Você está na página 1de 8

Plano de Estudos Disciplina

L. Portuguesa
ESTUDOS INDEPENDENTES – Dez 2015
Professora Data de entrega Série/Turma Valor
Questão : Elisangela Fernandes 17/12/2015 1º ANO__ 10,0
ORIENTAÇÕES GERAIS
 Faça todo o trabalho manuscrito. Impressões e xerox não serão aceitos.
 Entregue no dia da prova – 17/12/2015.
 Lembre-se de identificar seu trabalho com todos os seus dados escolares: nome, série, nº de chamada e turma, além do
nome de nossa escola e do referido professor da disciplina.
 Faça seu trabalho com capricho e organização, pois parte da nota será destinada a estes quesitos.
 O livro de referência para a resolução das atividades é o livro didático adotado pela escola: PORTUGUÊS – Linguagens;
William Cereja e Thereza Magalhães; Ed. Saraiva.
 Seu trabalho será corrigido apenas se a nota da sua prova chegar a 50,0.
 Este trabalho objetiva propiciar um método de estudo autônomo para que você possa resolver a prova de Estudos
Independentes e atingir um desempenho que o habilite a continuar seu processo de aprendizagem na série seguinte.

Exercícios – Literatura

1 – As afirmações abaixo versam sobre o Trovadorismo. Marque V para verdadeiro e F para falso e justifique a(s) assertiva(s)
falsa(s), caso haja alguma.
( ) No inicio do século XIII, a intransigência religiosa arrasou a Provença e dispersou seus trovadores, mas a lírica
provençalesca já havia fecundado a poesia ocidental com a beleza melódica e a delicadeza emocional de sua poesia-música,
impondo uma nova concepção do amor e da mulher.
( ) A canção associava o amor-elevação, puro, nobre, inatingível, ao amor dos sentidos, carnal, erótico; a alegria da razão (o
amor intelectual) à alegria dos sentidos.
( ) A poesia lírica dos provençais teve seguidores na França, na Itália, na Alemanha, na Catalunha, em Portugal e em outras
regiões , onde também os temas folclóricos foram beneficiados com a forma mais culta e elaborada que os trovadores
disseminaram.
( ) Foi o que ocorreu em Portugal e Galiza: a poesia primitiva, oral, autóctone, associada à musica e à coreografia e
protagonizada por uma mulher, as chamadas cantigas de amigo, passaram a se beneficiar do contato com uma arte mais rigorosa
e mais consciente de seus meios de realização artística.
( ) O primeiro trovador provençal foi Guilherme IX, da Aquitânia (1071-1127). Bernart de Ventadorn e Jaufre Rudel representam
a poesia mais simples, facilmente inteligível; Marcabru, Raimbaut d´Aurenga e especialmente Arnault Daniel representam a poesia
mais elaborada, com imagens e associações inesperadas, capazes de encantar os mais rigorosos exegetas, de Dante Alighieri a
Ezra Pound.
( ) As Novelas de Cavalaria não fizeram parte do acervo literário do Trovadorismo.
( ) O teatro vicentino teve como tema central o retrato crítico da sociedade da época; a contribuição de Gil Vicente para o teatro
soma mais de 40 autos de comédias, farsas e moralidades.

2 - Assinale a afirmativa correta sobre o texto I.


Texto I
Ondas do mar de Vigo,
se vistes meu amigo!
E ai Deus, se verrá cedo!
Ondas do mar levado,
se vistes meu amado!
E ai Deus, se verrá cedo!
Martim Codax
Obs.: verrá = virá
levado = agitado
a) Nessa cantiga de amigo, o eu lírico masculino manifesta a Deus seu sofrimento amoroso.
b) Nessa cantiga de amigo, o eu lírico masculino manifesta às ondas do mar sua angústia pela perda do amigo em trágico
naufrágio.
c) Nessa cantiga de amor, o eu lírico masculino dirige-se às ondas do mar para expressar sua solidão.
d) Nessa cantiga de amigo, o eu lírico feminino dirige-se às ondas do mar para expressar sua ansiedade com relação à volta do
amado.

3 - Todas as alternativas são corretas sobre o Padre José de Anchieta, exceto:


a) Foi o mais importante jesuíta em atividade no Brasil do século XVI.
b) Foi o grande orador sacro da língua portuguesa, com seus sermões barrocos.
c) Estudou o tupi-guarani, escrevendo uma cartilha sobre a gramática da língua dos nativos.
d) Escreveu tanto uma literatura de caráter informativo como de caráter pedagógico.

3 - O culto a natureza, característica da literatura brasileira, tem sua origem nos textos da literatura de informação. Assinale o
fragmento da carta de Caminha que já revela a mencionada característica.
a) “Viu um deles umas contas rosário, brancas; acenou que lhes dessem, folgou muito com elas, e lanço-as ao pescoço.”
b) “Assim, quando o batel chegou a foz do rio, estavam ali dezoito ou vinte homens pardos todos nus sem nenhuma roupa que
lhes cobrisse suas vergonhas.”
c) Mas a terra em si é muito boa de ares, tão frios e temperados como os de Entre-Douro e Minho, porque,neste tempo de agora,
assim os achávamos como os de lá. Águas são muitas e indefinidas. De tal maneira é graciosa e querendo aproveita-las, dar-se-à
nela tudo por bem das águas que tem.”
d) “Porém o melhor fruto, que dela se pode tirar, me parece que será salvar esta gente. E esta deve ser a principal semente que
Vossa Alteza em ela deve lançar.”

4 - Associe os movimentos literários aos seus respectivos exemplos.


(1) Barroco (2) Arcadismo Em contínuas tristezas, a alegria."

( ) "Pequei, Senhor, mas não porque hei pecado ( ) "Ah! minha Bela, se a Fortuna volta,
Da vossa Alta piedade me despido Se o bem, que já perdi, alcanço e provo;
Porque quanto mais tenho delinqüido Por essas brancas mãos, por essas faces
Vos tenho a perdoar mais empenhado." Te juro renascer um homem novo
( ) "Em lugar delicioso e triste, Amar no céu a Jove e a ti na terra."
Cansada de viver, tinha escolhido ( ) "Neste mundo é mais rico, o que mais rapa:
Para morrer a mísera Lindóia. Quem mais limpo se faz, tem mais carepa:
Lá reclinada, como que dormia, Com sua língua ao nobre o vil decepa:
Na branda relva e nas mimosas flores, ..." O Velhaco maior sempre tem capa. "
( ) "Nasce o sol, e não dura mais que um dia,
Depois da luz se segue a noite escura, A seqüência encontrada foi
Em tristes sombras nasce a formosura, a) 1, 2, 1, 2, 1 b) 1, 1, 2, 1, 2 c) 1, 2, 1, 2, 2 d) 2, 2, 1, 1, 2

5-
Quando Deus redimiu da tirania
Da mão do Faraó endurecido Pois mandado pela Alta Majestade
O Povo Hebreu amado, e esclarecido, Nos remiu de tão triste cativeiro,
Páscoa ficou da redenção o dia. Nos livrou de tão vil calamidade.

Páscoa de flores, dia de alegria Quem pode ser senão um verdadeiro


Àquele povo foi tão afligido Deus, que veio estirpar desta cidade
O dia, em que por Deus foi redimido; o Faraó do povo brasileiro.
Ergo sois vós, Senhor, Deus da Bahia.

(DAMASCENO, D. Melhores poemas: Gregório de Matos. São Paulo: 2006)

Com uma elaboração de linguagem e uma visão de mundo que apresentam princípios barrocos, o soneto de Gregório
de Matos apresenta temática expressa por
(A) visão cética sobre as relações sociais. (D) reflexão sobre dogmas do Cristianismo.
(B) preocupação com a identidade brasileira. (E) questionamento das práticas pagãs na Bahia.
(C) crítica velada à forma de governo vigente.

6 - Leia o poema de Bocage


Olha, Marília, as flautas dos pastores Naquele arbusto o rouxinol suspira,
Que bem que soam, como estão cadentes! Ora nas folhas a abelhinha pára,
Olha o Tejo a sorrir-se! Olha, não sentes Ora nos ares, sussurrando, gira:
Os Zéfiros brincar por entre flores? Que alegre campo! Que manhã tão clara!
Vê como ali, beijando-se, os Amores Mas ah! Tudo o que vês, se eu te não vira,
Incitam nossos ósculos ardentes! Mais tristeza que a morte me causara.
Ei-las de planta em planta as inocentes,
As vagas borboletas de mil cores.

O soneto de Bocage é uma obra do Arcadismo português, que apresenta, dentre suas características, o bucolismo e a
valorização da cultura greco-romana, que estão exemplificados, respectivamente, em
a) Tudo o que vês, se eu te não vira/Olha, Marília, as flautas dos pastores.
b) Ei-las de planta em planta as inocentes/Naquele arbusto o rouxinol suspira.
c) Que bem que soam, como estão cadentes!/Os Zéfiros brincar por entre flores?
d) Que alegre campo! Que manhã tão clara!/Vê como ali, beijando-se, os Amores.

07 - (ENEM – Modificada) Leia atentamente o trecho de uma música de Caetano Veloso - Queixa - e, em seguida, assinale
a alternativa correta.
Um amor assim delicado
Você pega e despreza
Não devia ter despertado
Ajoelha e não reza
Dessa coisa que mete medo
Pela sua grandeza
Não sou o único culpado
Disso eu tenho a certeza
Princesa, surpresa, você me arrasou
Serpente, nem sente que me envenenou
Senhora, e agora, me diga onde eu vou
Senhora, serpente, princesa (...)

a) O texto remete ao lirismo trovadoresco presente nas cantigas de amigo


b) O texto apresenta uma clara postura de vassalagem amorosa
c) O texto moderno, não apresenta característica alguma das poesias palacianas.
d) Presença do vocativo “Senhora” remete ao amor carnal, típico do período feudal.

08 - Assinale a alternativa INCORRETA a respeito das cantigas de amor.


a) O ambiente é rural ou familiar.
b) O trovador assume o eu-lírico masculino: é o homem quem fala.
c) Têm origem provençal.
d) Expressam a "coita" amorosa do trovador, por amar uma dama inacessível.

09 - Sobre a poesia trovadoresca em Portugal, é INCORRETO afirmar que:


a) refletiu o pensamento da época, marcada pelo teocentrismo, o feudalismo e valores altamente moralistas.
b) representou um claro apelo popular à arte, que passou a ser representada por setores mais baixos da sociedade.
c) pode ser dividida em lírica e satírica.
d) em boa parte de sua realização, teve influência provençal.

10 - (ENEM 2010 - Modificada) A biosfera, que reúne todos os ambientes onde se desenvolvem os seres vivos, se divide
em unidades menores chamadas ecossistemas, que podem ser uma floresta, um deserto e até um lago. Um ecossistema
tem múltiplos mecanismos que regulam o número de organismos dentro dele, controlando sua reprodução, crescimento e
migrações.
DUARTE, M.O guia dos curiosos. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

Predomina no texto a função da linguagem:


a) emotiva, porque o autor expressa seu sentimento em relação à ecologia.
b) fática, porque o texto testa o funcionamento do canal de comunicação.
c) referencial, porque o texto trata de noções e informações conceituais.
d) conativa, porque o texto procura orientar comportamentos do leitor.

11 - Leia os versos abaixo e assinale a alternativa correta:

“A vida é combate
Que os fracos abate
E os fortes e bravos
Só pode exaltar.”
Gonçalves Dias

As palavras destacadas formaram-se, respectivamente, por:


a) derivação prefixal e derivação sufixal.
b) derivação regressiva e derivação imprópria.
c ) composição por justaposição e derivação imprópria.
d ) derivação prefixal e derivação regressiva.

12 - Quantas letras e quantos fonemas, respectivamente, há em homem, ninho e mata?


a)5 letras e 4 fonemas, 5 letras e 4 fonemas, 4 letras e 3 fonemas
b)5 letras e 3 fonemas, 5 letras e 4 fonemas, 4 letras e 4 fonemas
c) 5 letras e 4 fonemas, 4 letras e 3 fonemas, 5 letras e 3 fonemas
d) 5 letras e 3 fonemas, 5 letras e 4 fonemas, 4 letras e 2 fonemas
07 - (Ufsc – modif.) - Considere as afirmativas sobre Barroco e o Arcadismo:
1. Simplificação da língua literária – ordem direta – imitação dos antigos gregos e romanos.
2. Valorização dos sentidos – imaginação exaltada – emprego dos vocábulos raros.
3. Vida campestre idealizada como verdadeiro estado de poesia-clareza-harmonia.
4. Emprego freqüente de trocadilhos e de perífrases – malabarismos verbais – oratória.
5. Sugestões de luz, cor e som – antítese entre a vida e a morte – espírito cristão antiterreno.
Assinale a opção que só contém afirmativas sobre o Arcadismo:
a) 1, 4 e 5 b) 2, 3 e 5 c) 2, 4 e 5 d) 1 e 3

13 - Marque a alternativa em que há, respectivamente, uma palavra formada por derivação prefixal, uma formada por
derivação sufixal e uma formada por derivação parassintética.
a)felicidade, desleal, ensolarado
b)ensolarado, desleal, felicidade
c)desleal, ensolarado, felicidade
d)desleal, felicidade, ensolarado

Luis Inácio ( 300 pícaretas ) Papai, quando eu crescer, eu quero ser anão
Pra roubar, renunciar, voltar na próxima eleição
Eu me vali deste discurso panfletário Se eu fosse dizer nomes, a canção era pequena
Mas a minha burrice faz aniversário João Alves, Genebaldo, Humberto Lucena
Ao permitir que num país como o Brasil De exemplo em exemplo aprendemos a lição
Ainda se obrigue a votar por qualquer trocado Ladrão que ajuda ladrão ainda recebe concessão
Por um par se sapatos, um saco de farinha De rádio FM e de televisão
A nossa imensa massa de iletrados Rádio FM e televisão
Parabéns, coronéis, vocês venceram outra vez (Fragmento)
O congresso continua a serviço de vocês
Link: http://www.vagalume.com.br/paralamas-do-sucesso/luis-inacio-300-picaretas.html#ixzz2wWxbmCCj

14 - O fragmento do texto Luis Inácio ( 300 picaretas ) – canção gravada pela banda Paralamas do sucesso - pode ser
considerado como sendo exemplo de:
a) Entretenimento apenas, já que se trata da letra de uma canção.
b) Instrumento de denúncia social, uma vez que retrata uma situação de obscuridade e improbidade nas relações políticas
estabelecidas entre o povo e seus representantes por influência e imposição desses últimos.
c) Investigação psicológica, pois o autor dá prioridade a traçar o perfil do cidadão brasileiro que não sabe votar.
d) Instrumento de denúncia social, pois o autor faz uma denúncia das péssimas condições dos órgãos públicos em que
nossos representantes são obrigados a trabalhar no Brasil.

A palavra

Tanto que tenho falado, tanto que tenho escrito – como não imaginar que, sem querer, feri alguém? Às vezes sinto,
numa pessoa que acabo de conhecer, uma hostilidade surda, ou uma reticência de mágoas. Imprudente ofício é este, de
viver em voz alta.
Às vezes, também a gente tem o consolo de saber que alguma coisa que se disse por acaso ajudou alguém a se
reconciliar consigo mesmo ou com a sua vida de cada dia; a sonhar um pouco, a sentir uma vontade de fazer alguma coisa
boa.
Agora sei que outro dia eu disse uma palavra que fez bem a alguém. Nunca saberei que palavra foi; deve ter sido
alguma frase espontânea e distraída que eu disse com naturalidade porque senti no momento – e depois esqueci.
Tenho uma amiga que certa vez ganhou um canário, e o canário não cantava. Deram-lhe receitas para fazer o
canário cantar; que falasse com ele, cantarolasse, batesse alguma coisa ao piano; que pusesse a gaiola perto quando
trabalhasse em sua máquina de costura; que arranjasse para lhe fazer companhia, algum tempo, outro canário cantador;
até mesmo que ligasse o rádio um pouco alto durante uma transmissão de jogo de futebol… mas o canário não cantava.
Um dia a minha amiga estava sozinha em casa, distraída, e assobiou uma pequena frase melódica de Beethoven
– e o canário começou a cantar alegremente. Haveria alguma secreta ligação entre a alma do velho artista morto e o
pequeno pássaro cor de ouro?
²Alguma coisa que eu disse distraído – talvez palavras de algum poeta antigo – foi despertar melodias esquecidas
dentro da alma de alguém. Foi como se a gente soubesse que de repente, num reino muito distante, uma princesa muito
triste tivesse sorrido. E isso fizesse bem ao coração do povo, iluminasse um pouco as suas pobres choupanas e as suas
remotas esperanças.
PROENÇA FILHO, Domício (org.). Pequena antologia do Braga. Rio de Janeiro: Record, 1997.

15 - (UERJ 2012) Alguma coisa que eu disse distraído − talvez palavras de algum poeta antigo − foi despertar melodias
esquecidas dentro da alma de alguém. (ref.2)
O cronista revela que sua fala ou escrita pode conter algo escrito por “algum poeta antigo”. Ao fazer essa revelação, o
cronista se refere ao seguinte recurso:
a) polissemia b) pressuposição c) intertextualidade d) exemplificação

16 – Qual é a relação entre a história da amiga e o canário e o ofício de escrever estabelecida no texto?
a)Segundo o texto, a amiga seria como um bom texto: acalenta, cuida e ensina.
b)Há uma linha tênue que liga o texto ao canário, já que esse último servia de inspiração à amiga assim como o texto serve
de inspiração para o leitor.
c)A amiga e seu canário foram inspiração para vários textos escritos a partir da constatação de que o canário adorava
Beethoven.
d)A arte de escrever foi comparada com o episódio em que a amiga assobia uma canção e, a partir dali, o canário que não
cantava, passou a cantar alegremente. Segundo o texto, o escritor, tem o dom de despertar desejos e sentimentos
adormecidos nas almas humanas.

Me devolva o Neruda (que você nem leu)


Mario Prata
Quando o Chico Buarque escreveu o verso acima, ainda não tinha o 'que você nem leu'. A palavra Neruda - prêmio
Nobel, chileno, de esquerda - era proibida no Brasil. Na sala da Censura Federal o nosso poeta negociou a proibição. E a
música foi liberada quando ele acrescentou o 'que você nem leu', pois ficava parecendo que ninguém dava bola para o
Neruda no Brasil. Como eram burros os censores da ditadura militar! E coloca burro nisso!!!
Mas a frase me veio à cabeça agora, porque eu gosto demais dela. Imagine a cena. No meio de uma separação,
um dos cônjuges (me desculpe a palavra) me solta esta: me devolva o Neruda que você nem leu! Pense nisso.
Pois eu pensei exatamente nisso quando comecei a escrever esta crônica, que não tem nada a ver nem com o
Chico, nem com o Neruda e, muito menos, com os militares.
É que eu estou aqui para dizer um tchau. Um tchau breve porque, se me aceitarem - você e o diretor da revista -,
eu volto daqui a dois anos. Vou até ali escrever uma novela na Globo (o patrão vai continuar o mesmo) e depois eu volto.
Esperando que você já tenha lido o Neruda.
Mas aí você vai dizer assim: pô, escrever duas crônicas por mês, fora a novela, o cara não consegue? O que é
uma crônica? Uma página e meia. Portanto, três páginas por mês e o cara me vem com esse papo de Neruda? Preguiçoso,
no mínimo.
Quando faço umas palestras por aí, sempre me perguntam o que é necessário para se tornar um escritor. E eu
sempre respondo: talento e sorte. Não necessariamente nessa ordem. Sou um homem de sorte. Entre os 10 e 20 anos,
recebia na minha casa O Cruzeiro, Manchete e o jornal Última Hora. E lá dentro eu lia (me invejem): Paulo Mendes
Campos, Rubem Braga, Fernando Sabino, Millôr Fernandes, Nelson Rodrigues, Stanislaw Ponte Preta, Carlos Heitor Cony.
E pensava, adolescentemente: quando eu crescer, vou ser cronista.
Bem ou mal, consegui meu espaço. E agora, ao pedir de volta o livro chileno, fico pensando em como eu me
sentiria se, um dia, um desses aí acima escrevesse que iria dar um tempo. Eu matava o cara! Isso não se faz com o leitor
(desculpe, minha amiga, não estou me colocando no mesmo nível deles, não)!
E deixo aqui uns versinhos do Neruda para as minhas leitoras de 30 e 40 anos (e para todas):
''Escuchas otras voces em mi voz dolorida
Llanto de viejas bocas, sangre de viejas súplicas,
Amame, compañera. No me abandones. Sigueme,
Sigueme, compañera, em esa ola de angústia.
Pero se van tiñendo com tu amor mis palabras
Todo lo ocupas tú, todo lo ocupas
Voy haciendo de todas um collar infinito
Para tus blancas manos, suaves como las uvas.''
Desculpe o mau jeito: tchau!
http://revistaepoca.globo.com/Epoca/0,,EPT787421-2813,00.html

17 – Marque abaixo a alternativa que melhor resume a intenção do autor ao escrever a crônica “Me devolva o Neruda (que
você nem leu)”:

a)O texto pretende estabelecer uma relação de sentido entre o fato de sua retirada temporária da atividade que exerce na
Redação da revista Época com o fato de a ditadura ter censurado a música do Chico Buarque.
b)A intenção do autor é se despedir do leitor de sua coluna, na qual escreve periodicamente e julga que já tenha alguns
seguidores que sentirão a ausência de seus textos.
c)A finalidade da composição desse texto parece ser a de exaltar as qualidades do autor chileno Pablo Neruda.
d)O autor pretende discutir a respeito de suas preferências literárias e tentar convencer o leitor de que Pablo Neruda é um
excelente escritor.

18 – No quarto parágrafo o autor dirige-se a quem quando diz “Esperando que você já tenha lido o Neruda.”?
a) À ex-esposa dele. b) Ao Chico Buarque. c) Ao próprio Neruda. d) Ao seu leitor.

19 – Marque a alternativa em que todas as palavras estão escritas corretamente:


a) sarjeta, argila b) pajem, monje c) tigela lage d) gesto, geito

20 - (UFPB) Na poesia arcádica ou neoclássica, NÃO se encontra


a) a influência das idéias iluministas.
b) a valorização do campo em detrimento da cidade.
c) a ênfase na interpretação subjetiva da realidade.
d) o retorno aos ideais greco-latinos.
e) a adoção de pseudônimos pelos poetas, que se figuravam pastores.

21 - A palavra "aguardente" formou-se por:


a) aglutinação b) hibridismo c) parassíntese d) justaposição

22 - (UF-UBERLÂNDIA) Em qual dos itens abaixo está presente um caso de derivação parassintética:
a) operaçãozinha b) conversinha c) assustadora d) obrigadinho

23 - (CFTCE) Coloque no parêntese B ou A conforme a característica seja do Barroco ou do Arcadismo.


( ) predominância da ordem inversa
( ) expressão de sentimentos universais e não individuais
( ) utilização de vocabulário simples
( ) grande número de antíteses
( ) preferência por temas religiosos

A seqüência correta é:
a) B, A, A, B, B b) A, B, B, A, B c) B, A, B, A, B d) A, A, A, B, B

24 - Em qual das alternativas o uso do acento indicativo de crase é facultativo?


a)Minhas idéias são semelhantes às suas.
b)Ele tem um estilo à Eça de Queiro.
c)Dei um presente à Mariana.
d)Fizemos alusão à mesma teoria.

25 - A frase em que o uso da crase está incorreto é:


a) O professor dirigiu-se à sala. b) Fez uma promessa à Nossa Senhora. c) À noite não gosto de ler.
d) Referiu-se àquilo que viu.

26 - (Mackenzie 1997) - I - Refiro-me àquilo e não a isto.


II - Sairemos bem cedo, para chegar à tempo de assistir a cerimônia.
III - Dirigiram-se à Sua Excelência e declararam que estão dispostos à cumprir o seu dever e a não permitir a violação da
lei.
Quanto ao emprego da crase, assinale:
a) se todas as afirmações estão incorretas.
b) se todas estão corretas.
c) se apenas I está correta.
d) se apenas III está correta.

27 - Marque a opção incorreta:


a) inter-humano; b) inter-hemisférico; c) inter-relacionar; d) interrelacionar;

28 – Marque a alternativa em que há um vocábulo grafado incorretamente:


a)assembleia b)jiboia c)ideia d)plateia

29 – Marque a alternativa em que a figura de linguagem foi incorretamente identificada:


a)Faria isso mil vezes se fosse necessário – antítese
b)Falta-lhe inteligência para compreender isso – eufemismo
c)Muito competente aquele candidato, esquecendo-se de cumprir com suas promessas eleitorais - ironia
d)Há que se compreender que nosso amor é vida ainda que nos mate. – paradoxo.

30 - "Oh! ter vinte anos sem gozar de leve


A ventura de uma alma de donzela!
E sem na vida ter sentido nunca

Na suave atração de um róseo corpo


Meus olhos turvos se fechar de gozo!"
Álvares de Azevedo

A presença da interjeição, as exclamações e a 1ª pessoa gramatical identificam no texto a função da linguagem:


a)Poética. b)Referencial. c)Metalinguística. d)Emotiva.

31 - (VUNESP) Há no Arcadismo brasileiro uma obra satírica de forma epistolar que suscitou dúvidas de autoria durante
mais de um século. Assinale abaixo a alternativa que apresente o nome correto dessa obra e seu autor mais provável:
a) O Reino da estupidez e Francisco de Melo Franco
b) Viola de Lereno e Domingos Caldas Barbosa
c) O desertor e Manuel Inácio da Silva Alvarenga
d) Cartas chilenas e Tomás Antônio Gonzaga
e) Os Bruzundangas e Lima Barret

32 - Assinale o que não se refere ao Arcadismo:


a) Época do Iluminismo (século XVIII) – Racionalismo, clareza, simplicidade.
b) Volta aos princípios clássicos greco-romanos e renascentistas (o belo, o bem, a verdade, a perfeição, a imitação da
natureza).
c) Ornamentação estilística, predomínio da ordem inversa, excesso de figuras.
d) Pastoralismo, bucolismo suaves idílios campestres.
e) Apóia-se em temas clássicos e tem como lema: inutilia truncat (“corta o que é inútil”).

MAR PORTUGUÊS que tu fosses nosso, ó mar!


Valeu a pena? Tudo vale a pena se a
Ó Mar salgado, quanto do teu sal são alma não é pequena.
lágrimas de Portugal! Quem quer passar além do Bojador
Por te cruzarmos, quantas mães tem que passar além da dor.
choraram! Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
Quantos filhos em vão rezaram! mas nele é que espelhou o céu!
Quantas noivas ficaram por casar para
(Fernando Pessoa, in Mensagem)

33 - Segundo o poeta, o sofrimento do povo ocorreu:


a) apesar das conquistas portuguesas b) em virtude das conquistas portuguesas c) para as conquistas portuguesas
d) antes das conquistas portuguesas e) após as conquistas portuguesas

34 - As palavras que melhor definem o povo português, de acordo com as ideias contidas no poema da questão 43, são:
a) fé e competência b) inteligência e maturidade c) orgulho e religiosidade d) perseverança e ambição

Painel do leitor (Carta do leitor)


Resgate no Chile

Assisti ao maior espetáculo da Terra numa operação de salvamento de vidas, após 69 dias de permanência no
fundo de uma mina de cobre e ouro no Chile.
Um a um os mineiros soterrados foram içados com sucesso, mostrando muita calma, saúde, sorrindo e
cumprimentando seus companheiros de trabalho. Não se pode esquecer a ajuda técnica e material que os Estados Unidos,
Canadá e China ofereceram à equipe chilena de salvamento, num gesto humanitário que só enobrece esses países. E,
também, dos dois médicos e dois “socorristas” que, demonstrando coragem e desprendimento, desceram na mina para
ajudar no salvamento.

(Douglas Jorge; São Paulo, SP; www.folha.com.br – painel do leitor – 17/10/2010)


34 - (DETRAN/RN – 2010 – FGV – Modif.) No 2º parágrafo, em “ofereceram à equipe chilena de salvamento,...”, o emprego
do acento grave:
a) É justificado pela regência de “ofereceram” e pela presença de artigo definido feminino antes de “equipe”.
b) É considerado facultativo por estar diante de substantivo coletivo.
c) Tem a mesma função em: “Eu não ia perder tempo com quem ganhou muito dinheiro à custa de mentiras”.
d) Antecede uma locução adverbial que expressa uma circunstância.

35 - Na frase “Estou planejando ir à Minas Gerais de meus sonhos” há crase porque:


a) O termo Minas Gerais está caracterizado pela expressão ‘de meus sonhos’.
b) O verbo ir requer o uso da preposição a e Minas Gerais é um substantivo feminino, portanto o uso de crase é obrigatório.
c) A expressão Minas Gerais é feminina.
d) O ver ir requer uso da preposição a.

35 - Considerando a norma culta e levando em conta as regras gramaticais que regem o uso de acento indicativo de crase,
marque a frase em ocorreu erro por uso ou por omissão do acento grave.
a) A secretária enviou a carta à ministra por malote a cobrar.
b) Saiu às pressas para o hospital e veio a falecer minutos depois.
c) Não perca nos melhores cinemas: face à face com o terror!
d) À festa você não veio e eu pus-me a chorar.

36 - Considere as duas frases abaixo e marque a alternativa correta quanto ao uso do acento grave.
I. Dei um presente a Marina.
II. Dei um presente à Marina.
a) Há falha tanto em I quanto em II, pois essa frase deveria ser escrita com o uso da preposição para e não com a
preposição a.
b) Tanto I quanto II estão corretas já que o uso do acento grave, nesse caso, é facultativo porque o nome próprio pode ou
não vir precedido de artigo.
c) Tanto I quanto II estão corretas já que o uso do acento grave, nesse caso, é facultativo porque o nome próprio pode ou
não vir precedido de preposição.
d) Tanto I quanto II estão corretas já que o uso do acento grave, nesse caso, é facultativo porque a regência do verbo dar
aceita uso ou não da preposição a.

37 – Leia os quadrinhos abaixo e responda a alternativa correta:

No contexto da tirinha, pode-se dizer que a palavra inquilino equivalha a:


a)coração b)pensamento c)consciência d)cérebro

38 - Assinale a série em que os vocábulos não possuem dígrafo:


a) folha - ficha - lenha – fecho b) descer - cresço - exceto – excelente
c) águia - queijo - quinto – quero d) problema - trinco – qual - quase

39 – Qual dos vocábulos sublinhados abaixo apresenta dígrafo nasal?


a)Não se acostume com o que não te faz feliz.
b)Na alma ninguém manda; ela simplesmente fica onde se encanta.
c)O mundo precisa de loucos: loucos uns pelos outros.
d)O que a memória ama fica eterno.

40 - Marque a opção incorreta:


a) inter-humano; b) inter-hemisférico; c) inter-relacionar; d) interrelacionar