Você está na página 1de 8

PRÓ-REITORIA DE PÓS-

GRADUAÇÃO E PESQUISA
Av. Universitária, 1069 – St.
Universitário
Caixa Postal 86 – CEP 74605-010
Goiânia-Goiás
ESTUDANTE (A): JOHNNATHAN AMADOR SILVATelefone/Fax:
DA CUNHA (62)3946-1070 ou
1071
ORIENTADOR (A): EDUARDO JOSÉ REINATO HYPERLINK
"http://www.pucgoias.edu.br"
TÍTULO DO PROJETO DE PESQUISA DO ORIENTADOR CADASTRADO NO
SIGEP/CP/PROPE:: HISTÓRIA E www.pucgoias.edu.br
PERFORMANCES /
CULTURAIS:
HYPERLINK
INTERLOCUÇÕES ENTRE SENSIBILIDADES, LINGUAGENS E ESTÉTICA
"mailto:prope@pucgoias.edu.br"
ESTRUTURA DO PLANO DE TRABALHO DO ESTUDANTE
prope@pucgoias.edu.br
TÍTULO DO PLANO DE TRABALHO: Entendendo o movimento club kid da década
de Nova Iorque e suas manifestações. Commented [WU1]: Bem ruim este título. Ponha a cabeça para
criar , tire o gerúndio etc cara, saia da rotina... crie
Tipo, sei lá, club Kid história e perfomatização blabla bla. Crie você.
INTRODUÇÃO PARE DE IR PELA CABEÇA DE OUTROS. Pense pela sua e
discuta comigo para fecharmos esta GESTALT

O movimento Club Kid surgiu no fim da década de 80, encabeçado por James
St. James e Michael Alig, e foi idealizado a partir da obra Popism: the warhol sixties
de Andy Warhol, a grande admiração pelo grande nome da Pop Art era expressada Commented [WU2]: EXCELENTE para ser ecplorado

por James em peças de roupa que produzia a mão. James St. James estudou
performances pela Universidade de Nova Iorque em 1984, e posteriormente passou
a ser anfitrião em boates noturnas da cidade.
O movimento perde força em 1996, quando Michael Alig e Robert “Freeze”
Riggs, em março do mesmo ano, matam Andre 'Angel' Melendez, amigo, traficante e
integrante do movimento. O suposto motivo seria uma dívida de drogas entre eles.
Michael e Robert mataram e esquartejaram André Menendez, e jogaram os pedaços
de seu corpo no rio Hudson. Michael e seu amigo foram presos nove meses após o
assassinato, Michael conseguiu condicional em 2010, já Robert conseguiu em 2014,
mas foi preso novamente por posse de drogas, com as prisões o grupo perdeu força,
mas deixou de existir após uma iniciativa antidrogas do governo de Nova Iorque que
acabou fechando várias boates na cidade.
O Club kid agitou as noites da cidade de Nova Iorque , na década de 80 e 90,
por ser algo completamente inovador e oposto ao que estava no auge nesse período
que era o Grunge e o Minimalismo, com um estilo único e extravagante os Club Kids
ditaram tendências de comportamento, moda e trouxeram para os meios midiáticos
o debate sobre gênero.

1
PRÓ-REITORIA DE PÓS-
GRADUAÇÃO E PESQUISA
Av. Universitária, 1069 – St.
Universitário
Caixa Postal 86 – CEP 74605-010
Goiânia-Goiás
Para uma melhor compreensão vamos voltar Telefone/Fax: (62)3946-1070
ao conceito de clube, queou Commented [WU3]: No eu computador esse cabeçalho está
meio torto
1071
diferente das danceterias e discotecas, os clubes caracterizam um espaço
HYPERLINK
underground, com house-music e decoração, arquitetura, drinks e drogas típicas. A
"http://www.pucgoias.edu.br"
jornalista Érika Palomino no livro “Babado forte. Moda música e noite na virada
www.pucgoias.edu.br / do
século 21” que esses ambientes proporcionam HYPERLINK
aos frequentadores grandes Commented [WU4]: Faça a citação de acordo com as normas da
abnt, senão terás problema na aprovação
"mailto:prope@pucgoias.edu.br"
experiências sensoriais.
prope@pucgoias.edu.br
Os personagens dissonantes e Drag queens já eram vistos nos grandes Commented [WU5]: Esse é um conceito que vem da música.
Explique vc o que entende por dissonância do pensonagem, o
centros urbanos, como São Francisco, Nova Iorque, Chicago, Londres, São Paulo e Paulino fala algo em torno do não normativo, se bem me lembro

Rio de Janeiro, com encenações de narrativas teatrais ou performáticas, como Commented [WU6]: Vou ser mais cruel um pouco. Ok? Não é
pra machucar, mas para deixar claro a potencialidade de seu
mencionou Trevisan. Esse travestismo gera um impacto nas constituições, fronteiras trabalho. Explique o que é esse troço de encenações performáticas.
Isso é Performance art. Vc tem um temão aqui
de gênero e na estilização da vida, o'que alguns sociólogos e historiadores chamam Commented [WU7]: Onde??

de diluição das fronteiras entre arte e vida. Commented [WU8]: Nota de rodapé, explique isso. Quem lê
sabe preconceituosamente o que é, vc tem que impor o coneito de
Existe uma amálgama de códigos, expressados em penteados, maquiagens forma científica ou retórica

roupas e trejeitos, e outras mais complexas como o erudito e o popular, clássico, Commented [WU9]: Quais, quando e onde???
Commented [WU10]: Adorei esta parte, agora estou te ouvindo
sublime e o grotesco que confundem a fronteira de gênero, causando
estranhamento choque e ao mesmo tempo familiaridade. A maneira como os Club Commented [WU11]: Em performance essa palavra é
riquíssima
Kids fizeram o evento performativo das festas mudou as fronteiras do gênero
heteronormativo existentes, de forma singular eles destroem o estilo falocêntrico.
Eles avacalharam o glamour, tornando-o exagerado, transformando o Commented [WU12]: Hoje vcs usam escracharam ... trolaram .
olhe a origem da palavra. Vem de vaca.
absurdo que criavam em algo desejável e exótico, usavam roupas íntimas como se Commented [WU13]: O movimento é muito urbano. Porque
não usar o termo achincalharam
fossem trajes de luxo, e realizavam festas em lugares inusitados que não possuíam
hora pra acabar, realizavam grande parte de suas festas era realizada na limelight
Club, uma igreja cheia de salas e porões com muita música eletrônica e drogas.
O movimento contou com a presença de famosos como Björk e Nina Hagen
que chamaram a atenção da mídia, fazendo com que o grupo participasse de
programas de auditório e entrevistas para canais de televisão.
O grupo contou com nomes que se tornaram muito importantes mais tarde
para a cultura queer, como por exemplo, Amanda Lepore, modelo, cantora e mulher
transexual, Lady Bunny, Comediante e Drag queen, e Rupaul que atualmente é o
maior nome da cena queer LGBT (especialmente a cena Drag) no mundo, Rupaul é
modelo, cantora, atriz, e apresentadora do reality Rupaul’s Drag Race que
2
PRÓ-REITORIA DE PÓS-
GRADUAÇÃO E PESQUISA
Av. Universitária, 1069 – St.
Universitário
Caixa Postal 86 – CEP 74605-010
Goiânia-Goiás
atualmente está na sua décima primeira temporada, Telefone/Fax: (62)3946-1070
e é responsável por trazerou
drags americanas ao holofote midiático. 1071
HYPERLINK
A partir da inspiração vinda do livro de Andy Warhol os Club Kids criaram um Commented [WU14]: Aqui está a sua questão
"http://www.pucgoias.edu.br"
novo tipo de comportamento, indo além dos estereótipos femininos das Drag/ queens
www.pucgoias.edu.br
e adicionando elementos do gender fluid. Um dos HYPERLINK
elementos é a maquiagem, que foi Commented [WU15]: Ntoa de rodapé.
"mailto:prope@pucgoias.edu.br" Commented [WU16]: O que é isso. Eu não sei, imaginem os
ressignificada e deixou de transparecer apenas uma aparência feminina e passou a leitores e avaliadores do projeto
prope@pucgoias.edu.br
ser uma manifestação artística onde a tela é o indivíduo, e a arte é viva e mutável.
As roupas eram customizadas e produzidas a mão pelos próprios integrantes
do grupo e representavam uma forma de evasão, possibilitando ao indivíduo se
tornar vários tipos de personalidades. As roupas proporcionam um sentimento de
pertencimento e distinção (SIMMEL, 1998). Commented [WU17]: Este é o jeito certo de fazer a citação

O tema da pesquisa foi escolhido a partir da necessidade de trazer ao âmbito


acadêmico mais pesquisas sobre o movimento, que atualmente é desconhecido pela
maioria das pessoas mas que teve grande influência nas questões de gênero que
debatemos hoje em dia. E pela necessidade de entender esse movimento como
uma manifestação não só artística mas de identidade e também de fuga da
realidade.
A fonte dessa pesquisa será o livro: Disco bloodbath escrito em 1999 por
James St. James, um dos idealizadores do grupo,o livro relata seus dias de clubber
e narra os acontecimentos que presenciou durante esses anos de festa.
Relacionando com o livro de Frank Owen, Clubland: The Fabulous Rise and
Murderous Fall of Club Culture. Em 1995, o jornalista Frank Owen começou a
pesquisar uma reportagem sobre "Special K", uma nova droga que alimentou a cena
pós-meia-noite do famoso clube Limelight, uma igreja decrépita convertida em uma
discoteca de Manhattan, onde música pulsante, bailarinos de gênero indefinido e
exibições desimpedidas atraíam longas filas de espectadores esperançosos.
Como problema busca-se entender como o movimento se constituiu
artisticamente, identitariamente e entender como o gênero é tratado dentro deste Commented [WU18]: Pode ser que tenhamos problema, mas
não vou tirar isso. Compro essa discussão teórica de boa.
movimento.Sendo assim, a pesquisa pretende contribuir para ampliar os
conhecimentos sobre o movimento e suas possíveis manifestações.

3
PRÓ-REITORIA DE PÓS-
GRADUAÇÃO E PESQUISA
Av. Universitária, 1069 – St.
Universitário
Caixa Postal 86 – CEP 74605-010
Goiânia-Goiás
OBJETIVOS Telefone/Fax: (62)3946-1070 ou
1071
Analisar, por meio de uma leitura crítica HYPERLINK
e analítica, o movimento e suas
manifestações.
"http://www.pucgoias.edu.br"
Objetivos específicos www.pucgoias.edu.br /
HYPERLINK
"mailto:prope@pucgoias.edu.br"
1. Buscar entender como o movimento se constituiu, através de uma etnorgrafia;
2. Quais eram suas peculiaridades, e quais os meios de ruptura com a cultura
prope@pucgoias.edu.br
estabelecida;
3. De que forma o movimento lida com as questões de gênero;

MÉTODO OU MATERIAIS E MÉTODOS OU PROCEDIMENTOS


METODOLÓGICOS

A pesquisa se dará por meio de investigação histórica com diálogo


interdisciplinar, com ênfase nas performances culturais como manifestação da
sensibilidade, experiência e expectativa do meio sociocultural. Será feita a leitura
das fontes históricas e a reflexão sobre o contexto de sua produção.
Será feito o tratamento das fontes primárias e um processo de crítica,
utilizando de uma metodologia fundamentalmente histórica. Com o recorte espaço-
temporal definido, as fontes serão selecionadas e se procederá à leitura delas
juntamente com a crítica interna da documentação, assim como análise dos
comentadores do período e a avaliação das informações na crítica externa.
Metodologicamente o trabalho será realizado a partir da leitura e análise de todo
material referente ao tema escrito que se encontra disponível para pesquisa.
Aqui colocar a descrição densa como metodologia Commented [WU19]: Como não vai dar tempo de discutir o
Geertz e a descrição densa, busque o que é essa metodologia na web
e coloque aqui com suas palavras. Coloque acima, como objetivo, a
RESULTADO ESPERADOS ideia de se aprofundar no método da descrição densa

Ao fim da pesquisa, se objetiva promover a compreensão e problematização


das principais representações das narrativas do movimento buscando compreender
suas manifestações, e influências, juntamente com o discurso de gênero.

ATIVIDADES DE ORIENTAÇÃO PREVISTAS PARA SEREM DESENVOLVIDAS


PELO ESTUDANTE

As atividades desenvolvidas com o professor orientador serão: revisão de


literatura, coleta de dados, manejo das fontes históricas, análise das obras em
diálogo com outros autores que tratam da Matéria, apresentação em Seminários;
Semana Científica de História; Congresso de Ciência e Tecnologia etc. e
participação em grupos de estudos.

CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO DO PLANO DE TRABALHO


4
PRÓ-REITORIA DE PÓS-
GRADUAÇÃO E PESQUISA
Av. Universitária, 1069 – St.
Universitário
Caixa Postal 86 – CEP 74605-010
Goiânia-Goiás
Telefone/Fax: (62)3946-1070 ou
Ano 2019 1071 2020
HYPERLINK
"http://www.pucgoias.edu.br"
Atividade/mês a s o n d j f m a m j j
g e u o e www.pucgoias.edu.br
a e a b a u u/
o r t v z HYPERLINK
n v r r i n l
Revisão de literatura
x x x x x x"mailto:prope@pucgoias.edu.br"
x x x x x x
prope@pucgoias.edu.br
Coleta de dados
x x x x x x x x x x x x
Análise de dados X X X

Elaboração de produtos X X X

Apresentação da pesquisa em X X X X X
eventos

REFERÊNCIAS: Commented [WU20]: CADÊ A DISSERTAÇÃO DO


PAULINHO

JAMES ST JAMES, Party Monster: A Fabulous But True Tale of Murder in Clubland.
NOVA IORQUE, 1999.
OWEN, Frank Clubland: The Fabulous Rise and Murderous Fall of Club Culture.
Junho 8, 2004.

TREVISAN, João Silvério. Devassos no Paraíso. A homossexualidade no Brasil, da


colônia à atualidade. Rio de Janeiro & São Paulo: Record. 2000 (3a ed. revista e
ampliada)
GREEN, J. Além do Carnaval: a homossexualidade masculina no Brasil do Século
XX. São Paulo: UNESP, 1999
CIDREIRA, Renata Pitombo 2010 A moda como expressão cultural e pessoal,
Revista IARA, São Paulo.
CORTINHAS, Rosângela 2010 Figurino: um objeto sensível na produção do
personagem, UFRGS, Porto Alegre.
SIMMEL, Georg 1998 Psicologia da moda: um estudo sociológico, Editora UnB,
Brasília

5
PRÓ-REITORIA DE PÓS-
GRADUAÇÃO E PESQUISA
Av. Universitária, 1069 – St.
Universitário
Caixa Postal 86 – CEP 74605-010
Goiânia-Goiás
Telefone/Fax:
JACKSON, Phil 2008 Club Kids: From Speakeasies to Boombox and(62)3946-1070
Beyond, Blackou
Dog Publishing, London. 1071
HYPERLINK
BEAUVOIR, Simone de. O segundo sexo. Tradução de Sérgio Milliet. 4a edição. Ed.
"http://www.pucgoias.edu.br"
Difusão Européia do Livro. São Paulo: 1970. www.pucgoias.edu.br /
HYPERLINK
BERUTTI, Eliane Borges. DRAG KINGS: Brincando com os Gêneros. X Encontro
"mailto:prope@pucgoias.edu.br"
Regional de História, UERJ, 2002.
prope@pucgoias.edu.br
BUTLER, Judith. Criticamente subversiva. Sexualidades transgresoras. Una
antología de estudios queer. Barcelona: Icária editorial, 2003.
______________. Corpos que importan: sobre los limites materiales y discursivos
del sexo. Buenos Aires: Paidós, 2009.
______________. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade.
Tradução de Renato Aguiar- 4 ed. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 2012.
CARDOSO, Fernando Luiz. Inversões do papel de gênero: drag-queens, travestismo
e transexualismo. Psicologia. Reflexão e Crítica, Porto Alegre (RS), v.
18, n. 3, p. 421-430, 2005.
CHIDIAC, M. T. V.; OLTRAMARI, L. C. Ser e estar drag-queen: um estudo sobre a
configuração da identidade queer. Revista Estudos de Psicologia (Natal) [online].
2004, vol.9, n.3, pp. 471-478.
COHEN, Renato. Performance Como Linguagem. Perspectiva, São Paulo: 2007.
GIL, José. Metamorfoses do corpo. Ed. Relógio d ́água, 1997.
GLUSBERG, Jorge. A arte da performance. Perspectiva: São Paulo, 2013.
GONTIJO, Fabiano. O rei momo e o arco-íris: homossexualidade e carnaval no Rio
de Janeiro. Garamond, Rio de Janeiro, 2009.
FOUCAULT, Michel. História da sexualidade 2. Ed. Paz e terra: São Paulo, 2014.
________________. Vigiar e punir. 41a edição. Ed. Vozes: Petrópolis, 2013.
HALL, Stuart. Identidade e diferença: a perspectiva dos Estudos Culturais. Ed.
Vozes, Petrópolis: 2001.
LIGIÉRO, Zeca. Corpo a corpo: estudo das performances brasileiras. Garamond: Rio
de Janeiro, 2011.
LOBERT, Rosemary. A palavra mágica: a vida cotidiana dos Dzi Croquettes.
UNICAMP: Campinas, 2010.
6
PRÓ-REITORIA DE PÓS-
GRADUAÇÃO E PESQUISA
Av. Universitária, 1069 – St.
Universitário
Caixa Postal 86 – CEP 74605-010
Goiânia-Goiás
LOURO, Guacira Lopes. Currículo, gênero e Telefone/Fax: (62)3946-1070
sexualidade - refletindo sobre oou
1071
"normal", o "diferente" e o "excêntrico". Revista Labrys, Estudos feministas.
HYPERLINK
____________________. Um Corpo Estranho: Ensaios sobre sexualidade e teoria
"http://www.pucgoias.edu.br"
queer. Autêntica: Belo Horizonte, 2004. www.pucgoias.edu.br /
____________________. Gênero, sexualidade eHYPERLINK educação; uma perspectiva pós-
"mailto:prope@pucgoias.edu.br"
estruturalista. Petrópolis: Vozes, 2001.
prope@pucgoias.edu.br
MISKOLCI, Richard. A teoria queer e a Sociologia: o desafio de uma analítica da
normalização. Revista Sociologias, Porto Alegre, ano 11, no 21, jan./Jun. 2009.
________________. Teoria queer: um aprendizado pelas diferenças. Autêntica: Belo
Horizonte, 2012.
OLIVEIRA, João Manuel. O rizoma género: cartografia de três genealogias. Revista
e-cadernos [Online], no 15, 2012.
PELÚCIO, Larissa. Apropriações possíveis e provocações necessárias para uma
teoria cú. Revista Queering Paradigms 4. Rio de Janeiro, 2012.
RUBIN, Gayle. Pensando sobre sexo: notas para uma teoria radical da política da
sexualidade. Cadernos Pagu, Campinas: Núcleo de Estudos de Gênero Pagu
UNICAMP, n. 21, p. 1-88, 2003.
SALIH, Sara. Judith Butler e a teoria Queer. Autêntica: Belo Horizonte, 2012.
SCHECHNER, Richard. Performers e espectadores – Transformados e
transportados. Revista Moringa. João Pessoa, v 2, n 1, 155-185, jan/jun, 2011.
___________________. O que é performance? Tradução de Almeida, in
Performance studies: an introduction, second edition. New York & London:
Routledge, p. 28-51. 2006.
VENCATO, Anna Paula. Fervendo com as drags: corporalidades e performances de
drag-queens em territórios gays na Ilha de Santa Catarina. Dissertação de Mestrado
em Antropologia Social da Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis,
2002.
________________. EXISTIMOS PELO PRAZER DE SER MULHER: uma análise
do Brazilian Crossdresser Club. Tese de Doutorado em Antropologia e Sociologia.
UFRJ, 2009.

7
PRÓ-REITORIA DE PÓS-
GRADUAÇÃO E PESQUISA
Av. Universitária, 1069 – St.
Universitário
Caixa Postal 86 – CEP 74605-010
Goiânia-Goiás
Telefone/Fax:
VERGARA, Daniel. Eu, uma drag nos país das maravilhas: (62)3946-1070
uma etnografia do devirou
1071
trans em Pelotas – RS. Dissertação de Mestrado em Antropologia da Universidade
HYPERLINK
Federal de Pelotas, Pelotas, 2014.
"http://www.pucgoias.edu.br"
VIP, Ângelo; LIB, Fred. AURÉLIA - a dicionária da língua afiada. 1a edição./ Editora
www.pucgoias.edu.br
do Bispo: São Paulo, 2006. HYPERLINK
"mailto:prope@pucgoias.edu.br"
ASSINATURA DO ESTUDANTE: prope@pucgoias.edu.br

Goiânia,..........de..........................de..................
Assinatura:................................................................................

ASSINATURA DO ORIENTADOR:

Goiânia,..........de..........................de..................
Assinatura:................................................................................