Você está na página 1de 6

UNIFACEAR

Curso: Engenharia de Produção


Disciplina: Fenômenos de Transportes
Professor: Alinne Mizukawa
Data:

Lista de exercícios 2

1) Um fluído escoando em uma tubulação de 150 mm de diâmetro, sob a pressão de 27,6 kPa
com uma velocidade de 2,44 m/s. Conforme mostrado na figura abaixo, a elevação do centro da
tubulação do nível é de 3,50 m. Encontre a energia total, se o fluído for:
a. Água; R:6,61m
b. Óleo (γr = 0,82); R:7,23m
c. Gás com ρ = 672,7 kg/m3 R:8m

Nota: γr é a densidade relativa do fluido.

2) Dados: hf2-3=2m; A3=20 cm²; A2=1cm²; hf0-1= 0,8m; η= 70%. Determine:


a. A vazão (L/s); R. 0,71 L/s
b. A área da seção (1) (cm²); R. 1,45cm²
c. A potência fornecida pela bomba ao fluído. R. 9,4W

3) Água escoa da seção 1 para a seção 2 na tubulação conforme mostrado na figura abaixo.
Determine a velocidade do escoamento e a pressão do fluído na seção 2. Assuma que a perda
de carga total da seção 1 até a 2 é de 3m. R: v = 8m/s; p = 265 kPa
4) Determine a velocidade e a pressão na seção 2 e na seção 3, se a água escoa uniformemente
através do sistema de tubos, conforme mostrado abaixo. Assuma que a perda de carga é de
1,83 m, da seção 1 para a seção 2 e que a perda de carga entre a seção 2 e a seção 3 é de 4,6
m. R: v2=6m/s; p2=151kPa; v3= 2,67 m/s; p3= 135kPa

5) Desprezando o atrito, encontre a velocidade e a vazão, na saída 2 da figura abaixo. O ponto


1 está localizado na superfície da lâmina d’água. R: 10m/s e 0,177 m/s
6) Retirado o ar do sifão apresentado na figura abaixo por algum meio mecânico ou estando a
tubulação cheia, abrindo-se C pode-se estabelecer condições de escoamento de A para C, por força
da pressão atmosférica. Supondo a tubulação com diâmetro de 10mm, calcular a velocidade (em
m/s) em C, a vazão (em L/s) em B e a pressão no ponto B (em kPa). Admitindo-se que a perda de
carga do trecho AB é 75 mm e no trecho BC é 125mm. R. 2,42m/s; 1,90m³/s; -5,6KPa.

7) Uma cada tem uma parede plana externa, com 20cm de espessura. A temperatura externa é
de -5°C, e o calor flui através da parede a uma taxa de 15W/m². Qual deveria ser a
condutividade térmica efetiva total da parede, se o interior da casa precisa ser mantido a 20°C
(suponha que não haja outros fluxos de calor). R. 0,12 W/m.K

8) Dois diferentes tipos de materiais estão sendo cogitados para o isolamento térmico de um
casaco. O material A manteve uma diferença de 20°C através de 7mm de espessura para um
fluxo de calor de 50W/m².
a) Calcule a condutividade térmica do material A; R. 0,0175W/m.K
b) Se o material B tem condutividade térmica de 0,03 W/m.K, determine a espessura que seria
necessária para manter idêntica a diferença de temperatura para o mesmo fluxo de calor.
R.17,59 cm

9) Uma camada de material refratário (k=1,5 kcal/h.m.°C) de 50 mm de espessura está localizada


entre duas chapas de aço (k = 45 kcal/h.m.°C) de 6,3 mm de espessura. As faces da camada
refratária adjacentes às placas são rugosas de modo que apenas 30 % da área total está em
contato com o aço. Os espaços vazios são ocupados por ar (k=0,013 kcal/h.m.°C) e a espessura
média da rugosidade de 0,8 mm. Considerando que as temperaturas das superfícies externas
da placa de aço são 430 °C e 90 °C, respectivamente. Calcule o fluxo de calor que se estabelece
na parede composta. (considerar apenas a condução e observe as unidades de k) R. q=9418
Kcal/h
10) Um tanque de aço (k = 40 Kcal/h.m.°C), de formato esférico e raio interno de 0,5 m e espessura
de 5 mm, é isolado com 0,0381m de lã de rocha (k = 0,04 Kcal/h.m.°C). A temperatura da face
interna do tanque é 220°C e a da face externa do isolante é 30°C. Após alguns anos de utilização,
a lã de rocha foi substituída por outro isolante, também de 0,0381m de espessura, tendo sido
notado então um aumento de 10% no calor perdido para o ambiente (mantiveram-se as demais
condições ). Determinar:

a) fluxo de calor pelo tanque isolado com lã de rocha; R. 687,41 Kcal/h


b) coeficiente de condutividade térmica do novo isolante; R.0,044 Kcal/h.m.°C
c) qual deveria ser a espessura do novo isolante para que se tenha o mesmo fluxo de calor
que era trocado com a lã de rocha. R.4,22 cm

11) Em uma placa plana de 150 mm de comprimento e 100 mm de largura, eletricamente


aquecida, a máxima temperatura permissível no centro da placa é 135 °C. Para este caso
específico o número de Grashof é 2,2 x 107 e o número de Prandt é 0,7. Sabendo que a
equação empírica, obtida com o auxílio da análise dimensional, que descreve a convecção
natural (regime laminar) em uma placa plana é dada pela equação abaixo:
1/4 ℎ.𝐿
𝑁𝑢 = 0,55 × 𝐺𝑟 × 𝑃𝑟 1/4, onde 𝑁𝑢 = 𝐾
(onde L= comprimento da placa).
Calcular o fluxo de calor por transferido por convecção, por ambos lados da placa, para o ar
atmosférico a 25°C (kar = 0,026 Kcal/h.m.°C ). R, 19,6Kcal/h

12) Um tanque de formato cúbico é utilizado para armazenar um produto químico a 210°C, com
coeficiente de transferência de calor por convecção de 80 W/m².°C. A parede do tanque é
constituída de uma camada interna à base de carbono (k = 22 W/m.K ) de 40 mm de espessura,
uma camada intermediária de refratário (k = 0,212 W/m.K ) e um invólucro de aço (k = 60
W/m.K) com 10 mm de espessura. Por motivo de segurança dos trabalhadores, a temperatura
da superfície externa do aço não deve ser maior que 60 °C. Considerando que a temperatura
ambiente é 30 °C, com coeficiente de transferência de calor por convecção de 20 W/m².K,
determine:

a) a espessura mínima do refratário para atender a condição de segurança; R.50mm


b) a temperatura da superfície externa do aço se a camada de refratário for substituída
por uma de isolante (k = 0,0289 W/m.K) de mesma espessura. R.35°C
13) Uma tubulação atravessa uma grande sala conduzindo água a 95°C, com coeficiente h=20
kcal/h.m². °C. O tubo, de diâmetro externo 4” e resistência térmica desprezível, está isolado
com lã de rocha (k = 0,035 kcal/h.m.°C) de 2” de espessura. Sabendo-se que a temperatura da
face externa do isolamento do tubo é 22 °C, determinar:

a) o fluxo de calor transferido através da tubulação; R. 22,06 Kcal/h


b) a emissividade da superfície do isolamento, sabendo-se que a metade do fluxo de calor
transferido da tubulação para o ambiente se dá por radiação e que a temperatura da face
interna das paredes da sala é 5 °C. R. ɛ=0,22