Você está na página 1de 5

Sobre o trabalho final: Economia da Educação

Atividade: Dupla ou individual.


O objetivo desta tarefa é observar e avaliar sua capacidade de discernir sobre o tema da disciplina
de Economia da Educação. Esta tarefa permitirá que você escolha um artigo que trata sobre um dos temas
apresentados neste curso.
DATAS IMPORTANTES:
 Envio do trabalho: 06/11/2018
 Apresentação do trabalho final:12/11/2018 e 13/11/2018

Lista de artigos
1) BARROS, R.P.; CARVALHO, M.; FRANCO, S.; MENDONÇA, R.; ROSALÉM, A. Uma Avaliação do Impacto da
Qualidade da Creche no Desenvolvimento Infantil. Planejamento e Pesquisa Econômica, v. 41, n. 2, p. 213-232, 2011.
2) CARVALHO, S.; FIRPO, S. O regime de ciclos de aprendizagem e a heterogeneidade de seus efeitos sobre a
proficiência dos alunos. Texto para Discussão: Centro de Microeconomia Aplicada/Escola de Economia de São
Paulo/Fundação Getúlio Vargas, 2013.
3) FIRPO, S.; PIERI, R. G. Avaliando os efeitos da introdução de computadores em escolas públicas brasileiras. Revista
Brasileira de Inovação, Campinas (SP), 11, p. 153-190, 2012.
4) MACHADO, D. C.; FIRPO, S.; GONZAGA, G. A relação entre proficiência e dispersão de idade na sala de aula: a
influência do nível de qualificação do professor. Pesquisa e Planejamento Econômico, v. 43, n. 3, p. 419-45, dez. 2013.
5) OSHIRO, C. H.; SCORZAFAVE, L. G. Efeito do pagamento de bônus aos professores sobre a proficiência escolar no
Estado de São Paulo. In: 39o Encontro Nacional de Economia, 2011, Foz do Iguaçu. 39o Encontro Nacional de Economia,
2011.
6) TAVARES, P. A. Os impactos de práticas de gestão escolar sobre o desempenho educacional: evidências para escolas
públicas paulistas. In: XXXIV Encontro Brasileiro de Econometria, 2012, Porto de Galinhas. Anais do XXXIV Encontro
Brasileiro de Econometria, 2012.

Formatação:

 Máximo 4 páginas em espaço simples (este é o limite máximo)


 Fonte: Times New Roman 12
 Margens: 1 cm
Segue abaixo o que deve ser abordado no envio da descrição do trabalho e/ou envio do trabalho final:
1. Importância do estudo (1 página)

 Por que o problema destacado no texto é teoricamente e economicamente importante? Justifique.


 Você pode enquadrá-lo em termos de uma questão econômica? (isto é, mudanças na economia,
questões do lado da oferta ou da procura, capital humano, mercados de trabalho dos professores,
ineficiências, etc.) Justifique.
2. Principais questões de pesquisa (1 página)

 Qual é a pergunta de partida da pesquisa? Justifique.


 Qual é o objetivo da pesquisa?
3. Metodologia (1 página)

 Qual é a fonte de dados utilizada?


 Quais as variáveis utilizadas no estudo? Como elas serão mensuradas?
 NOTA: Não precisa adentrar o tipo de método utilizado, apenas citar.
4. Principais Resultados Encontrados (1 página)

 Quais as evidências encontradas pela pesquisa?

1.1 Apresentação:
 Duração: 20 minutos – 30 minutos (este é o limite máximo)
Formato da apresentação: conforme os pontos elencados acima.
Importância do estudo
Pesquisa realizada pela Fundação Victor Civita comprova uma percepção
alarmante sobre os professores do ensino médio no Brasil. Segundo o relatório, apenas
2% dos jovens desejam cursar Pedagogia ou Licenciaturas.

Muitas são as características que são levadas em consideração para a escolha


profissional, flexibilidade de horário, estabilidade no emprego, ou mesmo personalidade
e características pessoais, mas em principal os salários. Tal situação só reforça a tese sobre
as péssimas condições no trabalho docente e a consequente falta de atratividade da
ocupação de professor do ensino médio no Brasil, especialmente no setor público. Isso se
dá visto a baixa valorização tanto nas condições de trabalho, mas em especial, a baixa
remuneração, fator que muito influenciam na escolha de uma carreira.

Visto a extrema importância da educação para o desenvolvimento de um país, em


especial o Brasil, um país subdesenvolvido e que ainda enfrenta diversos problemas no
setor da educação, torna ainda mais alarmante tal situação.
Por consenso, o papel dos professores é de suma importância para o processo de
ensino. O que faz crescer ainda mais o problema é quando nós questionamos sobre a
qualidade dos professores, mesmo sem um consenso a respeito das características de um
bom professor, que podem envolver variadas habilidades, tais como talento para ensinar,
motivação e a capacidade de se adaptar a alunos de diferentes características. Todavia, é
plausível a relação positiva sobre a melhor qualidade dos alunos com profissionais mais
bem capacitados. Há diversos debates sobre como atrair e manter os melhores
profissionais na carreira do magistério, especialmente no setor público. A atratividade da
carreira pode ser relacionada às características intrínsecas da ocupação de professor
público, como o caráter social, as jornadas de trabalho flexíveis, os períodos de férias
diferenciados, a previsibilidade da demanda e a ampla distribuição geográfica dos postos
de trabalho. Contudo, como em qualquer escolha de carreira, a remuneração é considerada
o principal incentivo para o emprego, além de influenciar a escolha da profissão, pode-se
notar correlação com o desempenho, e posterior, qualidade deste profissional.
Sendo muito baixos os salários oferecidos aos professores, comparativamente ao
que se paga em outras profissões, ceteris paribus, a qualidade dos novos entrantes seria
menor que em outras ocupações e os docentes mais bem preparados estariam mais
propensos a buscar oportunidades em carreiras alternativas, ou a permanecer onde estão,
porém desmotivados, visto o baixo prestígio da profissão.

Desta forma, observando-se como a queda na atratividade pela profissão no


magistério afeta diretamente a toda sociedade e como a baixa qualificação dos professores
pode acarretar em piora no ensino, o artigo “É atrativo tornar-se professor do Ensino
Médio no Brasil? Evidências com base em decomposições paramétricas e não
paramétricas” surge com o intuito de tentar achar respostas e mostrar possíveis caminhos
para serem tomadas por políticas públicas.
Principais questões de pesquisa

Em um cenário, onde a profissão de professor vem deixando de ser uma opção


profissional procurada, é necessário considerar o problema e discutir que fatores
interferem nesse posicionamento, ou seja, por que tem decrescido a demanda pelas
carreiras docentes, especialmente na educação básica. A questão é importante porque o
desenvolvimento social e econômico depende da qualidade da escolarização básica.
Depende, portanto, dos professores no seu trabalho com as crianças e jovens nas
escolas.

“É atrativo tornar-se professor do Ensino Médio no Brasil? “Apresentando tal


questionamento ainda no título do artigo, os autores buscam agregar para o
entendimento e explicação do porquê da diminuição da procura pela profissão de
professor, e quais seriam as características que vem tornando a profissão de docência tal
pouco atrativa. Com isso, o objetivo do artigo é avaliar a atratividade da profissão de
professor do Ensino Médio, tal como expressa pelos diferenciais salariais entre essa
categoria e não professores de três grupos diferentes: (empregados nas demais
ocupações do setor público, empregados nas demais ocupações do setor privado e
profissionais das ciências e das artes.

Diversos são os fatores que são levados em consideração para a escolha da


profissão: habilidades, vocações, tempo disponível, mercado de trabalho etc., mas sem
duvida um dos principais fatores é a média salarial. Assim, como definir o que seria um
salário atrativo para um professor público? A literatura converge para a ideia de que o
melhor parâmetro é a remuneração recebida por indivíduos em ocupações alternativas à
do magistério público encontradas no mercado de trabalho. Desta forma o artigo busca
por grupos para a realização desta comparação, em especial é escolhido o grupo dos
profissionais das ciências e das artes, grupo mais comparável aos professores pela
questão dos anos de estudos.
Com tais resultados, além de respostas sobre a atratividade da profissão, pode
também se questionar sobre a qualidade dos profissionais, Salários mais altos
tenderiam: possivelmente, a aumentar a motivação dos professores no exercício de suas
funções, provavelmente, a contribuir para reter (bons) docentes na profissão, e
certamente, a atrair indivíduos bem preparados para a carreira. Sendo muito baixos os
salários oferecidos aos professores, comparativamente ao que se paga em outras
profissões, ceteris paribus, a qualidade dos novos entrantes seria menor que em outras
ocupações e os docentes mais bem preparados estariam mais propensos a buscar
oportunidades em carreiras alternativas, ou a permanecer onde estão, porém
desmotivados, visto o baixo prestígio da profissão.
Metodologia e dados
Os dados utilizados para o artigo possuem como fonte a Pesquisa Nacional por
Amostra de Domicílios (PNAD), sendo escolhido dois períodos para que seja feita uma
comparação das mudanças ocorridas, principalmente as mudanças com a implantação do
FUNDEB, os anos escolhidos foram 2006 e 2009, um ano antes e dois anos depois,
respectivamente, do início da implantação do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento
da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (FUNDEB). O
Fundeb é um conjunto de fundos destinados a redistribuição de recursos à Educação
Básica, que possuem como objetivo valorizar os professores e desenvolver e manter
funcionando todas as etapas da Educação Básica.

Para a realização do artigo referido foi necessário a construção dos grupos de


comparação. Para isso, foi escolhido grupos tanto com categorias amplas, como também
grupamentos ocupacionais com características similares, com base na Classificação
Brasileira de Ocupações (CBO) domiciliar. Dois primeiros grupos se diferenciam apenas
pelo setor de atuação – público e privado, exclusive professores. Contudo, o principal
grupo de comparação se dá pelos denominados “profissionais das ciências e das artes”.
Neste grupo a dinâmica salarial seria a mais próxima possível dos professores, uma vez
que a escolaridade – aspecto em que professores e integrantes do grupo 3 se assemelham
– é considerada um dos principais determinantes dos salários.

Para a comparação entre os grupos foi escolhida como variáveis: horas


trabalhadas por mês no trabalho principal, construída multiplicando a variável horas
trabalhadas semanais por 4,1; logaritmo do rendimento horário médio do trabalho
principal, construída ,a partir de uma média por cada grupo, do logaritmo extraído da
variável renda mensal multiplicada pela variável “horas trabalhadas mensais e apenas e
extraídas da PNAD: rendimento mensal total do domicílio (exceto próprio), horas
trabalhadas por mês no trabalho principal, idade, anos de estudo, experiência nesse
trabalho, raça, sexo e sindicalização.

Além das estatísticas descritivas, são usadas técnicas de decomposição,


inicialmente o trabalho utilizado da técnica de Oaxaca-Blinder. Em evolução recente da
literatura, tem -se a técnica de Ñopo, utilizada no trabalho para um refinamento da
decomposição.
Principais Resultados Encontrados
Alcançando o objetivo traçado, o artigo consegue resultados consistentes e que
ajudam a entender a problemática. Dados os resultados, pode se concluir que existe uma
baixa remuneração para professores, quando comparados com profissionais com
características semelhantes, isso vem afetando tanto a oferta de profissionais, mas
principalmente a qualificação.

Nota-se nas características dos ingressantes na carreira um padrão preocupante:


jovens provenientes de famílias de baixa renda, pouca escolaridade, que frequentaram
todo o Ensino Médio em escola pública e que tiveram poucas oportunidades culturais. Ou
seja, são jovens que disputam, dadas suas limitações, o direito ao acesso a carreiras pouco
concorridas. Por meio de análise quantitativa, constata-se que os professores do Ensino
Médio possuem diferencial salarial favorável somente quando comparados com
indivíduos com níveis médios de escolaridade mais baixos (setor público ou privado).
Todavia, a vantagem dos professores com relação aos grupos de menor escolaridade e
experiência média vem diminuindo.

Em relação a comparação entre os anos 2006 e 2009, primeiramente o estudo


comprova o desinteresse pela profissão se dá na variável idade, além de se encontrar idade
superior nesse grupo, nota-se o envelhecimento ao longo dos anos. Entre as possíveis
principais causados está o salário o longo dos anos o rendimento horário médio do
trabalho dos professores descreveu. Contrariamente, os valores para todas as demais
categorias de trabalhadores apresentaram leve aumento. Além disso, enquanto o aumento
nos anos de estudos resulta em maiores rendimentos, para o grupo de professores, tal fator
possui influencia quase inexistente, o que acaba por desistir a maior qualificação desses
profissionais.

Tais resultados nos mostram como possíveis principais motivos para o


desincentivo sobre a profissão, fator que se agrava quando comparado com o grupo dos
profissionais das ciências e das artes, grupo mais comparável aos professores pela questão
dos anos de estudos, que acabam por apresentarem maiores rendimentos e aumento ao
longo dos anos. Uma estrutura salarial que não favorece indivíduos com níveis mais altos
de educação acaba por penalizar justamente aqueles profissionais que mais se quer atrair,
os quais acabam encontrando melhores oportunidades em outras ocupações.