Você está na página 1de 3

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA VARA ESPECIALIZADA DE

FAMÍLIA E SUCESSÕES DA COMARCA DE CUIABÁ-MT


NNNNNNNNNNNNNN, brasileira, viúva, empresaria, portadora do RG n. 000000006
SSP/MS, e inscrita no CPF n. 99999999997, residente e domiciliada, na Rua NN, NNNNN,
Bairro NNNNN, NNNNNNT, vem por intermédio de seus procuradores ao final assinados
(doc. 01), requerer o processamento do
ARROLAMENTO SUMÁRIO,
do patrimônio pertencente ao de cujus NNNNNNNNNS, falecido no dia 26 de dezembro de
2012, no as 02:00 hs, copia da Certidão de Óbito anexo, não tiveram filhos em comum,
conforme documentos acostados, porem, o “de cujus”, deixou genitores, DEIXOU BENS,
SEM DEIXAR TODAVIA, TESTAMENTO.
DA GRATUIDADE DE JUSTIÇA
Inicialmente, AFIRMA sob as penas da lei e de acordo com o artigo 4º em seu § 1º da lei
1.060/50 com a redação da lei 7.510/86 e artigo 1º, § 2º da lei 5.478/68, não ter condições
financeiras para arcar com custas judiciais, e honorários advocatícios, sem prejuízo de seu
sustento e dependentes, fazendo jus aos benefícios da gratuidade de justiça, o que ora
requer, indicando para o patrocínio da causa a advogada que a esta subscreve.
Vale ressaltar que a mesma alem de viúva, era também sócia do falecido, onde com sua
morte, a mesma teve que arcar com muitas despejas referentes a empresa, e ainda teve as
contas bancarias todas bloqueadas, vez que era o de cujus, quem as movimentava.
Encontra-se portanto em situação financeira bastante complicada, onde foi requerido
judicialmente um ALVARÁ código: 794755, para liberação dos valores e desbloqueio das
contas e ate a presente data nada foi alcançado.
DOS FATOS:
Em 26 de dezembro de 2012, na cidade de Primavera do Leste/MT, faleceu o
MMMMMMMMMMMMS, deixando bens a inventariar, viúva e herdeiros, em análise às
fotocópias da Certidão de Óbito (doc. Anexo), da Declaração de União Estável (doc. Anexo),
das cópias dos documentos pessoais da viúva (docs. Anexo), e genitores do falecido, sem
deixar testamento.
O de cujus ao tempo de seu falecimento que compunha seu patrimônio, vez que era sócio
proprietário de uma empresa de engenharia, assim existem obrigações tributárias
pendentes, dividas com fornecedores, sobre os bens de propriedade do falecido, os quais
serão devidamente apresentados nas primeiras declarações. Existe divergência, entre os
herdeiros, quanto à forma de partilha, condições que autorizam o processamento do
inventário sob o rito aqui postulado.
É, por enquanto, o relato dos fatos.
DOS FUNDAMENTOS
Os herdeiros, todos, maiores e capazes chegaram a um denominador comum, aqui
apresentado, quanto à forma de divisão do patrimônio deixado pelo falecido, tornando
recomendável a adoção do instituto jurídico do arrolamento, reformulada pela Lei
7019/82, inserto no Código de Processo Civil, utilizado para, simplificadamente, declarar-
se judicialmente a transmissão dos bens.
Prescreve-nos o art. 1031, Código de Processo Civil:
"Art. 1.031. As partilhas amigáveis, celebradas entre partes capazes, nos termos do art. 1.773 do Código Civil, será
homologada de plano pelo juiz, mediante a prova da quitação dos tributos relativos aos bens do espólio e às suas
rendas, com observância dos arts. 1.032 a 1.035 desta lei. (...)”;

Na expressão doutrinária do Mestre Sílvio Rodrigues, comentando Lei que introduziu


alterações no instituto do arrolamento, o inventário sob forma de arrolamento mostra-se
mais interessante para o manuseio dos herdeiros, pois,
"A primeira e meritória inovação é a que determina a homologação de plano, pelo juiz, da partilha amigável
celebrada pelos herdeiros, quando forem estes maiores e capazes, mediante apenas prova de quitação dos tributos
relativos aos bens do espólio e as suas rendas. Desse modo, se a petição que apresentar a partilha for instruída
com certidão negativa daqueles impostos, o juiz deverá inexoravelmente, homologar a partilha. O intuito de
simplificar e desburocratizar é gritante. Entendo mesmo, partindo desse espírito que norteou a lei, que, desde que
se reservem bens para o pagamento daqueles tributos, o juiz pode homologar a partilha mesmo sem aquelas
certidões, que serão apresentadas ao depois."(RODRIGUES, Sílvio. DIREITO CIVIL - Direito das sucessões. Vol. 7, 20ª
ed., p. 239) (grifei)

DOS TÍTULOS DOS HERDEIROS E BENS DO ESPÓLIO - ART. 1032, II, CPC
DO AUTOR DA HERANÇA:
MMMMMMMMM – era brasileiro, engenheiro, portador do RG n. 111111111/SP e inscrito
no CPF sob n. 222222222, convivente, residente e domiciliado em Cuiabá/MT, falecido em
26/12/2012, certidão de óbito, (doc anexo).
DA VIÚVA (companheira) MEEIRA:
NNNNNNNNNNNNS, brasileira, viúva, portadora do RG nº 0000000 SSP/MSe Inscrita no
CPF sob nº 9999999, residente e domiciliada na Rua 8, n. NN, bairro OOOO NNN,
Cuiabá/MT.
DOS HERDEIROS:
NNNN e NNNNNNN, genitores do de cujus, independentes, conforme copia dos
documentos anexos e residentes a Rua BBB, n.358, bairro NNN, Campo Grande/MS.
DOS BENS COMPONENTES DO ESPÓLIO:
BEM MÓVEL -
a) 01 moto YAMAHA/LANDER XTZ250, ano/modelo 2012, cor azul, placa OAX88884/MT,
CHASSI 66666666GGGGG, DOCUMENTO ANEXO, avaliada em R$10.882,00 (dez mil
oitocentos e oitenta e dois reais), avaliação anexa;
b) Camionete – diesel – ANO MODELO 1996/1996, Placa JYO8888, RENAVAN 88880,
CHASSI 8DDDFFF21755, documento ame anexo, avaliada em R$38.840,00 (trinta e oito mil,
oitocentos e quarenta reais), em anexo.
c) Era sócio proprietário de uma empresa de engenharia, onde juntará copia dos contratos
sociais nas primeiras declarações, bem como irá apresentar o rol de dividas.
DA INEXISTÊNCIA DE DÉBITOS TRIBUTÁRIOS:
Não existem débitos com o Fisco Municipal de Cuiabá/MT, fará juntada das certidões.
DAS DESPEJAS:
Deixou despejas as quais será devidamente juntadas nos autos nas primeiras declarações.
DOS PEDIDOS
1. Isto posto, requerer se digne Vosso Ilustríssimo a nomear como inventariante A
AUTORA sra. NNNNNNNNNNNNN, considerando sua condição de cônjuge sobrevivente,
conforme dispõe o art. 990, I do CPC;
2. Partilha do espólio de NNNNNNNNNNN, e citação dos demais herdeiros, seus pais Sr.
MMMMMMMMMe Sra. MMMMMMMMM, residentes a Rua JJJJJJJJ, n.358, bairro JJJJJJJJ,
Campo Grande/MS, para querendo contestarem o presente.
3. Rateio das despejas entre a inventariante e os herdeiros, conforme demonstrado nos
autos;
4. A concessão dos benefícios da justiça gratuita nos termos da lei /50, haja vista que a
autora não possui renda para suportar as custas da ação, sem prejuízo próprio; 1.060
5. Juntada de documentos;
Finalmente, protesta por todos os meios de prova admitidos em direito.
Nestes Termos
Pede Deferimento
Cuiabá/MT, 23 de abril de 2013.
CLÁUDIA INFANTINO MARTINS
OAB/MT 10.177
_______________________________________________
RICHARD RODRIGUES DA SILVA
OAB/MT 8.602

Você também pode gostar