Você está na página 1de 3

Prova Escrita de Português, 9.

º ano [EI] (Para)Textos

Correção da Prova escrita de Português


9.º ano
maio de 2019

GRUPO I

Transcrição do texto ouvido:

Dia Mundial da Poesia assinalado em Cascais a 21 e 22 de março


Exposição, música e poesia | Vários locais
20-03-2014
Uma exposição e dois espetáculos de música e poesia assinalam, este ano, em
Cascais, o Dia Mundial da Poesia. Os eventos têm por palco quatro equipamentos
culturais da Câmara Municipal de Cascais: a Biblioteca Municipal de Cascais – Infantil
e Juvenil, o Centro Cultural de Cascais, a Casa de Santa Maria e a Biblioteca Municipal
de São Domingos de Rana.

No programa das comemorações, e começando pelo público mais jovem, porque


a poesia faz parte da vida de todas as pessoas e pode manifestar-se em qualquer idade
e nas mais variadas formas, a Biblioteca Municipal de Cascais – Infantil e Juvenil, no
Parque Marechal Carmona, apresenta, a partir de 21 de março, a exposição de poemas
“Versos & Companhia”, para crianças dos 6 aos 10 anos. Os versos foram escritos por
autores portugueses, e os animais são as principais personagens. A mostra estará
patente até 30 de março, das 09h30 às 17h30.
Música e poesia são o mote para a apresentação, no dia 21 de março, às 18h00,
na Casa de Santa Maria (Rua do Farol de Santa Marta, em Cascais), do livro Ousadias
do Meu Fado, de Maria Luísa Baptista, editado pela Chiado Editora. A apresentação
estará a cargo de Germano de Sousa, Júlio Isidro e Lourenço Almeida e vai contar com
momentos musicais protagonizados por Kátia Guerreiro, José Cid, Dany Silva e a banda
Os Charruas.
Ainda no dia 21 de março, às 21h30, os ecos da poesia vão chegar ao Centro
Cultural de Cascais através da música de Ana Brandão (piano) & João Paulo (voz), com
um espetáculo que também alia a poesia à música, em ambiente descontraído e
intimista. A atriz Ana Brandão conta com um sólido currículo na área da representação,
com performances reconhecidas no teatro, na televisão e no cinema. João Paulo
Esteves da Silva é músico, poeta e compositor.
No dia 22 de março, às 21h30, a Biblioteca Municipal de São Domingos de Rana
acolhe a música e a poesia de João Sousa (guitarrista, programação e voz) e Nuno
Mangas Viegas (voz, poemas, programação e outros instrumentos). Licenciados em
Línguas, Literaturas e Culturas e alunos do Mestrado de Literaturas e Poéticas
Comparadas, na Universidade de Évora, são autores do projeto “o Poema A(corda)”,
que, tal como explicam, surgiu “como resposta, como desejo e como ânsia de trilhar

PT9 © Porto Editora Página 1 de 3


Prova Escrita de Português, 9.º ano [EI] (Para)Textos

novos caminhos, de desafiar e testar até onde poderão a poesia e a música sulcar na
mesma terra, gritar as mesmas palavras, lutar as mesmas batalhas…”.

in https://www.cascais.pt/noticia/dia-mundial-da-poesia-assinalado-em-cascais-21-e-22-de-
marco-exposicao-musica-e-poesia (consult. em 28-04-2019)

1.1. (B)
1.2. (B)
1.3. (B)
1.4. (A)

GRUPO II

Texto A

1.1. (A)
1.2. (B)
1.3. (A)

Texto B

2.1. (A)
2.2. (B)
2.3. (A)

3. A. Metáfora. B. Apóstrofe. C. Dupla adjetivação.


4.1. (B)

Texto C

5.1. Cupido estava a organizar uma expedição para levar os homens a corrigirem o seu
comportamento.
Assim, esta divindade critica os governantes e frequentadores do Paço que se
preocupam mais com os seus próprios interesses do que com o “bem público”. Também
aponta críticas aos elementos do Clero que, em vez de darem primazia à caridade,
justiça e integridade, valorizam “mandos e riqueza” e praticam a “feia tirania”.
Resumindo, segundo Cupido, as leis só se estabelecem “em favor do Rei”
desfavorecendo os mais fracos, o povo.
(85 palavras)

PT9 © Porto Editora Página 2 de 3


Prova Escrita de Português, 9.º ano [EI] (Para)Textos

GRUPO III

1. A. 3; B. 4; C. 1; D. 2
2.1. A) F. B) F. C) V. D) V.
3.1. (A)
3.2. (B)
4.1. Ninguém contesta a qualidade literária de Sophia, já que é, de facto, indiscutível.
4.2. Dirigiu-se à livraria, assim que soube da edição de um novo livro de poesia.

GRUPO IV
Sugestão de resposta:

Gil Vicente revela, no Auto da Barca do Inferno, um tom crítico perante a sociedade
do seu tempo. De modo a fazer passar a sua mensagem, este autor usa o humor.
O humor existe desde que existe humanidade e, desde sempre, o ser humano
utilizou o humor para se poder pronunciar, de forma mais graciosa, sobre as situações
ou pessoas com que se depara no quotidiano. É utilizado, frequentemente, para
transmitir uma ideia ou corrigir alguém de uma forma mais hábil. Neste sentido, para
além do sarcasmo, mais direto e agressivo, pode ser utilizada a ironia, que resulta numa
crítica mais subtil.
De facto, o dramaturgo critica os vícios e comportamentos da sociedade da
época, algo que só foi aplaudido porque a crítica mordaz, feita através da utilização
inteligente do humor, acaba por suavizar o tom crítico presente nas suas obras.

(140 palavras)

PT9 © Porto Editora Página 3 de 3

Você também pode gostar