doutorado. Tese (Doutorado em Filosofia) – Departamento de Filosofia,
Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio Janeiro, 2005.
SANTOS, M. A natureza do espaço: Técnica, Espaço e Tempo, Razão e Emoção. 4ª Ed. São
Paulo: Edusp, 2012.
SILVA, Felipe Kevin Ramos da. GEOGRAFIA E FENOMENOLOGIA: Por uma ontologia do
espaço e do lugar. 2015. 93 f. TCC (Graduação) - Curso de Geografia, Universidade do Estado
do Pará, Belém, 2015.
TEIXEIRA COUTINHO, Bernard. Um estudo sobre a ontologia do espaço na obra de Martin
Heidegger. Para Onde!?, [S.l.], v. 6, n. 1, p. 07-12, out. 2012. ISSN 1982-0003. Disponível em:
<https://seer.ufrgs.br/paraonde/article/view/25248/23226>. Acesso em: 10 maio 2019.
TUAN, Yi-Fu. Espaço e lugar: a perspectiva experiência. Trad. Lívia de oliveira. Londrina:
Eduel. 2013.