Você está na página 1de 15

Saudações irmandade, nesta pequena apostila irei lhes ensinar os métodos de preparo e

utilização dos sagrados pantáculos encontrados no famoso grimório As clavículas de Salomão,


então partirei do princípio que você já tenha esse grimório e já tenha estudado um pouco dele.
O objetivo desta apostila é esclarecer e tornar didático o conhecimento sobre a utilização desses
talismãs, visto que o grimório de Salomão apresenta algumas lacunas a respeito do processo.
Eu costumo dizer que as Clavículas foram escritas de um mago experiente pra outros magos
experientes, por isso muitos iniciantes tem enorme dificuldade em entender com clareza essa
arte, então, meu objetivo aqui é tornar claro a quem está começando agora e despertou interesse
na magia pantacular, afinal, eu também já fui um iniciante e tive muitas dificuldades no começo
justamente pela falta de esclarecimento, então vou abordar esse assunto com bastante
simplicidade e clareza, mas não espere que eu demonstre tudo nos mínimos detalhes, você deve
pesquisar por conta própria alguns elementos e adaptar de acordo com a sua realidade e
tradição, meus ensinamentos aqui não são verdades absolutas, e sim os métodos que eu testei e
funcionou para mim e também para outros irmão que utilizam os mesmos métodos, você é livre
para adaptar de acordo com sua tradição.
Os pantáculos mencionados aqui como já citei, são de origem do grimório de Salomão, porém
esses métodos se aplicam a talismãs próprios ou provenientes de outros grimórios, tais como os
pantáculos presentes no Tratado de alta magia Vassariah, por exemplo.
Devo avisar que essa arte exige paciência e cautela com os detalhes, se errar um detalhe, você
pode arruinar todo o processo, se for ansioso você tende a pular etapas e prejudicar o resultado
final , lembre-se que vamos trabalhar com magia planetária aqui, logo, a lua influencia
diretamente no resultado final da energia do talismã, assim como as horas planetárias e os dias
planetários, até mesmo o clima influencia, eu já tive que esperar 3 meses pra fazer uma
consagração simplesmente porque o tempo estava chuvoso nos dias definidos da operação, e é
necessário que o céu esteja limpo pra se consagrar um talismã.
Então, tenha paciência e se atente aos detalhes, uma vez feito com dedicação, um pantáculo
poderá lhe servir para o resto da vida, ou passado para suas próximas gerações.

Dito isto, vamos ao primeiro passo.

Fabricação

A princípio vá até o grimório de Salomão no capitulo dos pantáculos e escolha um planeta, em


seguida escolha os pantáculos desse planeta que você deseja fabricar, é muito importante que
você foque em um único planeta, não tente fazer/consagrar pantáculos de vários planetas ao
mesmo tempo, essa arte exige paciência e organização, primeiro você deve trabalhar com uma
esfera planetária, quando finalizar você pode começar a se organizar pra fazer os pantáculos de
outra esfera.

Material
Os materiais para se confeccionar um pantáculo são dos mais variados, e basicamente se
dividem em: Tinta e Superfície.
Se você tiver condições, pode fazer os talismãs nos metais correspondente de cada planeta, mas
o mais comum, conforme descrito nas clavículas, é utilizar pergaminho virgem como superfície.
Com “pergaminho virgem” leia-se qualquer tipo de papel novo, nunca utilizado ou riscado, o que
convenhamos é muito fácil de encontrar. Mas lembre-se que, ao comprar um papel ele não está
totalmente virgem, leve em consideração o caminho que o papel teve que percorrer até chegar
em suas mãos, quantas pessoas colocaram a mão e impregnaram formas-pensamento nele, por
isso, depois de conseguir o papel, purifique-o com incenso de Sândalo ou Sálvia para remover
qualquer resíduo de energia.
Eu sempre utilizei papel cartão por dois motivos, primeiro pela gramatura maior desse papel, o
que deixa ele mais resistente, e segundo pela opção de poder escolher a cor do mesmo, e por
falar em cor, aqui vai as correspondências de cores dos planetas, algo que você deve levar em
conta na hora de escolher a superfície ou a tinta.

Segunda-Feira (Lua) - Branco


Terça-Feira (Marte) - Vermelho
Quarta-Feira (Mercúrio) - Laranja
Quinta-Feira (Júpiter) - Azul
Sexta-Feira (Vênus) - Verde
Sábado (Saturno) - Preto
Domingo (Sol) – Amarelo

Eu particularmente prefiro deixar a superfície com a cor correspondente e desenhar o símbolo


com tinta preta, mas isso fica ao critério de cada um.
Quanto a tinta, você pode usar inúmeros recursos, carvão, lápis, tintas consagradas, ou
simplesmente uma caneta, mas escolha algo que você irá usar somente para desenhar seus
talismãs, não esqueça de purificar e se possível consagrar o objeto para que ele sirva apenas
para os fins da arte, abaixo um exemplo de como você pode consagrar um objeto.
Tendo preparado os materiais, vamos a fabricação, abaixo um trecho das clavículas de Salomão
referente a fabricação dos talismãs:

“Os pantáculos devem ser feitos nos dias e horas de Mercúrio, quando a Lua se encontrar em um signo do
ar ou da terra; também deve estar em Crescente e igual número de dias com o Sol. É necessário ter uma
câmara ou gabinete especial a parte, e recém limpo, onde se possa permanecer sem ser interrompido, o
qual, tendo entrado com seus companheiros, devem se incensar e perfumar-se com as madeiras e perfumes
da arte. O céu deve estar limpo e sereno. É necessário que tenha uma peça ou várias de pergaminho
virgem, preparadas e arrumadas de antemão, como se indicará mais adiante, no lugar apropriado. Deve
começar a escritura ou construção dos pantáculos na hora já indicada.
Quando os construir, se puder terminá-los na hora em que se começou, é melhor. Sem dúvida, se for
absolutamente necessário interromper o trabalho, deve esperar o dia e a hora apropriados para
recomeçar. Quando terminar e completar os pantáculos, pegue um tecido de seda muito fina, como se
ordenará daqui por diante, com a qual envolverá os pantáculos.”

Pois bem, você deve estar se perguntando, como saber as horas planetárias, fases da lua, ou o
signo da lua.
Eu lhe digo que estamos nos século 21, e temos inúmeros meios de ter acesso a essas
informações através da tecnologia, nesse caso, recomendo que primeiramente você faça o
download de um aplicativo chamado Fases da Lua, nele você poderá saber o período da lua
crescente e poderá verificar uma quarta-feira (dia de mercúrio) que esteja numa lua crescente
com um signo de ar ou terra (já será explicado).
Caso você tenha o azar de que uma quarta feira de lua crescente não esteja em signo de ar ou
terra, infelizmente terá que esperar para o próximo mês, já passei por isso, é chato, mas é
necessário, por isso foi dito desde o começo que essa arte é para os pacientes, são em situações
assim que se testa a força de vontade do magista, e vontade é tudo na magia.
(Repare como o app mostra os detalhes desejados, dia/fase/signo)

(Aqui está a tabela de correspondência dos signos/elementos)


Quanto as horas planetárias, aqui vai uma tabela para você consultar, levando em conta que você
está no Brasil e que o Sol nasce aproximadamente as 6 da manhã.

HORA DOMINGO SEGUNDA TERÇA QUARTA QUINTA SEXTA SÁBADO


6h Sol Lua Marte Mercúrio Júpiter Vênus Saturno
7h Vênus Saturno Sol Lua Marte Mercúrio Júpiter

8h Mercúrio Júpiter Vênus Saturno Sol Lua Marte

9h Lua Marte Mercúrio Júpiter Vênus Saturno Sol

10h Saturno Sol Lua Marte Mercúrio Júpiter Vênus

11h Júpiter Vênus Saturno Sol Lua Marte Mercúrio

12h Marte Mercúrio Júpiter Vênus Saturno Sol Lua

13h Sol Lua Marte Mercúrio Júpiter Vênus Saturno

14h Vênus Saturno Sol Lua Marte Mercúrio Júpiter

15h Mercúrio Júpiter Vênus Saturno Sol Lua Marte

16h Lua Marte Mercúrio Júpiter Vênus Saturno Sol

17h Saturno Sol Lua Marte Mercúrio Júpiter Vênus

18h Júpiter Vênus Saturno Sol Lua Marte Mercúrio

19h Marte Mercúrio Júpiter Vênus Saturno Sol Lua

20h Sol Lua Marte Mercúrio Júpiter Vênus Saturno


21h Vênus Saturno Sol Lua Marte Mercúrio Júpiter

22h Mercúrio Júpiter Vênus Saturno Sol Lua Marte

23h Lua Marte Mercúrio Júpiter Vênus Saturno Sol

0h Saturno Sol Lua Marte Mercúrio Júpiter Vênus

1h Júpiter Vênus Saturno Sol Lua Marte Mercúrio

2h Marte Mercúrio Júpiter Vênus Saturno Sol Lua

3h Sol Lua Marte Mercúrio Júpiter Vênus Saturno

4h Vênus Saturno Sol Lua Marte Mercúrio Júpiter

5h Mercúrio Júpiter Vênus Saturno Sol Lua Marte


Consagração

Tenha em mãos também o círculo de consagração (ver figura abaixo), ele pode ser feito em pano
ou até mesmo em uma cartolina e devidamente purificado como já explicado, não precisa ser
muito grande, apenas espaço suficiente para caber os pantáculos e o vaso de incensos.
Se possível faça toda a operação dentro do seu círculo mágico, e deixe o círculo menor de
consagração pro lado de fora do seu círculo de atuação.
Os incensos você pode usar os correspondentes a esfera planetária em questão (não vou
adicionar a tabela de incensos aqui, como eu disse no início, algumas coisas você deve buscar
por conta própria, recomendo que consulte o livro Sistemagia, lá você vai encontrar os perfumes
e incensos relacionados a cada esfera planetária).

(círculo de consagração)
O grimório de Salomão não especifica quando você deve consagrar os pantáculos, portanto, fica
a critério de cada um o dia mais propicio de se consagrar, alguns optam por permanecer no dia
de mercúrio, e outros preferem fazer a consagração no dia da esfera planetária em que se está
trabalhando, então por exemplo, se você está fazendo os pantáculos de Júpiter, consagre os
mesmos em uma quinta-feira de lua crescente ou cheia, de céu limpo e numa hora de júpiter.
A operação é básica e tranquila, consiste em perfumar os talismãs, recitar os salmos, e perfumar
novamente.
Antes de iniciar tome um banho, purifique o ambiente da consagração com variados perfumes e
incensos, faça um banimento e prepare seu círculo mágico e o círculo de consagração colocando
os pantáculos dentro e acendendo o vaso de incensos.
A seguir, os textos retirados das Clavículas de Salomão referente a operação.
“Depois disto é necessário ter dentro do Círculo um vaso de barro cheio de carvão e perfumes odoríferos,
com os quais perfumará os pantáculos, e virando o rosto para o Leste, deve sustentar os pantáculos sobre o
humo de incenso e repetir devotamente os seguintes Salmos de Davi meu pai:

Salmo 8
1 Ó Senhor, Senhor nosso, quão admirável é o teu nome em toda a terra, tu que puseste a tua glória dos céus!

2 Da boca das crianças e dos que mamam tu suscitaste força, por causa dos teus adversários para fazeres calar o
inimigo e vingador.
3 Quando contemplo os teus céus, obra dos teus dedos, a lua e as estrelas que estabeleceste,

4 que é o homem, para que te lembres dele? E o filho do homem, para que o visites?

5 Contudo, pouco abaixo de Deus o fizeste; de glória e de honra o coroaste.

6 Deste-lhe domínio sobre as obras das tuas mãos; tudo puseste debaixo de seus pés:

7 todas as ovelhas e bois, assim como os animais do campo,

8 as aves do céu, e os peixes do mar, tudo o que passa pelas veredas dos mares.

9 Ó Senhor, Senhor nosso, quão admirável é o teu nome em toda a terra!

Salmo 19

1 Os céus proclamam a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos.

2 Um dia faz declaração a outro dia, e uma noite revela conhecimento a outra noite.

3 Não há fala, nem palavras; não se lhes ouve a voz.

4 Por toda a terra estende-se a sua linha, e as suas palavras até os confins do mundo. Neles pôs uma tenda para o
sol,

5 que é qual noivo que sai do seu tálamo, e se alegra, como um herói, a correr a sua carreira.

6 A sua saída é desde uma extremidade dos céus, e o seu curso até a outra extremidade deles; e nada se esconde
ao seu calor.
7 A lei do Senhor é perfeita, e refrigera a alma; o testemunho do Senhor é fiel, e dá sabedoria aos simples.
8 Os preceitos do Senhor são retos, e alegram o coração; o mandamento do Senhor é puro, e alumia os olhos.

9 O temor do Senhor é limpo, e permanece para sempre; os juízos do Senhor são verdadeiros e inteiramente
justos.
10 Mais desejáveis são do que o ouro, sim, do que muito ouro fino; e mais doces do que o mel e o que goteja dos
favos.
11 Também por eles o teu servo é advertido; e em guardá-los há grande recompensa.

12 Quem pode discernir os próprios erros? Purifica-me tu dos que me são ocultos.

13 Também de pecados de presunção guarda o teu servo, para que não se assenhoreiem de mim; então serei
perfeito, e ficarei limpo de grande transgressão.
14 Sejam agradáveis as palavras da minha boca e a meditação do meu coração perante a tua face, Senhor, Rocha
minha e Redentor meu!

Salmo 27

1 O Senhor é a minha luz e a minha salvação; a quem temerei? O Senhor é a força da minha vida; de quem me
recearei?
2 Quando os malvados investiram contra mim, para comerem as minhas carnes, eles, meus adversários e meus
inimigos, tropeçaram e caíram.
3 Ainda que um exército se acampe contra mim, o meu coração não temerá; ainda que a guerra se levante contra
mim, conservarei a minha confiança.
4 Uma coisa pedi ao Senhor, e a buscarei: que possa morar na casa do Senhor todos os dias da minha vida, para
contemplar a formosura do Senhor, e inquirir no seu templo.
5 Pois no dia da adversidade me esconderá no seu pavilhão; no recôndito do seu tabernáculo me esconderá; sobre
uma rocha me elevará.
6 E agora será exaltada a minha cabeça acima dos meus inimigos que estão ao redor de mim; e no seu
tabernáculo oferecerei sacrifícios de júbilo; cantarei, sim, cantarei louvores ao Senhor.
7 Ouve, ó Senhor, a minha voz quando clamo; compadece-te de mim e responde-me.

8 Quando disseste: Buscai o meu rosto; o meu coração te disse a ti: O teu rosto, Senhor, buscarei.

9 Não escondas de mim o teu rosto, não rejeites com ira o teu servo, tu que tens sido a minha ajuda. Não me
enjeites nem me desampares, ó Deus da minha salvação.
10 Se meu pai e minha mãe me abandonarem, então o Senhor me acolherá.

11 Ensina-me, ó Senhor, o teu caminho, e guia-me por uma vereda plana, por causa dos que me espreitam.

12 Não me entregues à vontade dos meus adversários; pois contra mim se levantaram falsas testemunhas e os que
respiram violência.

13 Creio que hei de ver a bondade do Senhor na terra dos viventes.

14 Espera tu pelo Senhor; anima-te, e fortalece o teu coração; espera, pois, pelo Senhor.

Salmo 22
1 Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? Por que estás afastado de me auxiliar, e das palavras do meu
bramido?
2 Deus meu, eu clamo de dia, porém tu não me ouves; também de noite, mas não acho sossego.
3 Contudo tu és santo, entronizado sobre os louvores de Israel.

4 Em ti confiaram nossos pais; confiaram, e tu os livraste.

5 A ti clamaram, e foram salvos; em ti confiaram, e não foram confundidos.

6 Mas eu sou verme, e não homem; opróbrio dos homens e desprezado do povo.

7 Todos os que me veem zombam de mim, arreganham os beiços e meneiam a cabeça, dizendo:

8 Confiou no Senhor; que ele o livre; que ele o salve, pois que nele tem prazer.

9 Mas tu és o que me tiraste da madre; o que me preservaste, estando eu ainda aos seios de minha mãe.

10 Nos teus braços fui lançado desde a madre; tu és o meu Deus desde o ventre de minha mãe.

11 Não te alongues de mim, pois a angústia está perto, e não há quem acuda.

12 Muitos touros me cercam; fortes touros de Basã me rodeiam.

13 Abrem contra mim sua boca, como um leão que despedaça e que ruge.

14 Como água me derramei, e todos os meus ossos se desconjuntaram; o meu coração é como cera, derreteu-se
no meio das minhas entranhas.
15 A minha força secou-se como um caco e a língua se me pega ao paladar; tu me puseste no pó da morte.

16 Pois cães me rodeiam; um ajuntamento de malfeitores me cerca; transpassaram-me as mãos e os pés.

17 Posso contar todos os meus ossos. Eles me olham e ficam a mirar-me.

18 Repartem entre si as minhas vestes, e sobre a minha túnica lançam sortes.

19 Mas tu, Senhor, não te alongues de mim; força minha, apressa-te em socorrer-me.

20 Livra-me da espada, e a minha vida do poder do cão.

21 Salva-me da boca do leão, sim, livra-me dos chifres do boi selvagem.

22 Então anunciarei o teu nome aos meus irmãos; louvar-te-ei no meio da congregação.

23 Vós, que temeis ao Senhor, louvai-o; todos vós, filhos de Jacó, glorificai-o; temei-o todos vós, descendência
de Israel.
24 Porque não desprezou nem abominou a aflição do aflito, nem dele escondeu o seu rosto; antes, quando ele
clamou, o ouviu.
25 De ti vem o meu louvor na grande congregação; pagarei os meus votos perante os que o temem.

26 Os mansos comerão e se fartarão; louvarão ao Senhor os que o buscam. Que o vosso coração viva
eternamente!
27 Todos os limites da terra se lembrarão e se converterão ao Senhor, e diante dele adorarão todas as famílias das
nações.
28 Porque o domínio é do Senhor, e ele reina sobre as nações.

29 Todos os grandes da terra comerão e adorarão, e todos os que descem ao pó se prostrarão perante ele, os que
não podem reter a sua vida.
30 A posteridade o servirá; falar-se-á do Senhor à geração vindoura.

31 Chegarão e anunciarão a justiça dele; a um povo que há de nascer contarão o que ele fez.
Salmo 32
1 Bem-aventurado aquele cuja transgressão é perdoada, e cujo pecado é coberto.

2 Bem-aventurado o homem a quem o Senhor não atribui a iniquidade, e em cujo espírito não há dolo.

3 Enquanto guardei silêncio, consumiram-se os meus ossos pelo meu bramido durante o dia todo.

4 Porque de dia e de noite a tua mão pesava sobre mim; o meu humor se tornou em sequidão de estio.

5 Confessei-te o meu pecado, e a minha iniquidade não encobri. Disse eu: Confessarei ao Senhor as minhas
transgressões; e tu perdoaste a culpa do meu pecado.
6 Pelo que todo aquele é piedoso ore a ti, a tempo de te poder achar; no trasbordar de muitas águas, estas e ele
não chegarão.
7 Tu és o meu esconderijo; preservas-me da angústia; de alegres cânticos de livramento me cercas.

8 Instruir-te-ei, e ensinar-te-ei o caminho que deves seguir; aconselhar-te-ei, tendo-te sob a minha vista.

9 Não sejais como o cavalo, nem como a mula, que não têm entendimento, cuja boca precisa de cabresto e freio;
de outra forma não se sujeitarão.
10 O ímpio tem muitas dores, mas aquele que confia no Senhor, a misericórdia o cerca.

Salmo 51
1 Compadece-te de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; apaga as minhas transgressões, segundo a multidão
das tuas misericórdias.
2 Lava-me completamente da minha iniquidade, e purifica-me do meu pecado.

3 Pois eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim.

4 Contra ti, contra ti somente, pequei, e fiz o que é mau diante dos teus olhos; de sorte que és justificado em
falares, e inculpável em julgares.
5 Eis que eu nasci em iniquidade, e em pecado me concedeu minha mãe.

6 Eis que desejas que a verdade esteja no íntimo; faze-me, pois, conhecer a sabedoria no secreto da minha alma.

7 Purifica-me com hissopo, e ficarei limpo; lava-me, e ficarei mais alvo do que a neve.

8 Faze-me ouvir júbilo e alegria, para que se regozijem os ossos que esmagaste.

9 Esconde o teu rosto dos meus pecados, e apaga todas as minhas iniquidades.

10 Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito estável.

11 Não me lances fora da tua presença, e não retire de mim o teu santo Espírito.

12 Restitui-me a alegria da tua salvação, e sustém-me com um espírito voluntário.

13 Então ensinarei aos transgressores os teus caminhos, e pecadores se converterão a ti.

14 Livra-me dos crimes de sangue, ó Deus, Deus da minha salvação, e a minha língua cantará alegremente a tua
justiça.
15 Abre, Senhor, os meus lábios, e a minha boca proclamará o teu louvor.

16 Pois tu não te comprazes em sacrifícios; se eu te oferecesse holocaustos, tu não te deleitarias.

17 O sacrifício aceitável a Deus é o espírito quebrantado; ao coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó
Deus.
18 Faze o bem a Sião, segundo a tua boa vontade; edifica os muros de Jerusalém.

19 Então te agradarás de sacrifícios de justiça dos holocaustos e das ofertas queimadas; então serão oferecidos
novilhos sobre o teu altar.

Salmo 29

1 Tributai ao Senhor, ó filhos dos poderosos, tributai ao Senhor glória e força.

2 Tributai ao Senhor a glória devida ao seu nome; adorai o Senhor vestidos de trajes santos.

3 A voz do Senhor ouve-se sobre as águas; o Deus da glória troveja; o Senhor está sobre as muitas águas.

4 A voz do Senhor é poderosa; a voz do Senhor é cheia de majestade.

5 A voz do Senhor quebra os cedros; sim, o Senhor quebra os cedros do Líbano.

6 Ele faz o Líbano saltar como um bezerro; e Siriom, como um filhote de boi selvagem.

7 A voz do Senhor lança labaredas de fogo.

8 A voz do Senhor faz tremer o deserto; o Senhor faz tremer o deserto de Cades.

9 A voz do Senhor faz as corças dar à luz, e desnuda as florestas; e no seu templo todos dizem: Glória!

10 O Senhor está entronizado sobre o dilúvio; o Senhor se assenta como rei, perpetuamente.

11 O Senhor dará força ao seu povo; o Senhor abençoará o seu povo com paz.

Salmo 72

1 Ó Deus, dá ao rei os teus juízes, e a tua justiça ao filho do rei.

2 Julgue ele o teu povo com justiça, e os teus pobres com equidade.

3 Que os montes tragam paz ao povo, como também os outeiros, com justiça.

4 Julgue ele os aflitos do povo, salve os filhos do necessitado, e esmague o opressor.

5 Viva ele enquanto existir o sol, e enquanto durar a lua, por todas as gerações.

6 Desça como a chuva sobre o prado, como os chuveiros que regam a terra.

7 Nos seus dias floresça a justiça, e haja abundância de paz enquanto durar a lua.

8 Domine de mar a mar, e desde o Rio até as extremidades da terra.

9 Inclinem-se diante dele os seus adversários, e os seus inimigos lambam o pó.

10 Paguem-lhe tributo os reis de Társis e das ilhas; os reis de Sabá e de Seba ofereçam-lhe dons.

11 Todos os reis se prostrem perante ele; todas as nações o sirvam.

12 Porque ele livra ao necessitado quando clama, como também ao aflito e ao que não tem quem o ajude.

13 Compadece-se do pobre e do necessitado, e a vida dos necessitados ele salva.

14 Ele os liberta da opressão e da violência, e precioso aos seus olhos é o sangue deles.

15 Viva, pois, ele; e se lhe dê do ouro de Sabá; e continuamente se faça por ele oração, e o bendigam em todo o
tempo.
16 Haja abundância de trigo na terra sobre os cumes dos montes; ondule o seu fruto como o Líbano, e das cidades
floresçam homens como a erva da terra.
17 Permaneça o seu nome eternamente; continue a sua fama enquanto o sol durar, e os homens sejam abençoados
nele; todas as nações o chamem bem-aventurado.
18 Bendito seja o Senhor Deus, o Deus de Israel, o único que faz maravilhas.

19 Bendito seja para sempre o seu nome glorioso, e encha-se da sua glória toda a terra. Amém e amém.

Salmo 54

1 Salva-me, ó Deus, pelo teu nome, e faze-me justiça pelo teu poder.

2 Ó Deus, ouve a minha oração, dá ouvidos às palavras da minha boca.

3 Porque homens insolentes se levantam contra mim, e violentos procuram a minha vida; eles não põem a Deus
diante de si.
4 Eis que Deus é o meu ajudador; o Senhor é quem sustenta a minha vida.

5 Faze recair o mal sobre os meus inimigos; destrói-os por tua verdade.

6 De livre vontade te oferecerei sacrifícios; louvarei o teu nome, ó Senhor, porque é bom.

7 Porque tu me livraste de toda a angústia; e os meus olhos viram a ruína dos meus inimigos.

Salmo 134

1 Eis aqui, bendizei ao Senhor, todos vós, servos do Senhor, que de noite assistis na casa do Senhor.

2 Erguei as mãos para o santuário, e bendizei ao Senhor.

3 Desde Sião te abençoe o Senhor, que fez os céus e a terra.

Depois disto, repita a seguinte oração:

ORAÇÃO

Oh poderoso ADONAI, EL, forte, AGLA, mais santo, ON, o mais reto, ALEPH e TAU, o Princípio e o Fim, você que
estabeleceu todas as coisas em sua sabedoria; você que escolheu a Abraão, seu servo fiel, e prometeu que em sua
ascendência todas as nações do mundo serão benditas, cuja semente se multiplicou como as estrelas do céu; você
que apareceu em chamas diante de seu servo Moisés na sarça ardente, e que o fez caminhar com os pés secos no
Mar Vermelho; que disse a Lei sobre o Monte Sinai; você que deu a Salomão, seu servo, estes pantáculos por sua
grande misericórdia, para a preservação do corpo e da alma, humildemente imploramos e suplicamos, Santa
Majestade, que estes pantáculos possam ser consagrados por seu poder e preparados de tal maneira que possam
obter virtude e força contra todos os espíritos, por você, oh Santo ADONAI, cujo reino, império e principado
permaneceu sempre e durará sem fim.

“Tendo dito estas palavras, deve perfumar os pantáculos com as mesmas essências doces e perfumes.
Depois, tendo os envolvidos em um pano de seda, deve colocá-los em um lugar apropriado e limpo, para usá-
los quando for necessário para em seguida voltar a guardá-los no dito lugar, de acordo com sua vontade.”
Ativação

Após consagrar os pantáculos, você pode ativa-los logo em seguida para aproveitar a ocasião ou
guardar para ativar em um outro dia.
Monte um altar no dia e hora do planeta aos quais seus pantáculos pertencem, ative sempre
numa lua crescente ou lua cheia se possível.
Nesse altar deverá conter:
- O pantáculo a ser utilizado afim de obter um determinado resultado.
- O pantáculo de invocação dos anjos do planeta (repare que no grimório de Salomão que pra
cada esfera planetária há um pantáculo que invoca os espíritos desse planeta, sempre faça esse
pantáculo além dos demais que você desejar).
- O selo da inteligência planetária (confeccione e consagre da mesma forma que os pantáculos,
os selos das inteligências planetárias estão nos apêndices das Clavículas de Salomão).
- Selo/assinatura do Arcanjo regente da esfera planetária (também encontrado nas Clavículas).
4 elementos:
- Velas da cor da esfera planetária.
- Incensos de acordo com a correspondência do planeta.
-Cristais de acordo com a correspondência do planeta.
-Taça/Copo de água.

Depois de montar o altar, deverá ser declarada a invocação cabalística de Salomão.

” Para a evocação dos espíritos pertencentes às religiões emanadas do judaísmo é preciso dizer a invocação
cabalística de Salomão, quer em hebreu, quer em qualquer outra língua que sabemos ter sido familiar ao
espírito que evocamos: “

Potências do Reino, colocai-vos sob meu pé esquerdo e em minha mão direita.


Glória e Eternidade, tocai meus ombros e levai-me pelos Caminhos da Vitória.
Misericórdia e Justiça, sede o Equilíbrio e o esplendor de minha vida.
Inteligência e Sabedoria, dai-me a Coroa.
Espíritos de MALKUTH, conduzi-me por entre as duas colunas sobre as quais se apoia todo o edifício do Templo.
Anjos de NETZACH e de HOD, afirmai-me sobre a pedra cúbica de YESOD!
Átomos da Mente e das Emoções, equilibrem-se para que eu possa iniciar meus trabalhos em YESOD.
Oh GEDULAHEL! Oh GEBURAHEL! Oh TIPHERETH!
BINAHEL, sede meu Amor.
RUACH CHOKMAHEL, sede minha luz!
Sê o que tu és e o que tu serás, oh KETHERIEL!
Ishim, assisti-me em nome de SADDAI.
Querubim, sede minha força em nome de ADONAI!
BENI ELOHIM, sede meus irmãos, em nome do Filho, o Cristo, e pelas virtudes do TZABAOTH.
ELOHIM, combatei por mim, em nome do TETRAGRAMMATON.
MALACHIM, protegei-me em nome de IOD HE VAU HE!
SERAPHIM, depurai meu amor, em nome de ELOAH!
HASMALIM, iluminai-me com os esplendores dos ELOHIM e da SHEKINAH.
ARALIM, obrai! OPHANIM, girai e resplandecei.
CHAIOTH, HA-QADOSCH, gritai, falai, rugi, mugi!
QADOSCH, QADOSCH, QADOSCH, SHADDAI, ADONAI, YOD CHAVAH, EHEIEH ASHER EHEIEH!
HALELU-YAH, HALELU-YAH, HALELU-YAH. Amém.

Após dita a invocação, ponha-se em meditação e instrua as forças da esfera planetária sobre
como podem ajuda-lo através dos talismãs.
Ao encerrar, deixe que as velas queimem até o fim, posteriormente guarde os pantáculos em um
local adequado para preservar suas energias.

Pelo menos 1 vez a cada estação do ano repita esse ritual para a energia dos pantáculos não
estagnarem, o tempo para o resultado se manifestar varia de caso para caso, do tipo de pedido e
de outros infinitos fatores, mas se você seguir os passos acima com paciência e atenção aos
detalhes, certamente o resultado virá.

Dedico este material a todos os irmãos da O.G.B


Espero que possa ser útil a todo aquele que deseje aprender esta sagrada arte, afim de iluminar
sua caminhada e preservar este conhecimento pelas próximas gerações.
Um grande abraço, bons estudos e boas práticas a todos!

Dalton R,F