Você está na página 1de 4

E10 - CAMPO MAGNÉTICO DE DIPOLO

OBJETIVO

Estudar a dependência com a distância, do campo de indução magnética de uma barra


imantada e de uma bobina.

MATERIAIS

A Figura 1 apresenta uma fotografia com os respectivos nomes dos


equipamentos e materiais que serão utilizados nesta experiência.

Fonte de
Sensor de
Interface tensão
campo
SW500 ac/dc
magnético
ajustável

Resistor de Multímetro
Bobina
fio digital

Quadro de
Fios
conexões

Figura 1. Materiais necessários para a realização desta experiência.

1- INTRODUÇÃO

Sabemos que o campo magnético induzido por um ímã para distâncias x muito maiores
que as dimensões do imã varia segundo:

0 
Bi  (1.1)
2 x3

Onde 0 = 1,26 x 10–6 H/m é a permeabilidade magnética do vácuo e  momento


magnético do ímã.
No caso de campo magnético produzido por uma bobina circular plana percorrida por
uma corrente i, temos:

0 NiR 2
BB  x (1.2)
2  x2  R2 
3/2

Onde, R é o raio médio da bobina; N é o número de espiras; i é a corrente; 0 é a


permeabilidade magnética do vácuo; x é a distância ao centro da bobina e x é o versor
na direção x.
Para x >> R podemos escrever:

0 
Bi  x (1.3)
2 x3

onde 0  Ni R 2 é a intensidade do momento de dipolo magnético da bobina.

Nesta experiência vamos examinar o comportamento do campo magnético de imãs e


solenóides a distâncias muito próximas.

2- PROCEDIMENTOS EXPERIMENTAIS

2.1- CAMPO MAGNÉTICO DE UM ÍMÃ

Ajuste o ímã no banco óptico, conforme Figura 2, assim como o sensor de campo
magnético na posição axial.

Figura 2. Disposição do imã e do sensor de campo magnético

Ligue a interface e associe um Sensor de campo magnético ao canal A ajustando o


sensor e o DataStudio para uma sensibilidade baixa (1X) e taxa de amostras 100 Hz,
conforme mostra a Figura 3.
Clique em opção de amostragem e depois na aba Parada automática e ajuste para
obter os valores do campo magnético durante 3 segundos.
Figura 3. Parâmetros a serem ajustado no programa DataStudio.

2.1.1- Partindo da posição com o sensor encostado no ímã determine o valor do campo
de 5 em 5 mm.
Sugestão: Para facilitar os posicionamentos é melhor deixar o sensor fixo e ir afastando
o ímã.

2.1.6- Faça um gráfico dos valores da intensidade de campo medido em função da


distância. Ajuste a melhor curva e escreva a equação obtida e discuta os resultados
obtidos com os valores previstos pela teoria.

2.2- CAMPO MAGNÉTICO DE UMA BOBINA.

2.2.1- Substitua o ímã pela bobina de 400 espiras, e monte o circuito da Figura 4.

1,0
A Bobina
N=400
Espiras

R = 2,7

Figura 4. Circuito de alimentação da bobina. Usar os dois resistores de 1,35 ohm em
série para obter a resistência de 2,7 ohm.
Certifique-se que o Sensor de campo magnético está ajustado para campo Axial

2.2.4- Partindo da posição em que o sensor está no meio da bobina determine o valor do
campo magnético de 10 em 10 mm. Como anteriormente, afaste a bobina do sensor.

2.2.5- Faça um gráfico dos valores da intensidade de campo medidos em função da


distância. Ajuste a melhor curva e escreva a equação obtida e discuta os resultados
obtidos com os valores previstos pela teoria.

ATENÇÃO!

APÓS O TÉRMINO DO EXPERIMENTO:

 Retirar todos os arquivos gravados no computador do Lab.;


 Desligar todos os equipamentos;
 Deixar a bancada em ordem e limpa.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS:

1. Albert Malvino e David J. Bates. Eletrônica Volume 1, 7a Edição. McGraw-Hill


Interamericana do Brasil Ltda, São Paulo, SP, 2008.

2. H. Moysés Nussenzveig, Curso de Física Básica 3 - Eletromagnetismo. 1a edição,


Editora Edgard Blucher, São Paulo, SP, 1997.

3. Antonio M. V. Cipelli e Waldir J. Sandrini. Teoria e Desenvolvimento de Projetos de


Circuitos Eletrônicos, 6ª Edição, Editora Érica, São Paulo, SP, 1982.